20
Aug
2014
Bolsa de mão (e o que levo na minha bolsa em viagens!)
Escrito por Adriana Miller

Eu tenho um problema serio com bolsas – não só adoro usar-comprar-colecionar, como também tenho verdadeira adoração por saber o que as pessoas carregam em suas bolsas!

Uma coisa bem xereta mesmo, mas acho que mostra um outro lado das pessoas, e eu sempre fico com curiosidade sobre o que cada mulher escolhe carregar o dia todo, todos os dias!

Na hora de viajar então, é na sua bolsa/mala de mão que estarão todos os itens essências para sua sobrevivência! Sejam poucas ou muitas horas, qualquer coisinha a mais pode ajudar a passar o tempo, te ajudar a fica mais confortável ou seja lá o que for!

E ai resolvi também falar sobre a bolsa de mão, que embarca comigo e é a minha salvação! Na verdade já fiz um outro post sobre isso uns anos atrás, e apesar de que não acho que os “itens” mudaram ou variaram muito ao longo dos anos, sempre vale dar uma atualizada.

- Bolsa de mão para viagens:

IMG_2371

Geralmente eu gosto de voar com bolsas grandonas, principalmente em voos longos. Assim tenho bastante espaço para meus essenciais, e tudo que acho que posso vir a precisar dentro do avião.

Já viajei com bolsas pequenas em outras ocasiões, mas sempre sabendo que tenho uma segunda bagagem de mão onde possa guardar alguns itens a mais!

Então na viagem para o Japão e Coreia minha bolsa foi assim:

* Carteira (tenho mania de carteira vermelha! Nunca tive carteira de outras cores na vida! Essa atual é Prada)

* Certeira de viagem (que na verdade agora tenho usado esse modelo – o meu é Coach – que é tipo uma clutch, mas com alguns compartimentos internos. Pois hoje em dia viajo carregando vários passaportes pra família toda, e assim fica mais organizado e espaçoso do que as carteiras de viagem mais tradicionais que usava antes e que sao feitas para 1 passageiro apenas)

* Câmera fotográfica (que não esta na foto, pois a usei pra tirar a foto – mas atualmente estou usando a Canon GX1 Mark II que já já sai resenha!)

* Celular

* iPad

* Fone de ouvido (esse que cancelam ruído são ótimos!)

* Mini tripé

* Bolsinha com fone de ouvido, bateria extra pro celular (essencial pra quem tem iPhone!) e iPad, cabos e lente e tripé de celular (porque mesmo com uma câmera boa, é sempre bom e prático poder tirar boas fotos com o iPhone!)

* Óculos de grau (Dior, modelo masculino) e de sol (Prada)

* Malha e/ou lenço extra (sempre morro de frio e adoro me enrolar numa echarpe bem fofinha)

* Chiclete/bala/barrinhas

* Nécessaire com produtos mini para o voo

 

IMG_2372

E na necessaire levo:

* Hidratante para mãos e outro para o rosto (que tenho preferido usar oleos faciais, principalmente em ambientes muito secos como avião)

* Protetor labial

IMG_2374

* Mini kit maquiagem (espelho, blush liquido, gloss, corretivo)

* Almofada de pescoço

IMG_2373

 

Essa foi a bolsa que usei na viagem pra Oviedo na Espanha, pois viajamos sem a Isabella e foi tudo bem mais tranquilo. O modelo é uma Balenciaga Velo, que além de bem grandona (cabe tudo!) ainda pode ser usada cruzada no corpo, deixando as mãos livres, o que sempre dá uma ajuda a mais na correria do aeroporto!

 

Mas hoje em dia, viajando com a Isabella e todas as tralhas que uma criança pequena demanda, já não tenho mais paciência nem energia para encarar o ritmo de viagem carregando uma bolsa peso-pesado nos ombros no dia a dia da viagem.

Então na viagem para o Japão e Coreia resolvi fazer um teste, e levar apenas bolsas pequenas, e ter que me virar assim o dia todo!

E quando postei uma foto comentando sobre minha “mini-bolsa” que usei durante a viagem para o Japão e Coreia, algumas leitoras me pediram pra mostrar exatamente o que levei comigo e o que considero essencial pra conseguir turistar leve por ai.

*O primeiro passo foi deixar minha carteira no cofre do hotel. Em vez, levava comigo um porta cartões, com uma ou duas opcoes de cartão de saque/credito e um compartimento pra guardar dinheiro.

* Celular

* Protetor labial e algumas opcoes de gloss/batom (não sou de repassar maquiagem durante o dia mesmo, então não carrego kit de maquiagem comigo de qualquer maneira)

* Mapas (sempre peco na recepção do hotel)

* Maquina fotografica (mas que geralmente fica no ombro/pescoco o dia todo e nao na bolsa)

* Óculos de sol

IMG_2375

E só! Todo resto era resto e não valeu a pena carregar ao longo do dia.

Mas também tirei vantagem do fato de ter um carrinho de bebê a mão, então uma coisa que sempre colocava na cestinha do carrinho, que geralmente carregava na bolsa, era o guia de viagem (que prefiro carregar o de papel, com minhas marcações, anotações, mapas, dicas, post its etc).

Para minha surpresa, deu super certo!

E realmente terminei os dias da viagem bem menos cansada que o normal – tenho adotado essa nova técnica nas viagens que fizemos desde então, e tenho ate investido em outras mini-bolsas!

Demora pra acostumar a se desapegar aos mil cacarecos que precisamos ao longo do dia, mas faz um baita diferença na energia e disposição pra ficar sassaricando mundo a fora sem perder o pique!

 

Categorias: Coreia do Sul, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Japão, Viagens
24
11
May
2014
Japão e Coreia: como planejei minha mala (e looks! Meus e da Isabella!)
Escrito por Adriana Miller

Eu já fiz incontáveis posts sobre como faço minhas malas, mas a cada grande viagem o perfil de minhas preferências mudam, as necessidades de cada destino também mudam (minhas viagens a trabalho ou de fim de semana pela Europa não contam… são rápidas e geralmente levo umas 2 ou 3 mudas de roupa numa mala de mão, e as viagens mais longas para o Brasil eu relaxo, pois sei que posso atacar o armário da mãe e irmã quando estiver la!).

Mas na verdade planejar o que levar na mala para essa viagem não foi difícil – passaremos por apenas 3 cidades grandes, sem grandes “exotismos” de atividades (não faremos nenhum esporte nem caminhadas, não faremos nenhum programa mais arrumadinho nem nada fora do básico), então sabia que minha mala seria composta por pecas e “looks” que uso no dia a dia em Londres, ou usaria em qualquer outra viagem pela Europa, ou Rio de Janeiro, EUA e afins.

O que mudou dessa vez foi a metodologia – resolvi testar uma maneira diferente de arrumar e organizar as roupas na minha mala, por três simples motivos: em primeiro lugar, porque minha mala seria dividida com a Isabella, e apesar de que as roupas dela são minúsculas, bebes são ímãs de tralhas e como ela esta na fase de anda-engatinha-se-arrasta-pelo-chao e querendo comer sozinha e tals, precisamos de vaaaarias mudas de roupa por dia.

E em segundo lugar porque acho que achei que alguns hotéis no Japão seriam bem pequenos, então queria manter a mala o mais pratica e objetiva possível, sem precisar espalhar demais minha zona cada vez que quisesse achar um par de meias (sou zoneira assumida).

E por fim, porque íamos viajar de trem bala entre Tokyo e Kyoto (e assim como nos trens na Europa, apesar de não ter limite de peso, o espaço para guardar bagagem eh bem limitado) e um voo de low cost entre Kyoto e Seoul (e a pesar de que eu paguei a mais para levar bagagem despachada, não sabia o quão restrito eles seriam em relação a tamanho e peso das malas).

Comecei o processo de “planejar” o que queria levar da mesma maneira que faço em TODAS as minhas viagens: de olho na previsão de tempo.

Sim, o clima é imprevisível, e um dia pode estar sol e calor e no dia seguinte cair uma nevasca (#TraumasDeLondres), então não basta olhar a previsão na véspera da viagem – tem que acompanhar de perto mesmo!

Sei que isso eh um pouco TOC meu, mas assim que marco minhas passagens para algum lugar, ja vou logo adicionando a cidade em questão no meu iPhone (naquela App de meteorologia), e assim passo semanas e meses acompanhando a quantas esta a temperatura, se oscila muito, se tem chovido muito, etc, etc.

