14
Jun
2006
Munique: Easyjet, Alemanha e a Copa do mundo
Escrito por Adriana Miller

Esse fim de semana eu fui pra Munich, no sul da Alemanha assistir o fim de semana de inauguracao da Copa.

O Aaron esta trabalhando no IBC (International Broadcast Center – a Avaya eh patrocinadora, e responsavel por toda comunicacao da competicao), fez aniversario semana passada, e eu nao perco uma boa viagem por nada nesse mundo!

Ja estava planejando ha muito tempo, comprei a passagem quando ainda estava barato, e nem sequer sabia quem ia jogar, se iria conseguir entradas pros jogos (nao consegui) etc, e na verdade nao tava nem ai. Perco a copa mas nao perco um passeio…

A viagem comecou super afobada, como sempre. O despertador estava programado para a hora errada, acordei no susto e perdi o onibus que ia pro aeroporto. Tudo bem, mesmo assim cheguei a tempo. Porem o voo estava 6 (SEIS) horas atrasado, e ninguem, NINGUEM sabia dizer porque. Que raiva, que odio!

E isso pq eu estava indo passear, imagina o pessoal que estava indo assitir o jogo? (o voo estava cheio de Hoolingans ingleses indo assitir o jogo InglaterraXParaguai) Achei que ia ter quebradeira no aeroporto.

Finalmente chegamos. Voo 6 horas e meia atrasado, joga da inglaterra terminado, perdi a festa com telao no OlimpikPark em Munique. Paciencia. E muitos ingleses bebados enfurecidos.


O resto do dia (que ainda falatava muito pra acabar, ja que no verao aqui faz sol at as 10 da noite) passamos vendo as atracaoes turisticas de Munich, que nem sao tantas assim.

Mas foi o maximo. A cidade respira e transpira Copa do mundo, e isso eh muito bom. Gente de tudo quanto eh canto do mundo, todas as linguas, todas as racas. A decoracao da cidade em clima de festa, as mesonas da Oktoberfest espalhadas pela cidade, teloes em todas as pracas e parques, muita cerveja quente vendida aos litros e muito salsichao.


Fechamos o dia no Haufbierhaus, que eh a maior cervejaria de Munich, mais antiga e mais famosa. Alem da decoracao tipica Bavaria, ainda rolou guerra de torcida, com alemaes, mexicanos, brasileiros e americanos disputando que fazia mais barulho. Eu ate encarei um balde de cerveja, que nao sou chegada, mas na Bavaria, faca como os alemaes.


De noite queriamos comer no festival da Marinenplatz, mas como sou alergica a carne de porco e na alemanha TUDO gira em torno da carne de porco, tivemos que ir num restaurante mesmo. Nao eh a mesma coisa, a mesma bagunca, a mesma festa. Mas dor de barriga na Alemanha era a ultima coisa na minha lista.

No domingo, acordamos cedo. O dia estava um sol lindo maravilhoso, uma delicia (eh impressionante oque um longo e escuro inverno faz com as pessoas… qualquer raio de sol me faz a pessoas mais feliz do mundo!). Pegamos um trem e fomos pro sul, na fronteira com a Austria, visitar a regiao dos castelos do Rei Ludwig II.

A regiao por si soh jah eh linda. O visual da subida pros alpes eh imapagavel. O verde, as montanhas, as casinhas tipicas, a neve derretendo.

Antes de subir pro castelo, resolvemos dar uma voltinha por Fussen, que acabou sendo uma otima ideia, pois a cidade era exatamente como eu sempre imaginei a Bavaria. Casinhas coloridas, os Alpes no fundo, todo mundo em volta com cara de alemao.


O castelo tem um nome impronunciavel: Neuschwanstein. Vai, tenta ai. Sem cuspir e sem enrrolar a lingua. Hahahahahahaha! Eu nao consigo!

O que o nome tem de complicado, castelo tem de MA-RA-VI-LHO-SO. Diz a lenda que esse foi o castelo que inspirou Walt Disney. Tenho minhas duvidas, pq na Espanha, em Segovia, dizem a mesma coisa do castelo da Rainha Isabel. Como o castelo de Segovia eh mais antigo, fica a duvida.

Mas esse realmente eh maior, mais bonito e mais imponente. Eh a composicao de conto de fadas em si. Nao soh o castelo, mas a paisagem, as montanhas, a cachoeira e o lago. Tudo se encaixa, tudo eh perfeito. Ludwig nao poderia ter escolhido melhor, com todo seu dinheiro e exentricidade, o resultado ficou simpliesmente perfeito.


Pra chegar lah, tinhamos duas opcoes. Onibus, ou trilha. Oque pra mim significa que soh tinha uma opcao: TRILHA!

40 min subindo a estradinha no meio do bosque, admirando a paisagem, respirando ar puro e desviando dos cocos de cavalo. Nao tenho palavras pra descrever a vista lah de cima.

Ludwig era tao egocentrico e narcisista, e ficou tao orgulhoso de seu prorpio castelo, e ainda mandou construir uma ponte no outro lado do vale, onde ele podia admirar sua propria construcao.

Pontezinha de madeira. Na garganta do precipicio. Pedra, agua, gelo por todos os lados. Eu suando e tremendo de medo de altura. Oque eu nao faco por uma boa foto. Valeu a pena, o resultado ficou maravilhoso.


Por dentro o castelo tb eh impressionante, mas infelizmente nao esta acabado. Ludwig morreu antes de terminar a construcao, sem herdeiros, e o castelo virou museu apenas umas semanas depois de sua morte. Oque significa que, oque esta terminado, ficou impressionante. Mas nao eh tanta coisa assim.
De noite voltamos pra Munich, assitismo o finzinho do Jogo PortugalxAngola e pronto.

Voltei pra Londres na segunda de manha, e vim trabalhar direto do aeroporto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Alemanha, Munique, Neuschwanstein, Perrengues, Viagens
5