20
Mar
2010
Florença e Toscana: na Pratica
Escrito por Adriana Miller

Nesse post não terei a pretensão de escrever um post completissimo sobre uma regiao tão grande e diversa quanto a Toscana. Serão apenas algumas sugestões de como se organizar e planejar pra conseguir aproveitar (um pouco do) o melhor que a regiao tem a oferecer, sem gastar muito tempo, nem muito dinheiro.

Pra começar,  a maneira mais facil, simples e barata de viajar pela Toscana é de trem! A TrenItalia, compania ferroviaria Italiana, é super eficiente, e chega a literalmente, todos os cantos do pais.

Na toscana em particular, eu arriscaria dizer que 99,9% das cidadezinhas tem uma estacao de trem. E apesar de existirem um zilhao de opcoes de lugares pra conhecer, as cidades sao relativamente bem proximas umas das outras, e dá pra chegar em quase todos os lugares que vc quer ir em menos de 1 hora de trem, gastante cerca de 5 Euros por trecho e sem se estressar com nada.

Não precisa nem se preocupar em comprar as passagens com antecipação; basta chegar na estação, ir direto na maquina self-service, comprar seu ticket, “convalidar” na maquininha amarela da plataforma e voilá! (mas por precaução, vale a pena dar uma olhadinha no site só pra ter uma ideia dos horarios, conexoes, etc).

Começando por Florença (as dicas e roteiro já estão AQUI), que eu recomendaria pelo menos uns 3 dias dedicados a cidade, e é a cidade ideal para servir de “base de exploração” pro resto da Toscana.

A cidade é relativamente pequena, e super facil de navegar, mas a recomendaçnao numero um é tentar se hospedar o mais proximo possivel do centro da cidade, ou o Centro Storico. Uma boa localização vai facilitar sua vida na hora de visitar a cidade, chegar na estaçnao de trem, achar bons restaurantes etc.

Nós ficamos hospedados no Hotel Medici, exatamente no centro da cidade e a meio quarteirao de distancia da Piazza Duomo, pagando miseros 40 Euros por noite, para um quarto uplo, com banheiro e café da manha. E pra melhorar ainda mais, como chegamos cedo e nosso quarto aidna nao estava pronto pro Check in, nos deram um “up grade” para um dos apartamentos do predio adjacente, que era um mini studio com sala, quarto e banheiro (que caberiam facilmente umas 4 ou 5 pessoas lá dentro).

A sala do nosso quarto no Hotel Medici

O quarto e o banheiro

E pra completar, o hotel ainda tem um varandão na cobertura, com uma super vista do Duomo!

A varanda da cobertura!

Nao espere luxo nem paparicos, mas por esse preço, nada compensa a localizacao, serviço e conveniencia do Hotel Medici!

Outras opções de viagens pela Toscana, usando Florença como base da viagem ou nao, sao inifnitas. Mas digamos que alguem tenha 1 semana disponivel na Toscana e quer conseguir explorar bem a regiao. Alem dos 3 ou 4 dias em Florença, minha sugestao seria:

- 1 dia em Pisa: Pisa é um dos principais cartões postais da Italia e fica a menos de 1 hora de trem de Florença. A passagem custa menos de 6 Euros, e chega bem no centro da cidade. Explorar Pisa é super facil, e sinceramente voce nao precisará mais que algumas horas.

Pisa!

- 1 dia em Siena: Siena é outra tipica cidade Toscana que fica pertinho de Florença e requer menos de 1 dia pra ser explorada. Alem da muralha medieval, Siena é sede do famoso Palio de Siena que acontece todos os anos na Piazza del Campo.

Piazza Del Campo, Siena

- 1 dia em Arezzo: Não tem nada a ver com a loja Brasileira de sapatos… mas foi a cidade-cenario do filme “La Vita é Bella” (filme de Roberto Benini, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1997) e é cercada de viniculas de vinho Chianti por todos os lados.

Piazza Grande, no centro de Arezzo

E pra estiver com um pouco mais de tempo, nas redondezas ainda estao: Lucca, Carrara (a cidade dos marmores) e La Spezia (região onde estao as “Cinque Terre“).

Manarola, uma das 5 cidades da regiao "Cinque Terre"

Mais fotos de Pisa e Florença:

- Pisa e Florença (minha versao com centenas de fotos nao-editadas)

- Aqui (a versao consisa e selecionada do Aaron)

Categorias: Cinque Terre, Dicas (Praticas!) de Viagem, Florenca, Italia, Pisa, Roteiros de Viagem, Siena, Toscana, Viagens, Viagens pela Italia
31
16
Mar
2010
Dicas de Pisa
Escrito por Adriana Miller

É meio impresionante pensar que uma das cidades mais conhecidas do mundo, e um dos simbolos nacionais de um pais como a Italia seja uma cidade que sobrevive com apenas uma unica taração turistica.

