25 Apr 2012
60 comentários

Um negócio da China!

China, Dicas de Viagens, Pequim, Xangai

Volta e meia alguem me pergunta se existe alguma dificuldade em morar fora, ser casada com um Americano e trabalhar com Ingleses (e não-faladores de Portugues em geral). E a verdade é que não. E se tem, rapidinho você se acostuma e até esquece oque era.

Mas se tem uma coisa me deixa tensa é não conseguir usar no meu dia a dia algumas frases-chavão em Portugues que eu acho que descreveriam perfeitamente uma situação, ou resultariam numa piada perfeita para o momento! E não tem nada pior doque uma piada que perde seu sentido ao ser traduzida (e claro, o mesmo acontece na versao Ingles-Portugues, depois de tantos anos por aqui).

Então imagina o quanto eu sofri na viagem pela Asia a cada vez que eu queria dizer pro Aaron: “Nossa! Fiz um negócio da China!”! Naquele clima de um trocadalho-do-carilho (outra que nao tem sentido algum quando traduzido!)

Porque olha, se tai uma coisa que eu fiz nessa viagem pra China foram otEmos “negocios da China”!

Mas eh aquela historia neh? Ou voce ama, ou voce vai adiar a experiencia. Eu adorei, o Aaron odiou.

Na China, assim como em varios outroa paises orientais, a cultura “comercial” eh fortissima, e existe todo um ritual sobre como as transacoes devem ser feitas. Logico que voce nao pode entrar na Zara do shopping em Hong Kong e ficar batendo boca sobre o preco da saia, mas em lojinhas de rua, mercados (tipo “China Town”) e lojas mais turisticas, nao soh pode, como deve e eh o esperado!

E tem todo aquele ritual e regras invisiveis de comportamento entre o cliente e o vendedor – assim como tambem existe fortissimo na Turquia, no Egito, na Tailandia e na India.

A primeira coisa que voce vai reparar eh que nas areas mais turisticas, raramente as mercadorias tem preco. Os precos sao dados de acordo com a pinta do cliente, entao sempre partimos do principio que preco nenhum era o preco final.

Nossa principal sorte nessa area foi ter tempo pra pesquisar precos e pensar bem oque e se queriamos comprar alguma coisa na China. Entao logo que chegamos em Hong Kong e Macau, como iriamos fazer todas as viagens internas viajando de low cost, decidimos nao comprar absolutamente nada, mas ir pesquisando, pensando bem oque queriamos comprar, e no final da viagem, em Xangai e Pequim poderiamos finalmente abrir a carteira sem medo do excesso de peso!

E isso eh importantissimo, pois os precos variam demais de uma loja/barraquinha pra outra, e ate mesmo dentro de uma loja, dependendo de qual vendedor voce pegar, eles vao te dar precos diferentes para o mesmissimo item!

E o ritual danca-do-acasalamento entre o cliente e vendedor geralmente era assim:

1) Avaliacao da presa: Sempre que perguntavamos o preco de alguma coisa, a resposta vinha em forma de outra pergunta “Where are you from?” (da onde voce eh?). Entao da pra imaginar que tanto eu quanto o Aaron eramos destaque em comparacao com outros clientes, sem a menor chance de passarmos despercebidos.

Paises como Turquia e Egito por exemplo, eu me sentia na vantagem em relacao ao Aaron. Apesar de que ambos paises nao sao muito tolerantes de mulheres tomando as redeas nas negociacoes, eu definitivamente passava mais despercebida doque o marido gringo. Mas na China, ambos viramos gatos pardos, vistos como presa facil pra qualquer vendedor.

Mas ja tinhamos uma resposta ensaiada de outros carnavais, e a resposta na ponta da lingua sempre era “Brasil!”, que automaticamente eh um pais que chama muito menos aten$$$ao financeiramente doque EUA ou paises Europeus, por exemplo.

Entao tambem tinhamos nosso ritual enrrola-vendedor, e imediatamente comecavamos a conversar em Portugues (que geralmente significa que eu fica falando frases e palavras aleatorias, e o Aaron vai respondendo oque vier na cabeca, variando entre numeros  ou um simples “oi tudo bem”) – mas que para os vendedores Chineses, soava como se realmente estivessemos falando um lingua que eles nao reconheciam.

2) Avaliacao da mercadoria: Uma vez que nosso potencial como presa fosse estabelecido, o vendedor(a) nos dava um preco, que invariavelmente era astronomico.

Enquanto o Aaron se preparava pra se esconder de vergonha no canto, eu comecava o momento isso-tudo-nossa-to-escandalizada (que geralmente era verdade, pois o preco inicial eh sempre estratosferico!).

