22
Aug
2011
Johannesburgo ao vivo!
Escrito por Adriana Miller

Bem, não tenho assim nada muito interessante pra reportar não… Fico aqui na África do Sul ate 5a feira, e infelizmente aqui é o único pais do mundo que eu já fui ate hoje que não consegui aproveitar nem me divertir nem um pouquinho…

Essa coisa da falta de liberdade e tanta insegurança/violência ultrapassa um pouco dos limites e me sinto muito presa o tempo todo… Ate porque fico presa né?! Não da nem pra colocar o nariz pra fora do hotel/ escritório sem estar acompanhada do segurança…

Mas tudo bem, o projeto vai bem, o dia foi produtivo… Então meu dia foi assim (e os próximos 3 dias serão iguais):

20110822-223830.jpg

O vôo estava incrivelmente lotado e dessa vez a nossa senhora da Business Class não estava de bem comigo!

20110822-223951.jpg

Por sorte eu estava bem preparada, com tapa olho, tapa ouvidos, livro e revistas e um remedinho pra enjôo que da um soooono!
Incrivelmente dormi as 11 do vôo como um anjo. Com a cadeira toda reta mesmo e só acordei na hora do café da manha!

Depois de um pit stop no hotel, passei o resto do dia todo no escritório.

20110822-224309.jpg

O escritório fica bem de frente do mega shopping Sandton City e o “inverno” Sul Africano é tipo o inverno Brasileiro: mor solzão e 23 graus – e todo mundo reclamando de frio!

20110822-224902.jpg

No fim do dia o segurança me levou de volta pro hotel… Na ultima viagem eu achei muito exagero, mas depois que reparei que o restaurante no térreo do meu hotel tem uma marca de bala na janela (resultado de um “confronto” semana passada), resolvi ficar no meu canto e não dar bobeira.

20110822-224818.jpg

 

Já de volta no hotel, trabalhei mais um pouco….

20110822-225102.jpg

Ate que o jantar chegou!

20110822-225218.jpg

E amanha recomeça tudo de novo!

 

Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Trabalho, Viagens
12
14
Apr
2011
Sandton City
Escrito por Adriana Miller

 Sandton City, como mencionei em outros posts, eh considerado o maior shopping da Africa, e o orgulho dos Jobur-guenses.

Mas essa “cidade” eh mais que um shopping, pois funciona como o coracao do bairro “pre fabricado” de Sandton.

Eh um complexo comercial que integra 2 shoppings diferentes (um bem pequeno, mais “boutique” com entrada na Nelson Mandela Square, e outro mais “popular”), escritorios, muitos bancos, uns 3 ou 4 hoteis alem de muitas opcoes de restaurantes e entretenimento. Sem duvida alguma, a melhor area pra se hospedar em Johannesburg.

Quando comparam Johanesburgo com Sao Paulo, eu consigo nitidamente ver o porque… Ambas cidades sao centros financeiros de seus respectivos paises, sem grandes atrativos turisticos, porem porta de entrada do pais, e por tanto nao me admirou muito que Johanesburgo tambem tenha como centro social, um centro comercial. (Inclua aqui o cinismo de uma Carioca falando sobre SP…)

Numa cidade onde eh praticamente proibido andar na rua, o Sandton City eh um oasis!

Sua “pracinha” principal, a Nelson Mandela Square passa uma sensacao de cidade “normal”, um espaco a ceu aberto, onde familias e criancas andam despreocupadamente, e com muitas opcoes de restaurantes, bares, cinema, livrarias, etc.

Por isso gostei de ficar hospedade nessa regaio, pois fica facil sair da “bolha” do seu hotel, e entrar diretamente na “bolha” no Sandton City, e se sentir um pouquinho livre e independente.

Mas sobre o shopping propriamente dito, lamento informar que fiquei bem decepcionada, e acho que pode ser ainda mais decepcionante para Brasileiros que cheguem em Jo’burg com esperanca de precos mais baixos e paraiso de compras.

Achei os precos bem padrao Europa (que em se tratando de shopping, eh mais barato que Brasil, mas eu nao achei nada super barato nem que valesse a pena), mas principalmente porque eh um shopping “local”, sem lojas nem marcas internacionais nem reconheciveis, com um estilo local bem especifico e com a moda um tanto quanto “atrasada” (engracao que eu assisti um programa na TV sobre isso, e um carinha “fashion” reclamando de por estarem no hemisferio sul, e terem as estacoes invertidas em relacao aos EUA e Europa, a moda Sul Africana esta sempre correndo atras do prejuizo e oque vai se usar no inverno desse ano – de Maio a Setembro – eh oque a Europa usou ano passado. “Problema” esse que eh a mesma reclamacao que vemos em revistas, sites e blogs de moda Brasileiros).