A maioria das pessoas visitam a cidade apenas para tirar uma foto ao lado da torre, e é verdade que a cidade nao tem muito mais que oferecer. Mas Pisa é Pisa, e mesmo que sua visitar nao dure mais que algumas horas, eu diria que uma foto “segurando” a torre é uma daquelas coisas que todo mundo deveria fazer uma vez na vida!

Chegar e sair da cidade é bem facil, com varias opcoes de trens diretos (e baratos!) para varias otras cidades na regiao, e definitivamente vale desviar uma manha ou tarde do seu roteiro e dar uma passadinha por lá.

No nosso caso, aproveitamos o voo da Ryanair direto pra Pisa, e em vez de enfrentar um trem ou onibus jah tarde da noite, resolvemos passar o noite por lá, oque foi uma otima opção!

Nos hospedamos no albergue/pensao Villa Leaning Tower que foi um achado bem no centro da cidade! Era só colocar a cabeça pra fora da porta e já viamos a torre!

O hotel nao foi dos mais baratos (para os padroes de nossas viagens de fim de semana), mas por 50 Euros ficamos super bem localizados, os quartos bem novinhos e recem reformados (na verdade nosso quarto era para 4 pessoas! 1 cama de casal e 2 de solteiro), com internet wi-fi e cafe da manha gratis. E pra melhorar ainda mais, assim que saimos do portao de desembarque e passamos batidos pela multidao de amigos e familiares gesiculando e falando alto, vimos um cartazinho com meu nome!

O filho da dona do hotel foi lá nos buscar! Sem pedir, nem cobrar, mas ele ficou preocupado que o voo ia chegar tarde e como tinha mais um outro casal chegando num voo da Espanha 10 minutos depois, ele foi lá buscar nos 4! E esse serviço “casa da mamma” nenhum hotel 5 estrelas oferece!

Entao no sabado acordamos cedo, e fomos direto pra torre!

Alem de todas as zilhos de possibilidades de fotos da e com a torre, fomos tambem visitar a catedral (Duomo) por dentro.

Da outra vez que estive em Pisa, de cara reparei que alem da torre ser o fiasco arquitetonico mais famoso do mundo, a catedral tambem é um desastre! Entao nossa diversao foi ficar tentando achar os erros de escala, os arcos tortos, as pedras que nao encaixam, os tijolos de cabeça pra baixo e todos os outros erros cometidos na construcao do complexo de Pisa. Foi tipo um jogo dos 7 erros vezes mil! E juntando um engenheiro metodico, com uma ex-aspirante a arquiteta frustrada, achamos literalmente dezenas de erros em apenas alguns minutos! (É nerd, mas foi engraçado!) Pobre Bonanno Pisano (o tal arquiteto de araque)!

Paredes tortas

Peças que não encaixam

Arcos tortos...!

A torre tambem é aberta a visitacao, e os tickets sao vendidos em conjunto, e assim é possivel visitar a torre (que originalmente era a torre do sino da catedral), o Batisterio (onde seriam realizados os batismos) e a igreja propriamente dita.

Quem quiser extender a visita por mais algumas horas, tambem vale a pena visitar a Piazza dei Cavallieri, que foi o antigo centro de Pisa, e todos os predios foram projetados e construidos por Vasari e o museu “Museo Dell’Opera del Duomo” onde estao expostas todas as antigas estatuas originais que enfeitavam a praça do Duomo, alem de varios santos e estatuas que faziam parte da deoração original da Catedral.

Não se iniba. Você não será o unico pagando mico de turista em Pisa

Vale a pena? Vale! A torre é um dos grande icones e simbolos do mundo, e é tão facil dar uma passadinha por lá!

Mas sinceramente, por pior que isso possa soar, a verdade é que apesar de famosa (e bonita!) ainda considero Pisa como o patinho feio da Toscana, então não gaste muito tempo por lá!

Pegue o primeiro trem, e em menos de 1 hora voce chega em Florença, ou Siena, ou Arezzo, ou La Spezia, etc….

Categorias: Italia, Pisa, Viagens, Viagens pela Italia
17
15
Mar
2010
Sob o sol da Toscana
Escrito por Adriana Miller

Voltar a Pisa e Florenca 6 anos depois que cheguei lah, foi uma experiencia bem interessante.
Foi meio engracado estar andando novamente por Florenca, dessa vez como puramente turista e “abrir” minha mente para a cidade.

Quando sai do Brasil, ha (quase exatamente) 6 anos atras, minha primeira parada foi a Italia, onde tinha ganhado uma bolsa de estudos atravez do consulado Italiano no Rio (onde estudava na epoca). Fui cheia de expectativas, sonhos e afins, e meu primeiro mes foi um sonho realizado. Morei em Castelraimondo, fazendo um curso intensivao 100% inclusivo. Passiei e viajei bastante, conheci muita gente legal e aprendi demais. Logo depois fui direito pra Florenca, onde tinha ganhado uma segunda bolsa de estudos, que nao quis desperdicar de jeito nenhum.

Eu achava que poder morar um tempinho em Florenca seria o auge supra-sumo da minha vida, e o tombo nao poderia ter sido maior. Um ambiente completamente diferente, sem conhecer ninguem, morando com duas irmas Italianas ultra antipaticas, e enfim…. odiando!

