24 Aug 2010
33 comentários

Kilimanjaro – Farmacia de emergencia e banho portatil

Kilimanjaro, Preparativos, Tanzania, Viagens

Eu ja comentei aqui sobre a farmacia que sempre levo comigo em viagens mais “exoticas”, e eh o tipo da coisa considerada desnecesario por muitos, e tirando uma unica vez que passei muito mal numa viagem (em Marrocos, e o Aaron passou muito mal no Camboja), sempre, sempre minha farmacinha volta intacta.

Mas eh aquela coisa neh, e eh melhor prevenir doque remediar, e o tipo de coisa que voce gasta dinheiro torceeeendo para ser dinheiro jogado fora e voce nao precisar usar nada doque esta levando.

Entao para a viagem pro Kilimanjaro nao poderia ser diferente.

E alem das vacinas que jah tomamos e dos remedios especializados que ja compramos (Diamox para Altitude e anti-Malaria), entraram na minha lista todos os meus itens normais que jah contei aquí e mais (muitos) outros.

Para comecar que essa vai ser a primeira viagem, mesmo, totalmente remota e no meio do nada. A primeira viagem em que passarei dias e mais dias no meio do nada. Sabe aquelas dicas basicas de bom senso do viajante, de evitar beber agua que nao seja mineral engarrafada, lavar bem as maos, evitar comer em lugares nao muito confiaveis, etc e tal?

Pois eh, nao teremos esse luxo.

Toda nossa comida sera fornecida e cozinhada localmente pelos guias, com ingredientes locais, agua local, panelas locais e afins. E imagino que nada muito fresquinho, pois vamos ficar uma total de 6/7 dias na montanha e nao imagino que o guia vai subir e descer todo dia para ir na feira comprar morangos e pao fresquinho pro nosso café da manha.

A comida eh (supostamente) boa, saudavel e balanceada, com padroes de aceitacao “internacional”, ja que eles estao acostumados com turistas Europeus e nao vao dar mole de deixar o grupo todo doente, que alem de dar o maior preju, ainda vai queimar o nome da empresa deles!

Mas mesmo assim…. Sei lah, neh?! Entao reestoquei os comprimidos para dor de barriga e de esterilizacao de agua.

Kit Farmacia

Alem disso entraram alguns itens extraordinarios na nossa lista tambem, para ajudar nossa vida lah no alto – sem O2, sem dormir direito, carregando mochila pesada o dia todo e andando muitas horas por dia usando botas de caminha desconfortaveis. Entao dessa vez nossa farmacia tem quantidades extra de band-aids, fitas anti-calo, fitas anti-bolha, bastao anti atrito, gel de arnica, muitas variantes de paracetamol e Ibuprofeno (maxima potencia e ultra velicidade de acao) jah que um dos principias e piores efeitos da falta de oxigenio sao as dores de cabeca cavalares; compressas quentes para dores nas costas e nos ombros, anti-histaminico e MUITO repelente e filtro solar.

O filtro solar eh muito importante jah que boa parte do hikking sera acima do nivel das nuvens, onde a radiacao solar alem de mais constante tambem eh mais intensa; e claro, litros e litros de repelente para “floresta tropical” (como descrito na embalagem! Hahahaha) recomendado para ser usado em areas com alto risco de malaria (porque o remdio e o complexo B ajudam, mas nao sao infaliveis!).

E tem o outro Kit-Medico que tambem estamos levando, que nos foi recomendado pela agencia, e todo mundo que conhecemos que jah foram ao Kilimajaro (e Africa Sub-Saariana) tambem levou, e todos dao gracas a deus de nao terem usado!

Kit Medico

O “Kit Medico” vem com agulhas, seringas, lamina de bisturí, linha e agulha para pontos, luva de latex descartavel, gaze, e mais varios outros produtos hospitalares descartaveis.

Um exagero? SIM!

Mas vai que acontece alguma desgraca, e vamos parar num hospital ou posto de saude no meio da reserva do Serengueti, com o hospital (e cidade grande) mais proximo a horas de distancia? Entao, porque o seguro morreu de velho, caso aconteca alguma desgraca, poderemos ir pro hospital sem ficar com medo de usar o parco material medico disponivel na África central. Uma triste realidade, mas verdade. Entao dos males o menor, e prefiro usar meu proprio bisturí!

E por fim, o kit-banho! Que para mim eh o componente mais importante de tudo!

Banho portatil

Minha lista tem tudo que considero essencial para me manter “humana” por 6 dias sem acesso a um banheiro: lencos humedecidos de varios tipos, texturas e fragrancias, alcohol em gel e lenco humedecido desinfetante, desodorante ultra potente (eu sempre morria de rir das propagandas de desodorantes que prometiam “protecao 48 horas” ou  “protecao” X dias”, porque convenhamos, neh? Vai tomar banho! Mas agora entendi! Desodorante 48hrs eh para quem vai escalar o Kilimanjaro!), spray de agua termal (que sera meu “chuveiro”) e shampoo a seco!

Banho opcional

 

Agua encanada pra que?

E seja o que Deus quiser!

