07
Jul
2011
Vatnajokullpjodgardur
Escrito por Adriana Miller

Tudo bem. Eu espero. Tenta mais uma vez pronunciar o titulo do post… Deu câimbra na lingua?

Bem, esse lugar impronunciaável é o parque nacional onde fica o vulcão Vatnajokull (depois descobri que Jokull significa vulcão em Islândes), onde esta o mais antigo e maior geleira da Islandia, da Europa e do mundo (fora das regiões articas, claro).

Ali no meio da geleira fica também outro vulcão, o Grimsvotn, que é o vulcão mais ativo da Islândia e que estava em erupção e causando caos na Europa ha apenas 1 mes atras…

Esse foi o ponto alto da nossa viagem, e se tivessemos passado mais tempo no país, provavelmente teriamos passado mais tempo por lá, explorando as inumeras atrações do parque.

A sede do parque fica em Skaftafell, onde passamos a noite no camping, e onde tudo acontece no parque: é dali que saem passeios, excursões, trilhas, tem lojinha de souvenir, agencia de informações turistica, e etc.

Então começamos o dia cedo, e fizemos uma trilha na geleira, com os guias do Glacier Guides na “lingua” da geleira Svinafellsjokull.

As geleiras são massas de gelo gigantestcas que cobrem as montanhas na Islandia, e existem a milhares de anos. Por causa dos efeitos da gravidade, e nos ultimos anos, o aquecimento global, as geleiras estão em constante movimento, “descendo” das montanhas e consequentemente criando essas “linguas” laterais.

A unica maneira de andar na geleira é acompanhado com guias treinados, e material apropriado, cordas, equipamento de segurança etc.

Não só porque andar no gelo é impossivel, as geleiras podem estar com pedaços descongelados, fendas no gelo, e varias armadilhas perigosissimas!

A lingua Svinafellsjokull fica no lado esquerdo do Grimsvotn, oque significa que foi uma das areas mais afetadas pelas recentes cinzas vulcânicas, então o gelo estava preto! Completamente coberto pelas cinzas, que fez com que toda experiencia fosse ainda mais especial!

Então os guias nos deram todo material de proteção, um treininho sobre como andar no gelo sem quebrar a perna, etc além de varios fatos interessantes sobre a geleira e suas linguas.

Eu não fazia a menor ideia, por exemplo, que foi essa geleira que serviu de cenario para uma das primeiras cenas do filme “Batman Begins” – que supostamente é no Tibet/Nepal, mas na verdade foi filmado na Islandia – até um monasterio falso foi constuido na lateral da montanha!

Incrivel assistir os clipes do filme e ver como a geleira foi transformada do dia pra noite por causa da erupção! Serão necessarias decas e mais decadas de chuva, vento, neve e gelo pra geleira voltar a ter esse aspecto azulado característico.

Uma das “aulas” que os guias nos deram durante o trekk foi justamente sobre as diferentes erupções ao longo dos anos/seculos, e como essas marcas formam estrias escuras no gelo glacial, criando camadas de gelo e cinza, que são minuciosamente estudadas por cientistas e geologistas, que assim conseguem determinar o padrão de comportamento de um determinado vulcão.

A geleira que nós vimos era completamente cinza/preta, e os gânulos de cinza vulcânica eram nitidas em cima do gelo, criando uma paisagem bem lunar… E depois de ver a tal da cinza vulcânica ao vivo e tão de pertinho, realmente não dá pra imaginar aviões voando no meio disso não!

Eu amei a experiência de caminhar (e “entrar”) em uma geleira!

No fim do dia, aproveitamos as longas horas de luz, e o ceu azul que resolveu dar as caras, e dirigimos um pouco mais pronorte e fomos conhecer o lago glacial Jokulsarlon, que é uma das principais atrações do parque, e sem duvida, a parte mais fotogenica da Islândia!

Jokursarlon é o maior lago glacial da Islandia, criado a alguns milhares de anos atras, quando a gelereia “migrou” para perto demais do mar, e sua “lingua” começou a derreter.

Então por causa das variações da temperatura da agua do mar, e a diferença de densidade, salinidade, etc, a geleira vai pouco a pouco “amoleçendo” e soltando Icebergs que criam uma paisagem sem igual!

