17 Feb 2012
27 comentários

Tune Hotel – Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur

China, Cingapura, Dicas de Viagens, Malasia, Xangai

Uma das melhores coisas de viajar sempre eh poder, volta e meia, voltar a lugares onde ja fui – eh sempre legal ver oque continua o mesmo, e tudo aquilo que mudou, evoluiu… melhorou ou piorou.

Dessa vez a viagem pra Asia nao incluiu Malasia no roteiro – mas ainda assim, gracas as maravilhas dos voos low cost, nao escapamos de passar pelo aeroporto de KL. Nao apenas 1, mas duas vezes em diferentes conexoes!

Na primeira vez que estivemos na Asia passamos varias vezes pelo Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur (Low Cost Carrier Terminal), que rapidamente virou sinonimo de tedio, calor, confusao e desorganizacao.

Cada uma das (muitas) horas que passamos no LCCT em 2008 foram altamente torturantes e nao sobrou nenhuma memoria boa pra contar historia.

Entao ao planejar essa nova viagem, mais uma vez as conexoes no LCCT foram inevitaveis, mas eu fiz de tudo pra reduzir ao maximo nossa estadia por la.

Ate que logo na primeira conexao me dei conta das maravilhas que os anos, o progresso e desenvolviemento do turismo pode levar a um lugar!

Em apenas 3 anos o aeroporto foi talmente transformado e reformado!

Oque antes era um galpao imundo com funcionarios despreparados e salas de espera torturantes, hoje em dia eh um espaco novissimo e arejado, com uma infraestrutura de fazer inveja a muitos aeroportos Europeus!

Balcoes de informacoes, uma area para check in que triplicou de tamanho (principalmente na area da Air Asia! O fim das filas!), um segundo andar (que nao existia!) que filtra a confusao na imigracao e seguranca, e uma area de embarque que incluiu inumeras lojas, cafes e restaurantes, free shop, farmacia, wifi gratis e estacoes eletricas para recarregar seu laptop ou celular enquanto voce espera seu voo.

Oque um dia era um espaco escuro e quente, com cadeiras de plastico desconfortaveis, hoje em dia tem todo o conforto imaginavel!

Sei que eh um comentario bobo, mas fiquei feliz de ter feito parte dessa “transformacao”, de ter sido uma entre os milhoes de turistas que passaram por ali e levaram o desenvolvimento e o progresso pra esse cantinho da Asia.

Me lembrei dos meus ultimos anos na faculdade de Economia, quando desenvolvi uma tese/monografia que falava justamente sobre isso: o desenvolvimento economico criado pela industria do turismo, e o poder arrebatador de transformar regioes e mudar vidas!

 

E entre as muitas melhorias no terminal LCCT de Kuala Lumpur outra novidade foi a construcao do hotel Tune, que tambem faz parte da gigante low cost Air Asia.

O Tune Hotel esta espalhado por varias partes da Asia e do mundo (inclusive tem um Tunes em Londres – depois falo dele com calma!) e tem o mesmo principio da Air Asia: conforto com baixo custo, entao voce soh paga pelo que precisa e vai usar.

Funciona assim: voce reserva sua noite no hotel, que eh o basico do basico – incluindo apenas o quarto/cama com banheiro.

Ai voce pode comecar a selecionar todos os “extras” que gostaria de ter. Oque vc acha que nao vai precisar nem usar durante sua estadia, voce nao paga.

Entao eu adicionei em nossa diaria alguns extras como: toalha e sabonete liquido, ar condicionado e internet wifi.

Algumas outras opcoes, como TV a cabo, secador de cabelos, telefone e cafe da manha, deixei de fora, pois sabia que nao iria usar.

O processo foi facilimo! Fiz a reserva com meses de antecedencia (assim que reservei as passagens entre Cingapura e Xangai!) e paguei tudo on line.

Chegando no LCCT, logo depois de recolher a bagagem tem um quarto “modelo” do Tunes mostrando como sao os quartos por dentro e ensinando como acha-los.

Do lado de fora do hotel, na area de ponto de taxis e onibus, basta procurar pelas placas do transfer do hotel (que nao eh de graca, mas custa 2 Ringgit, o equivalente a apenas 0,50 de US$). O transfer passa para recolher passageiros a cada 15 minutos e o transfer ate o hotel demora menos de 5 minutos.

