15 Jul 2011
51 comentários

Porque quando na Russia, nenhum caminho te leva a lugar nenhum…

Dicas de Viagens, Moscou, Russia

Uma das grandes vantagens de voltar a cidades que você já conhece é justamente a sensaçãoo do “conhecido”. As vezes é uma segunda chance de rever um lugar que de repente você não gostou tanto da primeira vez. Ou rever um lugar que voce adorou, e poder dividir isso com uma pessoa querida. Ou simplesmtente voltar e rever e redescobrir um lugar incrivel que você adora e se sente em casa!

A minha primeira viagem pra Russia não foi das melhores. Foi a primeira viagem “exótica” que eu e o Aaron fizemos juntos, e desde o comeco tudo foi uma dificuldade, principalmente por ele ser Americano. O visto foi doloroso. Achar boas informações e dicas foi doloroso. Decidir hospedagem, preços, etc.

20110714-203456.jpg

Quando chegamos em Moscou foi um mico após o outro, tudo dando errado. Começando pela dura que o Aaron levou na imigraçóo (que virou piadinha interna entre nos dois: quando a guardinha da imigração gritou na cara dele “ARE YOU AMERICAN?!?!” ele respondeu timidamente e morrendo de medo: “… si…” Em ESPANHOL!!! Eu não consegui segurar a gargalhada! Porque cargas d’agua ele respondeu em espanhol quando alguem perguntou se ele era Americano, na Russia?!); por quase pegar o trem errado no aeroporto sem sinalização em Ingles (que virou outra piadinha interna entre nos dois: Eu “Vamos entrar nesse trem mesmo, qual a pior coisa que pode acontecer?”; Ele “Hello! A pior coisa é ir parar na Siberia!”), e as quatro horas embaixo de neve que levamos pra achar nosso hotel, o hotel caindo aos pedacos e afins.

Entao os 4 dias que passamos em Moscou foi uma sucessão de tragicomedias: meu secador de cabelo queimou logo na primeira manhã e na carona levou toda fiação daquele lado do hotel. Uma tempestade de neve em pleno April nos deixou isolado no suburbio de Moscou. Não conseguíamos descobrir onde atravessar as ruas. Não conseguíamos ler as estações do metro. Levamos varias broncas em Russo por tirar fotos de coisas e predios proibidos (que logicamente não sabiamos), até a garconete do hotel que me deu bronca por ter pedido sorvete de sobremesa e já era muito tarde (ela se recusou a me servir sorvete de sobremesa!).

A viagem foi divertida e tal, e nos garantiu uma fonte inesgotável de piadinhas internas ate hoje, mas foi uma viagem dificil!

Então quando surgiu a oportunidade de voltar pra Russia a trabalho, apesar do receio, eu me animei com a possibilidade de rever a cidade com outros olhos, e dar uma segunda chance aquele lugar tão bonito e fascinante.

Algumas das dificuldades foram as mesmas (que me segue no Twitter – segue aê! – acompanhou as sagas da última viagem!), e vi que muitas das coisas que deram “errado” na primeira viagem não foram por azar nem inexperiencia da época não. Realmente a Russia é um dos lugares mais difíceis de viajar independentemente do mundo!

Então agora com a experiencia do repeteco, cheguei a algumas conclusães que acho que facilitam a vida de quem tiver coragem de ir pra Russia desacompanhado (sem agencias ou guias). Algumas dicas são puramente filosóficas, enquanto outras são mais praticas:

– Visto:

Tirar visto pra Russia é dificil. É complicado e é caro. Me mandaram varios links sobre Brasileiros não precisarem de visto, bla bla bla. Pra mim não deu certo. Pra comçar que pelo que outras pessoas comentaram aqui no Blog, acho que essa regra só funciona para Brasileiros que morem no Brasil e que viagem para a Russia saindo do Brasil. Todos os outros, visto neles!

Viajando com passaporte Europeu (e ainda por cima a trabalho e já tendo um outro visto no nome de solteira!) foi um saco tirar meu visto, e custou uma pequena fortuna. Eu tentei usar meu passaporte Brasileiro como plano B e parecia que eu estava falando a lingua dos elfos…ninguem na agencia que minha empresa usa ja tinha ouvido falar em regra nenhuma que isenta Brasileiros de visto, nem na Embaixada da Russia em Londres.

Por coincidencia minha empresa usou a mesma agencia que eu usei pra tirar o visto da India, e mais uma vez super recomendo a TLCS pra quem estiver na Inglaterra.

– Do aeroporto pra cidade:

Eu voei BA de Heathrow para Domodedovo, que foi o mesmo aeroporto da outra viagem – dessa vez, nem pensei duas vezes: quando (re)vi a confusão que é aquele terminal de chegadas, fui direto no balcão de taxi, antes mesmo de sair da area de recolher bagagem e reservei um taxi que me levou a meu hotel. A corrida custou 2.000 Rubles (mais ou menos 50 dólres), que me economizou o estresse, mas me custou quase 3 horas no transito!

– Taxi:

Taxi em Moscou é relativamente barato. Isso se você der sorte de econtrar um taxista honesto, um taxista que consiga se comunicar com você e que consiga achar seu endereço.

Como eu já sabia disso, então fui direto no concierge do hotel e pedir pra eles organizarem um taxi pra mim, logo na manhã da minha primeira reunião com fornecdor. Falei em Ingles, mostrei o endereço, paguei na conta do hotel e a menina me entendeu perfeitamente e explicou tudo em Russo pro motorista.

Ele rodou, rodou, rodou, e me largou no endereço errado, no meio da uma obra no suburbio de Moscou. Foram uns momentos de pânico (o Twitter foi meu companheiro!) sem saber onde estava, sem saber onde ir, sem conseguir me comunicar com ninguem! Até que um senhor do predio em frente veio me ajudar e ligou pro escritorio do seu próprio celular e explicou quem eu era e onde estava. Uns minutos depois alguém veio me buscar na esquina da obra…

No dia seguinte, dei bronca na recepção, e exigi que eles organizassem um outro taxi, que dessa vez me levasse pro lugar certo. Mais uma vez, um outro taxista, impossibilitado de se comunicar (e vice versa) me largou de novo no lugar errado – mas dessa vez por ter sido num endereço mais central, eu consegui explicar onde estava pra secretaria do banco e mais uma vez vieram me buscar no meio da rua!

