22
Jan
2014
Palácio Althorp
Escrito por Adriana Miller

Durante meu passeio pela Spencer House, em Londres,  a guia mencionou varias vezes a atual familia Spencer, que apesar de ja nao manter residencia na Spencer House em Londres, ainda moram oficialmente em seu palacio nos arredores da cidade.

Entao no final da tour eu perguntei sobre a tal casa e ela mencionou, que apesar de ser uma residencia privada, Charles Spencer (o atual Conde Spencer e irmao mais velho de Diana) abre a casa para visitacao de  turistas durante algumas semanas no verao, quando sua familia viaja de ferias.

Entao aproveitei a oportunidade, e num lindissimo dia de verao eu e Isabella fomos conhecer o Palacio Althorp, a casa de infancia da princesa Diana (que como ja contei, nasceu em uma das familias mais tradicionais da aristocracia Britanica).

Se ja eh interessante visitar esse tipo de palacios quando eles sao apenas museus, a visita se torna ainda mais intrigante quando vemos de perto o mundo paralelo que a aristocracia vive! #DowtonAbbeyFeelings #DowntonAbbeydavidareal

A casa, apesar de historica e muito bem conservada (voce jura que esta num museu) nao esconde sua utilidade de uma familia moderna, com os video games das criancas no canto da biblioteca, as revistas de moda da Contessa, a televisao de plasma e as latinhas de coca cola na copa.

Mas o que realmente atrai centenas de turistas todos os anos ate Althorp eh o memorial da Princesa Diana, no jardim da casa.

Foi la, que apos sua morte tragica em 1997 a familia Spencer decidiu conduzir seu funeral e onde a Lady Di foi enterrada, junto a seus antepassados. O memorial eh impressionante, ocupando o foco principal do lago da propriedade, e eh impossivel ignorar a homenagem.

Alem do lago, os jardins da propriedade tambem sao lindos (ainda mais que fomos no verao e estava tudo super florido e colorido).

Entao quem vier a Londres no proximo verao, aqui esta mais uma atividade pra sua lista!

As datas para visitacao sao divulgadas todos os anos, mas geralmente a casa abre suas portas entre Julho e Agosto (que tambem coincide com o aniversario da Diana). Os ingressos devem sempre ser comprados antecipadamente (ate porque geralmente lotam rapido!) pela internet, no site da familia Spencer.

Para chegar em Althorp basta pegar um trem para Northampton a partir de London Euston (cerca de 1 hora), e mais uns 15 minutos de taxi ate o palacio.

 

Categorias: Althorp, Castelos e Palacios, Day Trip, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
22
16
Jan
2014
Waddesdon Manor
Escrito por Adriana Miller

Nos ultimos anos meu fascinio por palacios Ingleses tem crescido bastante. Talvez seja influencia dos livros de Ken Follett, talvez seja culpa de Downton Abbey… o que importa eh que Londres eh um prato cheio e geralmente em menos de 1 hora se chega em alguns dos mais bonitos palacios e castelos da Europa!

E foi num desses acasos que descobri a Waddesdon Manor, um dos antigos palacios aristocratas mais impressionantes da Inglaterra, que pertenceu durante seculos a familia Rothschild.

Os Rothschild sao mundialmente reconhecidos como a mais bem sucedida familia banqueira do mundo, com ramificacoes de filhos, tios, primos e afins se estendendo por toda Europa.

A Waddesdon Manor era a “sede” da familia no Reino Unido, que pertenceu ao Barao Ferdinand Rothschild, nobre Frances de familia Austriaca radicado em Londres e colecionador de arte e filantropista.

Entao junto com sua esposa (que – nao por acaso – era sua prima de segundo grau) eles construiram a Waddesdon Manor nos arredores de Londres, em estilo Neo-Renascentista imitanto os castelos do Vale do Loire, na Franca, sua regiao preferida.

A familia ocupou o palacio por muitas geracoes, ate que na decada de 70 foi doada ao “National Trust” (orgao do governo Britanico que gerencia propriedades historicas), e hoje em dia eh possivel visitar todo o palacio e o “museu” que conta um pouco da historia da familia.

Uma das epocas mais marcantes foi a participacao da familia Rothschild (originalmente e com muitas ramificacoes da familia que sao judeus) no apoio ao governo Britanico durante o movimento anti-fascista da Segunda Guerra mundial, nao so em financiamentos e creditos a guerra, mas tambem por ter construido hospitais em Londres, e por terem cedido grande parte da casa para servir de abrigo a criancas afetadas pelos bombardeios em Londres no ano 1940 (o Imperial War Museum conta bem essa historia triste, de como todas as cirancas da cidade foram evacuadas para o interior – enquanto seus pais foram pra guerra e suas maes trabalhavam nas fabricas – e a familia Rothschild teve um papel fundamental na politica do “Keep calm and carry on”, garantindo que as criancas estariam seguras e bem cuidadas, enquanto seus pais defendiam o pais).

