02 Nov 2011
30 comentários

Rye, East Sussex

Day Trip, Dicas de Viagens, Inglaterra, Rye, Viagens pelo UK

Para aproveitar um sabado de sol, durante uma das estacoes mais bonitas do ano na Inglaterra (outono!), fomos passar o dia em Rye com um casal de amigos (e sua cadelinha Vella).

Rye eh uma micro cidadezinha no sudoeste da Inglaterra, no condado de Sussex, e eh daquele tipico lugar que nao poderia estar em mais nenhum outro pais do mundo – soh na Inglaterra!

Passar um dia (ou varios) em Rye eh como viajar no tempo, e se sentir numa cidadezinha medieval saida diretamente dos livros de Jane Austen, ou Beatrix Porter, Ken Follett ou ate mesmo do Harry Potter! Rye poderia facilmente ser uma cidade cenografica!

O mais importante a saber sobre Rye eh sua importancia historia, que esta diretamente ligada a sua posicao geografica: Rye esta na ponta leste de Sussex, e eh a “entrada” do Canal da Mancha, e durante muitos seculos foi membro honorario da confederacao do “Cinque Ports“, que eram as cidades costeiras mais importantes da Inglaterra, tendo responsabilidade de proteger o pais de invasores, alem de grande importancia comercial.

Hoje em dia a cidade vive exclusivamente do turismo o ano todo: durante o verao, eh uma das poucas regioes no pais que tem praia “de verdade” (com areia, e nao as pedrinhas tipicas das praias Europeias), e por causa de sua posicao na “esquina” da ilha, tambem sao privilegiados com um clima um pouco melhor que no centro e norte do Reino Unido.

Mas no resto do ano Rye ainda atrai turistas de todos os cantos do pais e do mundo, que vao a procura desse “charme” Ingles, que parou no tempo.

A cidade fica no alto de uma colina, cercada pelos portos dos tres rios (e/ou afluentes) que a cercam: Rother, Tillingham e o rio Brede, que desenharam o geografia local e fizeram com que a baia de Rye permitisse que navios e embarcacoes viessem pela manca e subissem para o resto do pais atravez de seus rios, oque fez com que a cidade ganhasse destaque nos seculos 12 e 13 e grande importancia comercial.

O passeio pela cidade eh basicamente isso – passear pela cidade! ja que a cada esquina encontramos um cantinho diferente, alguma paisagem saida de um cartao postal ou pagina de livro de historia.

As casinhas de tijolo vermelho de influencia Vitoriana e Eduardiana, alem das atiquissimas casas em estilo Tudor, com suas vigas de madeira escura, que sao tambem as mais tipicas e mais antigas da cidade.

Uma das atracoes principais eh a “Coblestone Street” (ou Marmaid Street), rua que data do seculo 10, e que ainda tem algumas casas originais do seculo 12, com por exemplo o The Marmaid Inn, que foi originalmente contruido em 1156 e a principal “Public House” de Rye e da regiao.

Alem de ser uma casa lindissima (principalmente num dia ensolarado em pleno outono, com todas as folhas em tons amarelos e vermelhos!), o The Marmaid Inn eh cercado de historias interessantes, pois supostamente tem conexoes subterraneas com outros edificios na cidade, e era sede de uma gang de contrabando de la de ovelha (?!) que aterrorizou o sul da Inglaterra e norte da Franca no inicio do seculo 18! Era ali no The Marmaid que a gend foi formada e controlava seus ataques.

Hoje em dia, alemd e ser um otimo e tradicionalissimo Pub, eles tambem operam um Bed & Breakfast – mas cuidado! Dizem que os antigos membros da gang e suas amantes ainda assombram a casa!

A High Street de Rye tambem eh imperdivel, cheia de lojinhas fofas e restaurantes – e acabamos descobrindo que Rey eh a capital de antiguidades e artigos Vintage da regiao! Nunca vi tantas lojas vendendo raridades como por la!

Bem no alto da cidade esta a igreja, onde eh possivel subir na torre e ter a vista completa da regiao!

La do alto eh possivel entender direitinho a geografia da cidade, com os vales e rios, e a proximidade do oceano. Da ate pra ver os White Cliffs of Dover la de cima!

E como toda cidade Britanica que se preze, eles tambem tem (as ruinas) um castelo, que nos seculos 14 e 15 eram conectados com a muralha que cercava e protegia a cidade e que ficavam de frente pra entrada do Canal da Mancha.

Nos almocamos no The Ship Inn que fica bem no centrinho de Rye, e serve uma comida deliciosa! Eles fazem parte da selecao Michelin de gastropubs,  mas pra gente, o legal mesmo eh que eles sao super dog-friendly e nos deixaram entrar com a Vella – e la dentro tinham mais umas 5 mesas com cachorros de todos os tamanhos!

Mas oque eu gostei mesmo foi o menu de cidras! Geralmente o carro chefe dos pubs Ingleses sao as cervejas (Ales, Bitter, Lagers, etc), mas o Ship Inn tinha um menu inteiramente dedicado a cidras! Quase todas artesanais e de producao local, com variacoes deliciosas! A garconete me contou que a dona do Ship Inn adora cidras entao ela mesma se encarrega da “curadoria” e selecao de safras e sabores a cada temporada – como se fosse um bom vinho!

