06
Jun
2005
Cordoba
Escrito por Adriana Miller

A viagem foi combinada meio que de ultima hora, mas como a temporada alta ainda nao começou, foi facil achar um albergue e passagem pra Andaluzia, no sul da Espanha.
Sexta a noite, fui eu e a Milagros (Peru) e no dia seguinte iamos encontrar com o Henning (Honduras) e um outro amigo dele.
A Viagem foi tranquila; um bebe nao parava de chorar e a Milagros quase cometeu um assassinato, mas em compensaçao eu, na hora que bati no poltrona do onibus, apaguei e só acordei lá.

O Hostal que ficamos é otimo (como diria minha mae “BBB”, bom, bonito e barato) e ainda por cima no centro historico da cidade: preço muito abaixo da media, instalaçoes limpissimas e modernissimas, quarto duplo com banheiro privado (tb fora do normal) e uma varandinha simpatica com vista pratorre da Mezquita de Cordoba.
Mal chegamos no hotel e nao calamos a matraca. Bla bla bla noite a dentro, e começamos o sabado mortas… mas como somos otimas viajantes, nada destruiu nosso pique. Só tinhamos um dia pra comnhecer tudo que a cidade tinha pra oferecer, e tivemos que começar o dia cedo.
Como o sol de verao na espanha nao é de brincadeira, planejamos de ver tudo que é ao ar livre durante a manha, enquanto ainda nao esta tao quente, e as atraçoes fechadas durante a tarde, pra fugir do sol na hora de pico.

Entao começamos nossa rota pelo bairro Judeu; suas ruelas estreitas com casinhas brancas e janelinhas azuis e amarelas. Patios floridos, flores na janela, e varias lojinhas de cacarecos que eu adoro. A ponte romana que corta o rio Guadaquivil, e por fim o Alcazar, que merece uma explicaçao a parte.


Patio no interior de uma casa no bairro judaico


Ponte Romana
O Alcazar (palavra arabe que significa Fortaleza) fica no final do bairro judio, com os restos doque seria a antiga muralha da cidade. A construçao original é Califal, mas o Rei catolico Alfonso XI (no ano 1328) construiu uma residencia de verao e um jardim fenomenal no seu interior. O jardim parece um verdadeiro oasis no deserto que é a Andaluzia, com seus lagos artificiais cheios de Vitorias Regias, flores até nao poder mais, e laranjeiras que dao um ar e um odor totalmente especial ao ambiente. Diz a lenda que foi nesse castelo que se celebou a primeira tourada da espanha.


O Alcazar e um dos lagos


Os jardins

Saindo do Real Alcazar, o calor já estava quase insuportavel, entao paramos pra encontrar com o resto do grupo, comer e beber alguma coisa que estivesse estupidamente gelada. Acabamos achando um barzinho perdido numa ruela no bairro judio, uma graça… bebemos muito Tinto de Verano com Salmonejo, uma comida tipica de Cordoba (que é muito parecido ao Gazpacho Andaluz, mas mais grosso e menos acido).

Recuperadas as energias, seguimos pra Mezquita de Cordoba, que hj em dia é uma catedral catolica.
A Mezquita é uma construçao muçulmana do seculo VIII, quando a penisula iberica ainda estava sob a dominaçao arabe, é a 3ª maior mesquita do mundo e foi declarada patrimonio da Humanidade.
Apesar da fachada “simples” da contruçao, o interior da mezquita é impressionante, misturando estilos hispano-muçulmano e visigoda, com influencia Siria , Persa e Bizantina, com arcos muito particulares que caracterizam o estilo Califal.

Mas oque realmente impressiona nessa contruçao é a maneira como se pode ver como as culturas e o poder da religiao se sobrepoe uns aos outros…
E finalmente quando Cordoba foi conquistado pelos catolicos (1236), uma catedral cristã foi contruida no seu interior. A Arquitetura original nao foi alterada ne destruida, mas chega a ser uma aberraçao (eu já ouvi uma descriçao mais exagerada que falava da capela no meio da mesquita como um “estupro”) ver aquele altar todo de ouro cheio de anjinhos barrocos, rodeados por arcos de marmore Califal; mas eu acho que é isso que faz dessa mesquita/catedral algo tao diferente e unico.


A Torre da Mezquita e o Jardim de los Naranjos

Antes que pegar a estrada rumo a Sevilla, tivemos que esperar o sol baixar totalmente, pois seria impossivel enfrentar a estrada com o sol de 38 graus na cara. Entao numa nova exploraçao pela cidade antiga, encontramos uma casa de chá arabe, que servia sucos naturais, infusoes geladas maravilhosas e um ar condicionado no maximo!

No caminho pra Sevilla (mais ou menos 1 e ½ de viagem) fomos premiados por um por do sol sensacional, no meio dos campos de plantaçao de Girasois. Eu tirei zilhoes de fotos (de dentro do carro mesmo), mas impossivel captar a beleza e a energia do lugar. Só estando lá pra sentir mesmo… E ainda resolvemos parar numa cidadezinha qualquer, só pra ver como é a cara da “verdadeira Andaluzia”, e acabamos indo parar em Ecija, que por coincidencia estava comemorando uma festa religiosa qualquer com uma enorme procisao. Nada mais Andaluz… Eramos, sem sobra de duvida, os unicos turistas do local, e as pessoas do Pueblo acabaram proetsando mais atençao nos flashes das maquinas que no santo carregado nas castas dos fieis…

Mais fotos da viagem aqui

To be continued…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Cordoba, Viagens, Viagens pela Espanha
6