18 Dec 2014
6 comentários

Biscoitos de Natal

Com a barriga no fogao, Natal

Recentemente tenho recebido muitas reclamacoes de que a Tag de receitas “Com a Barriga no Fogao” esta abandonada demais…

Minha justificativa eh simples: simplesmente falta de tempo pra cozinhar nada muito elaborado – e principalmente falta de tempo de lembrar de tirar fotos, anotar receitas e afins.

Entao esse fim de semana fizemos uma receita bem rapida de biscoitos/cookies de Natal com a Isabella, e achei uma otima epoca pra publicar uma receitinha desse tipo por aqui!

Facil, rapido e da pra familia toda fazer junto – inclusive vamos repetir o evento na vespera de Natal, com uns amigos e seus filhos!

(Perolas da Isabella: ela ficou pedindo “Mais flores mamae”, sempre que queria masi farinha, por causa associacao com as palavras em Ingles, que tem a mesma fonetica – flower = flour)

A Isabella foi uma super ajudante – com direito a mini rolo de massa (que ela achou bem mais divertido ficar batendo no balcao da cozinha tipo uma bateria do que, de fato, enrolando a massa!) e mini cortadores de biscoito.

Ingredientes:

– Duas xicaras de farinha de trigo

– 1/2 colher de sobremesa de fermento

– Manteiga sem sal, em temperatura ambiente (um bloco/embalagem inteira)

– 1 xicara de acucar

– 1/4 de colher de cha de sal

– 1 ovo, temperatura ambiente

– 1 colher de cha de extrato de baunilha

Essa eh a receita basica, e emcima disso voce pode adicionar outras coisas como gengibre em po, cravo & canela (em po), raspas de laranja etc. Mas nos mentivemos nssa receita so no basico mesmo.

Modo de preparo

– Primeiro misture todos os ingredientes secos numa tigela, e misture bem (menos o acucar).

– Em uma tigela separada, com uma batedeira, misture a manteiga com o acucar ate a mistura estar homogenea e fofinha. Depois adicione os ovos e o extrato de baunilha.

– Junto todos os ingredientes e misture. Voce pode usar a batedeira, mas depois de um certo ponto, ficar mais facil misturar com as maos e “sovar” bem a mistura (fica bem grossa, como se fosse uma massa de pao).

– Enrole a massa em papel filme e coloque na geladeira por cerca de 1 hora. Eh importante que a manteiga endureca de novo, para que a massa seja “cortavel” no formato dos enfeites de natal.

– Ao retirar a massa da geladeira, pre aqueca o forno a 180 graus.

– Depois que a masa estiver firme, retire da geladeira e etique bem com um rolo de massa (usando farinha ou acucar de confeiteiro para nao grudar na bancada). O ideal eh que a massa fica com mais ou menos 1/2 centimetro de grossura. Mais fino que isso fica dificil de cortar e assa muito rapido, e mais grosse que isso, os biscoitos ficam massudos demais.

– Corte os biscoitos no formato preferido usando moldes de biscoito ou com uma faca afiada e leve-os ao forno por cerca de 5 a 10 minutos, ate levemente corados (o tempo vai variar de acordo com a espessura de cada biscoito).

– Deixe os biscoitos esfriarem antes de enfeitar.

(Eu assei os nossos cookies usando aqueles papeis proprios para assados, assim nao precisei untar as formas e nem me preocupar com biscoitos grudados. Mas se voc enao encontrar nada parecido na sua cidade, basta untar um pouquinho a forma de assar para que eles soltem com facilidade – se nao poderao quebrar facilmente durante o processo de “desgrude”!)

Claro que enfeita rnao eh obrigatorio, e nas receitas mais tradicionais Americanas, eh praticamente impossivel achar todos os ingredientes nos supermercados ao redor do mundo. Aqui na Inglaterra achamos misturas de “icing” (cobertura feita de acucar) ja prontas em supermercados tipo Tesco e Sainsbury’s, mas ainda assim nao fica tao facil de decorar quanto a versao Americana.

Mas a verdade eh que depois de tentar decorar alguns, desistimos e preferimos comer os biscoitos assim mesmo!

