08
Mar
2011
O Monstro de Florenca
Escrito por Adriana Miller

Esse livro foi um presente da minha sogra, que eh uma leitora voraz e eh daquele tipo de pessoa que passa horas pesquisando livros, e que le tanto, e tao rapido que quase supera a velocidade dos lancamentos.
Entao ela eh uma otima fonta de inspiracao para livros “diferentes”, aqueles autores que nao sao best-seller, que ninguem nunca ouviu falar, mas que tem obras maravillosas.

Ela sabia que eu ia gostar do Monstro de Florenca, pois sabe que eu ja morei la, gosto de obras de crime e investigacao, fatos reais/historicos, e bem, digamos que tivemos algunas conversas sobre diferencas culturais sobre Italianos, Brasileiros, Britanicos, Americanos e afins…

O livro eh uma historia real, baseada numa historia real. Ou seja, o autor do livro, relata oque aconteceu com ele quando ele tentou pesquisar sobre, e escrever um livro sobre o “Monstro de Florenca”, que foi um serial killer que fez um estrago na regiao de Florenca e Toscana entre as decadas de 60 e 80, e alem de ter um estilo “de matar” muito peculiar, para completar, ate hoje a policia nao sabe quem foi o verdadeiro monstro.

O livro comeca muito bem, descrevendo alguns dos crimes mais notaiveis, e como era feita a investigacao e repercusao que “Il Mostro” teve na cidade.

O problema eh que a medida que o livro vai se desenvolvendo entre a parte policial/historica (baseada nos fatos reais do Monstro) ate chegar na parte “atual” onde o autor se envolve, ele vai perdendo um pouco o “egajamento” da estoria, e infelizmente o foco muda completamente…. E em vez de ser um livro sobre o monstro propriamente dito, acaba virando um livro critica sobre a bureocracia e ineficiencia Italiana/Latina.

Eu comeci o livro totalmente viciada, e aos poucos fui me irritando… e tudo que livro tinha de super interessante, acabou me passando a impressao de ter se transformado sobre o tal jornalista Americano em crises de saudade de casa, frustrado com a adaptacao a outro pais, ou simplesmente reclamando (e criticando) as diferentas culturais entre os dois paises (EUA x Italia).

A historia nao deixa de ser interesantísima, e acho que eh o tipo de livro que a reacao do leitos sera inteiramente baseada nas experiencias de vida que o proprio leitor teve.

No meu caso, acho que por ter passado por essa mesma situacao de difícil adaptacao na Italia, e as frustracoes em relacao a bureocracia latina, fiquei meio com saco cheio… minha experiencia de vida e reacoes a certas situacoes foram muito diferentes as situacoes que ele descreveu no livro, e entao fiquei meio sem paciencia.

Mas para quem gosta de uma boa histoia de crime e investigacao e gostaria de ler um pouco mais sobre a verdade-verdadeira da vida de um estrangeiro na Italia, eu recomendo esse livro!

(E ouvi uns boatos de que o livro vai firar filme, e George Clooney sera o jornalista Americano, Douglas Preston)

Alem disso, o tema tem estado super atual ultimamente, por causa da Americana Amanda Knox, que eh suspeita de um crime que aconteceu na Italia ha uns 3 anos atras, e que seja ela de fato culpada do crime ou nao, esta sendo vitima da ineficiencia e buracracia da policia Italiana. Entao enquanto lia o Monstro de Florenca, passei a acompanhar o caso da Amanada mais de perto, e realmente eh assustador quando a vida imita a arte, e meu parecer eh que nunca saberemos se ela realmente matou a amiga ou nao, mas de fato, vai passar o resto da vida apodrecendo numa cadeia Italiana…

( O caso de Amanda Knox tambem esta virando filme, e Hayden Panettiere sera Amanda)

Categorias: Livros e Literatura
9
02
Mar
2011
A queda dos Gigantes
Escrito por Adriana Miller

O meu genero preferido de livros sao os de ficcao historica, e ninguem escreve esse tipo de livro melhor que Ken Follett.

Sei que os intelectuais de plantao vao rolar os olhos, afinal o Ken Follett esta longe de encabecar a lista dos genios da literatura mundial, e alguns de seus livros de pura ficcao sao bem fraquinhos.

