04 Feb 2019
13 comentários

Dicas de viagem para Capadocia – Como chegar, hotel, passeios, voo de balao, onde comer etc

Capadocia, Oriente Médio, Turquia

Conhecer a Capadócia era um sonho antigo, e que simplesmente não saia do papel. Difícil de chegar, não daria pra levar as crianças e com timing difícil, pois é muito lotado e quente na alta temporada (primaverao e verao), mas de clima arriscado na baixa temporada (outono e inverno)…

Quando resolvemos planejar uma viagem pro meu aniversário em 2018 ano (enquanto meus pais estavam em Londres e podiam ficar em casa com a Isabella e o Oliver), na mesma hora pensei: Capadócia!!

Quando reservamos a viagem, nem imaginavamos que essa seria a nossa ultima viagem  antes da mudanca para os EUA, e em se tratanto de um destino em que sempre sonhamos e tentamos fazer acontecer sem sucesso, sem duvidas a Capadocia teve um gostinho especial!

Esse post e dicas estao saindo super atrasados, mas nao tinha como nao incluir no repertorio aqui do blog!

  • Logistica e como chegar:

A logistica de planejar uma viagem para a Capadocia eh sem duvidas a aprte mais dificil da viagem. Essa foi nossa terceira vez na Turquia, e muitos anos de outras tentativas, e a viagem simplesmente nunca saia do papel.

A Capadocia eh uma regiao enorme, bem no centro da Anatolia Turca, e apesar do voo rapido (e relativamente barato) a partir de Instanbul, conseguir conciliar voos, epoca do ano, custos e disponibilidade de tempo, sempre tornou a viagem incompativel com nossos planos.

Nos chegamos na Capadocia a partir de Londres, e no total, entre voos, conexoes, fuso horario e afins, foram 12 horas de viagem e um dia inteiro perdido no processo.

E mesmo se voce ja estiver na Turquia e quiser incluir a Capadocia no roteiro de uma viagem mais extensa pelo pais, separe pelo menos 1 dia inteiro para esse processo e logistica (seja por terra, encarando as muitas e muitas horas de estrada, seja por ar, sempre tendo que conectar e trocar de voo de volta em Istanbul).

O mais facil, sem duvidas eh por aviao, e a Capadocia eh servida por dois aeroportos: Nevşehir-Kapadokya Airport (NEV),  e Kayseri’s Erkilet Airport (ASR), que foi por onde nos voamos.

Nevşehir-Kapadokya eh considerado o “melhor” aeroporto, por ser mais proximo a Goreme (a cidade base, e mais turistica da regiao) e fica a 40 minutos de carro. Porem Keyseri tem muito mais opcoes de voos, tanto saindo de Istanbul, quanto de outros destinos na Europa e Oriente Medio, e fica a apenas 1 hora de distancia do centro de Goreme.

O mais facil eh usar sites de busca de passagens e procurar, dependendo do seu tempo, ponto de partida, orcamento etc, qual o aeroporto acaba oferencendo melhores opcoes.

Para o transfer entre o aeroporto e a Capadocia o mais facil eh simplesmente requisitar um transfer direto com seu hotel – a maioria dos hoteis por la oferecem o servico de graca ou por um custo super baixo (nos pagaos 5 Euros por pessoa, e valeu muito a pena, alem de nao ermos nos preocupado com nada! Saimos do aviao e ja tinha alguem nos esperando).

 

  • Dica de Hotel:

A escolha do hotel foi outro ponto especial. A Capadocia nao eh um lugar muito caro nesse sentido, e eh facil achar hoteis bem baratinhos (e lembrando que fomos em Fevereiro, que eh baixa temporada).

A maioria dos hoteis ficam em duas cidades principais: Goreme e Uchisar. Nos optamos por Goreme, por ter mais opcoes de hoteis, ser mais proximo ao local de saida dos baloes, e por ser o “centro” da Capadocia, e pudemos fazer todos os outros passeios a pe, independente, sem depender de ter que contratar guias, excursoes, negociar taxis etc.

Nos queriamos um hotel que fosse bem tradicional – com quartos “cavernas”, cavados na pedra, como sao as casas historicas da regiao. Outra requisicao era a vista! Queriamos ter uma vista legal do vale de Goreme, ver os baloes sobrevoando a cidade, assistir o nascer e por do sol, etc.

Entao nossa escolha foi o Sultan Caves Hotel, e amamos a escolha!