A Africa do Sul tem um grande problema a ser superado, que eh a reabertura de seu comercio ao embargo comercial que o pais sofreu durante as muitas decadas de Apartheid.

Entao ate meados/final da decada de 90 a Africa do Sul nao importava, produzia nem vendia marcas internacionais (em produtos que variam entre pasta de dente Colgate a calca jeans Levis), e por causa disso eles desenvolveram um mercado interno bem forte.

Portanto isso se reflete no shopping e nas lojas tambem, pois sao todas locais, e sem grandes apelativos para estrangeiros (pelo menos pra mim…).

Tirando a parte “boutique” do shopping (que tem umas 10 lojas e entre elas uma Louis Vuitton, Fendi, Bally’s, Cartier, etc) eu reconheci uma unica loja no shopping todo (uma micro Mango, vendendo pecas de colecoes antigas), e mais umas tantas multi marcas cobrando fortunas por pecas de lojas como J Crew e Banana Republic (que sao relativamente baratinhas nos EUA).

Entao eu me senti como eu acho que um gringo se sentira num shopping Brasileiro: lojas e marcas que nao reconheci (e portanto nao me atrairam muito), um “estilo” local bem especifico, estacoes invertidas (que pra Brasileiros seria vantajoso, pois ambos os paises estao no hemisferio sul e portanto com as estacoes “atrasadas”) e precos relativamente altos para o padrao local.

Mas entao nada vale a pena?!

Eu nao achei que as lojas de roupas e sapatos e afins nao me atrairam em nada (mas isso eh bastante pessoal neh?), lojas de eletronicos com precos altos e modelos atrasados, mas em compensacao fiquei babando nas lojas de joias e coisas para casa e decoracao!

Entao Johanesburgo e a Africa do Sul definitivamente nao sao um destino para “compras”, mas tenho certeza que os/as shopaholics com certeza achariam alguma coisa interessante!

Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Viagens
12
13
Apr
2011
Gautrain: A maneira mais facil, rapida e segura de chegar e sair de Johanesburgo
Escrito por Adriana Miller

Eu já cheguei em Johanesburgo meio apavorada com a quantidade de gente (principalmente os proprios Sul Africanos!) me contando historias sobre a cidade. Então na duvida, reservei um transfer direto com meu hotel (aparentemente pegar taxi “de rua” – mesmo nos pontos do aeroporto – é perigosissimo por lá), mas quando estava no escritorio me deram uma outra dica: o novissimo Gautrain!

Estação do Gautrain de Sandton

O Gautrain foi uma uma das grandes obras de infraestrutura construida pra Copa do Mundo de 2010 que os moradores de Jo’burg realmente adoram. Ele conecta o terminal Internacional do aeroporto R.O Tambo a varios bairros da cidade, incluindo Pretoria e Sandton.

Uma das plataformas do trem

A linha é novissima, e bem segura (= com seguranças armados nos carros do trem) usada por turistas e locais.

Cartão recarregavel

Voce pode comprar um cartão recarregavel e usar varias vezes (na chegada/saida da sua viagem) ou para circular pela cidade.

A conexão no Aeroporto RO Tambo de Johannesburg

A estação do aeroporto chega/sai direto no terminal Internacional e a estaçao de Sandton tem conexão direta com o shopping!

(Ah! Gautrain se fala “Rautrain”, já que é um palavra em Afrikaans, com origem Holandesa…)

Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Viagens
1
13
Apr
2011
Radisson Blu Gautrain Hotel – Johanesburgo
Escrito por Adriana Miller

Johanesburgo é um lugar dificil de se hospedar. É uma cidade que é a capital financeira da Africa do Sul, mas que também é o epicentro da desigualdade social, crime e violencia.

Infelizmente pra nós turistas, Johanesburgo é tambem a cidade onde chegam 99% dos voos internacionais da Africa do Sul, e é quease impossivel visitar o pais sem passar pelo menos 1 noite se quer em Jo’burg.

Além disso a cidade é grande e espalhada,  sem transporte publico eficiente conectanto um ponto ao outro.

E por todos esses motivos que o bairro Sandton tem crescido e se desenvolvido cada vez mais, pois ali esta crescendo uma “mini” Johanesburgo que vivi numa “bolha” independente do resto da cidade.

Ali ficam os escritorias das grandes empresas e multinacionais, que por sua vez atrais os melhores hoteis da cidade, que levou a construção do maior shopping da Africa, a unica rede de transporte com conexão ao aeroporto, etc, etc.

Então a recomendação de sites, guias, amigos Sul Africanos e o pessoal do escritorio foi obvia: Hospedagem em Johanesburgo, sempre em Sandton.

Eu me hospedei no Radisson Blu Gautrain, que convenientemente ficava super pertinho do escritorio, mas que apesar de ser um hotel com perfil business, achei que seria uma otima opção pra quem vai a Jo’burg a passeio tambem.

