14 May 2012
29 comentários

China na Pratica – sem medos, preconceitos nem estereotipos!

China, Dicas de Viagens, Pequim, Xangai, Xian

Nenhuma viagem pra Asia eh planejada sem um monte de medinhos… Se essa viagem inclui a China entao pronto, pode ter certeza que todo mundo tera uma opiniao, uma historia pra contar ou seus proprios motivos pelo qual jamais faria uma viagem dessas.

E confesso que sempre tive meu pe atras tambem. Meu pai e minha tia viajaram pela China nos anos 90 e voltaram com altas historias de assustar criancinhas – e sem falar em tudo que vemos na TV, jornais e afins.

Mas a verdade eh que viajar pela China foi incrivelmente mais facil doque jamais imaginei!

Talvez tenha sido por realmente estar esperando sempre o pior, ou talvez seja porque, por comparacao, ja viajei por paises bem “piores” (Marrocos, Egito, India e Vietnan, so pra citar alguns…) e muito mais dificeis de se viajar.

Tudo bem que nao nos aventuramos pelo interior, nem nos metemos em cidadezinhas no meio do nada – mas tivemos nossa dose de aventura e de viagem independente, e a cada nova descoberta era uma surpresa – sempre pra melhor!

Dificuldades em geral

Acho que a principal dificuldade em planejar uma viagem pra China eh justamente acreditar que tudo sera muito dificil.

Aquele preconceitozinho que te freia, que te impõe limites por ter medo do desconhecido.

No meu caso eu tinha muito receio em relacao a comunicacao, entao preferi tomar certas precaucoes como viajar apenas de aviao (em vez de arriscar umas viagens de onibus e trem de longa distancia) e ficar hospedada em hoteis de redes internacionais em vez de arriscar uns albergues.

Assim eu achei que estaria nos protegendo de eventuais pepinos linguisticos, pois sempre estariamos numa ambiente “internacional”.

A verdade eh que realmente ajudou bastante, mas ainda assim nao foi infalive. E quer saber, nao foi esse bicho de 7 cabecas nao!

Lingua e comunicacao

Acho que realmente a comunicacao foi a parte mais dificil da viagem, principalmente depois de ter passado por Hong Kong, Macau e Cingapura, todas muito internacionais.

Mas nao chega a ser um impecilho. Eu fique surpresa de ver que quase todas as placas de rua tem a versao em Chines e a versao “Ocidental”, seja com as instrucoes em Ingles (tipo “Cidade Antiga: segunda rua a direita”) ou com o nome das coisas em alfabeto ocidental, oque facilita na hora de pronunciar, procurar no mapa etc.

O memso eh valido pra transporte publico, sempre com placas e instrucoes em Ingles, e foi sempre facilimo se virar por la apenas usando as maquininhas das estacoes.

Restaurantes tambem quase sempre tinham alguma opcao de menu em Ingles.

O problema mesmo eh quando voce precisa interagir com alguem. Muita gente que trabalha com turismo sabe falar apenas o basico, umas frases ja meio ensaiadas – qualquer coisa alem disso se torna uma verdadeira luta, mesmo com o concierge de hoteis de luxo!

Isso sem falar que no geral os Chineses sao muito timidos e fechados, entao se voce tentar falar com alguem na rua, ja era! Eles viram bicho do mato e nao dao muita atencao mesmo!

Mas fomos preparados, sempre tinhamos tudo escrito em chines antes de sequer sair na rua, e sempre tinha a App tradutira no bolso, para os momentos de aperto.

Transporte

Sem duvida alguma o transporte fo um dos pontos altos da viagem – nas 4 cidades Chinesas que passamos, o transporte publico era eficiente, barato, modernissimo, limpo e muito facil de usar.

Todas as estacoes teem informacoes em Ingles e mapas das linhas e estacoes tanto em chines quanto Ingles – e pra evitar confusoes, iamos sempre direto na maquininha automatica de ticket das estacoes, onde bastava selecionar a lingua (Tem Ingles, Espanhol, Frances, etc), marcar de onde voce queria ir e onde queria chegar e pronto. Muito simples e muito facil!