Eh interessante tambem entender um pouco melhor sobre a politica Britanica, e toda essa coisa de “Lords” e “comuns”, e como no fundo no fundo estao todos relacionados, e nem todos os “comuns” sao tao gente-como-a-gente assim! (Como eh o caso do Winston Churchil, polemico Primeiro Ministro Ingles que apesar de “comum”, e muitas vezes considerado um homem “do povo”, eh na verdade sobrinho-neto do Duque de Marlborough e cresceu no Palacio Blenheim em Oxford. E para nossa surpresa, o atual Primeiro Ministro, David Cameron tambem eh descendente do Rothchilds por parte de mae – apesar de nao ter direito a um titulo, e portanto ser considerado um “comum”).

E se nao bastasse ser um palacio lindo e com uma historia bem legal, os jardins sao especialmente impressionantes.

Assim como a arquitetura do palacio foi inspirada na Vale do Loire, os jardins foram inspirados em Versailles (em escala beeem menor, vale ressaltar!), e demos sorte de ter passado o dia em Waddesdon num sabado maravilhoso de verao, com o jardin e canteiros super coloridos e as flores dando um espetaculo a parte!

Uma outra grande atracao dos jardins eh o aviario, com decoracao vitoriana e com uma colecao de passaros “exoticos” e locais.

Waddesdon Manor fica na cidadezinha de Waddesdon, no condado de Buckinghamshire a cerca de 40 minutos de Londres. Basta pegar um trem na estacao de Marylebone ate Aylesbury (que eh a estacao mais proxima), e de la mais uns 15 minutinhos de taxi ate o palacio.

20131102-092837.jpg

Categorias: Castelos e Palacios, Day Trip, Inglaterra, Viagens, Waddesdon Manor
10
18
Apr
2013
Highclere Castle: O palácio de Downton Abbey
Escrito por Adriana Miller

A mais de um ano atras eu li uma notinha na Time Out e fiquei de orelha em pé: falava sobre o Highclere Castle, residência do Conde e Contessa de Carnavon e o palácio onde são gravados os episódios de Downton Abbey.

E aí fiquei intrigada: o conde e a condessa abrem o castelo para visitações algumas poucas vezes por ano (apenas quando a família sai de férias) então não é um castelo turistico normal, como tantos outros nos arredores de Londres.

Então comecei a ficar de olho no site, volta e meia entrava pra ver se novas datas tinham sido incluidas – finalmente em Outubro de 2012 foram divulgadas as datas de abertura do castelo para o primeiro semestre de 2013, e finalmente consegui um ingresso!

Então lá fomos nós de trem em direção a Newbury, cerca de 1 hora de trem de Londres, e assim que você entra nos jardins a vista é inconfundível: Donwton Abbey!!

O castelo nem é tão antigo assim (em proporções Europeias), e apesar de que a propriedade pertence a familía ha mais de 300 anos, o atual palácio foi construido em 1.842, desenhado pelo arquiteto Sir Charles Barry, o mesmo que arquiteto responsável pelo Parlamento Inglês! E olhe bem, as similaridades realmente são nítidas na arquitetura e estilo dos dois prédios!

O castelo fica no centro de um “estate” impressionante, com vários jardins, capelas e gazibos espalhados pelo espaço.

E dentro do castelo é ainda mais impressionante – o tour segue alas “comuns” do palácio (e não os cômodos utilizados pela família), mas é sempre impressionante ver uma casa tão antiga se misturando com peças da vida moderna, de uma família como outra qualquer, como porta retratos da familia esquiando nos Alpes, ao lado da apresentação da escola, ao lado de um jantar com a Rainha e em baixo de uma pintura a óleo de 500 anos!

O tour interno consegue mesclar bem a história da família real e seus ancestrais com a história de Downton Abbey, com muitas fotos dos bastidores e making off do seriado, e indicando quais episódios aparecem em episódios específicos, ou quais personagens ocupam determinados quartos etc.

Mas fascinante mesmo é a história da família Carnavon – com alas específicas dedicadas a Lady Almina (a 5ª condessa de Carnavon) e uma exposição de peças egípias (O Conde de Carnavon fez parte da expedição de Howard Carter, o arqueologista que descobriu a tumba de Tutankhamun no Egito!!

Então fiquem de olho: o castelo geralmente abre suas portas em épocas de férias escolares e feriados aqui na Inglaterra, e a cada seis meses eles divulgam novas datas e a venda de ingressos é feita diretamente no site do palácio.

Para chegar lá, basta pegar um trem para Newbury, saindo da estação Paddington em Londres e demora cerca de 50 minutos. Em Newbury é preciso pegar um taxi (uns 10 minutos) da estação até o palácio (e peça o telefone do seu taxista, pois na hora de voltar pra casa o castelo não tem ponto de taxi).

 

Categorias: Castelos e Palacios, Day Trip, Highclere Castle, Viagens, Viagens pelo UK
12
03
Mar
2013
Castelo Hever
Escrito por Adriana Miller

Esse fim de semana, aproveitamos a vista do pai do Aaron e um clima relativamente bom e fomos conhecer o Castelo Hever, que fica no condado de Kent, no Sudoeste da Inglaterra.

