14 Apr 2010
48 comentários

Sobrevivencia no Egito: Modus Operandi

Cairo, Dicas de Viagens, Egito, Luxor, Sharm El Sheikh

Seja uma viagem mochileira como a nossa, ou com um pouco mais de luxo, qualquer viagem independente ao Egito requer uma certa preparacao para o choque cultural.

Egito DYI

Se voce pretende ir pra lah com uma agencia e guias que te levam pra cima e pra baixo e te “protegem” do Egito real, entao esse post nao eh pra voce.

Apesar dos pesares, e dos perrengues, nao trocaria nossa viagem ao Egito por nada, nem por hotel de luxo, e muito menos por onibus com ar condicionado e guia bilingue.

Egito eh o tipo do lugar que 90% do que tem pra oferecer eh a experiencia em si, e saber se moldar a cultura local nos ensinou muito mais doque aprender sobre as dinastias e Faraos!

Entao pra quem for ao Egito, aqui estao algumas dicas do modus operandi local!

– Gorjetas, propinas, subornos e afins. Ou o Baksheesh Egipcio.

Em Arabe Egipcio a expressao baksheesh significa “gorjeta”, mas eh amplamente utilizada pra sempre que qualquer pessoa tentar tirar dinheiro de voce. Faz parte da cultura local, e todos, em qualquer situacao vao esperar que voce de um extra por fora como baksheesh.

Nao adianta negar, porque eles vao te encher o saco, e eh mais facil carregar sempre umas moedas no bolso (de facil acesso, sem ter que ficar abrindo carteira e afins) e se livrar da situacao antes de virar uma intimidacao.

Ao mesmo tempo que todo e qualquer preco seja negociavel, dificilmente o preco final acordado, sera o preco final mesmo – sempre vai rolar uma tentativa de baksheesh. A grande maioria eh inofensivo, como a gorjeta do garcon, do motorista de taxi, do guia do passeio pelos templos.

Mas eh sempre bom ficar esperto com as falcatruas.

No nosso segundo dia no Egito, contratamos um taxi no albergue, uma familia canadense tinha feito um passeio parecido e deram uma boa recomendacao. Nos negociamos um pouco o preco (afinal eramos apenas nos 2, e eles eram 5), e pronto. No dia seguinte seguimos alegreces e faceiros pra Saqqara e Dashur.

Ao chegar lah, achamos que tinhamos tirado a sorte grande, a piramide de Dashur era praticamente toda nossa! Sem vendedores chatos, grupos de turismo atrapalhando as fotos e afins como tinha sido em Gize.

Abordamos o tiozinho do camelo e demos um baksheesh pra tirar fotos do camelo (sem subir nem nada), soh pra ser gentil.

Segundos depois chegaram dois policiais (“Tourism Police” que teoricamente estavam la pra nos proteger) insistindo DEMAIS pra tirar uma foto nossa, e nos sempre dizendo que nao, pois queriamos mesmo era a foto do camelo. E os caras nao nos deixaram em paz, quase arrancando a camera da minha mao pra tirar uma foto.

Ateh que um deles, se escondeu atras da cazinha, deu uma apontada na mega metralhadora no seu ombro e fez sinal de dinheiro.

Tentamos sair andando, dizendo que nao tinhamos nada, e o segundo policial, chegou, fechando nossa passagem – ou seja, estavamos “presos”, longe do nosso motorista e longe da vista de outros turistas.

Entao eu tirei umas moedas do meu bolso e dei pro primeiro policial, que imediatamente disse que era muito pouco, e ficou apontando pra camera do Aaron! (nao no sentido de roubar a camera, e sim para enfatizar que sim, nos tinhamos dinheiro)

Entao demos mais dinheiro, e ele ainda ficou dizendo que queria mais, e que tinhamos que dar mais dinheiro pro seu colega tambem!

Eu sinceramente nao acho que eles iam atirar ou fazer nada com a gente por causa de uma gorjeta mas a situacao foi muito intimidante, ficamos mesmo apavorados, e depois desse dia nao passavamos nem perto de uma “Tourism Police” (que aliais, depois reparamos que sempre se “escondem” nos fundos dos templos, e vimos – de longe –  outros turistas passando pela mesma situacao em outros templos).

Ainda no mesmo dia, a segunda falcatrua veio do nosso motorista, que mal falava ingles, e no meio da estrada (ou seja, no meio do nada no deserto) parou no acostamento e me passou o celular: era seu “primo” dizendo que nos tinhamos enganado o motorista, pois o hotel nao disse que o passeio tambem ia incluir Dashur, que eh bem longe da cidade. Mas como agora jah tinhamos ido e voltado, tinhamos que pagar 50 libras a mais na mao do motorista.