Mas ja contei aquí em outros posts que meu livro preferido de todos os tempos eh o “Pilares da Terra”, do mesmo autor, e sua pseudo sequencia “Mundo sem fim”.

Ambos sao livros gigantes (media de 1200 paginas na versao Ingles, e acho que a versao em Portugues veio separada em dois volumes), mas que tem um denominador comum: um ficcao que retrata a saga de uma familia num determinado periodo historico.

O Pilares da Terra se passa no seculo 11 e tem como pano de fundo a crise de sucessao ao trono Ingles. Ja o Mundo Sem Fim se passa na mesma cidade ficticia no interior da Inglaterra, mas cerca de 300 anos depois, no seculo 14 quando a Europa foi assolada pela peste negra.

Confesso que a pesar de ter adorado o segundo livro, ele me pareceu um pouco previsivel, pois era parecido demais… o mesmo estilo de personagens, a mesma “dinamica” entre as familias da trama.
Mas isso nao me impediu se ficar ansiosamente esperando o lancamento da nova serie de livros do Ken Follett, a “Triologia do Seculo” (The Century Triology), e seu primeiro livro, “Queda de Gigantes” (Titulo original: Fall of Giants)! E logo quando li as primeiras criticas sobre o livro eu ja sabia que ia amar, e sabia que apesar de seguir o mesmo genero de ficcao historica, dessa vez o estilo do livro era bem diferente. Entao nao resisti e comprei uma copia logo na semana que livro foi lancado, em Outubro do ano passado!

E foi tudo que eu estava imaginando que seria, e li as 1.000 paginas em umas 3 semanas – a ponto de perder a parada do trem a caminho do trabalho porque estava tao absorvida pela historia, e a ponto de passar minha hora de almoco com o garfo numa mao, e o livro na outra!

A livro conta a historia de 4 familias e como suas vidas se entrelacam, se desenvolvem e sao afetadas na iminencia da 1ª Guerra mundial – e a historia segue durante a guerra e da uma pequena introducao sobre como o mundo mudou tao dramáticamente naqueles 4 anos.

Esse livro eh muito mais “pesado” historicamente doque os outros, ou talvez seja apenas porque faz tantas refrencias a personagens reais (principalmente politicos Europeus que lemos sobre nas aulas de historia do colegio!), e a pesar de nao ser um livro “de guerra”, suas referencias historicas e politicas estao por todos os lados.

Duranto um periodo de 10 anos o livro desenvolve e descreve como ninguem os detalles da vida de uma familia “proletaria” do Pais de Gales (que historicamente foi muito afetada economicamente pela crise das minas de carvao no inicio do seculo), uma familia “camponesa” Russa (que sobrevive ao auge do Ksarismo Russo e participa na revolucao Bolchevique em Sao Petersburgo), uma familia “aristocrata” na Inglaterra (que faz um otimo retrato sobre essa coisa dos “Nobres” e “Comuns” na politica Britanica), outra familia “nobre” na Alemanha (pre queda do Kayser e o fim do imperialismo Alemao) e uma familia “classe media alta” nos EUA.

E o livro eh aquela coisa Ken Follett de ser, com as indas e vindas das familias, como a vida era tao diferente em cada um desse lugares, muita intriga, drama, e claro, fatos historicos.
Aliais, oque eu mais gostei desse livro foi justamente isso. E o Ken Follett tem um pequeno capitulo inteiramente dedicado a explicar como foi seu processo de pesquisa para esse livro, e como ele conseguiu misturar personagens e situacaoes ficticias a situacaoes e personagens reais, e o apoio e supervisao de historiadores e pesquisadores que ele teve durante todo o processo de desenvolvimento, escrita e edicao do livro.

E para mim, um bom sinal de que um livro realmente eh bom, eh quando o livro acaba e voce se sente “orfa” dos personagens, e ja fica ansioso querendo saber oque mais poderia acontecer.
Entao o lado bom eh que esse livro eh o primeiro de uma triologia… porem o proximo livro (que tera a 2ª Guerra Mundial como pano de fundo) soh sera lancado em 2012!