O castelo data do século 14, e seus moradores mais ilustres foram a familia Boleyn, e foi portando a casa de infância de Anne Boleyn (ou Ana Bolena em Português), que foi a segunda esposa do Rei Henrique VIII. O castelo acabou ficando de herança para Henry VIII, e muitos anos depois foi dado como acordo de divorcio a sua 4ª esposa, Anne of Cleves.

O Castelo ainda é considerado um dos mais bonitos e mais bem conservados da Inglaterra, juntando sua estrutura medieval, com sua construção em pedra com o poço e a ponte levadiça em volta – combinado com um jardim espetacular e um interior extremamente bem conservado e impressionante.

Parte disso porém deve-se a um de seus últimos moradores, o milionário “pebleu” Americano Waldorf Astor, que no comecinho do século 20, comprou o castelo como uma maneira de “comprar’ seu lugr junto a aristocracia Européia.

Então a familia Waldorf gastou milhões de dolares e libras para restaurar e modernizar o castelo, além de construir um lago e um jardim “Italiano”, que inclui colunas e esculturas originais Romanas, trazidas da Italia que estão expostas em meio aos gramados até hoje.

O interior do castelo é super bem conservado, mantendo muito da estrutura e moveis originais da familia Boleyn, e conta um pouco da história do namoro e casamento de Henrique VIII e Ana Bolena, além de mostrar um pouco sobre como era a vida religiosa de uma das ultimas familias nobres a praticar o Catolicismo na Inglaterra (eles tinham uma capela “disfarçada” e um confessionário camuflado) e as muitas armas de tortura usadas pelas familias que moraram ( e portanto tinham que proteger) no castelo.

A cidadezinha de Hever fica a cerca de 48km ao sudeste de Londres, com trens saindo de London Bridge em direção a Edenbridge e demora mais ou menos 1 hora pra chegar la de trem, o que faz de Hever um passeio bate-volta perfeito a partir de Londres!

Pra fechar o asseio, bem em frente ao portão de entrada do castelo tem um pub ótimo e super fofo, que se chama – claro – “Henry the VIII”, numa casinha antiga lindíssima e como uma comida deliciosa!

 

Categorias: Castelos e Palacios, Day Trip, Hever, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
7
02
Nov
2011
Rye, East Sussex
Escrito por Adriana Miller

Para aproveitar um sabado de sol, durante uma das estacoes mais bonitas do ano na Inglaterra (outono!), fomos passar o dia em Rye com um casal de amigos (e sua cadelinha Vella).

Rye eh uma micro cidadezinha no sudoeste da Inglaterra, no condado de Sussex, e eh daquele tipico lugar que nao poderia estar em mais nenhum outro pais do mundo – soh na Inglaterra!

Passar um dia (ou varios) em Rye eh como viajar no tempo, e se sentir numa cidadezinha medieval saida diretamente dos livros de Jane Austen, ou Beatrix Porter, Ken Follett ou ate mesmo do Harry Potter! Rye poderia facilmente ser uma cidade cenografica!

O mais importante a saber sobre Rye eh sua importancia historia, que esta diretamente ligada a sua posicao geografica: Rye esta na ponta leste de Sussex, e eh a “entrada” do Canal da Mancha, e durante muitos seculos foi membro honorario da confederacao do “Cinque Ports“, que eram as cidades costeiras mais importantes da Inglaterra, tendo responsabilidade de proteger o pais de invasores, alem de grande importancia comercial.

Hoje em dia a cidade vive exclusivamente do turismo o ano todo: durante o verao, eh uma das poucas regioes no pais que tem praia “de verdade” (com areia, e nao as pedrinhas tipicas das praias Europeias), e por causa de sua posicao na “esquina” da ilha, tambem sao privilegiados com um clima um pouco melhor que no centro e norte do Reino Unido.

Mas no resto do ano Rye ainda atrai turistas de todos os cantos do pais e do mundo, que vao a procura desse “charme” Ingles, que parou no tempo.

A cidade fica no alto de uma colina, cercada pelos portos dos tres rios (e/ou afluentes) que a cercam: Rother, Tillingham e o rio Brede, que desenharam o geografia local e fizeram com que a baia de Rye permitisse que navios e embarcacoes viessem pela manca e subissem para o resto do pais atravez de seus rios, oque fez com que a cidade ganhasse destaque nos seculos 12 e 13 e grande importancia comercial.

O passeio pela cidade eh basicamente isso – passear pela cidade! ja que a cada esquina encontramos um cantinho diferente, alguma paisagem saida de um cartao postal ou pagina de livro de historia.

As casinhas de tijolo vermelho de influencia Vitoriana e Eduardiana, alem das atiquissimas casas em estilo Tudor, com suas vigas de madeira escura, que sao tambem as mais tipicas e mais antigas da cidade.

Uma das atracoes principais eh a “Coblestone Street” (ou Marmaid Street), rua que data do seculo 10, e que ainda tem algumas casas originais do seculo 12, com por exemplo o The Marmaid Inn, que foi originalmente contruido em 1156 e a principal “Public House” de Rye e da regiao.

