28
Mar
2009
As Ruinas de Angkor
Escrito por Adriana Miller

Em 802 o Rei Jayavarman II se auto declarou Rei-Deus e decidiu construir um novo imperio, e se tornou o primeiro dos 39 Reis-Deuses que comandaram o Imperio Khmer, que jah foi o reino mais poderoso do Sudoeste Asiatico.

Angkor era a maior e mais poderosa cidade do ocidente, e ao longo dos seculos contruiu sofisticados sistemas de irrigacao, cidades e muralhas e templos e palacios monumentais.

 

Porem, seu sucesso criou ira de seus visinhos, sobretudo o reino de Siam (hoje em dia Tailandia), ateh que no seculo 15 d.c. a cidade foi abandonada no meio da selva. A populacao local sabia da existencia da cidade fantasma, mas devido a lendas e crendices locais, a “cidade” Angkor ficou completamente abandonada por quase 500 anos, e foi, literalmente devorada pela selva. Muitos de seus templos e palacios foram destruidos pela floresta e erosao do tempo (e aos pousocs sendo reconstruidos), enquanto que outros apenas existem ateh hoje, justamente porque a selva cresceu entre sua estrutura, mantendo as construcoes de peh em meio as raizes das arvores.

O complexo de templos, hoje um parque nacional e patrimonio da humanidade, fica a 7km do centro de Siem Reap, e voce pode comprar passes (individuais e intransferiveis) na entrada principal. O guia do Lonely Planet diz que vc tem que trazer uma foto 3×4, e nos viramos do avesso pra conseguir achar um lugar que tirasse fotos em Kuala Lumpur, mas hoje em dia eles jah estao modernizados e tiram sua foto digital na hora.

Os passes sao: 1 dia, 3 dias, ou 1 semana inteira. NOs compramos o de 3 dias, e foi mais que suficiente pra ver tudo e todos os templos.

A melhor maneira de visitar os templos eh de Tuk-Tuk que pode ser arranjado pelo seu hotel, ou direto com os motoristas, que ficam plantados e todas as esquinas da cidade. Inicialmente tinhamos pensado em alugar bicicletas ou lambretas, mas a estradas sao MUITO precarias, nao existe sinalizacao, ou regras de transito, e alem disso os templos sao muito longe uns dos outros, com pouquissimas indicacoes de como e por onde chegar. Soh mesmo os locais pra saberem se virar no meio da selva. Isso sem falar no perigo das minas terrestres, que infelizmente ainda existem aos milhares espalhados pelos campos. Nao sei se nos demos sorte, ou se todos os motoristas de tuk-tuk sao super simpatico, mas o nosso, o Mr. Say alem de super inteligente e simpatico, ainda sabia TUDO sobre a historia do Camboja e dos templos Angkor e nos deus uma aula de historia e cultura Khmer em Ingles perfeito.

Angkor Wat

Angkor Wat eh o templo principal do complexo, e a imagem tipica do pais (esta inclusive impresso na bandeira do Camboja). O templo foi construido no seculo 12 como mausoleum do rei  Suryavarman II, e eh considerado a perfeicao do estilo arquitetonico Khmer. O tempo eh cercado por muros e um lago artifical que o protegia dos inimigos, e jah lah dentro, para chegar no templo principal, vc cruza uma esplanada de 300 metros onde tem a visao perfeita do edificio. As torres, em formato de “cone” imitam os brotos da flor de Lotus, e o templo eh composto por 3 estruturas, ligadas por passarelas e escadarias.

Angkor Thom

Angkor Thom fica a 2km no norte de Angkor Wat, e was a ultima grande cidade Khmer a ser derrubada, pois era protegida por muralhas de pedra solida com 8 metros de altura e 3 km de comprimento em cada lado. A cidade tambem era cercada por um lago artificial, para garantir a sua seguranca e tinha 4 pontes/portoes de entrada, e cada uma dessas pontes era decorada com imagens de 54 deuses de uma lado, e 54 demonios do outro lado.

Um dos principais templos de Angkor Thom eh o templo Bayon que tem 54 torres, e todas elas sao decoradas com 4 faces. Os registros historicos da cultura Khmer sao rarissimas entao os hitoriadores nao sabem dizer exatamente oque foram alguns dos templos, mas especula-se que as 54 torres foram esculpidas com 4 faces (cada uma) do Rei Jayavarman VII (haja narcisismo!). Hoje em dia, depois de seculos abandonados, guerras e erosao, cada rosto tem sua propria caracteristica e personalidade, e nenhuma escultura eh mais igual a outra.


Ta Phrom

Ta Phrom se tornou um dos templos mais famosos de Angkor justamente por nao ter sido restaurado. Ao contrario de outros templos que foram praticamente destruidos pela selva, Ta Phrom foi pristinamente preservado pelas raizes e troncos de arvores que cresceram entre suas estruturas ao longo dos seculos. Jayavarman VII construiu o templo para ser uma monasterio Budista, mas depois foi convertido para Hinduismo, e suas imagens budistas destruidas.

Banteay Srei

Banteay Srei eh considerado um “mini” templo, e comparacao com algumas das outras estruturas de Angkor; alem disso esta a 30 km de distancia de Angkor Wat, entao a nao ser que vc esteja a bordo de um onibus de turismo, ou tenho um tuk-tuk muito gente boa, fica dificil conseguir chegar lah. Porem, as toneladas de poeira que comemos pelo caminho valeu muito a pena, pois a arquitetura desse templo eh unica, alem de seu otimo estado de preservacao. O templo foi todo construido em uma pedra meio cor de rosa, e eh extremamente trabalhado, com relevos e esculturas em TODAS as paredes e colunas.