Então tanto no Japão quanto na Coreia eu sabia que as temperaturas estavam estáveis, na casa dos 15/20 graus e dificilmente teríamos grandes surpresas meteorológicas, o que é sempre ótimo e evita certos dilemas de “vou levar essa saída de praia caso faca 40 graus e esse sobretudo caso caia para -15”, sabe?

Então fiz mina listinha de itens, sempre tendo em mente que as pecas podem ser sobrepostas e combinadas entre si, seguindo uma certa paleta de cores (eu sempre falo sobre isso nos posts sobre fazer a mala, mas ajuda tanto ao longo da viagem, ter pecas que combinem entre si, e assim mesmo com um mala pequena conseguimos combinações mil, e temos a sensação de ter com uma roupa e “look” diferente todos os dias, mesmo tendo na verdade poucas opcoes de pecas!).

As pecas chave foram: camisetas, malhas finas, jaquetas de meia estação (couro, sarja, blazer), jeans, sapatos confortáveis e acessórios.

Então mina nova estratégia de organização copiou um pouco o que sempre fiz para Isabella (e nas poucas vezes que não arrumei a mala dela assim, sempre tivemos problemas!), usando compartimentos e nécessaires especificas para cada tipo de roupa e ate mesmo looks já montados.

20140511-202532.jpg

No caso da mala da Isabella eu coloco as montagens já prontas (calca + blusa, ou saia + body, ou vestido + blusa + meia calca, por exemplo) já separados em saquinhos plásticos (desses tipo Ziploc), por que ela raramente usa a mesma peca/combinação mais de uma vez (porque criança se suja mesmo e não tem como evitar), e assim fica mais fácil pela manha já pegar um look montadinho para ela, colocar outro extra na bolsa de fraldas e pronto, em vez de fica pensando qual calca combina com qual blusa e com qual sei lá o que. E assim também reaproveito os sacos plástico para guardar as pecas sujas que vamos trocando ao longo do dia.

20140511-202606.jpg

Já no meu lado da mala, a coisa eh um pouco diferente, pois não levo um look/combinação especifica para cada dia – prefiro fazer essa analise combinatória de pecas que mencionei ai em cima.

Então comprei esses compartimentos/nécessaires na Amazon, que são quadradas/retangulares, de nylon e tela (assim fica mais fácil ver o que tem em cada uma), e na maior coloquei camisetas, regatas, camisas e malhas, e nas outras separei calcas, jaquetas, roupas intimas e acessórios (lenços e cintos).

20140511-202551.jpg

Assim também ficou fácil “encaixar” os nécessaires dentro da mala, e ir montando um quebra cabeça com o resto: sapatos no fundo (levei dois pares de sapatilhas na mala e um tênis ja no pe), necessaires com cosméticos, etc.

Ficou TÃO mais fácil achar tudo que precisava ao longo da viagem, principalmente a medida que fomos trocando de cidade e hotel a cada 3 ou 4 noites.

E para matar a curiosidade, aqui estão algumas fotos dos nossos “Looks” – meus e da Isabella!

 

untitled (373 of 486)

 

 

Categorias: Coreia do Sul, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Japao, Viagens
42
09
Apr
2014
Esqui e Aprés Ski – fazendo a mala dentro e fora das pistas
Escrito por Adriana Miller

Apesar de já ter falado sobre o que usar e como se vestir para esquiar aqui nesse post, sempre é bom relembrar. E depois das viagens de esqui que fiz esse inverno muitas meninas me pediram dicas sobre o que levar na mala para usar dentro e fora das pistas.

 - Roupas para esquiar ou fazer snowboard:

Não vou reinventar a roda, e esse meu post está bem completo – mas fiz uma check list com tudo que considero indispensável ter a mão para conseguir esquiar confortavelmente.

- Botas de esqui ou snowboard, que provavelmente serão alugadas, então na própria loja te dará tamanhos variados de acordo com o tamanho do seu pé, a grossura da sua meia e seu nível de esqui (já que a bota esta diretamente ajustada aos esquís propriamente ditos).

- Calca e casaco de material impermeável e corta vento: Tanto a calca quanto o casaco serão leves, permitindo liberdade de movimentos e te protegendo da neve/agua e vento lá em cima na montanha (as jaquetas e calcas de esquí não são necessariamente quentes, o importante mesmo eh a proteção anti agua mesmo)

- Roupas térmicas de base: meias, de preferência bem grossas e de cano alto, para proteger seus pés e canelas da bota (a mais desconfortável que você vai vestir na vida!), ceroulas ou leggings (de material próprio ara esquentar suas pernas, mas ao mesmo tempo nao reter umidade na pele); camisetas (regatas e de manga comprida) que sejam próprias para esportes e que nao retenham suor (nada pior do que a sensação de que você esta suando e molhada por baixo daqueles casacos todos), e por fim eu gosto de usar um colete de fleece, pois esquente meu tronco, mas sem limitar os movimentos do braço.

- Acessórios: luvas grossas e impermeáveis (para proteger a pele de sua mão na neve (neve “rala” que é uma beleza!) e que não fiquem molhadas), gorro ou tapa orelhas, cachecol ou protetor de pescoço (gosto daquelas “golas” de fleece, que não correm o risco de desenrolar no meio da pista (pode ate ser perigoso!) e sao quentinhas mas nao ficam “molhadas” a medida que seu pescoço for suando); óculos de sol ou óculos de esquí (o óculos de esquí eh bom para proteger os olhos e rosto quando chove ou esta nevando e ventando muito, mas a verdade eh que prefiro e “enxergo” melhor usando oculos de sol mesmo. Mas quando uso oculos de sol, sempre uso mina faixa “tapa orelha” poise la deixa as hastes do oculos bem presas atrás da orelha, para nao correr o risco de perder os oculos!). E por fim, um capacete (principalmente se voce ja eh mais avançado/corajoso ou se a condição da neve nao estiver muito boa).

A principal dica é realmente ficar de olho nos materiais da roupa e do equipamento que voce vai usar.

Por um lado o clima é frio, você vai pegar bastante vento no alto da montanha, e de uma hora para outra o tempo pode virar completamente de sol-para chuva-para neve e uma incontável variação de combinações de clima, te deixando de morrendo de calor no sol (nao esqueça que voce estará fazendo atividade física intensa o tempo todo, entao vai sentir bastante calor “por dentro” da roupa sim!), para congelado e ensopado (de neve ou chuva) em questões de segundos!

Quando estava em Bardonecchia esse ano eu postei uma foto no Instagram com tudo que estava levando comigo pras montanhas, e muita gente se assustou com a quantidade de cacarecos, e se eu ia esquiar de bolsa ou mochila.

A pesar de que mochilas sao uma opcao (para quem ja leva mais jeito nas pistas (que nao eh meu caso!), as roupas de esquí sao lotadas de bolsos e compartimentos secretos, justamente para isso – afinal voce vai ficar o dia todo por la, fazendo mil atividades e tem que estar preparado para imprevistos tambem.

Entao geralmente as calcas tem pelo menos 2 ou 4 bolsos, as jaquetas 4 ou 6 (quanto mais profissa a jaqueta, mais esconderijos elas tem!), e fora os acessorios, como gorro, coletes etc, entao eh soh ir espalhando suas coisas pelos bolsos sem preocupacao!

ATENÇÃO:  Essa lista de roupas/materiais vale tanto para mulheres, quanto para homens!

- O que vestir fora das pistas de esquí (para jantar, apres ski, etc).

Bem, o principal a ressaltar aquí eh que por mais que voce va para um resort super badalado nos Alpes, o clima eh sempre muito informal – a maioria das festas e apres ski começam direto nas pistas, e raramente as pessoas voltam pro hotel/casa para se arrumar e emperequetar antes de sair de novo.

Entao o “look” mais comum incluem calcas de esquí/snowboarding, botas de esquí (mas quase todo mundo leva uma outro par de “bota de neve”, porque as botas de esquí realmente sao muuuuuito desconfortáveis!), e tudo meio colorido/esportista…

Mas eh importante ter uma boa opcao de calcado que possa ser usado com sua roupa de esquí justamente quando voce nao estiver esquiando – pode ser simplesmente uma bota bem quentinha de solado anti-derrapante, ou aqueles sapatos/botas de trilha, por exemplo. Porque mesmo se seu hotel for ski-in/ski-out, ainda assim voce vai querer ter uma opcao confortável para usar no fim do dia.

