07 Jul 2010
10 comentários

Malta – As dicas praticas

Malta, Viagens

Enquanto escrevia os posts sobre a Croacia, me die conta que acabei nao terminando os posts sobre Malta!

Então as dicas finais serão as mais praticas, já que sempre me pedem dicas de onde ficar, onde comer, como se locomover em determinada cidade…

Nós ficamos hospedados no BayView Hotel, no bairro de Sliema, que é a baia bem de frente pra Valleta. O hotel é um 3 estrelas bem simples e simpatico; Zero luxos, mas com uma vista e localização invejavel!

Sliema é o bairro “orla” de Valletta, com varias opções de hoteis pra todos os gostos e bolsos. No Bayview, tinhamos vista pro mar e pra baia, caf´da manha, piscina (interna e externa) e estavamos a poucos metros do porto de onde saia o ferry que nos levou a Valletta.

Fiz minha reserva pela Booking.com, onde conseguimos um desconto bem bom!

Na nossa primeira noite lá fomos jantar no restaurante do hotel Waterfront, que nos foi recomendado por uma amiga que já foi muitas vezes a Malta. O restaurante não é nada exepcional, mas era a poucos passos do nosso hotel, e a comida realmente estava muito boa!

Em relação a transporte, a grande maioria das pessoas que vão pra Malta preferem alugar carro, porque realmente é a melhor maneira de explorar a ilha de cima a baixo. Caso essa seja sua escolha, não esqueça que Malta é ex colonia Britanica, e portanto eles dirigem na mão Inglesa, oque pode ser bem complicado pra que não tem prática, ainda mais naquelas estradinhas estreitas…

Então nós optamos pela opção mais cimples e barata: transporte publico!

Como ficamos hospedados em Sliema, usamos muitas vezes o ferry que cruza a baia, que além de demorar cerca de 5 minutos pra fazer a travessia aidna custa apenas 90 centavos de Euro!

Dentro das cidadezinhas e bairros não tem misterio: pé! Seu melhor transporte será um par de sapatos bem confortavel!

Mas se por acaso voce se cansar no meio do caminho, existem outras opções – apesar de não ser permitido a circulação de carros dentro da parte antiga da cidade, o transporte pode ser feito por carruagens (que são chamados de “Taxi-cavalo”) ou então os mini taxis feitos de carrinhos de golf! Pequenos o suficiente pra cabaer nas ruas estreitinhas e ecologicamente correto!

Mas tambem pegamos onibus, aqueles tipicos e super antigos que circulam pela Ilha.

Os onibus são super eficientes e baratos (45 centavos de Euro cada viagem!), com muitas opcoes de rotas e bastante frequentes. O unico problema é que apesar da ilha ser pequena, as distancias são relativamente grandes, com estradas estreitas e montanhosas… e acaba demorando muito pra chegar de um lugar pra outro.

Pra chegar até lá nós voamos Ryanair, com passagens compradas meses de antecedencia, saindo do aeroporto de Luton (mas se não me engano, eles só voam pra Malta no verão),

Mais fotos de Malta AQUI.

Adriana Miller
10 comentários
16 Jun 2010
4 comentários

Tres Cidades – Vittoriosa, Senglea & Cospicua

Malta, Viagens

Como nosso tempo “util” em Malta foi muito corrido, queriamos poder conhecer o maximo possivel, sem gastar muito tempo rodando pela ilha, entao nosso segundo destino depois de Valletta foram as “Tres Cidades”, que sao as tres cidades interligadas do outro lado da baia de Valletta.

As “Tres Cidades” sao: Vittoriosa, Senglea & Cospicua, sendo que Vittoriosa eh a princial delas, enquanto que Senglea eh a mais populosa (a cidade mais densamente populosa do pais, com exorbitantes 3.500 habitantes!!!).

Vittoriosa foi um dos principais estabelecimentos do Cavalheiros de Sao Joao na ilha, apos a vitoria sobre os Turcos Otomanos e dominio da ilha. Como a antiga capital Otomana (Mdina) era no centro da ilha, os Cavalheiros resolveram criar uma nova cidade, perto do mar jah que grande parte de sua estrategia era justamente sua forca naval. E como eles venceram a batalha, nada mais apropriado doque chamar a cidade de “vitoriosa”, certo?

Birgu, que eh o nome oficial em Maltes da cidade tem como atratico principal suas inumeras Igrejas, quase todas construidas em homenagem aos Cavalheiros que morreram em combate. E assim como Valletta a cidade eh um emaranhado de ruelas, becos, entradinhas e pracas cercadas de flores e varandas coloridas.

