21
May
2007
Cruzeiro no Reno
Escrito por Adriana Miller

Update tardio (quase 2 anos e meio depois!):
Nos fizemos a versao bate-volta, saindo de Frankfurt (trem) ao raiar do dia e indo direto pra Bingen. A cidade eh minuscula, e a estacao de trem fica bem no centrinho, e o porto eh a apenas alguns quarteiroes de distancia.

O passeio que nos fizemos nao foi extamente um cruzeiro, apenas pegamos uma das balsas que fazem servico de passageiro pelo Rio, com servicos regulares, parando em varios portos ao longo do trajeto, e pelo que me lembro foi bem barato (coisa de 10 Euros, com direito a ir parando onde quiser).
Nao fizemos reserva nem nada (eh uma coisa meio Balsa Rio-Niteroi de luxo) jah que o servico eh bem regular (mas fomos bem fora de temporada. No auge da alta temporada eu recomendo fazer reserva).
Andamos ateh o porto e compramos a passagem (apenas de ida – o day pass) com a empresa Köln-Düsseldorfer (K-D) Line.
Soh tem que ficar de olho nas datas pois os barcos nao cruzam o Reno durante o inverno, entao acho que soh ficam abertos entre Abril e Outubro (acho).

No fim do dia, jantamos em Koblenz e pegamos o trem de volta pra Frankfurt.

Foi um dia looongo, mas valeu a pena! O ideal seria passar pelo menos 1 noite em algumas das cidadezinhas na beira do Rio, mas nosso tempo era curto, entao curtimos como deu…

*****************
Depois de muito prometer, aqui estao as fotos e as historias do passeio! (as fotos já estao no Fotki, mas depois termino de postar as fotos aqui no blog tb)

Durante vários séculos, o Rio Reno foi o caminho natural para os viajantes que cruzavam a Europa central no sentido norte-sul ou inverso. Às margens desse rio, que cruza o território de quatro países – Suíça, França, Alemanha e Holanda, foram construídos no correr da história inúmeros castelos e fortalezas e os primeiros núcleos de colonização romana marcaram a origem de importantes cidades.

Também politicamente importante, o Rio Reno representou durante muito tempo o ponto central das discórdias entre franceses e alemães. Os franceses reivindicaram durante décadas o Reno como fronteira oriental do seu país. No correr da história, ao cabo de guerras e tratados, a margem esquerda do rio mudou várias vezes de nacionalidade.

O nome Reno é de origem celta e significa fluir (como em grego antigo ‘rheīn’=fluir). Junto com o Danúbio, o Reno constituía a maior parte da fronteira setentrional do Império Romano. Os romanos chamavam o rio de Rhenus. Desde essa época o Reno é um curso de água muito usado para o transporte e o comércio.A maioria dos castelos da Regiao tem entre 500 e 1000 anos (alguns muito mais que isso!) de historia, na epoca da pre unificacao Alema; Ou seja, a cada alguns quilometros se cruzava um novo reino, e a grande fonte de riqueza da regiao era o pedagio fluvial.Os donos dos castelos eram conhecidos como “Baroes-ladroes” (robber barons), pq oque faziam era, literamente um roubo.

 

Os castelos ficavam numa margem do rio, e uma outra torre na outra margem. Quando algum barco passava por lah, eles levantavam uma corrente e soh deixavam o barco passar depois de pagar os impostos.Varios castelos foram destruidos e reconstruidos, por causa das varias guerras da regiao, e finalmente na epoca pos revolucao industrial, com o desenvolvimento de outras regioes, e a unificacao da Alemanha os nobres da regiao perderam seu poder e muitos dos castelos acabaram sendo abandonados.Entao hoje em dia, quase todos foram comprados por bilhonarios exentricos que nao sabem mais oque fazer com seu dinheiro, ou viraram heranca de familias que os transformaram em hoteis e museus. Por incrivel que pareca, esses hoteis sao super baratos e acessiveis. Se eu soubesse disso teria me planejado pra passar pelo menos uma noite num deles!!A regiao da “Rota Romantica”, que sao mais ou menos 50 e poucos quilometros, entre Bingen e Koblenz e tem uns 20 castelos, cada um com suas historias e particularidades:

Ehrenfels Castle Do outro lado da estacao de Bingen da pra ver o fantasmagorico castelo Ehrenfels, mas como ele nao oferecia uma boa visao do rio o dono construiu uma mine torre numa ilha no meio do rio. Hoje em dia eh usado como farol do rio.

Burg Reichenstein e Burg Rheinstein:

Os dois sao privados e abertos a visitacao. E aparentemente sao conectados por uma trilha bem legal.