Fiquei revoltada, e bati boca, mas a troco de que? Estavamos no meio do nada, com um motorista que mal falava Ingles e um “primo” nada simpatico no telefone. E afinal de contas, 50 libras Egipcias sao apenas 10 dolares, e nao valia apena a confusao.

Esse dia foi um estresse, apesar do passeio maravilhoso que fizemos nas piramides antigas. Mas foi um crash course sobre a corrupcao e falcatruas egipcias, e aprendemos a licao! Foi a ultima vez na viagem que fomos passados pra tras!

O pedido de Baksheesh mais estranho que tive, foi o dono de uma barraquinha de livros que perguntou se eu tinha ciclete; quando ofereci um, ele pegou o pacote todo, dizendo que os filhos iam adorar!

E todas as canetas que tinhamos perdidas em bolsos e fundo de bolsa, foram ficando pelo caminho, de “presente” pras adultos e criancas.

– Celebridade por um dia (ou  politico em epoca de eleicao)

Como ja disse em outros posts, os Egipcios nao sao nada timidos, e nao tem a menor vergonha de ficar encarando ninguem.

Depois do segundo dia, jah nem me sentia envergonhada de ter minha foto tirada no metro, enquanto esperavamos pra atravessar a rua, ou sentada num restaurante. Depois dessa viagem, definitivamente vou pensar duas vezes antes de coprar uma revista de fofoca de novo!

E alem de se sentir uma celebridade, voce ainda se sente um pouco como um politico em plena campanha eleitoral, tirando fotos com bebe remelento no colo, posando ao lado de familias e com marmanjos de abracando!

Se for um grupo de criancas entao nem se fala! Se jogam na sua frente, pedem pra voce tirar foto delas, e ficam maravilhadas com a telinha da camera! Eh bem fofo, mas chega uma hora que vc cansa de tirar fotos de velinhos, criancas e familias completas na frente do templo.

Apesar da situacao surreal, eu ficava morrendo de doh de dizer nao! No dia que fomos na Citadela, tinha uma excursao escolar visitando a mesquita e as criancinhas fizeram a festa com a gente! Mas depois de uma meia hora posando e tirando fotos, disse nao pra um grupo de meninas (com pinta de ter uns 8 anos) e elas ficaram tao tristes, mas tao tristes, que me partiu o coracao! Entao voltei atras e prometi uma foto soh! Mas obviamente logo depois mais umas 15 criancas apareceram dentro da mesquita!

Carne de acougue

Independente das falcatruas e do status de celebridade de tabloide fajuto, por mais que o Egito seja um pais que recebe muitos turistas, ao mesmo tempo a grande maioria das pessoas que vao pra lah viajam como grupos turisticos, sempre com guias por perto. Entao dois gringos como nos peranbulando pelas ruas chamava bastante atencao.

Tentamos, na medida do possivel, ter uma experiencia autentica, fugindo de restaurantes turisticos, andando de metro ou kombi ou pegando taxi local; por mais dificil que tenha sido se virar nessas situacoes, nos poupou muito dinheiro e dor de cabeca de negociacao com gente querendo tirar vantagem.

Porque? Poque ser um extrangeiro no Egito significa que sempre, a qualquer momento alguem estara tentando te passar pra tras e tirar vantagem de alguma coisa.

Se um taxista te aborda em Ingles, pode ter certza que ele vai te cobrar o triplo do preco de uma corrida com um taxista local, idem para restaurantes ou lojas de rua.

– “Tres palavras”, a primeira silaba é…

Falar Ingles eh imprencidivel, mas ao mesmo tempo, por termos evitado ao maximo as situacoes turisticas demais, acabou que falar ou nao ingles nao fazia a menor diferenca, jah que quase ninguem nos entendia mesmo.

Entao viramos mestres da arte de fazer mimica, apontar e fazer contas com dedos.

Fizemos mimica pra pegar um taxi do centro da cidade ateh a Citadela, mimica pra pedir um kebab de frango (foi engracado demais!!) e minha performacne digna de oscar foi fazer mimica pra comprar spray pra desentupir nariz e papel higienico na farmacia!

Deu certo! Nos entenderam, e entendemos tudo!

(soh nao pode ser timido, porque fazer mimica de papel higienico nao eh nada digno… tentei ser sutil, mas nao fui compreendida, e soh quando fui o mais grafica possivel na minha mimica eh que a mocinha atras do balcao arregalou os olhos e “Ah!” puxou o pacote de papel higienico debaixo do balcao!)

– Numeros Arabes

Eu li essa dica num blog escrito por um egipcio, e resolvi imprimir uma copia da tabela soh por via das duvidas.

Mas me surpreendi com a quantidade de lugares que apenas expoem seus precos em Arabe, menu de restaurante com preco em Arabe e as plataformas da estacao de trem sao identificadas com numeros Arabes.