A unica dificuldade que tivemos foi com taxi, pois muitas vezes os taxistas simplesmente fugiam da gente!

A recepcionista do hotel disse ser por receio deles mesmos de nao conseguirem se comunicar com turistas, entao sempre tentavamos parar os taxis com o papelzinho com o endereco em Chines ja na mao – e assim eles entendiam que a interecao seria minima, e aceitavam nossa corrida.

 

E tivemos outras vezes tambem onde pedimos pra algum Chines chamar um taxi pra gente enquanto ficavamos escondidos… quando um taxi parasse, a gente pulava dentro e mostrava o endereco!

Dinheiro e Compras

A moeda na China eh o Yuan chines, que na epoca que viajamos estava cotado a mais ou menos 15 dolares por unidade.

Foi facilimo achar caixas automaticos de saque, mas nao vimos muitas casas de cambio nao…

No geral achamos as coisas bem baratas na China, mas nada que me fisesse enlouquecer de querer sair comprando tudo. Precos em shoppings e lojas internacionais sao bem homogeneos com oque vemos por aqui na Europa e EUA, e ate mesmo os eletronicos foram um pouco decepcionante.

O Aaron achou que ia fazer a festa nas lojas de cameras e materiais fotograficos, e a verdade eh que tirando uma lojinha de pinta duvidosa aqui ou ali, os precos que vimos eram todos bem tabelados com o ocidente, e algumas vezes ate mais caros!

Entao oque vale a pena comprar memso sao os “cacarecos” em mercados e afins, que ja virou ate post!

E claro, nao sejamos ingenuos, e eh sempre bom ficar de olho quando o seu “negocio da China” for generoso demais – afinal nao eh por acaso que a China tem a maior industria de pirataria e falsifcacao do mundo!

Comida

Nos comemos bem demais na China, como ja contei com todos os detalhes aqui.

Choque cultural (e nojices em geral)

Como em qualquer outra viagem para um lugar muito diferente, choques culturais fazem parte do aprendizado da viagem – afinal viajar eh muito mais que fazer compras e tirar foto em frente a monumentos famosos: Eh a arte de exercitar sua tolerância e abrir a mente para o fato de que pessoas diferentes, em diferentes artes do mundo fazem as cosias de maneira diferente.

Entao esse “choque” pode ser bem sutil como a comida do cafe da manha do hotel, que em vez de suco de furtas e panquecas, tera arroz frito e sopa de noodles. Nos primeiros dias eh divertido, depois so de sentir aquele cheiro no corredor do hotel tao cedo, voce ja quer voltar pra casa!

Pra mim o principal foi me acostumar a ter muita gente, o tempo todo, saindo de todos os cantos. Afinal, apesar de que a China eh um pais grande, eh dificil conter quase 2 Bilhoes de habitantes.

Entao se prepare pra ignorar filas, passar na frente das pessoas, entrar no elevador (ou no metro) antes que todo mundo saia primeiro e etc.

Coisas basicas da convivencia “civilizada ocidental”, na China se tornam detalhes insignificantes da sobrevivencia do mais forte.

O seja, se vc nao furar fila (como todo mundo) nao vai conseguir comprar seu ticket a tempo. Se vc nao entrar no metro assim que porta do vagao abrir (em vez de esperar todo mundo sair), vai perder o bonde.

E no fundo, nao esquece que a visita na casa dos outros ali eh voce – entao em vez de reclamar e ficar indignada com certos comportamentos, adapte-se!

Nao perca a aportunidade de aprender alguma coisa nova sobre um povo tao diferente da gente!

Visto

Todos os visitantes precisam de visto pra entrar na China, mas nos ultimos anos o requerimento de visto Chines tem sido mais facil e tranquilo doque era ha uns anos atras.

Voce pode pedir um visto de entrada unica ou de entradas multiplas, lembrabdo que tanto Hong Kong quando macau nao exigem visto de seus visitantes.