Entao o moral da historia é que nunca, em hipotese alguma saia de casa sem ter seu endereço, nome do hotel e afins escrito em RUSSO! Ninguem vai enteder um nome escrito em Ingles… e mesmo num hotel de rede internacional, mostrar pro motorista de taxi, ou uma pessoa na rua, ou um guarda na esquina o nome “Marriott” eh a mesma coisa que mostrar pra um taxista Brasileiro no ponto da central do Brasil uma placa em Russo…

– Na duvida, fale Português!

No segundo dia que um taxista me levou pro lugar errado, eu resolvi que iria voltar pro hotel a pé. Sabia que estava central, o sol estava brilhando no céu, e ainda tinha muitas horas de claridade pra aproveitar.

Por azar (que virou mais um drama do Twitter) a area central de Moscou estava toda fechada por causa de um show, então eu não conseguia voltar por meu hotel de jeito nenhum, pois todos os acessos que eu conhecia estavam fechados!

Foram 3 horas e 4 tentativas de caminhos dierentes que me fizeram andar em circulos sem parar e não conseguia me comunicar com NINGUÉM nas ruas pra me ajudar.

No desespero eu comecei a falar português com um guarda na ponte de acesso da Praça Vermelha, e por incrivel que pareça ele entendeu melhor meu “sotaque” da pronúncia do nome da rua em Português doque quando eu estava tentando me comunicar em Ingles!

Mas mesmo tetntando aprender uma palavra ou outra, nome das ruas e tal, não adianta, e a comunicação é toda na mímica mesmo. Eles não entendem nada do que tentamos dizer, e quando entendem, eu não conseguia entender as respostas e explicações!

– Andando e atravessando as ruas:

Apesar dos pesares, Moscou é uma cidade relativamente feacil de navegar. As avenidas são largas e bem visiveis (fico tensa em me “aventurar” demais nas ruas de uma cidade cheia de ruelas e becos… fico com medo de não lembrar o caminho de volta!), além de ser uma cidade bem marcante, com predios e monumentos memoráveis – então da pra andar a vontade mesmo sem saber ler nenhuma placa e ainda assim não se perder (ou se perder, mas se achar rapidinho!).

O problema é que justamente por ter avenidas tão largas e movimentadas, é impossivel atravessar as ruas! Na verdade a maioria das ruas principais nem sequer tem sinal de transito ou faixa de pedestre.

Entao a unica solucao é sempre usar as passagens subterraneas. Algumas são proprias pra atravessar a rua, outras são através das estações de metro.

Lembro que na nossa primeira viagem nos ficamos com medo de entrar na passagem subterranea e saimos correndo avenia a dentro pra conseguir cruzar a rua, mas apesar do aspecto escuro, sujo e perigoso, na verdade essas passagens sao tranquilonas e a maneira mais fácil de chegar do ponto B ao ponto A.

Claro que como eu não conseguia ler placa nenhuma, eu me perdia entre as mil opções de saídas e subidas, e acabava sempre subindo pelo lado errado… mas não tem problema, é só dar meia volta e tentar de novo!

– Mapas, ruas e estações:

Um dos principais erros cometidos na primeira viagem foi ter tudo em Ingles. Mapas, nomes de estações de metro, nomes de ruas. Eu sabia tudo tin tin por tintin, mas quando chegamos lá, me dei conta que na Russia, essa versão “Ingles” das coisas não existem.

Então dessa vez fiz questão de ter tudo em Russo, com alfabeto Cirilico.

Mas e como entender/ lembrar dos nomes?!?!

Minha técnica: memoria por associação – eu tentava gravar as 3 ou 4 primeiras letras da palavra (nome da rua, da estação etc) e associar com alguma coisa que fisesse sentido pra mim – tipo, a estação do metro do escritorio era Шоссе Энтузиастов, que se pronuncia em Ingles Shosse Entuziastov, mas na minha cabeça era ” dáblíu ô-tchê“.

20110714-203523.jpg

Uma outra “técnica” de viagem que aprendi com meu pai ha anos foi: A) sempre andar com cara de que você sabe oque estava fazendo e sabe onde esta indo (nunca ficar com cara de turista perdida na rua!) e B) evitar o máximo possivel dar pinta de turista perdido e abrir o mapa no meio da rua!

Então nesse ponto Moscow é facílimo de navegar, pois as avenidas são largas e os caminhos “retos”; nao é o tipo de cidade que voce precisa pegar a 3ª esquerda, depois a 2ª a direita, depois cruza a ponte, vira no retorno, sobe de novo, anda mais 3 quarteiroes, etc, etc, sabe?

Então eu estudava o mapa antes de sair do hotel, sabia que era sair do escritorio, virar a direita e seguir uma linha reta toda vida até o parque. E memorizava que tinha que andar pela rua Козловский (que na minha cabeça era “Kô-3 ao contrario”) e depois virar na Моховая улица (para meus neuônios: Môxobar-Y). Se rolasse um desespero era só abrir o mapa que estava na bolsa, mas no geral, essa técnica é infalivel em Moscou!

– Custos e dinheiro:

Não tem como negar – Moscou realmente é uma das cidades mais caras da Europa. O engraçado que os custos básicos da viagem (tipo ticket de metro) são até bem baratinhas, mas TODO o resto é impossivelmente caro – mesmo pra quem mora em Londres como eu!

A moeda é o Rubbles, que na época estava na media de 40 Rubbles para 1 dólar (EUA).

20110714-203416.jpg

O engraçado é que eu não consigo entender o motivo das cosias serem tão caras, pois não é um país onde os imposts sejam abusivos (como os impostos na Escandinávia, ou valor agregado no Brasil), então não sei porque os custos são tão desproporcionais.

Qualquer sanduíchezinho na hora do almoço custava preço de ouro, e mesmo em lojas (sim…. Zara…) a mesma peça de roupa que em Londres custaria o equivalente a 50 dólares, em Moscou custava quase 100 dolares!!!

Eu mencionei que taxis são relativamente baratos, pois a proporção do preço final versus a distância percorrida (fora o transito!) não é tão berrante quanto o preço dos taxis em Londres, mas ão é exatamente baratinho….

