20
May
2013
Vail: The Ritz Hotel & Residences
Escrito por Adriana Miller

Para nossa estadia em Vail queríamos algo especial – então aproveitamos o final da temporada de ski no Colorado e conseguimos achar a hospedagem perfeita: ótima localização (no coração de Lionhead Village), ultra confortável e o principal – comodidade, com um apartamento que juntasse a praticidade de um flat com o conforto de um hotel.

E portanto nossa escolha foi o The Ritz Carlton Hotel & Residences!

Quando fizemos a reserva nossa intenção era esquiar em Vail, portanto queríamos uma hospedagem que fosse confortável pra minha sogra ficar com a Bella, então reservamos um apartamento duplo na parte “residência” do The Ritz, pois assim poderíamos ficar junto com a mãe do Aaron, mas sem ter que “dividir” o quarto, o que seria muito mais confortável pra ela durante o dia com a Isabella.

Além disso teríamos um area comum e uma cozinha (como foi nossa primeira experiência em hotel com a Isabella, queríamos alguma coisa com cozinha).

E como acabamos não esquiando em Vail dessa vez, nossa escolha de hospedagem foi ainda mais perfeita, pois pudemos curtir bastante o apartamento e o hotel, e com direito a todo conforto e luxo!

Nosso apartamento tinha dois quartos (ambos suítes), mais uma salinha de TV separada da sala principal e um terceiro banheiro (e portanto acomodaria confortavelmente 6 adultos).

A cozinha super equipada, que abre pra sala de jantar e estar – também equipadas – perfeito pra quem for passar bastante tempo em Vail ou for pra cidade com um grupo de amigos ou família!

O apartamento abrir para uma varandinha com a vista das montanhas no térreo do hotel, e é nos andares de cima que fica o resto do hotel: com academia, restaurantes, um bar, uma área para churrasco e piscinas aquecidas!

O hotel é novíssimo, recentemente construído na nova área de Lionshead, a poucos passos da subida do ski lift e pertinho da Village (com lojinhas, mercados, coffee shops, restaurantes e etc).

Mas pra quem quiser explorar a cidade e região, o The Ritzdisponibiliza aos hospedes um serviço (cortesia) de translado, te levando e buscando onde quiser (nós utilizamos o serviço pra ir jantar no Flame e voltar do nosso passeio em Vail Village), oque é ótimo, pois tira a necessidade de alugar carro ou ter que ficar dependendo de taxis ou dos ônibus que fazem o transporte entre as duas cidades!

The Ritz-Carlton Vail

728 West Lionshead Circle,Vail, Colorado

 

Categorias: Colorado, USA
2
19
May
2013
Flame Steak House: Four Seasons Vail
Escrito por Adriana Miller

Logo na nossa primeira noite em Vail, fomos convidados pelo Four Seasons pra conhecer o principal restaurante do resort, o Flame Steak house, que foi totalmente remodelado recentemente e não é atoa que encabeça as listas de melhores restaurantes da cidade!

O Four Seasons de Vail fica super bem localizado, bem no meio entre Lionhead e Vail Village, com ótimos acessos as duas cidades – e vistas fenomenais para as montanhas.

Então como o Flame está no terceiro andar do hotel, suas janelas de pé direito altíssimo oferecem vistas incríveis da região.

Nós fomos muito bem recebidos e nossa experiência foi sensacional – o RP do hotel (que acabamos descobrindo ser um super amigo do melhor amigo do Aaron! Mundo muito pequeno!) nos apresentou a cada prato e os cuidados e histórias por tras de cada um deles.

O que eu mais gostei foi que o menu do restaurante é bem moderno, de altíssimo nível, mas ao mesmo tempo bem “acessível”, contanto a historinha de como cada prato foi bolado.

E eles fogem dessa coisa tradicional de restaurante de carnes Americano, com muitas opções criativas (amei o mini hot dog de carne de Alce e os mini Tacos de peixe!).

