30 Jun 2015
9 comentários

Organizando uma viagem ao Vale do Loire e Mont St Michel (como chegar, onde se hospedar, o que visitar e como organizar seu roteiro)

Europa, França, Vale do Loire, Viagens

A viagem que nos fizemos em Outubro de 2014 para o Vale do Loire na Franca, demorou a sair aqui no blog… entao resolvi ja comecar a nova serie de posts com a pregunta mais comum: qual foi nosso roteiro, onde ficamos hospedados e por onde passamos.

A regiao eh uma das mais procuradas na Franca e tem tudo para agradar turistas: a localizacao eh super conveniente, bem no centro da Franca, sendo bem pertinha de Paris, mas tambem fácilmente acessivel para quem vem de outras partes da Europa e nao quer ter que obrigatoriamente passar pela capital.

A regiao eh bem servida de trens e aeroportos, e a pesar de ser tao “espalhada” geograficamente, as estradas sao otimas, e o que nao faltam sao opcoes de diferentes passeios e atracoes.

Mas em compensacao a regiao do Vale eh grande e tem infinitas opcoes de coisas a fazer e lugares para visitar, e voce nao dirigie 20 minutos por la sem dar de cara com outros Castelo lindo, cidadezinha fofa, vinhedo maravilhoso…. Entao planejar a viagem nao eh dificil, mas pode ser confuso e sempre da aquela vontade de fazer um milhao de coisas ao mesmo tempo!

A maioria das pessoas passa apenas alguns días por la, dando uma esticadinha a partir de Paris. Nos ficamos 5 noites e mal deu para ver tudo que tinhamos planejado visitar!

Entao eh preciso priorizar, escolher bem e decidir o que realmente eh importante para voce e o que voce realmente quer visitar e conhecer (porque as tentacoes para fazer mil outras coisas “ja que estou aquí” eh constante!).

  • Como chegar no Vale do Loire

A cidade principal da regiao eh Tours, relativamente grande, com uma estacao de trem internacional e um aeroporto bem servido, que recebe voos a partir da Europa toda.

No nosso caso, saindo de Londres, optamos por nao voar ate la. A única empresa aérea que faz a rota Londres – Tours eh a Ryanair e os días/horarios de voos, mais restricoes de bagagens e etc acabaram nao valendo a pena.

Entao chegamos no Loire via Eurostar e TGV (trem de alta velocidade que faz roteiros dentro da Franca), assim como fizemos na viagem para a Provenca 2 anos atrás.

Fomos de EuroStar de Londres ate Paris, e uma vez em Paris trocamos de estacao de trem e pegamos um TGV ate Saumur, que foi a cidade onde escolhemos nos hospedar.

Ja na volta, o roteiro foi um pouco complicado, pois passamos os últimos 2 dias da viagem em Mont St Michel, na costa da Normandia (norte da Franca), que he um pouco mais distante de Paris. Entao dirigimos ate Tours, passamos o dia la, e so no dia seguinte pegamos o TGV ate Paris e de la, o Eurostar ate Londres.

Chegando la, alugamos nossos carros ja na estacao de trem de Saumur, e so devolvemos em Tours, ja na volta para casa.

(No site da Retal Cars voce pode seleccionar o nome da estacao de trem ou aeroporto que voce vai chegar na Franca e eles ja te mostram quais locadoras locais ficam ali perto).

 

  • Onde se hospedar no Vale do Loire

Minha maior dificuldade foi decidir onde ficar hospedado durante a semana. A regiao do Vale do Loire eh enorme, com castelos e atracoes espalhados nos quase 300 kilometros de extencao ao longo do rio Loire.

Tours eh a cidade mais central, e a opcao mais obvia para quase todo mundo. No nosso caso, queríamos ficar bem no campo mesmo, ter a experiencia de se hospedar num Castelo no interior da Franca, e evitar cidades muito grandes e hoteis de rede. E sabíamos que por causa da geografía da regiao, e tudo o que queiamos visitar, seria impossivel ficar hospedados em um local que fosse super bem localizado em relacao a tudo.