Os vendedores SEMPRE andam pra cima e pra baixo com um calculadora na mao, e ja ate sabem que o proximo passo e te passar a calculadora e pedir que voce faca seu proprio preco.

Na maioria das vezes eu baixava meu preco para 1/3 ou 1/4 do valor inicial – oque por sua vez causava uma nova reacao teatral do vendedor escandalizado com minha oferta tao baixa.

3) Fechando o negocio: Esse vai e vem de “me da seu melhor preco”, pode ir e vir varias vezes, ate que uma das duas opcoes aconteca – ou o cliente se sucumbe ao preco oferecido, ou o cliente sai da loja.

Na primeira opcao, a compra eh fechada e todo ficam felizes achando que fizeram um negocio da China!

Na segunda opcao, o cliente sai andando, e em questoes de segundos o vendedor vem correndo atras de voce com uma nova contra proposta!

Uma coisa que nao saia da minha cabeca eh: a maioria das tranqueiras que vemos pelo mundo sao Made in China de qualquer maneira, como podem querer me cobrar caro por uma mercadoria feita na China, NA CHINA! Nem frete pra cruzar o mundo foi pago nesse item…

Alem disso, ter feito pesquisa antes nos ajudou bastante a ter uma boa nocao de precos e qual seria nosso limite, tanto pra cima quanto pra baixo do preco inicial.

Dois otimos exemplos que aconteceram com a gente.

Uma das coisas que eu queria comprar na China era um vaso de porcelana; nada extravagante nem vintage, mas de porcelana boa e com um estilo bonito. Quando estavamos na Nanjin Road em Xangai vi um vaso perfeito por cerca de 200 Yuans.

Apesar de que a Rua Nanjin eh uma area turistica, ela eh uma rua muito mais “Chinesa” doque o mercado da cidade antiga por exemplo, entoa achei que aquele era um guia de preco. Provavelmente eu poderia barganhar um pouco, mas os precos nao eram exorbitantes, pois a maioria dos clientes por ali eram Chineses. Mas resolvi nao comprar naquela loja e esperar nosso passeio pela cidade antiga no dia seguinte (que eu sabia que tinha um mercado).

No dia seguinte, depois de procurar de cabo a rabo quase todas as lojas da area, finalmente achei o vaso que eu queria! Entrei na loja e o ritual no pontos 1, 2, e 3 se repetiram.

O porem dessa “negociacao” foi que na vespera eu tinha visto o mesmo item por 200 e a vededora queria me cobrar 2.500 Yuans! Mais de 10 vezes o preco inicial! Entao os pontos 2 e 3 se repetiram infinitas vezes, ate que falei pra vendedora que ja tinha visto o mesmissimo vaso na Najin Road por 1/10 do preco e que preferiria voltar la.

Ela ainda tentou fazer um drama de como aquele vaso daquela loja era muito melhor, mas ela deve ter percebido pela minha expressao que ela nao ia me enganar – nem aqui nem na conchinChina!

Por fim fechamos o negocio por 193 Yuans – um desconto de nada mais, nada menos que 93%!! Eu sabia que provavelmente poderia voltar na Nanjin Road e conseguir um preco um pouco melhor – mas ja estava exausta de todo esse processo, e sai da loja feliz e contente com minha compra!

Ja em Pequim resolvemos comprar uns conjuntos de cha Chines. Ja tinhamos visto alguns precos em Xangai e sabiamos mais ou menos oque queriamos. E logo numa lojinha do lado do nosso hotel vimos uns conjuntos lindos, por um preco otimo (cerca de 80 Yuans, bem mais barato doque vimos em Xangai)! Entramos, perguntamos o preco (ja sabendo/achando que estavamos fazendo um otimo negocio!), tentamos negociar um pouco, mas deixamo pra la. E o vendedor ficou TAO feliz que ate desconfiei.

Nao deu outra… uns dias depois quando fomos num mercadinho em Pequim achamos os mesmos conjuntos de cha por precos mais baixos!

E na China essa regrinha valeu praticamente pra tudo!

Para as compras no mercadinho turistico, para fechar preco de translados e passeios turisticos e ate o preco do espetinho de gato na barraquinha de rua!

As unicas excessoes realmente sao os locais de comercio mais “formal” como restaurantes e lojas de shopping – mas de resto, eh soh entrar com a cara e com a coragem e correr pro abraco!

 

P.S. Repararam como eu tentei usar todos os trocadilhos e frases chavoes possiveis nesse unico post?!?!