Castle Sooneck

Esse castelo jah foi destruido e reconstruido duas vezes, pela populacao que estava de saco cheio dos altos importos cobrados pelo Barao. Descrito pela guia de viagem como “patetica ruina de um castelo”, soh sobraram algumas miseras paredes pra contar historia…Bacharach and Burg Stahleck

A vila de Bacharach eh considerada uma das melhores cidadezinhas da regiao, e tem um vinho famoso. O castelo foi transformado num albergue e a cidade eh toda cercada por vinhedos.

Burg Gutenfels and Pfalz Castle: O cartao postal do Reno

O castelo Burg Gutenfels, e o castelo em forma de barco Pfalz Castle (construido numa ilhota em 1300) eram os mais efetivos na cobranca de impostos. A cidade prosperou gracas as amecas de uma prisao cruel para os evasores de impostos…

Oberwesel

Oberwesel foi uma cidade Celta e depois uma cidade Romana, e temas melhores ruinas Romanas da regiao. O castelo Schönburg Castle parece saido de um conto de fadas, e todas as entradas dos tuneis que conectam a cidade tem terrezinhas decorativas.

Dois quilometros depois do castelo estao os “Killer Reefs” (Recife da morte) , devido a ser uma regiao de aguas rasas com muitas pedras no fundo, logo estracalhava os barcos. Isso, logicamente deu origem a uma lenda medieval: O princepe de castelo Schonburg tinha 7 filhas muito mimadas, que sempre botavam defeito em seus pretendentes e esvam ficando encalhadas. Um dia o Principe ficou de saco cheio, convidou 7 de seus melhores cavaleiros e mandou que cada filha escolhesse um pra casar. Ela continuaram reclamando dos pretendentes e fugiram todas juntas num barco. Entao pra puni-las por serem malcriadas, Deus as trasnformou nas 7 rochas que formam o recife e continuaram matando e azucriando homens por muitos anos.

A Loreley:

Mais uma lenda da regiao. Essa eh a parte mais profunda do Rio, e mais estreita, e tambem eh a area onde as montanhas ao redor sao mais “fechadas” criando penhascos nas duas margens do rio.

 

Essas caracteristicas geologicas criavam muitos ecos, oque os navegadores acreditavam que fosse uma sereia. O canto dessa sereia distraia os homens e fazia com que eles perdessem a direcao dos barcos e morressem no recife de Oberwesel (uma explicacao: nos fizemos esse passeio rio acima, ou seja, contra a correnteza. O curso normal naquela epoca seria passar pela Loreley primeiro, ouvr o canto da sereia e depois morrer no recife).

Burg Katz — Burg Katz (Katzenelnbogen) 

Burg Katz (Katzenelnbogen)No lado oposto da cidade de St Goar, e juntos, criaram a regiao mais protegida do Reno, pois os inimigos eram vistos de longe. Esse castelo foi comprado por um empresario Japones que tinha uma fatasia de ser principe medieval, e pagou a bagatela de 4 milhoes de Euros pelo castelo. Mas como a lei Alema nao permite que extrangeiros utilizem seu patrimonio pra uso particular, o castelo acabou sendo abandonado (mas que japa otario esse, heim…?).

St. Goar and Rheinfels Castle

Nessa cidade resolvemos fazer uma parada. O castelo eh um dos mais antigos da regiao, entao a cidade era a que oferecia melhos infraestrutura pro navegadores. Geralmente eles paravam aqui pra recuperar as energias antes de enfrentar a Loreley.Nessa cidade resolvemos fazer uma parada. O castelo eh um dos mais antigos da regiao, entao a cidade era a que oferecia melhos infraestrutura pro navegadores. Geralmente eles paravam aqui pra recuperar as energias antes de enfrentar a Loreley.Entre todas as opcoes resolvemos parar pra explorar o Rheinfels que parecia ser o mais “selvagem”, na vila de St Goar. Parte dele foi transformado num hotel, mas o “corpo” principal do castelo foi mantido como era e pode ser explorado livremente. A unica instrucao que te dao eh “traga uma lanterna”.

Nessa cidade resolvemos fazer uma parada. O castelo eh um dos mais antigos da regiao, entao a cidade era a que oferecia melhos infraestrutura pro navegadores. Geralmente eles paravam aqui pra recuperar as energias antes de enfrentar a Loreley.Entre todas as opcoes resolvemos parar pra explorar o Rheinfels que parecia ser o mais “selvagem”, na vila de St Goar. Parte dele foi transformado num hotel, mas o “corpo” principal do castelo foi mantido como era e pode ser explorado livremente. A unica instrucao que te dao eh “traga uma lanterna”. O meu conselho pessoal eh: se vc eh clasutrofobico, fique bem longe!! Hahahahah

Comecamos inocentemente andando ao redor do castelo, subindo ateh as torres, ateh que encontramos as passagens secretas e a area residencial! Como que algum dia seres humanos conseguiram viver lah dentro eu nao sei…

A Area dos “apartamentos” eh ampla, grandes quartos, com teto alto mas umas janelinhas minimas… pra minimizar a entrada de frio e oferecer maior protecao a estrutura. Muitas lareiras pra tudo quanto eh lado, que imagino eu deveria melhorar um pouquinho a temperatura e o breu lah dentro. Dei vaaaarias topadas com meu mindinho nos pedregulhos e escadas.

