21 Oct 2009
27 comentários

Fui assim: Outono na Polonia!

Beauty Everywhere, Cracóvia, Fui Assim, Moda, Polonia

Esse fim de semana fui para Cracóvia, na Polonia com o Aaron, e como prometido, lembrei de tirar mais fotos do “look” da viagem.

Foi muito engraçado, pois eu estava morreeeeeendo de vergonha de tirar essas fotos pelo corredor do hotel, e por isso sai com cara de bunda em todas as fotos…. e mais engraçado ainda foi tentar explicar pro Aaron porque ele tinha que tirar tal fotos de mim…

Mas enfim, aqui está!

Botas: Zara

Calça: Diesel

Casaco: Asos

Pullover/vestido: Zara

Lenço/Cachecol: Nao lembro…. acho qye é H&M

Bolsa: Fendi

Eu não espera o frio que estava fazendo esse fim de semana, pois afinal estamos apenas na metade de Outubro! Teoricamente ainda é o comecinho do outono, mas mesmo assim a temperatura já estava abaixo de zero, muita chuva e vento impiedoso!

Por baixo do pullover cinza eu estava usando mais umas 5 blusas e mesmo assim o vento atravessava com a maior facilidade… E o casaco/sobretudo “outonal” de lã fininha relmente nao foi feito pra temperaturas muito baixas!

A bota é novinha, super confortavel e amei essa coisa “gato de botas” que vai até em cima do joelho, mas a camurça cinza nao foi feita pra neve Polonesa, e meus dedos morreram de frio!

Entao se tivesse que refazer as malas pra essa viagem, teria levado um casaco mais grosso e “invernal” e outro par de botas, de couro e solado mais grosso!

Na rua, com guarda chuva, boina, luvas e afins, o visu ficou assim:

Adriana Miller
27 comentários
21 Oct 2009
25 comentários

Cracovia

Cracóvia, Dicas de Viagens, Polonia

Pode soar estranho pra muita gente, mas a Polonia é um dos paises mais visitados da Europa, e esse numero só tende a aumentar cada vez mais graças aos novos voos low cost que ligam suas principais cidades as maiores capitais da Europa. Além disso, geograficamente falando, a Polonia é cercada de paises e culturas diferentes por todos os lados, e querendo ou não, muita gente tem que passar por ali.


Pra mim, conhecer a Polonia era uma vontade antiga: por um lado pela memória das aulas de história, ver com meus proprios olhos as marcas de uma das paginas mais assombrosas da historia da humanidade. E por outro entender melhor uma cultura tao diferente, mas tao fascinante e que ao mesmo tempo me soa tão familiar, pois oque não falta em Londres são Poloneses!

Ao memso tempo auqe sabia muito pouco, a medida que fui me interessando e pesquisando sobre o pais, mais descobri oque quanto já conhecia – algumas palavras, os costume,s as comidas tipicas e as consequencias do passado.


A Cracóvia é a antiga capital do pais, e até hoje usufrui do titulo de cidade mais bonita do pais, algumas das Igrejas mais detalhadas e trabalhadas do continente, o centro historico Patrimonio da Unesco, a maior praça medieval da Europa… um castelo lindo, ruas de contos de fadas, e a vergonha e o peso de hospedar em sua vizinhança o maior campo de concentração do mundo, relelmbrando as marcas de uma dos paises mais massacrados no seculo 20.

Nossa viagem foi um tanto quanto mal planejada… Outubro definitivamente nao é a melhor época para visitar a Polonia… O tempo estava horrivel, frio, uma neve lamaçenta, chuvisco chata… Por um lado, o pesadelo de todo turista, mas por outro confesso que deu um charme e uma dramatização extra a cidade.

Achei a Polonia exatamente como eu imaginava, e apesar dos dedos contantementes congelados e os pés por vezes molhados, uma Polonia ensolarada não teria tido o memso efeito em mim.

Nosso primeiro dia na cidade foi todo concentrado no centro historico da cidade, que tambem é o principal ponto de referncia, a praça Rynek Glówny, com um mercado no centro e a catedral Mariacki e suas torres gemeas (porem diferentes!) num canto.

A catedral é a principal atração, com sua arquitetura barroca, contruida no seculo 14 e famosa por suas torres gemeas desiguais e pelo impressionante (e gigante) altar.

Existem varias lendas diferentes sobre as torres da catedral, inclusive a lenda de que elas foram contruidas por dois irmãos que tentavam competir pelo poder da Polonia, mas na verdade elas tinham uma função mais pratica: da torre mais alta acreditava-se que era possivel enxergar todo o pais, enquanto que na torre mais baixa um trompetista anunciava todos os dias, i inicio e o fim do dia, e assim visitantes nao eram pegos desprevinidos dentro dos limites da cidade em horarios nao permitidos. Outra lenda é a do trompetista assassinado pelo ex´rcito Mongol, quando eles tentaram invadir a cidade. Em honra a essa batalha, todos os dias o som do trompete pode ser ouvido na torre da igreja.

Uma coisa que achei bem legal na Cracóvia é que se vc quiser tirar fotos dentro das igrejas e monumentos, voce pode, basta pagar “extra” pelo ticket que te dá esse direito! Nós, obviamente pagamos por essa opção e valeu cada centavo dos 2 Euros extras que pagamos…

Ao entrar na catedral nao esqueça e olha pra cima e admirar a nave absolutamente decorada, pintada de azul com estrelas douradas. As paredes idem… os vitrais coloridos, as colunas esculpidas…

Bem em frente a catedral, no centro da praça esta o merdao central que infelizmente estará fechando e parcialmente coberto sob renovações até 2010… E bem do outro lado, a Torre do Relogio da prefeitura… bem, a unica torre que sobrou da antiga prefeitura da cidade.

Seguindo pela Rua Florianska, que é uma das principais ruas comerciais da cidade, se chega até a torre/portao Florianska, que é 1 das unicas 4 torres que sobraram do antigo muro medieval, e que também era a entrada principal, usada pela realeza Poloca marcando o inicio da “Rota Real” da cidade, conectando seus 3 pontos principais: Florianska, a praça e o Castelo.

O castelo Wawel é na verdade um complexo de predios reais, incluindo os apartamento da familia real, as estruturas do antigo castelo e a Catedral Wawel, que até hoje é considerada a principal estrutura religiosa do pais.

Nao pudemos visitar a Catedral por dentro pois estava acontecendo um casamento (aliais, quase todas as Igrejas estavam celebrando casamentos no sabado a tarde!), mas aproveitamos pra passar bastante tempo visitando os apartamentos do castelo com suas exposicões de tapeçaria Flamenga (Holandesa), as joias da Coroa, e a artilharia com armas dos seculos 3 ao seculo 18 d.c.

Antes de viajar, um amigo Polones me deu a dica de onde tirar as melhores fotos do castelo: na ponte Most Debnicki, que ficava bem do lado do nosso hotel!

Ao longo da “rota real” fomos parando e entrando em todas as Igrejas que passamos e fiquei impressionada com o catolicismo fervoroso dos Poloneses, e em especial de seu orgulho pelo Papo João Paulo II, que é Polones natural de um vilarejo nos areedores de Cracóvia e passou grande parte de sua vida na cidade. Seu nome, fotos, pinturas, estatuas e esculturas estao em todos os lugares. As igrejas bem conservadas e todas as missas lotadas de familias bem vestidas.

Mais fotos da Cracóvia, AQUI

Adriana Miller
25 comentários