E nas situacoes onde voce vai apenas passear pela estacao/cidade, ou voltou pro hotel antes de sair para jantar por exemplo, ou ate mesmo para quem quiser uma balada mais animada, tudo eh muito, muito informal – entao podem deixar as plumas e paetes e salto alto em casa.

Nos pés é importantíssimo sempre ter uma bota que além de quente, seja confortável e anti derrapante, pois quase todas as ruas/calcadas e caminhos por onde você vai passar estarão cobertos de neve e gelo.

E de preferência botas/sapatos de marcas e materiais que sejam proprios para ese tipo de clima e situação, pois a neve (na verdade o químico que colocam na neve para ela derreter e não virar gelo) tem um efeito destruidor em couros e sapatos mais delicados (tipo camurça, couro sem tratamento, etc).

E de resto calcas compridas (que podem ser jeans, ou sarja, ou camurca, couro, ou qual material voce prefira), blusas e pullovers quentinhos, um bom casacão (que pode ser um sobretudo mais pesadao, uma jaqueta de couro, um trench coat, ou a sua propia jaqueta de ski, se voce nao quiser carregar muita coisa na mala), e claro, acessorios (luvas, corros, cachecol).

Me pediram para usar as fotos que postei em Chamonix como exemplo – pois consegui ficar arrumadinha pras fotos (#quemnunca) mas sem passar frio!

Foi apenas uma questão de usar os materiais certos e as camadas certas!

Então nesses días em Chamonix eu estava usando (de “dentro” para fora da roupa):

*Minha meia de esquí (super grossa de lã merino e ate acima dos joelhos)

*Calca jeans (eu pessoalmente não gosto de usar meia calca por baixo de jeans – acho que o mínimo de proteção e “aquecimento” que eles vão oferecer nao compensa o nivel de desconforto, mas eh uma opcao bem pessoal. Eu O-deio, mas tem gente que nao sai de casa sem!)

*Minha bota inseparável da Ugg (acho ate que vou comprar outras cores, pois essa bota realmente é imbatível pro frio! Mas também tenho algumas botas da Timberland que sao otimas!)

(Na parte de cima do corpo)

*Regata de algodão

*Blusa térmica (manga comprida e gola alta)

*Pullover de lã de gola alta

*Colete de fleece (o mesmo que mencionei acima que gosto de usar para esquiar. Eh uma ótima dica para dar uma esquentada no corpo mas sem ficar com a roupa muito amontoada)

*Sobretudo de la (esse sobretudo é super grosso e pesado, com um forro potente, mas o corte eh impecável, então não parece ser tão grandão quanto é!)

*Gorro (usei esse de pelinho pois quería ficar com a cabeça e orelhas quentes, mas não consigo usar gorros de lã por muito tempo seguido – me dão uma coceira pinicada horrível na testa!)

*Luvas (hoje em dia nao consigo mais usar luvas que nao tenho ponteira de dedo de touch screen para usar meu celular e a câmera fotográfica sem ter que tirar as luvas!)

Ou seja, no total eu estava usando 5 camadas de roupa, mas sem ficar parecendo um bonecão do posto! :-)

E o melhor é que a medida que entravamos em lojas ou restaurantes, eu ia tirando as camadas pouco a pouco, de acordo com a temperatura e aquecimento de cada lugar, para nunca ficar desconfortável!

Já em Bardonecchia, na Itália ha umas semanas atrás, apesar da neve e temperaturas abaixo de zero a noite, durante o dia nos resorts o sol estava bem forte, levando as temperaturas na casa dos 10/15 graus, então já não precisamos de tantas camadas e materiais grossos.

Então foi bem mais fácil de planejar o que vestir foras das pistas, usando roupas mais “normais”:

*Blusa térmica de manga comprida

*Pullover de cashmere

*Jaqueta de couro

*Cachecol

*Calça jeans

*Bota (não dá pra ver na foto, mas estava usando minha bota da Timberland, sem forro, mas de ótimo couro e solado de borracha)

 

Categorias: Bardonecchia, Chamonix, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Viagens
6
14
Jan
2014
Como arrumar a mala para uma viagem no frio: edição crianças e bebês
Escrito por Adriana Miller

Algumas leitoras com filhos me pediram pra falar sobre como vestir as crianças para viagens no inverno Europeu (ou viagens no frio em geral).

A Isabella nasceu no auge do inverno Inglês, mas mesmo assim poucos dias depois já estávamos sassaricando por ai com ela!

Afinal, como dizem por aqui, “Não existe frio, existem apenas pessoas que não sabem se vestir para certas temperaturas” – então independente da idade do viajante, basta saber se vestir direitinho e o fator “temperatura” da viagem pode ser minimizado.

Uma coisa engraçada que vejo aqui e comparo muito com o Brasil eh a falta de percepção com as temperaturas que não estamos muito acostumados, principalmente quando o assunto são as crianças.

Enquanto que no Brasil basta bater um ventinho pra todo mundo ficar achando que as crianças vão pegar “friagem”, aqui é justamente o contrario, e a tendência é sempre achar que eles vão morrer de calor! Quando a Isabella nasceu eu praticamente levei uma bronca de uma das enfermeiras por que o quarto dela estava muito “quente” (o termômetro do quarto marcava 21 graus) e calor demais era prejudicial aos bebês, e ela nunca ia conseguir mamar e dormir num ambiente tão quente (oi?!), e ainda me deu a recomendação “se sua filha estiver chorando demais sem explicação, tente retirar uma camada de roupa. Com certeza ela estava com calor” (oi?! 2).

Enquanto isso no Rio de Janeiro, quando o termômetro do ar condicionado do quarto da Isabella marca 23 graus, já fica todo mundo querendo colocar roupas e cobertores extras achando que ela vai pegar um resfriado.

Ou seja, é tudo relativo!

Mas no geral minha filosofia para vestir a Isabella no frio é a mesma que eu e o Aaron usamos: nos vestimos em camadas e com os materiais certos para o inverno (que eu já tanto falei nos posts sobre como fazer uma mala para viajar no frio).

IMG_1937

Ate porque, com bebes e crianças a sujeira é um fato: seja uma fralda explosiva, seja uma golfada, papinha que voou longe, ou se arrastando pelo chão dos lugares, então ao vesti-los com varias camadas diferentes, fica mais fácil ir trocando uma coisa de cada vez, a medida que uma ou outra peça se sujam.

Começe pela base, pelas roupas que ficaram em contato com a pele do bebê.

Com a Isabella, o primeiro de tudo sempre eh um body, sem pernas, de manga curta ou longa. Eu uso bodies de algodão normal, pois ela ainda não se mexe muito (engatinha, mas ainda não anda nem corre), então não tem muito problema de ficar suada/úmida por baixo da roupa em contato com a pele (que é o fato mais importante tanto para adultos quanto crianças – a camada em contato com a pele sempre sequinha).

Para crianças mais velhas, sempre é melhor usar como base roupas de material térmico ou “tecnológico” que ajude a repelir suor/umidade da pele e deixem o corpo respirar (porque mesmo com frio, as crianças não param quietas e invariavelmente vão suar por baixo de tudo).

Marcas como a Uniqlo (que sempre falo por aqui nos posts sobre roupas térmicas e tecnológicas), ou lojas de esporte ou especializadas sempre tem uma seção infantil com ótimas opões de roupas.

IMG_2272

Depois dessa base eu coloco uma camiseta/blusa com alguma casaquinho por cima (cardigan de linha/lã ou moleton) e uma calça comprida.

Para a calça, se estiver muito frio, opto por aquelas calcas tipo “pijama”, com pezinho (pois ela ainda não anda, então tecnicamente não precisa de sapatos, então também evita que perca sua meia por ai), ou uma meia calça por baixo, para que a pele não fique exposta no tornozelo quando pegamos ela no colo.

A camada final é uma jaqueta de nylon/impermeável/corta vento, de preferência com capuz, que vai proteger o torso e braços dela.

IMG_1776

Na parte de baixo e pernas eu acho essencial usar um “footmuff” no carrinho (que é essa “capa” acolchoada e térmica que encaixamos no carrinho nos meses de frio), pois com cobertores “soltos” eles acabam chutando, tirando do lugar, perdendo e sujando demais. Além disso, a maioria dos footmuffs também tem proteção anti chuva e anti vento (além de deixar o carrinho super confortável e aconchegante nos dias frios! Morro de inveja! Hehehe).

O Footmuff que usamos pra Isabella eh o da própria marca do carrinho (Bugaboo), então se encaixa direitinho na base, sem ficar saindo do lugar ou escorregando (quando ela era recém nascida – ate uns 6 meses – usamos a versão “Cocoon” e agora usamos o footmuff “Polar”).