Na parte da tarde fomos conhecer o outro lado da cidade, a praia!

Tudo bem que praia na Inglaterra ja nao eh essas cosias, ainda mais no inverno, mas eu me surpreendi com Combe, uma praia enorme, plana, com areaia e dunas a parder de vista!

E apesar do friosinho, isso nao impediu que os Ingleses colocassem as perninhas pra fora (estava sol, after all…) pra curtir a praia com suas familias e muitos, muitos cachorros!

Aproveitamos pra ficar ate o sol se por no ultimo dia do “horario de verao” de 2011!

 

Na Pratica:

Rye eh uma otima opcao de viagem de um dia a partir de Londres, ou entao pra passar uns dias explorando a regiao sul do pais.

Nos fomos de carro, que foi facilimo e nos deu mais liberdade com horarios e com o cachorro.

Mas Rye tambem eh facilmente acessivel de trem a partir de Londres, com trens regulares saindo da estacao de Waterloo, e a viagem demora cerca de 1 hora e meia (alguns trens sao diretos, mas outras linhas/horarios eh preciso trocar de trem no meio do caminho).

Uma vez chegando lah, todo o resto eh feito a pen, e por ser uma cidade tao antiga, muitas das partes interessantes da cidade nem sequer sao acessiveis de carro, soh a peh. Mas infelizmente pra conhecer a costa/praia, apenas de carro ja que a regiao nao eh conectada diretamente com Rye.

 

 

Adriana Miller
30 comentários
12 Oct 2010
17 comentários

(Old) York

Day Trip, Dicas de Viagens, Inglaterra, Viagens pelo UK, York

Nova Iorque (aquela, de Manhattan) é uma das cidades mais conhecidas e reconhecidas do mundo. Mas só depois que vim morar na Inglaterra é que me dei conta de que o motivo pelo qual New York é a nova York, é porque existe uma velha York!

York é a capital do condado e Yorkshire (lembra do cachorrinho? Eles sao originais de York), no norte da Inglaterra e cerca de 315 km de distancia de Londres. É perto suficiente para passar o dia e voltar, mas Londres e York estao a milenios de distancia!

York é uma das cidades medievais mais bem preservadas da Europa, e sua catedral, a York Minster é a maior Igreja da Europa ao norte dos Alpes, e seus vitrais possuem o equivalente a 50% de todos os vitrais de igrejas da Inglaterra!

Yoak já foi uma cidade forte Romana (estava bem perto da fronteira do Imperio Romano), depois foi invaddida pelos Saxões, até que virou uma prospera cidade Viking, conhecida como Jorvik. (fato do qual aparentemente os York-inos se orgulham bastante).

Um dos principais atrativos da cidade é sua muralha medieval, que começou a ser construida ainda pelos Romanos mais ou menos em 200 d.c., e destruida e reconstruida, com mais areas e mais torres sendo adicionadas a sua estrura a medida que a cidade ia mudando de poderes.

A muralha ainda esta super bem conservada, e é inteiramente aberta a visitação – oque oferece otimas vistas do centro historico da cidade e da York Minster.

Nós fomos pra York quando meus pais estavam aqui, já que herdei o gene que ama historia e tudo que é antigo, e então a parte que mais gostamos de explorar foram as ruas do centro historico – que nao dá pra evitar a se sentir passeando pelo cenario de Harry Porter!

As ruas super estreitas, a arquitetura das casas… Uma de suas ruas “ilustres” é a Shambles que é considerada a rua mais antiga da Inglaterra, e a unica rua que ainda existe até hoje em seu formato e localização original e que foi mencionada no Domesday Book, o primeiro “censo” jamais feito, por encomenda de William I em 1085, que é considerado o primeiro Rei da Inglaterra que conhecmos hoje. Ele encomendou o Domesday Book pois queria fazer uma pesquisa sobre todas os condados, todas as vilas e cidades de seu Reino, quem era dono doque e os impostos pagos. Desse livro, a rua Shambles é a unica que sobrou até hoje, e alguns de seus predios ainda sao as construções original do seculo 13!

Tudo bem que hoje em dia a rua é puramente um ponto turistico, com cafes, restaurantes e lojas de souvenir, mas impossivel nao imaginar as pessoas que passagem por ali com uma roupa de bruxa…

Um outro edifico interessante é a Torre Clifford, que é a unica estrutura que sobrou do Castelo de York, originalmente construido em 1068.

Nós passamos apenas um dia em York, que eu achei mais que suficiente, mas tem bastante coisa pra se fazer por lá por um fim de semana inteiro, ou até mais.

Um passeio de apenas 1 dia, no estilo bate e volta de Londres só é possivel feito de trem, já que os 315 Km que separam York de Londres significariam em mais de 5 horas de viagem.

Já um trem direto demora menos da metade desse tempo, e chegamos lá em 2,5 hrs com os trens da EastCoast, que sempre tem varias otimas promoções de passagen de trem bem baratinho!