A Isabella adorou a brincadeira e vamos repetir a dose na vespera de Natal – manda a tradicao que voce deixe um pratinho de cookies pro Papai Noel por perto da Arvore, para que ele possa fazer um lanchinho depois de deixar seus presentes!

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
6 comentários
15 Dec 2011
44 comentários

Receita: New York Cheesecake

Com a barriga no fogao

Na festa de Natal que damos anualmente aqui em casa eu sempre faço um peru assado e alguma sobremesa. Ano passado fiz uma Banofee Pie e uma torta de limão. Então esse ano resolvi fazer uma Pumpkin Pie e um Cheesecake, que é uma das pouquíssimas sobremesas que o Aaron gosta.

E nossa, como ficou bom meu Cheesecake esse ano! Eu já tinha feito outras vezes, tentei outras receitas… as vezes ficavam com um gosto de creamcheese muito forte, ou então ficavam ressecadas, ou não ficavam solidas o suficiente. Mas com o tempo fui misturando uma receita aqui, outra ali, e fazendo umas adaptações, até que cheguei ao processo que finalmente acho que fica um cheesecake perfeito!

É um processo demorado, apesar de não dar muito trabalho. E o segredo é justamente não ter pressa. É uma torta para uma ocasião especial, e não um bolo que voce bate de ultima hora.

Os ingredientes são o seguinte:

– 4 emabalagens de creamcheese em temperatura ambiente, 200gr cada (eu uso Philadelphia tradiconal, nada de usar a versão light)

– 1 xicara e meia de açucar

– 3/4 de xicada de leite

– 4 ovos inteiros

– 3/4 de xicara de Sour Cream (o equivalente Brasileiro talvez seja o creme de leite)

– 1 xicara de leite condençado

– 1 colher de cha de extrato de baunilha

– 3 colheres de sopa de farinha de trigo

– Base de torta (eu uso biscoito maria triturado com manteiga)

O segredo do modo de preparo é bater tudo a mão. Eu até misturo os primeiros ingredientes (cream cheese e açucar) com a batedeira por alguns segundos, mas o resto vai no braço mesmo. E depois de ler e reler várias receitas e feedbacks em receitas, aprendi que o segredo de um bom cheesecake é não bater demais a massa, oque muda a textura do creamcheese e acaba deixando a massa ressecada e esfarelenta.

Então pra preparar é assim:

O primeiro passo é bater os 4 pacotes de creamcheese com o açucar – pode ser com a batedeira eletrica por alguns míseros segundos, mas de preferencia com uma colher de madeira ou um “wisk” manual.

Depois adicione o leite, e comece a adicionar os ovos, um de cada vez, misturando tudo bem lentamente. Depois adicione o sour cream e o leite condençado (um de cada vez e misturando tudo bem lentamente). Por fim misture o extrato de baunilha, e adicione a farinha por ultimo, para não empelotar.

O forno deve ser pré-aquecido a 180 graus, e coloque a base de sua torta e a massa do chessecake numa forma redonda de fundo removivel.

E aí entra mais um truque do cheesecake perfeito: a torta deve ser assada em banho-maria, para que o recheio asse por igual e mantenha a textura cremosa e umida da massa.

Então coloque um recipiente com agua fervendo no fundo do forno e verifique que sua forma de fundo removivel é vedada e não vai vazar agua pra dentro da torta (a minha não é 100% vedada, então em embalo a forma toda em papel de aluminio no fundo e dá certo.

Coloque a forma e o recipiente com agua fervendo no forno a 180 graus, ligue seu timer para 1 hora e esqueça da vida.

A torta vai assar por 1 hora, sem abrir a porta do forno nem mexer em nada, e quando os 60 minutos acabarem, simplesmente desligue o forno e deixa a torta la dentro, por umas 6 horas (eu deixo a noite toda) para que ela vá esfriando gradualmente e se solidifique aos poucos.

Por fim, deixe a torta na geladeira algumas horinhas, mas eu prefiro servir o cheesecake na temperatura ambiente (mas tambem gosto da torta gelada).

