12
Jan
2011
Les Ardennes
Escrito por Adriana Miller

Um dos problemas de viajar por Luxemburgo, é que por mais bonitinho que o pais seja, não dá pra ignorar o seu tamanho diminuto, e o fato de que não tem taaaanta coisa assim pra fazer.

Então no fim do primeiro dia na capital, ficamos no dilema sobre oque fazer no dia seguinte. Eu já tinha lido sobre a região norte do pais, lotada de vilarejos e castelos de conto de fadas, mas quando chegamos lá, pra minha decepção, descobrimos que é praticamente impossivel viajar pelo pais independentemente.

É frustrante, porque tudo é tão pertinho, e pra um pais Europeu, a falta de transporte publico, tours, trens  e afins pra algumas de suas regiões mais turisticas, parece meio absurdo.

Mas consegui convencer o Aaron que seria tranquilo dirigir por lá, e que não deveriamos desperdiçar um dia inteiro sentados no hotel… então o hotel onde estavamos nos ajudou a alugar um carro com GPS, e domingo cedinho pegamos a estrada rumo ao norte de Luxemburgo, na região Les Ardennes.

Les Ardennes é a região mais ou norte do pais (e ainda assim, a miseros 30 Km da capital…), conhecida por seus parques nacionais, florestas, vilarejos perdidos no meio do nada, lagos e  castelos.

Hoje em dia, são essas caracteristicas que atraem os turistas pra região, mas ha alguns seculos, essa mesma geografia garantia a segurança e independencia do pais – sua região montanhosa, com florestas densas, rios e lagos, dificultavam ataques e guerras, e no alto das colinas os Holandeses, Franceses e Alemaes (ou quem quer que estivesse govrnando no momento) construiam seus castelos e fortalezas.

A viagem realmente foi super tranquila, e apesar de algumas partes meio alagadas e outras tantas ainda congeladas, chegamos na região rapidinho.

Nossa primeira parada foi na cidadezinha Vianden, que é famosa por seus dois unicos atrativos: O primeiro é seu super castelo, no topo da colina e domina a paisagem da cidade.

O Castelo de Vianden é a principal atração turistica do pais todo, e foi interamente restaurado ha uns anos atras, e hoje em dia é possivel visitar o castelo por dentro, inclusive algumas slas e apartamento que foram restaurados para mostrar como era vida na região entre o seculo 11 e 14, e até mesmo a fundação do castelo, construido na base de uma fortaleza Romana.

O outros grande atrativo da cidade é o autor e poeta Frances Victor Hugo, que se refugiou em Vianden durante varios anos durante seu exilio durante a revolução Francesa.

Para mostrar que de “miseravel” sua vida não tinha nada, hoje em dia é possivel visitar a casa-museu onde ele morou e compoz algumas de suas obras.

De lá, o GPS nos guiou atravez de algumas fazendinhas e estradinhas minusculas até chegarmos na micro cidade Bourcheid, no lado oeste do Les Andernnes e que tem outro castelo.

O Castelo Bourcheid não esta tão bem conservado, nem é tão imponente quando o Vienden, mas ainda assim é lindo!

Infelizmente não tem muita coisa pra ver lá dentro, mas por tambem estar construido no alto de uma colina exatamente no meio do vale do rio Sûr, oque não faltam são vistas lindas do e para o castelo!

A cidade de Bourcheid é bem bonitinha mas por ser domingo estava praticamente as moscas! Segundo nosso guia de viagem, menos de 500 pessoas moram na cidade, que é puramente residencial, e tem o turismo como uma de suas grandes bases.

Nós tambem tinhamos planejado passar por outros vilarejos pelo meio do caminho, mas ficamos assustados com o nivel das aguas do Rios, com algumas estradas e pontes completamente interdidatas pelas enchentes, entnao preferimos não correr o risco de ficar atolado em alguma cidade de 100 habitantes totalmente fechada num domingo a tarde, e encurtamos nosso roteiro!

mas pra quem estiver de passagem pelo pais durante o verão, definitivamente valeria a pena alugar um carro e passar 1 ou 2 dias diringo pela região!