Mas como era de se esperar, as atrações principais são mesmo as carnes, principalmente as carnes premium envelhecidas (eu fui de Kobe Beef!) e os cortes no osso -  que foi a escolha do Aaron!

O corte que ele escolheu, o “Long Bone Tomahawk” foi servido pelo próprio chef, que é especialista em desossar a carne – o que imediatamente vira um espetáculo-churrasco, com a comida sendo preparada do seu lado num super butcher block trazido até a mesa!

Outro destaque do Flame é a equipe de pastries chef e o time de sobremesas, com um menu especial só para o “pós refeição”! Mas o difícil mesmo é conseguir guardar um espacinho pra sobremesa (nós não conseguimos!)!

Flame Restaurant & Fireside Lounge

Four Seasons Resort Vail

One Vail Road, Vail, CO 81657

 

Categorias: Colorado, USA
1
18
May
2013
Vail: Lionhead & Vail Village
Escrito por Adriana Miller

Pra terminar nossa temporada de esqui no Colorado, depois de A-Basin e Keystone, fomos pra Vail!

Vail é mais distante de Denver (mas não tanto quanto Aspen!) do que algumas de suas estações de esqui vizinhas, e acho que isso acabou transformando a cidade num destino mais de “férias” e de temporada, enquanto outros resorts nos arredores de Denver são mais “de passagem” – o que faz com que Vail tenha um clima muito diferente das demais!

Além disso, Vail é mais antiga (para padrões Americanos), o que dá a cidade um ar mais autêntico – e super bonito, diga-se de passagem!

Não sei o que é a causa e o que é o efeito, mas isso tudo junto fez com que Vail se tornasse uma Ski Resort mais exclusivo e luxuoso, e junto com Aspen, colocam o Colorado no topo da lista de melhores resorts de esqui do mundo!

Mas Vail propriamente dita se limita as ruazinhas de “Vail Village”. Mas com o crescimento da cidade e a propagação de hoteis, a cidadezinha vizinha, “Lionhead Village”, acabou virando uma extensão da cidade, e acabam que as duas são sempre mencionadas como simplesmente “Vail”.

Lionhead Village é bem menor e mais moderna – a impressão que tive é que esse vilarejo foi construido tipo ontem, com muitos hotéis ainda em construção e outros tantos tinindo de novo (nós tb ficamos hospedados por lá!).

Mas ainda assim tem um “centrinho” bem fofo, com uma pracinha, muitas lojas e restaurantes, lojas de aluguel de equipamento de esqui e uma gôndola e lifts que te levam pro topo da montanha (então não é preciso andar nem pegar o shuttle até a base de Vail).

Mas batas caminhar 10/15 minutos na estradinha que conecta as duas cidades que chegamos em Vail Village.

A maior parte da cidade é fechada apenas para pedestres, o que ajuda demais na hora de passear, começando pela West Meadow Drive, e seguindo por East Meadow Drive e daí pra todas as ruas da cidade.

Mas o parte mais bonitinha e típica da cidade está ao norte do riacho “Gore Creek”, onde estão as ruas com casinhas em estilo Alpino, muitas lojas e restaurantes.

Nós demos azar (ou sorte?!) que eu machuquei meu joelho em Keystone, então acabamos não esquiando em Vail, o que nos deu bastante tempo pra curtir e conhecer a cidade!

Na Gore Creek Drive paramos pra almoçar no restaurante Pepi’s, que fica dentro do hotel Hotel Gasthof Gramshammer, que esta longe de encabeçar as listas de restaurantes mais chiques da cidade, mas com certeza é um dos mais antigos, típicos e tradicionais!

Outra parte da cidade que vale a pena conhecer é a Bridge Street que vai da gôndola “Vista Bahn” até a ponte coberta, que é quase que um símbolo de Vail.

Uma coisa que eu achei super legal em Vail e Lionshead é que por ser um lugar montanhoso e a cidade estar espalhada em diferentes “níveis” da base da montanha, os vilarejos são super acessíveis, com escada rolante, elevadores e rampas em várias ruas que sobrem/descem das ruas principais!

(as dicas de hotel e restaurante virão nos próximos posts!!)