Entao escolhemos nosso hotel baseado em varios outros fatores – e deixamos a localizacao (no sentido “central” da coisa) um pouco de lado – afinal era para isso mesmo que alugamos um carro para poder explorar a regiao sem grandes preocupacoes!

viagem ao vale do loire

Entao acabamos escolhendo a cidadezinha Saumur, especialmente por causa do hostel/palacio Bouvet Ladubay que nos conquistou na hora e foi a hospedagem perfeita!

(ja ja entra post especial sobre o hotel, com mais detalhes e porque o escolhemos, entre TANTAS outras opcoes!).

 

  • O que visitar (e como organizar seu roteiro)

Ai que a coisa complica!

A regiao de Loire possui nada menos que 300 castelos oficiais, e claro, todos valem a pena uma visita. Porem a nao ser que voce esteja se mudando para la e pretenta so fazer isso da vida, será impossivel conhecer tudo e todos.

Entao pensei em dois criterios de planejamento: em primeiro lugar, os castelos e atracoes que ficavam perto do nosso hotel em Saumur – coisas que poderiamos fazer e visitar numa boa, sem ser aquela coisa de passar o dia todo fora, horas na estrada e afins.

Ate porque, como estavamos viajando com a Isabella e meu sogro, nao queríamos planejar mais do que teriamos energía, tempo e disposicao para aproveitar bem.

Tentamos evitar ficar tentando “encaixar” mais uma coisa ali outra ali, pois sabíamos que ficaria puxado, as horas de estrada seriam muitas e no fim das contas, queríamos conseguir aproveitar e curtir tudo – nao so os castelos e atracoes, mas tambem uns aos outros, sem ficar sempre numa correría e batendo ponto em atracoes turísticas.

Em segundo lugar, alguns castelos e atracoes que nao poderiamos deixar de ver e conhecer – esses sao os principais do Loire e praticamente obrigatorios em qualquer viagem.

Castelos e atracoes nos arredores de Saumur:

– VILLANDRY

– Château d’Ussé

– SAUMUR

– Vinhedos de vinho branco espumante

– Cavernas de Trogloditas

 

Atracoes classicas da regiao:

– CHENONCEAU

– CHAMBORD

– AMBOISE

– BLOIS

 

Entao nossos dias tinham uma mistura de atracoes bem pertinho, com outras atividades um pouco mais longe, e como passamos bastante tempo por la, tentamos nos organizar a um dia dirigíamos para longe (1 ou 2 horas de distancia), e no outro dia nos limitavamos a no máximo 40 mins ou meia hora no carro (para viagem nao ficar super cansativa para ninguem).

Eu montei o mapa abaixo para nos organizar e ter uma ideia em relacao a distancias, localizacoes e ter uma ideia melhor da regiao.

 

https://maps.google.co.uk/maps/ms?msid=204221437241142544665.00050225f7b4d3e167eac&msa=0&ll=47.299722,0.387268&spn=0.962965,2.238464

 

E tentamos tambem incluir uma coisa ou outra que nao fossem apenas castelos! Sim, eles sao a principal atracao de qualquer viagem para la, mas a verdade eh que depois do 3’, 4’ 5’ Castelo voce ja nao aguenta mais!

Entao para evitar que a experiencia acabasse se tornando aquela coisa “blase” de “ah…. Outro Castelo Frances centenario?!?” Fiz questao de incluir vinhedos, cavernas trogloditas, restaurantes e afins – e assim mantendo a “interessancia” das atracoes ao longo da viagem toda.

 

E no fim das contas, eh relaxar e proveitar o que da. Esse foi o tipo de viagem meio que estressante “Midia Social”-mente falando. Porque tem MUITA coisa para ver e fazer por la, e sempre, sempre vai ter alguem que fez alguma coisa ou foi a algum lugar que voce nao vai ter tempo de fazer – e tudo bem!

Sempre vai ter aquele amigo/colega/primo/vizinho bem intencionado que vai deixar um comentario alfinetando a sua foto com “ah… que pena, nao foram no lugar X?! Mas la eh imperdivel!!” ou entao “Nao deixem de fazer a coisa tal no lugar X! Tem-que-fazer!”.

Gente, nao da. Eh impossivel, e voce vai se estressar mais que o necesario. Eh impossivel fazer tudo, eh impossivel conhecer tudo e ainda conseguir curtir alguma coisa.