O Aaron tambem comecou a ler a “Queda dos Gigantes” semana passada e ficou “bravo” comigo porque eu nao insiti mais vezes pra ele ler lego esse livro, porque ele esta igualmente maravilhado!

Categorias: Livros e Literatura
41
27
Jan
2011
Kindle – O e-Reader da Amazon
Escrito por Adriana Miller

Meu caso de amor com o Kindle, definitivamente nao foi a primeira vista!

Na verdade eu achava toda esse historia de livro eletronico um absurdo, que ia matar o habito da leitura e que nunca, JAMAIS, um aparelinho iria substituir o prazer de abrir um livro.

Nem considerva a possibilidade remota de ter um!

"Parabens! Voce esta lendo com seu novo Kindle!"

Ate que ha uns 3 anos atrás, a mae e irma do Aaron vieram para Irlanda, onde passamos o feriado do Thanksgiving juntos, e para minha surpresa, minha sogra estava completamente absorvida com um Kindle (um grandao, ainda da primeira geracao) na mao.

Aquilo me surpreendeu principalmente porque ela eh professora de leitura e literatura, e devora livros como nunca vi igual, e tem um biblioteca de fazer inveja a qualquer municipio. Entao como eh que ELA estava traindo os escritores do mundo todo comprando um eReader?!

Mas na verdade ela estava apaixonada pela liberdade do Kindle, principalmente para quem le muito. Sua explicacao foi simples: Numa viagem como aquele, com voos longos, sala de embarque e noites mal dormidas com fuso horario, ela teria levado pelo menos uns 2 ou 3 livros em sua mala. Ja com o Kindle, ele tinha baixado 7 novos livros segundos antes de embarcar, sem ter que se preocupar com excesso de peso!

Entao aquilo ficou na minha cabeca, mas mesmo assim, nunca iria abrir mao do “prazer” de sentir o cheiro de um livro novinho.

A segunda surpresa foi minha mae, que ano passado queria comprar um Kindle, e soh desistiu pela falta de ofertas de livros e disponibilidade de autores em lingua Portuguesa. E de novo, minha mae tambem eh professora de Portugues, e devora livros numa velocidade apenas compativel com minha sogra!

Mas minha fidelidade a livros de papel ainda estava inabalada!

Ate que… subi o Kilimajaro com 2 livros na mochila, que alem de pesados ainda ficaram todos amassados, molhados, e sem falar no descnforto de ficar virando paginas e achando uma posicao confortavel com um livro na mao dormindo num sleeping bag!

Mas a decisao final foi mesmo um dia no metro em Londres, e do meu lado tinha um cara lendo alguna coisa. O metro estava LOTADO, naqueles dias de rush que seria imposivel segurar um livro, virar pagina etc. E la estava ele, segurando um negocinho preto na mao, olhando fixamente, enquanto suas expressoes mudavam… Na estacao seguinte os passageiros foram trocando de lugar e entao finalmente vi oque ele tinha nas maos: o novissimo, ultra fino e ultra leve Kindle!

Minha "Biblioteca" de livros Classicos

Voltei para casa maravilhada! E finalmente comecei a considerar a ideia de quem sabe um dia dar o braco a torcer…

Entao comecei a pesquisar… e apesar de ainda ter encontrado muita gente do contra, que defendem ate o fim os livros de papel, os que ja tinham um Kindle eram unanimes: eh tao bom e tao melhor, que eh um caminho sem volta.

Entao no dia 24 de Dezembro Papai Noel Aaron me deu um de presente, e pronto! Nunca me empolguei tanto por tantos livros ao mesmo tempo, e nunca li tanto na vida como no ultimo mes!

O engracado eh que o pessoal do grupo do contra acha que eReaders como o Kindle vao matar o habito da leitura, enquanto que na verdade, quem ja virou casaca vai concordar que o efeito eh exatamente oposto!

Afinal, aguem deixou de apreciar musica por causa dos MP3s e iPods pro ai? Nao, neh?

Para mim, a principal diferenca eh a praticidade.