Soh quando fui embora de lah eh que me dei conta do quanto tinha detestado morar em Florenca, de como as pessoas lah sao esnobes e antipaticas e como tinha sido dificil pra mim me sentir “obrigada” a amar toda a experiencia o tempo todo.

Entao nos 6 anos seguintes nunca cheguei a ter intencoes de um dia voltar lah. Ficou marcado: Fiorentinos sao antipaticos, xenofobistas e esnobes. Tudo bem que hoje em dia estou longe de ser a pessoa que era naquela epoca, mas as primeiras intencoes, nesse caso, ficaram.

Ateh que ha uns 6 meses tras o Aaron viu uma promocao da Ryanair pra Pisa. Vamos?

Entao o tempo passou, e nesse fim de semana voltamos pra Toscana para passar o fim de semana.

Voamos Londres – Pisa, onde passamos a primeira noite e algumas horinhas do sabado de manha pra ver a torre. Logo depois encaramos um trem regional e 50 minutos depois, lah estava eu, novamente na Stazzione Santa Maria Novella.

Foi incrivel como em questao de segundos eu jah lembrava o caminho a seguir, que ruela pegar pra cortar o caminho, e entao me dei conta de como fui sortuda de ter tido a oportunidade que tive.

A ficha soh caiu quando ao voltar da Piazzale Michelangiolo depois do por do sol, e lembrando de todos os atalhos, fomos andando ateh minha antiga casa – um predio tipicamente Fiorentino, antigao, com uma porta gigante de madeira e janelonas com flores na sacada, e o Aaron, no auge de seu Americanismo-novo-mundo soltou uma “UAU”! Voce jah morou aqui?!”.

E entao me dei conta de que sim, jah morei ali. Sei como eh subir as escadas antigas de madeira, gastas pelos anos num predio tipicamente Toscano, como eh sentar nos degraus da Piazzale Michelangiolo no por do sol com os amigos, assistir os artistas de ruas na Ponte Vecchio, aprender sobre arte Renascentista direto na fonte e saber andar pelas ruas sem precisar de mapas.

E eu tambem sei que esse post esta piegas pacas, mas voltei pra casa no domingo com uma nova paixao por Florenca. E sendo muito, muito grata pelos apertos que jah passei na vida, que me ajudam a dar valor pela pessoa que sou hoje em dia.

Entao nos proximos dias vou baixar as fotos e preparar os posts com dicas insider de Florenca – que nunca tinha feito!

Alem de me preparar para uma semana intensa de dieta! Serio! Como se come bem naquele lugar! Ainda bem que morei por lah pouco tempo, e agora passamos apenas um fim de semana! Afinal nao eh normal comer sorverte de Nocciola 3 vezes por dia (alguem me explica porque nao vende nocciola em outros paises?!?!), gofre com nutella mais 1 ou 2 vezes, almocar pizza e jantar pasta, regado a vinho Chianti e Lemoncello!

Categorias: Florenca, Italia, Pessoal, Pisa, Viagens, Viagens pela Italia
20
13
Jun
2004
Pisa
Escrito por Adriana Miller

A terra de Galileu Galilei, é famosa mundialmente por sua torre inclinada.
Sua construção começou em 1.173, e quando a construção chegou no terceiro nível de colunas (num total de oito), ela começou a inclinar. A inclinação hoje em dia é de 5 metros em relação ao eixo, e piora uma media de 1mm por ano.
A torre foi fechada para visitações durante toda a década de 90 (reaberta em 2001), quando arquitetos do mundo todo tentaram achar uma solução p/ sua inclinação.

A cidade em si tem apenas meia dúzia de atrações, e a torre é sem duvidas a espinha dorsal da cidade. Nós fizemos o passeio completo em algumas horas… e na falta de opção voltamos p/ Firenze p/ tentar escapar do calor que assola o país.
Quando estávamos caminhando pelas ruas em direção ao centro histórico, ver a torre pela primeira vez, e ver que ela realmente É inclinada, ao lado da catedral de mármore branco e o céu incrivelmente azul, parecia um cenário. Achei que quando chegássemos lá, ia ser um grande cartaz de papelão com uma fotografia… Hehehheh! Foi emocionante!


Claro que não podia faltar o momento “Sou-turista-mesmo-e-daí?!”, então tiramos fotos empurrando a torre, segurando a torre, puxando a torre, carregando a torre nas costas… Paguei todos os micos que tive direito! Mas a policia chegou, nos expulsou da grama e acabou com a diversão….

A única coisa que me surpreendeu foi a ausência de “monumentos” em homenagem ao “Pisense” mais famoso, Galileu Galilei. Achei que iam ter altos museus, estátuas, nome de praça, nome de escola elementar…. Nadinha… Tudo bem que ele não passou sua vida lá, e está sepultado na igreja da Santa Crocce em Firenze, mas mesmo assim, podiam ter feito uma homenagem p/ ele…

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Pisa, Viagens, Viagens pela Italia
0