Alem de ser uma casa lindissima (principalmente num dia ensolarado em pleno outono, com todas as folhas em tons amarelos e vermelhos!), o The Marmaid Inn eh cercado de historias interessantes, pois supostamente tem conexoes subterraneas com outros edificios na cidade, e era sede de uma gang de contrabando de la de ovelha (?!) que aterrorizou o sul da Inglaterra e norte da Franca no inicio do seculo 18! Era ali no The Marmaid que a gend foi formada e controlava seus ataques.

Hoje em dia, alemd e ser um otimo e tradicionalissimo Pub, eles tambem operam um Bed & Breakfast – mas cuidado! Dizem que os antigos membros da gang e suas amantes ainda assombram a casa!

A High Street de Rye tambem eh imperdivel, cheia de lojinhas fofas e restaurantes – e acabamos descobrindo que Rey eh a capital de antiguidades e artigos Vintage da regiao! Nunca vi tantas lojas vendendo raridades como por la!

Bem no alto da cidade esta a igreja, onde eh possivel subir na torre e ter a vista completa da regiao!

La do alto eh possivel entender direitinho a geografia da cidade, com os vales e rios, e a proximidade do oceano. Da ate pra ver os White Cliffs of Dover la de cima!

E como toda cidade Britanica que se preze, eles tambem tem (as ruinas) um castelo, que nos seculos 14 e 15 eram conectados com a muralha que cercava e protegia a cidade e que ficavam de frente pra entrada do Canal da Mancha.

Nos almocamos no The Ship Inn que fica bem no centrinho de Rye, e serve uma comida deliciosa! Eles fazem parte da selecao Michelin de gastropubs,  mas pra gente, o legal mesmo eh que eles sao super dog-friendly e nos deixaram entrar com a Vella – e la dentro tinham mais umas 5 mesas com cachorros de todos os tamanhos!

Mas oque eu gostei mesmo foi o menu de cidras! Geralmente o carro chefe dos pubs Ingleses sao as cervejas (Ales, Bitter, Lagers, etc), mas o Ship Inn tinha um menu inteiramente dedicado a cidras! Quase todas artesanais e de producao local, com variacoes deliciosas! A garconete me contou que a dona do Ship Inn adora cidras entao ela mesma se encarrega da “curadoria” e selecao de safras e sabores a cada temporada – como se fosse um bom vinho!

Na parte da tarde fomos conhecer o outro lado da cidade, a praia!

Tudo bem que praia na Inglaterra ja nao eh essas cosias, ainda mais no inverno, mas eu me surpreendi com Combe, uma praia enorme, plana, com areaia e dunas a parder de vista!

E apesar do friosinho, isso nao impediu que os Ingleses colocassem as perninhas pra fora (estava sol, after all…) pra curtir a praia com suas familias e muitos, muitos cachorros!

Aproveitamos pra ficar ate o sol se por no ultimo dia do “horario de verao” de 2011!

 

Na Pratica:

Rye eh uma otima opcao de viagem de um dia a partir de Londres, ou entao pra passar uns dias explorando a regiao sul do pais.

Nos fomos de carro, que foi facilimo e nos deu mais liberdade com horarios e com o cachorro.

Mas Rye tambem eh facilmente acessivel de trem a partir de Londres, com trens regulares saindo da estacao de Waterloo, e a viagem demora cerca de 1 hora e meia (alguns trens sao diretos, mas outras linhas/horarios eh preciso trocar de trem no meio do caminho).

Uma vez chegando lah, todo o resto eh feito a pen, e por ser uma cidade tao antiga, muitas das partes interessantes da cidade nem sequer sao acessiveis de carro, soh a peh. Mas infelizmente pra conhecer a costa/praia, apenas de carro ja que a regiao nao eh conectada diretamente com Rye.

 

 

Categorias: Day Trip, Inglaterra, Rye, Viagens, Viagens pelo UK
29
12
Oct
2010
(Old) York
Escrito por Adriana Miller

Nova Iorque (aquela, de Manhattan) é uma das cidades mais conhecidas e reconhecidas do mundo. Mas só depois que vim morar na Inglaterra é que me dei conta de que o motivo pelo qual New York é a nova York, é porque existe uma velha York!

York é a capital do condado e Yorkshire (lembra do cachorrinho? Eles sao originais de York), no norte da Inglaterra e cerca de 315 km de distancia de Londres. É perto suficiente para passar o dia e voltar, mas Londres e York estao a milenios de distancia!

York é uma das cidades medievais mais bem preservadas da Europa, e sua catedral, a York Minster é a maior Igreja da Europa ao norte dos Alpes, e seus vitrais possuem o equivalente a 50% de todos os vitrais de igrejas da Inglaterra!

Yoak já foi uma cidade forte Romana (estava bem perto da fronteira do Imperio Romano), depois foi invaddida pelos Saxões, até que virou uma prospera cidade Viking, conhecida como Jorvik. (fato do qual aparentemente os York-inos se orgulham bastante).

Um dos principais atrativos da cidade é sua muralha medieval, que começou a ser construida ainda pelos Romanos mais ou menos em 200 d.c., e destruida e reconstruida, com mais areas e mais torres sendo adicionadas a sua estrura a medida que a cidade ia mudando de poderes.

A muralha ainda esta super bem conservada, e é inteiramente aberta a visitação – oque oferece otimas vistas do centro historico da cidade e da York Minster.