Adriana Miller
33 comentários
19 Aug 2010
25 comentários

Kilimanjaro – Detalhes praticos

Preparativos, Tanzania

Com poucos dias faltando pra grande viagem (9 dias!) estamos cuidadndo de todos os detalhes finais e então esse post é sobre as dicas praticas que alguns me perguntaram.

Visto:

A Republica da Tanzania exige visto para todas as nacionalidades nao-vizinhas, mas o processo é bem relax. A opção mais facil, opção da grande maioria dos turistas é simplesmente pegar o visto no porto de entrada: é só preencher um formulario com os dados da sua viagem, pagar uma taxa e pronto, visto de turistas por 90 dias.

Porém lemos tantas opiniões diferentes pela internet, livros e afins, e muita gente contando historias desastrosas de corrupção, subornos e vistos negados (e turistas deportados) que preferimos não arriscar! Como a embaixada da Tanzania fica aqui no centro de Londres, achamos que seria mais facil fazer logo tudo por aqui e viajar sem preocupação. Baixamos o formulario no site da embaixada, 2 fotos 3×4 e pagamento da taxa em dinheiro – em menos de 24 horas nosso visto estava prontinho nos esperando e valido por 90 dias!

Vacinas:

Já fiz um post sobre vacinas, e acabamos tomando quase todas recomendadas pela clinica de viagens que fomos, mas o certificado internacional de Febre Amarela é exigido e obrigatorio para turistas de varias nacionalidades, incluindo Brasil.

Agencia e pacotes:

Desde que começamos a pensar na possibilidade de fazer essa viagem sabiamos que não seria boa ideia fazer esse tipo de viagem por conta propria.

Ai foram meses pesquisando preços opções de roteiros e rotas. mas bate aquele medo, né? Pagar uma grana, passar meses se preparando e tal e acabar caindo numa furada?

Até que por acaso recebi duas recomendações da mesma agencia: uma amiga que fe safari no Kenya com eles e um menino do escritorio que escalou o KIlimanjaro com a mesma agencia!

Então de cara fechamos com a Exodus!

A Exodus é uma agencia especializada em “aventura” pelo mundo todo, e tudo que li e ouvi falar foram otimas recomendações. Eles organizam safaris, escaladas, viagens de barco e qualquer outra coisa “exotica” que voce queria fazer.

E pra melhorar ainda mais, são uma agencia Inglesa e nos deram to-das as informações mastigadinhas (coisa que de fato não estamos acostumados a fazer em viagens)!

O mesmo pacote inclui o voo direto Londres – Nairobi (Kenya) e a conexão pra Kilimajaro, com todo nosso grupo junto, pra não corrermos o risco de perder o voo, ter problemas na imigração e afins. Um guia estará esperando todo o grupo e passamos o primeiro dia num hotel bem legalzinho na entrada do parque nacional do Kilimanjaro, onde vamos conhecer todos os guias e porters e receber instruções finais sobre a escalada.

Sem falar é claro em todo suporte durante o hikking, o material de “base”, alimentação, primeiros socorros etc.

E no fim da escalada já seguimos direto pro Safari, tambem tudo com a mesma agencia.

O unico problema é que a Exodus, por não ser uma agencia especializada em Kilimanjaro (como existem muitas!) oferece poucas opções de rotas e trilhas pra subir a montanha, e acabamos fechando uma trilha que não era nossa opção inicial – mas como era a unica opção com o pacote que queriamos, ficou por isso mesmo.

Fotografia:

Além de todo equipamento que precisamos pra viagem, não podia negar que sonhar com fotos de cair o queixo foi um dos principais atrativos da viagem!

E pra não perder nenhum momento, comprei baterias extras pra minha camera (afinal serão dias e mais dias sem acesso a eletricidade), cartões de memoria e um monopod. O monopé foi dica de uma amiga que fez safari e disse ter feita toda diferença do mundo pra conseguir tirar boas fotos durante o safari, de dentro do jipe.

E pra completar, porque eu tenho problemas, tambem comprei um carregador portatil, desses mil e uma utilidades, que podem ser usados pra recarregar celular, ipod, camera fotografica e afins varias vezes, sem energia eletrica.

Mas ainda não decidi que livros levar na viagem… Alguma sugestão (vou levar o “Lost Symbol” do Dan Brown, mas queria levar uma segunda opção tambem…).

Adriana Miller
25 comentários
18 Aug 2010
63 comentários

Kilimanjaro – Lista de equipamento

Kilimanjaro, Preparativos, Tanzania, Viagens

Uma das coisas mais importantes a saber sobre a viagem para o Kilimanjaro é saber oque e como se vestir. E infelizmente, esse post não tem nada a ver com a ultima tendencinha fashion

A vantagem de viajar com uma agencia especializada é que eles fornecem todo material de apoio (e carregam tudo montanha acima): barracas, tendas, saco de dormir e colchoes de ar, panelas, comida, agua potevel, etc. Mas em compensação, tudo que é relacionado a uso pessoal deve seguir especificações bem precisas: de tecnologia, de material, de camadas, de conforto e segurança.