O hotel nao eh de luxo, mas super caracteristico e tradicional, os quartos super espacosos, banheiros modernos, muito bem localizado em Goreme, com um otimo restaurante, e o melhor: um terraco lindo na cobertura do hotel, com uma vista incrivel do vale da Capadocia!

Nossa segunda opcao tinha sido o Museum Hotel, que fica em Uchisar – mas nao achei que a discrepancia de precos em relacao aos outros hoteis da regiao justificava o “luxo” do hotel, alem de ser um tico mais afastado das partes mais turisticas (queriamos poder fazer tudo a pe).

Mas fica a dica pra quem quiser uma viagem super especial, lua de mel, etc e queira um hotel a altura!

 

  • Quanto tempo ficar, passeios e oque fazer por la:

Esse eh o X da questao!

Se voce for procurar “listas” do que tem pra fazer na Capadocia, provavelmente conseguiria ocupar uma semana inteira por la. Mas a realdiade, e que a maioria das pessoas vai ate la pelo passeio de balao mesmo, e esse foi o nosso caso.

Porem voar de balao eh uma atividade muito dependente das condicoes climaticas, e muito voluvel ao tempo. Ou seja, nao ha garantias de que voce vai conseguir voar de balao, mesmo que passe uma semana inteira por la!

Entao, como o seguro morreu de velho, se planeje para passar no minimo 2 ou 3 noites por la, para aumentar suas chances de conseguir pegar uma manha com voo de balao.

Originalmente, iriamos passar 3 noites na Capadocia, e mais uma noite em Istanbul, mas acabamos tendo que mudar nossos voos de ultima hora, e so conseguimos passar duas noites por la.

Eu resolvi reservar o voo de balao direto para nossa primeira manha na Capadocia, ainda que soubesse que chegariamos super tarde na cidade (chegamos no hotel ja passavam da meia noite, e tivemos que acordar as 5 da manha).

E que SORTE! Conseguimos voa de balao sem problemas, com um amanhcer lindo e claro, e no dia seguinte, nada!

Acordamos cedo pra asistir o nasceu do sol e os baloes voando na paisagem da Capadocia, mas por causa das condicoes do vento, todos os voos de balao foram cancelados! (chegamos a ver os balor inflados no horizonte, mas nenhum deles chegou a subir!).

Ou seja, se tivessemos deixado para aquele segundo dia, teriamos chegado a ir ate la, entrado nos baloes, e teriamos voltado spro hotel extremamente frustrados!

E confesso que ainda assim fiquei chateada por nao ter assistido o voo dos baloes na paisagem… que talvez teria sido possivel se tivessemos passado mais 1 dia e 1 noite por la. Mas dos males o menor, ne? Pelo menos fizemos um voo de balao incrivel!

Nos reservamos nosso voo de Balo direto com o hotel tambem, e eles cuidaram de todos os tramites por nos. Voamos com a Butterfly Ballons, que tem otimas resenhas on line, e custou 130 Euros por pessoa (acho que na alta temporada custa 160 Euros por pessoa).

Muita gente me perguntou sobre o “medo” de voar de balão: e olha, NÃO dá medo nenhum!
Eu tenho um medo de altura paralisante, nem vou na varanda na casa das pessoas (nunca fui na varanda do meu antigo apartamento – e era apenas no segundo andar!!!).

Mas esse foi meu segundo voo de balão, e realmente me senti muito segura o tempo todo!
A cesta do balão é bem grande e “sólida”, e o voo, incluindo decolagem e pouso, são incrivelmente suaves… não tem tremedeira, não tem solavanco! Não tem nada a ver com voo de avião ou de helicóptero, você não se sente “voando”, e sim”flutuando”… o balão é 100% guiado pelo vento, mas não voa em dias de ventania, então nenhum movimento – curvas, subidas, descidas etc- são bruscas nem repentinas!

Eles nos dão um mini treino de segurança antes do voo (que foi exatamente igual na Turquia e em Myanmar, então deve ser o padrão internacional mesmo), que basicamente explica a posição de aterrisagem e o básico sobre como o balão voa.
Foi tão bom, tão tranquilo! Tão libertador!!

Se você nunca quis fazer um voo de balão, por causa de medo de altura, não tenha!! Prometo que se eu consegui, você também consegue e não vai se arrepender!!

Durante o dia, no nosso primeiro dia por la, depois do voo de balao, fomos andando ate o “museu a ceu aberto” visitar as casas-caverna da Capadocia, que ocupou uma tarde.

E no dia seguinte ficamos flanando por Goreme, visitamos algumas lojas de souvenir e tapetes turcos (onde compramos um tapete para nossa casa nova!), e andando pelas ruelas da cidade sem rumo.