Nada que uma mimica nao resolva na hora de negociar o preco de qualquer cosia, mas ter uma nocao do preco “normal” dah uma grande ajuda!

– Negociar, negociar, negociar!

O preco final nunca eh o preco final, e o preco inicial tabem nunca eh o preco inicial.

Geralmente as negociacoes se limitam ao mercados “arabes”, mas no Egito a negociacao de preco acontece em TODOS os lugares!

E por isso que entender os numeros Arabes nos ajudou demais!

Por exemplo, compramos nosso jantar no kebab ao lado do albergue, e quando fomos pagar o carinha quis cobrar 6o libras por dois kebabs! Imediatamente apontei pro menu onde li que cada um deveria custar apenas 6 libras! O tiozinho se assustou que eu “entendi” o menu e imediatamente cobrou o preco normal, sem nem discutir!

E minha tecnica de negociacao era sempre vergonhosa: se me cobravam 400, eu oferecia 100, ateh conseguir negociar o preco a 200, ou ameacar sair da loja!

No souk em Luxor

As vezes a reducao inicial eh demais, e nao rola mesmo. Ai cabe a voce saber se realmente quer comprar aquela determinada coisa, e seguir pra barraquinha/loja seguinte.

O mesmo vale pra passeios turisticos, mas quase tudo tem um preco tabelado, e as agencias trabalham em clima de cartel: o preco eh sempre o mesmo, o servico e o roteiro eh sempre o mesmo.

Depois que levamos o susto em Saqqara percebemos que nao valia tanto a pena ficar batendo boca pelo preco de certas coisas.

E nunca, nunca, entre num taxi sem concordar direitinho preco antes da corrida (e de preferencia tenha o dinheiro trocado certo, ou se nao vc nunca mais vera o troco!).

– Como se vestir e se comportar

Ao contrario da viagem a Dubai, eu nao tinha visto muitas cosias pela net relativo a roupas e costumes no Egito; mas por via das duvidas e por ser um pais muculmano preferi ser o mais “recatada” possivel com meu guarda roupa.

Andar pelo Cairo era bem complicado, e realmente nao se via NINGUEM de short ou saia, ou nada que mostrasse os joelhos – homens, mulheres, turistas e afins.

Dei gracas a deus pelos meus vestidos compridos e calca jeans, mas morria esturricada de calor com uma pasmina enrrolada nos ombros o tempo todo.

Ms assim que chegavamos num lugar mais turistico (nos templos, museus e tals) a coisa fica menos restrita,  e os turistas se liberavam!

Mesmo assim eh bom sempre usar o bom senso – por respeito a cutlura e religiao local, e para seu proprio conforto.

Mesmo com vestidos compridos ateh os pes ou calca comprida, as pessoas jah te encaram e os homens dao em cima, coisa que me deixa extremanente desconfortavel (pior que o calor!), mas oque mais vi foram turistas exibidas, se achando o maximo por serem o centro das atencoes (principalmente as Russas! Muita vergonha alheia delas…). O mesmo vale para os homens, e o Aaron usou calca comprida e camisa de manga varios dias, independente do calor de 40 graus na sombra!

Jah em Luxor achei o clima mais confortavel, talvez porque a cidade nao eh tao tumultuada como o Cairo. Eles ainda te encaram, dao em cima e te abordam o tempo todo, mas a sensacao de vulnerabilidade e sufocamento-humano eh incrivelmente menor.

Entao me senti bem mais a votade pra usar bermudas por exemplo, sem achar que seria apedrejada na rua!

E alem disso, Luxor eh uma cidade que vive exclusivamente de turismo, entao alem de estarem mais acustumados a verem as turistas Russas andando de micro short com a lateral da calcinha aparecendo (serio!) e top de biquine, eles sao bem mais tolerantes, pois sabem que precisam dos turistas pra sobreviver.

Jah em Sharm El Sheikh eh puro oba-oba! De Alema de top less na praia, a Ucraniana com vestido totalmente transparente a Italianos se amassando na piscina!

Em nome do turismo, os Muculmanos fingem que nao veem – mas sinceramente, o bom senso (e bom gosto) mandou lembrancas, e por respeito a cultura alheia, eh sempre bem saber se vestir apropriadamente!

Adriana Miller
48 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
48 comentários
  1. Jacqueline - 14/04/10 - 10h17

    afeeee, que medo desse post! hahaha
    To quase desistindo de ir!
    mto boas as explicaçoes.

