28
Jul
2010
Northumbria & The Borders
Escrito por Adriana Miller

No fim de semana fizemos um passeio bem interessante entre o norte da Inglaterra (regiao de Northumbria) e a fronteira/sul da Escocia, na regiao The Borders. Esse era um passeio que nos sempre queriamos fazer, mas sempre acabava ficando pra depois porque nao eh tao facil viajar por lah quanto eh facil viajar por outras regioes da Inglaterra ou da Europa por exemplo. Entao pegamos carona na viagem que o pai do Aaron esta fazendo pela regiao com a mulher dele e fomos nos encontrar com eles no fim de semana.

Foram apenas 2 dias, mas as cidades sao tao pertinho umas das outras que foi mais que suficiente pra fazer quase tudo e ainda curtir a compania do sograo que eh uma figura!

Pra economizar tempo de viagem, no sabado de manha voamos pra Newcastle-Upon-Tyme que eh a cidade (grande) Inglesa mais proxima da fronteira nordeste da Inglaterra com a Escocia, e mal chegamos no aeroporto e o sogro jah estava nos eperando por lah com carro e mapa na mao!

Entao nosso roteiro foi o seguinte: seguimos dirigindo no interior da Northumbria, pela regiao do parque nacional Housesteads ate chegarmos na regiao da Hadrian’s Wall, ou Muralha de Adriano que eh a construcao Romana que demarcava a fronteira mais ao norte do Imperio Romano, e foi construida nao soh como delimitacao do Imperio mas tambem para servir de barreira e protecao aos barbaros do norte (aka Escoceses e Vikings).

A muralha, construida a mando do Imperador Adriano eh realmente impressionante, que cobre a extencao horizontal do norte da Inglaterra e foi construida em 122 dc e reconhecido pela UNESCO como patrimonio da humanidade em 1987.

A muralha teve grande parte dos seus 180 km de extencao destruidos nos seculos pos Imperio Romano, onde suas pedras foram usadas pela populacoa local para construir casas, muros de fazendas, igrejas e qualquer outra construcao, mas memsoa ssim nao deixa de ser impressionante, e oque sobrou ainda eh gigante!

Os motivos que levaram Adriano a construir a muralha nao sao totalmente claros, mas acredita-se que o imperador queria nao apenas proteger as fronteiras do imperio, mas tambem “deixar” sua marca na regiao, pois apesar de ter fracassado na missao de conquistar todo norte da Europa (o imperador antes deles, Trojano conquistou o Egito, Siria e boa parte do norte da Africa e Oriente Medio) ele queria ser lembrado como alguem que fez alguma coisa grande. E bem, deu certo! 2000 anos depois ainda sabemos que ele eh gracas ao seu muro!

De lah, seguimos em direcao norte, cruzamos a fronteira da Escocia por carro e fizemos o roteiro das cidades historicas da fronteira, ou as The Bordes.

Essa regiao eh conhecida por ter uma serie de micro cidadezinhas que eram grandes polos na idade media, e principalmente por terem sido cidades Catolicas muito importantes, antes da queda do catolicismo na ilha. E por ter sido a area onde a guerra da independencia Escocesa, e depois a nova guerra de conquista aconteceu, e portanto a area eh recheada de ruinas, castelos Catedrais, Abadias, etc

E esse eh justamente o atratico da regiao: ruinas! Sao vilarejos atras de vilarejos, cidades atras de cidades com castelos magnificos e abadias impressionantes e recheados de historia. Todos cercados pela paisagem do norte da Bretanha, com seus pastos verdinhos e ovelhas por todos os lados!

A primeira cdade que paramos pra visitar foi Jedburgh, que tem (tinha) uma das principais abadias da regiao, e portanto uma das ruinas mais impressionantes! A Abadia que vimos hoje em dia, eh a estrutura original da igreja construida no seculo 11 por monges Agostinos que se estabeleceram na regiao, procurando isolamento para meditacao.

A Abadia de Jedburgh hoje em dia eh considerada uma das principais atracoes turisticas da regiao, e ha 8 seculos atras era tambem a principal centro religioso entre os dois reinos (Inglaterra e Escocia). A caida do poder da regiao comecou quando o Earl de Surrey foi assassinado por William Wallace em Stirling, e em reprimanda os Ingleses invadiaram a cidade e destruiram parte da entao Ingreja.

Oque vemos hoje, nao sobrou quase nada, mas eh impressionante como a estrutura milenar ainda esta lah, firme e forte, 100% de pedra. Os arcos da nave, as colunas, as escadas e as tumbas, assim como a area onde funcionava o monasterio dos monges.

De lah, seguimos a estrada em direcao a cidade de Melrose, que tem outra Abadia em ruinas.

A Abadia de Melrose foi inaugurada em 1.136 dc, toda construida em estilo Gotico a pedido do Rei David da Escocia, e ate hoje eh considerada uma das igrejas mais bonitas do reino, mesmo tendo sobrado apenas uma parte dela. E a Abadia de Melrose tambem eh famosa por ter em seu jardim o coracao do Rei Robert I da Escocia, conhecido como Robert the Bruce (O Bruto).

Apesar de que as ruinas de Melrose estao mais acabadinhas que Jedburgh, oque sobrou da estrutura eh muito mais impressionante e ornada, com muitas de suas colunas e esculturas ainda bem preservadas.