Mas pra quem não quiser fazer um investimento alto (afinal não é o tipo de coisa que seria útil no Brasil), a John Lewis, Mothercare e Amazon vendem versões bem baratinhas!

E em Londres outro acessório importantíssimo do carrinho é a capa de chuva – e muitas vezes também uso a sombrinha, que apesar de ser um acessório de verão, como o tecido é impermeável, acabo usando de guarda chuva quando esta só chuviscando (e o footmuff tb é impermeável, então ela fica sequinha).

E por fim, um bom gorro, que proteja bem a cabeça e orelhas do bebê/criança.

IMG_2274

Geralmente eles odeiam, e a Isabella passa hooooras entretida tentando arrancar o gorro, mas principalmente os bebes que não tem muito cabelo pra proteger a cabeça, e é a area do corpo que eles mais perdem calor. Além de que quando o frio pega mesmo, as orelinhas fininhas dos bebes congelam em segundos, além de que o frio também pode causar dor de ouvido (que pode se transformar num problema serio).

Outro acessório recomendável na “teoria”, mas que não funciona muito bem na “pratica” são luvas. Ao mesmo tempo que acho importante que as crianças usem luvas (pois assim como as orelhas, são áreas finas nas extremidades do corpo, que “congelam” rápido), a realidade eh que eles precisam das mãos livres pra brincar, pegar nas cosias, e os bebes mais novinhos não tiram as mãos da boca (e pior que não usar luvas, só mesmo luvas molhadas – e geladas – de baba!).

A Isabella tem algumas luvas, mas só (tento) usar em casos extremos, e sempre dou preferência a modelos que tem uma cordinha pra amarrar no punho da criança (então mesmo quando elas tirarem as luvas pelo caminho, elas não se perdem, pois estão amarradas nos braços! Genial!).

Outra opção são os “hand warmers”, que são mini aquecedores para as mãos, que podem ser colocados nos bolsos dos casacos de crianças maiores.

IMG_2516

E claro, não esqueça de proteger bem os pés das crianças que já andam!

A recomendação é a mesma que adultos, mas para crianças os melhores modelos são emborrachados e com forro/pelos por dentro – assim os pés e dedinhos ficam bem protegidos por dentro, mas você não precisa de preocupar com meias molhadas quando eles pularem em cheio na poça de lama ou agua de chuva no meio do parque!

Para um frio mais extremo, que envolva muita neve ou chuva, e principalmente se a criança já andar e for ficar muito tempo fora do carrinho (e do quentinho do footmuff), uma ótima peca pra se ter a mão são os “bodysuits”, que é tipo um casacão fofinho e impermeável, porem com modelo de macacão, então também protegem as pernas (e alguns tb cobrem as mãos).

A Isabella tem uns modelos “fofinhos” com fleece e pelúcia, mas agora que gosta de ficar fora do carrinho, engatinhar afins, também tem um modelo impermeável (pra poder se sentar na neve, nos brinquedos molhados da pracinha, ou na grama úmida, sem ficar encharcada – e molhada!).

IMG_0878

Mas de maneira geral eu prefiro os modelos de material impermeável, pois são mais fáceis de limpar (se cair comida na pelúcia do casaco, já era, e a criança vai passar o dia todo de roupa suja, mas se cair comida num casaco de nylon, basta passar um paninho, e e ele estará pronto pra outra).

Aqui em Londres é super fácil achar roupas apropriadas de frio para bebes e crianças, e todas as lojas que indiquei no post sobre compras de enxoval em Londres terão ótimas opções, nos mais variados preços.

Mas não esqueça que crianças perdem roupas super rápido, então mesmo se você viajar bastante para lugares de frio e quiser “investir”, provavelmente as pecas já não serviram em seus filhos na próxima viagem!

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas
24
25
Oct
2013
Como se vestir no outono e inverno em Londres: os detalhes que fazem a diferença
Escrito por Adriana Miller

Eu ja postei varias vezes sobre como se vestir no Outono e Inverno em Londres (e na Europa), mas todo ano vai chegando essa epoca e o pessoal que esta de passagem marcada para os meses mais frios acabam ficando sempre com as mesmas duvidas: qual vai ser a temperatura em Londres no mes tal? Vou pegar muito frio no dia X? Como esta o clima por ai? Chego dia Y e nao sei oque levar na mala!

As dicas na verdade continuam as mesmas (como esses posts aqui), e eh assim mesmo que me visto no meu dia a dia durante o inverno, ano após ano.

Mas nas ultimas semanas tenho postado (no Instagram e Facebook) algumas dicas “úteis” de coisas que uso bastante durante o inverno e acho que são pequenos detalhes que fazem a diferença no guarda roupa (e na mala!) quando as temperaturas abaixam demais:

- Meia calca e legging com forro de fleece “Super Cozy” da Primark:

Por miseros 6 Libras voce vai comprar a melhor meia calca de frio que ja usou na vida!

20131023-074432.jpg

Por fora, uma meia calca normal, de 300 fios (que tem aquela aparência bem escurinha, e de trama fechada, com as meias de fio 80 ou 100) mas por dentro eh forrada com um fleece super, ultra macio e quentinho!

É uma meia calca, mas vai ser mais confortável, aconchegante e quente que qualquer outra peca do seu armário!

As mais friorentas podem usar por baixo da calca comprida (eu pessoalmente detesto usar meia calca por baixo de calcas, mas as vezes eh necessário), ou então naqueles dias que você quer usar saias ou shorts mas esta com frio do vento nas canelas!

 

- Jaqueta “Ultra light Down” da Uniqlo

Não é a primeira vez que falo na Uniqlo aqui no blog, principalmente quando se trata de roupas de inverno. A marca japonesa esta longe de ser a mais fashionista do mundo, mas é super eficiente, moderna e tecnológica. Todas as peças sao leves e minimalistas, mas super quentes!

A jaqueta de pena de ganso é um achado – pesa miseras 300 gramas e pode ser guardada dentro do saquinho que vem junta, perfeita pra levar em viagens e carregar na bolsa naqueles dias incertos, quando você não sabe se o tempo vai firmar, se vai abrir, se vai fazer mais frio ou mais calor.

Não ocupa muito espaço mas é super eficiente. É daquelas peças pra levar na bolsa, e caso o tempo vire é só vestir por cima (ou por baixo) da roupa que você estiver usando mesmo, sem problemas.

 

- Luvas Touch Screen:

Afinal, não é porque esta frio que você vai querer deixar de usar seu smartphone, seja pra tirar uma foto, atender uma ligação ou fazer checkin dos points da sua viagem!

É fascinante: uma luva como outra qualquer, mas na pontinha a trama da lã é diferente, que permite que seus dedos deslizem livremente na tela do seu celular, tablet, câmera fotográfica, sem que você tenha que ficar colocando e tirando as luvas (e consequentemente com seus dedos congelados!).

Porque afinal, esteja frio ou não, você vai ter que dar check in e postar aquela sua foto em frente ao Big Ben, certo!? mas com aquele ventinho cortante, qualquer minutinho sem as luvas eh uma tortura (sem falar no tanto que as pessoas perdem luvas no meio da rua! Luva é tipo tampa de canta bic e guarda chuva: todo mundo perde, mas ninguém nunca acha!).

20131025-152630.jpg

Aqui em Londres elas esta disponíveis em tudo quanto é canto, e são bem baratinhas (os quiosques e lojas de souvenir da Oxford Street sempre vendem modelos diferentes), mas não duram tanto, e acabo tendo que comprar vários pares ao longo do inverno, então esse ano resolvi investir num par melhorzinho e mais quentinho, e adorei essa opção da Ugg (que além de fazerem as melhores botas de inverno, também fazem acessórios ótimos pro frio!).

 - Guarda Chuva:

Dica meio óbvia pra Londres não? Total #DescobriaAmerica mas o clima é tão instável em Londres, que um dia que começa ensolarado não necessariamente acaba com tempo bom, e vice e versa.

Então é preciso andar com um guarda chuva a tira colo o TEMPO TODO.

Só que entre as muitas cosias que você tem que carregar todos os dias (e quando estamos viajando ainda inclui mapas, Guia de viagem de Londres, maquina fotográfica, etc, etc E ainda ter que carregar guarda chuva, mesmo se estiver sol?

Siiiim!