 

Categorias: Colorado, USA
3
17
May
2013
Keystone: Ski e hospedagem nos arredores de Denver
Escrito por Adriana Miller

Depois de nossa festa na “praia” em A-Basin, ainda passamos mais um dia esquiando em Keystone, outro resort de esqui ali pertinho de Denver.

E como comentei no post de A-Basin, Keystone é super pertinho de Denver, então é lá que o pessoal local costuma esquiar mais durante a temporada, pois podem ir e voltar no mesmo dia, ou passar um fim de semana rapidinho.

E ao contrário de A-Basin, Keystone é uma cidadezinha super fofa, com um centrinho “Alpino-fake” cheio de barzinhos, hoteis, restaurantes etc. E na verdade, Keystone acaba funcionando como base pra hospedagem de várias outras pistas de esqui ali pela região, que não teem uma estrutura maior.

E foi lá que ficamos hospedados por algumas noites também, num chalé que alugamos com um grupo de amigos na entrada de Keystone.

E essa é a dica ultra-local: nós alugamos esse chalé através do SummitCove que é uma empresa que o Aaron e os amigos sempre usam na temporada de esqui, e alugam casas, chalets e time shares ao longo do ano direto dos proprietários, oque acaba saindo bem mais barato que ficar em hotel ou casa de temporada.

Por exemplo, nós ficamos num chalé de um condomínio bem fofinho (com estacionamento e supermercado do outro lado da rua, piscina aquecida e hot tub e vistas espetaculares das montanhas!), com 3 quartos (mais um “cantinho” na sala e que dormem – confortavelmente – 10 pesoas), cozinha, lareira e 3 banheiros por menos de US$200 por dia (pela casa toda! Ou seja, se alugado por um grupo de 10, sai por 20 dolares por noite cada um!)!

Tudo bem que já pegamos o final da temporada de esqui (no auge de Janeiro/Fevereiro sai mais caro), mas como na região de Keystone a temporada de esqui vai até Maio, ainda deu pra aproveitar demais(fomos no início de Abril)!

O bom de ter ficado em uma casa foi também que acabou sendo mais confortável pra Isabella (que ficou por lá com minha sogra enquanto esquiávamos durante o dia), e como fomos com um grupo de amigos, era uma delícia chegar em casa e ascender a lareira, fazer  uns drinks, preparar o jantar, bater papo, jogar uns joguinhos e tal!

E claro, esquiamos!!

Keystone é considerado uma das melhores regiões pra iniciantes e pra quem quer aprender a esquiar, pois tem muitas pistas verdes e todas são bem largas e com um misto de areas planas e/ou pouco inclinadas.

A mais famosa é a pista “Schoolmarm”, que são 4 milhas de pista iniciante!

A inclinação média é a mesma que a pista de treino (“bunny slope”), só que por ser tão longa, você não fica naquele ritmo de sobe-e-desce na gôndola que sempre enche o saco de quem esta aprendendo!

Mas esse também é o problema, pois a pista é muito longa, e pra quem não tem prática, os músculos cansam rápido!

E sabe oque eu gosto mesmo de esquiar? A vista!!

Como eu não sei esquiar direito e desço a montanha super devagarzinho, tenho toooodo tempo do mundo pra ir curtindo a vista, paro pra tirar fotos, vídeos, etc…

E a cidadezinha de Keystone também é super fofa!

O engraçado é que eu já conhecia Keystone, pois foi um dos primeiros lugares onde fomos passear na primeira vez que fui a Denver com o Aaron (estávamos namorando a poucos meses!) – mas fomos no auge do verão, e realmente o lugar se transforma no inverno!

Almoçamos no mesmo lugar onde comemos a 7 anos atrás, no bar/pub “Kickapoo Tavern“, e no dia seguinte almoçamos aproveitando o sol pós-pista na varanda do bar “9280” (eles tem uns aquecedores externos nas varandas dos restaurantes).