O complexo de Angkor eh composto por mais de 30 templos e palacios, muitos deles praticamente totalmente destruido, ou com ruinas nao muito interessantes. Acho que em 3 dias, visitamos mais de 10 templos, alguns principais, e outros secundarios, com diferente importancia para a cultura e religiao local.

Aqui nesse post, falei apenas sobre os principais, e os que mais me marcaram, por sua representacao historica ou por sua beleza.

As fotos de todos os templos que fomos estao AQUI.

Categorias: Camboja, Lua de mel, Viagens
16
28
Mar
2009
Siem Reap
Escrito por Adriana Miller

Esse post esta super mega atrasado, e jah iniciado, e re-iniciado algumas vezes, mas antes que me esqueca de todos os detalhes, aqui esta!

Nos passamos apenas 3 dias em Siem Reap, que eh a segunda maior cidade do pais, e a capital turistica do Camboja. Como eu jah falei nos outros posts sobre o pais, apesar de ser a segunda “metropole” do pais, Siem Reap eh na verdade uma grande fazenda, com casas de bambu se intercalando com estruturas de tijolo (principalmente no “centro” da cidade), e ruas de terra batida.

Infelizmente as marcas do progresso estao de espalhando rapidamente, e na avenida que liga a cidade ao aeroporto jah existem dezenas de hoteis 5 estrelas em contrucao, postos de gasolina nas esquinas, pizzarias, supermercado 24 horas.

Por um lado isso eh ruim, pois esta acabando um pouco com o charme “rustico” do lugar, mas ao mesmo tempo o progresso (gracas ao turismo) esta pouco a pouco tirando o pais da pobreza absoluta em que estava submergido a decadas, e reerguendo a populacao ainda marcada pela guerra.

Ficamos hospedados no hotel Bopha-Angkor, que fica bem no centrao de Siem Reap, na beira do rio, e a alguns minutos do mercado e da Pub Street.

Uma coisa interessante de Siem Rep eh que a cidade ainda eh tao “interior” que as ruas nem sequer tem nomes; muitas deles sao conhecidas apenas por numeros, ou pelos apelidos dados pelos turistas, como por exemplo a “rua dos bares” por causa da alta concentracao de albergues, lojinhas de aluguel de bicicletas e bares lotados de turistas.

O Bopha Agkor foi um achado, pois foi um dos primeiros hoteis da cidade, da epoca em que os turistas tinham que ficar hospedados em casa de familia (mega precario), e tem uma proposta meio pousada/Bed & Breakfast, mas eh 100% Khmer. A localizacao eh excelente, os funcionarios sao uns amores, o preco eh otimo e a decoracao eh sensacional! O tempo todo nos sentiamos hospedados DENTRO de uma dos templos. E com muito bom gosto!

A cidade em si nao tem nada pra fazer, e em termos turisticos serve apenas como base aos templos de Angkor, mas aproveitamos as noites tranquilas na cidade pra ir passear na Pub Street e comprar lencos de seda e esculturas de ferro fundido no mercado local.


Categorias: Camboja, Lua de mel, Viagens
2
23
Jan
2009
Pronto!!
Escrito por Adriana Miller

Posts atualizados com fotos, mapas, etc. Assim fica mais facil dar nome aos bois entre as milhares de fotos… 

Estao todos lah, na categoria “Lua de Mel” ou por paises: Tailandia, Malasia, Camboja e Vietnam!

Afinal, jet lag tem suas vantagens (tenho acordado todo os dias as 3 da matina, entao fico copiando/colando fotos pra passar o tempo!).

 

Categorias: Camboja, Casamento, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Viagens, Vietnam
12
22
Jan
2009
Higiene e Seguranca
Escrito por Adriana Miller

Ocidentais tem uma visao de que os Asiaticos sao sujos, pois comem na rua, fazem barulho pra comer, e comem coisas “estranhas” (como insetos, carrocho, etc), mas a impressao que tive eh que na verdade eles sao muito mais limpos doque os Europeus!


 

 

Vai uma baratinha frita?   


 

Ou uma agua viva seca?

 

Na vou entrar na discussao de que “gringo” nao toma banho, como os Brasileiros adoram falar, mas achei o cuidado com a higiene na Asia muito maior doque na Inglaterra por exemplo. Em viagens pra lugares diferentes, sempre temos que tomar certas precaucoes do tipo evitar beber agua da torneira, comer frutas sem lavar, comer coisas muito diferentes doque nosso estomago e intestino conhece, e fizemos isso tudo (depois que passei mal de se virar do avesso em Marrocos, nunca mais dou mole!).

Mas achei muito legal essa coisa de nao poder entrar nos lugares com sapato (lojas, restaurantes, hoteis), e as vezes eles deixavam sandalias “avulsas” que voce tinha que trocar antes de entrar no banheiro por exemplo, pra nao andar pelo templo/hotel com o mesmo peh/sapato que entrou no banheiro.

 

   

 

 

 

Um outro detalhe que tem em quase todos os restuarantes que fomos eh a toalinha quente/gelada que servem antes de colocar a mesa. E mesmo se vc recusar (porque as vezes nao gosto do cheiro da essencia que usam, ou jah tinha acabado de lavar as maos), eles insistem assim mesmo, pois acham super importante, estar “limpo” antes de comer.

Logo no primeiro dia passeando por Bangcoc me deparei com o banheiro “buraco no chao”, que tambem jah tinha visto em Marrocos e me lembrava do quanto fiquei chocada e enojada.

Realmente pra nos que estamos acostumados com privadas, e o banheiro da nossa casa esse tipo de banheiro parece uma coisa meio primitiva, que logo nos leva a pensar em sub-desenvolvimento e sujeira.

 

Mas depois de uns dias ateh me acostumei, pois em tudo quanto eh canto (tirando os hoteis) os banheiros sao assim.

E reparei tambem que no geral, eles eram bem limpos.