Então prepare seu orçamento e segure a carteira!

 

 

Adriana Miller
51 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

51 comentários
  1. Sandra - 15/07/11 - 09h00

    Ai que perrengue!! Não tenho planos de visitar a Rússia, massss se um dia acontecer, volto aqui pra reler este post… rs…
    E o fato do taxi ser barato também não é garantia de “salvação” já que nenhum motorista fala inglês. Quando será que a Rússia vai começar a se internacionalizar de verdade?

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 10h03

      Pois eh, espero que a internacionalizacao aconteca rapido! Eles nao vao sediar uma copa qualquer nos proximos anos?

      Responder
    • Genario - 24/02/13 - 12h32

      Aprenda alguma palavras em russo, esqueça ingles e venha conhecer um pais fantastico…rasil gelado.

      Responder
  2. Carina-Senzatia - 15/07/11 - 11h39

    Eu também achei Moscou bem cara, mas adorei a cidade!
    Pegamos um frio enorme ainda no final de março deste ano, mas valeu muito a pena.
    Não precisamos de visto, sou brasileira e moro há 9 anos na Alemanha, e até a moça do check-in da Lufthansa sabia que brasileiros não precisam de visto para Rússia. Foi bem tranquilo, e sem stress, mas sem o alfabeto cirílico traduzido não teríamos ido a lugar nenhum. ;-) Quem for, não esqueça de levar junto!

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 11h59

      Pois eh… acho que o pessoal aqui de LOndres nao recebeu o memmo sobre os vistos… :-)
      Da primeira vez que fui a Moscou era meio de Abril e ainda assim pegamos muito frio e tempestade de neve todos os dias! Um caos!
      Mas em compensacao agora em Junho estava um calor de matar! Em junho e mais de 30 graus todos os dias!

      Responder
  3. Camila Navarro - 15/07/11 - 12h54

    Eu fiquei curiosa com o que você falou sobre o visto e procurei o texto do acordo. Aqui está: http://www2.mre.gov.br/dai/b_russ_46.htm Não há necessidade de ter partido do Brasil. Talvez o pessoal de Londres não saiba porque nós somos um dos poucos países no mundo dispensados de enfrentar a chata burocracia do visto russo. :-)

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 13h15

      Pois eh, eu sabia que legalmente e oficialmente Brasileiros nao precisam de visto, mas sei la porque, pra mim nao funcionou. E eu que nao vou me arriscar a ser barrada antes mesmo de embarcar, neh?
      Ate porque, gerealmente o direito eh o mesmo pra todos os cidadaos que possuem aquele passaporte, seja la onde eles vivem – mas na hora do vamos ver, nao deu certo.

      Responder
  4. Sandra - 15/07/11 - 12h56

    Sim, a Rússia vai sediar a Copa do Mundo de 2018! Até lá ou os russos aprendem um pouquinho de inglês, ou os turistas terão que carregar o alfabeto russo traduzido pra cima e pra baixo. Boa sorte pra todos até lá :-). Abs!!

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 13h20

      Mas ne, pensando bem, o Brasil vai sediar uma copa E uma olimpiada muito em breve, e eu acho o Brasil um dos paises mais despreparados pra receber turistas estranjeiro do mundo! E vejo isso pelos olhos de turistas, afinal sou casada com um Americano e ja fui ao Brasil levando amigos e familiares que nao falavam portugues.
      As dificuldades sao as mesmas… taxistas que nao falam ingles e enganam o turista, atendente de metro nao fala INgles, mapas espalhados pela cidade, transporte integrado e afins. Coisas que fazem MUITA diferenca numa viagem a um pais de lingua estrangeira, e o Brasil nao tem nada disso. Espero que as cosias mudem muito e muito rapido, se nao essa copa vai ser um MICO!
      Todos os nossos amigos adoraram o Brasil, mas todos concordam que foi uam dos lugares mais dificeis (e CAROS) que ja viajaram…
      Pelo menos nao temos alfabeto cilirico, mas em compensacao eles acham assustadores nossos acentos, cedilhas e afins! (acham que parece com as linguas eslavas do leste europeu!).

      Responder
    • Dani - 24/08/15 - 21h11

      Fui para a Rússia este ano… não tive problema algum lá. A maioria das placas estão em inglês, os jovens falam inglês e ajudam em qq coisa e para pegar táxi é melhor usar o GETTAXI, esse aplicativo é ótimo, é como o UBER… o UBER é péssimo na Rússia, não vale a pena, demoram demais!!! Não tive problema algum. Para os lugares que precisam ir, previnam-se vendo no google maps o caminho que precisam percorrer, uma solução muito simples!

      Responder
  5. Michelle - 15/07/11 - 13h44

    Prepare o orcamento, a carteira e o estoque de sapatos confortaveis pra evitar machucar o pe quando se esta perdida!! haha
    P.S.: Ninguem nunca acredita qdo digo que sou brasileira e ja me perguntaram varias vezes se sou russa. Dizem que eh o meu sotaque… morro de rir!

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 14h27

      Mas eu ja ate contei uma historia dessas aqui no blog, como quando fui tirar meu primeiro visto pra Russa e ninguem acreditava que eu nao era Russa, e nas Ruas de Moscou me pediam informacao e falavam comigo em Russo. E agora nesse viagem foi a mesma coisa! As pessoas falavam em Russo comigo e insitiam que eu era Russa sim!
      Mas a verdade eh que vi vaaaaarias meninas com pinta de “Brasileira” pelas ruas… entao deve ter algum canto remoto la nas profundessas da ex URSS que a mulherada eh morena de olhos castanhos! :-)

      Responder
      • Michelle - 15/07/11 - 16h47

        Acho que nao li esse post. A verdade eh que eu ‘coleciono’ nacionalidades… na europa sou americana, na america do sul sou europeia e na america sou um pouco de tudo! haha NINGUEM nunca acredita que sou brasileira, incrivel. Isso tambem acontece com voce? Tem alguma ideia de pq isso acontece? Sera o tipo fisico, maneira de vestir, sotaque? A verdade eh que me divirto com essas coisas.