Então a dica são as opções ultra compactas disponíveis por aqui. Não se deixe enganar pelo tamanho: são pequenos e leves, mas aguentam bem o tranco da ventania que se afunila no Tâmisa como ninguém! Mas com a ótima vantagem de não ocupar muito espaço nem pesar demais.

A Boots e a Acessorize vendem ótimas opções!

 

De resto, as dicas que já dei aqui no blog varias vezes sobre como se vestir no frio ainda são validas e imprescindíveis!

20131025-152723.jpg

Uma boa bota de solado de borracha, cachecol grandão pra proteger bem o pescoço, e gorro pra proteger a cabeça e orelhas!

 

Categorias: Clima, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Viagens
26
19
Jul
2013
Na mala de mo
Escrito por Adriana Miller

Nesse exato momento estamos a caminho do Caribe: nosso primeiro cruzeiro e primeira viagem para esses lados do mundo.

Ento enquanto arrumava minha mala e bolsa de mo lembrei que a ltima vez que falei sobre isso aqui no blog foi a quase 5 anos atrs, quando fomos para a Asia na nossa lua de mel!

O princpio sobre o que vai comigo no avio no mudou muito; continuo gostando de viajar “leve”, levando apenas o que eu sei que vou precisar. Incorporei algumas novidades e abandonei outras coisas.

Dessa vez, minha bolsa de mo est assim:

bolsamao

Sempre carrego uma bolsona que caiba tudo, em vez de ficar carregando bolsinha, mala, frasqueira etc (sem contar que agora temos que viajar com todas as tralhas da Isabella, n?), e a escolhida da vez foi a Longchamp Pliage, porque cabe tudo, tem ziper etc.

Ento meus indispensveis no vo so:

Revistas e iPad (com filmes, livros)

culos de grau e de sol

Chave de casa

Carteira

Carteira de viagem (onde levo os passaportes – bom pra quem tem muitos: eu tenho 2, a Isabella viaja com pelo menos 2, mais o do Aaron – confirmao do cruzeiro, de hoteis, endereos e informaes importantes)

Porta carto (onde carrego meu Oyster, carto de visita, etc)

Adaptador de tomadas de viagem

Protetor labial

Leno de papel

Baterias extras para cmeras

Cmeras

Almofada inflvel para pescoo

Trip e lente para iPhone, fone de ouvido

Necessaire transparente com miniaturas

E uma outra necessaire onde coloco todos os itens soltos (o ruim da Pliage que no tem divisrias internas)

bolsamao2

Dentro da necessaire transparente com miniaturas levo (lembrando que na mala/bolsa de mo no pode levar nada com mais de 100ml):

Escova e pasta de dentes

Creme para mos

Protetor labial e gloss

lcool em gel

Paracetamol

Espelho

Hidratante para o rosto

Blush liquido

Hoje em dia j no levo maquiagens, pois sei que no vou usar nada disso no avio. Quanto estou viajando a trabalho tudo bem, pois geralmente saio do avio direto pra alguma reunio, escritrio e tal; mas em viagens de frias, saio do aeroporto direto pro hotel, ento prefiro carregar menos coisa (levo um blush liquido pois no precisa usar pincel nem nada, s pra emergencias belezsticas).

E ainda ficou fora da foto meu celular (que usei pra tirar a foto), uma pashmina, par de meias pra usar no avio e os cabos das cmeras (sempre levo comigo no avio)

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Viagens
22
21
May
2013
Liquidos na mala de mão: Crianças e bebês – produtos, leite e comidas
Escrito por Adriana Miller

Um dos procedimentos mais óbvios pra quem viaja muito, também é uma das maiores duvidas dos viajantes: afinal quais são as regras para levar líquidos na mala de mão?

Então respondendo algumas dúvidas do post anterior, apesar de algumas variações em alguns países e aeroportos, no geral a regra é bem simples e clara: nada de líquidos (cremes, géis, pastas e afins) em embalagens acima de 100ml, e sempre armazenados em sacos de plástico transparente.

Mas antes da minha primeira viagem com a Isabella me bateu a dúvida: E as coisas de bebê? Como funciona?!

Não foi difícil de descobrir – e na dúvida, basta acessar o site do seu aeroporto local.

Mas depois de passar por aeroportos em 3 países/continentes diferentes com a Isabella, vi que a regra é tão simples quanto – apenas com algumas adaptações.

De maneira geral a regra é menos rígida: é possível passar pela segurança de aeroportos com líquidos acima de 100ml quando se está viajando com um bebê de colo (até 2 anos) desde que se siga algumas regrinhas.

- Produtos industrializados:

Na Europa e nos EUA é muito comum que pais comprem fórmula (leite artificial) para bebês e crianças já na versão preparada, em caixinha ou garrafinha, pois é bem mais prático que levar pó + água e mais durável também (por ser uma mistura estéril).

(Algumas marcas até vendem garrafinhas que encaixam com um bico descartável e esterilizado – então você nem precisa levar mamadeiras se não quiser!)

Essas embalagens variam em tamanho, mas geralmente tem entre 90ml a 200ml – mas desde que sejam produtos industrializados e estejam lacrados, você pode passar com eles pela segurança sem problemas.

A única restrição nesse caso é que você só pode levar leite preparado numa quantidade suficiente para a viagem – ou seja, para um voo transatlântico, por exemplo, você pode levar algumas caixinhas para o voo, mas não pode levar o suficiente para as férias inteiras (nós levamos dezenas de caixinhas – sempre usamos para passeios pois realmente é bem mais pratico – mas todas nas malas despachadas).

Na segurança do aeroporto Heathrow em Londres, nós tivemos que abrir uma das caixinhas, aleatoriamente escolhida pela funcionária do aeroporto para provarmos o leite – mostrando que o liquido não esta contaminado.

Ja no aeroporto de Denver, nos EUA e no Rio de Janeiro, não tivemos que provar nada – bastou estar lacrado.

O mesmo vale para potinhos com papinhas e comidas de criança preparadas. Desde que sejam industrializadas e lacradas você pode viajar com embalagens acima de 100ml, e talvez tenha que abrir uma dela para provar, talvez não.

- Produtos não industrializados:

Se seu filho(a) ainda esta amamentando exclusivamente, então não ha nada que se preocupar: a “embalagem” do leite passa pela segurança sem problemas!

Mas caso você queira levar leite materno numa mamadeira, por exemplo isso pode vir a ser um problema. Na verdade você até pode passar com mais de 100ml de leite materno sem problemas, porém terá que provar o leite, o que pode vir a ser um problema pois a mamadeira/leite já não será mais estéril.

O mesmo é verdade para papinhas.

Caso você seja radicalmente contra dar papinhas industrializadas a seus filhos, qualquer potinho de comida “caseira” deverá ser provado ao passar pela segurança.

Uma boa solução é pedir para a cia aerea uma comida especial para a criança (que pode ser solicitada no momento da reserva da passagem, ou depois a qualquer momento até 24hrs antes do voo), que se aproxime mais com as comidas que ele/ela esteja acostumado em casa.

- Facilidades dos aeroportos de Londres:

Essa dica é pra quem vai viajar a partir de aeroportos em Londres (e Inglaterra em geral).

Os aeroportos da BAA (British Airports Authority) tem uma afiliação com a rede de drogarias Boots (que sempre tem uma filial dentro da area de embarque dos aeroportos Britânicos) onde é possível encomendar comidas, leite e produtos de bebê com antecedência, e recolher sua compra já dentro da area de embarque, depois de passar pela segurança do aeroporto.

Basta efetuar a compra através do link da Boots no site do aeroporto (como por exemplo, no Heathrow), escolher exatamente o que você quer e a quantidade, com pelo menos 48hrs de antecedência e pronto. Assim que você passar pela segurança é só ir na Boots e retirar suas compras.

Eu fiz isso quando fui ao Brasil sozinha com a Isabella – eu não bebo leite (tenho verdadeiro PAVOR do gosto de leite) e fiquei morrendo de medo de ter que provar o leite dela; então pra não correr riscos, fiz minha encomenda uns dias antes de embarcar e passei direto pela segurança do aeroporto, sem me preocupar com líquidos.

Mas caso você esqueça disso antes do voo, não se preocupe. As lojas da Boots dos aeroportos são super bem abastecidas com produtos pra bebês e crianças, com paredes inteiras de prateleiras com todos os tipos de marcas, produtos, papinhas e afins!

 - Cremes, pomadas e afins:

Já todo o resto segue a mesma regra, então caso você use cremes para assadura, ou queria levar na mala de mão hidratantes, alcool em gél, remedios etc, todos esse produtos deverão estar em embalagens menores de 100ml e dentro de um saco plastico transparente, assim como os dos “adultos”.