O Kindle eh incrivelmente fino e leve, eu carrego ele na bolsa o-tempo-todo e nao atrapalha em nada. Ja com livros tradicionais, muitas vezes eu desanimava no meio de uma nova historia justamete porque eh um saco ficar carregando livro pesado para cima e para baixo, a capa amassa, os marcadores de pagina caem e vc se perde, e afins.

Isso sem falar que agora nao me preocupo mais em “seleccionar” quais livros quero ler de acordo com o espaco disponivel na estante…

Matando tempo no salao

A segunda grande vantagem eh o custo. A pesar do investimento inicial ser carinho (o meu nao tem 3G – que acho desnecessario – e custou 109 Libras), na ponta do lapis esse seria o custo de uns 5 livros capa dura ou entao uns 10 livros Paperback, custo que eu recupero facil em alguns meses!

Enquanto que na verdade, a maioria dos livros que estao disponiveis em formato Kindle sao mais baratos que sua versao de papel, e eu me surpreendi com a quantidade absurda de livros classicos que sao totalmente de graca na biblioteca da Amazon! Entao ja no primeiro mes de “vida” do meu Kindle, eu ja baixei mais de 15 livros sem gastar nem um tostao!

Entao acho que ter um eReader esta abrindo todo um novo mundo de posibilidades de leitura na minha vida, muitos dos classicos que Brasileiros e Portugueses nao estudam durante os anos escolares, mas que por sua vez ditaram as tendencias da literatura e comportamento no mundo todo, e em vez de exterminar o habito da leitura (que agora vejo que eh um dos argumentos mais absurdos possiveis), o Kindle tem na verdade o efeito inverso!

E olha que nem falei ainda da maravilha tecnologica que esse bichinho tem!

Para comecar que a tela do Kindle vc jura que eh um livro de papel! Nao tem NADA a ver com a experiencia de ler alguma coisa na tela de um computador (como acontece com o iPad ou outros tablets), a telinha tb nao eh reflectiva, entao vc pode ler confortavelmente embaixo do sol, ou com luzes fortes, sem atrapalhar sua visibilidade (a experiencia em si, eh exatamente igual a ler uma pagina de papel, oque eh impressionante!).

A bateria eh uma coisa sem igual! Eu ganhei o meu no Natal, entao a primeira e UNICA vez que meu Kindle foi recarregado foi na noite do dia 25, e ate hoje a bateria ainda esta firme e forte, mesmo usando o Kindle diariamente, inclusive durante voos e muitas horas seguidas.

No trem, a caminho do trabalho

Para quem gosta de fazer anotacoes em livros, o Kindle tambem te deixa fazer isso, e a qualquer momento no meio de um livro, voce pode escrever sue proprio recadinho, nota, lembrete, etc. E melhor! Depois voce pode fazer uma busca usando palabras chave para achar qual pagina, capitulo ou livro vc escrever qualquer coisa.

E o mesmo vale para achar frases ou palavras em livros. Vc tem uma frase ou paragrafo preferido, mas nao lembra extamente qual a parte do livro, ou qual livro vc leu aquilo? Basta fazer uma busca e o Kindle acha para voce!

E para quem tem medo de ler em Ingles, pois acha que nao fala bem o suficiente, o Kindle vem com um Diccionario de Ingles da Universidade de Oxford! Entao se no meio de uma frase, vc vir uma palavra que nao sabe oque significa, o diccionario te dara uma explicacao – sem ter que fechar o livro ou perder a pagina onde vc parou!

O Kindle tem a capacidade de armazenar 3.500 livros em sua memoria, mas seu limite de armazenamento na biblioteca da Amazon eh infinita, e vc pode organizar sua biblioteca como bem entender e criar categorias e sub categorias para organizar seus generos preferidos, autoras preferidos, por lingua, ou oque for!

E por fim, minha vantagem preferida: Poder ler deitada na cama sem ficar desconfortavel!

Eu AMO ler antes de dormir, mas nao tem nada pior doque aquele desconforto de soh poder deitar para um lado ou por outro dependendo se vc esta no comecinho ou no final do livro…, ficar com o braco cancado de segurar o livro pesado, e ter que virar as paginas sem se enrrolar no lencol…

Entao esses sao meus motivos principias por estar tao apaixonada pelo Kindle, e nao entender como passei tantos anos sem ter um!