        Responder
  6. Sandra - 15/07/11 - 14h19

    hahaha… Torço para o Brasil, mas sem querer ser tão pessimista e já sendo: eu acho que a Copa no Brasil vai ser um Mico. Tambem sou casada com estrangeiro e meu marido sempre diz que uma viagem para o Brasil não é para “iniciantes”. Ele odeia viajar fazendo pacote, e sem falar nada de português ele já conheceu muitas cidades brasileiras (agora comigo tá mais fácil pra ele…hehehe), mas é extremamente complicado, exatamente pela dificuldade do idioma, pouca gente falando inglês, problemas estruturais e tudo o mais que vc. já mencionou. Não é a toa que aqueles que são realmente apaixonados pelo Brasil que eu conheci aqui na Suíça, aprenderam a falar português para se virar no Brasil durante as férias. Tomara, tomara mesmo que as coisas mudem rápido… finger crossed

    Responder
  7. Sandra - 15/07/11 - 14h26

    hahaha. Sem querer ser pessimista, mas já sendo: eu acho que a Copa vai ser um mico. Exatamente pelos problemas estruturais, pouca gente falando inglês e tudo o mais que vc. já mencionou. Meu marido tb. é estrangeiro e ele sempre diz que o Brasil não é um destino de viagens para “iniciantes”. Ele odeia viajar de excursão e mesmo sem falar nada em português ele conheceu muitos lugares no Brasil (agora comigo tá mais fácil pra ele..heheh), mas foi extremamente complicado. Não é a toa que os apaixonados pelo Brasil que eu conheci aqui na Suíça aprenderam a falar portugues para viajar pelo Brasil sem muitos “problemas”. Eu torço muito para as coisas mudarem rápido, mas não sei não… Até lá fingers crossed.:-)Abs!!

    Responder
    • dani - 15/07/11 - 16h35

      ai, não concordo…acho que pelo menos o brasileiro se esforça pra falar ou ajudar o turista. Já vi isso em vários lugares, até turista em ônibus popular e todo mundo dando um jeito de ajudar o cara. Realmente a maioria não fala inglês, pois não tem dinheiro para estudar inglês, mas as pessoas se esforçam e muito pra agradar o turista e pra se fazer entender…Já fui pra outros países e sequer tentaram entender o meu inglês (e olha que ele é bom..). A Grécia foi um país que muita gente não falava inglês e tentar se virar no grego foi difícil..Fora que realmente são grossos as vezes. Tive experiências com grosserias fortíssimas na Grecia, França (várias pessoas viravam a cara literalmente pra mim quando eu ia fazer uma pergunta)e Portugal. Já fui pra vários lugares dos Estados Unidos e fui super bem tratada, foram muito simpáticos sempre (menos em NYC onde tem todo tipo de gente e aí ficou difícil porque misturou). bjs, Dani

      Responder
      • Adriana - 15/07/11 - 16h50

        Isso eh verdade.
        O Brasi eh SUPER despreparado pro turismo internacional, mas pelo menos as pessoas sao simpaticas e (quase) sempre bem dispostas a ajudar – mas infelizmente sempre tem aquele caso aqui ou ali onde as pessoas tentam tirar vantagem, acham que gringo eh otario, que todo e qualquer estrangeiro da face da terra eh cheio da grana etc, etc.
        Entao realmente oque salva o turismo no Brasil eh o povo, mas nem tudo eh perfeito…
        (e mais uma vez, falo isso por experiencia, por ver como o Aaron eh tratado quando vamos ao Brasil… e isso que ele eh um turista experiente, ja conhece o Rio mais ou menos, fala um pouco de Portugues e tal. ma sempre tem um mal amado pra arrasar a fama de gente boa do Brasileiro!).

        Responder
  8. ernesto, o pato - 15/07/11 - 14h42

    Eu fui para São Petesburgo, e gostei da Cidade, mas não dos habitantes,e da tremenda dificuldade de se comunicr, além da grosseria das pessoas.

    Alias : paises com as pessoas + grossos em que estive,e ou golpinhos: Grecia, Russia e Israel.

    + agadáveis: Tobago, Nanimbia, Peru, Sul dos Estados Unidos (exceto a Florida), Medelin, Turquia.

    Que tal um enquete dos paises onde voce foi mais bem, e mais mal tratado como turista?

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 14h48

      Otima ideia! Russia sem duvida esta no meu Top 5!! No primeiro lugar! O povo grosso! Espanha e Italia na lanterninha… Ja Israel e Grecia fui suuuuper bem tratada!
      E pode ter certeza, salvo raras excessoes claro, quanto mais desenvolvido e rico um pais, maior a tendencia da populacao a grosseria com visitantes/turistas!
      Em paises simples/pobres as pessoas ficam tao lisonjeadas de te receber que tratam todo visitante como Rei!

      P.S. Nanimbia eh um pais q esta no meu top sonho de consumo!!! Agora so falta convercer o Aaron a querer ir junto!

      Responder
  9. ernesto, o pato - 15/07/11 - 15h50

    Adriana

    Vale a pena. E um pais bem conservado, tranquilo para viajar por conta, e barato.QQ duvida, me mande um e mail.

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 15h53

      Serio?! Meu impecilho era justamente achar que nao dava pra viajar independente, e todos os pacotes pra la sao carissimos! Imaginava que fosse uma mistura de Africa do Sul (falta de seguranca) com Tanzania (falta de estrutura!).
      Oba! Vou investigar um pouco mais e te mando um e-mail!

      Responder
      • ernesto, o pato - 15/07/11 - 17h04

        Adriana

        Eu fui em 2007. Não pegeui nenhum pacote, e na época, as diarais de hoteis estavam em 80 dolares nas Cidades,e 120 nos parques. A comida era barata, e o aluguel de um Toyota Corola por 1 semana ficou em 300 dolares. A gasolina era mais barata que no Brasil, as estradas em geral não tem pedagio, e opreço de entrada nos parques me pareceu bem justo pela infra estrutura que oferecem. è possivel que com a desvalorização do Dólar, estes preços sejam hoje 20 a 30% mais caros. POr exemplo o hotel que ficamos em Swackpomund, que era uma pousada bem simpatica, confortável e limpa mas sem luxo, anuncia preços de 106 dolares no site.