Primeiro porque o preço é otimo pra esse padrão de hotel, alem de ser super moderninho e confortavel (e com wifi gratix!).

Mas principalmente por que a localizaçnao é muito boa! Fica exatamente do outro lado da rua do estação de trem Gautrain, que é a linha super moderna (construida pra Copa de 2010) que conecta com o aeroporto em 15 minutos (de carro leva quase 1 hora!), e porque tambem fica praticamente em frente ao Sandton City, que é o tal super maior shopping da Africa.

E como pelo que andei vendo um dos principais atrativos de Jo’burg para turistas são as compras, então ficar hospedado a poucos metros de um super centro comercial, realmente é uma super vantagem.

Mas não só pelas lojas, já que numa cidade tão perigosa quanto Johanesburgo, o Sandton City é um pequeno oasis de tranquilidade, onde vc pode andar na pracinha e escolher um restaurante, andar de loja e loja e “passear” um pouco, sem precisar de segurança tomando conta!

Mas sabe oque eu mais gostei mesmo?! Do banheiro do hotel! Com um chuveiro enorme que tinha uma “janela” pro quarto e soround sound (dentro do banheiro!), então voce pode tomar banho assistindo um dos varios canais de filme ou seriado!

Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Viagens
13
05
Apr
2011
Chegando em Johanesburgo
Escrito por Adriana Miller

Cheguei!

Cheguei em Johanesburgo hoje de manha e já tive um dia acupadissimo no escritorio, que graças a Deus acabou cedo, porue estava arrasada depois do voo noturno!

O voo saiu de Londres ontem de noite, e tinha tudo pra ser otimo, mas eu cometi um pequeno erro – cai no sono antes mesmo do avião decolar (eu sempre faço isso! Não consigo me controlar…), mas acabou que o voo atrasou mais de 1 hora, e depois desse meu “cochilo” não consegui mais engrenar num sono de verdade durante a noite toda (11 horas!!). Pelo menos a Africa do Sul tem apenas 1 hora de diferença em relação a Inglaterra, então não to sofrendo com jet lag.

Então por enquanto não consegui ver nada da cidade, e nem sei se conseguirei… Fico aqui até sexta feira e tenho todos os dias ocupadissimos com reuniões.

Mas oque vi até agora não me impressionou. Chegar em Jo’burg é como chegar no Rio – uma avenida enorme que conecta o aeroporto até a cidade, cercada de favelas por todos os lados. A diferença é que no Rio, voce tem uma cidade pra “chegar”, mas em Johanesburgo não.

Estou hospedade em Sandton, que é o novo centro comercial e financeiro da cidade, onde todas as grandes empresas e bancos se mudaram depois do fim do apartheid. O hotel é otimo, e o escritorio do BAML fica extamente em frente ao Sandton City, que é o maior shopping da Africa.

Engraçado como em poucas horas no solo Africano já presenciei varios dos supostos estereotipos que sempre ouvimos falar sobre a Africa do Sul… A diferença entre brancos e negros ainda é bem aparente, e mesmo com toda melhoria na economia do pais nos ultimos anos, o titulo de cidade mais perigosa da Africa vai ser dificil de perder num futuro proximo.

Por exemplo? Brancos não andam a pé nas ruas. O meu hotel fica literalmente na esquina do escritorio, e a gerente de RH fico escandalizada que eu atravessei a rua pra chegar no escritorio. Na hora de ir embora, ela chamou o motorista pra levar de volta pro hotel.

E o pavor esta em todos os lados – não ande na rua, não pegue taxi na rua, não saia na rua de bolsa, deixe seu anel no cofre do hotel, não atenda o celular na rua, etc, etc… Se a cidade é esse perigo todo mesmo eu tenho minhas duvidas, mas isso demonstra bem como os brancos veem os negros por aqui. No escritorio são todos brancos. Na portaria, recepção, servindo cafezinho e dirigindo os carros, são todos negros.

Apertheid? Tenho minhas duvidas.

Tudo bem, tudo bem que sou Carioca e deveria estar acostumada com esse tipo de insegurança, mas depois de tantos anos em Londres, me desacostumei a ficar “alerta” 24hrs por dia.

Uma pena que acho que não terei tempo de conhecer nada pela cidade – se der sorte, dou uma passadinha no shopping… mas estou empenhada a remarcar a reunião de sexta tarde e assim ter tempo de fazer uns passeios pela cidade.  Não quero ir embora de Johannesburg com uma impressão tão negativa da cidade.

Mas por outro lado, sexta a noite vou pra Cidade do Cabo e estou animadissima de passar o fim de semana por lá!

E pretendo realizar um grande sonho: ver de perto o Cabo da Boa Esperança!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Viagens
38