    Responder
    • Adriana - 14/04/10 - 10h19

      Nao desiste nao!
      A verdade ehq ue vale DEMAIS a pena conehcer o Egito!
      Mas pra quem quer viajar “independente” eh muito importante star preparado pra todas as situacoes! As boas e as mas!
      Mas pra quem for viajar de pacote turistico, fazer cruzeiros e afins, a viagem seria bem mais tranquila! :-)

      Responder
  2. g. - 14/04/10 - 12h20

    adorei este post!
    mas meio estressante… tem que se tirar férias das férias no final, pois não se relaxa hora nenhuma!
    infelizmente passei por situações assim (salvo devidas proporções!) em Salvador, apesar da penca de policiais no Pelourinho.
    beijos
    ps.: vc poderia fazer um post só com as roupas usadas dia a dia? e make up tb? acho de extrema importância este item! sério!!! :)

    Responder
    • g. - 14/04/10 - 13h35

      ops! quis dizer especialmente nesta viagem ao egito.

      Responder
  3. Luisa - 14/04/10 - 12h30

    Adorei! Esse teu post me fez lembrar pq eu ainda nao fui ao Egito!
    Nao sei se estou preparada psicologicamente para o pais… :)
    Bjs
    .-= Luisa´s last blog ..Pechersk Lavra =-.

    Responder
  4. Sandra - 14/04/10 - 12h37

    Eu ODEIO gente sem “semancol”, respeito vem em primeiro lugar independente de qual é a sua cultura. Sem noção essa menina da foto com o micro shorts…aff.
    Adriana parabéns pela sua “coragem”, não sei se teria a mesma paciência para desbravar o Egito sozinha…rs… pelo menos agora já tenho as dicas de como fazê-lo.
    Abraços.

    Responder
  5. Jaciara Morgado - 14/04/10 - 13h08

    Após ler seu posto percebi que ainda não estou psicologicamnte preparada para conhecer o Egito.
    Ano passado um tio meu foi para lá e foi tão assediado que quase adiantou o retorno da viagem. O detalhe é que ele tem um bigode gigante e nos países mulçulmanos isso é sinal de viralidade. Para piorar ele estava viajando com 4 mulheres (esposa, sogra e 2 filhas), logo, para os egípcios ele era o garanhão. Os homens passavam fazendo sinal “de virilidade” com o braço para ele e encarando o bigode.

    Responder
    • Adriana - 14/04/10 - 13h35

      Hhaahah!
      Isso eh verdade!
      Eu achava que os homens Brasileiros e Italianos eram descarados com a mulher alheia, mas nada se compara com o Egito!
      Sorte que o Aaron eh tao tranquilao coitado, que quando um cara falou pra ele me levar no mercado de camelos (pra ser negociada por camelos!) o Aaron disse na cada de pau que nao aceitava nenhuma oferta abaixo de 100 camelos!
      E pior eh que os caras achavam que ele estava falando serio, e ficaram tentando dar “conselhos” de que o “preco” que ele estava pedindo nao era razoavel, afinal camelos sao caros, e nenhum homem solteiro possui 100 camelos! Entao se ele quisesse fazer um bom negocio, teria que reduzir meu preco!
      Hahhahahaha!!!
      Eu rolei de rir da situacao pra ele se livar do tiozinho depois!

      Responder
  6. satya - 14/04/10 - 13h29

    oi adriana, estou lendo

    Oi Dri. Adorei o post. Me faz lembrar muito da India, todos os anos vou pra la e sao as melhores viagens quando a cultura eh totalmente diferente,pelo menos pra mim!Me deu muita vontade de colocar o Egito em uma das minhas proximas viagens depois de ler seus posts! Estou lendo seu blog ha algum tempo e sempre volto, adoro! acabei de entrar pro mundo dos blogs, e gostando de compartilhar meu dia-a-dia atraves do blog. Bjs

    Responder
    • Adriana - 14/04/10 - 13h31

      Oi Satya!
      Seja bem vinda!
      Concordo com voce, e quanto mais “exotico” e diferente um pai eh, mais apreciso a viagem!

      A india esta no topo da minha lista pro final desse ano, ou inicio do ano que vem! Tomara que de certo!

      Responder
  7. Carol - 14/04/10 - 13h40

    Não tô acreditando até agora a desse policial!! Meu Deus, vc já pensou em fazer denúncia?? Não sei como isso funciona lá, mas mandar um email explicando o que aconteceu pode dar em alguma coisa…as autoridades de turismo não devem nem sonhar com isso!! Quem devia te proteger tá te intimidando e ainda subornando?? Tudo bem que aqui no Brasil não adianta nada fazer denúncia né!! Mas quem sabe lá isso pode fazer alguma diferença!!