Voilá! Foi a unica sobremesa da festa de natal que não sobou nem um pedacinho pra contar historia!

Para servir eu também fiz uma compota com frutas vermelhas (frutas vermelhas congeladas + açúcar e agua ate caramelizar).

 

 

Adriana Miller
44 comentários
28 Nov 2011
31 comentários

Pumpkin Pie: receita da torta de abobora

Com a barriga no fogao, Pittsburgh, USA

Uma das coisas que eu estava mais na expectativa na viagem aos EUA era comer torta de abóbora! Talvez não tão animada quanto as compras da Black Friday… mas a Pumpkin Pie estava lá no topo da lista!

E um dos motivos pelo qual eu gosto tanto é porque a torta me lembra muito o doce de abóbora que minha mãe costumava fazer…

Como alguns leitores me pediram a receita aqui nos comentários e no Twitter, achei que seria uma boa oportunidade pra resgatar essa “categoria” que ficou tão abandonada em 2011…

A receita é facílima de fazer… o unico problema é que o ingrediente principal é quase impossível de achar fora dos EUA! E esse ingrediente é o recheiro “artificial” de abobora em Lata!

E nem adianta tentar subistituir pela abobora natural, por doce de abobora e afins (já tentei todas as variações “não-enlatadas” e todas ficaram MUITO ruins…) pois infelizmente não funciona.

E quando eu contei pra minha sogra e cunhada (e alguns colegas Americanos) que eu tinha tentado fazer torta de abobora com abobora de verdade…?! Caras de nojo sem fim…. acho que seria o equivalente a dizer pra um Brasileiro que você vai fazer feijoada usando o feijao enlatado Ingles!

Mas caso você consiga achar a abóbora em lata na internet ou em alguma loja de importados (pra quem esta na Inglaterra, nessa epoca do ano a Amazon.co.uk vende as latas Libby’s), a torta é super simples e facil de fazer:

Ingredientes:

– 1 lata de abóbora (425gr)

– 1 lata de leite evaporado (imagino que funcione com leite condensado também, mas nunca tentei)

– 2 ovos

– 3/4 de xícara de açúcar

– 1 colher de chá de canela

– 1/2 colher de chá de gengibre em pó

– 1/4 de colher de chá de cravo em pó

– Para a massa/fundo da torta você pode usar uma já pronta, ou usar a dessa receita aqui (feita com biscoito maizena/maria)

Preparo:

Misture todos os ingredientes secos (açucar, canela, cravo e gengibre), e bata os ovos inteiros (com um garfo mesmo, como se você fosse fazer um omelete).

Primeiro misture os ingredientes secos com a abóbora em lata, depois acrescente os ovos batidos, e por fim o leite evaporado.

Coloque numa forma de torta com fundo removível, e leve ao forno por 15 minutos a 220 graus (celcius) e sem tirar a torta do forno, reduza a temperatura para 180 graus por mais 45 a 50 minutos (até o centro da torta estar firme).

E pronto, é só deixar esfriar! (eu prefiro a torta já dormida, depois de passar a noite na geladeira!)

Mas cuidado, porque essa torta é viciante!

 

Adriana Miller
31 comentários
16 Dec 2010
69 comentários

Peru Assado – a receita

Com a barriga no fogao, Natal

Vou bater o recorde de receitas publicadas no blog, apenas essa semana!


Mas como algunas de voces me pediram algunas dicas de como assar um peru de natal, aquí estao meus “truques”, que tem dado certo todos esse anos! E modestia parte, fica sempre uma delicia! (ia fazer uma piadinha infame sobre o peruzao la de casa, mas como esse eh um blog de familia e meu pai eh meu leitor numero um, vou deixar a piadinha para la…!).


Existem algunas regrinhas simples sobre como assar um peru, mas de resto eu faco tudo no olhometro. Desculpe quem precisa de instrucoes mais certinhas para cozinhar, mas meu estilo eh mais “pocao magica” (um pouco disso, uma pitada daquilo….) que na maioría das vezes da certo, mas outras vezes nao.
Porem o tamanho do bicho e o tempo dentro do forno tem que ser milimetricos, se nao, ja era.

