19 Aug 2008
12 comentários

Paella

Trabalho, Vida na Espanha

Depois de um looooongo dia de entrevistas, que serviu de inspiracao pro post anterior, voltei pro hotel pra trabalhar mais um pouco. O problema com essas viagens todas eh que meu “day job” fica se acumulando, e quando volto encontro aquele caos…

Mas como em Agosto a Espanha para (todo mundo tira ferias ao mesmo tempo), e os poucos que sobram trabalham no horario de verao (ou seja, durante o inverno as pessoas trabalham meia hora a mais por dia, e depois no verao, trabalham 2 horas MENOS por dia, por umas 8 semanas…), as 4 da tarde eu estava liberada.

Mas como Espanhol nenhum que se preze dispensa um belo de um almoco (independente de trabalhar menos horas por dia ou nao), o diretor me levou pra comer um paella sensacional!

 

Entao, como ainda estava um pouco atolada de comida, resolvi dar uma voltinha no centro, pra matar hora. Big mistake! Eu jah fico meio perdida nas lojas espanholas, e quando estao em rebajas entao, perco a nocao. Mas como essas viagens teem me saido muito caras ultimamente, me segurei.

Amanha tenho mais um batalhao de entrevistas, mas dessa vez nao estou tao estressada quanto da outra vez, pois o projeto esta chegando ao final (espero eu) e as coisas estao comecando a se encaixar.

Dessa vez, como vamos juntar duas empresas, varios departamentos e vagas estao sendo criados, o que significa que os funcionarios terao varias novas oportunidades. E estou empenhada em ajudar!!

Uma coisa que me deixa muito frustrada aqui na Espanha, eh como o mercado eh injusto, desigual e racista. E foi justamente isso que pesou muito na minha decisao de ir embora, ha 3 anos atras.

Me sinto um pouco impotente ao entrevistar varias pessoas com mestrado, doutorado, que falam varias linguas, mas que nao tem oportunidades, simplesmente por serem estrangeiras.

Depois de ficar um tempo batendo papo com uma das meninas do call center, uma Mexicana, formada pela universidade da cidade do Mexico, com mestrado, e um doutorado (da Universidade Complutense de Madrid) e que se mudou pra Espanha por ter casado com um espanhol, e ha 8 anos ela trabalha em telemarketing. Simplesmente nao consegue nada melhor, apesar de ter todas as qualificacoes do mundo, ser super inteligente e simpatica. Depois da entrevista virei pro Diretor e falei “acho que devemos tranferir a fulana pra um dos novos postos em financas”, e ele que eh espanhol, quase caiu da cadeira.

Mas por mais que virar assistente de contabilidade nao seja o emprego dos sonhos dela, pelo menos isso pode ser o passo que ela precisava dar pra conseguir ter a carreira que ela sonhava (e que provavelmente teria se tivesse ficado no Mexico) quando recebeu o diploma do seu doutorado em financas.

Entrevista apos entrevista, aquela lista interminavel de “Mil-Euristas” conformados… (giria espanhola pra funcionarios qualificados mas que estao estagnados em empregos que pagam Mil Euros por mes).

Se vai dar certo nao sei, mas a funcao do RH eh justamente essa. Por mais que a decisao nao seja nossa, o papel do RH eh analisar e fazer recomendacoes.

Ela foi logo a primeira do dia, e surprise, surprise, todas as estrangeiras que trabalhavam no call center tinham excelentes qualificacoes, entao comecei a perguntar oque elas gostariam de fazer em seu “emprego dos sonhos”, comecei a contar das posicoes novas, as novas oportunidades, tentando analisar onde poderia encaixar os funcionarios atuais em algumas das posicoes novas. O Diretor espanhol quase teve um infarto, mas quando finalmente entrou um espanhol da gema, que trabalha em informatica, e nos contou que ele abandonou a unversidade pq repetiu materias demais, que na verdade ele nao gostava do emprego mas que o salario era razoavel, que sei lah oque era chato, que nao sei oque lah era um saco… Tipo assim, meu filho, cala a boca! Nao estrague suas changes de no minimo manter seu emprego! Ai o diretor se convenceu, que realmente as operadoras eram o melhor “materia prima” da empresa.

Vamos ver, vamos ver. Na verdade eu nao decido nada, mas sei que posso fazer boas recomendacoes, e isso pode mudar muita coisa.

Mas agora tenho que terminar de escrever uns contratos e responder uns e-mails…

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
12 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
12 comentários
  1. Flavia - 19/08/08 - 21h33

    Adri, isso eh otimo, bom seria se todas as empresas tivessem uma pessoa que seja no RH que nem vc! Sabe lah, vc pode ter mudado a vida de 1 dessas mocas, talvez nao agora de imediato, mas em um futuro proximo!

    Responder
  2. Gabriela - 19/08/08 - 23h36

    Brava!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Tomara que sua interferência possa ser positiva para essas pessoas que merecem.
    Uma das coisas nessa vida que mais me incomodam é a injustiça e não é justo que uma pessoa que tenha melhor qualificação não possa alcançar uma posição superior por ser estrangeira ou mulher ou qualquer outra coisa absurda dessas.
    Eu sou a favor da meritocracia e nisso vejo os ingleses bem a frente. Ou estarei enganada?
    Um beijo

    Responder
  3. Ana - 20/08/08 - 00h29

    Dri,
    quantos posts novos em tão pouco tempo! Mal consegui acompanhar tudo o que aconteceu!