Mas oque eu gostei mais mesmo foi a area do porto, que fica bem na baia central entre as 3 cidades, lotados com iates monumentais e muitos dghajsa e luzzu que sao os tradicionais barcos coloridos de pescadores Malteses.

Nos circulamos a baia inteira a pe, passando por Cospicua (que eh a cidade que esta na “base” das duas penisulas que formam Vittoriosa e Senglea), e de lah seguimos em direcao ao portao de entrada de Senglea, que eh uma cidade fortificada.

Senglea era uma especia de cidade “residencial”, e portanto nao tem tantos “atrativos” turisticos como Valletta e Vittoriosa. A cidade tambem eh conhecida como “Civitas Invicta” por nunca ter sido rendida nem invadida pelos Otomanos.

A vista do porto entre as duas penisulas visto pelo lado de Senglea eh anda mais bonito e colorido do que em Vittoriosa, principalmente por ter mais Luzzus coloridos que fazem de qualquer angulo um cartao postal!

No final do emaranhado de ruelas e pracas e igrejas, estao o Forte/jardim “Gardjola” e sua famosa gaiola de pedra.

O forte oferece vistas privilegiadas de Valletta e Vittoriosa e da entrada da baia no mar Mediterraneo; mas a atracao principal do forte eh a gaiola propriamente dita.

A Gaiola (Gardjola) foi esculpida com varios simbolos usados pelos Cavalheiros como sinal de protecao: Orelhas, olhos e a gaivota, alem de inscricoes em latin que asseguram que a populacao da baia pode descansar tranquila, pois nenhuma forca do mal jamais conseguirar aproximar a costa Maltesa sob a guarda dos Cavalheiros.

Chegar nas Tres Cidades foi bem facil: pegamos um onibus na estacao central de Valletta que em menos de 20 minutos nos deixou no portao principal da Muralha de Vittoriosa, e de resto fizemso tudo a peh. Pra voltar, pegamos outro onibus do lado de fora do portao principal de Senglea que nos deixou novamente no cenro de Valletta.

Adriana Miller
4 comentários
15 Jun 2010
10 comentários

Valletta

Malta, Viagens

Valletta eh a capital de Malta, e tambem a cidade maisa ntiga do pais. A historia do pais eh diretamente linkada a historia da cidade, jah que uma levou a outra.

Valletta vista de Sliema

Eh uma historia complicada, envolvendo religiao, guerras, invasoes, destruicao e construcao – e o nome Valletta foi dado em homenagem ao Jean Parisot de la Valette que foi um dos Cavalheiros de Sao Joao e que liderou a votoria dos Cavalheiros contra a invasao Otomana no seculo 16.

Entao nao eh nenhuma surpresa que tudo em Valetta (e Malta como um todo) esteja tao ligado as Cruzadas e aos Cavalheiros de Sao Joao. Afinal foi ali na ilha que eles se estabelecaram apos as conquistas em Jerusalem e oriente medio. A ilha entao virou cidade-base dos cavalheiros e o pais inteiro foi praticamente construido por eles.

Porem a Valletta que vemos hoje ainda esta em processo de recuperacao e reconstrucoa depois da Segunda Guerra Mundial! Tai uma coisa que eu nao sabia, mas Malta foi o pais mais bombardeado da Europa durante a guerra, pois oferecia uma posicao estragegica e privilegiada para os Alemaes que queriam infiltrar o Oriente medio, mas o pais nao se rendeu facil!

A cidade tem todo um emaranhado de construcoes subterraneas onde a populacao se escondia durante os bombardeios, a apesar dos estragos, Malta teve um dos menores indices de mortes nao-militares durante a guerra. Porem a populacao acabou se entregando, pois apesar de bem protegidos, a comida, agua potavel e suprimentos acabaram antes do fim dos conflitos…

Mas apesar das marcas da guerra (que nao sao tao visiveis assim) nos ultimos anos Malta tem se tornado o novo paraiso mediterraneo da Europa atraindo turistas o ano todo, e investimentos sem fim apesar da crise.

Seu clima eh provilegiado o ano todo, a cultura hospitaleira, a culinaria que uma mistura de Arabe com Italiano com Maltes (o prato carro chefe do pais eh carne de coelho) e a lingua apesar de ser oficialmente um complicada mistura de Arabe com Italiano (Siciliano), a populacoa eh praticamente 100% bilingue em Maltes e Ingles – resultado das muitas decadas sob dominio Britanico.