Na recepcao do Tunes, recebemos nosso cartao-chave do quarto 9que tambem controla extras como ar condicionado, TV etc), o kit com a toalha e a senha da internet, e pronto!

O quarto, como era de se imaginar, era minusculo! Mas muito mais confortavel doque muito albergue e hotel 2 estrelas que ja fiquei pelo mundo!

A cama macia e confortavel, o banheiro novissimo, limpo e com um chuveiro potente!

Uma mesinha “bandeja” aos pes da cama e conexao de wifi que funcionou super bem!

E no dia seguinte, acordamos super cedo pra pegar o voo seguinte – nao precisamos fazer check out nem nada. Descemos na hora do transfer certo e em minutos chegamos no terminal de embarque.

Mais tranquilo, facil e economico impossivel!

 

Adriana Miller
27 comentários
06 Apr 2009
25 comentários

Culinaria Asiatica

Dicas de Viagens, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Vietnam

Uma das cosias que mais me deixou animada com a viagem pela Asia eram as comidas! As comidas asiaticas estao entre minhas preferidas (Japonesa e Vietnamita no topo), e queria poder provar alguns dos meus pratos preferidos in loquo e ver se a comida asiatica que se como do lado de cah, eh igual ao lado de lah.

Nos paises do Sudoeste Asiatico o arroz (os noodles sao feitos de arroz), vegetais e frutos do mar sao a base de tudo. Mas a base de tudo mesmo!

Na Tailandia o carro chefe eh o Pad Thai, que eh uma misturada de noodles, com vegetais e algum tipo de carne. Esta no menu dos restaurantes, no menu do McDonalds e nas barraquinhas de rua.

Pad Thai em Kao San Road

Como eu nao sou muito chegada em carne vermelha, me deliciei com as zilhoes de opcoes de pratos com vegetais e frutos do mar! mas o Aaron coitado, depois de poquissimos dias jah estava enjoado, e sonhando com umns globolos vermelhos escorrendo em seu prato…

Entao quanto eu me deliciava com as opcoes de comidas vegetarias (com sabor) e peixes etc, volta e meia o Aaron pedia um misto quente… um hamburguer, etc… O problema eh que as comidas ocidentais sao MUITO mais caras que as orientais, logicamente.

E alem disso eu sou totalmente viciada em pimenta! Sou daquelas que come comida mexicana com lagrimas nos olhos, de tanto tabasco, e me deliciei com o molho de sweet chilli! Soh nao colocava pimenta na sobremesa!

Alem das comidas de rua, e restaurantes, uma coisa que gosto de fazer quando viajo eh passear em marcados de rua e supermercados, e ver como eh a “vida real” dos lugares.

Na Tailandia nao foi diferente… As opcoes de Ice Tea sao infinitas (provei uns sabores bem esquisitos… como nao conseguia entender nada na embalagem, tambem nao sei oque bebi…), e ateh as batatas fritas sao “tipicas”!

Obviamente tivemos que comprar algumas pra experimentar! afinal nao eh todo dia que vc encontra batata Lays sabor “Squid com sweet Chilli”, “Algas marinhas” e “frutos do mar picantes”… O veredicto…? NOT! Apesar de terem todas mais ou menos o mesmo gosto, nao foram aprovadas…

E alem dos vegetais, outra coisa que me deliciava, eram as opcoes de frutas! Acho que soh apreciei tanto esse lado da Asia por estar a tanto tempo longe do Brasil e sentir falta de opcoes e variacoes de frutas frescas… com gosot de verdade! Por aqui soh temos banana prata, maca, laranja, pera, uva… Mas na Asia tinha mamao, melancia, abacaxi, vaaarios tipo de banana, agua de coco, manga, carambola, caju etc, alem das mais “exoticas” tipo Jaca, Fruta Dragao (que eh rosa pink for fora, e por dentro parece uma melancia branca… e muito sem gosto!), lixia, etc.

A cada barraquinha que passavamos eu queria tomar uma agua de coco, comprar uma manga no palito (que jah vem descascada, e sem caroco, num saquinho com palitos!), salada de frutas, etc…

Jah na Malasia, a “base” culinaria muda um pouco, com muita influencia da comida Indiana, currys etc.

