29 Jul 2015
0 Comentários

Vinhedo Ackerman – Degustacao de vinho no Vale do Loire

Dicas de Viagens, Europa, França, Saumur, Vale do Loire

Uma viagem a Franca que se preste nao pode deixar que incluir uma sessao de degustacao de vinhos locais…

Quando estivemos na Provenca uns anos atrás tivemos o privilegio de conhecer Chateauneuf du Pape, entao sabíamos que na regiao do Loire queríamos conhecer algum vinhedo igualmente prestigiado e histórico. Apesar de que a regiao eh reconhecida mais por seus castelos, nao poderiamos deixar passer a oportunidade de fazer uma degustacao de vinho no Vale do Loire tambem!

Degustacao de vinho no Vale do Loire

Assim como varias outras regioes da Franca, o Vale do Loire produs vinhos excelentes, e a regiao de Saumur se destaca pelos vinhos espumantes, amadurecidos nas cavernas de calcario no leito do rio.

E o interessante do “vinho espumante” do vinhedo Ackerman eh a historia por tras deles: Eh gracas ao Monsieur Ackerman um Franco-Belga comerciante de vinhos da regiao de Champagne que teve a brilhante ideia de comprar uns terrenos e umas cavernas no Loire e desenvolver sua propia producao.

Wine machine at Ackerman

Sua meta era provar que com as uvas corretas e a metodología correta ele conseguía produzir um vinho ainda melhor do que aquele de seus clientes usuais, ja que ele nao conseguiu se inserir no mercado fechado (e ja estabelecido) da regiao de Champagne.

Ate entao Champagne era conhecida por seu vinho espumante, mas nao existia a denominacao nem area controlada de “Champagne” – entao Ackerman comprava as uvas da regiao, produzia o vinho em Saumur, amadurecia nas cavernas do Loire e produzia um vinho de qualidade superior, por um preco inferior.

Ackerman posters

Bem, tdo mundo ja sabe o final da historia ne? O sucesso de Ackerman enraiveceu os produtores e as familias tradicionais de Champagne, que logo logo entraram com um proceso e estabeleceram a primeira regiao de origem controlada da Franca, e a partir de entao, nenhum vinho espumante produzido fora da regiao geográfica de Champagne poderia se denominar “Champagne”.

Degustacao de vinho no Vale do Loire

A guerra judicial ainda durou mais algumas décadas e outras geracoes de familias (Ackerman e as de Champagne), mas a medida que outras areas de origen controlada foram surgindo na Franca (nao so para vinhos, mas para praticamente todos os produtos Franceses!) e as leis e regulamentacoes ficaram mais restritas, Ackerman perdeu a briga e trocou sua marca e sua imagen para “Vinho branco de Saumur” (bem menos conhecido e reconhecido no mundo!).

Ackerman

O proceso da fabricacao de vinho espumante eh fascinante, com uma tour pelas cavernas originais de Ackerman, instaladas em Saumur e mostrando todo proceso de producao de champagne, e caprichando nas mencoes históricas.

Vimos todo passo a passo de como vinho espumante era produzido no seculo 18 e como eh produzido agora, as misturas permitidas de uvas e o proceso de fermentacao.

Something for everyone

E claro, terminando com uma degustacao completa dos vinhos produzidos pela marca e como misturar certos sabores e aprender a saborear ainda mais cada tipo de vinho, alem de outras linhas de vinhos tintos, brancos e roses, incluindo vinhos produzidos com a uva Chenin, típica dassa regiao sudoeste do Loire (devido ao solo do leito do rio) e considerada uma das melhores uvas da Franca.

Enologia eh uma arte/ciencia fascinante e nunca serei expert em vinhos, mas adoro conhecer novas marcas, regioes e técnicas, e Ackerman nao decepcionou – principalmente com sua lojinha no final da degustacao com todos os vinhos da marca a preco de custo! Oh, la felicte!

Ackerman wine bottles

Degustacoes podem ser agendadas diretamente com eles, pelo website e nao dura mais que algumas horinhas da sua tarde. (fizemos depois de um castelo, e antes de sair pra jantar em Saumur mesmo).

A sede do vinhedo ficava convenientemente a 5 minutos do nosso hotel, e outra boa opcao de caves para degustacao eh a Bouvet Ladubay, o vinhedo original da familia que tambem construiu o palalcio onde ficamos hospedados na cidade (eles fazem um tour-degustacao com passeio de bicicleta pelas cavernas que deve ser o maximo!)!

 

Ackerman

19 Rue Léopold Palustre, 49412 Saumur

 

Planejando uma viagem para o Vale do Loire?