    Sobre os últimos posts: hoje mesmo entrevistei uma pessoa e perguntei o que ela precisava melhorar. E boohoo, a resposta foi “trabalho demais e ponho o trabalho a frente da minha vida pessoal”…
    Bem legal mesmo você conseguir dar oportunidades a estrangeiros bem qualificados! Acho que esse problema não acontecia taaaanto na Finlândia simplesmente porque não há muitos estrangeiros por lá. Geralmente o problema maior é o idioma mesmo, aí também não dá para reclamar de racismo nem nada assim!

    PARABÉNS pelo seu casamento, foi muito lindo. Adorei ver as fotos, aproveito para sugar algumas idéias, afinal, faltam só 3 meses pro meu próprio casamento! :) E eu ainda tenho N mil coisas para decidir!

    Beijinhos

    Responder
  4. Adriana - 20/08/08 - 05h58

    Oi Gabriela,
    Sim, a Inglaterra (Londres) esta um pouco a frente, mas acho que eh um caso de que a necessidade faz o ladrao, sabe?
    Nao eh que eles sejam mais legais, mas eh que tem muito mais vagas disponiveis doque candidatos qualificados, entao o mercado se abre para todos.
    E isso acontece em todos os paises da Europa do Nore, que teem uma economia melhor.
    Jah os do sul esta de mal a pior, o desemprego eh enorme, entao empregadores acabam dando preferencia a candidatos nacionais, doque extrangeiros.
    Mas pensa bem… NO Brasil nao aconteceria o memso? Se de repente comecarmos a ter um mooonte de candidatos Peruanos, Argentinos, Bolivianos, Arabes, etc, quem vc acha que as empresas vao dar preferencia, os Brasileiros ou estrangeiros?…?

    Responder
  5. Tinuccia - 20/08/08 - 09h24

    Bom dia,
    Que bom aspecto que tem esta paella!
    Queria agradecer-te por todas estas informações e dicas sobre trabalho/entrevistas/CV que vais dando. Estou a procura de emprego e vou aproveitar algumas deixas. Esperemos bem :)
    Aqui em Portugal, como deves saber, a situação é muito parecida. O simples facto de uma pessoa ser estrangeira dificulta muito a procura de trabalho; muitas vezes nem sequer permite o acesso a uma entrevista. O que não está certo, mas é assim. Aqui também as vagas são poucas, as pessoas a procura são muitas, é compreensível que se dê prioridade aos portugueses… o que não me ajuda não é :(
    Bom trabalho e uma beijoka

    Responder
  6. dedeia - 20/08/08 - 10h06

    Isso mesmo, miguxa! Orgulhosa de voce.
    Eu acho que em qualquer emprego a gente pode batalhar pra fazer desse mundo um lugar um pouco mais justo.
    beijos!

    Responder
  7. Claudia Acourt - 20/08/08 - 11h25

    Entendo o que vc fala em ser extrangeira e a descriminaçao que existe. Nao sei como è no restante da Europa mas na Italia o fato de ser brasileira ja significa que è mulher facil e sexo garantido. Este post me fez pensar um pouco sobre meu futuro profissional por aqui. Por falar nisso, o que vc pode dizer sobre o sofrido mercado italiano?

    Baci

    Responder
  8. Renata - 20/08/08 - 15h11

    Adriana, acabei de ver q teve um acidente de aviao em Madri… Esta tudo bem? Ai meu Deus, q nervoso!

    Responder
  9. LUCIANA COSTA - 21/08/08 - 02h30

    ESTAS DICAS ESTÃO 10!!! GOSTEI MUIIIITO!!! PARABÉNS!

    Responder
  10. Débora - 22/08/08 - 14h46

    Nossa eu não sabia que a Espanha era um país preconceituoso com os estrangeiros… Bom saber…

    Meus primos moram na Espanha, um em Madrid e o resto em Barcelona, mas a situação deles é diferente e deve ser por isso que só sei das coisas boas da Espanha…

    Beijinhos.

    Responder
  11. Ana - 22/08/08 - 22h05

    Nossa!
    Se tu escrevesses a tuas memórias,seria um best seller…
    pois o teu blog é maravilhoso!
    :-)

    Responder
  12. Claudia - 06/10/08 - 21h08

    Oi, Adriana! Tudo bem?
    Descobri seu blog muito por acaso há uns meses atrás pelo Google, quando buscava informações sobre a Espanha e o consulto de vez em quando. Muito bom! Parabéns, vc escreve muito bem e as informações são sempre super úteis.

    Eu era Gerente de MKT BTL no Terra Brasil e resolvi que já havia passado a hora de viver uma experiência internacional e estou aqui na Espanha (Madrid) há um mês.

    Meu objetivo aqui é buscar um trabalho na minha área. Tenho um visto de estudante de 1 ano.

    Te escrevo este comentário, pois vc como uma pessoa de RH, talvez tenha alguma dica para me dar. Qual a melhor forma de buscar uma oportunidade por aqui? Sites de empregos – como INFOJOB, funcionam? Por ser extranjeira, o que mais vale para eles? O que pode fazer a diferença?

    Lendo este seu post fiquei um pouco mais preocupada do que já estava. Digo isto, porque com a crise as oportunidades estão ainda mais dificeis.

    Bom Adriana, se vc puder responder te agradeço.

    um beijo
    Claudia Cavalcante

    Responder