O bom de ter ido na baixa temporada, eh que a cidade estava bem vazia, e apesar do frio, o clima estava bem gostoso.

Porem a desvatagem da baixa temporada, foi que justamente porque a cidade estava tao vazia, a maioria das lojas e restaurantes estavam fechados, e muitas areas de Goreme pareciam cidade fantasma…

Nao usamos guias nem fizemos excursoes por la, e achei super desnecessario. Goreme eh relativamente pequena, e super facil de navegar. Todos os hoteis, lojas e restaurantes falam ingles super bem e muitos se viram no espanhol e ate mesmo portugues.

 

  • Capadocia com criancas?

Outra pergunta que recebo o tempo todo eh sobre visitar a Capadocia com criancas. Todas as vezes que falei sobre a nossa viagem (no vlog, no Instagram), eu fui bem explicita em relacao a que uma das nossas principais dificuldades de planejar uma viagem a Capadocia, era justamente o fato de nao querermos levar as criancas pra la.

Eu sempre falo sobre as dores e delicias sobre viajar com criancas e bebes, e o segredo esta na expectativa x realidade.

E a minha expectativa era poder viajar de balao, acordar pra assistir e tirar fotos do anscer do sol as 4 da manha, fazer caminhadas nas cavernas das monatanhas etc. E sabia que na idade dos meus filhos (na epcoa com 5 anos e 1 ano e meio), esses passeios seriam impossiveis de fazer com eles.

Entao ao longo dos anos, eu preferia simplesmente nao ir, do que passar por todo perrengue de chegar na Capadocia e nao poder fazer essas coisas, pois essa era a minha expectativa.

Quando fomos ao Myanmar, por exemplo, nos levamos a Isabella, e sabiamos que uma das principais atracoes do pais era tambem o voo de balao – mas ficamos num hotel com uma infraestrutura super legal que oferecia servico de babysitter. Alem disso, ficamos dias suficientes em Bagam, e sabiamos que em ultimo caso, poderiamos voar em dias separados, por exemplo.

Entao quando me perguntam se eu acho que eh viavel visitar a Capadocia com criancas pequenas, a minha resposta eh sempre “Sim, mas depende”, pois depende justamente de quais as suas expectativas para a viagem, e seu nivel de frustracao de nao conseguir fazer certas atividades que sao cruciais por la.

Se eu recomendo? Bem, no meu ponto de vista, e para as minhas expectativas, nao. Nao recomendo uma viagem para Capadocia com criancas pequenas (relembrando que na epoca a Isabella tinha 5 anos e o Oliver 1 e meio).

(E eu sou super a favor a levar nossos filhos pra qualquer lugar do mundo! De Qatar a Coreia do Sul, a Marrocos. Mas sempre com as expectativas certas. Os unicos dois lugares do mundo onde eu sempre soube que nao queria levar as criancas foram Machu Picchu, no Peru, e Capadocia na Turquia.)

 

[Starbox]

Adriana Miller
13 comentários
26 May 2014
9 comentários

Bodrum: a costa esmeralda da Turquia

Bodrum, Dicas de Viagens, Turquia

Bodrum é um daqueles lugares que ninguém nunca tinha ouvido falar. E ai de repente, como que num passe de mágica, a cidade caiu na boca do povo e virou o mais novo balneário sensação do verão Europeu!

Linhas áreas de toda Europa passaram a oferecer voo direto (ate mesmo as low cost, como a Easyjet!), linhas de cruzeiros passaram a incluir a cidade em seus roteiros, e celebridades de toda Europa lotam a marina da cidade com seus mega-iates de Maio a Agosto.

Esse ano um de nossos objetivos de viagem era fazer algumas opcoes mais tranquilas, relax mesmo, levar a Isabella pra brincar na beira da praia e tal, e de quebra aproveitar pra voltar a países que já visitamos a muitos anos atrás e sempre quisemos voltar.

E fui numa dessas andanças por sites de busca de passagem e hotéis que me deparei mais uma vez com Bodrum! E não é que apesar de toda badalação dos últimos verões, uma viagem ao balneario-desejo-Turco seria muito mais fácil do que imaginei?!

Ok, feriado prolongado, clima primaveril e passagens compradas!