Entao, no Camboja os banheiros publicos de Angkor tinham as duas opcoes: coedental e oriental; respirei aliviada e fui no “ocidental”.

E nao eh que senti a diferenca?! O banheiro oriental eh MUITO mais confortavel!

 

Os leitores macho, me desculpem, mas teri que usar alguns detalhes na minha descricao…

Como mulheres nao “sentam” em privadas de banheiro publico, vc fica naquela posicao nem sentada nem em peh, tentando acertar sua mira (que eh sempre meio dificil, e nao eh atoa que banheiro publico eh sempre nojento!). Jah no banheiro Asiatico, a parada funciona direitinho pra vc encaixar os pes e conseguir agachar confortavelmente.

Por isso os banheiros publicos na Asia sao sempre (relativamente) limpos, e os ocidentais sao SEMPRE nojentos.

A unica coisa que realmente nao fiz, mesmo foi usar a descarga, que na verdade nao eh descarga, e sim um “tanque” de agua com um baldinho. Voce enche o baldinho e joga a agua buraco abaixo. Tenho muito nojo de pegar as coisas com a mao, e nao dava descarga. Quem era a nao-higienica, da historia? Eu, a ocidental da historia (em banheiros publicos que tem descarga normal, eu puxo descarga com os pes!).

Eu achei esse cartaz ai em cima muito engracado, mas nao eh que em alguns lugares eu vi marcas de sapato na tampa da privada?

Uma outra coisa que muita gente perguntou (principalmente minha familia!) eh sobre a seguranca de se viajar pela Asia.Na verdade os paises do Sudoeste Asiaticos sao super seguros. Mesmo nas areas mais isoladas, ou de muita pobreza, as pessoas nao tem essa cultura de violencia e agressao que existe no Brasil.

Em alguns paises, como a Malasia e o Vietnam, agredir ou ofender extrangeiros eh uma ofensa gravissima! Logico, eles sempre tentam te passar a perna e se dar bem, mas isso eh completamente diferente de ser assaltado, ou furtado, ou sofrer uma agressao.

Em cidades grandes como KL, Bangcoc e Hanoi, o seguro morreu de velho, e sempre eh bom ficar atento com carteira, bolsa, etc. Porem andavamos com a maquina no pescoco, carteira no bolso, etc o tempo todo, sem nunca nos sentir inseguros.

Uma mulher viajando sozinha nao seria exatamente ideal, pura e simplesmente porque a cultura deles eh super diferente na nossa, e querendo ou nao, uma mulher desacompanhada gera muita curiosidade. Nao acho que exista um perigo real, mas eh bom se prevenir.

Essa sensacao de seguranca foi uma das coisas que mais me fez pensar no Brasil durante a viagem. Andavamos pra cima e pra baixo de tuk-tuk, onibus, metro, andavamos de noite em lugares que nao conheciamos, em mercadinhos “camelodomos” etc, sem NUNCA sentir medo, ou inseguro. Isso eh uma coisa que nunca, jamais, aconteceria no Brasil. Entao pensei muito no quanto nosso pais tem a oferecer em termos de turismo, quantas oportunidades que nao sao aproveitadas, pura e simplesmente porque os turistas tem medo de ir pra lah.

Ao longo de nossas viagens conhecemos muitos outros viajantes/mochileiros etc, e quando eu falava que era Brasileira a reacao era sempre positiva. Isso vindo de pessoas que jah viajaram o mundo todo, jah pegaram trem noturno na India, carona no meio da estrada na Mongolia e muitas historias mas mirabolantes possiveis.

Mas quando eu perguntava “E o Brasil?” a resposta era sempre a mesma: morro de vontade, mas nao tenho coragem.

Ha uns anos atras o Brasil no exterior era sinonimo de: futebol, carnaval e mulheres. Agora eh sinonimo de Futebol, carnaval, mulheres (que por si soh tambem eh pessimo) e VIOLENCIA.

Todos tinham alguma historia de algum amigo do primo do tio do vizinho que foi ao Brasil e foi assaltado.

Oque eu podia falar numa hora dessas? Nada, neh?

Tive varias crises de “oque posso fazer pra ajudar a mudar essa situacao?”, mas infelizmente acho que nada…

 

No voo de volta pra Londres, fiquei toda animada que tinha na programacao um documentario da CNN sobre o cinema Brasileiro, novos diretores, e tal. Mas quando comecei a assistir, os proprios diretores Brasileiros, sendo entrevistados pela CNN internacional vendiam a imagem do Brasil como o “pais mais violento e perigoso do mundo” – pra vender mais filme sobre as favelas. Parecia que estava assistindo um documentario sobre Bagdad!!

Entao como podemos querer contruir hoteis, criar empregos, etc. se os turistas nao querem chegar nem perto?

Aff, desabafei! Foi mal, mas estava com isso na cabeca ha muito tempo.

Mas enfim, a conclusao eh que o Brasileiros partem do principio que por ser uma regiao pobre, a Asia deve ser perigosa tambem, porem nao eh. Felizmente no resto do mundo, violencia nao eh toleravel, e pobreza, ou menos acesso a certos privilegios nao eh desculpa pra fazer oque quiser e culpar a sociedade.

 

 

 

 

 

 

Categorias: Camboja, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Viagens, Vietnam
13
21
Jan
2009
Fotos da viagem!
Escrito por Adriana Miller

Ufa!

Demorou mais saiu! As fotos estavam muito pesadas e demorando HORAS pra baixar, entao resolvi comprimir tudo, e deixar as fotos pequenas…

Mas jah esta tudo lah!

Aviso logo que sao MUITAS centenas de fotos… Por algum motivo as pastas com as fotos de Ko Panhgan e Sien Rep esta dando problema e as fotos nao estao subindo… vou tentar de novo mais tarde. E ainda estao faltando as fotos tiradas com a camera do Aaron e com a camara a prova d’agua, que tambem vai ficar pra depois.