 

 

Categorias: Baby Everywhere, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Viajando com crianças
35
19
Dec
2011
Asia 2012: Arrumando as malas
Escrito por Adriana Miller

Quem me acompanha no Twitter sabe o quanto eu detesto fazer e desfazer malas (eu reclamo mesmo!), mas se tem uma coisa que eu (quase sempre) sei fazer sem problemas, é uma mala concisa, pequena, leve e sem itens desnecessários!

Eu ja ate falei sobre isso outras vezes (e aqui, aqui e aqui), outras viagens e outras mochilas/malas, mas cada nova viagem tras um desafio diferente, entao eh sempre bom relembrar!

Porem a principal dificuldade para essa viagem para a Asia é a “variedade” de guarda roupa que tenho que levar, pois as diferenças de temperatura serão drásticas (30 graus em Cingapura e -10 em Pequim!) num curto espaço de tempo, uma variedade bem grande de atividades (Cassino 5 estrelas em Macau, praia em Bali e hikking na China), e pra agravar o problema, ainda faremos todos as nossas viagens internas em voos low cost (Air Asia) ou trens, então nao podemos extrapolar no tamanho nem no peso das malas.

Para facilitar a praticidade da viagem como um todo, mais uma vez eu decidi viajar de mochila – mais facil de transportar, mais pratico pra se locomover, e por ter naturalmente menos espaço que uma mala normal, a tentação de encher a mala de coisas desnecessárias, é drásticamente diminuída!

Então a estratégia tem sido a mesma que sempre falo por aqui: peças combináveis entre si e versáteis, uma cartela de cores homogênea e muitas camadas! (e claro, ausencia de frescuras, pois nao tem como fugir do castigo de usar a mesma peca mil vezes na mesma viagem)

A pergunta que mais recebi no Twitter e Facebook quando disse que minha mochila estava pesando apenas 12 quilos foi “COOOOOMO?!”, e aresposta é simples (porem as vezes complicada na prática): simplicidade.

Eu sei que não posso carregar mais de 20 quilos, pois vamos voar Air Asia e esse é o limite de peso que pagamos pela bagagem despachada. Vamos viajar de trem no interior da China, onde não teremos lugar pra armazenar malas grandes seguramente durante a noite, e vamos nos hospedar em alguns hotéis onde já li que os quartos serão bem pequenos. E o principal, né, é que é um saco carregar mala pesada, fica aquela zona, ai você fica com opções demais e depois não sabe oque vestir!

Eu tomei uma decisão bem simples: estou levando a maioria das roupas na mesma paleta de cores: Branco, preto e tons de cinza.

A maioria dos dias estaremos entre o friozinho e o congelantemente frio, então essas são as cores que mais tenho peças de roupa de inverno de qualquer maneira, e assim tudo é combinável entre si, e todas as peças são intercaláveis e podem ser usadas ao mesmo tempo em camadas.

Então dá pra brincar de progressão geométrica com o próprio guarda-roupa, pois não precisarei me preocupar que a peça tal não combina com a blusa tal ou com o casaco tal. Assim tudo combina com tudo, e basta ir mudando a ordem das camadas, pr anao parecer que estou usando todos os dias a mesma roupa!

Isso claro, sem ignorar o fato de que as peças serão usadas varias vezes, sem neura de ficar lavando roupa no meio de uma viagem de 3 semanas (pra quem viaja por um ano é bem diferente, mas 3 semanas dá pra aguentar) e sem frescura. (essa historia de levar uma mala gigante com 37 modelos diferente pra ficar brincando de “foto do dia” eh muito delirio de blogs de street fashion… na vida real isso nao existe minha gente!).

As exceções são algumas peças de “verão” que irei usar por poucos dias em Bali e Cingapura. Mas como essas são justamente as peças que são mais leves e ocupam menos espaço, pude variar um pouco mais, incluir uma estampa aqui outra ali.

Outro “critério” de seleção é o peso das peças; principalmente para as peças de frio, dei preferência as roupas com tecidos específicos para frio, que geralmente são mais “tecnológicas” e portanto são mais quentes, mais leves, mais resistentes e sujam menos. Bons exemplos são as peças da Uniqlo (HeatTech) e IceBreaker (lã merino).Para casacos estou levando apenas os “plumas” (down jackets) que esquentam mais e são levíssimos – ao contrario de sobretudos de lã. (eu tenho dois, um mais pesadao que vai ate o joelho, e outro levissimo, tambem da Uniqlo, que cabe num saquinho e pesa 200 grm!).

Os sapatos seguirão o mesmo critério: 1 unico par pra super frio (bota de cano alto de couro, com forro por dentro, da UGG), 1 par de tênis de couro que é mais meia estação (tipo um “All Star” só que de couro, oque é mais quentinho e a prova de chuva e frio – da Aldo), uma sapatilha para quando estiver mais quente (e um par de havaianas para a praia).

Uma das principais dificuldades foi incluir algumas peças mais arrumadinhas, já que estamos planejando ir a alguns restaurantes mais bacanas e nos cassinos e baladas em Macau e Cingapura. Mas então segui o mesmo padrao: preto e cinza, com combinações e sobreposições que podem fazer as mesmas peças ficarem com uma cara mais casual ou mais arrumadinhas – e alguns acessórios chave, só pra dar um toque. O unico sapato “arrumado” eh uma sandalis da Melissa, que com meia calca e uma roupa mais arrumadinha engana bem, mas que tambem posso usar na praia em Bali ou no calor em Cingapura.

Mas como todo mundo gosta de uma listinha que eu sei, e isso sempre ajuda a fazer um planejamento mental e uma pre-selecao antes de colocar tudo na mala (por exemplo, ir montando mentalmente as combinacoes e looks que voce quer usar, e ver oque da certo com oque). Entao essa eh minha lista:

  • Down jacket longa CK
  • Down jacket curta Uniqlo
  • Skinny jeans
  • Jeans escuro
  • Legging fleece
  • Fleece cinza
  • Merino wool manga longa
  • Merino wool manga curta
  • 3 blusas manga longa Uniqlo (branca, cinza e preta)
  • 1 ou 2 Sweaters la (cinza e listrado)
  • Regatas e camisetas (6 no total)
  • Short jeans e e khaki
  • Saia longa
  • 2  vestidos floridos (Farm)
  • Vestido saida de praia
  • Biquines (2 pares)
  • Vestido preto (Zara de malha)
  • Vestido crochet
  • Blusa renda preta
  • Saia preta (couro)
  • Bota Ugg
  • Sandalia Melissa
  • Sapatilha preta Mr Cat
  • Converse couro
  • havaianas
  • Chapeu e gorro de la
  • Tapa ouvidos fleece
  • Luva merino
  • Luva couro
  • (e Hand warmers)
  • Cachecol preto
  • Cachecol LV
  • Clutch preta Coach
  • Jaqueta sarja + couro
  • Jaqueta H&M cinza
  • Blazer preto ou cinza (Forever 21)

 As unicas coisas que faltam colocar na mala agora sao os equipamentos fotograficos e a necessaire, que ja estao sendo organizados, recarregados e separados!

A necessaire com liquidos vao na mala, e todo o resto nas bolsas/mala de mao (entao teoricamente nao temos que nos preocupar com o peso).

 

 

Categorias: China, Cingapura, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Indonésia, Viagens
80
18
Dec
2011
Apetrechos de viagem II
Escrito por Adriana Miller

Esse é na verdade um post-update desse post aqui que escrevi ano passado sobre “trecos” que ajudam bastante sua vida numa viagem.

E acho que é o tipo de post que merece updates periódicos, pois sempre tem um gadget novo, uma descoberta tecnológica… mas principalmente motivado pela master viagem que vamos fazer daqui a uns dias.

Dos itens da lista original, todos permanecem na mala e são essenciais, principalmente em viagens mais longas: O Kindle já não sai da minha bolsa normalmente, quanto mais quando sei que vou enfrentar muitas horas de espera, voos longos, viagens intermináveis em trens etc.

O Pebble foi uma super descoberta! Principalmente pra quem usa iPhone, que tem uma bateria sofrível, e nao quer correr o risco de ficar incomunicável no meio da viagem!

O adpatador de tomada é outro que vai comigo pra tudo quanto é canto! Mas eu comprei um novo que além de adaptador de tomada, também tem uma entrada de usb, então da pra carregar o iPhone, Blackberry, iPad e Pebble ao mesmo tempo que carregamos o laptop ou a câmera, por exemplo (uma super economia de tempo!)

