20 Feb 2011
17 comentários

Baalbeck

Baalbek, Dicas de Viagens, Libano

Quando eu decidi esticar minha viagem ao Libano, eu sabia que queria conhecer alguma coisa por fora de Beirute, mas foi bem dificil escolher! O LIbano tem muita coisa legal pra ver, mas como eu só teria um dia, resolvi então que queria conhecer alguma coisa monumental!

Baalbeck foi a resposta certeira!

Baalbeck esta no norte do Libano (cerca de 2 horas a partir de Beirute), no vale Bekka, que fica entre as montanhas “alpinas” do Libano e a mini cadeia montanhosa que divide o Libano e a Siria geograficamente.

A viagem até Baalbeck foi bem interessante, pois o norte do pais, e principalmente a região de Bekka, é a sede do Hezbollah (um grupo militar e religioso de extremistas muçulmanos, e que vive em pé de guerra com Israel, e coleciona inimigos internacionais do calibre da Jordania, Arabia Saudita e inclusive são classificados como um grupo terrorista pelos EUA, UK e Canada).

O que faz do passeio interessante nessa região do pais é que por lá, o Hezbollah é respeitado e adorado pela população, que ao ser uma das areas mais empobrecidas e negligenciadas do pais, o Hezbollah constroi escolas, hospitais e um suporte social a população local.

Então tudo relacionado ao Hezbollah é praticamente uma atração turistica, e os caras tem posters, estatuas, outdoors e varios outros tipos de propaganda politica ao longo das estradas.

Mas o pessoal do sul do pais e Beirute são bem cuidadosos ao falar deles – o motorista que me levou pra lá evitava tocar no assunto, e só respondia minhas perguntas com “sim”, “nao” e “nao sei”, e como as estradas estavam vazias e eramos só nos dois no carro, ele me pediu pra não tirar fotos dos simbolos politicos – que são caracterizados pelas bandeirinhas amarelas na beira das estradas, e impossiveis de ignorar…

Mas o objetivo do passeio definitivamente nao era o Hezbollah e sim Baalbek – ou por seu nome Greco-Romano: Heliopolis, a cidade do Sol (em grego, Helio= Sol, Polis= cidade).

Baalbek hoje em dia é um cidade realtivamente grande, que se expandiu em volta da antiga cidade Greco-Romana, que foi fundada em cerca de 334a.c. quando o imperador Alexandre, o Grande conquistou o Oriente Medio.

A então Heliopolis, desenvolveu sua estrutura Fenicia já existente, e daí pra frente só cresceu, sob o comando de diferentes imperadores e conquistadores, até que se transformou na maior cidade do imperio Romano sob o comenado de Septimus Severus.

O complexo/cidade era sede dos templos dos Deuses Mitologicos Jupiter, Bacus e Venus, e é um lugar embasbacante!

E eu digo isso sendo a pessoa meio cinica que sou… Depois de ter tido o privilegio de conhecer lugares como a Grecia, Egito e Jordania, eu achava que seria bem dificil outros “templos” e impressionarem tanto…

Mas Baalbek foi como nada que eu jamais tenha visto na vida! Já na estrada que nos levou ao centro da cidade eu praticamente levei um susto quando vi o tamanho do lugar!

E lá dentro, nossa… Praticamente impossivel descrever um lugar tão gigantesco e imponente!

E pra aumentar ainda mais a sensação de espanto, o fato de que o Libano não é um lugar muito turistico (ainda) e o templo estava praticamente vazio, e a impressão que tive era que o lugar era todo só meu…

Nunca me senti tão pequena na vida! As colunas monumentais, os templos gigantescos, as esculturas, os tuneis, entradas e saidas… e eu lá no meio!

Baalbek/Heliopolis em seu auge, era uma cidade enorme, e as ruinas que vemos hoje em dia eram na verdade edificios complexos, com passagens subterraneas que conectavam as diferentes partes da cidade, andares diferentes (acho que no total, o “centro” da cidade tinha 5 andares), as escadarias, templos, banhos, aquedutos, marcados, praças, etc.

