15
Apr
2009
Guia de Veneza – Na Pratica
Escrito por Adriana Miller

Oquei, jah falei de Veneza, que adorei a viagem, nos divertimos horrores, foi tudo lindo e belo, etc. Mas Veneza eh um lugar dificil de viajar!

Como tinha falado ha uns posts atras, nos deixamos pra reservar tudo de ultima hora, e como era feriado prolongado de pascoa (na Europa toda) tudo estava lotado (e realmente a cidade estava um inferno de tao cheia)!

Sobraram poucas opcoes de hoteis, e nao estavamos dispostos a pagar nenhum preco absurdo por um quarto caindo aos pedacos.

Entao nossa melhor opcao foi se hospedar em Mestre, que eh a cidadezinha que fica logo depois da ponte que separa Veneza do continente. Porem, cometemos um grande erro, e ao escolher o hotel, queriamos um que oferecesse o melhor custo/beneficio e focamos na distancia, em kilometros, do hotel e Veneza. Sem saber da roubada que estavamos prestes a nos enfiar, acabamos reservando um hotel em “Malcontenta” (devia ter desconfiado do nome…), que teoricamente eh em Mestre, mas nao eh (aliais, jah cometemos o mesmo erro tantas vezes, e ainda nao aprendemos!). Ou seja, apesar de fazer parte de Mestre, nao fica no centrinho de Mestre, fica um pouco depois, oque significou poucas opcoes de transporte e varias facadas em taxis nao planejados e caminhadas apavoradas no meio do nada no meio da noite.

Ainda defendo a ideia de que se hospedar em Veneza pode vir a ser tao roubada quanto. Cada vez que nos metiamos num beco sem saida e davamos de cara com um hotel escondido num predio caindo aos pedacos, riamos de nos mesmos pensando “viu, podia ser pior. Nosso hotel poderia ter sido esse ai!”.

Veneza eh um labirinto, e acho praticamente impossivel, um turistas recem chegado na cidade conseguir se virar e achar tranquilamente seu hotel. Lembrando que a cidade nao tem taxi, onibus, etc, etc e de noite, as ruas nao tem iluminacao e nenhuma viva alma pra te dar informacoes.

Se vc fizer muita questao meeeesmo de ficar em Veneza, meu conselho seria ficar bem pertinho da estacao de trem, ou bem nos arredores da San Marco ou do Rialto.

“Onibus” aquatico – Vaporetto – cruzando o Grande Canal

O “ponto” do Rialto, e dentro do Vaporetto

Como essas sao os pontos principais da cidade e ficam nas margens do Grande Canal, existem os onibus e taxis aquaticos, com servico 24 horas, bares e restaurantes, e sempre tem algum ambulante pra te dar informacao.

Porem obviamente, como eles nao sao bobos nem nada, sao justamente esses hoteis que sao os mais caros tambem.

Na minha humilde opiniao, Mestre eh de fato a melhor opcao pra hospedagem em Veneza. Otimas conexoes de trem e onibus com os dois aeroportos de Veneza (Marco Polo eh o principal, e o de Treviso eh o tipico “aeroporto enganacao” da RyanAir), fica a 10 minutos da estacao de Veneza com infintas opcoes de onibus e trens a cada 2 minutos. Alem disso, por estarem fora do centro historico, os hoteis sao bem mais baratos e em muito melhor estado, mais limpos e modernos.

A multidao no feriado, e o engarrafamento de Gondolas pra passar em baixo da ponte dos Suspiros – programa de indio na certa!

Essa questao dos aeroportos eh complicada. Teoricamente Veneza tem dois: o Marco Polo e o Treviso. Porem o Treviso nao eh em Veneza, eh em Treviso! A diferenca eh que Treviso fica a 1 hora de Mestre, vive quase que exclusivamente dos voos da RyanAir e por isso as passagens custam em media1/3 do preco de uma passagem pra Marco Polo. Jah a EasyJet voa pro Marco Polo, e como era de se esperar as passagens (pelo menos pra essa feriado) custavam literalmente 5 vezes mais.