Porem na verdade como a Malasia eh um pais Muculmano, eles nao comem carne de porco! Meu sistem adigestivo sensivel e fresco ficou taaaao feliz (atencao, o sistema digestivo eh fresco, nao meu paladar….). Aproveitei pra comer cosias que nunca posso comer no Ocidente, poqur geralmente sao feitas de carne de porco 9e eu sou muito alergica): comi pizza de peperoni (de vaca), cachorro quente de barraquinha de rua (de frango), hamburger com bacon (de peru defumado) etc, etc. Tudo muito bom! Nao sei comparar com a versao “original” feita de porco, mas acho que ia adorar morar num pais muculmano! mas com certeza ia ficar muito gorda! hahahahahahaha

O Vietnam era outro pais que eu sabia que ia virar foodie… Provei a culinaria Vietnamita pela primeira vez em Londres, e achava que seria tudo mais ou menos igual, mas me surpreendi muito!

A base ainda eh a mesma, de arroz e frutos do mar, porem numa versao mais fresca e mais leve.

Por exemplo, o “rolinho primavera de Hanoi” eh totalmente fresco, com ingredientes crus e nao eh frito. DE-LI-CIA!!!

Infelizmente acabamos no provando muitas variedades da culinaria local “autentica” porque o Aaron passou muito mal no nosso ultimo dia no Camboja, e nao conseguia nem chegar perto das barraquinhas de rua…

Mas na nossa ultima noite em Hanoi fomos num restaurante super bem recomendado pelo nosso hotel comer o “fondue Vietnamita” (que se nao me engano o nome eh Pha Lo, ou algo assim…), que alem de ser uma delicia, ainda foi uma experiencia a parte!

Eles servem na mesa um mini fogao eletrico, varios tipos de vegetais, tofu, tipos de noodles, e carnes. No centro uma “sopa” cheia de temperos e pimentas, borbulhantes. Ai de pouco a pouco vc vai mergulhando os vegetais na “sopa”, com os noodles, tofu, carnes etc, e vai comendo separado com os molhos de sweet chili e Shoyo.

 

 

O melhor da comida Vietnamita eh que vc come, come, come mas nao se sente explodindo, porque a comida eh muito leve e fresca…

A unica coisa que eu queria muito ter feito durante nossa viagem e que acabou nao dando tempo foi um curso de culinaria!

Mas tivemos que escolher nossas prioridades, e passear ganhou de 1000 a zero! Mas aprendi por observacao, e voltei pra casa cheia de conjuntos de chopsticks, molhos, temperos e pimentas, e qualquer dia desses faco uma noite Asiatica lah em casa!

 

 

Adriana Miller
25 comentários
23 Jan 2009
2 comentários

Clara como a neve

Bangcoc, Beauty Everywhere, Dicas de Viagens, Lua de mel, Malasia, Tailandia

Uma das cosias que mais me chamou atencao na Asia em termos de beleza foi a quantidade incrivel de cremes, pocoes, clinicas e promessas mirabolantes de produtos que prometem clarear a pele.

Mas nao eh um simples “eliminar de manchas” como nos estamos acostumadas nao, a industria de cosmeticos na Asia promete de deixar BRANCA.

Ele tem clareamento pra tudo: rosto, corpo, axilas, mamilos, etc. Fiquei boquiaberta!

Uma menina (Israelita) que conheci na viagem ateh comentou que o hidratente dela acabou e foi na farmacia comprar outro, e TODAs as opcoes eram pra clareamento, mas oque ela queria era justamente ficar bronzeada!

Principalmente na Tailandia (onde a populacao eh naturalmente mais escura doque os asiaticos do norte) e na Malasia (que tem muita influencia Indiana, que sao famosos pelos comerciais mais escabrosos de clareamento de pele e discriminacao) a coisa era sem nocao. Vimos muitas clinicas oferecendo mascaras de acido e tratamento com laser para retirada de melanina da pele. Saudavel nao deve ser!

E vi ateh uma mulher passando talco no rosto (dela e da filha) num banheiro enquanto retocava a maquiagem.

Asia TV

Um dos comerciais que vi na TV (sem entender nada, logico) era de um hidratante corporal, tambem para clareamento. A menina estava deitada em sua cama olhando para fotos das ferias na praia com os amigos e o namorado, toda feliz e contente. Ali ela olha para seu proprio ombro e ve uma marca de biquine, e fica horrorizada!