Eu sou uma pessoa muito, mas muito agradecida por tudo que tenho e sou na vida, e são lugares como Baalbek que me fazem sentir ainda mais humilde, e simplesmente mal acreditar que eu realmente estava lá!

E o cenario só contribuiu pra toda essa sensação de encontro com o alem… As inacretitaveis ruinas, o compexo praticamente desertico, silencioso, a neblina “misteriosa” e eu lá, sozinha, embasbacada em cada novo canto descoberto, cada detalhe esculpido no marmore, respirando o ar puro com o cheirinho de Cedros

Mas turisticamente falando, o impressionante é a conservação do lugar, que apesar dos terremotos, as guerras, as trocas de poder e de religião, ainda assim é cheio de detalhes que já não vemos nos templos de Tenas ou de Roma por exemplo, como o interior ainda super detalhado do gigantesco Templo de Bacus, e oque sobrou das colunas gigantescas do templo de Jupiter (só sobraram 6 colunas Corintians, e outras 8 colunas foram transferidas para Constantinopla, durante a construção da Hagia Sophia, em Instambul.

Como eu mencionei nos outros posts, a estrutura turistica no Libano ainda é bem precaria, e foi impossivel achar uma maneira mais independente de fazer qualquer passeio fora de Beirute, então seguia dica da Fe Costa e contratei o mesmo motorista que ela usou no Libano, o Hussein Abdallah, e que mais uma vez repasso a recomendação pra quem quiser viajar pelo Libano.

+96170809737 lebanon.tours@yahoo.com ou husseinabdull@yahoo.com

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
17 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
17 comentários
  1. Nine Copetti - 20/02/11 - 22h08

    Dri, seus posts fazem a gente meio que ficar hipnotizados… incrível, fiquei aqui imaginando a sensação que falaste sobre ser pequenina perto da imponência dessas construções que fazem parte de uma história que a maioria só conhece pelos livros de escola. E mais, que com tantos conflitos noticiados, é o último destino que escolhem, se escolherem. Então, mais uma vez, parabéns pela tua coragem e curiosidade. E obrigado por compartilhar viagens tão interessantes e fora do comum com a gente. De verdade!

    Beijo,
    Nine

    Responder
    • Adriana - 21/02/11 - 10h55

      De nada!
      E o fato de ter me sentido “pequena” nao foi soh figura de linguagem nao! As colunas do Templo de Jupiter tem altura equivalente a um predio de 5 andares!! :-)

      Responder
  2. […] This post was mentioned on Twitter by Sou Londres, Adriana Miller. Adriana Miller said: Baalbeck, a cidade Fenicia-Greco-Romana no norte do Líbano – http://goo.gl/Bui7y via @DriMiller […]

    Responder
  3. isabel Moura - 21/02/11 - 08h52

    UAUUUU..foi a palavra que me ficou ao acabar de ler post!
    Nunca tinha ouvido falar nem suspeitava que Baalbeck existisse…um lugar impressionante!E o facto de não estar inundado de turistas torna- o ainda mais singular e especial.
    Até por fotos dá para ver a grandiosidade do lugar.Sortuda!;)

    Responder
    • Adriana - 21/02/11 - 10h54

      Sortuda mesmo!
      Eu fiquei mesmo muito emocionada de ter tido o privilegio de estar la, com aquela “cidade” toda soh pra mim!

      Responder
  4. vitor - 21/02/11 - 14h20

    Eu conheci esse lugar bem…realmente é impressionante e bem conservado.
    Quem bom ver pessoas que não tem conexão com o lugar gostarem.