Mas apesar da distancia achei bem tranquilo voar por Treviso. Existe um servico de onibus, barato e confortavel que te leva diretamente ao centro de Mestre ou a estacao central de Veneza. Mas demorar 1 hora, e eh uma dor de cabeca a mais. Se vc voar por Marco Polo ele jah esta em Mestre e tem ateh servico de barco diretamente pra praca San Marco.

Comer na Italia eh uma maravilha, com a excessao de Veneza! Ateh nos deram varias dicas otimas, mas todas impossiveis de achar no labirinto de Veneza. De fato acredito que seja possivel comer muito bem por lah, mas isso exige paciencia e perseveranca, que nao foi nosso caso. Na primeira noite, caimos numa roubada, comi uma as piores lasanhas da minha vida, um vinho que imediatemente me deu dor de cabeca, e praticamente fomos expulsos do restaurante pois precisavam desocupar a mesa para os proximos clientes.

Sentar no sol num cafe bebendo um capuccino nao tem preco! (mas em Veneza custa em media de 3 a 5 euros!)

Gelatto di Nocciolla – a minute on your lips, forever on your hips!

Na noite seguinte, quando a fome bateu, voltamos pra Metsre e entramos no primeiro restaurantezinho que encontramos, e comi a melhor pizza 4 queijos do universo. E o resultado ainda foi uma conta 1/3 mais barata qua a noite anterior em Veneza.

Ateh mesmo o sorvete servido em Veneza eh inflacionado e as bolinhas reduzidas! Nao deixa de ser delicioso, mas nao se compara com os cones gigatescos servidos em Florenca, por exemplo…

Bem, eh isso. Quem tiver mais dicas de restaurantes, hoteis e experiencias (boas ou ruins) em Veneza, contribuam!

 

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Italia, Veneza, Viagens, Viagens pela Italia
15
14
Apr
2009
Veneza
Escrito por Adriana Miller

Veneza eh uma daquelas cidades que a de primeira, voce AMA ou ODEIA. Eh um lugar fascinante, como poucos no mundo, por ser tao unica. Por mais que existam varias outras “little Venices” pelo mundo, Veneza, soh Veneza.

Lah tudo eh muito. MUito velho, muito bonito, muito feio, muito charmoso, muito lotado, muito caro, muito, muito, muito. Na minha primeira viagem pra cidade, em 2004, tinhas tantas, mas tantas expectativas que no fundo no fundo fiquei decepcionada. Nao sei explicar porque, mas ainda dentro do aviao sexta a noite comentei isso com o Aaron, jah tentando prepara-lo com oque vinha pela frente.

Entao sabdo de manha, quando finalmente atravessamos a ponte e chegamos na estacao de trem, com a cidade ainda sob uma neblina fortissima, foi como se estivesse chegando numa cidade completamente diferente! Como as imagens na minha memoria eram decepcionantes, minhas expectativas estavam tao baixas, que a primeira visao de Veneza foi como se estivesse num universo paralelo.

Na verdade foi exatamente igual, porem dessa vez, tudo que me pareceu velho e mal cuidado, de repente se mostrou antigo e charmoso. Jah o Aaron que estava chegando na cidade pela prmeira vez adorou tudo, e como ele mesmo disse, pra onde olhassemos tinha um detalhe, uma janela, um varal, um cafe, uma velinha, um canal, uma ponte…. alguma coisa que era sensacional.

A cidade eh toda TAO velha, que chega a parecer que tudo foi posto ali de proposito. Que as pinturas foram cuidadosamente descascadas da parede, que os tijolos forem propositalmente exposto, e que o verde da agua foi manualmente pintado.

A cidade, por ser uma ilha (na verdade eh um arquipelago, formado por varias ilhas, milhares de canais e centenas de pontes) eh totalmente livre de carros, onibus ou qualquer outro meio de transporte que nao seja seus pes. Para distancias mais longas, existem os “vaporetto” que sao os onibus aquaticos, ou os taxis aquaticos, ou as gondolas (que na verdade nao sao meio de trasporte, e sim um passeio). Nos fizemos tudo a peh. Chegamos a cogitar andar de gondola, eu tentei negociar com varios gondoleiros e tal, mas em feriado prolongado, com a cidade lotada do jeito que tava, nao teve jeito, e nos recusamos a pagar 80 euros por um passeio de 30 minutos. Ha quem considere o passeio de gondola indispensavel, mas pra mim existem outras maneiras de conhecer a cidade sem ir a falencia!