Primeira dificuldade: a maioria dos hotéis que tem se instalado na costa de Bodrum e arredores tem um clima super badalacao, quase todos oferecem pacotes all inclusive, e a esmagadora maioria nao aceitam criancas! Mas ainda assim conseguimos achar opcoes simpáticas, que apesar de não ser nossa opção numero 1, atendiam alguns requisitos básicos, como quartos espacosos, piscina e na beira da praia!

BudapestGreece (39 of 555)

Ah, e esse foi outro ponto a levar em consideração na escolha da hospedagem: Bodum, assim como a maioria das praias Mediterrâneas nao faz muito estilo “aerai-branca-palmeiras-paradisiaca”, e uma das marcas registradas dos resorts de Bodrum na verdade são os decks na beira do mar, formando piscinas naturais e dando fácil acesso a agua do mar mesmo nas (muitas) áreas que não tem areia.

BudapestGreece (17 of 555)

Mas como estaríamos com uma bebe de 16 meses, e muito ativa, andando pra tudo quanto é canto, achamos que por mais bonito e unico que  esse estilo de hotéis sejam, não seria uma boa ideia para nossa viagem.

BudapestGreece (13 of 555)

Mas ainda assim a viagem foi muito mais familia e turistica do que as celebrity-gossip demonstaram, e a cidade alem de oferecer otimas opcoes de passeios eh lotada de parquinhos e playgrounds sempre lotados de criancas.

BudapestGreece (23 of 555)

A região conhecida como “Bodrum” na verdade eh formada por varias cidades/bairros, e Bodrum propriamente dito eh o centrinho historico, onde fica a marina e o Iate club, o mercado árabe, o castelo de São José que eh um dos símbolos da cidade e maioria das lojas e restaurantes da região.

BudapestGreece (126 of 555)

No entanto, apesar de ter alguns hoteis ali no centro de Bodrum, nao acho que seja um bom local pra se hospedar. Primeiro o mais obvio: apesar de estar na beira do mar, o centro de Bodrum nao tem praia, e seus hoteis não tem acesso ao mar (que na verdade eh tomado pela marina e seus muitos barcos). BudapestGreece (177 of 555)

 

Então a melhor opção é mesmo se hospedar nas praias nos arredores de Bodrum. Sabe o que me lembrou muito? Búzios!

BudapestGreece (33 of 555)

Bodrum seria o equivalente a Rua das Pedras, e com suas varias praias e estilos diferentes nos arredores (mas tudo sempre bem pertinho e de facil acesso).

BudapestGreece (165 of 555)

Mas acabamos indo para Bodrum quase todos os dias, as vezes só pra passear e fazer compras, as vezes pra almoçar, ou jantar.

BudapestGreece (86 of 555)

A experiência de fazer compras em Bodrum é bem diferente de Instanbul, por exemplo (apesar de que a agressividade dos vendedores é a mesma!), pois eles não tem um mercado “antigo” especifico, e sim um emaranhado de ruelas que se espalham aos pes do castelo no centro antigo.

 

No geral nao achei nada assim super irresistível não, e fiquei chocada com a quantidade absurda (e descarada!) de produtos falsificados!!! Tudo falso, e confesso que fiquei morrendo de medo de comprar qualquer coisa por la!

BudapestGreece (145 of 555)

Então acabei apenas prestando mais atenção nas lojinhas de artesanato e galerias de arte (as cerâmicas Turcas e daquela região são lindas!), os joalherias vendendo prata (principalmente os anéis de prata Turcos tem um design bem especifico e lindos!) e tapetes, ja que a região de Bodrum, mais especificamente a cidade Milas (que eh onde fica o aeroporto) eh uma das regiões originais e mais tradicionais na confecção de tapetes “persas”. Quem se interessa por esse estilo de tapetes já ouviu falar no estilo de design e nos conhecido como “Mila”, que eh um dos mais antigos, de original Persa e Otomana, e que eh originário de la, e ainda existem muitas famílias que confeccionam os tapetes no estilo Milas passando de geração em geração!

BudapestGreece (72 of 555)

Quanto a restaurantes, na nossa primeira noite na cidade queríamos comer o que a região tem de melhor: frutos do mar! Então fomos para a Marina, e escolhemos um dos restaurantes bem de frente, o Eflés, onde pudemos escolher qual peixe (e camarões, mexilhões, etc) queríamos comer, que vinham diretamente dos pescadores ancorados na marina do outro lado da rua.

BudapestGreece (63 of 555)

A comida estava in-cri-vel, o serviço ótimo, e mesmo sendo um lugar bem bacana, eles tinham uma boa infraestrutura pra criancas, com cadeirao, fizeram comida especial pra Isabella, suco etc.