E você também pode alugar/comprar todo seu equipamento de esqui lá mesmo, assim como os passes das gôndolas (ski lift pass) – nós tínhamos nossas roupas, capacetes e tal, mas alugamos as botas e esquis na loja “Door 2 Door Ski & Snowboard Rental“.

E funciona no mesmo esquema que nos Alpes: você preenche um questionário com algumas informações (tipo peso, altura, experiência em esqui ou snowboard etc) e eles te ajudam com o tipo de bota e esqui ideal pra você. Depois medem tudo, testam e ajustam perfeitamente (botas e esquis.snowboards não é o tipo de coisa que dá pra pegar emprestado, a não ser que vocie saiba fazer todos esses ajustes…).

O aluguel de equipamento (assim como o ski pass) foi mais caro em Keystone do que A-Basin, mas ainda assim mais barato do que Vail e Aspen!

E lá mesmo na loja você pode também organizar aulas de esqui, caso queria/precise de uma ajuda profissional (altamente recomendado!!). Não é preciso reservar com antecedência, mas como as aulas começam de manhã bem cedinho, é melhor marcar seu lugar uns dias antes pela internet (no site do resort tem todas as informações e preços atualizados para a temporada corrente), só pra não ficar aquela correria antes da sua aula!

Durante a viagem, eu postei muitas fotos “ao vivo” direto do Colorado, e muitos leitores me perguntaram se foi difícil aprender e tal, e pra falar a verdade não foi.

Ainda tenho que praticar demaaaaais antes de me considerar “boa” nos esquis (minha primeira vez foi nos Alpes com o Aaron como instrutor!), mas realmente “ficar de pé” não é difícil se você tiver um bom condicionamento e já praticar alguns esportes (patinar no gelo, por exemplo, ajuda bastante no equilíbrio sobre gelo!), mas realmente aperfeiçoar a técnica é bem difícil!

Mas pra mim o mais complicado mesmo é driblar o medo de altura! Porque por mais que eu consiga me equilibrar nos esquis numa boa, saiba parar, virar, desacelerar etc, é o medo do penhasco que me apavora!!

Então se deus quiser ano que vem teremos mais uma temporada de esqui pra continuar treinando bastante!

 

Categorias: Colorado, USA
7
23
Apr
2013
A-Basin: A “praia” da neve!
Escrito por Adriana Miller

Pro pessoal que mora no Colorado, ir pras montanhas tem o mesmo significado que a praia tem para os Cariocas.

Então quando uns amigos do Aaron nos convidaram pra uma festa na “praia” eu fiquei curiosíssima!

A-Basin (Arapahoe Basin) é uma estação de esqui minúscula, bem pertinho de Denver (cerca de 1,5 horas de carro), então super popular com o pessoal local, que vão muito pra lá passar o dia esquiando e voltam pra casa no fim do dia.

E é mais ou menos isso mesmo, já que A-Basin não tem muita coisa além das pistas – não faz parte de um “vilarejo” nem cidadezinha fofa tao típica das estações de esqui. Por lá você vê apenas as pistas, as gôndolas, uma barzinho e pronto.

Então porque A-Basin faz tanto sucesso? A “Praia”!

As pistas de esqui ficam posicionadas num vale, e acabam todas mais ou menos no mesmo local, na base da montanha, criando um espaço plano e enorme – coberto de neve.

As pistas de esqui vão se estendendo até o estacionamento, então o pessoal já desce de esquis direto pra essa area plana, e vão se aglomenrando.

E como no Colorado o tempo esta sempre bom e ensolarado, é uma delicia descer a montanha e descansar as pernas sentados no sol – e assim se espalhou a fama da praia!

Então nossa festinha foi assim mesmo – uns amigos madrugaram pra chegar lá bem cedo e guardar um bom lugar na praia, bem na boca das pistas (o pessoal disputa o centímetro quadrado da praia a tapa!), muitas cadeiras de praia – com direito a cooler cheio de bebidas, churrasqueira e afins.

Móóór farofa, mas gente que divertido!!