Sobre o tamanho do peru, calcule uma media de 300/400 gramas por convidado. O peru de sabado, por exemplo tinha um pouco mais de 8 kilos – fiz as contas para uma media de 20 pessoas, sabendo que provavelmente ia sobrar um pouco.


Aqui esta uma tabelinha que ajuda a calcular quanto tempo vc deve deixar o peru assando, com a temperatura na media dos 150 a 180 graus (centigrados).


Ah! Outra coisa importante! Se vc comprar um peru congelado, saiba que ele TEM que estar totalmente descongelado na vespera do jantar (pois tempero tudo na vespera), e para evitar que a carne congelada atrase o tempo de forno, ou que impeca que a carne absorva os temperos, ou (pior!) estrague antes da hora, eh bom respeitar o prazo de 24 horas para cada 3 kilos de carne, sempre dentro da geladeira! Se mesmo assim nao deu tempo de descongelar totalmente, basta deixar o bicho na agua corrente (fria) por algunas horas – 30 minutos embaixo de agua corrente para cada kilo de carne congelada.


Entao uma vez que o peru esteja totalmente descongelado (na vespera – por isso que ele nao morreu na vespera!), eu faco o seguinte:
–       Limpar totalmente o peru, por dentro e por fora; retirar todos os miudos de dentro das cavidades (eh nojento, mas vai com feh e enfie sua mao la dentro – o Aaron sempre fica horrorizado!), e caso o bicho ainda tenha algum resto de penas e tals.
–       Coloque o peru, de peito para baixo (jah que o peito eh a carne mais seca e mais difícil de temperar e dar algum gosto), Numa bacia grande suficiente para cobrir o peru todo, ou no minimo toda area de peito e coxas.
–       Num recipiente separado, eu misturo: Agua e MUITO sal grosso, para fazer um “brine” – ou seja, usando as leis da quimica a seu favor, e dessa foram, o H2O da carne do peru vai ser obrigado a absorver a agua e sal da sua mistura por osmose! Genial, neh? Li isso numa revista de culinaria e nunca mais esqueci! Da super certo! E alem da agua com sal, eu vou misturando tudo quanto eh tempero que vir pela frente: molho Ingles (Worcestershire sauce), paprika, pimenta do reino, alho, aquelas misturas prontas para temperar carne etc. Misturo tudo e e jogo no peru, ate a gua/mistura encher a bacia e cobrir os peitos e coxas do peru. Vede tudo com um plastico (se nao sua geladeira vai passar dias fedendo a alho) e deixe a noite toda marinando. As vezes eu coloco vinho branco na mistura tambem!


–       No dia seguinte, antes de retirar o peru de sua mistura osmotica de temperos, prepare a manteiga de alho: 2 pacotes de manteiga com sal, 2 cabecas de alho (a intencao eh que seja muito alho mesmo) e ervas frescas: eu sempre coloco manjericao fresco, salsinha fresca, oregano fresco, e oque mais achar no supermercado (sempre fresco). Coloco tudo no triturardor ate ficar uma pasta bem lisa e verde!
–       Entao vem a parte mais complicada, mas mais importante! O truque para carne nao secar enguanto assa, eh colocar essa mistura de alho com manteiga entre a pele e a carne do peru, sem rasgar a pele. A tecnica eh o seguinte: com um faca pequena e semi-afiada, corte a gordura que fica embaixo da pele do peru na parte que a pele fica solta em cima da abertura da cavidade da barriga do bicho (peito para cima e pernas escancaradas). Uma vez que voce der um cortezinho na gordura, basta enfiar as maos e a pele vai soltando facil, facil! Soh tome cuidado para nao esticar demais e romper a pele! Entao va separando a pele da carne ate chegar no fim do peito (meu braco entra praticamente ate o cotovelo no bicho!), e faca isso nos dois lados.