A formacao de ilhas principal, que forma Veneza eh dividia nas regioes de San Marco, Dorsoduro, San Paolo, Santa Croce, Carnareggio e Castello. Em volta de Veneza tambem estao varias ilhas, e entre as mais conhecidas estao Giudecca, Lido, Murano e Burano.

Alem da cidade em si, os pontos turisticos mais famosos sao a Piazza San Marco com sua Basilica Bizantina espetacular, Palazzo Ducale e sua Ponte dos Suspiros, Peggy Guggenheim Museo, a Gallerie della’Accademia e a Basilica Santa Maria della Salute.

A Basilica de San Marco foi inicialmente contruida em 828 d.c. para guardar o corpo canonizado de Sao Marco, mas foi destruida por um incendio logo depois, e reconstruida em 1094, a pedido do Duque Domenico Contarini que achava que a Igreja era muito simples em comparacao com algumas das igrejas espalhadas pela Italia. Entao, a Igreja que vemos hoje, teve sua contrucao iniciada em 1094 mas soh virou Catedral em 1807, e foi construida com arquitetura Bizantina e estrutura Ortodoxa Grega, com 5 cupulas e em formato de cruz, que na epoca imitava a Igreja dos 12 Apostolos de Constantinopla (hoje Instambul na Turquia, e a Igreja jah foi destruida).

O Palazzo Ducale fica bem do lado da Basilica, e era a residencia do Duque e das forcas armadas Venezianas alem de ser o palacio da Justica e a antiga prisao. O palacio foi contruido no seculo 9. A Ponte dos Suspiros (Ponte dei Suspiri) conecta o palacio (prisoes velhas) a Prisao nova, que foi contruida pra abrigar a quantidade crescente de prisioneiros que eram enviados a Veneza.

A Ponte dos suspiros eh cheia de lendas e mitos, mas “historicamente” falando, foi nomeada “ponte dos Suspiros” poie era o local onde os prisioneiros davam seus ultimos suspiros de liberdade antes de passar o resto da vida nos calaboucos da cidade. Porem hoje em dia, a nova lenda diz que o casal que se beijar em baixo da ponte dos suspiros, sera apaixonada para sempre!

A Ponte dos Suspiros estava toda coberta por tapumes de restauracao.

A Basilica da Santa Maria della Salute eh uma dos simbolos mais conhecidos da paisagem Veneziana. A Igreja que fica na pontinha da regiao de Dorsoduro, e quase de frente pra Piazza San Marco, foi construida em 1630 em honra a Virgem Maria, quem a populacao acreditava ter sido responsavel por ter salvado a cidade da peste negra que assolou a regiao no seculo 15. Por fora, a Basilica eh impressionamentemente trabalhada e enorme, sendo quase que impossivel, ver a igreja toda de uma vez soh. Dizem que ela foi contruida para ser admirada de longe, e nao de perto. Por dentro, eh um grande espaco aberto, com uma cupula enorme e cercada por pinturas que retratam Cain e Abel, David e Golias e Abraao e sua consciencia.  

 

A Ponte Rialto, eh a principal ponte de Veneza, e por muitos seculos foi a unica ponte que cruzava o Grande Canal. A ponte original era de madeira, mas foi reconstruida para abrigar um mercado, e paesar de nao ser uma “copia” a ponte Rialto segue o mesmo modelo de pontes da Ponte Vecchio em Firenze, e tinha um importante influencia no comercio da regiao. Hoje em dia a ponte eh repleta de lojinhas de bugingangas turisticas, e o famoso Mercatto di Rialto.

 

 

Mais fotos de Veneza AQUI

 

Categorias: Italia, Veneza, Viagens, Viagens pela Italia
21
08
Apr
2009
Dicas de Veneza
Escrito por Adriana Miller

Veneza eh uma daquelas cidades sem igual. Em qualquer parte do mundo voce vai se esbarrar em algum outro lugar que eh conhecido como “a Veneza do norte” a “Veneza do Oriente” a Veneza de nao sei onde. Mas Veneza mesmo, soh Veneza.