A primeira vez que vi a lista fiquei impressionada! Pra começar que é impressionante como detalhes do tipo “qual material da sua cueca” podem fazer toda diferença não só no seu conforto, mas tambem da sua saude e probabilidade de sucesso na escalada.

O Aaron já tinha literalmente tudo que ele iria precisar, mas eu tive que começar do zero, então a listinha fornecida pela agencia foi super essencial!

Eu fiquei enrrolando, enrrolando pra finalmente comprar tudo que precisaria e gastar uma pequena fortuna em peças de roupa que provavelmente nunca mais vou usar… Por sorte o Aaron tinha algumas coisas em dobro (ou triplo) e mesmo não sendo sob medida pro meu tamanho, dão pro gasto…!

E agora estou totalmente familiarizada com termos como Gore-Tex, lã Merino, lite pack, os mais diferentes grados de polyester, materiais a prova d’agua, a prova de vento, que absorvem agua, que repelem agua e mais uma inifnidade de detalhes!

A lição numero um foi que “cotton kills” (algodão mata), pois vamos passar por situações tao extremas, que realmente a tecnologia dos tecidos podem separar um aspirante a alpinista entre conquistar a montanha ou correr um serio risco de vida!

Então a listinha é a seguinte:

Roupas tecnicas:

Jaqueta corta vento a prova d’agua (também conhecida como “shell” pois é oque vai por cima de tudo)

Jaqueta termica de pena de ganso

– Jaqueta mais leve, de fleece (que siva como a camada intermediaria)

Camisetas (de maga curta e longa) feitas de material esportivo, que repele agua e suor (evitando que o suor fique em contato com a pele)

Calça a prova d’agua e corta vento (que tambem vai por cima de tudo)

Calça para caminhada (cargo)

Calça de fleece ou de lã

– Lingerie/roupa de baixo para esporte (com material anti umidade e suor)

Blusas e calças de lã Merino - ultra finas e ultra quentes

Para proteger a cabeça:

– Chapeu de abas e/ou bone (boa parte da escalada será acima das nuvens, então o sol será constante e impiedavel)

– Gorro que cubra as orelhas

Balaclava (aquele gorro que cobre parte do rosto)

Gola “role” de fleece (para proteger e esquentar o pescoço)

Lanterna de cabeça (alguns dias começamos a caminhada antes do sol nascer – e pra achar o “banheiro” no meio da noite!)

Mãos:

Luva tipo Mitts para neve (daquelas que não tem dedo e sao acolchoadas)

Luva fina (de dedos) de fleece ou lã Merino de grado medio

Detalhe da etiqueta da "long underwear" - No Stink (sem fedor)

Pés:

Botas de caminhada, a prova d’agua

Meias de lã de espessuras diferentes (media e grossa)

– Meia de seda pra usar por baixo da meia de lã (pro proteger a pele da textura grossa das meias de lã)

Gaiters (uma proteção que vai por cima da bota e da calça, pra evitar que agua/neve entre na bota)

– Chinelo / sapatos extras pra descansar os pés depoisda caminhada

Acessorios:

– Mochilona (que será nossa bagagem)

– Mochila menor pra carregar suas coisas durante o dia (agua, barra de cereais, casaco extra, camera fotografica, etc) de cerca de 30 a 40 litros

– Oculos de sol

Garrafa de agua de metal (as de plastico acumulas bacterias e deixam a agua com mal gosto)

Camel back (compartimento de agua – 1 ou 2 litros – que vai atras da mochila com o estoque de agua do dia)

Toalha de viagem (daquelas fininhas que secam mega rapido)

Lençol para o saco de dormir (já que o nosso será alugado)

– Sacos platico Zip pra separar as roupas e proteger de sugeira/chuva/roupa suja

– “Bengala” de caminhada

Uma das situações mais engraçada de nossos preparativos pra viagem foi a primeira vez que fomos a uma loja de esportes dar uma olhada nos equipamentos e o vendedor estava me explicando as novas tecnologias e as vantagens de alguns tecidos (como o lite pack, Capilene e a lã Merino, por exemplo), e na maior naturalidade ele foi me mostrar as calcinhas feitas de lã Merino; e assim, como se fosse a coisa mais natural do mundo ele recomendou que eu comprasse aquele tipo de material em vez do outro, pois assim gastaria mais pra comprar aquela peça especifica, mas economizaria nos gastos totais, pois poderia usar a mesma calcinha por 7 dias sem ficar fedorenta! HEIM?!?!?!

Eu não sabia se morria de rir, de morria de vergonha, se ficava chocada (foi quando caiu a ficha de que de fato passarei uma semana inteira sem tomar banho!) ou ofendida por ele tem sub-entendido que vou ficar fedorenta!! HAHAHA!

Mas posso sobreviver varios dias sem tomar banho, mas trocar meia, sutiã e calcinha faço questao todos os dias!!

Durante a viagem farei algumas fotos com o equipamento completo, passo a passo a medida que os dias forem passando.

Adriana Miller
63 comentários
Página 1 de 212