–       Com a pele separada, com uma colher empurre a mistura da manteiga embaixo da pele do peru. Nao economize e preste atencao se a manteiga esta chegando ateeeeee la no final mesmo! Oque sobrar, espalhe por cima da pele do peru, para dourar a pele do peito e das coxas. Se vc quiser, pode colocar umas fatias de bacon por cima tambem.
–       Se vc fizer um “stuffing”, essa eh a hora de rechear o peru e ele estara pronto pro forno!


–       Pro peru assar por igual, sem ressecar, eu uso duas tecnicas, ambas eficaces, mas uma muuuuuito mais simples que a outra. A primeira, e mais “medieval” eh colocar o peru no forno coberto por papel de aluminio, e soh retirar a cobertura na hora final de assar, para dourar a pele. Alem disso, a cada meia hora do tempo de “assamento” vc tem que regar (basting) a carne do peru, com o propio molho que esta derrentendo dele. Voce pode usar uma boa e velha colher para fazer isso (cuidado para nao se queimar) ou usar um “baster” (que aprece um conta gotas gigante).

Poreeeem uma outra tecnica muito mais moderna que eu descobri ano passado, e deu tao certo que agora eu vou usar sempre, eh comprar no supermercado um “roasting bag“, que eh um saco plastico especial para assados! Basta colocar o peru (ou qualquer outra carne) ali dentro, vedar direitinho conforme as instrucoes, e esquecer da vida!

Esse saco eh feito de um material especial que deixa o peru “respirar” dentro do forno, mas sem secar, e ele vai assando por igual, no vapor se seu propri tempero. Da muito, muito certo! Nao sei se vende em outros paises, mas vale a pena procurar! Com um roasting bag a mao de obra de assar um peru reduz 90% (porque eh um saco ter que ficar “regando” a carne a cada 30 minutos, durante 4 horas! La se foi sua tarde!).

–       E pronto! Nao tem misterio! Eh soh respeitar o prazo de assar o peru de acordo com o tamanho do bicho, e ficar de olho… se a pele comecar a ficar muito dourada muito cedo, basta diminuir um pouco a temperatura e ir regulando.

Bem, tentei explicar o maximo possivel minha metodologia racional-olhometro na hora de preparar o peru assado – e geralmente faco o mesmo processo quando asso frango ou outras carnes.

Se alguem for se arriscar e quiser esclarecer alguna duvida a mais, eh soh avisar!

Adriana Miller
69 comentários
14 Dec 2010
48 comentários

As estrelas da noite

Com a barriga no fogao, Natal

Esse fim de semana rolou mais uma “edicao” da festa de natal que fazemos la em casa todo os anos. E como sempre, a estrela da noite ficou por minha conta: Assar o peruzao de Natal!

Da um trabalho dos diabos, mas eu A-DO-RO todo o processo! Escolher o maior peru da Loja, temperar com dias de antecedencia, deixar assando por 5 horas no dia da festa…
E o melhor eh sempre, sempre comer um peru delicioso, que deixa nossos amigos ja planejando a festa do ano seguinte!

E esse ano, alem do peruzao tambem fiz duas sobremesas: uma torta de limao com merengue e a tridiconal Banofee Pie Inglesa (que de Britanica nao tem nada!).
O sucesso foi grande e para minha surpresa nao sobrou quase nada!! Oque significa que o resultado foi bom!
Entao como nao faco posts com receitas amuito tempo, esse vai ser um post especial com a receita das sobremesas de Natal!

Banofee Pie

A torta Banofee eh considerada uma das sobremesas mais “tradicionais” aquí na Inglaterra. Mas depois de provar pela primeira vez, fiquei meio confusa, porque a torta nao tem praticamente nenhum ingrediente que seja tipico Britanico!
Essencialmente eh uma torta de Banana com caramelo (Banana + Tofee = Banofee), mas eu resolvi dar um toque especial e mudei o ingrediente principal – em vez de usar um caramelo insosso de lata, fiz meu proprio doce de leite! Ficou TAO bom, mas TAO bom que comi uma das latas de doce de leite inteirinha sozinha, de colherada! (e a torta ficou consideravelmente menor, já que cortei os ingredientes pela metade…!)