Entao ela descobre o tal hidratante, que imediatamente a deixa com uma pele estilo Scarlet Johanson, e ela volta a sorrir. Sai na rua toda serelepe e recebe varias cantadas.

Enquanto isso as Europeias se torrando no sol e aumentando as estatisticas de cancer de pele!

Adriana Miller
2 comentários
23 Jan 2009
12 comentários

Pronto!!

Camboja, Casamento, Dicas de Viagens, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Vietnam

Posts atualizados com fotos, mapas, etc. Assim fica mais facil dar nome aos bois entre as milhares de fotos… 

Estao todos lah, na categoria “Lua de Mel” ou por paises: Tailandia, Malasia, Camboja e Vietnam!

Afinal, jet lag tem suas vantagens (tenho acordado todo os dias as 3 da matina, entao fico copiando/colando fotos pra passar o tempo!).

 

Adriana Miller
12 comentários
22 Jan 2009
13 comentários

Higiene e Seguranca

Camboja, Dicas de Viagens, Lua de mel, Malasia, Tailandia, Vietnam

Ocidentais tem uma visao de que os Asiaticos sao sujos, pois comem na rua, fazem barulho pra comer, e comem coisas “estranhas” (como insetos, carrocho, etc), mas a impressao que tive eh que na verdade eles sao muito mais limpos doque os Europeus!


 

 

Vai uma baratinha frita?   


 

Ou uma agua viva seca?

 

Na vou entrar na discussao de que “gringo” nao toma banho, como os Brasileiros adoram falar, mas achei o cuidado com a higiene na Asia muito maior doque na Inglaterra por exemplo. Em viagens pra lugares diferentes, sempre temos que tomar certas precaucoes do tipo evitar beber agua da torneira, comer frutas sem lavar, comer coisas muito diferentes doque nosso estomago e intestino conhece, e fizemos isso tudo (depois que passei mal de se virar do avesso em Marrocos, nunca mais dou mole!).

Mas achei muito legal essa coisa de nao poder entrar nos lugares com sapato (lojas, restaurantes, hoteis), e as vezes eles deixavam sandalias “avulsas” que voce tinha que trocar antes de entrar no banheiro por exemplo, pra nao andar pelo templo/hotel com o mesmo peh/sapato que entrou no banheiro.

 

   

 

 

 

Um outro detalhe que tem em quase todos os restuarantes que fomos eh a toalinha quente/gelada que servem antes de colocar a mesa. E mesmo se vc recusar (porque as vezes nao gosto do cheiro da essencia que usam, ou jah tinha acabado de lavar as maos), eles insistem assim mesmo, pois acham super importante, estar “limpo” antes de comer.

Logo no primeiro dia passeando por Bangcoc me deparei com o banheiro “buraco no chao”, que tambem jah tinha visto em Marrocos e me lembrava do quanto fiquei chocada e enojada.

Realmente pra nos que estamos acostumados com privadas, e o banheiro da nossa casa esse tipo de banheiro parece uma coisa meio primitiva, que logo nos leva a pensar em sub-desenvolvimento e sujeira.

 

Mas depois de uns dias ateh me acostumei, pois em tudo quanto eh canto (tirando os hoteis) os banheiros sao assim.

E reparei tambem que no geral, eles eram bem limpos.

Entao, no Camboja os banheiros publicos de Angkor tinham as duas opcoes: coedental e oriental; respirei aliviada e fui no “ocidental”.

E nao eh que senti a diferenca?! O banheiro oriental eh MUITO mais confortavel!

 

Os leitores macho, me desculpem, mas teri que usar alguns detalhes na minha descricao…

Como mulheres nao “sentam” em privadas de banheiro publico, vc fica naquela posicao nem sentada nem em peh, tentando acertar sua mira (que eh sempre meio dificil, e nao eh atoa que banheiro publico eh sempre nojento!). Jah no banheiro Asiatico, a parada funciona direitinho pra vc encaixar os pes e conseguir agachar confortavelmente.

Por isso os banheiros publicos na Asia sao sempre (relativamente) limpos, e os ocidentais sao SEMPRE nojentos.