        Será um prazer receber um e-mail seu.

        Responder
  10. Marcia Kawabe - 15/07/11 - 16h00

    Eu não consegui ler mais nada depois do “si” em espanhol porque não paro de rir, hahaha! Tô até chorando :)

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 16h28

      HAHAHAHA!
      Tudo bem, eu choro de rir ate hoje!
      Eh o medo e o trauma da grosseria dos Russos com turistas!
      Ele ja estava tenso tadinho, por ser Americano na Russia (coisa da Guerra Fria eu acho…) e a guarda foi tao grossa que ele ficou apavorado!
      HAHHAHAHA

      Responder
  11. myiska - 15/07/11 - 16h38

    Oi Adriana

    Qto perrengue! Eu morro de vontade de conhecer e quase cedi à tentação de ir na primeira semana de outubro c uma amiga q estará indo, mas me apavorou o frio (detesto)e a falta de preparo p turismo: só falarem russo, aquele alfabeto (dá medo só de olhar – e eu q gosto mto de línguas),preços,etc. Tb. como voce, não entendo a razão desses preços tão altos! e concordo q eles precisam se internacionalizar rapidamente. Qto ao turismo aqui concordo q tb é mto difícil, acrescido do grande problema da violência. Mas pretendo sim conhecer a Russia no verão deles e em excursão.
    Mto interessante este post!!!

    Abç

    Responder
    • Adriana - 15/07/11 - 16h51

      Pois eh… pra viajar pela Russia eh preciso levar na mala uma dose extra de paciencia… mas imagino que de excursao e tendo alguem “tomando conta” o tempo todo deve ser tranquilissimo!

      Responder
  12. Mari Campos - 15/07/11 - 20h04

    Dri, meu irmão saiu da Rússia há poucos dias e também passou por vários apertos e micos na viagem por lá. O bom é encarar com humor e virar piadinha depois, mas na hora rola desespero mesmo, né? De qq maneira, a liberação do visto para brasileiros tá valendo, sim; tanto meu irmão como vários outros amigos, em viagens distintas, entraram todos com o passaporte brasileiro, numa boa, mesmo vindo de outras partes da Europa ou não residindo no Brasil há algum tempo.

    Responder
  13. Juliana P. Galvao - 15/07/11 - 22h43

    Dri,

    Os preparativos (albergues, passagem aéreas, passagens de trem, etc) para minha primeira viagem a Europa já estão todos fechados (alguns reservados, outros ja pagos). Fiz a lição de casa, pesquisei, reservei e tá tudo certo, na teoria…

    Mas aí me bateu uma dúvida… Quando vc planeja as suas viagens, vc costuma acrescentar um plano B, caso surja alguma eventualidade (o hotel/albergue não reservou seu quarto; ou os maquinistas de trem entraram em greve; etc)?

    Não tava pensando num plano B… Será muita doidera ter que pensar nele???

    Bjs

    Responder
    • Adriana Miller - 15/07/11 - 22h51

      Eu acho meio exagero… afinal planejar viagem nos ultimos detalhes já é a melhor trabalheira… quanto mais fazer tudo em dobro!

      Durante uma viagem, por mais que voce planeje, sempre tem alguma cosia que dá errado! Já perdi voo, já tive voo cancelado, greve de metro, temporal, tempestade de neve…
      Mas não dá pr aadivinhar né?
      Como você esta preparada, se por acaso alguma coisa acontecer você vai saber lidar com a situação… mas não tem porque se estressar com essas coisas antes mesmo de viajar! :-)

      Ah! E não esqueçe do seguro de viagem! Salvação!

      Responder
  14. Ludy - 16/07/11 - 02h18

    A Russia é super bonita, mas todas as vezes que eu passei por lá tive uma PÉSSIMA impressão dos russos. Grosseiros até dizer chega e o problema nem era o idioma porque eu estava acompanhada de pessoas que falam fluentemente….sei lá, achei tudo muito lindo – mas sem as pessoas, sabe ? Achei graça do pobre do seu marido ter levado uma prensa da imigração…sabe quando navio chega lá e as autoridades tem que subir pra olhar a documentaçao e liberar o transito de passageiros ? então, eu sempre estou acostumada a encontrar “oficiais”por assim dizer, com aquela cara que a gente já imagina e sempre que estamos na Rússia sobem umas mulheres com umas saias que mais parecem um band aid e com meia calça arrastão, bota xuxa style e uma maquiagem de deixar a Lady Gaga com inveja. Assim, uma pessoa mais desavisada ia pensar que as mocinhas estavam exercendo outro tipo de profissão…
    Dri, o novo lay out é um sonho pra quem usa conexão de satélite – nunca conseguia te ler quando tava a bordo e agora ficou tão rapidim, adorei!

    Responder
  15. Gisela B.T. - 16/07/11 - 09h17

    hahaha ja trabalhei com russos e meu Deus, descobri o verdadeiro significado do termo ” a situacao esta russa” nesse e em todos os casos RUSSO=RUIM rsrsrs eles sao grosseiros, mau educados e do mau tudo de ruim q pode existir (nossa q drama rs)
    Mudando para o assunto Copa/Olimpiadas no BR, aff to no projeto estar longe daq de 2014 a 2017 rsrsrs moro em Sampa e ja imaginou como vou me deslocar de casa para o trabalho nesses eventos? Tenho certeza q falta e infraestrutura vai parar SP e todos os outros lugares tb, hj ja perco 4 horas das minhas 24 preciosas horas do dia me deslocando da minha casa pro trabalho q fica a apenas 13km de casa, imagina nesses eventos? Assim aproveito a desculpa de tudo isso pra morar fora de novo rsrsrsrs
    Bjs
    PS: O blog esta abrindo rapidinho e em posts antigos muitas vezes as fotos nao apareciam + e agora estao aparecendo, valeu Sabrina e Mari rs

    Responder
  16. PêEsse - 16/07/11 - 14h12

    Concordo, mas discordo. Eu acho que há uma superestimação das dificuldades de uma viagem à Rússia. Elas existem, mas não é para tanto. A Rússia, de fato, não é para iniciantes, mas não é um destino assim tão difícil, principalmente agora que brasileiros não precisam de visto. Se o viajante fizer o dever de casa que se faz em relação a países com outros alfabetos (China, Grécia, Rússia etc.), que é sempre ter endereços e mapas no alfabeto local, as dificuldades já serão menores. No mais, basta estar preparado para saber que com certeza algo ocorrerá mas que quase sempre dá para resolver. Com criatividade na mímica, papel e caneta (para desenhar e pedir que se desenhe) e bom humor vai dar (quase) tudo certo. Além disso, a beleza e a grandiosidade da viagem compensam com muita folga qualquer perrengue.

