10
Jul
2008
Sol e Toros
Escrito por Adriana Miller

Ah… voltei…. Larguei a chuvosa Londres pra tras (nos ultimos dias, poe chuvosa nisso!!!) e voltei pra Madrid.

A viegem esta sendo um desastre, profissionalmente falando. Vim pra cah exclusivamente pra fazer uma apresentacao, porem resolveram mudar a data pra segunda feira… mas foi um pouco tarde demais, e soh me avisaram quando eu jah estava literalmente entrando no aviao.

Para tentar salvar a viagem, vim para o escritorio “oficial” e vou trabalhar por aqui mesmo… Aproveitei pra conhecer um monte de gente.

Ontem soh fui dormir taaaarde da noite, porque capotei durante as 2 horas e meia do voo… E hoje soh consegui sair da cama pq queria assistir o “encierro” do quarto dia de San Fermin – A corrida de toros de Pamplona.

Que saudade que me deu!! Engracado que nos dois veroes que eu passei na espanha, participei das corridas, e amei (em 2004 e 2005). Mas hj de manha ao assistir pela televisao pela primeira vez, e assistir a preparacao, e acara de sofrimento, fome, frio e ressaca das pessoas esperando nos muros me fez refletir com meus botoes: Era tao divertido assim mesmo? HAHAHHAHA! Nao me levem a mal, e tenho certeza que se pudesse ir mais alguma vez na vida, com certeza eu iria (ateh porque o Aaron nunca foi!), mas cada dia que eu passei dormindo ao relento em Pamplona me arrependia amargamente e jurava que nunca mais voltaria. A cada esquina com cheiro de xixi com sangria, a cada dor de barriga, a cada noite mal dormida… e ateh febre braba eu tive na ultima vez!

Mas eh o fato de estar lah que conta. Eh poder dizer : “Eu jah corri com os touros em Pamplona” que conta. Se vc se sente miseravel durante 23 horas e 55 minutos de cada dia, tudo se recompensa pela adrenalina daqueles 5 minutos entre canticos ao San Fermin, os sinos da Plaza del Ayuntamiento, e largada dos toros, a corrida para o ring de toradas, e no final, a contagem dos mortos e feridos. Pronto. Adrenalina suficiente par te fazer ficar mais um dia, e aguentar as proximas 23 horas e 55 minutos ateh a corrida seguinte!

******************

O verao na Espanha eh um capitulo a parte. Apesar do calor insuportavel (que agora nao me incomoda tanto pq durmo num hotel com ar condiconado e nao num piso compartido), a luz eh diferente, a alegria eh diferente, a quantidade de pessoas nas ruas eh diferente.

Me perguntaram se eu quero ser a “interim HR Manager” em agosto e setembro, e imediatamente disse SIM! Entao em agosto e setembro, me aguardem! Virei pra ca praticamente toda semana, e logicamrente tentarei imendar alguns fins de semana no meio!

***************

Sai pra almocar com o pessoal de Marketing numa Pulperia Gallega que estava sensacional. Sem nem contar que 2 horas e meia de almoco, tambem nao eh nada mal…

Mas quem consegue se concentrar num escritorio assim?

(Eh isso mesmo. Uma piscina! Soh Londres se deu mal e arrumou o PIOR escritorio disponivel da cidade… Madrid tem essa vista de piscina, com a cidade ao fundo…  Atenas tem a vista do Mediterraneo… e Mineapolis tem um predio ultra moderno inteirinho soh pra eles)

 

Categorias: Madrid, Pamplona, Trabalho, Viagens, Viagens pela Espanha
8
19
Jul
2005
Pamplona
Escrito por Adriana Miller

Na quarta de manha eu tinha planejado ir pra Pamplona, encontrar com meus amigos e participar uma vez mais da festa do San Fermin e as corridas de Touros; mas como eu deixei pra comprar a passagem na ultima hora, nao consegui vaga no onibus que eu queria, e perdi a festa que inaugura o festival. Mas tudo bem, faz parte.
Mas uma vez nao ouvi o despertador… a sorte é que a estaçao de Barcelona Nord é muito pertinho do hotel onde estavamos… entulhei tudo correndo dento da mochila, e mais uma vez sai remelenta e descabelada, e cheguei láquando o onibus já estava fechando suas portas… Mais uma vez… que sufoco… uma dia ainda morro disso…
Chegando em Pamplona, mais uma vez a festa é inebriante… É uma coisa insana, de loucura total, voce fica 24 horas num estado de embriaguez constante… as vezes por excesso de sangria, as vezes pelo cheiro intoxicante de xixi nas ruas, e na maioria das vezes, pura e simplesmente contagiado pela alegria geral!