E ao longo da semana vou atualizando os posts, e ilustrando com fotos, links, etc, pra ir dando nome aos bois.

Vamos lah:

Tailandia: http://public.fotki.com/Adrisn/tailandia/

Malasia: http://public.fotki.com/Adrisn/malasia/

Camboja: http://public.fotki.com/Adrisn/camboja/

Vietnam: http://public.fotki.com/Adrisn/vietnam/

Divirtan-se!

 

Categorias: Camboja, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Viagens, Vietnam
9
21
Jan
2009
Moral e bons custumes
Escrito por Adriana Miller

Um dos grandes desafios de viajar pela Asia (ou qualquer outro lugar que seja diferente doque estamos acostumados ou familiarizados) eh se adaptar ao que eh “normal” pra eles, mesmo que seja muito estranho para nos.

Essa viagem como um todo foi um grande exercicio de paciencia e aprendizado, onde vimos que nao necessariamente ha uma maneira “correta” de fazer certas coisas, e sim que em diferentes partes do mundo os conceitos de certo e errado podem ser diferentes dos nossos.

A principal diferenca/dificuldade eh o proprio contato humano. Se por um lado os Asiaticos nao tem a mesma nocao de “espaco pessoal” que os Europeus tem (os Europeus tem essa mania de “personal espace” e nao gostam de chegar muito perto dos outros – jah no Brasil eh bem diferente!), eles sao muito conservadores no que diz respeito a relacionamentos homem-mulher.

Todos os guias de viagem que lemos eram bem especificos no que diz respeito a casais andando de maos dadas, abracos ou beijos em publico. Fizemos o possivel para manter a distancia, mas somos beijoqueiros e era nossa lua de mel, entao as vezes esqueciamos completamente, e recebemos varios olhares de indignacao!

Mas por outro lado, nao se surpreenda ao ver dois homens de bracos/maos dadas, ou se apoiando um no ombro do outro, e trocando abracos e beijinhos em publico. Coisa uqe no Brasil sairia ateh porradaria! (e aquí eu estou recriminando o comportamento dos Brasileiros e latinos em geral).

E tao pouco ache que as pessoas vao esperar voce sair do elevador/onibus/metro antes deles entrarem (ODEIO gente que faz isso! Acho o fim!), e ateh em banheiro publico eu vi isso acontecer!! Eu abri a porta para sair e uma mulherzinha jah entrou correndo e ficou lah dentro, comigo! Obviamente isso durou fracoes de segundos porque eu imediatamente sai correndo dali, mas que achei muito estranho isso eu achei!

As mulheres asiaiticas sao bastante submissas, e eu recebi mais olhares criticos de mulheres do que homens quando eu tinha comportametos de “lideranca”, como por exemplo pagar a conta, responder/decidir alguna coisa antes do Aaron, etc.

Obviamente isso nao chegou a ser um problema, mas que era engracado isso era, de ver um garcon se desdobrando pra puxar o saco do Aaron, Mr Miller pra ca, Mr. Miller para lah, e no final entregarem a conta nas maos dele e ele repassar diretamente para mim. Isso acontecia principalmente em restaurantes mais caros que fomos algunas (poucas) vezes.

Depois de uns dias, eu resolvi dar todo meu dinheiro pro Aaron, entao ele pagava tudo para nos dois, e teria que lidar com as negociacoes sozinho…

Aliais isso eh outra coisa bem engracada. Eu adoro passear em mercados, feiras, lojas e ver oque se usa/come/vende em paises diferentes, e por lah NADA, absolutamete NADA tem preco exposto.

Voce tem que preguntar quanto custa, ai eles te olham de cima a baixo, puxam um papo, perguntam de onde vc eh, e digitam numa calculadora o preco final.

Obviamente o preco final era sempre absurdamente acima do normal, e chegamos a receber precos diferentes – do mesmo vendedor! – pela mesma mercadoria na mesma Loja!

Pagar oque eles pedem eh quase uma ofensa, e barganhar eh um estilo de vida.

Porem o Aaron O-DEI-A ficar barganhando preco. Fica incomodado, inibido, e acaba pagando mais caro. Entao eu era sempre o “bad cop” e nao deixava ele comprar nada.

Respondia logo “sou do Brasil” e pedia no minimo 1/3 do preco inicial. As vezes sabia que isso era totalmente sem nocao, mas jogava o preco das cosias lah para baixo, fazia chantagem de que vi a mesma cosia em outra Loja pela metade do preco, e saia andando. Ai o vendedor vem correndo atrás de voce, e acaba fazendo uma contra proposta. Soh para constar, eu ainda pedia um descontinho.

O Aaron ficava para MORRER com minha cara de pau, mas economizamos uma boa grana comprando artes, presentinhos e cacarecos.

Minha outra tecnica (alem de falar que eramos Brasileiros – que eles ligam imediatamente a pais pobre como eles) era pesquisar em varias lojinhas o preco de alguna coisa, e definir: por uma cosia que custa em media X, eu soh aceito pagar, no maximo, 1/2 de X. Entao jah deixava o dinheiro separado no meu bolso, para nao ter que abrir a carteira, e jah falar logo “soh tenho isso. Meu dinheiro acabou”.

Alguns lugares, se o vendedor fosse homem, eles ficavam ateh ofendidos, e recebi varias respostas do tipo “pede dinheiro pro seu marido”, que recebiam uma desposta igualmente mal-criada “quem manda sou eu” e acabava comprando em outra barraca/Loja.

Um outro cuidado, que principalmente as mulheres tem que ter, eh com roupas. Roupa curta ou decotada eh realmente mal vista, recebe olhares de indignacao e cantadas. Nos templos, mulheres nao podem nem sequer chegar perto se estiverem mostrando os hombros/bracos, pernas e pes.