    O turismo na Rússia ainda não está sendo explorado como deveria. A impressão que se tem é que eles são indiferentes ao turismo. Por isso algumas facilidades não são encontradas. Além disso, o russo, em geral, é sério e discreto, o que não quer dizer rude nem grosso. Não espere, por exemplo, que alguém lhe procure espontaneamente para ajudar. Mas se você sair de uma estação de metrô e mostrar a foto da atração que está procurando, seguramente eles mostrarão o caminho correto. Em russo, claro, mas já ajuda.

    No mais, li aí em cima algo sobre a falta de segurança na África do Sul. Eu só estive nove dias na Cidade do Cabo e quatro dias no Kruger mas, sinceramente, não vi rigorosamente nenhum problema de falta de segurança. Tudo bem que são destinos turísticos e talvez a ‘real Africa’ não tenha aparecido mas sensação de insegurança eu certamente não tive. Aliás, muito pelo contrário. Fiquei mais tranqüilo com minhas câmeras e lentes lá do que ficaria, por exemplo, no Rio ou em Salvador. Comportei-me como me comportaria em Roma, Paris ou NYC. E adorei o lugar.

    Responder
  17. ana - 16/07/11 - 16h07

    Acho que o Brasil eh pior ainda para turistas estrangeiros!! as pessoas nao cumprem horario ; nao tem guia turistico que fale ingles ou outras linguas.
    Tudo eh muito caro : hoteis passagens etc, a maioria das cidades nao tem metro e onibus sao superlotados e ruins ; estradas no geral sao pessimas e as pessoas dirigem muito perigosamente , cadeirantes e/ou bebes de carrinho nao tem como nem andar direito nas calcadas e nao tem banheiro para eles.
    Ainda tem o fato de ter assaltos a mao armada (e matam por um relogio , maq fotografica , etc) e sequestros !

    Responder
  18. ana - 16/07/11 - 16h10

    Ah, a Zara no brasil tb eh super caro . Qualquer coisa de qualidade no Brasil eh carissimo.

    Nem quero ver olimpiadas e copa do mundo : estradas, aeroportos , hoteis , seguranca nas ruas ,etc….da ate medo!!

    Agora resolveram q nao da tempo de fazer novos aeroportos entao vai ser feito um “puxadinho” q VERGONHA ne??

    como eh o aeroporto de moscou?

    Responder
  19. geni genuino bronca - 17/07/11 - 21h45

    Em Setembro 2010, estava visitando meu filho em Londres e segui para a Dinamarca, Suécia e de lá fui a St. Petersburgo, depois Moscou. Não tive problemas na imigração (não fizeram nenhuma pergunta) e não tinha visto prévio, já que a partir de junho/2010 isto não era mais necessário. No aeroporto de Estocolmo, no check-in me solicitaram visto pra Rússia, mas expliquei que não era mais necessário, consultaram nos sistemas deles e liberaram meu embarque.

    Responder
  20. Priscila - 19/07/11 - 09h48

    Adriana, acompanho sempre o seu blog e adoro. Sempre pego muitas dicas e idéias. Quando fui para Moscou em junho não foi diferente. Li bastante sobre a sua viagem e, claro, fucei muito o trip advisor. Sou obrigada a discordar de muita coisa você escreveu! Primeiro sobre o visto: eu e o meu marido viajamos tranquilamente com o passaporte brasileiro de londres para moscou, pela BA. A moça da BA checou o computador e pronto. Na entrada em moscou, em um segundo passamos a imigração. Usamos o mesmo aeroporto que você, chegamos de manhã cedinho e não tinha transito, na volta, como era a tarde, peguei um trem para evitar o engarrafamento. Perfeito. Um trem direto – aero express, barato, que vai direto para uma estação de metro na linha verde. Comprei o ticket na maquininha, nenhum problema. Fiz algumas refeições em um restaurante estilo cafeteria no terceiro andar do GUM. O preço é ridiculo, com menos de dez pounds você come muito e ainda bebe cerveja. Vai vendo o que quer e tem etiqueta com o nome em inglês. O nome do restaurante é: Столовая 57. Jantamos uma noite num restaurante mais tradicional chamado Café Pushkin, 3 pratos, bebidas, saiu 50 pounds por pessoa. Ficamos num hotel bem razoável, não ficava do lado da praça vermelha, mas com uma caminhada de uns 20 minutos chegávamos lá… ou metro pertinho. Pagamos 90 pounds para o casal, com café da manhã. Melhor preço do que muitas outras capitais européias Nome: Sretenskaya Hotel. No hotel e em vários lugares havia mapas do metro bilíngue. Achei bem tranquilo o sistema. Recomendo muito um self guide tour disponível no TA das estações de metro: http://www.tripadvisor.co.uk/Travel-g298484-c4156/Moscow:Russia:Moscow.Metro.Underground.Palace.html. Com uma coisa eu concordo: a zara é um absurdo de cara! Deu até para lembrar o Brasil… hehehehe Beijos!

    Responder
    • Adriana Miller - 19/07/11 - 10h09

      Nossa, otimas dicas heim?
      Bem, voce se preparou bem, e acho que esse eh o objetivo desses posts. As diferencas entre as nossas viagens, como falei nos posts foram muitas: eu nao viajo (nem poderia) com passaporte Brasileiro, meu voo chegou em Moscou as 6 da tarde de uma segunda feira (MEGA transito), e tive que pegar metro pra fora do centro da cidade varias vezes por causa do trabalho (realmente pelo centro e nas areas turisticas o mapinha do metro tem versao INgles, mas nao nos vagoes, nem nas estacoes afastadas).
      Mas de resto, eu acho 100 libras por casal num jantar bem caro, e 90 libras por um quarto de hotel tambem bem caro – simplesmente porque sao estilos diferentes de viagem (quando viajo por lazer, claro).
      A moral da historia eh que qualquer viagem pra Russia pode ser otima, desde que voce esteja muito bem preparado pra ela. Voce, pelos vistos fez o dever de casa direitinho! :-)

      Responder
  21. Priscila - 19/07/11 - 10h17

    Ô Adriana! Quanto você gasta nos jantares aqui em Londres que posta aqui no blog? Não é possível que saia muito menos que 100 pounds o casal!