Insana é a palavra que descreve essa festa. Pq é insano imaginar que milhares de pessoas estao nas ruas correndo e arriscando suas vidas ao lado de touros de 700 kilos; Pq é insano que milhares de pessoas dormem dias e dias na rua, nos jardins e nas praças, sem conforto, sem higiene e o pior, NO FRIO! (Sim porque é verao na Espanha, mas Pamplona é na subida dos Pirineus, e verao lá significa 14 graus e chuva). E porque é insano que o corpo humano aguente estar durante dias e dias a fio num estado constante e altissimo de alcolismo.

De quebra eu fiquei doente logo na primeira noite. Acordei com 40 graus de febre no dia seguinte e assim permaneci. A sorte é que como estava fazendo MUITO frio e uma chuvinha chata, eu me sucumbi à abandonar participar a bagunça total e fui pro camping junto com a Nienke e a Nina.

Conforto relativo, num camping sem agua quente (lembren-se do frio!) e rodeado de Australianos trebados por todos os lados. Mas pelo menos eu tinha um teto, e um posto medico.
Mesmo assim, caindo pelas estribeiras, me arrastava cada dia para a festa… Começava de tarde na piscina congelante do camping e se estendia noite a dentro na Plaza del Castillo no centro de Pamplona, e acabava as 8 da manha quando finalmente os touros sao soltos do curral e correm pelas ruas até entrarem na Plaza de Toros. E assim sobrevivi dia após dia.

No final, plenamente recuperada, posso dizer que o saldo foi mais que positivo! Estando hospedadas no camping (que tira um pouco o “charme” da festa) acabamos conhecendo muita gente, de tudo quanto é canto do mundo, e foi muito bom.

Tambem pude reencontrar o Bruno, companheiro festeiro e viajador, e sua namorada super simpatica, que nao via ha muiti tempo, desde de o revellion em Florianopolis ha quase 2 anos atras.

Categorias: Pamplona, Party, Viagens, Viagens pela Espanha
0
08
Jul
2005
Ainda estou viva…
Escrito por Adriana Miller

Por enquanto estou viva…

Um post rapidinho, só pra ninguem ficar achando que fui atropelada por um toro…


Por enquanto estou em Pamplona, já vou embora amanha, volto pra barcelona pra pegar o barco pra Ibiza.

Semana passada estava em barcelona com minha tia… Que delicia votsr a Barcelona, e ainda mais com familia! Além de matar a saudade ainda rolam umas mordomias que sao pouco comuns durante minhas andanças.


Chegar em Pamplona tb foi show! É impressionante como esse lugar é intensivo demais… Depois de apenas uma noite (a primeira) de festa, já contabilizo uma febre de 40 graus… Agora estou bem melhor… O fato de estar fazendo 13 graus, chuva, e estar dormindo praticamente no relento todos os dias (esse é o esquema de Pamplona) nao ajuda minha situaçao… mas estou bem agora…

Me preparado pra Ibiza!!!

As apostas variam entre o “vc nao vai sobreviver” ao “vc vai morrer!”!! hahahahaha! Entao isso significa que as ferias vao ser boas… hehehehe


Bem, a fila para usar a internet aqui no camping esta grande e o povo já esta me chingando…

Em breve volto com mais detalhes, fotos e afins!!!

Categorias: Ibiza, Pamplona, Viagens, Viagens pela Espanha
0
13
Jul
2004
Pamplona e o “Running of the Bulls”
Escrito por Adriana Miller

Pamplona…
Por onde começar…

A primeira impressão é: os espanhóis realmente sabem fazer festa! Uma festa espanhola, para espanhóis, com muitos espanhóis se divertindo.