Aqui você encontra todas as dicas e recursos para planejar sua viagem, e podemos cuidar dos detalhes práticos para você:

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
0 Comentários
09 Jul 2015
8 comentários

Restaurante Les caves de la Genevraie – as cavernas Trogloditas do Vale do Loire

Dicas de Viagens, França, Saumur, Vale do Loire

Tao bizarro escrever sobre os Trogloditas da Franca, pois em Portugues essa palavra tem uma conotacao tao estranha ne?

Afinal, qual a primeira coisa que te vem a cabeca quando se fala em Trogloditas?

Bem, sua conclusao provavelmente esta errada, pois os Trogloditas, pelos menos os da Franca do seculo 11 nada mais eram do que plebeus que habitavam essa regiao do vale do Rio Loire (sobretudo na regiao de Saumur), e como meio de sobrevivencia, habitavam em cavernas.

Nao se sabe exatamente porque ese costume comecou, mas tudo leva a crer que as caverna nas rochas do leito do rio Loire ofereiam opcoes seguras e baratas de moradia, para uma populacao que vivía permanentemente em estado de miseria e a merce do clima, guerras, fome e seus senhores feudais.

15807323479_88026db37b_z

A maioria das cavernas que sobraram dos Trogloditas Franceses estao na regiao de Saumur, onde nos ficamos hospedados no Loire, pois por ali as rochas esbranquicadas do leito do rio eran as mais procuradas para as construcoes dos castelos e palacios da regiao, entao a maioria da populacao trabalhava em minas  de extracao de rochas – entao a moradia nas caveras resultantes dessa extracao foi uma consequencia natural.

Alem disso, rapidinho eles descobriram que as cavernas de limestone, conjugado com a umidade natural do leito do rio eran as condicoes perfeitas para o amadurecimento de vinho branco e para o cultivo de cogumelos (champignon Frances) – eu nao tinha a menor ideia, mas Saumur eh responsavel pela producao de mais de 50% dos cogumelos consumidos na Franca!

15805939668_5692ec0601_z

No comeco do seculo 20 a comuniade de trogloditas da regiao foi se dissolvendo aos pouco, e as cavernas abandonadas em prol de moradias mais convenientes e modernas – mas hoje em dia ainda existem uma infinidade de vilarejos e casas trogloditas que aos poucos estao sendo transformadas em hoteis e restaurantes, entao queríamos muito conhecer um por dentro!

E como estavamos ali perto, escolhemos o restaurante Les caves de la Genevraie a cerca de 20 minutos do nosso hotel, construido numa antiga vila Troglodita e que mantem a tradicao dos fornos a lenha e serve apenas a comida tradicional desse sub-cultura Francesa!

O prato principal eh o Fuee, um pao feito na hora e assado no forno a lenha da caverna, servido com recheios variados, feitos de cogumelos e carnes, e que formavam a dieta básica do dia a dia das familias trogloditas.

As cavernas sao absolutamente fascinantes, realmente um mundo subterráneo, e eh difícil imaginar que familias e comundades inteiras moravam ali, naquele emaranhado de corredores, com diferentes ambientes, escadas, cozinhas, areas de congregacao e tudo mais que uma comunidade precisa para co-habitar.

E o restaurante tira otimo proveito disso e re-cria uma experiencia super interesante e única!

As mesas sao espalhadas em diferentes ambientes das cavernas, somente iluminados por luz de velas (assim como era desde o seculo 11) e aquecidos por fornos a lenha e fogueiras.

A refeicao eh servico seguindo a tradicao Troglodita, e tendo como base o pao Fuee e as carnes, que eram os principais ingredientes disponiveis a populacao.

Eu pedi para conhecer o resto da caverna, e prontamente me deram um tour guiado ate a cozinha, e pude asistir o proceso de assar o pao Fuee direto na brasa (por isso eh tao gostoso!!) e pasar por outras areas e corredores.

Muito, muito interessante!

A experiencia valeu demais a pena, e foi tao diferente de tudo que fizemos na Franca e imaginamos que seja o “típico” do país!

A pesar de termos ido na baixa temporada, o restaurante estava bem cheio, entao acho que fazer reserva eh sempre recomendavel!

Les caves de la Genevraie 

13 rue du musée

49700 Louresse-Rochermenier

+33 2 41 59 34 22

P.S: Obrigada a organizacao “Pays de la Loire” pelo convite e sugestao de restaurante.

Planejando uma viagem para o Vale do Loire?