Nós fomos pra York quando meus pais estavam aqui, já que herdei o gene que ama historia e tudo que é antigo, e então a parte que mais gostamos de explorar foram as ruas do centro historico – que nao dá pra evitar a se sentir passeando pelo cenario de Harry Porter!

As ruas super estreitas, a arquitetura das casas… Uma de suas ruas “ilustres” é a Shambles que é considerada a rua mais antiga da Inglaterra, e a unica rua que ainda existe até hoje em seu formato e localização original e que foi mencionada no Domesday Book, o primeiro “censo” jamais feito, por encomenda de William I em 1085, que é considerado o primeiro Rei da Inglaterra que conhecmos hoje. Ele encomendou o Domesday Book pois queria fazer uma pesquisa sobre todas os condados, todas as vilas e cidades de seu Reino, quem era dono doque e os impostos pagos. Desse livro, a rua Shambles é a unica que sobrou até hoje, e alguns de seus predios ainda sao as construções original do seculo 13!

Tudo bem que hoje em dia a rua é puramente um ponto turistico, com cafes, restaurantes e lojas de souvenir, mas impossivel nao imaginar as pessoas que passagem por ali com uma roupa de bruxa…

Um outro edifico interessante é a Torre Clifford, que é a unica estrutura que sobrou do Castelo de York, originalmente construido em 1068.

Nós passamos apenas um dia em York, que eu achei mais que suficiente, mas tem bastante coisa pra se fazer por lá por um fim de semana inteiro, ou até mais.

Um passeio de apenas 1 dia, no estilo bate e volta de Londres só é possivel feito de trem, já que os 315 Km que separam York de Londres significariam em mais de 5 horas de viagem.

Já um trem direto demora menos da metade desse tempo, e chegamos lá em 2,5 hrs com os trens da EastCoast, que sempre tem varias otimas promoções de passagen de trem bem baratinho!

Categorias: Day Trip, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK, York
15
01
Jun
2010
Stratford-Upon-Avon
Escrito por Adriana Miller

Aproveitamos o feriado prolongado, sem nenhuma viagem marcada pra passear um pouco mais pela Inglaterra, então aproveitamos o tempo lindo primaveril que fez no domingo para passar o dia em Stratford-Upon-Avon, a cidade natal de William Shakespeare!

A cidade é mais uma ótima opção de passeio bate-volta a partir de Londres pois fica a apenas 2 horas e meia do centro da cidade (de trem, saindo da estação de Marylebone).

A cidade é uma fofura, e um otimo exemplo de cidadezinha tipicamente Inglesa – tanto na parte super antiga, quanto nas areas mais residenciaias e modernas.

Muitas opções de Bed&Breakfasts pra quem preferir passar a noite na cidade

Uma das muitas areas residenciais super bonitinhas

Stratford-Uppon-Avon existe como cidade, com a organização que vimos hoje ha mais de 1000 anos, mas antes disso já tinha sido uma proeminente cidade comercial Romana por outros 1000 anos antes! E aliais foi justamente essa cidade Romana que gerou o nome da cidade – “estrada sobre o rio Avon”!

Detalhes da "Sheep Street" (Rua das Ovelhas)

Já no poder dos Saxões, no seculo 11 a cidade foi transformada oficialmente em cidade mercado e até hoje muitos predios são construnções originais em estilo Tudor, dos seculos 12, 13, e 14 e a organização ainda é a mesma: as ruas ainda se chama “Rua das ovelhas”, “Rua da madeira”, “Rua da Lã”, “Rua dos vegetais” etc assim como o mercado Medieval era estruturado.

Detalhes da "Wood Street" (Rua da Madeira)

Mas a atração principal mesmo de Stratford-Uppon-Avon é toda e qualquer coisa que seja relacionada a seu ilustre morados, William Shakespeare!

Por sorte nossa (5 seculos depois!) Shakespeare nasceu numa familia de muita influencia na região (apesar de nao nobre) e sempre foi reconhecido e respeitado como comerciante, escritor e poeta, e por isso sua historia nao foi perdida ao longo do tempo.

A casa onde nasceu William Shakespeare

E onde funcionava a loja de luvas e artigos de couro de seu pai

Nosso passeio começou pela casa de Anne Hathaway, o cottage da familia Hathaway, sua esposa. A casa é super bem conservada e mostra muito bem como vivia uma familia “burguesa” no seculo 15 na Inglaterra. A familia de Anne tinha relações comerciais com a familia Shakespeare, e como o pai de William ajudou o paide Anne financeiramente, os dois ficaram amigos e pouco tempo depois Anne e William casaram – era estava gravida de 3 meses e era 7 anos mais velha que ele (William tinha apenas 18 anos)!

A casa da Familia Hathaway - construçnao Tudor do seculo 15

Além da casa, os jardins também valem a visita

Mas o verdadeiro motivo que permitiu que William Shakespeare tenha se tornado no artista que o tornou conhecido foi justamente seu pai: John Shakespeare era um comerciante muito bem sucedido, e portanto fazia parte do “Guild” da cidade (tipo a prefeitura) oque permitia que seu filho tivesse acesso a educação e aulas de gramatica – coisa que não era comum para crianças nao-nobres.