    Acho que nunca vou ao Egito da forma que vc foi…sou cagona demaaaaais!!! rs

    Bjo

    Responder
    • Adriana - 14/04/10 - 13h47

      Infelizmente essa cultura jah esta tao enraizada na cultura e na maneira como eles tratam os turistas, que nem nos preocupamos em tentar demunicar nem nada.
      Ateh mesmo os guias de viagem, como Lonely Planet e Rough Guide tem uma secao de “avisos” sobre as falcatruas da policia, e te aconselham a soh pedir ajuda deles se por acaso alguma cosia seria acontecer, ou alguma cosia de muito valor for roubada. E te avisam: se vc for roubado e fizer uma denuncia na “Policia de Turismo”, se quiser ser atendido mesmo, tambem tera que dar uma gorjeta pro policial.
      mas de maneira geral o Egito eh um pais MUITO, muito seguro – sem risco de assaltos, nem furtos nem violencia nenhuma. O papel da Tourism Police eh de puro enfeite hoje em dia, jah que a receita proveniente do Turismo diminuiu bastante nos ultimos anos por causa de ataques terroristas a turistas no pais.

      Entao na verdade eh bem tranquilo viajar por lah, mas tem que fica muito esperto e estar preparado pra certas situacoes, se nao jah era… pquenos detalhes vao acabar destruindo suas ferias!

      Responder
  8. Sandra - 14/04/10 - 14h46

    hahahahahah…. Tinha me esquecido do Pelourinho em Salvador, realmente pode ser tão assustador quanto o Egito. E na Igreja do Nosso Senhor do Bonfim???? Gente, o que são aqueles camelôs que só faltam pular em cima de você pra vender as famosas fitinhas. hehehe, acho que já posso pensar em ir para o Egito! Fora os “hunters tourists” o país merece ser apreciado.

    Responder
    • Adriana - 14/04/10 - 14h53

      Pois eh!
      Eu fui assaltada a mao armada em Salvador, enquanto que no Egito esse tipo de medo eh impensavel… Andavamos tranquilos pelas ruas, tirando fotos de tudo, sem se estressar em esconder cameras, anel de casamento, relogio e afins…

      Responder
  9. Gabriela - 14/04/10 - 16h43

    Oi Adriana,

    Excelentes posts, como sempre. Gosto muito desse tom de “realidade” nos teus posts de viagem, pois é importante para quem pretende ir aos mesmos lugares, conhecer os “detalhes sordidos”.
    Admiro também o pique de voces dois. Confesso que eu nao tenho mais saco, hoje em dia, para enfrentar certas realidades. Nunca gostei de viagens tipo excursao, com tudo organizadinho, guia explicando. A gente sai com uma visao irrealista do lugar. Mas confesso que em certos lugares prefiriria andar numa bolha.
    Situaçoes como a que voce viveu no Egito, eu teria vivido no Marrocos, se nao fosse o fato de estar ali numa situaçao profissional e cercada de certos cuidados. Mesmo assim nao escapei da tentativa de negociaçao mulher/camelo.
    Acho que isso aumenta o preconceito que ja existe com relaçao a esses paises ou culturas e o comportamento deles, insisitindo nessas malandragens, mostra também um antagonismo com relaçao ao estrangeiro, que é apenas um estranho de quem se deve tirar tudo o que puder.
    Nao gosto disso. Nao gosto da ideia de ter que ficar me defendendo de ataques todo o tempo e esse tipo de conhecimento eu realmente dispenso hoje em dia. Se eu for algum dia ao Egito, prefiro ter o mesmo esquema que tive em outros lugares complicados, porque nao me interessa comprovar in loco que o ser humano pode ser muito desagradavel. Quero ver as piramidas e tudo o que nos leva a desejar conhecer aquele pais, mas ser roubada pela policia, pelo taxista, pelo vendedor de kebab e ser desrespeitada seja no assédio masculino (concordo com vc quanto às mocinhas desavisadas de shortinho, mas eles classificam as mulhers como: a se respeitar (as deles) e a se desrespeitar (as outras). Nao gosto disso. Me irrita muito, de verdade.
    Luto contra as generalizaçoes e me policio muito, quando percebo certos estereotipos que me ocorrem, mas confesso que relatos como o seu nao ajudam muito a mudar a ideia sobre os egipcios, por exemplo.
    Tenho uma amiga que casou-se com um e nem te conto o calvario que ela vive atè hoje, mesmo ja estando separada dele e vivendo em um pais nao muçulmano.
    Volto a repetir,antes que alguem me entenda mal, acho que generalizar é um erro e somos todos seres humanos, separados por fronteiras geograficas e culturais que, no entanto, nao nos fazem diferentes na essencia. Policiais corruptos e bandidos a gente encontra em toda a parte e aqui no Brasil eles sobram, mas o que me incomoda é que aparentemente, em certos lugares, depenar o turista é uma insitutiçao nacional e as autoridades nao fazem muito para mudar essa pratica.
    Ufa!! Falei demais. Parabéns pela animaçao, pela disciplina de escrever sempre e pela alegria que sempre aparece como a marca principal do seu dia a dia.
    Um beijo

    Responder
  10. rocosta - 14/04/10 - 16h47

    Vixe! Não sei se teria a coragem e paciência necessários hehehe
    Beijão!
    .-= rocosta´s last blog ..Sou toda ouvidos para… =-.