E tá todo mundo lá naquele mesmo clima, dividindo os barris de cerveja, guardando os skis e snowboards dos outros e crianças brincando juntas (A-Basis tem uma escolinha de esqui bem famosa, então muita gente que mora no Colorado levam os filhos pequenos  – podem começar a aprender a esquiar com 3 anos! – pra aprender a esquiar por lá!

Muitas festas de aniversário, grupos de amigos, festas a fantasia, etc. Um clima sensacional!

Eu adorei a experiência!!

Quando fomos esquiar nos Alpes, uma das minhas partes preferidas da experiência foi justamente o Aprés-Ski, que não é tãããão comum nos EUA, então a “praia” de A-Basin foi como um aprés-ski que dura o dia todo!

É só subir a montanha, descer esquiando direto pra praia, comer um pouco, beber um pouco… depois voltar pro lift e recomeçar tudo de novo!

(E olha, ótima opção pra quem quer aprender a esquiar mas sem enfrentar as pistas lotadas – e caras – dos resorta tradicionais do Colorado!)

 

Categorias: Colorado, USA, Viagens
18
07
Apr
2013
Colorado ao vivo!
Escrito por Adriana Miller

E ja esta chegando ao fim nossa primeira viagem em familia!

Passamos duas semanas e meia aqui no Colorado visitando a familia e os amigos do Aaron e trazendo a Isabella em sua primeiríssima viagem internacional!

20130407-092723.jpg

A viagem de avião foi ótima (tomara que a volta pra casa hoje a noite seja tão boa quanto!!) e ela se comportou super bem!!

20130407-092923.jpg

Ela teve a quem puxar e nao se incomodou com o vôo nem o fuso horário de 7 horas entre Londres e Denver!

Ela conheceu muita gente nova pela primeira vez, incluindo uma de suas 3 Bisavós, sua “prima” Crosby e a Tia Chris!

20130407-093235.jpg

20130407-093254.jpg

20130407-093340.jpg

Tambem revemos muitos amigos e aproveitamos pra tambem conhecer vários novos bebes que foram nascendo nos últimos anos e meses.

20130407-093446.jpg

20130407-093515.jpg

E ka que estávamos na área, aproveitamos pra tirar proveito daquilo que o Colorado tem de melhor: as montanhas!!

20130407-093614.jpg

Subimos a serra com um grupo de amigos e fomos esquiar – passamos por 3 resorts diferentes (A-Basin, Keystone e Vail), e foi divertido DE-MAIS!!

20130407-093859.jpg

20130407-093909.jpg

20130407-093923.jpg

20130407-093937.jpg

20130407-093945.jpg

E ja que a sogra estava na área e doida pra passar o maior tempo possível com a Bella, tambem aproveitamos pra sair pra jantar varias vezes, fomos a vários bares, visitamos amigos e assistimos alguns filmes no cinema!

20130407-094139.jpg

20130407-094157.jpg

20130407-094226.jpg

20130407-094240.jpg

20130407-094309.jpg

E agora um pouquinho de overdose de Isabella:

20130407-094416.jpg

20130407-094434.jpg

20130407-094500.jpg

20130407-094512.jpg

20130407-094549.jpg

20130407-094629.jpg

20130407-094701.jpg

E claro, o que seria uma viagem ao EUA sem um certo exagero consumista?!

20130407-094754.jpg

20130407-094824.jpg

20130407-094902.jpg

20130407-094920.jpg

O clima, como é de se esperar de uma região tão montanhosa, foi um carrossel de emoções! Hahaha
Pegamos muito sol, muita neve, muito calor e chuva!!

20130407-095059.jpg

20130407-095126.jpg

20130407-095211.jpg

20130407-095237.jpg

Todos os detalhes e dicas da viagem virão em outros posts!
(Eu sei que fiquei ausente aqui no blog por uns dias, mas o Instagram continuou bombando!! Segue lá!! @DriMiller)

Categorias: Colorado, USA, Viagens
17
26
Mar
2012
Rocky Mountain National Park
Escrito por Adriana Miller

Na manhã de sábado antes do casamento que fomos em Estes Park o noivo organizou um programa anti-nervosismo: juntou seus padrinhos e amigos mais próximos e organizou um passeio e snowshoeing pelas trilhas (soterradas de neve) do Parque Nacional Rocky Mountain!