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
60 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
60 comentários
  1. Romara - 25/04/12 - 15h34

    Dri tb curto essa confusao de lojinhas e meu marido nem tanto. Mas confesso que depois do segundo dia comeco a ficar “`cansada” . As vezes curto so olhar as coisinhas se pretencao de compra e qdo vc percebe ja tem alguem querendo te empurrar a mercadoria. Enfim, ta na chuva e p molhar …kkk. bjsss

    Responder
    • Adriana Miller - 25/04/12 - 16h02

      Alguns lugares sao divertidos, outros super cansativos!
      Na Turquia e Egito nao aguentei mais doque uma ou outra loja… eles sao muitos chatos, insistentes e intimidadores (principalmente com mulheres), mas na Asia eh sempre um barato! Tailandia, Vietnan, China, Bali… otimas experiencias (e otimas compras) em todos esses lugares!

      Responder
  2. Liliana - 25/04/12 - 15h39

    Post engraçado e útil. Faço exatamente as mesmas coisas para todos os lugares onde a barganha é lei. Meu marido só senta e espera eu terminar. De vez em quando ele ouve uma: ela é boa nisso, hein. kkk Eu me divirto mais nesse processo do que na compra em si. Lógico que tem gente insistentemente chata, mas no geral acho super divertido. Essas regras suas servem para negociações não só na China mas em todo lugar onde a compra é nesse estilo! Adorei!E quanto as expressões, uma piada interna minha e do meu marido é exatamente traduzir expressões para nosso amigos gringos ao pé da letra. Sempre damos boas risadas. Tudo começou numa viagem traduzindo o famoso dito mineiro: vai reto a vida toda. E eles sempre se acabam de rir conosco!

    Responder
    • Adriana Miller - 25/04/12 - 16h00

      Ne?!?!
      Acho uma das maiores diversoes de uma viagem! O Aaron fica pra morrer achando que eu to tirando proveitos dos pobres coitados…

      Eu me divirto traduzindo nossos “sayings” pro Aaron, e me divirto mais ainda depois quando ouco ele usando as frases “traduzidas” em Ingles como se de fato tivessem algun sentido.
      A expressao favorida dele eh “What’s a fart when you are covered in shit?!” (oque eh um peido, quando vc ja ta na merda?) HAHAHHAHA

      Responder
      • André Luis - 26/04/12 - 14h20

        Ri alto agora com essa expressão :D

        Responder
  3. Jo - 25/04/12 - 16h56

    Dri que máximo essa experiência.
    Sabe vc já faz tanto parte da minha vida que entro várias e várias vezes aqui, no twitter e face pra ter notícias suas :-)
    quando não tem nada, fico com um vazio, é tão triste :-(
    Claro que entendo vc trabalha horrores, tem uma vida super mega corrida mas, sinto falta não adianta eu tentar não sentir :-)
    E sei que vc talvez acha isso um saco tantas cobranças :-(
    Não estou cobrando tá, estou dizendo quanto faz parte do meu dia a dia :-)

    Dri o Aaron ainda estuda portugues?
    Ele consegue entender e falar com seus familiares?
    Como funciona isso quando vens ao Brasil?
    beijo e ótimo restinho de dia

    Responder
    • Adriana Miller - 25/04/12 - 17h01

      OI Jo, obrigada!!
      Pode cobrar sim, so nao prometo nada! :-)

      Ultimamente tenho trabalhado mais doque gostaria, e infelizmente nao tenho tido tanto tempo pro blog… mas tento ao maximo manter o espaco vivo e com novidades, entao pode voltar sempre!
      E, neh? Comentarios sao sempre um otimo incentivo! :-)

      Responder
      • Jo - 25/04/12 - 21h40

        Eu volto, eu volto e voltarei sempre e sempre :-)
        Vc é minha idola :-)

        Meu sonho é morar em Londres já que isso não é possível, curto sua pessoa morando ai :-)

        Responder
        • Adriana Miller - 26/04/12 - 09h58

          Owwww…. ganhei o dia! :-)

          Responder
  4. Sara - 25/04/12 - 20h53

    Eu não vou nem falar dessa coisa de regatear porque nunca passei por essa experiência, nem mesmo quando morei em Palermo e podia ter tido algumas oportunidades para isso. Mas é verdade que é um sofrimento e um desgosto quando queremos aplicar uma expressão muito típica (para nós) e é impossível traduzir e mesmo que tentemos explicar, perde a piada toda. Ó frustração!
    Mas amei essa do “o que é um peido quando vc ja ta na merda!?”, nem conhecia e a tradução para inglês até que fica engraçado :D mas realmente há expressões e “inside jokes” que não dão mesmo para traduzir, o que é uma pena!