    Responder
  11. Camila - 14/04/10 - 18h25

    Me deu medo so de ler a historia com a policia!! Eu detesto viajar em excursao, adoro explorar lugares como se fosse uma “local”, mas nao sei se teria essa coragem… Acho que me irritaria muito facil num lugar desses!!

    Ri sozinha lendo seu comentario sobre o Aaron e os camelos!
    .-= Camila´s last blog ..A canja =-.

    Responder
  12. Mallu - 14/04/10 - 21h07

    Dri!!!! Vc me fez viciar no seu blog, adoro o jeito como vc escreve… Estou em UK e irei passar um ano por aqui e irei viajar bastante e as informacoes do seu blog irao me ajudar bastante.
    Nao sei se irei para o Egito, pq em 1 ano achoq nem dara para conhecer toda a Europa, mas futuramente quero ir la, muito interessante conhecer cidades milenares =)
    Faz uma semana que descobri seu blog mas jah tow viciadinha nele. Parabens!!!

    Beijaooo.

    Mallu.

    Responder
  13. Izabela - 14/04/10 - 21h10

    Que interessante este post!
    Planejo ir logo ao Egito, mas como sou muito medrosa, acho que vai ter que ser de excursão, viu…
    Não tenho sangue frio para lidar com essas situações.
    Estou doida pra ler mais sobre a sua viagem…
    Bjo!

    Responder
  14. Luciana Bordallo Misura - 14/04/10 - 22h00

    Eu nao teria saco pra aturar essas atitudes, entao o dia que a gente for vamos ter que contratar um guia direto (mas excursao nao porque eu detesto excursao). Mas adorei todos os posts, tenho certeza que vou usa-los no futuro :-)
    .-= Luciana Bordallo Misura´s last blog ..Design social =-.

    Responder
  15. Fernanda Soares - 15/04/10 - 00h24

    Oi Dri,parabéns por toda a série de posts sobre a viagem. O Egito, Israel e a Jordânia estão na minha listinha, mas acho que só para o ano que vem.

    Lendo o que você falou sobre as pessoas te olharem e sobre as roupas, queria te perguntar sobre usar calça. Eu não sou como a russa desavergonhada, mas usei calça jeans em um dia no mercado de Bamako (Mali), e os homens me olhavam estranho e as mulheres me xingavam. Lembrando que eu não estava usando calça justa ou com a barriga aparecendo. Era uma calça larguinha e uma blusa de mangas. Comecei a pensar também que eu estava com a cabeça descoberta e o cabelo solto. Mas não sei mesmo o que fez eles me tratarem mal.. Nos outros dias só vestido comprido e cabelo preso, mas não melhorou muito não.

    Beijo.

    Responder
  16. juliana - 15/04/10 - 03h58

    Bem…. Acho que por morar no Brasil, onde a violencia e o estresse quanto a segurança está realmente insuportável ( pelo menos para mim),fica difícil escolher o Egito para minhas férias. Estou tão cansada de viver ” ligada” que prefiro, hoje, ir para lugares que eu me sinta segura, andar em paz….. (isso aqui no Brasil virou luxo)…. e ter sossego para relaxar e conhecer coisas novas! Viajo muito para o exterior ( 3 x ao ano) e quando vou para a Europa, por exemplo, sinto um alívio dessa pressão se “segurança”! A coisa aqui está preta……

    Adoro seu blog e leio quase todos os dias. As dicas são ótimas! Obrigada!

    Juliana

    Responder
  17. José Luiz - Viver a Viagem - 16/04/10 - 00h29

    Meu Deus!! Fiquei estressado só em ler o post… hahahaha

    Mas falando sério, adoro essas viagens que te permitem viver o lugar e não apenas conhecer o ponto turístico, mas é muita dor de cabeça ter que ficar a todo momento ligado pra saber se alguém não te dará um golpe!

    Aí depois um país/cidade perde uma de suas principais fontes de renda e não sabe porque… eu até entendo a questão de negociar preço comum no mundo árabe, mas extorsão como fizeram o taxista e ,ainda pior, o policial, faz com que a imagem de um país fique bem arranhada

    P.S: Também adorei o comentário do Aaron te “negociando” por 100 camelos… :D
    .-= José Luiz – Viver a Viagem´s last blog ..Vigo – Espanha =-.

    Responder
  18. Carolmay - 16/04/10 - 17h09

    Oi Dri,

    Acompanhei sua viagem pelo twitter e agora vim conhecer seu blog. Adorei os posts sobre o Egito, estão ótimos, tanto relatos e dicas quanto as fotos. Parabéns!