Eu não sabia exatamente oque esperar, mas quando ele nos convidou pra ir junto, eu sabia que provavelmente iria adorar! Então fizemos nossas malas preparados com roupas de neve e ski, e o pessoal do Mary’s Lodge nos ajudou a pesquisar sobre as trilhas e alugar os snowshoes!

Mas oque é snowshoeing?! É um esporte de inverno onde se usa um sapato especial, específico para caminha e fazer trilhas na neve.

Sabe quando nos desenhos animados os personagens amarram uma raquete de tênis nos pés e saem andando na neve? Então, é exatamente isso!

Só que na vida real não usamos raquetes, e sim os tais dos sapatos de neve, que são estruturas de plástico com “garras” na sola, que aumentam a tracção no gelo e por difundirem seu peso numa area maior que seu pé, eles diminuem a pressão feita na neve fofa, e assim impedem que você afunde até os joelhos (ou queixo, dependendo do quão profunda esteja a neve!) #AulaDeFísica

 

A maioria dos parques nacionais nos EUA fecham – totalmente ou parcialmente, depende do parque – durante o inverno, mas o parque Rocky Mountains, por ser no meio do Colorado e ter um perfil bem específico de esportes de inverno, fica aberto o ano todo, mas é importante saber onde você vai dentro do parque, se manter nas trilhas assenhaladas e manter todas as regras gerais de segurança.

E no inverno todos esses cuidados ficam ainda mais importantes, pois se você se perder, terá que lidar não só com os (muitos) animais selvagens dos parques, mas também com a neve de metros de altura e temperaturas (muito) abaixo de neve.

Nós não tivemos muito tempo de explorar o parque a fundo, afinal foram apenas algumas horas, mas o lugar realmente é lindo!

E fomos seguindo as instruções da trilha até chegar na entrada do Bear Lake Trail, que é uma das trilhas que ficam abertas durante o inverno (pois todos os lagos do caminho congelam 100% e portanto são super seguros) e que é perfeita para praticar snowshoeing!

E como foi divertido! E pra quem não sabe, ou tem medo de esquiar, o snowshoeing são outros 500, pois vocês apenas anda o tempo todo na neve.

Não tem que controlar velocidade, nem curvas nem inclinação enquanto se equilibra nos esquis. Tudo bem que os primeiros passos são meio de “pato” porque você tem que se acostumar a andar sem entrelaçar os sapatos, mas depois que você pega o jeito, fica facílimo e você nem percebe!

E porque a sola da plataforma tem umas garras, você se sente sempre seguro na neve, sem levar escorregões nem aquele sensação de que você vai cair a qualquer momento, mesmo em subidas e decidas.

 

E claro, pra mim, o que valeu mesmo foram as fotos e a paisagem!

Que lugar lindo!

Uma coisa assim meio Narnia com paisagem de cartão de Natal! Os pinheiros são altíssimos, todos cobertos de neve, e a neve super fofinha e profunda!

Confesso que fiquei meio com medo de cruzar os lagos, mas foi frescura mesmo – o difícil foi enfrentar o vento violento que batia assim que começávamos a caminhar nas planices (os lagos congelados), pois sem as arvores nos protegendo, o vento encanado do alto da montanha vinha carregado de neve em (quela neve sequíssima do Colorado, tão diferente de Londres!) que não só se infiltrava em todos os buraquinhos da roupa, mas ainda vinha arranhando a pele sem dó!

Apesar do super frio que pegamos, como estávamos nos exercitando o tempo todo não sentimos frio (na verdade morri de calor, mas tinha que manter o cachecol enrolado no rosto por causa do vento e da neve cortante), mas é super importante não só usar snowshoes apropriados pra neve que você vai pegar (e de acordo com sua altura e peso – afinal as leis da física não mentem, e você não quer ficar atolado na neve, quer?!), e com roupas especificas para neve e muito vento.