O lago é enorme, e a geleira que o criou é ainda mais impressionante! E a melhor maneira de ver os Icebergs é de dentro do lado!

Uns barcos amfibios te levam bem pertinho da geleira e dos Icebergs, enquanto uma guia conta um pouco mais sobre a região e mais umas tantas curiosidades sobre o lago e a geleira.

Outro fato interessante: uma das cenas mais memoraveis do filme James Bond “Die Another Day”, onde James Bond protagoniza uma cena de perseguição no gelo.

Pois é, também foi gravado na Islandia! E foi filmado no gelo de Jokulsarlon mesmo, e a historia por tras da produção é interessantissima!

O lago só existe por causa da diferença da densidade da agua do mar e a agua que derrete da geleira. Então a agua salgada do mar, não congela, e vai formando os Icebergs. Então eles constuiram uma represa temporaria e fecharam a coneçnao do mar com o lago. Uns dias depois, a agua densa do mar, desceu, e a agua limpa da geleira ficou por cima e congelou.

Prontinho! Como num sonho Holliwoodiano!

E nós até vimos um dos Icebergs se desfazendo e caindo no meio do lago, causando aquelas ondas (geladas!) de estremecer! Uma coisa assim um pouco “Titanic” demais…

Até a Angelina Jolie já filmou uma das cenas da Lara Croft no Jokursarlon – que supostamente era na Siberia, mas a Islandia é muito mais acessivel, certo?

Apesar do sol que pegamos, o vento estava de matar, e fez muito frio! mas sem duvidas, revendo essas fotos, valeu a pena!

 

 

Categorias: Islandia, Vatnajokull, Viagens
27
06
Jul
2011
O sol da meia noite….
Escrito por Adriana Miller

Na sequencia do nosso rolé pelo Circulo Dourado (que fica na direção nordeste da Reykjavik) dirigimos na direção sul e depois seguimos na “ring road” 1 até nosso destino final: o Parque nacional onde fica a maior geleira da Islândia, o Vatnajokull, que também é a maior geleira da Europa e a maior geleira do mundo fora das regiões articas.

Aviagem foi longa, e nós sabíamos que seria cansativo. Mas as estradas são boas, não tem transito nem escuridão pra nos preocupar, então fomos seguindo, seguindo….

Por causa da caravana, sabiamos que se batesse o cansaço, era só parar e passar a noite onde quiséssemos.

Oque a gente não sabia é que íamos passar por uma das paisagens mais loucas do mundo!

Logo depois que ultrapassamos a “cidade” Vik (entre parenteses, porque a metropole tem apenas 300 habitantes… mas é a maior da região sul na ilha!) a paisagem se transformou!

Chegamos então na região do Eldhraun, que fica entre Vik e Kirkjubaejarklaustur, que nada mais é do que um enorme campo de lava que esfriou em movimento!

Muito surreal! E nesses de anos a erosão ainda não mudou a paisagem, e a unica coisa que cresce durante os meses de verão é lodo… a região é relativamente nova, e só foi criada em 1783 depois da uma das erupções mais catastróficas da historia recente.

Então dá pra ver direitinho o relevo da lava, e dá pra ver nitidamente as “bolhas” de lava que secaram o ar! Fascinante!

Você se sente andando (dirigindo no caso…) no meio de uma erupção… então fizemos varias paradas no meio da estrada pra tirar fotos (e videos!), oque atrasou bastante nossa viagem…

O objetivo final do nosso dia era conseguir passar a noite no camping de Skaftel, bem na entradinha do Parque Vatnajokulpjodgardur, e a verdade é que apesar do cansaço e das horas que iam avançando, não dava pra parar o carro e dormir no meio de Eldhraun…. e quando passamos por Kirkjubaejarklaustur não vimos nenhum camping nessa cidadezinha de 160 habitantes…. então seguimos viagem.

Mas valeu a pena!

Quando estacionamos nossa caravana em Skaftel as 11:30 da noite, assistimos a esse por do sol aqui ó!

O ceu mais cor de rosa do mundo!

Apesar do cansaço, a cena foi hipnotizante demais…

E logo depois da meia noite, o sol comeou a subir no horizonte de novo!

Entao em cerca de meia hora vimos um por do sol incrivel, que instantaneamente se transformou em nascer do sol!

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Islandia, Vatnajokull, Viagens
12