 

  • Como ir do Vale do Loire ate Mont St Michel

 

A ultima parada de nossa viagem foi em Mont St Michel, na costa da Normandia, na Franca. Nao incluimos mais nada da Normandia no roteiro (vide parágrafo acima!) e queríamos ter tempo para curtir o lugar, sem pressa.

Excursoes bate e volta?! De jeito nenhum!

Na época alguns leitores comentaram que “da para ver a ilha em 2 horas!”, coisa que eu discordo totalmente!

Sim, a ilha eh pequena, e da para “ticar o ponto” em algumas horas correndo atrás do guía turístico, mas nos queríamos ter tempo para ver a mare subindo e descendo, o sol nascendo e se pondo, e principalmente curtir a ilha depois que todos vao embora.

Assim como comentei na nossa viagem a Capri na Italia, a cidade se transforma depois que os onibus de turistas vao embora. As ruas ficam vazias, os servico nos restaurantes melhora exponencialmente e rola aquela clima de camaradagem entre os turistas.

Claro que depois vou falar sobre o lugar e a experiencia com mais calma, mas resolvemos pasar duas noites da ilha e nao me arrependi nem um segundo! Foi incrivel – e nem adianta dizer que nos hoteis da costa a experiencia eh a mesma, porque nao eh! :-)

Nos ficamos hospedados no hotel Mouton Blanc, uma casa do seculo 14 dentro na ilha, na rua principal (e praticamente única rua da cidade), super bem localizado, confortavel e com um otimo restaurante no terreo!

 

No final da serie de posts eu faco um passo a passo certinho sobre o que vimos e fizemos a cada dia e como deu para organizar tudo ao longo da semana!

 

Planejando uma viagem para o Vale do Loire?

Aqui você encontra todas as dicas e recursos para planejar sua viagem, e podemos cuidar dos detalhes práticos para você:

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
9 comentários
29 Jun 2015
4 comentários

Isabella Street – mais um cantinho secreto de Londres!

Batendo perna, Conhecendo Londres, Europa, Inglaterra, Pubs e Bares

O sintoma é quase sempre o mesmo: você vai visitar um lugar, seja pela primeira ou milésima vez, mas sempre fica de olho numa novidade, algo fora do “batido” e turístico, ou alguma dica que só os locais conhecem.

Londres é uma cidade gigante: no total são mais de 7 milhões de pessoas que moram aqui na área metropolitana da cidade, mas uns 5 milhões que passam por aqui diariamente para trabalhar, e isso sem contar os turistas. Mais alguns milhões por ano.

Então podemos afirmar que é praticamente impossível achar um lugar vazio, ou “exclusivo” e que ninguém conhece ou ainda não ouviu falar.

Mas por outro lado, para uma cidade tão grande e lotada o tempo todo Londres é cheia de continhos secretos, ruas escondidas e lugares que estão bem ali embaixo do seu nariz, mas são quase um universo paralelo dentro da metrópole!

Eu pessoalmente adoro todos eles e já falei de vários aqui no blog, e gosto da mudança de ares, e da sensação de “step aside” que oferecem.

Então recentemente voltei à Isabella Street, lugar que não ia há muito tempo, e fiquei naquela de “porque não venho aqui sempre?!”.

A Isabella Street (além do nome mais lindo do mundo!) fica escondidinha bem atrás da estação de Southwark, entre Waterloo e a ponte Blackfrias, então super conveniente pra quem estiver pelo Southbank ou na City e quiser parar para um drink ou comer alguma coisa!

A rua é praticamente um jardim, ou uma floricultura! Muito verde, flores e mesinhas na calçada!

E como a rua é encostadinha na linha de trem de Waterloo, os vãos do viaduto ferroviário deram lugar a bares e restaurantes estilosos, lotados de gente, boa comida e boa bebida!

Nós fomos no Jack’s, um bar/pub com decoração meio vintage-industrial, meio indie e moderninha, com uma seleção de cervejas e cidras artesanais de fazer inveja!

E no menu: dogs, wings & pizza! Hahaha

Cachorro quente “gourmet”, asinha de frango (tipo Americano) e pizzas! Eles também têm outras opções (hambúrguer, massas, saladas etc), mas esses são seus carro chefe com certeza!