A escola onde Shakespeare aprendeu a ler, escrever e gramatica da Lingua Inglesa - funciona como escola até hoje!

A fachada do Royal Shakespeare Teather

Uns anos depois de seu casamento, a familia Shakespeare teve dificuldades financeiras, e por ser o unico filho homem, William foi para Londres tentar a sorte – deixando os pais, a esposa e os 3 filhos para tras. E foi justamente isso que o levou a Londres e o transformou no artista que conhecemos até hoje.

Em Londres, William Shakespeare, fundou uma compania de teatro, usando como roteiro suas historias e poesias – isso tudo numa epoca em que teatro e cultura só eram acessiveis a nobresa e alta burguesia (ou seja, quem tivesse muito dinheiro).

Trinity Church

Trinity Church

O Tumulo de Shakespeare

O Teatro original onde sua compania atuava ainda existe, o Shakespeare Globe, no bairro de Southwark no sul de Londres (bem do lado do museu Tate Modern), que ha 500 anos atras era um bairro decadente, com um cais do porto, deposito de lixo, prostituiçnao e teatro ilegal – mas a medida que sua cia de teatro foi ficando mais conhecida e reconhecida Shakespeare teve um papel fundamental na integração do lado sul do Tâmisa com o resto da cidade!

Na margem do Rio Avon

Rio Avon

E para saber e entender tudo isso nós fizemos um passeio guiado pela cidade, organizado pela cidade de Stratford e sai diariamente na praça Swan Fountain, ao lado do Royal Shakespeare Theatre (dura 2 horas e custa 5 libras – saindas todos os dias as 11:00 – 2ª a 4ª feira e 14:00 5ª a domingo). E vale muito, muito a pena!

Categorias: Day Trip, Inglaterra, Stratford-Upon-Avon, Viagens pelo UK
10
03
May
2010
Cambridge
Escrito por Adriana Miller

Assim como Oxford, Cambridge é uma cidade que virou atração turistica graças a sua super famosa e privilegiada Universidade, e é tambem uma otima opção de day trip saindo de Londres.

Apesar de ser um pouco mais longe, existem varias opções de trem, que levam cerca de 1 hora de viagem, e um dia é mais que suficiente pra ver tudo!

Na verdade Cambridge é bem mais compacta que Oxford, os Colleges sao todos um do lado do outro e bem no centro da cidade.

Mas a Universidade de Cambridge funciona nos mesmo moldes que Oxford (e como a maioria das unversidades Inglesas) e é dividida em Colleges (faculdades), que sao na verdade mini universidades. Entao ao andar pela cidade, vc nao ve A universidade, e sim os seus inumeros colleges. E ao contrario doque temos no Brasil, por exemplo, onde cada faculdade é especializada numa carreira (ex. Faculdade de Engenharia, Faculdade de Medicina, Faculdade de Comunicaçao, etc), na Inglaterra as universidades mais antigas teem essa subdivisao, entao vc pode estudar na Universidade de Cambridge e fazer faculdade de Economia (por exemplo) no Kings College OU no Queens College.

O centro da cidade é compacto e cercado pelo Rio Cam, e os Colleges que voce vai conseguir ver, depende da epoca do ano, e do calendario escolar de cada um. A melhor epoca para visitação são os meses de verao, já que a Universidade esta de ferias, mas ao memso tempo, no verao a cidade fica toda mais vazia, pois os alunos vão embora para passar seu verão em outras partes do mundo. Além disso, a parte de pesquisa da Universidade funciona 12 meses por ano, entao sempre vai existir uma area ou outra restrita a visitantes.

Nos demos azar na nossa visita: apesar de ter feito um tempo otimo a semana toda, sabado caiu um temporal, e no domingo ficou bem nublado e muito frio o dia todo… Alem disso, nem nos tocamos que entre Maio e Junho é final de trimestre e portanto a grande maioria dos Colleges estava fechado a visitantes por causa das epocas de provas (por questões de segurança, em epoca de provas, memso no fim de semana os Colleges restringem seu acesso a turistas). Mas em compensação tivemos o privilegio de ver algumas passeatas e cerimonias de formatura e coleção de grau!

Para organizar seu dia, comece o passeio pela praça principal da cidade, a Market Square, seguindo em direçao ao Queen’s College, fundado em 1448 em homenagem a Rainha Margaret de Anjou, esposa do rei Henry VI. O College é todo construido com arquitetura Tudor, muitos jardins internos e teve dois alunos ilustres: os matematicos Erasmus (onde é possivel visitar a torre onde era seu apartamento), e Isaac Newton, que diz a lenda construiu a “ponte matematica” que cruza o rio Cam (o Queens é o unico college que cruza o Rio) usando angulos, tangentes e triangulos, criando um arco perfeito sem usar um unico prego. Ao longo dos seculos, varios outros alunos tentaram desmontar e reconstruir a ponte, mas nunca conseguiram reproduzir a perfeiçao de Isaac Newton sem usar pregos e parafusos!