E como demos um pouco de azar com o clima, e pegamos um dia de tempo muito nublado e vento, voltamos pra Bodrum pra almoçar, mas dessa vez a vontade era de comer outra especialidade Turca: Kebab!

Esse sanduíche Turco que faz a felicidade fast-food de viajantes e habitantes Europa afora, foi ainda mais gostosa sendo servida in-loco!

Nós ficamos hospedados em Gumbet, que é a praia que divide a baia com Bodrum, mas divididos pelo morrinho com os moinhos de vento (outro símbolo da cidade).

BudapestGreece (42 of 555)

Pra mim as vantagens de ficar hospedado em Gumbet foram muitas: a praia tem areia de verdade, e cada hotel tem acesso direto a “sua” praia (apesar de que as praias não são particulares). Estávamos a apenas 10 minutos de taxi do centro de Bodrum, onde acabamos indo quase todos os dias pra passear, fazer compras, almoçar ou jantar.

Os hotéis são menos badalados e nenhum deles faz parte de grandes redes de hotéis, o que significou que nao tivemos problemas para encontrar hospedagem que aceitasse crianças (e fornecessem berço, cadeirão, etc), mas ao mesmo tempo Gumbet é onde fica a famosa “Bar Street” de Bodrum, que durante o dia nos dava varias opcoes de lojinhas, mercadinhos e restaurantes, e a noite atrai muita gente para seus bares e baladas.

BudapestGreece (51 of 555)

BudapestGreece (48 of 555)

Nos nos hospedamos no Nagi Beach Hotel, que nos surpreendeu por ser tão bonitinho e barato! O hotel em si era uma gracinha, todo branquinho com as “casinhas” típicas dessa região da Turquia, muitas flores e pergolas por cima das varandas dos hotéis, um jardim ótimo, duas piscinas (um bem grande, e outra menorzinha para crianças), e o principal, bem de frente para a praia e com acesso direto para a areia. Alem de ter um restaurante (que também servia peixe fresquinho!) e dois bares, servindo a piscina e a praia.

O hotel eh simples, mas achei os quartos confortáveis e o serviço ótimo (todos os funcionários muitos simpáticos e solícitos), e foi a escolha perfeita pra nossa viagem.

BudapestGreece (52 of 555)

As outras duas áreas que chegamos a considerar, mas não encontrei hospedagem que tivesse todos os nossos critérios foram Turkbuku e Torba, mas valem a pena serem exploradas.

Outra dica me me deram são os Beach Clubs que muitos hotéis maiores oferecem, e permitem que mesmo quem não esta hospedado neles, possa comprar um passe de “uso diário” e usar parte de sua estrutura. Isso eh uma boa principalmente pra quem se hospedar nos hotéis sem praia ou sem acesso a “areia”, e os dois mais recomendados foram o Kempinski (que tem praia de areia, e aceita crianças durante o dia) e o Maça Kizi (que tem para de “decks” e tem um perfil mais badalado). (mas nos acabamos não indo a nenhum outro Beach Club, pois achamos nosso hotel super gostosinho e que já nos oferecia isso tudo, então ficamos por lá mesmo!).

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
9 comentários
28 May 2009
37 comentários

Kapali Carsi – Grand Bazaar

Dicas de Viagens, Instanbul, Turquia

O Grand Bazaar de Istanbul eh literalmente o coracao da cidade. Fica bem no centro do mapa, e por seculos e mais seculos tem atraido comerciantes e turistas de todo o mundo.

O complexo tem mais de 4.000 lojas que vendem de um tudo: de tapetes feito a mao com fios de seda, e bolsa falsificada da Gucci. Eh um labirinto que nao acaba mais de lojas, lojinhas, tendas, e pessoas, muitas pessoas!

Passear em mercados eh uma das cosias que mais gosto de fazer em viagens. Nao importa onde, nem que tipo de mercado eh, mas eu sempre acho que eh uma otima maneira de conhecer melhor a populacao local, e entender como eh a vida deles. Seja um mega shopping na Florida, um mercado de flores na Italia, uma quitanda na Tailandia ou o Grand Bazaar de Istanbul. Todos igualmente hipnotizantes!

Ao longo dos anos, oque era apenas um conjunto de ruas interligadas com um monte de lojas, acabou ganhando teto, muros e portoes, mas a estrutura e organizacao continua a mesma. Cada “bairro” do shopping tem sua especializacao, entao tem a area do tapetes, dos artigos em couro, das especiarias, lampadas, bugigangas, etc, etc. E o mais legal eh simplesmente andar sem rumo.