Categorias: Les Ardennes, Luxemburgo, Viagens
20
11
Jan
2011
Luxembourg City
Escrito por Adriana Miller

Luxemburgo foi uma surpresa agradabilissima em todos os sentidos da palavra.
O pais soh entrou no meu radar, quando por acaso achei uma passagem promocional da British Airways para fim de semana (ja que eh uma “ponte aerea” muito utilizada para negocios durante a semana), e fazendo uma pesquisa bem rapidinha, vi que a cidade parecia ser bem simpatica.

Oque nao me surpreendeu foi a dificuldade de char informacoes tursticas sobre o pais e sua cidade-capital (Luxembourg City)… a maioría dos guias de viagem colocam Luxemburgo como “anexo” de seus guias para paises mais populares, como Belgica ou Suica, e o pouquissimos blogs ou sites de viagem que sequer falam no pais, apenas o relatam de passagem.

E para completar ainda teve o pessimo clima que atacou a Europa ha umas semanas atrás, e Luxemburgo foi um dos paises mais afetados da Europa central, e eu ja estava considerando que a viagem provavelmente nao sairia dos planos.

Mas quando chegamos no aeroporto, logo me surpreendi com o terminal super moderno, e a avenida que liga o centro da cidade ao aeroporto parecia saida de um filme de ficcao cientifica em miniatura. Os predios super modernos, complexos empresariais com iluminacao de neon, arranha ceus de bancos de investimento… Eu nao sabia exatamente o que esperar, mas sabia que nao era aquilo!

Chegamos no hotel, sem cruzar pela parte historica, e a escuridao e chuva impediu que nos dessemos conta de onde estavamos! Mas na manha seguinte, acordamos com um sabado de sol, e vimos que nosso hotel tinha uma vista privilegiada pro vale central da cidade, e de cara eu soube que o fim de semana prometia!

Uma das cosias mais interessantes da cidade, eh que geograficamente, Luxemburgo foi contruida como um forte (parte da muralha ainda esta por lah) no alto de um morrinho, cercado de vales por todos os lados.
Dessa forma eles conseguiam avistar os inimigos que tentavam atacar a cidade, e se defendiam melhor lah do alto.

Hoje  m dia, a cidade cresceu para fora dos limites da muralha medieval, mas ainda eh dividida entre a Cidade Alta (Ville Haute) e Cidade Baixa (Ville Basse / Grund), que sao conectadas por Pontes e viadutos que dao a caracteirtica principal da cidade.

Na Haute Ville (cidade alta) eh onde esta o centro historico de Luxemburgo, e tambem sua parte mais comercial e turistica. O centro eh praticamente todo exclusivo para pedestres, com ruas cheias de bares e restaurantes charmosos e cafes e mercados se espalhando pelas pracas.

A “beirada” da cidade alta eh o “Corniche”, que eh uma palabra em frances muito usada para descrever a “orla” de uma cidade, ou ruas na beirada de precipicios – mas lógicamente, Luxemburgo nao tem mar, nem praia, nem litoral, as ruas que beiram a muralha da cidade antiga e teem a vista dos vales que cercam a cidade.

Entao uma das principias atracoes de Luxemburgo eh justamente o Corniche e sua vista, que a cada lado que vc vira tem um canto mais lindo que o outro!

E assim como na cidade alta uma das atracoes principias eh a vista da cidade baixa, lah em baixo a atracao principal eh a vista da cidade la em cima!

No Grund estao as casinhas tipicas mais bem preservadas, beirando o rio (que estava inundando algunas partes da cidade, por causa das chuvas fortes e neve derretendo nas ultimas semanas…) e que dao a Luxemburgo um ar que mistura a estetica da Suica com os canais da Belgica ou da Holanda.

E de quebra, eh impressionante ver as Pontes e os viadutos (muitos herdados dos aquedutos Romanos) la de baixo!

Uma pena que, a pesar de termos pego um tempinho razoavelmente agradavel, as semanas anteriores foram de chuvas fortes e muita neve, entao nao conseguimos passear por muitas das areas dos vales da cidade, que hoje em dia foram transformados em parques e jardins lindos!