Eu soh fui uma vez, quando ainda morava na Italia e fiz uma das minhas viagens “tipicas”: em um unico fim de semana queria conhecer o maximo possivel, gastando o menos possivel, num espaco de tempo relativamente curto. Entao no mesmo fim de semana fiz Peruggia, Assisi, peguei um trem noturno e domingo de manha (chegamos tipo, 4 da matina!!!) estavamos lah, com a cidade ainda deserta… soh nos e os pombos… Andei, andei, andei por umas belas 16 horas e de noite peguei outro trem noturno e voltei pra casa!

Esse fim de semana voltarei a Veneza, quase 5 anos depois, com o Aaron que vai conhecer a Italia pela primeira vez. Nao vamos passar o feriado inteiro da Pascoa, porque as passagens estavam ridiculamente caras, entao por muito tempo ficamos na duvida se valia a pena viajar ou nao… mas no assunto “feriados” o dilema aqui na Inglaterra sempre eh grande, porque se vc nao aproveitar cada um deles, jah era… depois soh ano que vem!

Acabei achando uma super promocao na RyanAir (Pobre Air pros intimos) por 1,99!!! Obvio que ainda entram as taxas e impostos, bla bla bla. Mas mesmo assim ainda muito barato. O truque foi que viajaremos soh na sexta de noite (a maioria das pessoas viaja na quinta a noite ou sexta de manha) e voltamos segunda de manha (a maioria das pessoas volta na segunda de noite ou na terca de manha) entao por viajar fora da hora do rush do feriado, conseguimos um mega deal!

Hospedagem tambem eh um problema serio em Veneza (na minha primeira viagem dormi na estacao!), pois a qualidade nao eh proporcional aos precos… A ciadade eh bem apertada e super velha, entao os hoteis sao carissimos, com qualidade bem baixa (a nao ser que vc realmente vah pagar MUITO caro!). Ai soma o fato do feriadao, bla bla bla. Ou estavam todos lotados, ou sairiam mais caro doque todo nosso orcamento de viagens do ano!

Lah fui eu catar albergues e hoteis na internet e acabei achando varias otimas opcoes com desconto no www.Booking.com . Resolvemos nao ficar dentro de Veneza (Ilha), entao ficaremos num hotel na cidade de Mestre, que he literalmente do outro lado da ponte, e fica a 5 minutos da estacao central de Venezia.

Pratico nao eh. Bom mesmo seria ficar num 5 estrelas bem na Praca Sao Marcos  com uma varandinha de frente pra Basilica…. Maaaaas…. Entre quantidade (de viagens) e qualidade, adivinha qual eu escolhi?!

Quando voltar faco um mini roteiro, dicas, links e afins. 

 

Categorias: Feriados e afins, Italia, Veneza, Viagens, Viagens pela Italia
11
06
May
2004
Um loooongo fim de semana…
Escrito por Adriana Miller

Nesse fim de semana passei 38 horas em viagem…Começou as 8 horas da manhã de sábado e só acabou a meia noite de domingo…
No sábado fomos com a escola p/ as cidades de Asissi e Perugia.
Asissi é famosa por seu caráter religioso, pois foi aqui que São Francisco de Assis (Asissi = Assis) fez sua fama. Meus conhecimentos sobre os santos católicos não são muito profundos, portanto se alguém quiser contribuir será bem vindo!
A cidade é linda, bem no estilo medieval e cercada por uma muralha de pedra, pois o papa (em 1200 e alguma coisa) queria impedir que as peregrinações p/ a cidade fizessem com que ela crescesse mais do que devia. A principal igreja é a de San Francesco, e é linda! Toda pintada, de cima a baixo, contando fatos da vida de San francesco e algumas historias da Biblia. E essa igreja tb é famosa pq não se pode falar lá dentro. Nada, nadinha… nem cochichar no ouvido! E tinha um guardinha que ficava tomando conta e mandando todo mundo calar a boca. Aparentemente pq essa igreja é “exclusiva” p/ orações, então quando alguém abre a boca lá dentro, deverá ser exclusivamente p/ rezar. Mas não é bem assim que a banda toca não… Essa igreja parece uma filial catolica da Disneyland: a cada dois passo tem uma lojinha vendendo souvenir da San Francesco ou alguma cestinha pedindo doações…