    Responder
  5. Letícia R. - 25/04/12 - 21h19

    Esses seus “diálogos” em português devem ser hilários! Fiquei aqui imaginando “vamos mostrar que somos brasileiros” + “dezessete, oi tudo bem” e o vendedor com cara de “oh, são mesmo brasileiros” rsrsrs

    Responder
    • Adriana Miller - 26/04/12 - 10h00

      Mas eh assim mesmo:
      Eu – Vamos falar Portugues
      Ele – OI tudo bom! Eu sou menino. 27, 24, 32
      Eu – Entao neh, vou continuar falando bla bla bla

      Hehehehe

      Responder
  6. Daniela - 25/04/12 - 21h29

    Meu marido se realizou na China , apesar de não falar uma palavra em inglês e muito menos em mandarim ele negociou muito bem nossas compras por lá.Era calculadora para lá e calculadora para cá , num bate e rebate de preços.Confesso que canso e acho sempre que estamos sendo lesados de alguma forma.
    Em breve estamos de viagem para a Turquia , vamos ver como serâo as negociações por lá.Bjos

    Responder
  7. Celeste - 25/04/12 - 23h04

    Isso é tanto da cultura deles que até em negociações entre empresas rola esse desgaste. Temos uma Trading e importamos mercadorias da China, e vou falar a briga por qualquer centavo de dólar é feia !!! Rsrsrss

    Sabe que eu gostei mais da versão em ingles que o Aaron usa kkkkkkk !

    Responder
  8. Natália Puga - 26/04/12 - 01h20

    Dri, morri de rir aqui ao te imaginar no meio da China, querendo usar esse trocadilho excelente e sem poder. Senti um pouco isso também quando tava em Londres, rodeada de intercambistas do mundo todo, morrendo de vontade de soltar um “Tenso!” e sem poder… lindas fotos!

    Responder
  9. Milena F. - 26/04/12 - 12h20

    Aqui em casa é justamente o contrario, eu deixo meu marido negociar e fico ali morrendo de vergonha com o preço baixo que ele oferece! Ainda por cima ele vai embora e os vendedores vem atras aceitando o preço! Eu acho supercansativo, mas ele adora.
    Aqui na França existe um termo “chiner”, mas seria mais no sentido de feitas de antiguidades, a procura por um bom objeto e conseguir realizar um bom negócio.

    Responder
  10. Fernanda - 26/04/12 - 13h30

    Muuuuito bom esse post Dri! Fiquei imaginando vocês “conversando” em português e a sua agonia em não poder compartilhar o trocadilho.. hahaha
    E eu, sendo natural de Foz do Iguaçu, já aprendi desde pequena a negociar minhas bugigangas no Paraguai!
    Fico mais feliz me ixibindo fazendo a comparação do preço inicial com o final, do que o produto em sí..
    Beijo Dri!!

    Responder
  11. wilma - 26/04/12 - 13h40

    Oi Dri, vejo que quando for a China vou ter que lembrar de ler esse post váááárias vezes, sou como seu marido, não levo o menor jeito pra isso, até aqui no Brasil fico lesada e sempre pago mais caro por ser distraída com isso, imagina q vejo gente aqui, pedindo centavos de desconto numa compra irrisória, fico envergonhada, mas aqui já me coloquei uma regra,o que não tem preço estampado eu fujo, e se me der mais de um preço,fujo também, porque sei que levarei a pior, é sempre assim!!!
    Dri por sua inspiração, estou me tornando uma viajante eficiente,já fiz 4 viagens internacionais nos últimos 12meses, comecei por Porto pela lingua e para aprender usar metro, máquinas e me saí super bem em Paris, seu blog é o máximo pra mim!!! Obrigadaaaaaa!!!

    Responder
  12. Claudia Acourt - 26/04/12 - 14h42

    Mas que “caoh”, hein! Gostaria que ser como voce, mas faço mais o estilo de Aron, fico vermelha no canto..rs
    Mas otimo as tuas dicas.
    Bjos

    Responder
  13. Gabriela - 26/04/12 - 15h52

    Adorei esse post. Fiquei curiosa pra ver a foto do vaso de porcelana. Você não teve dificuldades pra trazer ele de volta pra Londres não, Dri? Você despachou junto com as malas? Essa viagem deve ser um sonho mesmo. E teve alguma coisas que você se arrependeu de não comprar na Ásia? Algo que você viu à venda, não comprou e se arrependeu depois?

    Beijo!