Outra area muito legal da universidade é o Old Hall, um salao de banquetes que geralmente nao é aberto ao publico, mas nós demos sorte de entrar no College bem quando as portas foram abertas para a entrada dos alunos formando que iam almoçar no salão! Entao conseguimos ver (e tirar fotos!) do salão Tudor original!

E de quebra ainda conseguimos entrar na Capela na Universidade, que estava completamente vazia!

Ao lado do Queens College fica o Kings College, que infelizmente estava totalmente fechado a turistas, pois era epoca de provas e formatura. Mas mesmo sem entrar no campus propriamente dito, não dá pre negar que o Kings College é o mais imponente de todos. O College foi fundado em 1441 por Henry VI, e tem a capela/catedral mais impressionante da cidade.

Seguindo a mesma rua, a King’s Parade esta a Trinity College que é o college mais rico e maior da Universidade. O college foi fundado por Henry VIII, que foi o principal rei da dinastia Tudor (estatuas de Henry VIII estao adornando todos os porto~es e entradas do college) e tem a lista de ex alunos mais impressionante de todos, e de seu campus já sairam nada menos de 31 premios Nobel, nas mais variadas categorias. O Trinity College tambem estava fechado para turistas, mas lá dentro esta a maior patio/jardim interno da Europa (2 hectares de jardim em formatto Courtyard), e a biblioteca foi projetada por Sir Christopher Wren, o mesmo arquiteto que desenho a Catedral de Saint Paul, em Londres.

Apesar de nao ter partes do campus no lado oeste do Rio Cam, o Trinity college tem um jardim impressionante, que é acessivel pela ponte Saint John, que é uma replica da Ponte dos suspiros em Veneza.

Outros od colleges principais sao o Magdalene’s College e Clare’s College, e por sorte, esse ultimo estava aberto a visitação e seu jardim estava ridiculamente florido, com a grama cortada milimetricamente, digna da Rainha Vermelha, da Alice no pais das Maravilhas! (que na verdade foi escrita em Oxford!)

Uma outra opçõa de passeio, principalmente em epocas onde os colleges nao estao todas aberto ao mesmo tempo é andar de barco “gôndola” pelo rio Cam, onde estudantes de Cambridge, trabalhando por uns trocados extras, dão tours aos turistas, contando um pouco mais sobre oque esta por tras da historia e costumes da universidade.

Ou entao, um passeio pelo jardim “beira rio”, conhecido como The Backs (“os fundos”) que oferece vistas privilegiadas dos colleges, mesmo que eles estejam fechados ao publico!

Pra fechar o dia, quando a chuva voltou a atrapalhar nossos planos, acabamos nos rendendo a um sunday roast num pub em frente ao Magdalene’s College, até a hora de ir embora!

Ah! Se voce for a Cambridge num dia de sol (ou pelo menos sem chuva) nao deixe de alugar uma bicicleta pra passear pela cidade! Mas em qualquer epoca do ano, nao deixe de sempre olhar pros dois aldos antes de fazer qualquer coisa! Bicicletas sao o principal meio de transporte dos alunos de Cambridge e eles nao tem a menor paciencia com turistas tirando fotos, e passam por cima!

Categorias: Cambridge, Day Trip, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
11
23
Apr
2010
Day trips e passeios bate-e-volta em Londres
Escrito por Adriana Miller

“When you grow tired of London, you’ve grown tired of life”

Samuel Johnson

Essa frase bem cliche sobre Londres, que significa, mais ou menos, “Quando voce se cansa de Londres, voce se cansou da vida” representa mais ou menos como me sinto em Londres. Eh uma cidade cinzenta, chuvosa, lotada, cara e na maioria do tempo bem estressante. Ha quem ame, e ha quem odeie, mas nao dah pra negar que oque nao faltam sao opcoes de coisas a fazer na cidade.

Mas Londres eh muito mais que apenas o Big Ben e London Eye, entao em homenagem ao dia de Sao Jorge, o santo padroeiro da Inglaterra, vou fazer uma lista de sugestoes de passeios de 1 dia e passeios bate volta que podem facilmente serem feitos a partir de Londres.

Todas as viagens jah foram postadas por aqui, e podem ser achadas no link “Day Trip” no menu ai ao lado.

Mas para sintetizar as opcoes de cosias a fazer, e somar essas sugestoes ao roteiro de viagem a Londres, abaixo estao os links separados por passeio e em minha ordem de preferencia:

- Windsor Castle: Eh a residencia oficial da atual familia real Britanica (familia Windsor), oque por si soh vale a pena a visita! Lah voce poder ver a troca da guarda, visitar a “casinha” de bonecas da Rainha Victoria e passear pelos jardins do palacio-fortaleza! Eh bem facil chegar lah, e de trem, demorar cerca de uns 40 minutos.

- Leeds Castle: Outro castelo-fortaleza imperdivel nos arredores de Londres. O castelo fica no centro de um parque nacional com direito a zoologico e aviario, e foi um dos ultimos castelos Ingleses a deixar de ser habitado (que eh aberto a visitacao), entao eh possivel ter uma ideia bem real de como eh a vida “real” de uma familia nobre que more numa fortaleza!