    Agora vou começar a ler todo o resto!
    Bj

    Responder
  19. Elaine (Nani) - 16/04/10 - 19h50

    Dri, eu sempre fui louca para conhecer o Egito. Desde quando li um livro “The Memoirs of Cleopatra”, lindo. Descreve o Egito de uma maneira realista, impressionante. Desde entao sempre sonhei em conhecer o pais… Mas quando uma amiga minha (americana) foi p o Egito com a mae dela conhecer me falou que nao faria a viagem novamente nem por decreto, eu simplesmente perdi um pouco a vontade. Ainda me interesso pela cultura, pela historia, arquitetura… mas depois dela ter me contado as coisas que ela passou por lah eu simplesmete perdi a vontade. E ela nao eh o tipo de americana que vai por pacotes e vai atras de luxo nem nada. Ela eh assim como nos, adora a experiencia, faz backpacking, jah foi p varios paises como voce… Ela disse que o Egito eh lindo, mas que eh soh isso, o povo eh muito pushy, nao conseguiu ver nem as piramides direito de tanto que tinha de pedinte, e vendedores ao redor, e eles nao deixavam em paz mesmo, vao encima, nao te deixam andar… ela disse que tem muita sujeira nas ruas tb, que o hotel que elas ficaram era mais mulambento que outra coisa (e ela eh simples) mas disse que a sujeira e a atitude do povo fez com que ela nao quisesse mais voltar lah.

    Eu nao sei se tenho mais vontade de ir nao p falar a verdade. Hehe
    .-= Elaine (Nani)´s last blog ..EU QUERO!!!!! =-.

    Responder
    • Adriana - 19/04/10 - 09h41

      OI Nani!
      Olha, apesar dos pesares, o Egito vale muito a pena sim!
      Meu post nao teve a intencao de assustar ninguem, apenas ser relaista e mostrar um pouco do “lado B” da minha viagem (que geralmente as pessoas acham que eh soh glamour…).

      Eu com certeza voltaria ao Egito um dia!

      Responder
  20. Mariana - 17/04/10 - 00h55

    Oi Dri!
    Adorei todos os posts do Egito, mas o fim da picada pra mim foram os policiais egípcios ameaçando vocês! Que que é o fim disso?
    Beijos,
    Mari

    Responder
  21. Juci - 17/04/10 - 08h13

    Esses tiozinhos nas escondidas sao realmente um saquinho de aturar! Ohh povo pegajoso viu! Ixxxa alá!
    .-= Juci´s last blog ..S.O.S Limpeza =-.

    Responder
  22. Marcela - 18/04/10 - 00h06

    Olá, Adriana!
    Descobri seu blog por acaso fuçando sobre blogs de viagens na Internet e o achei muito interessante.
    Estou me preparando para ler os posts antigos.
    Bem, agora vou te acompanhar.
    Bjs e até a próxima!

    Responder
    • Adriana - 19/04/10 - 09h38

      Seja bem vinda!!

      Responder
  23. Thaís Nascimento - 18/04/10 - 17h17

    Apesar dos pesares, ainda quero MUITOOOO conhecer o Egito! E nesse estilo mochilao mesmo ahahha mais aventura xP
    .-= Thaís Nascimento´s last blog ..Três metros de perna =-.

    Responder
  24. Donna - 18/04/10 - 19h58

    Então é “aceitável” no Brasil um policial atirar num cidadão por causa de uma gorgeta? Como assim???

    Responder
    • Adriana - 19/04/10 - 09h37

      Infelizmente, sabemos muito bem que todos os dias dezenas (ou bem mais!) de pessoas morrem Brasil afora por muito menos, sendo assainados na mao de policiais, bandidos e pivetes e infelizmente sem consequencias ou justica.

      Responder
  25. Carol P - 19/04/10 - 03h27

    Dri,
    Deixei um selinho para vc la no blog
    Carol xx
    .-= Carol P´s last blog ..Blog: novo layout – new layout =-.

    Responder
  26. Luciana - 20/04/10 - 19h55

    Eu fui há dois anos. Realmente o primeiro dia foi estressante. Mas a police tourism, ao invés de pedir propina a nós, pediu ao nosso guia. Depois saquei que o guia nos deu uma roubadinha e quando voltei ao hotel fiz um escandalo tao grande, que me devolveram o dinheiro. Afinal o hotel havia me vendido um pacote que era uma furada.
    Depois disso tivemos uma grande sorte: o nosso motorista de táxi (que alugávamos por 1/2 jornada) era o nosso interprete, segurança, faz-tudo, etc. Ele nos dava ótimas dicas, nos levava a lugares bem genuínos e jamais estivemos novamente envolvidos em furadas.
    Estressam um pouco, mas valeu a pena cada momento.