Mas algunas das perguntas mais feitas aquí no blog e no Twitter:

- Oque eh melhor, Kindle ou iPad?

Eles sao simplesmente diferentes. Ainda que o iPad possa ser usado como eReader, ele nao eh um eReader. O Ipad eh otimo para assistir filmes, jogar video game, surfar na inernet sem ter que carrgear seu laptop pesado. Mas ler no iPad eh o mesmo que ler na tela do computador, ele eh maior e mais pesado que um livro, e a pesar de oferecer essa opcao de leitura, nao eh sua funcao principal, e acho que quem compra o iPad com essa intencao, acaba se decepcionando, pois o iPad nao oferece justamente as principias vantagens do Kindle: leve, compacto, tela perfecta para leitura, bateria praticamente interminavel, praticidade de virar paginas, etc.

Entao pra quem quer um leitor Eletronico e le muito, o KIndle eh infinitamente melhor.

Pra quem quer fazer um monte de outras coisas e de vez em nunca ler um livro ou outro, entao os tablets como iPad, Galaxy e afins sao as melhores opcoes.

- Quero um Kindle, mas nao leio Ingles, como faco?

Esse eh um problema, pois por ser um produto oferecido por um site Americano/Ingles, naturalmente a maioría de seus titulos serao em Ingles. Voce pode utilizar seu Kindle o o diccionario que vem junto para praticar e melhorar sua fluencia na lingua!

- Como faco para baixar livros que nao sejam na Amazon?

Sim, o Kindle eh um produto oferecido pela Amazon, entao nada mais logico que role um monopolio em seus livros. Da mesma maneira que quem usa iPods, teoricamente, soh deveria baixar musica pelo iTunes.

Entao existem outras maneiras de baixar livros? Sim, mas nao sei se recomendo.

Eu acho super legal a postura da Amazon na defesa dos direitos autorais e protecao intelectual e artistica de escritores, e ao regular a compra e venda de livros eletronicos, eles estao fazendo um otimo trabalho em evitar que a industria literaria nao sofra com a mafia da pirataria que assola a industria da musica, por exemplo.

Entao por favor nao incentive livros ilegais e copias nao autorizadas em sites alternativos. Se o Kindle nao eh ideal pra voce seja qual for o motivo (lingua, por exemplo), simplesmente nao o compre.

Mas por outro lado, o Kindle eh formatado para ler qualquer imagem e qualquer documento (que sera transformado em “pagina de livro” e nao sera tao nitido quanto na tela de um computador, claro), entao voce pode baixar documento em PDF, Word, Power Point, etc para serem lidos no seu Kindle. As instucoes podem ser encontradas na pagina “Help” do seu aparelho ou diretamente na Amazon.

Entao voce pode sim, baixar os livros disponibilizados pelo Ministerio da Cultura, por exemplo (muitos Classicos de lingua Portuguesa), ou coprar livros em sites de editoras e livrarias e transforma-los em formato Kindle sem grandes dificultades.

Nesse caso, o problema maior eh lutar para que editoas Brasileiras/Portuguesas e escritores de nossa lingua abram mais suas cabecas e comecem a disponibilizar suas obras em formato eletronico!

Os eReaders estao ai para ficar, e ser contra e evitar transformar os livros para formato eletronico apenas vai alimentar a industria da pirataria – caso famoso da escritora Inglesa J.K. Rowling, que escreveu os livros do Harry Potter e se RECUSA a dar autorizacao para liberarem seus livros em formato eletronico. Entao oque esta acontecendo? Estima-se que hoje em dia, existam mais copias ilegais dos livros Happy Potter circulando na Internet doque todas as copias impresas que ela ja vendeu. Entao quem saiu perdendo com isso, certo?

- Entao voce nao vai comprar livros de papel nunca mais?!

Claro que nao! Felizmente (ou nao!), alguns livros ainda sao insubstituiveis.

Pra comecar porque infelizmente nao sao todos os autores que aceitam disponibilizar suas obras em formato eletronico, e se por acaso eu estiver muito a fim de ler um livro que nao existe no Kindle, eu compraria a versao em papel sem pestenejar.