Isso faz com Malta tambem tenha se tornado um otimo destino de ferias-estudos pra estudantes de toda Europa (e do mundo) que querem estudar Ingles mas sem encarar o clima ou os custos Britanicos!

O Ingles esta longe de ser perfeito, o sotaque eh meio complicado, mas eh uma otima opcao pra quem quer/precisa aprender a lingua mas nao quer/nao pode morar na Inglaterra (ou EUA, Australia, Canada e afins).

Pra completar a fase boa do pais, Malta foi oficialmente incorporada a Uniao Europeia em 2004 e jah incorporou o Euro como moeda oficial em 2008.

Ou seja, eh muito facil viajar em Malta!

Mas voltando a Valletta, nos tinhamos muito pouco tempo por lah, mas mesmo assim queriamos aproveitar o maximo possivel. mas a verdade eh que nao precisamos de muito mais que 1 dia!

A principal atracao de Valletta eh simplesmente Valletta! As ruelas escondidas, a arquitetura Barroca, as varandas (as varandas!), as igrejas e a vista!

O melhor lugar pra comecar o passeio eh sem duvida Sliema, que eh o “bairro” que fica do outro lado da baia de Valletta e de onde temos a visao privilegiada de cartao postal da cidade!

Nosso hotel ficava bem ali, na rua The Strand (a avenida beira-mar de Sliema) e apenas tivemos que pegar o ferry que liga as duas cidades, que demorou cerca de 5 minutos e custou 93 centavos (de Euro)!

Entre as duas cidades esta a Ilha Manoel, qcom um forte que foi contrsuido para proteger Valletta e tambem pode ser visitado.

Dai pra frente foram horas e horas perambulando pela cidade. Nos comecamos o dia bem cedo, e encontramos uma Valletta praticamente particular! Ninguem nas ruas!

Andamos, andamos ateh o Forte Sao Elmo, onde funciona o museu da Guerra, e que tambem oferece otimas vistas da cidade!

De lah fomos para a Catedral de Sao Paulo, que eh a Igreja que dah Valletta sua silueta caracteristica – e que apesar de ter sido totalmente destruida durante a guerra, a Igreja que foi recuperada, e tem o interior mais iluminado e tranquilo que jah vi… pura paz…

Na mesma praca esta tambem o Auberge de Aragon – boa parte da cidade foi construida justamente com a intecao de servir como hospedagem a peregrinos e para as Cruzadas e seus cavalheiros. Eles cruzaram a Europa toda e ali se refugiavem a caminho da Africa e do oriente.

Mas a grande maioria das atracoes de Valletta estao ao longo de uma unica rua, a Rua Republica, que cruza a cidade inteirinha e onde estao o Grande Palacio, a Praca da Republica e a Praca da Grande Invasao; E nos seus arredores estao tambem a Praca de Sao Joao e a Co-Catedral de Sao Joao (que nao pdoe tirar fotos lah dentro, nem entrar de sapato alto!! Eles devem lucrar bastante em cima das russas!).

Uma outra area que descobrimos por acaso e que achei imperdivel sao os Jardins de Alta Barraca, que ficam praticamente de frente pro Albergue de Castilla e o Banco Central de Malta e tem uma vista privilegiada do outro lado da cidade e a baia com as penisulas que formam as “Tres Cidades” (proximo post!).

A vista panoramica das "Tres Cidades"

Uma outra cosia bem “diferente” que fizemos foi a estacao de onibus! Numa das extremidades da Rua da Republica fica uma dos portoes de entrada da cidade (que eh toda muralhada) e a estacao central de onibus do pais.

O interessante eh que a frota de onibus de malta eh muito antiga! A media eh toda da decada de 50 e 60 (pos guerra) e tem um design que parece carrinho de brinquedo! E oque tornam esses onibus ainda mais interessantes eh que daqui a pouco tempo eles soa existirao mais! O governo tem planos de usar a verba da Comunidade Europeia pra trocar e modernizar toda a frota de transporte publico do pais, e entao esses onibuszinhos vao virar peca de museu…

Passamos um total de umas 6 horas, sem parar um segundo, em Valletta; que por mais que definitivament enao tenha sido suficiente pra ver absolutamente tudo, foi mais uqe suficiente pra ver tudo de mais interessante que a cidade tem pra oferecer!

Adriana Miller
10 comentários
Página 1 de 212