    Responder
    • Adriana Miller - 26/04/12 - 16h08

      O vaso veio na mao! :-)
      Eles embalaram tudo com plastico bolha e colcaram numa caixa de presente de madeira, toda enrrolada em barbante, e voltou comigo no aviao!
      Aliais, o vaso de porcelana e os conjuntos de cha (tb de porcelana) tambem vieram todos como mala de mao!
      Nos compramos muitas coisas legais na China, e aunica coisa que eu queria muito ter comprado mas desisti porque todos que achei eram MUITO pesados (por serem feitos de pedra) foram as esculturas do leao simbolo da China, que acho lindo como aparador de livros!
      Mas eram sempre pesados demais, feitos de pedra ou ferro, entao acabei deixando pra la.

      Responder
  14. Ana - 26/04/12 - 16h30

    nossa eu odeio negociar preco. acho esses vendedores super chatos e sempre acho q to perdendo tempo!!! na turquia vi umas joias lindas mas achei o processo de negociar precos insuportavel e desisti!!!

    Responder
    • Adriana Miller - 26/04/12 - 16h37

      O Aaron eh igual!
      Ele prefere pagar um preco exorbitante ou nem comprar doque ficar brigando por preco!
      Eu me divirto!

      Responder
  15. Aline - 26/04/12 - 17h43

    Dri,
    Mostre pra gente as suas compras! Pelo menos o Vaso e o jogo de chá, fiquei curiosa.

    Bjs

    Responder
    • Adriana Miller - 26/04/12 - 21h19

      Shiii…. ta tudo empacotado guardado no closet…

      Responder
      • helo - 27/04/12 - 11h31

        mas vc ta guardando de proposito ou ainda nao rolou tempo de desembrulhar e achar 1 lugar bacana na case (curioooosa)?

        Responder
        • Adriana Miller - 27/04/12 - 11h35

          Ambos.
          POr um lado ainda nao deu tempo de desempacotar tudo e re-decorar a casa pra tentar achar um canto pro vaso novo, e por outro lado, temos caixas e mais caixas de objetos de decoracao que fui comprando em viagens ao longo dos anos (pinturas & Arte, vasos, bowls, caixas, casticais, tapecarias, etc) mas nao quero entulhar a casa ate termos um lugar baca que eu possa decorar como quiser em vez de simplesmente ficar espalhando objetos pelos cantos do apartamento.
          Algumas coisas ja estao na nossa sala, mas pouquissimas…

          Responder
  16. Patrícia - 26/04/12 - 18h35

    Oi Dri! Amei o poste os trocadilhos! Nem sempre estou com disposição de ficar barganhando mas eu também tenho tanto o que ver e fazer quando viajo (pro exterior, principalmente) que acho estar gastando um tempo precioso por tão pouco. E meu maarido, de modo geral, não gosta nada de fazer compras em viagens (= carregar peso). Qdo fui a Londres minha mala pesou 17kg na volta e ele dizendo que ia dar excesso de peso!!! Depois dessa comprei uma balança de viagem e nunca mais viajei sem.

    Ah, teve comprinhas de cosméticos tb? Eu ia ficar doida com tanto produto sem eu entender pra que serviriam (como aconteceu quando estive no Japão)…

    Beijos!!!

    Responder
    • Adriana Miller - 27/04/12 - 09h39

      Eu geralmente tambem nao gosto de fazer “compras” em viagem, e raramente “gasto” tempo em shoppings ou lojas normais, que poderia achar em qualquer lugar do mundo. Mas sempre gosto de passar nos mercadinhos locais e lojas de decoracao.

      Eu fui pra Asia cheia de esperanca de comprar varios cosmeticos e marcas diferentes e tal, mas a comunicacao sempre foi impossivel! Entao acabei desistindo, e soh comprei algumas coisas no free shop de Pequim, poucos minutos antes de embarcar de volta pra Londres!

      Responder
  17. Isabel Moura - 27/04/12 - 12h29

    Ri tanto ao ouvir essa nova expressão do “peido”:)
    Sou portuguesa, falamos mesma língua e no entanto não conhecia.
    Isto demonstra que mesmo falando a mesma língua, a origem também conta…expressões usadas no Brasil não se usam forçosamente em Portugal, e vice versa…
    E o mesmo acontece com as piadas e anedotas.O sentido de humor varia de país para país. Uma anedota pode ter sucesso louco no Brasil e fracassar em Portugal..e vice versa.
    Uma coisa é certa: rir é das melhores coisas do mundo….com viajar!
    Então viajar + rir na viagem =sucesso garantido!