Eu adorei a experiência e agora queremos achar alguma lugar aqui pela Europa pra fazer snowshoeing no próximo inverno!

 

Categorias: Colorado, USA, Viagens
14
25
Mar
2012
Estes Park, Colorado
Escrito por Adriana Miller

Depois de nossa passagem relâmpago por Denver, subimos as montanhas do Colorado até a cidadezinha de Estes Park, que é a cidade base do Parque Nacional das Rocky Mountain, ao noroeste de Denver, e a cidade foi nossa bases durante os dias que passamos por lá.

Estes Park é daquelas cidades de montanha super fofas, mas ao contrario doque muita gente pensa, nem todas as montanhas no Colorado são “esquiáveis”, e Estes Park fica justamente na área da cordilheira de montanhas do Colorado que não existem estações de esqui, oque faz com que a cidade seja desconhecida de muita gente que passa pelo estado.

Então Estes Park acabou se consagrando por suas outras atrações, principalmente por ser a base de um dos principais Parques Nacionais dos EUA (e os Americanos adoram seus parques nacionais…!) e finalmente entrou no mapa turístico quando o seu imponente e histórico Stanley Hotel serviu de pano de fundo para o filme “The Shining“, dirigido por Stanley Kubrick e estrelado por Jack Nicholson.

Nós almoçamos no restaurante “Cascades” num dos dias que passamos por lá com o pais e uns amigos do Aaron, que é um dos restaurantes considerados uma verdadeira instituições histórica do Colorado – e eles exibem com muito orgulho as fotos de todos os clientes ilustres que o hotel e o restaurante receberam ao longo das dácadas.

A especialidade do hotel no entanto são seus drinks, principalmente as muitas variações do Bloody Mary – quem quiser arriscar, o best seller é o “Lord Dunraven’s Bakon Bloody Mary”, que inclui ingredientes como vodka com infusão de bacon, bacon caramelado entre outros ingredientes mais tradicionais de um bloody mary!

Quase todos na mesa foram direto na especialidade e garantiram ser o melhor bloody mary dos EUA!

O Stanley Hotel faz parte da rede de hoteis “Historic Hotels of America” e muito antes do filme (que é uma adaptação do livro de Stephen King), ele já era cercado de lendas e histórias de terror – e eles aproveitam bem essa fama como só os Americanos sabem fazer!

Então quer quiser testar sua coragem e nervos de aço, o hotel organiza varios tipos de tours que contam um pouco mais da historia da cidade, do hotel e do filme.

Mas a cidade de Estes Park, apesar de minúscula, oferece muito mais que o Stenley Hotel, e uma voltinha pelo centro da cidade é imperdível, tanto no inverno quanto no verão!

Como nós fomos no inverno, demos sorte de ver a cidade com o charme extra da neve – afinal toda cidade de montanha que se preze, sempre fica mais fofa com bastante neve!

A Main Street de Estes não é a típica cidadezinha de montanha (cmo por exemplo Keystone, que tem bem aquele climinha de cidade Alpina), mas as lojas mantem suas fachadas vintage do auge da cidade, na decada de 30, e é simplesmente muito fofa!

Uma das lojas mais tipicas é a “Taffy Shop”, uma lojinha de balas de 1935 que se mantem até hoje como uma intituição na cidade!

E esse centrinho também serve de base para os turistas que passam por lá a caminho das inúmeras opções de esportes disponíveis no Rocky Mountain, então oque não faltam são lojas de material esportivo e de caça, além de cafés, restaurantes e lojas de souvenirs (tem uma lojinha de enfeites de natal que é uma coisa!).

Por fim, a dica do hotel que ficamos (e onde foi o casamento), o Mary’s Lake Lodge, que fica na beirada de um dos muitos lagos ao redor da cidade, e é fofissimo!

O hotel tem vários chalets de montanha que são os quartos (além de alguns quartos tipo apartamento na casa principal do hotel), todos com quarto e uma salainha, com direito a banheira de jacuzzi, lareira no quarto e um hot tub na varanda!