- Oxford: A cidade Universitaria mais famosa do mundo tem museus, parques, igrejas e bibliotecas (e cenas de filmes!) para ocupar muto mais que um dia de passeio. Mas pra quem esta sem tempo, as viagem rapidinha a partir de Londres eh uma otima opcao.

- Blenheim Palace: E jah que estamos falando da regiao de Oxford, o Blenheim Palace eh um otimo day trip, tanto desde de Londres quanto uma extencao de um passeio por Oxford. O museu dah uma otima aula de historia e politica Britanica – foi lah que nasceu Winston Churcil, importante Primeiro MInistro Britanico que salvou o pais durante a Segunda Guerra Mundial.

- Hampton Court Palace: Se vc esta de viagem programada para Inglaterra, impossivel que nao tenha ouvido falar em Henry VII, ou na familia Tudor, ou nas irmas Boleyn etc. Esse foi o Palacio onde tudo aconteceu, onde Henry morou por mais tempo e se casou com mais mulheres.

- Dover: Cidade no sudeste Ingles, onde fica a pontinha de terra onde a Inglaterra e o continente Europeu estao ais proximos.

- Brighton: Com certeza a imagem “praia” eh a ultima coisa que passa pela sua cabeca ao pensar na Inglaterra! Mas Brighton eh a Buzios de Londres, e eh a cidade praiana onde os Londrinos vao pra pegar sol e curtir balada. Mesmo quando nao faz sol ou calor, Brighton tem um centrinho bem bonitinho, muitas opcoes legais de entretenimento e historia. Seja qual for o clima, nao deixe de comer um “fish’n’chips” na beira do Canal da Mancha.

Uma outra opcao bem popular para um passeio bate e volta em Londres eh o roteiro Stonehenge, Salisbuty e Bath. Super recomendo, mas esse passeio seria ideal num fim de semana inteiro. As melhores opcoes sao alugando um carro ou entao encarando alguma pacote de day trip das agencias Londrinas.

Stonehenge eh um lugar que onde expectativa e decepcao sao diretamente proporcionais, mas eh o tipico lugar que vc tem que ver pra crer… Jah Bath eh imperdivel, e uma das cidades mais bonitas da Inglaterra. Algumas agencias que fazem esse roteiro, aqui.

Categorias: Conhecendo Londres, Day Trip, Dicas Uteis, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
19
05
Oct
2009
White Cliffs of Dover
Escrito por Adriana Miller

Dover eh a pontinha sudoeste da Inglaterra, e o trecho onde a Ilha esta mais proxima do continente, estando a apenas uns 20 kilometros da França (aliais, tao pertinho, que dependendo de qual parte do castelo estavamos, o celular ficava apitando “Welcome to France”, como se tivessemos cruzado a fronteira!).


Os dois pontos altos da cidade sao os penhascos de rocha branca (White Cliffs) e o castelo de Dover.


O castelo fica bem no alto nos penhascos com a vista privilegiada do canal da mancha e da costa Francesa da Normadia.

Os habitantes da cidade se orgulham por ter o unico castelo da Inglaterra que nunca foi dominado pelos “inimigos” (seja quem fosse o inimigo na epoca), alem de ser a sede do edifico mais antigo do Reino Unido: O farol Romano, que estima-se que foi construido pelos Romanos em 120 a.c. e servia para guiar os exploradores Romanos que se instalaram na Ilha a cruzar o canal.

A França esta logo ali, ao fundo do horizonte…
A cidade e o castelo sempre tiveram uma grande importancia politica e militar, e de lah os Ingleses orquestraram inumeras batalhas e guerras, inclusive o recente “Dia D” na Segunda Guerra mundial, jah que das torres do castelo os Almirantes e generais Aliados tinham uma visao privilegiada da costa Francesa.

Foi uma pena que nos nao tivemos muito tempo pra explorar melhor o castelo, e fazer o tour pelos tuneis subterraneos, que dizem ser uma das principais atracoes do castelo. mas em compensacao, passeamos bastante pelas areas “livres” onde hj em dia sao reencenados as rotinas militares da hidade media, o estilo de vida e as iniciacoes dos “cavalheiros” (Knights).

A cidade em si eh bem sem gracinha… Talvez por ser domigo, e tudo estava fechado…mas a Inglaterra definitivamente tem cidades mais interessantes! Mas quem pretende chegar ou sair da Inglaterra por terra/mar invariavelmente vai ter que passar por lah (lembra das dicas de viagem de barco?).

Apontando para a França!

Mas mesmo assim vale a pena cruzar a cidade pela “orla” e ir ateeeeeé o pier Prince of Wales de onde se tem a vista privilegiada da praia de pedrinhas vermelhas, o castelo no alto do penhasco e os penhascos brancos sobre o mar (uma formacao geologica composta de cal pura!).

Uma otima opcao de passeio pra quem for pra Dover com mais tempo (passamos menos doque uma tarde por lah…) eh fazer um dos passeio de barco, que vao circulando os Cliffs com toimas vistas sem os navios e cargueiros bloquenado a vista…

Dover eh mais uma otima opcao de passeio bate-e-volta saindo de Londres, e a viagem de trem dura uma media de 2hrs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Castelos e Palacios, Day Trip, Dover, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
11
Página 1 de 212