Ateh na praia rolavam uns avisos de que top-less nao era permitido (mas sempre tinha alguna europeia mais ousada que fazia mesmo assim), e nas pouquissimas vezes que vimos asiaticas nas praias ou piscinas de hoteis, eles estavam de roupa. Entravam na agua de roupa e tudo (camiseta largona e bermuda), ou ficavam apenas sentadas na beiradinha.

E por mais calor que esteja, andar sem camisa eh o fim do mundo!

Em paises como a Tailandia por exemplo, a prostituicao eh muito comum, e por mais que nao seja “aceita”, ela esta presente em todos os lugares (assim como no Brasil, e atrai uma quantidade enorme de turismo sexual por isso). Entao nas areas mais turisticas, a mulherada local fica sem nocao mesmo, e dao em cima de todo e qualquer homem occidental que passa pela frente, acompanhado ou nao.

As vezes ate saia de perto, soh para ver como o Aaron ia sair das roubadas!

Mas por outro lado, vimos MUITOS marmanjos de meia idade andando de maos dadas com meninas que poderiam ser suas netas, e as vezes 2 ou 3 ao mesmo tempo.

Jah em outros paises, como o Vietnam por exemplo a sociedade eh muito mais conservadora nesse sentido, e nosso guia ateh tinha uma secao de “aviso” para casais de mulher asiatica e homem occidental, pois automáticamente as pessoas supoe que essa mulher eh uma prostituta. No passeio de barco que fizemos em Ha Long bay conhecemos um casal de Americanos, onde a esposa era filha de Vietnamitas, e eles tambem estavam passando sua lua de mel viajando pelo pais; papo vai, papo vem, discretamente ela disse que a “recepcao” do casamento dela com um occidental nao estava sendo muito positiva e que eles tiveram varios “incidentes” ao viajar por vilarejos no interior do pais.

No nosso voo entre Hanoi e Bangkok havia um passageiro Tailandes que era travesti, e quando chegou a vez dele/dela fazer o check in, os atendentes simplesmente foram embora, e deixaram o coitado falando sozinho.

Achei o cumulo, de nao soh negarem servico, como aidna ficaram de risadinha na cara dele e de todos os outros passageiros, ateh que depois de uns minutos de constragimento, uma senhora veio fazer o check in dele, dando risadinhas e cochichando com os outros.

Mas como tudo nesse mundo, oque eh aceitavel para uns, eh deploravel para outros.

 

 

Categorias: Camboja, Cultura, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Viagens, Vietnam
9
14
Jan
2009
Siem Rep & Angkor
Escrito por Adriana Miller

Aterrisar no novissimo aeroporto de Siem Rep com um tempo ensolarado e ar fresquinho foi um grande alivio depois de uns dias na quente e humida Kuala Lumpur…

Camboja foi um dos poucos lugares que quase nao pesquisamos nessa viagem. Sabiamos que queriamos ver os templos de Angkor e soh. Mas fomos pra lah sem saber muito sobre o pais, a cidade e a cultura local.

Entao Siem Rep foi uma otima surpresa na nossa viagem. A segunda maior cidade do pais, nao deve ter mais de 50.000 habitantes (se isso tudo) e parece ser uma enorme fazenda. Porem as coisas parecem ter mudado muito nos ultimos 1 ou 2 anos. Quando nosso guia  (Rough Guide Southeast Asia) foi publicado (final de 2006) o Camboja ainda nao tinha caixas eletronicos, os bancos eram rarissimos e haviam poucos hoteis disponiveis, sendo a maioria deles pensoes ou casa de familia.

Porem a unica avenida que liga a cidade ao recem contruido aeroporto jah tem uma cara bem diferente: hoteis 5 estrelas sendo construidos um ao lado do outro como uma linha de montagem industrial, bancos, supermercados, pizzarias, postos de gasolina.

Porem, como o pais soh foi aberto ao turismo em meados dos anos 90, e soh comecou a ficar popular entre os ocidentais depois da abertura do aeroporto (e com os voos baratos da Air Asia!), o governo decidiu aproveitar a “chance” para fazer as cosias bem feitas.

Os hoteis 5 estrelas por exemplo, todos seguem um padrao estabelecido, para manter a uniformidade da regiao, e respeitar o meio ambiente. A cidade que ateh pouco tempo nao tinha nenhuma rua asfaltada, jah comeca a ter alguma rodovias (uma meia duzia, e as outras ainda estao sendo construidas – o resto do pais eh todo de chao de barro, e a maioria dos vilarejos fica inacessivel durante as moncoes); e o investimento eh nitido principalmente na educacao. Nao encontramos nenhuma pessoa que nao soubesse falar um ingles quase perfeito, e nao eh o mesmo tipo de Ingles que se fala na Tailandia (o suficiente pra tentar arrancar mais dinheiro dos turistas!) e sim um bate papo de igual pra igual.

Alem disso, as pessoas sao genuinamente simpaticas e gentis, e nao nos sentimos gringos “carne no acougue” um unico segundo.

Porem o contraste ainda eh bem grande, e o pais esta entre os mais pobres da regiao, com a maioria absoluta da populacao vivendo no campo, da agricultura de subsistencia ou em plantacoes de arroz. Portanto o turismo eh visto como a grande change que eles tem de tirar o peh na lama, e pelo visto estao seguindo pelo caminho certo.



Para visitar os templos de Angkor, a melhor coisa a se fazer eh “alugar” um tuk-tuk por todo o periodo que voce estiver por lah. Eles cobram um preco fixo por dia (geralmente 15 USD) e te levam pra ver todos os templos. Pode parecer meio preguicoso ter um “motorista” pra andar na cidade minuscula, mas os templos ficam dentro de um parque nacional, no meio da selva e ficam bem afastados da cidade. Alem disso, os templos ficam longe um dos outros, com sinalizacoes quase sempre na lingua local, camuflados na floresta, e na maioria das vezes a km e km de distancia um do outro (alguns chegam a estar uns 40 km dentro do “campo”).