Foi a primeira coisa que notei; Na Itália todas as festas “populares” não passam de meros teatros e encenações p/ atrair turistas japoneses; Algumas cidades chegam a encenar seus atos “medievais” em inglês, porque sabem que não tem italianos ali, só turistas, e é esse o objetivo principal da teatrada.

Já aqui o negocio é diferente. Acho que é por isso que as fiestas espanholas são legendárias no mundo todo; Se os espanhóis se divertem tanto, todo mundo tb quer participar.

Comparações numero 1:
- Para mim as festas italianas são como o carnaval do Rio: Para inglês ver. Carioca de verdade detesta aquilo lá.
- A festa de San Fermin em Pamplona (não posso generalizar ainda, pq não conheço nenhuma outra) são como o carnaval em Salvador. Do povo e para o povo.
E é serio!
Comparações numero 2:
- Carnaval em Salvador tem Abada. Pamplona tem “uniforme”; Todo mundo se veste igual, é muito engraçado! Camisa e calça branca, com um lenço vermelho no pescoço e um cinto vermelho. Todo mundo mesmo! De bebezinhos de colo, crianças, adultos e velhos, bem velhinhos…


- É uma festa de rua. As pessoas ficam zanzando pelas ruas 24 horas por dia, bebendo, cantando, dançando se divertindo. Simplesmente contagiante.
- O primeiro e único objetivo de todos que estão lá, é se divertir. Correr com os touros é só pano de fundo.

Mas em que consiste essa festinha afinal, certo?!
Resumidamente é o seguinte. Durante as festividades de San Fermin, que como não podia deixar de ser, envolve touradas e matança de animaizinhos inocentes, mas o ponto alto da festa é que diferentemente de outras touradas, os touros estão nas ruas!! Isso mesmo! O trajeto entre o curral e a “Plaza de Toros” é feito no meio da cidade, com milhares de pessoas correndo envolta.
A cidade é um ovo. Em cinco minutos daria p/ ver tudo que tem lá, se tivesse alguma coisa p/ ver. Ou seja, não tem Hotel, albergue, nada. A galera vai p/ la e dorme no parque. Faz parte da festa. A maioria das pessoas (eu por exemplo) nem se preocupa em reservar hotel, o parque faz parte da experiência, e para falar a verdade ninguém vai p/ lá p/ dormir!!



Eu fui p/ lá com o Thomas e o Greg, que eu conheci respectivamente na Grécia e em Castelraimondo (estudamos juntos) e ambos continuam viajando pela Europa, e mochileiro que se preze não perde Pamplona nem por nada no mundo!!

Chegamos. Deixamos as mochilas na estação, fomos p/ a cidade e surpresa! Não estamos vestidos de San Fermin!!! Compramos nossa fantasia, compramos alguns litros de sangria e fomos p/ a praça, vendo o mundo passar, e com a esperança de que a sangria ia ajudar a esquentar um pouco (estava um frio do caramba!!!).

Quando a noite cai (aqui só escurece as 10:00 da noite), as ruas, que já estavam cheias, ficam lotadas. Os bares são um do lado do outro, todos lotados e basicamente é isso que tem p/ fazer: pular de bar em bar, boate em boate esperando o dia clarear, pois a corrida dos touros é só as 8 da manhã.

Como ninguém é de ferro, depois de vários litros de sangria, acabamos nos convencendo que seria necessário algumas horas de sono. Onde fica o parque mais próximo? Pior noite de “sono” da minha vida!!! Mas tudo bem, faz parte da festa. 8 horas, hora de voltar p/ as ruas do centro e achar um lugar com uma boa vista da corrida.

8 em ponto os auto falantes anunciam a liberação dos touros; salve-se quem puder!! É engraçado ver a reação de medo das pessoas!! Mas o trajeto total dura apenas 3 minutos…
Ok! 24 horas p/ a próxima corrida… E assim por diante…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Pamplona, Viagens, Viagens pela Espanha
0