    Responder
  18. Monica - 28/04/12 - 00h49

    Oi Dri!!! Vii você hoje na Topshop!! Muita coincidência porque li seu blog quase todo antes de vir pra Londres! Parece que ficamos amigas intimas! Rio com suas piadas, vibro com seu entusiasmo, me delicio com sua siceridade!! Enfim, adoro ler o que você escreve! Então, embora não tenhamos nos falado, quero que saiba da minha admiração por seu trabalho!! Seu blog é muito bom e está me ajudando muito com as dicas de viagem!! Vou continuar a te acompanhar nas próximas viagens (que, espero, sejam muitas) Um abraço

    Responder
    • Adriana Miller - 28/04/12 - 23h38

      Não era eu não… Nem lembro a ultima vez que estive na Top Shop…
      Eu estava na Oxford Street sexta de noite, mas não passei nem na porta da Top Shop (tava mais pro lado de Bond Street)

      Responder
  19. Monica - 29/04/12 - 01h38

    Kkkk entao alguem que na minha cabeça pareceu ser você! Ela e uma amiga falavam português e quando olhei, “você” sorriu!!!! Rsrsrs ainda bem que eu não quis incomodar!! Mesmo assim, valem todos os elogios!!!!

    Responder
    • Adriana Miller - 29/04/12 - 09h08

      Muita coincidência mesmo! Mas se voce me ver por ai, pode dar “oi”! :-)

      Responder
  20. Renata - 29/04/12 - 03h18

    Oi oi oi!
    Vc desencanou do Beauty Every Where ? Que saco ! Adoro ler suas dicas e peripecias com makes e afins…. E os looks ?
    Fui mostrar suas fotos da Tanzania para meu namorado e vc bloqueou o acesso no fotolog?
    Bjs

    Responder
    • Adriana Miller - 29/04/12 - 09h07

      “que saco”? Não entendi…
      Sim, desencanei um pouco, mas o Beauty nunca foi minha prioridade mesmo, e tem andado meio esquecido. Não abandonei oficialmente, mas considerando que ainda estou tentando atualizar o blog com posts de Janeiro (e estamos a poucos dias de Maio), dá pra ver que o tempo dedicado ao blog tem sido curto.

      E sim, bloqueei o acesso ao Fotki.
      Continuarei postando fotos aqui no blog (e no flickr do Aaron), mas como uso o Fotki como arquivo, preferi não deixar minhas fotos (não selecionadas) tão expostas. Estava atraindo muitos comentários esquisitos…

      Responder
  21. Renata - 29/04/12 - 03h19

    Desculpe fotki

    Responder
  22. Neide - 29/04/12 - 09h57

    Eu tambem sofri quando fui passear no Sudeste Asiatico, China e Marrocos. Por ser descendente de japones os vendedores acham que estou nadando no dinheiro. Ficam querendo o tempo todo tirar meu escalpo.rsrs Aqui no Japao nao se barganha e ha tanto respeito e formalidade que as vezes chega a cansar. E o Japao nao consta na sua lista de paises a serem visitados?

    Responder
    • Adriana Miller - 30/04/12 - 16h02

      Mesmo problema do Aaron e sua pinta indisfarcavel de gringo… heheheheh :-)
      Na Turquia ja chegavam falando Noruegues ou Alemao com ele e geralmente o preco dele era 3 vezes mais alto que meu preco!

      Responder
  23. Bia - 29/04/12 - 18h32

    Oi Dri! Tudo bom? Estou querendo fazer um mochilão pela Europa de 1 mês, e conhecer alguns países (uns 5, 6) mas quero conhecer mais de uma cidade dentro de certos paises (tipo a Itália: quero Roma, Florença e Milão, por exemplo). Pesquisando, achei 3 opções de transporte: avião com low coast, trem e ônibus. Considerando o fator tempo e dinheiro (os mais importantes!), os ônibus me pareceram a melhor opção, pois é 250 euros a tarifa de 30 dias, e ele abrangem 50 cidades de inumeros paises europeus. Porém, sempre vejo você viajando de trem ou low coast, e raramente de trem (pesquisando aqui no blog, vi que uma das viagens q vc fez dentro da Itália vc fez de onibus). Afinal, o que você mais recomenda para esse tipo de viagem? Qual é o mais seguro, também? Obrigada! Bjs

    Responder
    • Adriana Miller - 30/04/12 - 15h42

      Os mais seguros sao os trens e avioes, e tambem os mais rapidos.
      Economicamente falando onibus sao uma otima opcao e ja fiz alguns posts sobre viagens de onibus na Europa – mas geralmente soh viajo de onibus em viagens curtinhas, onde o custo (baixo) compensa.