A carteira de viagem eu acho uma mao na roda – fica tudo ali organizadinho e a mao, sem ter que ficar catando passaporte, confirmação de voo, endereco de hotel etc, perdidos no fundo da bolsa/mochila.

E a almofada de pescoço, o tapa olhos e ouvidos sao indispensáveis em viagens longas, principalmente na classe econômica ou em trens!

Mas alem disso tudo, novos itens fazem parte do meu “kit” viagem, principalmente nessa viagem de fim de ano!

iPad: na verdade quem comprou foi o Aaron, e eu ainda sou meu cínica sobre qual seria a função pratica de um iPad… mas em preparação pra essa viagem estamos baixando varias apps divertidas de fotografia e viagem, muitos filmes e seriados, e aproveitando pra arquivar tudo que for importante durante a viagem, como copias de nossos passaportes e vistos, confirmações de voos, endereços de hoteis (em Ingles e Chines), itinerários, dicas e roteiros.

SD Eye-Fi: Um cartao de memória wireless que descarga suas fotos/vídeo da câmera direto pro seu computador, sem precisar usar cabos e conectores! Eh ou nao é revolucionário?! claro que vou levar todos os meus cabos, porque né, vai que alguma coisa da errado, mas que o Eye-Fi eh pratico, isso é!

Gorilla Pod: Ele também ja apareceu em outro post, com dicas de fotografia, mas é outro item essencial em viagens. Temos dois tamanhos diferentes, um pequeno que é mais maleável, para câmeras compactas, e um grandão, que aguenta nossas câmeras grandes. Apesar de que (quase) sempre carregamos nosso tripe grandão (e pesado bagarai) o Golrilla Pod é super pratico, e mais fácil de usar em areas muito movimentadas, ou superfícies desniveladas, ou quando simplesmente bate a preguiça de “desmontar” o tripe e tal. Principalmente quando viajo sozinha, nao saio de perto do Gorilla Pod! Nao confio nos outros tirando foto com minhas câmera! :-) (nunca ficam boas… incrível!)

Balanca portatil: Tai um acessório que nunca dei muita importância, mas depois que ganhei de presente, nao sei como consegui viver sem! Ele parece um abridor de garrafa, mas é uma balança pra malas! Imprescindível, principalmente quando viajando de low cost, onde o peso de bolsas e malas é super restrito!

Necessaire Penduravel: Outro item que também ja apareceu em outro post, mas que continua indispensável em viagens! É tao pratico ter todos os meus cremes organizados e visíveis (nao suporto aqueles necessaire “saco sem fundo”, e tem coisa mais trambolho que uma frasqueira?!), e que podem ser pendurados no porta toalha do hotel, na porta do trem, no banheiro publico do albergue. Na verdade eu tenho dois: um com minhas coisas de banho, e outro onde eu organizo cabos, carregadores, e fios em geral.

Secador de cabelo de viagem: Talvez seja uma preocupação exclusivamente feminina, mas vocês nao imaginam a quantidade de e-mail que eu recebo sobre isso! Nada pior do que ter que usar aqueles secadores furrecas de hotel, ou entao levar seu mega-blaster secador caro (ou chapinha) numa viagem so pra descobrir que nao funciona, queimar seu aparelho e ainda danificar a fiação do hotel (eu ja fiz isso…)! Entao sempre levo meu próprio secador bi-volt (que na verdade é o secador que eu uso no dia a dia em casa), que é da marca “genérica” da Boots e custou menos de 10 libras. A potência de 1.600 wolts eh mais que suficiente pra secar minha juba, mas baixa o suficiente pra nao perder a potencia ao trocar de voltagem (a voltagem secundaria é sempre mais fraca).

HD (Hard Drive) externo: Uma coisa que aprendi em outras viagens, é que não tenho limites na hora de tirar fotos. Essa cosia de ir tirando e ao mesmo tempo selecionando, apagando e afins não da certo. Eu gosto de tirar a mesma foto varias vezes de ângulos diferentes, com ajustes diferentes na câmera, fotos dos detalhes, fotos que contem a historia da viagem. Na maioria das vezes não uso nem 1/10 das fotos que tiro, mas gosto de te-las de qualquer maneira. E pra isso é preciso muito espaço pra armazenar tanta memória! Eu tenho cerca de 4 cartoões de memória, somando uma total de 20GB de memórias (e o Aaron tem mais uns tantos), mas que sinceramente sei que não serão suficientes (principalmente fazendo video em High Definition). Então um HD externo é uma maneira facil de arquivar as fotos e videos que vamos fazendo aos poucos durante a viagem, sem lotar a memória e sobrecarregar meu computador (que tem uma memória propositalmente pequena), além de ser mais “seguro” do que manter todos os seus arquivos no mesmo lugar (por isso também tenho varios cartões de memória de tamanhos diferentes, pra não usar tudo ao mesmo tempo – e se você perde sua câmera com o cartão dentro no ultimo dia da viagem?!??! Oh Ceus!).

 

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Viagens
41
14
Oct
2011
Onde comprar roupas de inverno em Londres?
Escrito por Adriana Miller

Todo ano vai chegando essa epoca e a historia se repete: turistas com planos de viajar pra Londres entre os meses de Novembro a marco se desesperam quando se dao conta que vao pegar muita chuva e temperaturas baixa e nao sabem exatamente como se vestir. Ou pior, sabem com se vestir (que eu ja dei umas dicas aqui e aqui) mas se deram conta que as roupas made in Brasil nao vao dar conta do recado.

Uma opiniao unanime eh: roupa de “inverno” no Brasil (ou qualquer lugar no hemisferio sul) nao funciona no frio daqui, e as roupas vendidas em lojas especializadas no Brasil oferecem baixa qualidade/e ou precos exorbitantes.

Entao fica a duvida: onde comprar roupas de frio em Londres?! Oque devo fazer assim que chegar na cidade?!

Bem, em primeiro lugar, lembre-se que nessa epoca do ano (entre outubro/novembro a marco) o pais inteiro esta submerso em frio e chuvas, entao na verdade qualquer loja vai vendar (quase que exclusivamente!) roupas de frio. Entao na hora do desespero, qualquer loja na esquina serve.

Mas pra quem quer um guia mais certinho, pra ja chegar com enderecos na mao e sabendo oque comprar e onde, aqui estao minhas dicas.

Baseado nas dicas que ja dei sobre como se vestir e fazer sua mala pro inverno Ingles, voce precisa concentrar sua lista de compras em alguns pontos e pecas essenciais e indispensaveis:

- Bota: de preferencia de couro impermeavel com solado de borracha.

- Blusas de la e/ou termicas: de manga curta e manga comprida, para serem usadas em camadas.

- Sobretudo/casaco de frio: que pode ser um sobretudo mais formal e classico, ou um casaco com recheio de plumas.

- Acessorios: Luva, gorro, cachecol e meias.

Todo resto eh o resto. Uma blusinha mais assim ou assado, variacoes de cores, de modelos etc. Se vista como voce se sentir confortavel fashionisticamente, e como quiser aparecer nas fotos!

Enderecos:

A coisa mais facil a fazer, caso voce saiba que vai chegar em Londres sem nem um casacao pra te proteger do vento cortante, eh largar suas malas no hotel, e pegar o metro em direcao ao Shopping Westfield.

Esse eh o maior shopping da ciade e la voce vai encontrar TODAS as lojas, com as mais variadas marcas e variedad de produtos que voce possa a precisar. A grande vantagem? Por ser um shopping, sera um ambiente fechado e aquecido, entao voc nao precisa passar aperto nem frio enquanto faz suas compras.

No fim do dia, ja volta pro hotel com o guarda roupa de inverno renovado e quentinho, pronto pra turistar a vontade pela cidade!

 

Outra opcao, caso vc ache muito contramao ir ate o Westfield (que ficam no extremo oeste e extremo leste da cidade) eh ir direto pro centrao consumista da cidade, a Oxford Street.

Ali no burburinho da Regent Street, Oxford Street e Carnaby Street voce tambem vai achar todas as lojas e marcas possiveis e imaginaveis, com milhares de opcoes de preco, qualidade e variedade de roupas de inverno.

A desvantagem dessa regiao eh justamente ser ao ar livre, e por mais divertido que seja fazer compras em Oxford Street, se voce ainda nao tiver nenhum casaco pra te proteger, o passeio de loja em loja sera um tanto quanto torturante!