As pessoas sao tao simples e tao simpaticas, que no final do 3o dia, nosso motorista (o Mr. Say) jah era praticamente da familia, e nos levou pra tudo quanto eh canto. Sabia qual horario ir em cada templo (pra ter uma melhor luz do sol para as fotos- ele percebeu que nos dois eramos viciados, com trezentas cameras, tripe, etc), como evitar as massas de turistas, onde tinha o melhor por do sol, o melhor mercado, o melhor restaurante Khmer (que eh a “raca” original do Camboja), etc. E ia nos contando a historia, um pouco mais da cultura local. Nos levou pra ver os campos de arroz, os campos onde ateh pouco tempo atras eram cheios de minas (e que mataram milhoes de pessoas – e ainda matam), e pra comer doce de palmeira num vilarejo no meio do nada.



Apesar de praticamente nao ter dentes dentro da boca, Mr.Say falava um ingles perfeito, que aprendeu na escola e segundo ele eh oque permite que ele tenha o emprego que tem, e assim sua mulher nao precisa trabalhar nos campos de arroz e seus filhos podem ir pra escola.

Essa viagem esta sendo extremamente filosofica para nos, nos dando uma percepcao de vida completamente diferente, e literalmente mudando meu mundo. E o Mr. Say foi um grande contribuinte. No ultimo dia, eu fiquei ateh trsite de me despedir dele!

Depois eu vou escrever um outro post mais detalhado sobre os templos de Angkor (fica dificil lembra qual eh qual sem ter as fotos e o livro a mao…), mas resumidamente eh o seguinte:

Angkor foi inicialmente contruido por volta do seculo V dc como um templo Hindu. Porem um dos Reis Khmer da epoca resolveu se proclamar um Rei-Deus e converteu os templos para Budistas. Porem, para se tornar Deus, ele criou uma religiao hibrida que mistura Hinduismo e Budismo, onde os Reis-Deuses eram a reincarnacao dos filhos dos Deuses Hindus.


No total, os Reis-Deuses se sucederam em 39 dinastias, e os poucos registros historicos que existem, mostram que a cidade tinham ais de 1 milhao de habitantes, e alem de ser a mais poderosa e rica da Asia, tambem era a mior cidade do mundo.

Porem o poder dos reis Khmer gerou inveja e ira de seus vizinhos, que atacavam e tentavam derrubar o reino (principalmente Vietnam e Tailandia), ateh que num desses ataques o rei foi morto, e acidade foi completamente abandonada por toda populacao.

E assim permaneceu por mais de 500 anos. Os locais sabiam da existencia da “cidade fantasma” mas a mitologia local era cehia de historias e crencas e ninguem chegava nem perto, ateh que os templos foram “redescobertos” por um explorador americano no inicio do seculo XX.

Porem por causa de seu total abandono por mais de 5 seculos, a cidade foi literalmente engolida pela floresta, que por um lado destruiu muitos templos, mas ao memso tempo ajudou a conserva varios outros que hoje em dia soh estao perfeitamente de peh porque os troncos das arvores cresceram entre eles.



A visao dos templos se entrancando nos troncos das arvores eh algo simplesmente indescritivel!

Quanto a viagem em si, 3 dias foi mais que suficiente… Sempre rolam aquelas cosias de “pra conhecer direito tem que ficar por lah pelo menos X meses…!!”, mas a verdade eh que depois da 15a ruina, todos sao mais ou menos parecidos, e meio que cansa. Na verdade, daria ateh pra ver os principais templos num unico dia. Seria super corrido, mas dah.

Minha recomendacao seriam 3 dias, que eh o tempo certo pra ver todos os templos com toda calma do mundo, dar uma voltinha pelos vilarejos, pelos campos de arroz e ver alguns do templos mais afastados tambem.

Categorias: Camboja, Lua de mel, Viagens
1
10
Jan
2009
Camboja
Escrito por Adriana Miller

Chegamos no Camboja!!

Nem acredito que jah estamos na fase final da viagem… Bem, por algum motivo, meu BB morreu, entao os posts serao mais escacos… Hoje passamos o dia todo nos templos de Angkor Wat, e TUDO eh simplesmente inacreditavel. Depois escrevo todos os detalhes e dicas.

As fotos realmente terao que esperar mais uma semaninha pois nao trouxemos laptop, nem cabos das cameras nem nada… Mas jah estou beeeem acima das 1000 fotos, e no terceiro cartao de memoria! Entao oque nao vao faltar sao fotos de TUDO!

 

Categorias: Camboja, Lua de mel, Viagens
7
03
Dec
2008
Sudoeste Asiatico – Vistos e requerimentos
Escrito por Adriana Miller

Agora que os aeroportos estao funcionando de novo (obrigada pro pessoal que me mandou links de jornais do mundo todo comemorando e torcendo pela nossa viagem!), e a saga de meus passaportes jah estao (semi) resolvidos (nem vou contar o pesadelo que foi o consulado de Portugal pq vcs nao merecem tamanha enchecao de saco!), podemos voltar a focar na viagem (21 dias!).

Como temos trauma de perrengues de viagem, e esse ano tivemos alguns sustos serios e aprendemos a licao: antes de viajar tem que conferir, reconferir, checar seguro, vacinas, vistos, papeladas etc. Se for pra um lugar “exotico” entao tudo se potencializa, pois se alguma coisa dar errado, vc esta ferrado! (em “exotico” quis dizer um lugar que vc nunca foi e tenha uma lingua e cultura diferente da sua. Uma coisa eh passar perrengue na Argentina, ou na Europa/EUA, outra coisa eh passar perrengue num barco no Vietnam! Pelo menos no meu conceito!).