    Mas, sim, o segredo é se preparar bem para as viagens, independente das prioridades e do orçamento. Eu sempre leio muita coisa antes de ir e percebo como tudo fica mais fácil e como consigo aproveitar mais.

    Essa semana estou indo para Vienna… mas, a senhora me passa UM dia em Viena? Ai não tem como! heheheheh

    Responder
    • Adriana Miller - 19/07/11 - 10h38

      Sim, mas quando viajo, nao faco essas cosias… viajo no mais economico possivel – afinal o gasto ja eh a propria viagem :-)
      Esse eh meu trade off: voo low cost, hospedagem em albergue e almocos e jantares baratinhos. Se nao se tornaria impraticavel viajar na quantidade que viajo. That’s all.

      Deixo pra esbanjar quando to em casa!

      Sobre Viena, nem me fale! Deu TUDO Errado naquela viagem! Na verdade eu passei 2 dias la, mas como o Aaron foi barrado no voo da Ryanair, passei o primeiro dia todo esperando ele no hotel! :-)
      Preciso voltar urgente!

      Responder
  22. Adriana - 06/08/11 - 04h01

    (estou sem acentos no meu teclado)
    Parte da dificuldade que voce encontrou no metro e nas outras placas em Moscou foi por conta da forma como vc resolveu entender o idioma… o certo ‘e ter uma tabela de conversao de fonemas, como a que aparece nesse link http://pt.wikipedia.org/wiki/Cir%C3%ADlico

    Com essa tabelinha vc aprende a ler em cirilico e as estacoes do metro deixam de ser um problema *rs

    Estou na minha quarta visita a Moscou e sendo carioca posso te garantir que o turista estrangeiro esta mais bem servido em Moscou do que no Rio, especificamente no que tange a comunicacao com a populacao local. A dica para conseguir falar ingles com a populacao russa ‘e buscar informacao sempre com os mais jovens, ou seja, com adolescentes, pessoas com 30 e alguma coisa… Sempre funciona, todos falam ingles.
    Uma coisa bem legal de se fazer por aqui sao os banhos, duram umas duas horas e sao feitos em varias fases, quente, frio, com massagem, imersao… interminavel e uma delicia. :)

    Responder
  23. Patricia A. - 12/08/11 - 18h01

    acho que pode ajudar um pouco em relacao ao visto de brasileiros que moram em outros Paises a ir para a Russia…paguei horrores saindo aqui da Suiça, mas ja no check in o cara da cia aerea me fala que nao precisava, queria me envforcar foram mais de 350 francos Suiços, quando voltei liguei de novo na embaixada da Russia em Brasilia e Berna e me falaram a mesma coisas de que nao precisava, mas meu marido suiço precisava, agora vem ca, que cargas d’agua a kuoni agencia de turismo daqui me cobra isso ??? ma fe ? to averiguando ainda amanha.bj Dri e melhoras :)
    http://russia.visahq.co.uk/requirements/Brazil/resident-United_Kingdom/

    Responder
  24. Milena F. - 12/12/11 - 21h54

    Estou plnejando uma viagem para a Russia em breve e tb encontrei essa informação de que para brasileiros não é necessario visto! Mas fiquei preocupada ainda assim, jah que em todos os guias de viagens (franceses) estah escrito que apenas alguns paises balticos e da ex-URSS são dispensados de visto… Mas liguei para o consulado da Russia em Paris e no Brasil, e ambos me confirmaram que não preciso de visto… mas o meu marido precisa… Então estamos na correria de pedir (e pagar) o tal visa support, aguardando papéis do seguro, etc… Mas morro de medo de chegar lá e não me deixarem entrar por falta de visto!!!

    Responder
    • Adriana Miller - 12/12/11 - 22h24

      Olha eu achei o prcesso todo muito complicado, as informações não batem e na hora H fiquei com medo de arriscar.
      Como meu passaporte “oficial” é Portugues, eu ia a trabalho etc, preferi fazer tudo direitinho, pedir visto e esquecer dessa historia de viajar sme visto com o passaporte Brasileiro.
      Mas já ouvi muitas historias “bem sucedidas”, porque realmente é lei.

      Responder
  25. Larissa - 16/02/12 - 20h17

    Ai meu Deus!!!! Estou ha 4 dias em Moscou e a minha viagem tambem é uma sucessão de tragicomedias. Será Coincidência? Pelo menos vi no seu blog que isso nao aconteceu so comigo rsrs. Vou olhar as suas dicas de como enfrentar Moscou e espero que amanha meu dia seja melhor. Agora estou procurando apartamento para alugar e nao esta sendo nada facil. Parabens pelo maravilhoso blog. Bjs.

    Responder
  26. Milena F. - 23/02/12 - 20h45

    Eu aqui novamente!!! Estou lendo em guias e na internet que é impossível encontrar rublos para trocar em Paris, que só trocam na Russia mesmo, mas se as notas em euros estiverem em excelente estado. E você, lembra como fez? se trocou antes de viajar (em Londres mesmo) ou se foi chegando na Russia? se foi na Russia, a cotação era boa, quero dizer, de acordo com o câmbio que vc viu antes de viajar ou eles exageram na hora de trocar?
    Obrigada!
    (sempre prefiro trocar antes de viajar para evitar ter que trocar no aeroporto ou estação e pagar uma cotação absurda!)