O restaurante do hotel também serve uma comida espetacular (muitos assados e carnes de “caça”), e um bar que volta e meia tem musica ao vivo.

E pra quem estiver a caminho do parque nacional, eles podem ajudar a organizar aluguel de equipamento, mapas e passeios no parque.

 

 

Categorias: Colorado, USA, Viagens
9
25
Mar
2012
Passagem relampago por Denver e um casamento!
Escrito por Adriana Miller

No final de Fevereiro eu e o Aaron voamos para Denver (Colorado) nos EUA numa viagem relampago para o casamento de uma amigo. O casamento foi marcado (pelos noivos) meio que de ultima hora, mas mesmo com outros planos de viagem na mesma epoca foi um daquelas convites que não pudemos recusar – afinal o noivo é amigo do Aaron de decadas, foi um dos nossos padrinhos de casamento, já veio nos visitar em Londres várias vezes e bem, é um ótimo amigo que não deu pra dizer não.20120325-131030.jpg

Em Denver a viagem foi mesmo relâmpago – o Aaron conseguiu conciliar uma viagem a trabalho nos mesmo dias e ficamos hospedados com a mãe e irmã dele, com quem passamos grande parte da tarde e manha que tivemos na cidade antes de subir as montanhas!

20120325-131055.jpg20120325-131113.jpg

Mas enquanto o Aaron foi trabalhar, eu e minha sogra aproveitamos pra passear pelo bairro dela (uma area super, super fofa da cidade!), fizemos umas comprinhas e manicure – super dondocas! :-)

20120325-131133.jpg

20120325-131157.jpg

E antes de começar nossa road trip rumo as montanhas do Colorado, ainda fui almoçar com o pessoal do escritório do Aaron que fui conhecendo ao longo dos anos (e de que eu conheci na época que trabalhei pra mesma empresa).

20120325-131233.jpg

20120325-131246.jpg

(Esse post era pra ter sido um posto da série “Ao Vivo”, mas como já esta mais de 3 semanas atrasado… antes tarde do que nunca!)

O casamento foi num Lodge no meio das montanhas, onde todos os hospedes ficaram hospedados e a cerimônia foi numa capela bem intimista e pequena, cercada de neve e colinas por todos os lados! (TÃO romantica!).

E a festa foi num dos salões do Mary’s Lake Lodge, em Estes Park, e foi super legal rever alguns dos amigos do Aaron – alguns deles eu não via desde o nosso casamento, e alguns outros eu não via desde que fui ao Colorado pelaultima vez, mais de 5 anos atras!

 

 

 

 

Categorias: Colorado, USA, Viagens
8
26
Sep
2006
Acabou-se oque era doce
Escrito por Adriana Miller

Segunda e terca foram meus dias finas de ferias. So queria saber de nao fazer nada, dei umas saidinhas durante o dia pra tirar o mofo, mas nada espetacular.

Na segunda a noite, fizemos uma festinha de despedida na casa do Aaron, com um jantar feito por mim mesma e muito elogiado! O menu escolhido (pelo Aaron) foi estrogonoff, que ele nunca tinha comido e acha a coisa mais maravilhosa e exotica do mundo. Hahahahahahah.


Os convidados escolhidos foram alguns amigos dele que em breve se juntarao a nós na Z’oropa: a Poly e o Joe (casal do primeiro casamento no inicio de setembro), que vao passar uma temporada na Espanha e estao empolgadissimos e queriam todas as dicas possiveis; e o Rich que eh o melhor amigo desde jardim de infancia do Aaron e que esta se preparando pra uma longa viagem pela America do Sul e depois vai encontrar com a gente em Londres, Frankfurt e Espanha.
Muitas expectativas, dicas e planos para o futuro proximo.

Terca a noite embarquei pra Londres. Sem grandes complicacoes, os avioes da British Airways sao maravilhosos, tomei dois Dramins e dormi como um anjinho…
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Colorado, USA, Viagens
1
Página 1 de 212