Entao comecei a pesquisar sobre vistos para a regiao ha um tempinho, e vou contar aqui oque descobri e oque eh preciso pra viajar. Minha pesquisa foi tripla: passaporte Europeu, Brasileiro (pois nao sabia qual passaporte iria usar pra viajar) e Americano (pois geralmente os EUA sempre tem requerimentos especiais mesmo, e o Aaron tem que preencher uns 37 formularios a mais!).

Vamos por partes:

TAILANDIA:

 

A Tailandia eh um pais que sobrevive quase que unica e exclusivamente de turismo, entao nao eh muito interessante pra eles embarreirar ninguem. No site do consulado/embaixada exista uma lista com os 47 paises tem que tem isencao de visto de turista para permancencia de ate 30 dias. Entre eles estao quase todos os paises Europeus, EUA e Brasil (um dos ultimos paises a serem adicionados na lista).

Se vc quiser ficar por lah por mais tempo, pode pedir um visto de turista por ateh 2 meses, e as instrucoes doque fazer estao todas no site. Cada pais vai ter um site proprio para sua Embaixada/Consulado mas esse link aqui, eh do Consulado de Londres: http://www.thaiembassyuk.org.uk/

MALASIA:

 

A Malasia tambem nao exige visto para muitas nacionalidades, incluindo os paises Europeus, Brasil e EUA para entrada como turistas por ate 3 meses.

Mas leia bem a listinha no site do consulado. Lah no finalzinho de tudo tem uma observacao e cidadoes Portugueses so podem pernanecer no pais por ateh 14 dias – se vc eh Portuga e queiser ficar mais tempo, tem que pedir um visto.

Se vc jah estiver lah e resolver ficar mais tempo, ai tem que pedir um visto, e ha varias categorias, dependendo de sua situacao, nacionalidade, ocupacao etc.

E para o visto de turista deles (Visit/Social Pass) eh dado na entrada do pais (aeroporto, porto, fronteira de estrada e trem, etc) entao caso vc vah entrar na Malasia por algum meio de transporte exdruxulo, numa regiao remota, eh bom se certificar que aquela fronteira especificamente tem permissao de emitir os “Social Pass”, e caso contrario vc precisa pedir um visto.

http://www.imi.gov.my/eng/perkhidmatan/im_PasLawatan1.asp

http://www.tourism.gov.my/en/about/essentials.asp

CAMBOJA:

 

O melhor de tudo no Camboja, eh que apesar de pedir visto para quase todas as nacionalidades (excluindo apenas seus visinhos: Laos, Malaysia, Philippines,
Singapore), tudo pode ser feito on line! Vc preenche a ficha de inscricao com seus dados pessoais e os dados da sua viagem, escaneia uma foto, paga a taxa com cartao de credito e pronto! 4 dias depois a confirmacao do visto chega no seu e-mail, que deve ser impressa e apresentada na fronteira/aeroporto.

Porem, nem todos os pontos de fronteira jah entraram nesse esquema, entao leia bem a listinha que tem no site, e veja os requerimentos do seu ponto de entrada especifico. Se vc vai chegar por lah de aviao, pode ficar tranquilo.

http://www.cambodianembassy.org.uk/index.php?menu=5#visa

http://www.mfaic.gov.kh/e-visa/index.aspx

VIETNAM:

 

De todos os paises onde vamos passar, o Vietnam eh o unico mais complicadinho, ainda mais considerando que temos um Americano em nosso “grupo”!

Na verdade nao ha grandes dificuldades, porem o visto eh esquema tradicional, de preencher ficha, pagar taxa no correio e ir pessoalmente na embaixada. (um saco!)

TODOS os extrangeiros precisam de visto pra entrar no pais, e eles nao concedem visto de “entrada”: ou vc jah chega lah com seu visto, ou pode dar meia volta e voltar pra casa. E os vistos sao validos por apenas 30 dias, porem podem ser extendidos.

http://www.vietnamembassy.org.uk/consular.html#instruction

*************

Bem, antes disso tudo, nao precisa dizer que precisa ter um passaporte valido, neh? E com validade de ateh 6 meses depois do seu retorno.

Para Brasileiros (viajando com passaporte Brasileiro) eh aconselhavel que voce leve seu comprovante de vacina da Febre Amarela internacional. As informacoes sao meio confusas, e alguns sites dizem que nao precisa, outros site dizem que precisa… entao pra nao dar confusao, seja vacinado antes de sair do pais e peca a carteirinha internacional da Anvisa (eh amarelinha, escrita em Ingles e Portugues – e as vezes frances). Minha mae jah mandou a minha!

Outra dica que aprendi com meu pai, eh sempre ter copias de tudo. Escaneie todo so seus documentos (passaporte, vistos, indentidade, etc) e mande para seu proprio e-mail. Assim se acontecer alguma coisa com seus documentos, voce tera facil acesso as copias, e podera pedir azilo/ajuda etc sem problemas.

Eu estou usando o Trip It freneticamente, mas como o seguro morreu de velho, tambem tenho minha super pastinha com todas copias, impressoes, confirmacoes, horarios, enderecos, etc.

Seguro de viagem tambem eh uma boa ideia. Sempre que viajo pra fora da Europa, pra algum lugar que nao esteja “em casa” (Rio ou EUA) eu faco seguro de viagem. Geralmente eles cobrem nao soh a parte medica (bate na madeira!), mas tambem a parte da “viagem” em si.

Entao se perderem sua mala, cencelarem seu voo, hotel, trem, etc se QUALQUER coisa acontecer com seus planos 9que nao seja culpa sua) e seus pertences, o seguro te cobre.