Porem, qualquer cruzadinha da fronteira podera resultar em deportacao caso voce nao tenha o tipo correto de visto, entao atente bem em qual visto de encaixa melhor com o seu estilo de viagem.

Nos pedimos o visto de entrada multipla, que da direito a entrar e sai da China por um periodo de 6 meses.

Nos sabiamos que nao iamos precisar disso tudo, mas como nosso voo pra Hong Kong fazia escala (mas nao era conexao da mesmo cia aerea) em Pequim, e depois voltariamos pra Xangai semamas mais tarde, nao queriamos correr o risco de sermos barrados.

Transporte Interno

A China eh mais um desses paises de proporcoes continentais, e qualquer pulinho na cidade ali do lado pode significar horas e mais horas de viagem.

Inicialmente tinhamos planejado fazer a viagem entre Xangai, Xian e Pequim de trem, porem isso significaria passar um media de 12 a 14 horas em trens por cada trajeto, oque tornaria nosso roteiro impraticavel.

E mesmo roteiros que incluem roteiros entre Xangai e Pequim diretamente de trem bala (que viaja a mais de 300km por hora!) demoram pelo menos 8 horas de viagem durante o dia.

Outra complicacao eh que apesar de eficiente, o sistema ferroviario da Chinae foi feito para atender a populacoa local – e nao os turistas.

Entao nao eh possive comprar passagensde trem pela internet, nem comprar passagens com cartao internacional e muito menos comprar passagens antecipadas.

O mais cedo que um turista pode comprar passagem de trem na China sao 10 dias (via agencia) e geralmente isso nao eh suficiente, pois os tickets esgotam muito antes disso!

Então o mais facil é sempre utilizar uma agencia local como seu intermediario. Originalmente nós utilizamos agencia China Trip Advisors, que tem um website de interface bem fácil, com uma lista de horarios e tipos de trem, você faz um depósito via paypal e então, dez dias antes da data da sua viagem (quando eles abrem venda antecipada pra extrangeiros) alguem vai lá furar a fila pra você.

Como já estavamos imaginando, não conseguimos comprar nenhuma passagem, pois tudo acabou bem antes desses 10 dias, e no mesmo dia eles devolveram o custo do depósito via paypal.

Então a maneira mais barata, rápida e eficiente de viajar internamente pela China é mesmo de avião, como já comentei aqui nesse post. Depois que a agência confirmou que não conseguiríamos comprar a passagem de trem (que custava cerca de 100 dolares, cada trecho, entre Xangai e Xian), compramos uma passagem de avião de ultima hora pela China Eastern que mesmo sendo apenas 10 dias antes da viagem, custou apenas 50 dolares! Sem falar que a viagem de avião demorou 2 horas, e de trem teriamos levado 12 horas…

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
29 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
29 comentários
  1. Larissa Lyra - 15/05/12 - 00h25

    Acho que os atropelos e dificuldades de comunicação em geral fazem parte da aventura e da graça da viagem. Mas facilita MUITO ter dicas preciosas como estas.

    Responder
    • Adriana Miller - 15/05/12 - 08h53

      Concordo!
      Afinal, quem quer passar imune por choques culturais e aventuras, que se fechem num Resort :-)

      Responder
  2. ENEIDA - 15/05/12 - 03h39

    Você realmente tem o dom de inspirar o interesse de conhecer lugares nas pessoas. Eu que nunca quis conhecer a China já estou aqui babando de vontade.

    Responder
    • Adriana Miller - 15/05/12 - 08h52

      Obrigada! Afinal essa eh a intencao de qualquer blog, neh?

      Responder
      • Rocsane - 20/05/12 - 18h42

        Poderia repetir a dicado hotel em Firenze, por favor? Grata
        abços

        Responder
        • Adriana Miller - 21/05/12 - 09h32

          Esta no post sobre Firenze – com link e tudo mais.

          Responder
  3. Liliana - 15/05/12 - 09h26

    Animador esse post! Bom ler o relato sem frescura como esse de um viajante para um local mais “exótico” para quebrar os paradigmas. Você pediu o visto por conta própria ou usou agência?