    Responder
  5. dani - 21/02/11 - 15h18

    Maravilhoso este post! Amei cada foto e cada comentário seu. Realmente as vezes vamos para algum lugar e é tão inacreditável estar lá que pensamos exatamente assim como vc falou..Eu pelo menos me sinto assim em alguns lugares, fico olhando, olhando, maravilhada, sem acreditar que estou ali. Foi assim na Grécia, um lugar que acabei indo por acaso e foi tão maravilhoso, tão incrível, q eu nem acreditava que estava ali. Lugar incrível este que vc visitou, acho que eu jamais iria ver isso em outro lugar na internet. Beijos, Dani

    Responder
  6. Isabel - 21/02/11 - 18h03

    Adriana, achei fantástico!!! Não imaginava que existisse algo assim no Líbano!!Uma vida é pouco pra conhecer tantas belezas que existem por aí. Obrigada por compartilhar suas viagens conosco.

    Responder
  7. Beatriz - 21/02/11 - 21h45

    Lindo !!!!

    E o post do closet e do armário com sapatos, roupas e sapatos ?

    mil beijos

    Responder
  8. Wanessa - 22/02/11 - 01h34

    Nunca visitei Roma, Atenas ou outras cidades com grandes achados arqueológicos na Europa (o mais perto disso a que cheguei foi no Peru), mas as fotos que vejo desses locais não me impressionam tanto, talvez pelo fato de estarem sempre lotados de turistas e não permitirem uma experiência como a que você viveu, de se perder no tempo… Baalbeck me pareceu mais marcante. Adorei saber da existência desse lugar!

    Responder
    • Adriana - 22/02/11 - 08h42

      Realmente Baalbek foi mesmo muito impressionante!
      E olha que sou adoradora de sitios historicos, ruinas e afins, mas realmente os onibus despejando turistas aos milhares sempre atrapalham demais a experiencia.
      Baalbek eh um lugar especial, e por um lado (menos egoista) e uma pena que mais pessoas no mundo nao saibam de sua existencia!

      Responder
  9. Helena - 23/02/11 - 00h58

    Dri,
    Posso te fazer uma pergunta? Tenho uma Sony quase igual a sua, e vi que vc. tirou foto panorâmica (achei que isso era coisa só do Aaron. Hahaha!). Como é que vc. conseguiu tirar foto panorâmica? Tem algum comando na máquina, que eu não sei?
    Obrigada.
    Beijinhos,
    Helena

    Responder
    • Adriana - 23/02/11 - 11h21

      Oi Helena, eu tirei a fotos com o “Sweep panorama” que eh uma funcao da propria camera, que as novas Cybershots tem.
      Lembro que quando comprei minha camera ano passado essa funcao era lancamento tecnologico, mas acho que depois disso algumas outras cameras mais compactas Cybershot e as novas Nex3 e Nex5 ja vieram com essa funcao tambem.
      Se sua camera eh modelo “Alfa” ou algum modelo mais antigo da Sony entao provavelmente vc nao tera Sweep panorama (e a solucao e fazer panorama a moda antiga…)

      Responder
  10. […] bem precaria, e as agencias, ou guias são escassos – e o motorista que eu usei pra ir até Baalbek não fazia o trajeto Beirut-Damasco, justamente por causa das dificuldades e corrupção na […]

    Responder
  11. Francisco - 21/07/11 - 13h47

    Parabéns pela sua contribuição de divulgar as belezas dos lugares que vc tem visitado.
    Por gentileza, gostaria de saber como se faz para chegar até Baalbeck saindo do Brasil? o turista tem que ir para Siria ou pegar um voo direto para o Libano?

    Responder
    • Adriana Miller - 21/07/11 - 14h03

      Baalbeck fica no norte do Libano, entao vc tem que chegar la de alguma maneira. E apartir de Beirute, voce pode alugar um carro, contratar um motorista ou pegar uma tour ate Baalbeck.

      Responder
  12. […] Elissa (que entao virou a Rainha Dido) que saiu da costa ocidental do Oriente Medio (hoje em dia o Libano) em busca de novos territorios para expansao do Imperio […]

    Responder