Ingredientes:

–       3 Bananas ainda meio verdes (bem durinhas)
–       1 lata de leite condencado
–       1 Pacote de biscoito maizena (que aquí usei os Digestives)
–       ½ pactote de mantenga sem sal
–       4 ovos (soh as claras)
–       1 xicara de acucar de confeiteiro

O primeiro passo e mais demorado eh fazer o caramelo – eh demorado mas nao eh nada complexo. Eu resolvi usar doce de leite em vez de caramelo, e a torta ficou um zilhao de vezes melhor. Entao basta colocar sua lata de leite condencado para cocinhar em agua fervente por 2 horas e meia e voila.

Quando o doce de leite estiver na temperatura ambiente, corte as bananas em rodelas (nao muito finas, para nao ficar se desfazendo) e misture tudo.

Num processo separado, triture o pacote de biscoito Maizena (ou Digestives, ou Maria, ou qualquer outra bolacha que seja neutra), e quando estiver bem farelento, misture com a mantenga sem sal em temperatura ambiente ate formar uma “massa”. Use essa massa para forrar o fundo da forma de torta.


Depois eh soh colcar a mistura Banofee na forma e preparar a cobertura.


Eu decidi fazer uma cobetura de merengue, mas ja vi essa torta sendo servida com chantilly (que eu nao gosto) e creme de leite (que eu tambem nao gosto), entao achei que o merengue ia dar uma carinha bonitinha sem ficar muito enjoativo!


Preparar merengue eh facil, facil!

Coloque as 4 claras (geladas) num pote e bata com uma batedeira eletrica ate elas triplicarem de tamanho (no olhometro) e ficarem bem durinhas. AI basta adicionar o acucar de confeiteiro (tambem usei o olhometro) ate a clara ir ficando mais “cremosa” e com aspecto “brilhante”.


Ai eh so espalhar por cima da torta ja na forma, com cuidado para nao desmanchar tudo, e levar ao forno (150 graus) por uns 10 ou 15 minutos, ou ate o merengue ficar douradinho por cima da torta! (cuidado pra nao fazer como eu e esquecer a torta no forno… o merengu ficou meio moreninho demais…)

E voila!

Mas como nao sobrou nem um pedacinho sequer pra contar historia, nao rolou nenhuma foto da torta já pronta…

Torta de Lima

Essa torta pode tambem ser feita com o limao verdinho, mas eu usei a lima amarela porque eh mais facil de achar aquí, e eh menos acida – oque deixa um sabor mais suave em sobremesas.

Ingredientes:
–       1 Iata de Wipping cream (creme de leite fresco)
–       2 latas de leite condencado
–       Suco de 6 limas
–       1 colher de café de extrato de baunilha
–       1 pacote de biscoito Maizena
–       4 ovos (soh as claras)
–       1 xicara de acucar de confeiteiro


Para fazer a base da torta, eh o mesmo processo que descrevi acima. Triturar o biscoito, misturar com manteiga e forrar a base da forma.

Para fazer o recheio, comece pelo Wipping Cream, e bata com uma batedeira eletrica ate o creme ficar mais grosso e durinho (mas cuidado para nao passar do ponto e qualhar tudo!). Ai basta acrecentar o leite condencado e continuar batendo tudo, ate a mistura ficar homogenea e mais grossinha. Ai eh soh adicionar o suco de limao e o extrato de baunilha.

Quando estiver tudo misturado, coloque na forma, ja forrada com a massa de biscoito.

Por fim, faco o merengue – mesmo processo da receita de cima: Coloque as 4 claras (geladas) num pote e bata com uma batedeira eletrica ate elas triplicarem de tamanho (no olhometro) e ficarem bem durinhas. AI basta adicionar o acucar de confeiteiro (tambem usei o olhometro) ate a clara ir ficando mais “cremosa” e com aspecto “brilhante”.


Ai eh so espalhar por cima da torta ja na forma, com cuidado para nao desmanchar tudo, e levar ao forno (150 graus) por uns 10 ou 15 minutos, ou ate o merengue ficar douradinho por cima da torta!

E voilá! Aqui esta a torta prontinha…

E o unico pedaço que sobrou…

Adriana Miller
48 comentários
Página 1 de 512345