    Responder
    • Adriana Miller - 24/02/12 - 11h50

      Nem um nem outro!
      Eu sempre deixo pra sacar dinheiro na moeda local assim que desembarque no pais de destino, direto da minha conta usando meu cartao de debito.
      Eh a unica maneira de garantir que vou usar a taxa de cambio oficial do dia e sem comissoes. (porque em casas de cambio sempre rola uma comissao, mesmoq ue eles digam que nao. oque acontesse que eh ou vc paga comissao, ou uma taxa de cambio absurda).
      e olha que eu saco muitas moedas diferentes todos os meses e eh sempre assim que faco, e sem duvidas eh a melhor maneira de evitar desperdicios de dinheiro!

      Responder
  27. Fernanda - 13/05/12 - 05h36

    Olá! Eu fui para a Russia em 2010 e nao precisa de visto mesmo!! Fui sem visto. Isso eh relativamente novo, desde junho/2010, e fui em outubro.
    Sabendo desses perrengues que vc passou, e outros 2 colegas, fui com agencia de turismo. Eu acho importantissimo ir com agencia. Mesmo indo com agencia, passei uns perrengues quando andava sozinha para conhecer a cidade. Levei varias coisas em russo e em ingles, e isso da estacao de metro tudo em russo, tirava fotos das placas para saber a volta! hehehe
    Nao achei a cidade tao cara, semelhante ao preco de Rio de Janeiro de hoje (q esta muito caro). Nao eh barato, mas achei Londres mais caro quando fui ha um tempo atras.
    Tive muito problema com taxi. Nao tem um taxi oficial, mesmo pegando no hotel. E vc tem q negociar o preco antes, as vezes. Quando nao, acabam te “roubando”.
    Me comuniquei com mimicas também….rsrs
    Mas eh um pais encantador, eu amei St. Petersburgo e Moscou. Cidades lindas, com pessoas lindas. Vale muito a pena, mas com agencia!!! Pena que eh um pais ainda pouco explorado pelos turistas brasileiros, mas eh so ficar na moda e passar numa novela da Globo que deixa de ser “exotico”rsrs
    A Russia eh igual ao Brasil para estrangeiros…taxista roubando, ninguem fala ingles nas ruas….enfim, os gringos sofrem aqui no Brasil…

    Responder
  28. Eliane Ribeiro - 17/10/12 - 19h50

    Ha duas semanas cheguei de uma viagem a Moscou e St. Peter, adorei a cidade, fomos mto bem tratados apesar do alfabeto cirilico ser bem complicado para nos Brasileiros, e como no Brasil, ninguem aqui fala o ingles e qdo um estrangeiro chega aqui depara com essa dificuldade. Conclusao vc tem que visitar a cidade em grupo nunca sozinho e com um guia que fale o russo, por enquanto. Nao precisamos de visto, sou brasileira. Trocamos com tranquilidade euros por rublos nos bancos em Moscou, tb usamos cartões de creditos e debitos em todos os lugares ate em feiras na praça do kremlin. Conseguimos andar de metro sempre que necessario, meu filho conseguiu decifrar o cirílico. Tem restaurantes que tem o menu em ingles, n maioria dos hoteis os atendentes falam o ingles. E uma cidade fascinante e merece ser conhecida. Realmente o transito e intenso atualmente sao 20 000 000 de habitantes so em Moscou. Dai explica o gde numero de carros e a lotacao nas estacoes do Metro. Tem que tomar cuidado com o passaporte, dinheiro como em qualquer cidade grande. La o cuidado e maior pelo fato de nao falarem outra lingua senao o cirílico, ai a comunicacao fica complicado. Mas e facil comprar, comer, e passear.

    Responder
  29. Fernanda Ferreira - 21/11/12 - 00h52

    Olá, Adriana!

    Fui a Moscow e St. Petersburg este ano e realmente tive que guardar o passaporte Português e mostrar o Brasileiro. Com medo de que a imigração não estivesse acostumada com brasileiros – realmente não estava – imprimi o acordo internacional de isenção de visto na página do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (a versão russa) e coloquei na bolsa.

    Perguntaram-me sobre visto no check in da Aeroflot, na imigração e nos hoteis. Mas eu só dizia em Inglês que não era necessário, eles checavam com um colega mais experiente e pronto. Não precisei mostrar o acordo. Portanto, não tive problemas. Parece que os brazucas são isentos de visto desde 2009.

    Seu blog é uma referência. Parabéns.

    Responder
  30. Leh - 11/05/15 - 21h28

    No desespero eu comecei a falar português com um guarda na ponte de acesso da Praça Vermelha, e por incrivel que pareça ele entendeu melhor meu “sotaque” da pronúncia do nome da rua em Português doque quando eu estava tentando me comunicar em Ingles!

    Isso me lembrou quando estrangeiros falaram que o russo parece com o portugues, principalmente de Portugal. Será?

    Responder
  31. Ana - 26/12/17 - 00h23

    Eu já passei raiva e medo com os táxis:
    A primeira foi em Moscou quando voltamos de um restaurante, mostrei ao taxi que pegamos (eu é uma amiga) na porta do restaurante aproveitando a chegada de outros clientes. Eu peguei o cartão do hotel em russo, mas fiquei noiada com o taxista, porque ele parecia meio suspeito. Daí ele me pediu para mostrar o endereço do cartão de novo (tudo isso em mímica porque eles não falam um cazzo de inglês). Só sei que o cara desceu do carro do nada, no meio da rua e deixou a porta aberta. Foi falar com um moço num furgão.Gelei! Fiquei pensando que ele ia dar a gente como escrava sexual pra máfia russa ou algo assim. Fiquei com a mão na maçaneta da porta e se o cara do furgão tivesse vindo na direção do carro eu estava pronta pra sair correndo. No final das contas o taxista estava perdido e pediu informações na rua, kkkkkmas foi apavorante.
    A segunda foi em São Petersburgo: comprei ingressos pro show de balé, pedi taxy no hotel, mostrei o ingresso com endereço em russo pro taxista. O cara deixou a gente e foi embora. Achei que tinha algo errado mas entramos. Ninguém pediu ingressos. Quando mostrei a uma senhora pedindo informações ela não parava de rir. Achei que tinha errado a data. Ela não conseguia explicar pra gente a graça até que chamou uma moça que falava umas 5 palavras em inglês: a gente foi parar num concerto de música clássica!
    Saímos correndo, pagamos uma fortuna num táxi que o taxista ia bebendo vodka e fumando mas conseguimos!
    Nossa, muito perrengues

    Responder