Uma ótima opção pra uma refeição rápida e barata, mas sem comprometer a qualidade e “style” nem ter que sair do seu passeio e roteiro por Londres!

Outros “segredos” de Londres?

St Katherine’s Dock, perto da Tower of London

Sicilian Avenue, perto do British Museum

St James Street, perto da Oxford Street

Maltby Street, perto da Tower Bridge

Litle Venice, em Maida Vale

Gabriel’s Wharf, no Southbank

Neal’s Yard, em Covent Garden
Isabella Street

SE1 8DA

Os bares e restaurantes da Isabella Street funcionam todos os dias da semana, mas durante a semana (e no horário da happy hoje!) fica mais cheio e animado, pois é um lugar perfeito pra um happy hour na volta pra estação!

Planejando sua viagem para Londres?

Além de todas as dicas para aproveitar o máximo de Londres que você encontra aqui no Blog, planeje também sua viagem com serviços e recomendações testadas e aprovadas:

E não perca as dicas de Pubs e Restaurantes, o Calendário de Eventos para saber o que rola de mais interessante ao longo do ano e todas as demais dicas úteis para curtir Londres como um Londrino!

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
4 comentários
26 Jun 2015
9 comentários

Novo Mercado de rua em Londres: Maltby Street Market!

Conhecendo Londres, Mercados

Bem, para os leitores Londrinos, o mercado de rua de Maltby Street não é exatamente um lugar “novo”, mas sem dúvidas uma atração que tem recebi mais atenção recentemente.


Na verdade eu trabalhei anos bem ali do lado, e passava pela ruazinha do “Rope Walk” praticamente todos os dias!


 Isso já fazem mais de 5 anos, e naquela época definitivamente o mercado não existia. Mas a rua já era conhecida pelos “locais” como um bom endereço para almoços rápidos, bolos, doces e pastries.


  

A rua/vizinhança inclusive já apareceu aqui no blog num posto sobre lojas de antiguidade e artigos vintage, que continuam uma característica firme e forma da área!

Bem, a galera mais metida a trendy vai dizer que Maltby Street é o “novo” Borough Market, ou o Borough Market sem os turistas.


      

O que é a mais pura verdade! Mas também é um Borough Market 10 vezes menor! (Talvez até 20 vezes menor!)

Mas nada disso importa! O que vale saber é o quanto o marcado é fofo, estiloso, tem um clima super gostosinho, e claro, muita comida boa!!

O mercado Maltby Street só funciona aos sábados e domingos, e começa por volta as 10/11 da manhã. Então é um ótimo lugar para um brunch ou um almoço mais reforçado (e informal!) durante seu passeio ali pelo Southbank e Tower Bridge.


    

O destaque fica para as comidas e pastelarias artesanais e a destilaria de Gin “Litle Bird” que faz seu gin ali mesmo nos arcos da linha de trem e fica com suas mesinhas lotadas nos dias de sol (apesar de não servirem nada de comida! Mas como era um brunch de domingo, fomos de Bloody Mary!).

Mas o que eu gostei mesmo foram duas surpresas (fica a dica pros Brasileiros expatriados!): uma barraquinha de picanha na chapa Brasileira (com direito a guaraná ou água de coco geladinha!) é um barraquinha de brigadeiro!!!!!

Adivinhem qual foram as minhas escolhas?!

Não sei se as adições Brasileiras do mercado são recentes, mas já tem uns 6 meses que não ia lá, e com certeza é novidade!

Então o mercado de Maltby Street é uma adição perfeita ao meu roteiro de Londres que começa ali no Southbank, ou pra quem vai começar a manhã na Torre de Londres no fim de semana!

O mercado fica a uns 2 ou 3 quarteirões no lado sul da Tower Bridge e é bem fácil de achar!

Maltby Street Market

Rope Walk, SE1 2HQ

 

 

Planejando sua viagem para Londres?

Além de todas as dicas para aproveitar o máximo de Londres que você encontra aqui no Blog, planeje também sua viagem com serviços e recomendações testadas e aprovadas:

E não perca as dicas de Pubs e Restaurantes, o Calendário de Eventos para saber o que rola de mais interessante ao longo do ano e todas as demais dicas úteis para curtir Londres como um Londrino!

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
9 comentários
Página 1 de 53112345Última »