A unica coisa que realmente nao fiz, mesmo foi usar a descarga, que na verdade nao eh descarga, e sim um “tanque” de agua com um baldinho. Voce enche o baldinho e joga a agua buraco abaixo. Tenho muito nojo de pegar as coisas com a mao, e nao dava descarga. Quem era a nao-higienica, da historia? Eu, a ocidental da historia (em banheiros publicos que tem descarga normal, eu puxo descarga com os pes!).

Eu achei esse cartaz ai em cima muito engracado, mas nao eh que em alguns lugares eu vi marcas de sapato na tampa da privada?

Uma outra coisa que muita gente perguntou (principalmente minha familia!) eh sobre a seguranca de se viajar pela Asia.Na verdade os paises do Sudoeste Asiaticos sao super seguros. Mesmo nas areas mais isoladas, ou de muita pobreza, as pessoas nao tem essa cultura de violencia e agressao que existe no Brasil.

Em alguns paises, como a Malasia e o Vietnam, agredir ou ofender extrangeiros eh uma ofensa gravissima! Logico, eles sempre tentam te passar a perna e se dar bem, mas isso eh completamente diferente de ser assaltado, ou furtado, ou sofrer uma agressao.

Em cidades grandes como KL, Bangcoc e Hanoi, o seguro morreu de velho, e sempre eh bom ficar atento com carteira, bolsa, etc. Porem andavamos com a maquina no pescoco, carteira no bolso, etc o tempo todo, sem nunca nos sentir inseguros.

Uma mulher viajando sozinha nao seria exatamente ideal, pura e simplesmente porque a cultura deles eh super diferente na nossa, e querendo ou nao, uma mulher desacompanhada gera muita curiosidade. Nao acho que exista um perigo real, mas eh bom se prevenir.

Essa sensacao de seguranca foi uma das coisas que mais me fez pensar no Brasil durante a viagem. Andavamos pra cima e pra baixo de tuk-tuk, onibus, metro, andavamos de noite em lugares que nao conheciamos, em mercadinhos “camelodomos” etc, sem NUNCA sentir medo, ou inseguro. Isso eh uma coisa que nunca, jamais, aconteceria no Brasil. Entao pensei muito no quanto nosso pais tem a oferecer em termos de turismo, quantas oportunidades que nao sao aproveitadas, pura e simplesmente porque os turistas tem medo de ir pra lah.

Ao longo de nossas viagens conhecemos muitos outros viajantes/mochileiros etc, e quando eu falava que era Brasileira a reacao era sempre positiva. Isso vindo de pessoas que jah viajaram o mundo todo, jah pegaram trem noturno na India, carona no meio da estrada na Mongolia e muitas historias mas mirabolantes possiveis.

Mas quando eu perguntava “E o Brasil?” a resposta era sempre a mesma: morro de vontade, mas nao tenho coragem.

Ha uns anos atras o Brasil no exterior era sinonimo de: futebol, carnaval e mulheres. Agora eh sinonimo de Futebol, carnaval, mulheres (que por si soh tambem eh pessimo) e VIOLENCIA.

Todos tinham alguma historia de algum amigo do primo do tio do vizinho que foi ao Brasil e foi assaltado.

Oque eu podia falar numa hora dessas? Nada, neh?

Tive varias crises de “oque posso fazer pra ajudar a mudar essa situacao?”, mas infelizmente acho que nada…

 

No voo de volta pra Londres, fiquei toda animada que tinha na programacao um documentario da CNN sobre o cinema Brasileiro, novos diretores, e tal. Mas quando comecei a assistir, os proprios diretores Brasileiros, sendo entrevistados pela CNN internacional vendiam a imagem do Brasil como o “pais mais violento e perigoso do mundo” – pra vender mais filme sobre as favelas. Parecia que estava assistindo um documentario sobre Bagdad!!

Entao como podemos querer contruir hoteis, criar empregos, etc. se os turistas nao querem chegar nem perto?

Aff, desabafei! Foi mal, mas estava com isso na cabeca ha muito tempo.

Mas enfim, a conclusao eh que o Brasileiros partem do principio que por ser uma regiao pobre, a Asia deve ser perigosa tambem, porem nao eh. Felizmente no resto do mundo, violencia nao eh toleravel, e pobreza, ou menos acesso a certos privilegios nao eh desculpa pra fazer oque quiser e culpar a sociedade.

 

 

 

 

 

 

Adriana Miller
13 comentários
Página 1 de 3123