10
Jun
2013
Avignon
Escrito por Adriana Miller

Avignon, pra mim, foi o ponto alto da viagem pela Provence!

Não tem os monumentos mais antigos, nem é um vilarejo pitoresco, mas tem aquela coisa da cidade moderna dentro da muralha medieval, um história intrigante e paisagens super fotogênicas!

A atração principal, sem sobra de dúvidas é o Palácio Papal – que além de ser considerado um dos maiores e principais edifícios Góticos da Europa, foi, como o nome indica, a residência oficial do Papa ao longo do século 14…

Tudo começou em 1309, quando o recém eleito Papa Clemente V (que era Francês), decidiu que Roma não era mais um bom ambiente para sediar a Igreja Católica, e então transferiu a sede da Igreja de Roma/Vaticano para Avignon.

No total foram 6 conclaves ao longo do século, até que em 1376 Gregório XI decidiu que a administração do Catolicismo deveria voltar ao Vaticano.

Mas ainda assim o Palácio Papal manteve sua função, pois mesmo depois do retorno da Igreja a Itália, entre 1378 e 1417, a Igreja Católica passou pelo período da “Grande Cisma”, onde não satisfeitos com o autoritarismo do Papa Italiano Urbano VI, um grupo de membros do Colégio de Cardeais decidiram revogar a eleição de Urbano e elegeram Clemente VII, que também foi Papa, porém em Avignon.

Portanto, durante 4 décadas, e 2 papas, o mundo teve 2 Papas, dividindo a fé Católica na Europa, e sendo apoiados e financiados por diferentes países e Reis/Rainhas.

Outro símbolo de Avignon é a ponte “Saint-Bénézet”, ou a “ponte pela metade” (pois o que sobrou dela só vai até metade do rio Rhône). Construída em 1117, o nome homenageia um pastor da região que teve uma “visão” e resolveu começar a construção da ponte por conta própria.

Do pouco que sobrou da ponte, a pequena capela de São Nícolas ainda esta de pé, que é a igreja símbolo do padroeiro dos pescadores e “marinheiros” que navegam o Rhône – e que portanto podem rezar mesmo estando dentro do rio.

Mas a cidade em si é enorme, e eu fiquei impressionada de como uma vez lá dentro das muralhas, o que vemos é uma cidade moderna – muitos prédios, uma universidade e construções de arquitetura recente.

Mas ainda assim Avignon conseguiu não perder o charme de cidade Francesa, com muitas ruelas e esquinas a serem descobertas.

O melhor ponto de partida para uma exploração da cidade é a praça “Place de L’Horloge”, onde fica a prefeitura e a casa de Ópera de Avignon – e enquanto você estiver explorando os arredores da praça ou curtindo uma dos cafés que se espalham na calçada, fique de olho dos prédios em volta, onde cada um deles tem uma janela “vedada” com a pintura de um personagem teatral: uma homenagem e lembrança de que Avignon é a capital do Teatro!

 

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Avignon, França, Provence, Viagens
9

9 Comentários em:
"Avignon"

  1. Stephanie - 10/06/2013

    Que viagem gostosa! Eu adoro a Franca, não conheço tantos países ainda mas sabe aqueles lugares que sempre fazem a gente soltar um suspiro? :)
    Continua escrevendo porque estou amando o relato dessa sua viagem com a baby mais viajada da blogosfera…hahaha

    Beijos!!!

  2. Ludmyla - 10/06/2013

    Confesso que tenho um certo “bode” da França mas esses posts tão me dando uma vontade de dar uma segunda chance. Acontece que nunca vi a França com bom tempo…parece praga. Mas sempre que chegávamos a França estava cinza e a locomoção entre porto e cidade é sempre muito complicado. Todo mundo que me pergunta se vale a pena fazer cruzeiro pela França eu digo que não porque as distâncias são meio complicadas…mas a idéia do aluguel da casa foi de “gênia”! Não sei de quem foi, mas foi o pulo do gato pra essa viagem conseguir pegar os melhores pontos da França + viagem entre amigos com família. Vou guardar na manga… :)

  3. Luciana - 10/06/2013

    Dri, estou tentando programar uma viagem com minha bebe de 3 meses antes de voltar a trabalhar, mas meu marido ainda está resistente à idéia! Queria saber como é que vocês tem feito com a rotina da Bella… Vocês passeiam o dia todo com ela e voltam pro hotel no horario certo dela dormir?

