22 Aug 2005
0 Comentários

Los juguetes rotos, los amantes locos*

Vida na Espanha

A Lingua espanhola, ah… O espanhol… Também conhecido como Castellano, e que tb compreende o Basco, o Gallego, o Catalan, o Valencian e o Ballear (dialetos oficiais da espanha).

Linga traiçoeira para Luso-fonicos, que acreditam que sabem falar e só sabem passar vergonha (vide, nossos queridos jogadores de futebol…), uma das linguas mais faladas do mundo e em plena expansao.

Expressiva. Dramatica. Passional.

Porém, BREGA!

Sim, brega.

Eu adoro espanhol, nao estou aqui pra falar mal do idioma de ninguem, mas depois de muito estudar, escutar, falar e refletir sobre o assunto, cheguei a essa conclusao. O espanhol é brega.

Pra começar pelas musicas melosas que grudam na cabeça. Principalmente os hits do verao.

Tá bom, tá bom… Se formos analisar a musica brasileira, tb encontramos muitas pérolas, mas eu prefiro ignorar a existencia de pagodinhos, axés e afins.

A diferença é que aqui todo mundo ADORA a musica espanhola. As radios só tocam musica espanhola, as discotecas só tocam musica espanhola, e no metro as pessoas cantarolam musica espanhola. Nas primeiras semanas eu tinha odio mortal de todas, nao entendia nada, e mal conseguia identificar quando acabava uma e começava outra (todas sao terrivelmente parecidas), mas com o tempo vc acaba se acostumando, vai aprendendo a lingua, e quando vê já sabe de cor a letra da musica “La madre de José me esta volviendo loco”.

Só pra ilustrar meu pensamento, alguns exemplos dos hits do verao 2005:


“La Tortura”, Alejandro Sanz:
Oye mi negra no me castigues más
Porque allá afuera sin ti no tengo paz
Yo solo soy un hombre arrepentido
Soy como el ave que vuelve a su nido
 
(Traduzindo: Escute minha preta, nao me castigues mais, porque lá fora sem vc nao tenho paz, só sou um homen arrependido, sou como uma ave que volta ao ninho)


“La Camisa Negra”, Juanes:
Por beber del veneno
malevo de tu amor
yo quede moribundo
y lleno de dolor
respiré de ese humo
amargo de tu adios


(Traduzindo: Por beber o veneno malvado do seu amor, eu fiquei moribundo e cheio de dor, respirei o fumo amargo do seu adeus)


Entre muitas outras que nos brindam com versos poeticos como “Quiero vivir, quiero gritar, quiero correr en libertad, quiero llorar de felicidad”; “No es amor, lo que tu sientes es una obseción, una ilusion en tus pensamientos”; “Me gusta la gasolina, dame mas gasolina, me encanta la gasolina”; “A mover el culo, a mover el culo!”, etc… entre muitas outras…
 
As vezes, quando vc faz uma pequena traduçao, a letra nem é tao escabrosa assim, mas a maneira como ela soa em espanhol é que o problema, e esse é o meu ponto.


Tem certas coisas, que apesar de normais e corriqueiras para os hispano-hablantes, pra nós sao muito engraçadas, e muitas, consequentemente bregas.


Um exemplo classico é o “eu te amo”. Acho que jamais me paixonaria por um espanhol, só pelo simples fato de ser incapaz de virar pra alguem é dizer “Te quiero” sem rolar de rir.

Ou como me sentia ridicula, fim de semana após fim de semana que ligava pras minhas amigas e dizia “vamos bailar”. Ou chamar o trabalho de “curro”, ou uma coisa legal de “chulo”, e assimpor diante. E qualquer discussaozinha te faz sentir como “Carmen Antonia” a estrela de algum folhetin Mexicano, com direito a laquê no cabelo, cilios posticos e unhas vermelhas.


 
* Trecho damusica “El universo sobre mi” de Amaral


 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
0 Comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!