Aqui você encontra todas as dicas e recursos para planejar sua viagem, e podemos cuidar dos detalhes práticos para você:

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
8 comentários
07 Jul 2015
0 Comentários

Vale do Loire: Abadia de Fontevraud

Abadia de Fontevraud, Dicas de Viagens, Saumur, Vale do Loire

A Abadia de Fontevraud foi um dos passeios que nao estava originalmente planejado na nossa viagem ao Vale do Loire – mas depois que nos foi sugerida pelo dono do hotel onde nos hospedamos, como sendo um atracao incrivel e bem pertinha de Saumur, decidimos esticar nosso passeio ate la numa tarde em que tinhamos um pouco de tempo de sobra (da vantagens de passar bastante tempo num lugar sem planejar mil coisa ao mesmo tempo! Vivendo e aprendendo!).

15805763508_8439cd1ae8_z

A Abadia original foi contruida entre 1.110 e 1.119, com a intencao de abrigar uma nova ordem de monges e freiras, que cederam seu nome ao edificio: a Ordem de Fontevraud.

15967371326_b7712243e1_z

A orden rápidamente ganhou adeptos do alto escalao Europeu, e muitos reis e rainhas buscavam conforto e refugio em seus corredores, e muitas criancas reais de toda Europa eran enviadas para Fontevraud para estudarem e receberem uma “educacao Francesa”, incluindo as 4 filhas do rei Frances, Louis 14.

15805742658_aabd23c516_z

A arquitetura do complexo do monasterio eh impresionante, com tetos absurdamente altos, torres perfeitamente simetricas e corredores a perder de vista.

15992454122_d2863b2c76_z

Mas um dos principais atrativos esta dentro da nave da igreja principal: eh aqui que estao enterrados os corpos da Rainha Isabella de Angoulême, o Rei Henrique II e o rei Richard, Coracao de Leao.

Mas o que eu gostei mesmo foi da cozinha da Abadia – um conjunto de chamines e torres que abrigavam os muitos fogoes e fornos que alimentava as centenas de pessoas que um dia moraram ali.

15805874120_d2024a00b7_z

Por fora a construcao parece um orgao de uma catedral, um desenho lindo cheio de contrastes esculpidos na pedra – enquanto que la dentro fiquei imaginando e fantasiando a loucura que nao deveria ser o dia a dia naquele lugar.

Porem a Abadia teve seus días contatos durante a Revolucao Francesa no seculo 17, quando foi confiscada pelos revolucionarios e a orden de Fontevraud aniquilada.

15993162215_fc4d633677_z

A maioria dos moveis, joias e reliquodas da igreja e aposentos foram destruidos e roubados (como eh muito comum em monumentos Franceses pre-Revolucao), nao sobrando quase nada de original para contar historia.

Mas para nao desperdicar o espaco e aestrutura, Napoleao transformou a Abadia em prisao, e a estrutura chegou a abrigar cerca de 2.000 prisioneiros de cada vez, incluindo homens, mulheres e criancas – toda e qualquer pessoa que se opusesse aos ideias da revolucao, e eh históricamente considerada a prisao mais cruel da historia da Franca.

15807433757_6b02d08589_z

15807436507_d7f37fc311_z

O que mais impressiona eh que somente na década de 60 a Abadia foi devolvida ao ministerio da cultura Frances, que encerrou as operacoes da prisao e comecou uma obra de restauracao e reconstrucao da Abadia, que so foi conlcuida e reaberta ao publico recentemente.

E ano pasado eles tambem inauguraram um novo hotel de luxo la dentro, reutilizando parte da antiga estrutura dos aposentos do monasterio, e trazendo ainda ais turistas par a regiao.

15805905830_9f4e976659_z

O hotel conta com 54 quartos que usam materiais naturais e provenientes da regiao de Saumur apenas, alem de empregar somente mao de obra local – como uma maneira do governo e investidores de re-injetar a economía local e trazer mais desenvolvimento para a sociedade (que sofreu as penas da vizinhanca da prisao por tanto tempo).

No dia que fomos ate la, tinhamos planos de jantar no novo restaurante do hotel, que tinha aberto bem naquele mes em que estavamos na Franca, o que acabou nao dando certo, pois eles nao abrem as segundas feiras! Mas fica a dica, para quem estiver procurando por novas opcoes de hospedagem e restaurantes na area!

 

Fontevraud L’Abbaye Royale

90 Fontevraud-l’Abbaye, France

 

E Hotel: Fontevraud L’Hôtel

 

Planejando uma viagem para o Vale do Loire?

Aqui você encontra todas as dicas e recursos para planejar sua viagem, e podemos cuidar dos detalhes práticos para você:

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
0 Comentários
Página 1 de 212