E muitos dos livros que consumo sao puramente de imagens, e o Kindle so suporta livros de “texto”, de leitura mesmo.

Entao continuo comprando muitos livros e guias de viagem (que ainda prefiro ver um mapa no papel, a cores e tal, doque em formato eletronico) e muitos, muitos livros de fotografia!

Minha casa eh coberta de livros fotograficos e “coffee table books”, que sao livros pra “ver” e nao pra “ler”, e que portanto nao servem para Kindles ou Ipads ou qualquer outra coisa.

Categorias: Bobagens, Dia a dia, Livros e Literatura
55
23
Aug
2010
Oque elas estão lendo
Escrito por Adriana Miller

Essa semana eu estou participando da campanha “ler é fashion” do blog “Oque elas estão lendo” da Flavia Mariano.

O blog sempre tem dicas otimas de livros, revisado pela blogueira e por leitoras, e é um prato cheio pra quem gosta de ler.

Então elas lançaram uma campanha que atravez de outros blogs (que são as blogueiras fazendo suas reviews) querem desmistificar que se cuidar e ter vaidade não pode ser conjugado com cultura e livros. Então juntamos varias blogueiras que falam de moda, beleza e afins, contando um pouco mais sobre seus livros preferidos.

A campanha já teve participação da Jessica e da Luciana Leal. E agora é minha vez, falando do meu livro preferido! (que agora virou mini serio nos EUA!)

Categorias: Blog, Livros e Literatura
17
10
Sep
2009
De volta ao livros! (no bom sentido!)
Escrito por Adriana Miller

Uma das coisas pelas quais eu mais ansiosamente esperava no final desse mestrado era poder voltar a ler por prazer!

E sei que o fato de estar estudando nao impede que ninguem leia um livro aqui ou ali, mas pra mim rola um bloquio psicologico mesmo… tive tantos livros e textos academicos pra ler, que quando nao estava lendo (tipo, na hora de dormir) preferia ligar a televisao e nao ter que “pensar” em mais nada. (A mesma coisa acoteceu nos meus ultimos anos de faculdade…)

Mas isso nao me impedia de comprar livros, e ia acumulando varios livros na estante que seria meu “premio” de fim dos estudos!

Entao ontem eu finalmente comecei o mais ansiosamente esperado da colecao “World Without End” do Ken Follett, que eh um sequencia (pero no mucho) de um dos meus livros preferidos de todos os tempos: Pilars of the Earth. Ambos tem um media de 1200 paginas, e seu enredo eh uma mistura de romance, suspense, historia medieval, historia do Reino Unido, intriga, etc. Super interessantes, mas devido ao tamanho e a linguagem escrita (pelo menos na versao Ingles), eu precisava estar pronta pro ‘desafio’ antes de sequer ler a contra-capa. E por isso fui deixando pra lah.

Tenho varios outros livros na fila de espera, e a grande maioria jah esta na estante da sala: The God Delusion, The World is Flat, The Tipping Point, e outros nessa linha mais intelectual. Mas os que eu quero mesmo, sao os livros mais “faceis” (ateh porque ainda tenho que terminar um materia no mestrado!) e varios titulos mulherzinha que estao na minha wish list da Amazon, e vou comprando lentamente…

Alguns dos livros mais bobinhos que estou muito a fim de ler sao: Triologia Twilight, Comer Amar Rezar, Chasing Harry Winston, He is not that into you e o novo livro do Dan Brown (que lanca semana que vem!) The Lost Symbol.

Mais alguem tem um boa sugestao de livro divertido-facil-mulherzinha, que nao demande muito de meus neuronios ainda em recuperacao??

Categorias: Bobagens, Dia a dia, Livros e Literatura
34
07
Apr
2009
S.A.L. – Livros
Escrito por Adriana Miller

Vc poderia dar umas dicas de livros bacanas, pelo que li no seu blog vc gosta muito de ler, que tal umas sugestões de livros que vc leu e gostou?