      Se as outras cidades/paises que voce pretende visitar sao todas ali pertinho pelos arredores da Italia, e voce tem tempo, entao onibus pode ser uma otima opcao.
      Oque nao vale a pena eh querer fazer roteiro de longa distancia, tipo Roma – Barcelon – Paris – Prega de onibus, pois voce vai demorar mais de 12 horas pra ir de um destino a outro, enquanto que poderia pegar um voo low cost em menos de 2 horas.

      Nao eh a toa que as low cost fazem tanto sucesso na Europa e rapidinho desbancaram as longas (e super tipicas) viagens de trem, por exemplo – ninguem mais quer passar medate do tempo de ferias sentado num buzao enquanto voce poderia estar cusrtindo as cidades pagando um pouco mais.

      Responder
  24. Renata - 30/04/12 - 01h26

    Que saco q vc desencanou do Beauty….mas tudo bem.
    Beijos

    Responder
  25. Edson de Ávila - 30/04/12 - 18h50

    oi, Dri no mês de Setembro deste ano eu estarei de férias e estou planejando desde o ano passado uma viajem para Espanha, conhecer Madrid e Barcelona se der também irei em Cascai e Lisboa em Portugal, mas estou muito preocupado pelas notícias de muitos brasileiros estão sendo deportado. eu gostaria que você me desse algumas recomendação sobre estes casos, eu já tenho passaporte e preciso saber me disseram que precisa de 70 euros por dia para estadia,é isso mesmo? e também como eu não tenho cartão de crédito internacional será que eu posso levar estes euros comigo. e também disseram que preciso fazer um seguro de viagem será que precisa mesmo ?
    obrigado parabéns pelo seu blog sinceramente eu viajo bastante vendo este blog..

    Responder
    • Adriana Miller - 03/05/12 - 08h43

      Oi Edosn, pra falar a verdade eu nao to muito por dentro do que anda rolando na imigracao Espanhola nao.
      Mas como via de regra, os Espanhois sao intolerantes com estrangeiros que (segundo eles e sua visao de mundo) sejam possiveis imigrantes ilegais. Imagino que a cosa comece a ficar ainda pior pra Brasileiros depois que nosso governo tambem comecou a dar uma dura nos Espanhois que vao pro Brasil.
      Entao seja completissimo na documentacao e exigencia, e nao de “motivos” para desconfiarem de suas intencoes – na duvida, consulte o consulado da Espanha do Brasil e garanta que vc va embarcar com absolutamente TUDO que pedirem.
      Seguro saude, carta convite, quantidade minima de dinheiro por dia, cartao de credito internacional, reserva de hotel, passagem de volta (ou de saida da Espanha), etc, etc.
      Todas essas exigencias sao obrigatorias sim.
      Provavelmente nao vao te pedir nada na imigracao de entrada, mas se pedirem e voce nao apresentar algum desses documentos, eles terao justificativa pra te deportar na hora.
      Infelizmente eu ja assisti Brasileiros sendo deportados em Madrid e nao eh um processo nada agradavel e muito humilhante…!

      Responder
  26. Bia - 30/04/12 - 21h03

    Dri, muito obrigada pelas dicas, viu?! Sempre atenciosa com os leitores!!! Vou procurar pelos voos low coast então… Obrigada mesmo!!! Bjss

    Responder
  27. Larissa Lyra - 30/04/12 - 22h52

    Dri, concordo com Renata, também sinto muita falta de seus posts no Beauty. Acho aquele espaço show de bola. Mas, levando-se em conta o fato de você estar sem tempo até mesmo pra esse aqui, acho que iremos esperar a poeira baixar um pouco, né? rs

    Olha, você esqueceu de atualizar sua idade no cantinho “autora” do blog.

    Grande abraço

    Responder
    • Adriana Miller - 03/05/12 - 08h35

      Eu nao pretendo acabar com o Beauty nao! So to sem tempo mesmo – mas to cheia de ideias e novos produtos pra mostrar e novas viagens etc.
      Mas meu dia soh tem 24 horas… :-(

      Responder
  28. Ludy - 01/05/12 - 14h36

    eu ri muito da sua tentativa de traduzir as coisas literalmente. eu sofro demais com isso também…meu marido é polaco, imagina a brancura da pessoa…íamos a praia e a itaipava custava quase 10 reais, até o dia que eu fui tirar satisfações com o dono da barraquinha. quando estamos fora também usamos a mesma tecnica de que somos TODOS brasileirissimos e ele faz exatamente o que o Aaron faz, só que o vocabulário dele é sempre tão engraçado que as vezes eu tenho que me segurar para manter a farsa…eu falando: ah ta muito caro vamos lá na outra loja e ele fala: sim isso sim gosto de arroz com batata..
    dei muita risada porque é a mesmissima coisa, o povo voa nele com aquela carona de gringo master, mas quem negocia soy yo!