    Responder
    • Adriana - 20/04/10 - 20h14

      Nossa, e como vale!
      Por isso disse, que é um estresse, e é bom estar preparado, justamente pra experiencia nao virar um pesadelo, mas continuo achando que vale DEMAIS conhecer o Egito!

      Responder
  27. Luciana - 21/04/10 - 10h18

    Nós tb fizemos Taba Heights/Península do Sinai (Dahab, Nuweiba, etc), inclusive subindo Monte Sinai. Lá nós tinhamos 2 motoristas: um deles era guia turistico tb. A experiencia foi COMPLETAMENTE diferente do Cairo. Sem nenhum tentativo de extorquir dinheiro, sem pedidos de propina, etc. O preço concordado era o preço concordado e ponto final. Para eles nós deixamos uma boa gorjeta no último dia de viagem.
    Eu quero voltar! E da próxima vez ir a Israel tb.

    Responder
  28. Henrique - 06/09/10 - 03h41

    Olha eu estou começando a planejar as minhas férias de fevereiro do ano que vem. Comecei pelo seu blog a estudar a possibilidade de ir ao Egito, mas estou bastante preocupado com estes bankeshee que vc relata…
    Há assaltos lá também, ou é apenas uma pressão absurda para se dar gorjeta? O relato da polícia a obrigando a dar gorjeta é tão bizarra quanto alguns relatos no Brasil…
    Bom, sei lá… Uma das minhas idéias era dividir Egito com Marrocos, mas agora estou preocupado. Pelo visto nos comentários vc continua a recomendar DEMAIS o Egito, né?
    .-= Henrique´s last blog ..Alameda Restaurante =-.

    Responder
  29. silvana - 25/10/10 - 03h06

    Adriana
    gostei muito das dicas, vou agora em janeiro. Em que epoca voce foi? gostaria de saber que tipo de clima, tipo de roupa levar nesta epoca? não encontrei estas informações em nenhum lugar.

    Estava na duvida se iria com pacote ou só, acho que fiquei mais em dúvida ainda. não goste de pacote, é muito chato, mas não sei se estou disposta a passar por tudo isso.

    agradeço se me mandar.
    obrigada

    Responder
    • Adriana - 26/10/10 - 16h21

      Oi Silvana, eu fui em Abril, e peguei bastante calor. Mlehor vc verificar sites de previsao do tempo para ver qual a temperatura media no Egito em Janeiro.
      Quanto ao que vestir, se vc der uma olhainha no link “Dicas de Viagem” aqui em cima, tem um link com posts sobre dicas/ideias de como se vestir em viagens, como fazer as malas, etc. Nessa categoria tem 2 posts com dicas de como se vestir no Egito e em Dubai (que fui em Fevereiro e tambem ´e um pais muculmano).

      Responder
  30. Bia Venturi Bonelli - 01/04/11 - 22h12

    Oi Dri,
    Vou agora no fim do mês fazer Israel-Egito-Jordânia e seus posts me ajudaram muuuuito. Queria te perguntar sobre as propinas, quanto vc dava geralmente para o povo pedinte e em contas (hotel, restaurante…)
    Bjos

    Responder
    • Adriana - 02/04/11 - 08h49

      Nao tem muita regra, ate por que na maioria das vezes eles mesmo que pediam uma quantia X que nao tinha como escapar.
      Geralmeente os valores sao baixissimos, pois a moeda deles eh super desvalorizada…

      Responder
  31. Bia Venturi Bonelli - 02/04/11 - 14h53

    Muito obrigada!!! Bjos

    Responder
  32. Joel - 26/06/12 - 14h10

    Muito Bom…esclarecedor!!! To preocupado agora como eu conseguiria o dinheiro egípcio…é fácil de trocar por dólar? E lá…essas gorjetas..eles recebem o dinheiro egipcio ou recebe dólar???

    Responder
    • Adriana Miller - 26/06/12 - 14h25

      Tudo em moeda Egipicia.
      Mas voce pode facilmente trocar dolares nas agencias de cambio no aeroporto e eh bem facil achar caixas eletronicos que fazem saque de cartoes de debito internacional – essa eh a menria mais facil (e mais barata) de trocar seu dinheiro.

      Responder
  33. Joel - 26/06/12 - 22h59

    OK… um passeio de 10 dias, vc recomendaria qtas libras egipicias? Abraço

    Responder
  34. […] | roteiro de viagem egito | LINK 64. @drimiller | sobrevivencia no egito: modus operandi | LINK 65. @drimiller | sharm el sheikh | LINK 66. @drimiller | uma cidade cairótica! | LINK 67. […]

    Responder
  35. […] que alcalcamos status de superstar em nossas viagens (mas nada se compara ao sucesso que fizemos no Egito ou na India!), mas sempre fico meio com vergonha de tirar fotos dos locais, pois nao quero dar a […]

    Responder