Esse post comeca com uma confissao. A verdade eh que desde que comecei meu mestrado, ha quase 2 anos atras nao li nenhum livro “recreacional”. A carga de leituras e pesquisas foi intensa, e alem de me sentir culpada por ler outras coisas (afinal se estava com tempo pra ler deveria estar lendo meus livros didaticos!), a verdade eh que em meus momentos “off” eu queria que meu cerebro ficasse o mais desocupado possivel – programas de reality TV, revistas de moda, blogs de beleza, olhando pro teto, etc.

Agora que o mestrado esta quase acabando, estou me animando pra voltar a ler as dezenas de livros legais que foram se acumulando na minha estante (eu parei de ler, mas nao parei de comprar livros!).

Entao na verdade esse post deveria ser muito mais pra PEDIR dicas, doque pra dar dicas…

Mas no geral, eu gosto de livros historicos. Nao precisa ser nada necessariamente super profundo ou intelectual, mas gosto de livros que envolvam outras culturas, outras epocas.

Nao necessariamente livros de viagem, ou de fatos historicos, mas livros que entre tramas e fatos historicos vao dando detalhes de outras culturas, outras epocas e afins.

Ha um tempao atras eu escrevi um outro post sobre isso, e hoje ao rele-lo me dei conta de que nada mudou, meus livros favoritos ainda sao os mesmos, e meus autores favoritos ainda sao os mesmos.

Mas principalmente, o motivo que me leva a ler continua o mesmo: viajar.

Ler eh a melhor opcao pra aprender sobre um lugar ou sobre uma cultura – depois de eh claro, poder viajar para esses lugares.

Entao, retirado do post de Agosto de 2005, meu livros preferidos:

Mas o meu ponto era: oque eu leio?

Já deixei publico aqui no blog, mais de uma vez o meu gosto por, por exemplo, Dan Brown. Ele é um autor muito polemico e muito criticado pelos intelectuais de plantao, pelos temas que aborda e por seu estilo literario. Além dele, tb gosto muito do Ken Follett, um Ingles que tb escreve romances hostoricos e que é o autor do melhor livro que já li na vida (”The pillars of the Earth”). Igual mais diferente.  [Ken Follet lancou um novo livro historico ano passado, o "World Without End", que eu jah comprei, mas esta estacionado na estante da sala...]      

 
 

 

Alem deles, tenho lido tb Tom Wolffe, Nicoló Ammanitti, Carlos Luiz Zafón, Margaret Mazzantini, Matilde Asensi, Valerio Massimo Manfredi, Jorge Amado etc…

Todos eles tem uma coisa em comum. Nenhum tem seu nome entre os deuses da literatura. Tem uma escrita facil, que te absorve e entretem por horas e horas.

 

 

 

 

 

 

 

Eles retratam com perfeiçao o perfil e o estilo de vida de um determinado lugar ou uma determidada sociedade (ninguem melhor que Tom Wolffe para retratar a sociedade americana, e Nicoló Ammanitti para retratar a vida no sul da Italia, e Jorge Amado para retratar a Bahia, por exemplo), e literalmente te fazem viajar por lugares incriveis.    
 

 

 
 

 

Pra mim, viajar com esses livros, é quase tao bom quanto conhecer os lugares que eles relatam.

Ser perseguida pelas ruas de Paris em “Codigo Da Vinci”, por Roma em “Anjos e Demonios”, ou Sevilla em “Digital Fortress”, ou Washington em “Deception Point” (Dan Brown). Ser uma criança no sul da Italia com Nicolo Amanitti en “Io no Ho Paura” ou um pai atormentado em Milao com Margaret Mazzantini em “Non Ti Muovere”. Sentir odio dos magnatas de Nova Iorque com Tom Wolffe em “Bonfire of Vanities”, descobrir misterios de deuses Gregos com Massimo Manfredi; como era dura a vida dos Ingleses na idade media em “Pillars of the Earth”; as dunas do Agreste em “Tieta”, as ruas de Barcelona con “La Sombra del Viento”…

Entao cheguei a seguinte conclusao: PRECISO voltar a ler, e poder criar uma nova lista de livros e autores preferidos!

Sugestoes? Quais sao seus 3 livros preferidos? E porque?
 

 Porém todos me proporcionam mais ou menos o mesmo: Viagem.  

 

 

 

 

 

 

 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Livros e Literatura, S.A.L.
19