Pra fechar o dia seguimos para Kelso, cidade que escolhemos pra ser nossa cidade base e passar a noite num Bed & breakfast, e que tambem eh a sede da Kelso Abbey, outra abadia do seculo 12 que tem ruinas impressionantes.

A Igreja de Kelso tem suas ruinas em pior estado que as outras que visitamos, mas durante seu tempo “util” ela foi utilizada durante mais tempo, mais importante (foi ali que o Rei jammes II da Escocia foi coroado), mas devido a sua proximidade com a fronteira e sua importancia, tambem foi alvo durante as guerras de Reforma Protestante do seculo 16 (http://en.wikipedia.org/wiki/Protestant_Reformation ) e com a queda do catolicismo no reino no final do seculo 16, a Abadia foi considerada interditada e nunca mais usada.

No entando Kelso ainda eh sede da Nobreza, e onde o Duque e Duquesa de Roxburghe, que moram num castelo gigantemente impressionante no centro da cidade de Kelso e na beirada do Rio Twwed, mas que infelizmente nao deu tempo de visitar, pois eles jah tinham fechado as portas pros turistas…

Entao nos passamos a noite em Kelso, que eh uma das cidades “pitorescas” que jah vi! Nos hospedadmos num tipico Bed & Breakfast Britanico, o The Old Priory, gerenciado pelo dono da casa, o Robin e altamente recomendado (que depois descobri que eh a recomendacao numero 1 do Lonely Planet Escocia!), com quartos e salas saidos dieretamente de um conto de fadas!

E por recomendacao do dono da B&B fomos jantar no restaurante Oscar’s que eh o “point” de Kelso, bem ao lado do pub Black Swan que estava bombando pos procicao em comemoracao da semana civica da regiao (adorei a assistir a bandinha de gaita de foles com todos vesatidos de kilt!)

Na manha seguinte, Domingo, seguimos em direcao ao norte da Escocia ateh chegarmos em Edinburgo.

Como nos 4 jah conheciamos a cidade, concentramos nosso tempo na Royal Mile, a Catedral de Saint Giles e o Castelo de Edingurgo.

Infelizmente eu e Aaron voltamos pra Londres de Edimburgo mesmo, enquanto o sogro seguiu viagem rumo ao norte da Escocia, parando em cada cidadezinha por seu caminho, visitando castelos, palacios, Catedrais e Abadias historicas, ateh chegarem no Loch Ness e por fim na Ilha Sky, que eh a ilha mais ao norte do Reino Unido!

Uma viagem definitivamente recomendada pra quem quiser conhecer um pouco mais da historia e interior da Gran Bretanha!

Categorias: Edinburgo, Escocia, The Borders, Viagens
9
03
Jan
2006
Scotland!!!!
Escrito por Adriana Miller

Por sorte, as coisas voltaram a funcionar na segunda feira, mesmo que aqui seja feriado no dia 26 de dezembro.

Chegamos no aeroporto aos 47 do Segundo tempo pra pegar o aviao; um pequeno acidente de percurso (Moniquinha caiu na escada e machucou os dois joelhos) e as duas passando mal por causa so cream cheese esquisito que passaram no nosso bagel!

Edinburgo 

 

A primeira parada foi Edimburgo.

QUE CIDADE LIIIIINDA!!!!!!!!!!!

Chegamos e jah estava super escuro, mas a cidade estava toda iluminada com decoracoes de natal, e se preparando para as festas do Hogmanay, que eh a festa do revellion Escocesa, e uma das festas mais famosas do pais.



 

Jantarzinho “Fish and Chips” tipico Britanico e fomos dormir no nosso albergue muquifo (nao era tao ruim assim pelo preco que pagamos, mas tudo que inclui dividir o quarto com 8 desconhecidos – pode ter certeza que metade deles ronca, ou exala odores nao identificados – e banheiros idem, eh meio ECA!).

A manha seguinte comecou cedo. Nao que Edimburgo seja tao grande assim, mas como no inverno as horas de luz sao muito poucas (escurece mais ou menos as 3.30 da tarde) tinhamos que aproveitar a manha.

Na luz do dia a cidade eh mais fofa ainda! Tudo eh meio castelinho saido de um conto de fadas. Cada casinha, cada ruazinha…

A primeira parade foi o Endinburgh Castle, que eh o cartao postal da cidade, e fomos brindadas pela neve caindo la em cima.





 

A cidade eh minuscula (ainda mais se comparada com Londres), e vimos tudo que tinha pra ver em algumas horas. Passeamos, comemos e tiramos muitas fotos.

O unico porem, eh que quando vc se dah conta de que jah esta escuro e sao apenas 4 da tarde, dah um sentimento muito desesperante, tipo “jah acabou?!?!?”, e ficamos horas e horas analisando como a cidade muda de cara a medida que a tarde vai avancando…

Confesso que acho que a escuridao do inverno tem seu charme, mas pelo menos em Londres a cidade te dah a vida e a luz que nao existem no inverno. Numa cidade como Londres, o tempo nao para, chova ou faca sol, de dia ou de noite.

Em Edimburgo nao, o mundo simplismente para quando o sol baixa. As ruas se esvaziam como se fossem mal assombradas, todas as atracoes, lojas, TUDO fecha as 5/6 da tarde. Achei isso muito deprimente. Olhar pros lados ver aquelas luzes lindas de natal pensar com meus botoes “Eu estou na Escocia!!!” e apenas nao ter nada que fazer… voltar pro albergue e ler revistas de fofoca desatualizadas.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Edinburgo, Escocia, Viagens
5