Adriana Miller
17 comentários
01 Jun 2010
11 comentários

Stratford-Upon-Avon

Cotswolds, Day Trip, Inglaterra, Stratford-Upon-Avon, Viagens pelo UK

Aproveitamos o feriado prolongado, sem nenhuma viagem marcada pra passear um pouco mais pela Inglaterra, então aproveitamos o tempo lindo primaveril que fez no domingo para passar o dia em Stratford-Upon-Avon, a cidade natal de William Shakespeare!

A cidade é mais uma ótima opção de passeio bate-volta a partir de Londres pois fica a apenas 2 horas e meia do centro da cidade (de trem, saindo da estação de Marylebone).

A cidade é uma fofura, e um otimo exemplo de cidadezinha tipicamente Inglesa – tanto na parte super antiga, quanto nas areas mais residenciaias e modernas.

Muitas opções de Bed&Breakfasts pra quem preferir passar a noite na cidade

Uma das muitas areas residenciais super bonitinhas

Stratford-Uppon-Avon existe como cidade, com a organização que vimos hoje ha mais de 1000 anos, mas antes disso já tinha sido uma proeminente cidade comercial Romana por outros 1000 anos antes! E aliais foi justamente essa cidade Romana que gerou o nome da cidade – “estrada sobre o rio Avon”!

Detalhes da "Sheep Street" (Rua das Ovelhas)

Já no poder dos Saxões, no seculo 11 a cidade foi transformada oficialmente em cidade mercado e até hoje muitos predios são construnções originais em estilo Tudor, dos seculos 12, 13, e 14 e a organização ainda é a mesma: as ruas ainda se chama “Rua das ovelhas”, “Rua da madeira”, “Rua da Lã”, “Rua dos vegetais” etc assim como o mercado Medieval era estruturado.

Detalhes da "Wood Street" (Rua da Madeira)

Mas a atração principal mesmo de Stratford-Uppon-Avon é toda e qualquer coisa que seja relacionada a seu ilustre morados, William Shakespeare!

Por sorte nossa (5 seculos depois!) Shakespeare nasceu numa familia de muita influencia na região (apesar de nao nobre) e sempre foi reconhecido e respeitado como comerciante, escritor e poeta, e por isso sua historia nao foi perdida ao longo do tempo.

A casa onde nasceu William Shakespeare

E onde funcionava a loja de luvas e artigos de couro de seu pai

Nosso passeio começou pela casa de Anne Hathaway, o cottage da familia Hathaway, sua esposa. A casa é super bem conservada e mostra muito bem como vivia uma familia “burguesa” no seculo 15 na Inglaterra. A familia de Anne tinha relações comerciais com a familia Shakespeare, e como o pai de William ajudou o paide Anne financeiramente, os dois ficaram amigos e pouco tempo depois Anne e William casaram – era estava gravida de 3 meses e era 7 anos mais velha que ele (William tinha apenas 18 anos)!

A casa da Familia Hathaway - construçnao Tudor do seculo 15

Além da casa, os jardins também valem a visita

Mas o verdadeiro motivo que permitiu que William Shakespeare tenha se tornado no artista que o tornou conhecido foi justamente seu pai: John Shakespeare era um comerciante muito bem sucedido, e portanto fazia parte do “Guild” da cidade (tipo a prefeitura) oque permitia que seu filho tivesse acesso a educação e aulas de gramatica – coisa que não era comum para crianças nao-nobres.

A escola onde Shakespeare aprendeu a ler, escrever e gramatica da Lingua Inglesa - funciona como escola até hoje!

A fachada do Royal Shakespeare Teather

Uns anos depois de seu casamento, a familia Shakespeare teve dificuldades financeiras, e por ser o unico filho homem, William foi para Londres tentar a sorte – deixando os pais, a esposa e os 3 filhos para tras. E foi justamente isso que o levou a Londres e o transformou no artista que conhecemos até hoje.

Em Londres, William Shakespeare, fundou uma compania de teatro, usando como roteiro suas historias e poesias – isso tudo numa epoca em que teatro e cultura só eram acessiveis a nobresa e alta burguesia (ou seja, quem tivesse muito dinheiro).

Trinity Church

Trinity Church

O Tumulo de Shakespeare

O Teatro original onde sua compania atuava ainda existe, o Shakespeare Globe, no bairro de Southwark no sul de Londres (bem do lado do museu Tate Modern), que ha 500 anos atras era um bairro decadente, com um cais do porto, deposito de lixo, prostituiçnao e teatro ilegal – mas a medida que sua cia de teatro foi ficando mais conhecida e reconhecida Shakespeare teve um papel fundamental na integração do lado sul do Tâmisa com o resto da cidade!

Na margem do Rio Avon

Rio Avon

E para saber e entender tudo isso nós fizemos um passeio guiado pela cidade, organizado pela cidade de Stratford e sai diariamente na praça Swan Fountain, ao lado do Royal Shakespeare Theatre (dura 2 horas e custa 5 libras – saindas todos os dias as 11:00 – 2ª a 4ª feira e 14:00 5ª a domingo). E vale muito, muito a pena!

Adriana Miller
11 comentários
Página 4 de 912345678