Depois do almoço fomos p/ Perugia; Perugia é a capital da região da Umbria, e é muito conhecida por ter uma das universidades mais importantes da Itália, com excelência no ensino de Italiano p/ estrangeiros. Portanto a cidade é cheia de gente jove, de tudo quanto é parte d mundo! Mas o tempo virou completamente! Começou a chover torrencialmente (tive que comprar um guarda-chuva, pq não tava dando!),e a fazer muuuuito frio! Estava fazendo 5 graus!!! O vento gelado entrava por todas as frestas e costuras da roupa. Não agüentei, achei que ia pegar uma pneumonia, se lá…. entrei numa loja e comprei 3 blusas, e já sai de lá com elas (as 3) no corpo!
Portanto não conheci muito da cidade… passei quase a tarde toda num café, tomando chá de morango (muito chique!!!).
De lá mesmo pegamos um trem noturno p/ Veneza.

Os trens noturnos são a maneira mais comum (e mais barata) de se viajar pela Europa, e portanto são alvo fácil de ladrões, e vigaristas em geral. Não tivemos grandes problemas, tirando o fato de que a Adriana canadense ficou dando papo p/ um Italiano (que devia estar muito cheirado!) e disse p/ ele de onde nós vínhamos, e depois disso ele ficou me perseguindo pela estação gritando “Brasiu! Siu! Siu!”! Seria engraçado se eu realmente não tivesse ficado assustada, e se não estivesse quase morrendo congelada – logo, sem um pingo de bom humor!
A viagem em si foi tranqüila, mas o trem é extremamente desconfortável! As poltronas são em ângulo reto! 90 graus exatos! E no vagão que fomos, as poltronas eram uma de frente p/ a outra, mas o espaço entre elas deve ter sido feito p/ alguém cujas pernas são metade do comprimento das minhas, e p/ piorar o meu lugar era de frente p/ o Greg, que ficava muito sem graça e roxo de tão vermelho cada vez que eu dava uma joelhada nele! Então não deu nem p/ tentar me ajeitar…
Chegamos em Veneza as 5:30 da manhã, tomamos café na estação, e esperamos clarear.
Quando chegamos na praça San Marco, não tinha ninguém! Uma delicia! Foi muito antes dos trocentos milhões de turistas chegarem! Só nós e os pombos! Fizemos até um filminho no estilo “propaganda de perfume Chanel”, ou como nos filmes de romance, onde um casal apaixonado corre de encontro ao outro, e os pombos voam, eles se encontram, se beijam e são felizes p/ sempre… Hahahahahaha! Muito engraçado!


Não andamos de gôndola pq era absurdamente caro! Em vez disso pegamos um “Vaporetto”, que é o transporte publico de Veneza, e é quase a mesma coisa; e de quebra ainda conhecemos um Australiano maravilhoso, mas que infelizmente estava indo embora p/ Roma.
Passamos o dia todo andando pelas ruazinhas e canais, nos perdendo e no achando. Um sonho… Conhecemos um monte de gente nas ruas, e tomando sol nas praças.
É engraçado como as pessoas de todas as partes do mundo ficam mais amigáveis quando estão viajando. Todo mundo vira seu melhor amigo em 5 minutos. Conhecemos um Canadense, filho de espanhóis que tinha acabado de voltar de Valencia (Espanha), e disse que a cidade é linda, um sonho, e que eu sou uma pessoa muito sortuda por ter escolhido estudar lá por um ano! Uhuuu!
Depois, quando não agüentávamos mais andar, pegamos o trem de volta p/ casa. Como se não bastasse, quando chegamos na estação onde devíamos fazer a “baldeação” p/ Castelraimondo, a porta do vagão onde estávamos não funcionava, e não conseguimos descer! Tivemos que descer na estação seguinte e ligar p/ alguém da escola ir buscar a gente!

Ah! P/ compensar a ultima viagem, eu tirei zilhões de fotos!!! E recebi mais algumas fotos-doação de Firenze.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Assisi, Perugia, Veneza, Viagens, Viagens pela Italia
4