Um otimo exemplo foi essa confusao toda que aconteceu na Tailandia semana passada, com milhares de turistas dormindo no aeroporto. Quem tinha seguro de viagem, recebia uma “mesada” por dia, hospedagem e reembolso em toda e qualquer taxa para troca de voo, etc. Se eu tivesse por lah, nao tinha passado perrengue. E caso a confusao nao tivesse sido resolvida, e nos tivessemos que mudar nossos planos, o seguro tambem cobriria o prejuizo!

*******

Ah! Jah falei que nao vejo a hora?!?!?

 

Categorias: Camboja, Dicas (Praticas!) de Viagem, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Viagens, Vietnam
9
24
Nov
2008
Dicas de Viagem – Sudoeste Asiatico
Escrito por Adriana Miller

Bem, ainda nao fui, entao as dicas que posso dar (e recomendacoes) sao bem limitadas. Mas estou tendo uma dificuldade enorme em encontrar informacoes e dicas legais na internet!

Existem muitos sites oficiais, etc, mas eu gosto mesmo sao das inside tips, de pessoas que jah foram, e recomendam oque fazer, onde ficar, as roubadas e barbadas. E isso, nao tah rolando… achei uma meia duzia de uns 3 ou 4 blogs Portugueses e gringos em geral, mas Brasileiros mesmo… nada!

Entao vou comecar a escrever uns posts sobre as coisas que jah fechei e jah sei sobre os paises do Sudoeste Asiatico por onde vamos passar em 3 semanas e meia: Tailandia, Malasia, Camboja e Vietnam.

Eu sei que alguns leitores jah estiveram em alguns desses paises, entao qualquer dica sera muito bem vinda!

O Roteiro final ficou assim:

Tailandia: Bangkok; Ko Samui, Ko Phi phi

Malasia: Kuala Lumpur

Camboja: Angkor Wat

Vietnam: Hanoi e Ha Long Bay

Eu sei que eh muita coisa, vai ficar corrido, vamos voltar exaustos etc. CAN.NOT.WAIT!!!!!!

Demos muita bobeira em ir deixando tudo pra depois, naquela de “ah… ainda faltam 6 meses… ah… ainda faltam 4 meses…” Ateh que chegou uma hora que bateu panico! “Putz, faltam menos de 2 meses!!”. Entao, otarios que somos, pagamos muito caro por certas coisas que sabiamos que era barato, muitos hoteis que haviamos pesquisado jah estavam lotados, alguns voos nao estavam disponiveis… mancada total!

Mas mesmo assim, a viagem ainda saiu bem barata, comparando com um viagem dessa magnitude pela Europa ou ateh mesmo no Brasil.

Utilizamos sites de Busca para quase tudo, e fui pegando dicas aqui e ali com amigos que jah viajaram pela regiao.

Nosso voo Londres – Bangkok eh com a Etihad Airways, e faz escala em Abu-Dhabi nos Emirados Arabes, comprada pelo Expedia (melhor preco, sempre). Todos os nossos voos internos foram pesquisados pelo SkyScanner, que eh um site de busca excelente, e que busca apenas em empresas de low cost, do mundo todo! E reservados diretamente com as cia aereas:

- Air Asia (A Ryanair da Asia)

- Bangkok Airways

Jah com hoteis tivemos um certa dificuldade. Na verdade eu tinha feito uma pesquisa e selacao intensa de hoteis ha uns meses atras, lendo e relendo dicas e reviews em sites e blogs, pedidindo dicas a amigos que jah tinham ido pra lah etc. mas como acabamos deixando tudo pra ultima hora, alguns desses hoteis jah estavam lotados!! Principalmente nas ilhas da Tailandia, onde estaremos bem na epoca de ano novo, que eh ultra mega alta temporada!

Entao tivemos que refazer toda a pesquisa e achar uns hoteis que valham a pena custo/beneficio. Entao acabamos reservando os seguintes hoteis:

- Bangkok: Sawasdee Hotel. Hotel baratinho, estilo pousada bem no centrao de Bangkok, na Khao San Road.

- Ko Samui: Lipa Lovely Resort. Resort na beira da Praia, com chalet privado e vista pro jardim… farei o sacrificio de fazer massagens diarias na beira da praia e beber muita agua de coco!

- Ko Phi Phi: Andaman Beach Resort. Mais alguns dias de vida dura na beira da praia…

- Malasia: Sol Melia Kuala Lumpur. Uma cadeia internacional de hoteis bom-bonito-barato, bem no centro da cidade e perto das torres Petrora e do metro!

- Camboja: Bopha Angkor. Hotel estilo pousada muito bem recomendado por varios sites e pertinho dos templos.

- Hanoi: Hanoi Old Quarter Hotel. Em Ha Long Bay dormiremos no proprio barco do passeio.

Bem, ainda nao sei se esses hoteis realmente sao bons,e se vale a pena ficar hospedado em algum deles, mas conto tudo quando chegar lah!

Depois escrevo um outro post sobre a saga dos vistos…

 

Galera!
Adorei as dicas! Muito boas mesmo! Jah conhecia quase todos os sites/blogs recoendados por voces!

Eu levo essa coisa de planejamento de viagem muito a serio mesmo!! :-)

E hoje a Heliene fez um post-dicas especial sobre a Tailandia, que eu AMEI! Oque sao as fotos??!!

Apesar da pancadaria que esta rolando entre exercito e governo (com o Aeroporto Internacional de Bangkok fechado!), tenho feh que essa viagem vai rolar sem percalcos! E falta exatamente 1 mes!!! Estou totalmente em processo de contagem regrassiva!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Camboja, Dicas (Praticas!) de Viagem, Lua de mel, Malasia, Roteiros de Viagem, Tailandia, Vietnam
31