Eu fiquei viajando na batatinha, soh imagiando como que nao deveria ser lah dentro quando ainda era “habitado”… Seguindo por um corredor, resolvemos entrar numa portinha. Mas o negocia era TAO escuro, mas TAO escuro que era desesperador. Fomos andando esperando encontrar uma parede, ou uma saida… Eramos 4 e soh o Rich tinha uma micro lanterninha… mas eh o suficiente apenas pra ninguem dar de cara com a parede.

Depois de uns metros subindo o tunel, perdemos total contato com a luz do lado de for a. Agora imagina a cena: as paredes sao 3 metros de pedra solida, o teto devia ter mais ou menos 1,5 metro (eu andava agaixada, o Aaron quase de joelhos!). Aquilo foi me ando uma agonia, um desespero, o teto ia encolhendo, a parede ia ficando mais estreita, nem sinal de luz, nem sinal de saida, uns barulhos estranhos…. GENTE QUE DESPERO! O Aaron ia disparando a camera fotografica pra dar uns flashes de luz, que acabaram garantindo umas fotos hilarias, que dah pra ter bem uma ideia de como era lah dentro…

Quando eu esta a ponto de ter um ataque, ouvi o Rich gritando lah da frente que ele tinha chegado numa escada e que lah em cima tinha luz… Fiquei calma de novo… Quando chegamos lah fora, rimos TANTO do panico da galera e queriamos fazer TUDO de novo!

Depois desobrimos que o lugar onde estavamos ea a entrada pro calabouco do castelo, e demos sorte de nao entrar em nenhuma das celas… Que pavor me deu soh de pensar que os prisioneiros de guerra (ou os comerciantes que nao pagassem impostos) ficavam presos naquelas condicoes… Eles ficavam presos em celas coletivas, sem NENHUMA luz, sem aquecimento, encanamento, bla bla bla, comendo apenas pao e agua. Ninguem sobrevivia mais que algumas semanas (oque jah me parece muito). Apenas um prisioneiro sobrevivu 2 anos e meio, mas diz a lenda que ele morreu na primeira noite que foi libertado (comeu e bebeu demais).

Entrmaos em mais alguns corredores escuros, mas nenhum foi tao emocionante quanto o calabouco… ehehheeh

Almocamos e recuperamos as forcas e continuamos nosso passeio de barco.

Burg Maus

O castelo Maus (rato em Alemao) ganhou esse nome porque era da Familia Katzenelnbogen (Katz significa gato em Alemao) e era considerado uma obra prima da seguranca e fortificacao. Nunca tinha sido destruido, ateh que Napoleao chegou nessa regiao com sua artilharia obra prima e destruiu o castelo… mas ele foi reconstruido novamente em 1900, e hoje em dia eh um museu com shows medievais.

Burg Sterrenberg and Burg Liebenstein

Esses sao os castelos dos “irmaos inimigos”. Hoje em dia viraram um hotel de luxo, mas foram construidos por dois irmao ganaciosos que queriam tomar conta um do outro, para que ninguem levasse mais da heranca.

Boppard

Boppard Tambem foi uma cidade Romana e tem umas torres romanas lindas na praca central. A cidade eh famosa pelas enchentes, e os arcos da cidade tem marcas nas paredes que mostram a altura em que chegou a agua em cada uma das grandes inundacoes da cidade.

Marksburg

Eh o mais bonito de todos, e o unico que ainda tem toda sua estrutura original. Devido a sua localizacao provilegiada, ele nunca foi atacado Hoje em dia ele virou um museus, e tem um interior que ainda eh bem legal (queria ter ido ateh lah, mas nao dava tempo….)

Koblenz

Koblenz foi a parada final do nosso passeio. A cidade nao eh nada demais, muito pelo contrario, mas eh famosa por ser o local onde o rio Reno e o rio Mosel (nao sei o nome em portugues) se juntam, a “esquina Alema” e foi completamente destruida durante a segunda guerra.

Almocamos por la mesmo, passeamos um pouco, e depois voltamos pra Frankfurt felizes e contentes!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Alemanha, Cultura, Reno, Viagens
8