    • Adriana Miller - 10/06/2013

      Oi Luciana,
      Não sei se é sorte ou costume, mas desde o comecinho acostumamos ela a dormir em qualquer lugar – carrinho, cadeirinha do carro, colo, canguru…
      Nos primeiros meses/semanas era mais difícil, e as vezes ela ficava cansada demais e acabava não conseguindo dormir, mas hoje em dia ela dorme em qualquer lugar numa boa.
      Além disso, depois que ela passou a dormir a noite toda (mais ou menos com 5/6 semanas) ela dorme super pouco durante o dia, só meia horinha a cada 2 horas. Então nessa meia horinha colocamos ela no carrinho (ou canguru) e continuamos passeando, só tendo cuidado com lugares muito barulhentos ou coisas que poderiam assustar ela e acorda-la (por exemplo, em Avignon, como tem muita escada, aproveitávamos pra parar num café ou numa praça e descansar enquanto ela dormia, pra não sacudi-la demais subindo e descendo ladeiras e escadas).
      Então mantemos a rotina de comer-dormir-trocar fralda, mas sem as amarras de ter que voltar ao hotel pra dormir no berço.
      Apenas na hora de dormir a noite é que sempre voltamos pro hotel pra fazer todo o ritual banho-massagem-mamadeira, pois realmente se não fizermos isso ela não “reconhece” que é hora de dormir e acaba não dormindo tão bem a noite.

  4. Luciana - 10/06/2013

    Dri, obrigadissima pela resposta!
    A minha filha ainda acorda pra 1 mamada durante a noite e apaga rapidinho! Já tentei dar a mamada dos sonhos mais sempre foi um tragédia… Ela acaba acordando mais cedo do que se eu nao der… Então estou respeitando o tempo dela.
    Desde cedo eu a acostumei a dormir em qualquer lugar durante o dia, carrinho, bebe conforto, sofá, cama e berço… Ela também só da cochilos e por incrível que pareça dorme muito mais quando estamos na rua do que em casa! Por isso saio muito com ela com tranqüilidade.
    O problema é que todo mundo buzina nos ouvidos do meu marido que eu sou uma louca em querer viajar para fora com uma bebe… Questão cultural! Mas eu nao vou deixar minha filha. Pm ninguém, pois moramos em Brasília longe da nossa família, nem vou deixar de viajar… E agora meu marido está se convencendo…. Vou tentar passar uns 10 dias aí em Londres, pois já conhecemos e podemos explorar com tranqüilidade o que ainda nao vimos!
    Você tem alguma hotel ou flat pra me indicar, quem sabe algum que o pessoal da sua empresa se hospede? Pra mim precisa ser confortável pra nos 3…. Já sei que vamos acabar fazendo muita coisa de taxi por aí de taxi mesmo!
    Obrigada mais uma vez!

  5. Luciana - 10/06/2013

    Vixe! Meu comentário cheio de erros! Ainda nao aprendi a digitar bem com meu pacote no colo!

  6. Bruna - 11/06/2013

    Nossa, que lindas essas fotos, ai que vontade de conhecer também!!!

  7. Isaura Terra - 11/06/2013

    Adorei o post de Avignon,as fotografias estão fantásticas e deu para recordar tempos muito felizes…Encontrei o blog em 2011 numa pesquisa sobre Cinqueterre e foi de grande valor no planeamento dessa viagem.Quero estimular-te a continuares e tenho esperança que comeces a publicar guias de viagens com fotografias belíssimas.Desejo as maiores felicidades ao casal e muita saúde para a linda bébé!!!

  8. […] Durante o período Papal em Avignon, a região foi escolhida para a construção de um castelo de veraneio, onde o Papa pudesse se recolher durante os meses mais quentes. E com isso, surgiu a necessidade de uma produção de vinho de qualidade mais alta, já que na época os vinhos do vale do rio Rhône não eram considerados entre os melhores. […]