    Responder
    • Adriana Miller - 15/05/12 - 09h34

      Usei agencia, a mesma que sempre uso aqui em Londres, a TCLS (que fica ali do lado de Victoria Station, mas vc faz tudo on line), que tem um custo extra, claro, mas eh TAAAAAO mais facil doque ter que ficar lidando com consulados diretamente.
      Foi 100% no fuss, e em 1 semana recebi os passaportes de volta em casa com tudo certinho. (tambem usamos eles pros vistos pra India e Russia).

      Responder
  4. Liliana - 15/05/12 - 15h12

    Eu já entrei em contato com eles uma vez só para tirar uma dúvida e o atendimento foi nota 10 mesmo. Para o meu visto da Índia sem dúvida vou fazer tudo com eles! Valeu!

    Responder
  5. Karina - 15/05/12 - 17h49

    A Eneida me tirou as palavras da boca (ou dos dedos rs), não tinha imaginado ainda uma viagem à China. É realmente inspirador. Estava super curiosa em relação ao tempo reservado para cada lugar, e confesso que NUNCA imaginaria 4 dias para Pequim como sendo bem aproveitados. Claro que tudo facilita se vc tem objetivos definidos e não foge deles, mas creio que vou expandir um pouco meus objetivos qd resolver colocar a coisa em prática — e sabe-se lá qd isso vai acontecer rsrs

    Adorei! muito obrigada por compartilhar tantas experiências! =)

    Responder
  6. Paula - 15/05/12 - 18h07

    Muito legal o post! As viagens complicadas podem acabar sendo as mais interessantes. Nesses lugares tão diferentes é que a gente mais aprende :) E eu, que tenho “medo” de viajar pra Rússia por causa da comunicação… Mas perto da China deve ser fichinha né? Ou não?
    Mudando um pouco de assunto, queria saber se tem alguma loja (física) que você recomenda aí em Londres pra comprar livros. Dessas livrarias grandonas que tem de tudo, qual você gosta de ir?
    Obrigada, beijos!

    Responder
  7. Carolina - 16/05/12 - 02h41

    Estive em Beijing em 2005 e apesar de algumas diferenças entre nossas opiniões, tenho que concordar que a China é uma experiência única. Tão única que tenho medo de ir novamente em busca das experiências anteriores e não encontrá-las.
    Adoro seu blog.

    Responder
  8. juliana gois - 16/05/12 - 16h23

    “viajar eh muito mais que fazer compras e tirar foto em frente a monumentos famosos: Eh a arte de exercitar sua tolerância e abrir a mente para o fato de que pessoas diferentes, em diferentes artes do mundo fazem as coisas de maneira diferente.” A síntese do significado de “viajar” pra mim. Se vc autorizar vou colocar no meu blog, tá?! Dou os créditos!! Parabéns pelo site sempre!

    Responder
    • Adriana Miller - 16/05/12 - 20h19

      Pode, claro!

      Responder
  9. Bóia Paulista - 17/05/12 - 07h32

    Oi, Dri. Tudo bem?
    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Beijos,
    Bóia Paulista

    Responder
  10. Ernesto, o pato - 17/05/12 - 14h01

    Muito bom1 Excelente guia que conta o que os outros não falam

    Responder
    • Adriana Miller - 18/05/12 - 10h37

      Obrigada Ernesto!

      Responder
  11. Gabriela - 17/05/12 - 19h19

    Prezada Adriana,
    passeando pelos blogs da internet, cai no seu e gostei tanto do seu texto sobre que estou divulgando seu endereco da minha lists de leitura no meu blog. Lá não tem “jabá” e a audiência é pouca (mas fiel). Se você se sentir lesada de alguma forma ou simplesmente não tiver interesse que outras pessoas divulguem seu trabalho, peço desculpas antecipadamente :-) deixe um recado para mim e eu imediatamente retirarei o post do ar.

    O blog é http://gabiwonderinginamerica.blogspot.com/

    Alias, usei sua dica no hotel em Florença e foi tudo de bom! A vista e o terraço realmente valem a pena.