    Responder
  29. Sonia Pompermaier - 02/05/12 - 20h19

    Hilariante!!!este deveria ser o nome deste post! ja tentou traduzir “o que é uma pereba a mais para um lazarento”? Adoro este blog!!!

    Responder
  30. Luciana Bordallo Misura - 04/05/12 - 09h49

    Li e ri muito, porque o Gabe também ia odiar que nem o Aaron (e eu também não sou muito chegada nessas negociações) e porque a sua tática é igualzinha à nossa (sempre eu que falo primeiro, digo que somos do Brasil, o Gabe quieto, aí falamos alguma coisa em português pra enganar). Ele sabe que não pode abrir a boca pra falar inglês até o preço estar definido ;-)

    Responder
  31. […] Entao oque vale a pena comprar memso sao os “cacarecos” em mercados e afins, que ja virou ate post! […]

    Responder
  32. […] o que já foi dito, tem dois posts ótimos nesse tema, no Sundaycooks sobre os taxis em Lima e no Drieverywhere sobre negociações na hora das compras que ela usou na China. Eu faço muito do que está descrito nesses posts e […]

    Responder
  33. Karol - 24/05/12 - 14h35

    Olá Dri, tudo bom? parabéns pelo seu blog, ele é realmente muito bom. Estou indo novamente para a China daqui a 3 semanas, dessa vez irei sozinha e ficarei uma semana (o friozinho na barriga já tá pegando) uma coisa que eu gostaria de ter comprado e não encontrei é aqueles Tea Flower, vc sabe onde posso comprar? um abraço.

    Responder
    • Adriana Miller - 24/05/12 - 14h55

      OLha, eu vi os Tea Flowers vendendo em tudo quanto eh lojinha de cha e loja de souvenir, ate mesmo no free shop and Pequim.
      Acho que voce nao tera problema algum em encontra-las.

      Responder
  34. Jackie - 27/05/12 - 21h03

    Sério, esse é um dos seus melhores posts ever! Pelo menos um dos mais engraçados. Ri mt imaginando as situações. Eu não consigo fazer isso de negociar, marido fica pra morrer pq eu puxo logo ele e digo “vamo embora” rsrs Ele já me disse cem vezes uma coisa que vc falou aí, que qd não tem o preço no produto é pq depende do cliente. Mas eu não aprendo nunca rsrs
    No Peru eles tb fazem isso pra td, já avisei antes e o marido negociou em td lugar. Agora na Bolívia, eles fazem tb, mas menos. Mas eles ganham tão pouco em cada coisa (é um país tão pobre) que a gente combinou antes de nunca negociar. A gente dava o que pediam direto (a menos que soubessemos que estava mt caro, acima do preço só pq era turista, mas isso nunca aconteceu).
    Agora com o brasil crescendo e ficando mais em destaque internacional daqui a pouco vcs vão ter que falar que são de outro lugar, hein? Aqui na AMérica do sul brasileiro já é tratado como o turista rico rsrsrs
    bjs,

    Responder
    • Adriana Miller - 31/05/12 - 08h50

      Pois é! Na Tunísia já não deu certo! A fama de gastador dos Brasileiros já chegou por lá, e muitos vendedores sabiam até falar Portugues!! (e muito melhor que o Aaron!) :-)

      Responder
  35. Thiago Rodrigues - 28/06/12 - 01h03

    Cacilds!! Ri demais do seu post! ano passado fui a Xangai e fomos nesses mega “shoppings” de 5 andares atras de bugingangas. Tudo que agente tentava comprar, depois de meia hora de negociacao pagavamos 1/5 do preco pedido (no minimo)! no outro dia voltavamos e o diabo dos chineses lembravam da nossa cara e a msm negocicacao rolava de novo! as vezes eu comprava algo na barraca, pagava e um amigo chegava pra comprar o exato msm produto. o diabo do chines mandava o preco inicial e comecava tudo de novo.. no final da viagem nao aguentava mais

    Responder
  36. […] o que já foi dito, tem dois posts ótimos nesse tema, no Sundaycooks sobre os taxis em Lima e no Drieverywhere sobre negociações na hora das compras que ela usou na China. Eu faço muito do que está descrito nesses posts e […]

    Responder
  37. Yury - 04/12/16 - 21h39

    Adorei a postagem…

    Responder
  38. Malu - 06/02/19 - 15h54

    Adorei a aula de capitalismo chinês!

    Responder