Nao fomos pra lah pra fazer compras propriamente dito, mas eu estou sempre catando um novo enfeite de natal, e gostamos de comprar pecas de decoracao nos lugares onde vamos. Soh falta espaco pra colocar tudo que temos (hoje em dia estao no fundo do armario, em baixo do sofa, no maleiros, etc), mas o dia que comprarmos uma casa, e decoracao jah vai esta completa! Entao decidimos que o Grand Bazaar de Istanbul seria o lugar perfeito pra comprar um tapete pra nossa (futura) casa!

O unico problema desses mercados eh justamente saber lidar com os vendedores. os precos sao sempre exorbitantes, e a alma do negocio eh a barganha. Discutir, bater boca, sair andando, e ai o vendedor vem andando atras de voce, faz uma chatagem e acavamos concordando num preco.

O Aaron fica pra morrer, mas eu nao nego meu sangue de imigrante portugues, e negocio ateh o fim! Jah chego falando que sou Brasileira pobre e faco altas caras de horror quando eles dao o preco original.

O engracado eh que, pela cultura local, os vendedores sempre se dirigem ao Aaron primeiro (sem falar na cara de gringo que denuncia de longe), ele fica naquela de sem graca,  e entao eu entro na conversa.

Uma cosia que notei na Turquia eh que todos os vendedores usam a MESMA tecnica de venda: Vc para na porta e comeca a ver uns artigos. Alguem vem correndo lah de dentro (se eh que jah nao estavam na porta gritando pra vc entrar). Entao vc pergunta o preco. De cara, ninguem quer dar preco nenhum.

Ai vc pergunta de novo, fala que esta soh olhando, e pesquisando precos. Entao eles comecam com a estoria (no mais puro estilo eu podia ta roubanu, eu podia tah matanu, mas to vendenu meu tapete em Istanbul): voce eh meu primeiro cliente do dia, e como voce eh do Brasil (ou substitua por qualquer outro pais) e eu tenho um primo (troque por qualquer tipo de parentesco remoto) que mora lah, vou te dar um preco especial. Mas antes, entra aqui na minha loja, deixa eu te servir um cha – eh de graca! – e te mostrar como minha mercadoria eh bem melhor que a da concorrencia.

Algumas vezes, estavamos de fato interssados na mercadoria, entao resolvemos entrar pra ver no que dava. Entao a tecnica seguia em frente: Voce pergunta de novo qual o preco, o vendedor te ignora, e comeca a abrir varios tapetes (substitua por qualquer outra tralha), esvaziar preteleiras. Pede pra vc encostar e ver como eh macio, como a qualidade eh boa. Ai vc pergunta de novo quanto custa, ele te ignora mais uma vez, e te conta a historia de como aquilo foi feito a mao, na regiao tal da turquia, e que ele (ou o pai, o avo, etc) eh o dono da loja, entao o preco que ele vai te fazer eh especial, pois nao precisa pagar terceiros, e amargem de lucro eh muito baixa.

E entao te dah o preco. E entao entra em cena a minha tecnica de negociacao: Tudo comeca com a cara de pavor! Nossa, mas como assim? Eu jah vi em outra loja por X liras (um valor que seja equivalente a pelo menos metade do preco, mas geralmente 1/3). O vendedor tenta contornar a situacao, faz uma cara de coitado e tal. Ai eu ameaco sair, e comeco a falar em portugues com o Aaron (mesmo sabendo que provavelemnte ele nao tah me entendendo, e tah querendo morrer de vergonha alheia!). AI o cara resolve negociar. Pergunta quanto vc quer pagar. Vc dah seu preco. Ele recusa e oferece Y. Ai vc recusa e ameca sair d aloja de novo. Entao ele te dah um outro preco.

Isso pode seguir eternamente, ateh um dos dois cansar e desistir da batalha. Uma das lojas o cara foi dura na queda, e acabamos indo embora. Acabamos comprando o quilt identico ao dele por 1/5 do preco que ele queria vender! Na loja que comprei os enfeites de natal, o preco inicial por 1 bolinha era 20 liras, acabei levando 2 enfeites, mais 2 pulseiras por 15 liras! E por fim acabamos comprando um tapete, que o preco inicial era 500 liras, e por fim levamos DOIS por 300.

Toda vez que vamos num lugar assim o Aaron jura de peh junto que nunca mais entra num mercado comigo, mas no final fica feliz da vida com as aquisicoes e a economia!

 

Adriana Miller
37 comentários