Mas uma boa opcao sao as lojas de departamento, que funcionam como mini shoppings, e voce tambem vai encontrar um otima variedade de marcas, num ambiente aquecido.

As principais dessa area sao: John Lewis, Debenhams, House of Frasier, Browns e Selfridges.

Mas entre tantas opcoes e variedades, quais lojas/marcas oferecem as melhores opcoes?

Bem, isso eh uma questao bem pessoal, de gosto, de bolso. Se voce quer comprar alguma coisa mais basica e baratinha soh pra sobreviver as ferias, ou pretende gastar um pouco mais pra investir numa peca que vai durar varios outros invernos e viagens?

Se questione antes, e venha com uma lista mental das suas prioridades e vontades, e principalmente, seu orcamento. Roupas de inverno sao naturalmente mais caras, e “montar” um guarda roupa de inverno todo de uma vez soh, pode sair bem caro. Os sobreturdos da Burberry’s sao os melhores que existe, mas o custo-beneficio da peca nao vai ser muito vantajoso caso voce soh pegue frio alguns poucos dias por ano, por exemplo.

Entao aqui estao minhas dicas:

- Zara:

Eu ja confessei varias vezes que sou uma Zara-holic. Porque gosto do estilo, das pecas, da modelagem, e principalmente do custo-beneficio da loja.

20111012-215201.jpg

Na Zara, durante o inverno, voce vai encontrar de tudo: do sobretudo de la forrada ate embaixo do joelho por cerca de 200 Libras, ate o jaquetinha de pluma mais levinha por cerca de 50 Libras.

20111012-215145.jpg

Eu adoro os sobretudos da Zara, tanto para mulheres quanto para homens, e todos os casacos que ja tive (e tenho!) de la duram uma eternidade e tem uma qualidade otima!

As opcoes de modelos, cores, material utilizado, estilos e precos eh enorme, e com certeza absoluta voce vai achar alguma coisa que goste.

20111012-215153.jpg

Outras opcoes semelhantes a Zara sao: Banana Republic, Massimo Dutti e Mango.

Essas lojas sao boas opcoes pra comprar pecas como sobretudos, cashmere e blusinhas de linho, calca jeans e botas.

- H&M:

A H&M vai oferecer uma grande variedade de pecas tambem, e por precos bem mais baixos que as lojas acima, porem a qualidade e modelagem vai sofrer bastante!

20111012-215210.jpg

Um sobretudo da H&M vai custar uma media de 50 a 80 libras, mas fique de olho no percentual de la da composicao das pecas, pois a grande maioria das pecas da H&M sao feitas de algodao ou materiais sinteticos (que nao esquentam nada!).

20111012-215233.jpg

Porem, a H&M eh uma OTIMA opcao pra comprar acessorios de inverno bem baratinhos: Luvas, gorros, cachecois, meias e afins, numa inifnidade de cores e modelos, todos na casa dos 5 a 30 libras.

20111012-215220.jpg

Outras opcoes de lojas semelhantes a H&M e boas pra comprar acessorios sao: Primark, Top Shop, Forever 21, Accessorize e Claire’s.

- Uniqlo:

A Uniqlo eh uma marca Japonesa que marca por sua tecnologia de ponta. A qualidade de suas pecas e exepcional e os precos sempre acessiveis.

Essa marca eh uma otima opcao principalmente pra quem vai mochilar durante o inverno, e esta preocupado em como carregar as pecas pesadas de inverno numa mochila…

20111012-215134.jpg

A Uniqlo faz pecas termicas finissimas, que usam tecnologia de ponta pra preservar o calor natural do corpo, sem precisar de usar materiais grossos e irritantes.

Suas pecas-simbolo sao as blusas termicas finissimas que custam a partir de 9 libras e as as jaquetas de pluma ultra leves e ultra finas, que pesam menos de 200gr e podem ser armazenadas num saquinho que mede uns 15 centimetros apenas!

Outras opcoes de lojas que vendem pecas basicas: GAP, Benetton e lojas de material esportivo (em Londres procure pelas lojas da Decathlon e Ellis Bringham.

- Botas e sapatos:

Eu gosto muito da minha bota Ugg, que eh de uma modelo diferente do Ugg tradicional, e eh a bota perfeita pro inverno: solado de borracha grosso e anti-derrapante, couro impermeavel e forrada de pelo de ovelha.

A Ugg tem uma loja enorma no shopping Westfield (onde comprei a minha), mas tambem pode ser facilmente encontrada nas lojas de departamento de Oxford Street.

20111012-215124.jpg

Outra marca muito boa eh a Timberland, que apesar de ter um perfil mais “esportista”, eles fazem otimos modelos de botas de inverno, com altas tecnologias pro-conforto e anti-frio e que sao bem bonitas.

Nas na verdade o inverno de Londres não é assim TÃO frio quanto as pessoas imaginam, e raramente neva (media de apenas 1 ou 2 dias por inverno) então botas de “peso” como Ugg e Timberland podem facilmente ser dispensadas, então pra quem quer modelos mais basicos e com precos mais baixos, lojas como a Zara, Mango, Uniqlo e Gap tambem vendem botas e sapatos de inverno de otima qualidade, e ate mesmo lojas como H&M e Top Shop tambem vendem opcoes bem baratinhas (porem de qualidade duvidosa, mas se se voce soh for passar uns dias no frio, nao faz diferenca quantos invernos a bota vai durar, neh?!). Uma sapataria que sempre vende botas e sapatos bem baratinho eh a Barrats, na Oxford street. Voce vai achar Uggs generico por cerca de 50 libras, botas de couro sintetico por 50 a 70 e por ai.

Outras opcoes de lojas especializadas em sapatos que tambem oferecerao boas opcoes de modelos com bons precos e boa qualidade sao: Aldo, Clarks, Geox e Campers.

 

Uma boa estrategia eh entrar nos sites da lojas antes de chegar em Londres e fazer uma pesquisa sobre oque combina mais com seu estilo e seu bolso, e assim fica mais facil fazer um plano de ataque e nao gastar tempo demais das ferias comprando meia de la!

na grande maioria dessas lojas voce pode comprar on line e pedir pra recolher a mercadoria na loja – assim, se nao servir ou voce nao gostar, ja pode trocar ou devolver la mesmo!

Quanto custa?! Quanto vou gastar comprando roupas de inverno?

Isso vai depender da quantidade, qualidade, marcas e itens que voce comprar, obviamente. Quem precisar comrpar um guarda-roupa inteiro de inverno, vai gastar bem mais doque quem precisar apenas de um sobretudo aqui, um gorro ali.

Mas se desconsiderarmos todas as marcas de luxo (que obviamente destoariam a media e nem sequer entraram na lista), suas compras de inverno pode ser separada em duas categorias:

- Qualidade media-alta:

Nessa banda de lojas e marcas as medias de precos serao mais ou menos:

  • Sobretudo: entre 100 e 200 Libras
  • Bota: entre 80 e 150 Libras
  • Blusas e casacos de la: entre 20 a 50 (por peca – voce vai precisar de varias) Libras
  • Acessorios: Entre 20 a 50 (por peca) Libras

As lojas que eu classificaria nessa media sao: Zara, Gap, Banana Republic, Uniqlo, Ugg, Timberland, Aldo, Accessorize, John Lewis, House of Frasier.

- Qualidade Media-baixa:

  • Sobretudo: entre 50 e 100 Libras
  • Bota: entre 50 e 100 Libras
  • Blusas e casacos de la: de 15 a 30 (por peca)
  • Acessorios: de 5 a 30 (por peca)

As lojas que eu classificaria nessa media sao: Primark, H&M, Forever 21, Top Shop e Claire’s.

E pra quem quiser marcas com mais “peso” fashion, as grandes lojas de departamento (Selfridges, Browns, Harvey Nichols, Harrods, etc) teem todas as marcas possiveis e imaginaiveis, alem de que todas as marcas tambem tem lojas proprias em Londres, seja no Village de Westfild ou nas ruas da regiao de Bond Street ou High Street Kensington e Knightsbridge.

Ou entao tente a sorte num dos outlets da cidade, como a loja de fabrica da Burberry, o Bicester Village e a TK Maxx.

 

Obvio que essa lista não é exaustiva, e oque não faltam em Londres são lugares, lojas e opções pra comprar roupa (de inverno ou em qualquer estação) em qualquer bairro, em qualquer cidade e com variadas faixas de preço!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Aleatorios, Clima, Compras, Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Fazendo as Malas, Inglaterra, Viagens
46
Página 1 de 212