    Atenciosamente
    Gabriela

    Responder
  12. Ja, - 26/05/12 - 23h39

    Ai que desespero ler esse post! Toda sexta tenho uma aula em que o professor fala mt da China. Daí passo sempre o finde louca sonhando em ir heheheh
    Nessa semana ele deu umas infos (é aula de economia) e diziam que os imóveis estavam baratos e que os maiores salários são da área de tecnologia e pesquisa. Então, to quse querendo me mudar mesmo pra China hahahaha

    beijos,

    Responder
    • Adriana Miller - 27/05/12 - 08h52

      Se jogaaaa! :-)

      Responder
  13. Patricia A. - 07/11/12 - 15h57

    saiuuuuuu meu visto para a China….vou final de novembro!!! engolindo seu post!! bjs

    Responder
  14. Gabriel - 13/04/13 - 14h14

    “Entao se prepare passar na frente das pessoas, entrar no metro antes que todo mundo saia primeiro e etc.
    Coisas basicas da convivencia “civilizada ocidental”

    Você não mora em São Paulo, certo?

    Responder
  15. Liliana - 14/08/13 - 15h31

    Cá estou eu para te encher de perguntas mais uma vez, Dri. Ressucitei esse post só para perguntar do clima. O quão incômodo foi ir a China no auge do inverno? Estou com planos de ir as Filipinas e quero fazer uma parada estratégica em algum lugar antes. A idéia (e vontade) era ir ao Siem Reap, mas de novo não vai dar. Acho que Pequim vai ser mais viável logisticamente, mas estou meio assim com o frio. Planejamos ir no finalzinho de janeiro. Obrigada!

    Responder
    • Adriana Miller - 14/08/13 - 18h59

      Olha, o frio em Pequim foi o mais insano que já senti na minha vida!!! Só deu pra suportar porque pegamos dias ensolarados lindos, mas não teve uma única pessoa que não tenha repetido o quanto éramos sortudos de pegar aquele tempo (o que me levou a crer que os invernos poderiam ser bem piores) – e pimba, nosso último dia na cidade foi horroroso e nem sequer conseguimos sair do hotel (Aquele nevoeiro de poluição que vc não vê nada, tipo que pegamos em Xian, muito vento e chuva/granizo de destruir guarda chuva).
      Se tivessemos pego um inverno “normal” todos os dias que passamos por lá teria sido um desastre…
      Então ao mesmo tempo que “deu pra aguentar”, certamente não recomendo e muito menos repetiríamos a experiência.

      Responder
  16. […] desmistificando certas coisas e chegando as minhas proprias conclusoes: seja a comida na India ou o comportamento do Chineses. E claro, uma viagem ao Japao nao poderia ser […]

    Responder
  17. Georgia - 07/07/14 - 19h38

    Dri, como sempre seus posts são sensacionais.
    Estou tentando elaborar um roteiro para a China mas está difícil porque quero conhecer cidades pequenas e isso está ficando inviável.
    Mas queria saber se vc comprou as passagens internas de avião via agência ou no site da cia aérea.
    Obrigada, Beijos

    Georgia

    Responder
    • Adriana Miller - 08/07/14 - 09h48

      OI Georgia,
      Da uma lida nos posts iniciais do planejamento da viagem pra China (os links e nomes das agencias estam la!).
      Mas resumindo, os voos eu comprei direto no site da cia aerea, mas para viajar de trem, estrangeuros so podem comprar via agencia (e eh super dificil conseguir vaga! Nos nao conseguimos e acabamos tendo que comprar um voo de ultima hora).

      Responder
  18. Mariana Oliveira - 25/08/15 - 23h42

    Oi Dri!
    Qual foi o roteiro/itinerário que você fez para a China (incluindo Hong Kong e Macau)?
    Quero fazer as mesmas cidades que você e se der ir também ao Japão mais ainda não consegui entender qual a melhor logística (de qual cidade para qual).
    Poderia passar também quais foram as empresas aéreas usadas em cada trecho.
    Muito Obrigada! Seu blog é muito bom!
    Mariana

    Responder