Nos nos hospedamos no hotel Parc Belle-vue, que como diz o nome, tem um vista linda, e eh a versao “economico” do hotel Parc Plaza (que temu m perfil mais Business, e consequentemente mais caro).
Esse hotel foi realmente um achado, pois nao chega a ser um albergue nem pensao, mas pagamos apenas 50 euros por noite e de quebra ainda tinhamos a vista panoramica do vale (reservado pelo booking.com)!

A diaria nao incluia café da manha (que custava 20 Euros, e dispensamos!), mas na recepcao principal, eles temuma “cafeteria” permanente com mesinhas e afins, onde eh possivel usar Internet de graca, com uma maquina Nespresso, varios tipos de cha e croissants, disponiveis pros hospedes o tempo todo!

A pesar de ser um hotel bem basicao e sem frescura, o servico foi otimo, e eles ate alugaram um carro para gente no domingo! Ah! E sem falar no restaurante bem bom, com varios pratos tipicos da regiao (que varia do foundue e Raclete Suica aos mexilhoes Belgas) e um bar ixxxxperto, onde eu descobri que a cerveja com sabor de frutas de Luxemburgo eh MIL vezes mais gostosa que a cerveja Belga!

Definitivamente recomendo para quem for a Luxemburgo e nao quiser gastar muito, mas queiser ficar MUITO bem localizado!
O Parc Bellevue e Parc Plaza ficam a menos de 3 minutos do centro historico da Haute Ville.

Categorias: Luxembourg City, Luxemburgo, Viagens
19
10
Jan
2011
Luxemburgo
Escrito por Adriana Miller

Luxemburgo é o sexto menor pais da Europa – feito que parece quase impossivel! Como um lugar tão pequeno consegue ser um tão cheio de historia pra contar?!

Infelizmente Luxemburgo passa despercebido pela grande maioria dos turistas que pesseam pela região – pra começar que o pais mal aparece nos mapas (e geralmente seu nome não cabe no seu cantinho, entre outros gigntes Europeus) e apesar de ser facilimo viajar por Luxemburgo, nem sempre é tão facil chegar até lá.

A cias de low cost nem passam perto, as conexões de trem não são das melhores, e com vizinhos imã de turista como Holanda, Alemanha, França, Belgica… Acabam roubando sua atenção. Mas Luxemburgo é um lugar de conto de fadas – e com final feliz!

Sejam pelas colinas, os rios, os vales e os castelos! Ah os castelos!

O pais é um Grão-Ducado, onde o monarca regente não é Rei – herança do passado conturbado de invasões, guerras e dominio politico da Prussia, Alemanha, França, e por ultimo a Holanda, que após a divisão da area de Benelux, Luxemburgo ficou de “herença” pro sobrinho do Reio – o Grão-Duque, que então virou o titulo maximo e hereditadio do pais.

Outra herança dos seculos de invasões e diferentes dominios, são suas linguas oficiais: O Françes e Luxemburgues (Letzeburgesch), que é uma versão Alemãozada do Holandes, difiiiiiicil de pronunciar (não que Alemao de Holandes sejam faceis…) que caracterizam a diversidade do pais.

O Françes é a lingua oficial administrativa do pais, enquanto o Luxemburgues é a lingua mais falada.

Mas oque me surpreendeu mesmo foi a quantidade de gente falando Portugues! Aparentemente, os imigrantes Portugueses (e seus descendentes) são o maior grupo “etnico” entre as 500 mil pessoas que moram oficialmente em Luxemburgo, e o Portugues uma lingua nao-oficial tão falada quanto as outras.

Eu até tentei em vão praticar meu Françes (vergonhoso), mas nao fomos a nenhum lugar, nem fomos atendidos por ninguem que nao arranhasse umas palavrinhas em Portugues!

Passamos apenas um fim de semana no pais, que me surpreendeu pela quantidade de coisas e lugares pra ver e conhecer! E muitas, muitas fotos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Luxemburgo, Viagens
24