17
Oct
2011
Um dia em Nova Iorque…
Escrito por Adriana Miller

Na volta da viagem ao Brasil meu voo fez uma parada muito estratégica: Nova Iorque!

Foi um voo meio nada a ver, de Londres com conexão em NY, tanto na ida quanto na volta, mas confesso que oque me convenceu a adicionar umas horinhas a mais nas horas de voo foi justamente porque no voo de volta eu teria um dia inteirinho (14 horas) pra passear na Grande Maça!

Assim como muitas outras grandes cidades do mundo, apenas 1 dia mal da pra sentir o gosto da cidade, mas como já fui outras vezes, achei que uma boa desculpa bastava. Oque eu não tinha reparado, quando confirmei minha reserva, foi que eu estaria em Manhattan justamente no dia do aniversário de 10 anos do 11 de Setembro!

Eu fiquei um pouco tensa (quem não ficaria…?), mas ao mesmo tempo sabia que Nova Iorque provavelmente seria o lugar mais seguro do mundo naquele dia!

Mas infelizmente as comemorações e a segurança reforçada realmente tiveram um impacto no meu passeio, jâ que fiquei preocupada com as filas demoradas pra passar pela segurança do aeroporto (então acabei voltando mais cedo que o planejado), o acesso a taxis estava limitadíssimo, e toda area da Lower Manhattan estava fechada por causa das comemorações na area do antigo World Trade Center.

Mas a grande vantagem foi que nao peguei fila pra fazer absolutamente nada! Todos os pontos turisticos praticamente vazios, lojas e restaurantes tranquilos…

Mas então oque da tempo de fazer em apenas 1 dia em Nova York?

Eu sai do aeroporto (JFK) e fui de metro diretamente pro centrão de Manhattan, na estação da 53rd Street com 6th Avenue.

Fiz uma parada estratégica no Starbucks e la tive a primeira surpresa do dia: as 9:38 da manha, em ponto, tudo ficou silencio. Sem nenhum anuncio, sem mais nem menos, a cidade inteira parou. Naquele segundo faziam exatos 10 anos desde que o primeiro aviao atingiu a torre do WTC. Dava pra ouvir apenas a respiração das pessoas, naquele silencio cortante. Na rua, em plena 6a Avenida, muitas pessoas tambem pararam, taxistas estacionaram seus carros, e todo mundo fez sua homenagem as vitimas do atentado e suas familias.

De la, segui pela 5a Avenida ate chegar no Central Park. O parque, principalmente no verão é um dos meus lugares preferidos na cidade, e em outras viagens com passagem relâmpago por NY, era sempre pra la que meu pai nos levava direto do aeroporto! Então, pra mim não tinha como sequer pensar no roteiro pela cidade sem iniciar meu dia por la.

Fui andando ate bem longe – acho que nunca tinha andando – e me perdido! – tanto pelo Central Park! mas fui meio que acompanhando a massa de pessoas, as centenas de Newyorkers correndo e fazendo exercícios pelas trilhas do parque naquela manha de fim de verao…

Fui andando  pelas trilhas do lado leste (Upper East Side) ate chegar no museu Metropolitan Museum of Art (MET) e de la entrei de novo no parque, onde fiz a “semi” volta no “lago” Reservoir em direção ao lado Oeste (Upper West Side) e voltei caminhando pela area da Great Law, onde estavam rolando aulas de Yoga, picnics de aniversário, muitos jogos de futebol, little league de baseball, joggings, criancinhas brincando nos parques e muitas familias doing their thing.

Meu dia mal tinha começado e eu ja estava exausta (lembrando que tudo isso foi vindo direto de um voo de 9 horas Rio-NY!), entao desci de novo a 5a Avenida ate chegar na Rockfeller Plaza, onde esta o 30 Rock, do Rockfeller Center.

Eu fiquei praticamente assustada quando me dei conta que a entrada do “Top of the Rock” estava vazia e sem ninguém na fila! Comprei meu ingresso, passei pela segurança e em questão de minutos estava no elevador em direção a plataforma de observação da cobertura!

Muita gente prefere o Empire State, mas eu não troco o Top of the Rock por nada! Eh a melhor vista de Nova Iorque! E sabe porque? Por la de cima se tem a vista perfeita (e pertinho) do Central Park de um lado e o Lower Manhattan de outro, e bem no centro do seu campo de visao esta justamente ele, o Empire State Building!

Então quem sobre no Empire State perde o melhor da vista, que é justamente ele!

O Top of the Rock tem 3 níveis de observação e o melhor eh sem duvidas o terceiro, onde é possível tirar fotos da paisagem sem o vidro de segurança na frente!

Depois que desci de volta pra 5a avenida, continuei andando na direção sul, ate chegar na altura da rua 47, onde na esquina da 7a Avenida fica um dos principais símbolos da cidade, a Times Square.

Eu ainda nao tinha voltado a NY desde que eles fecharam a area e fizeram da Time Square uma regiao peatonal. Tenho certeza que os motoristas Novaiorquinos raivosos devem ter detestado a ideia, mas para os turistas fez uma diferenca enorme!

A area ficou tao mais tranquila e facil de andar, sem aquela confusao de onibus e taxistas pra cima e pra baixo quase te atropelando! O quarteirao todo agora eh como se fosse uma pracinha.

Tinham varias mesinhas e cadeiras na calcada, wifi publico, cafes e bares de portas abertas.

Acabei passando bastantte tempo por la (cof cof, Sephora) passeando pelas lojas e finalmente sentei pra descansar e comer.

Mas como dizem por la, o New York Minute realmente existe e o tempo passa numa velocidade diferente naquela ilha! A essa altura do dia, ja era metade da tarde (e eu ja estava batendo perna por la ha umas 6 horas!), mas continuei andando na direcao sul mais um pouco e fui ate a New York Library e da la, ate a Grand Station, que eh a estacao de trem central de Manhattan.

Infelizmente nao deu pra descer mais que isso, pois toda area de Lower Manhattan estava fechada. Quer dizer, não estava fechada não, mas como estavam rolando eventos de aniversário do 11 de Setembro, o transito estava fechado e acesso ao metro numa situação tensa (nesse dia o Obama E o Bush estavam no WTC para as cerimonias, então imagina o nivel da segurança… a cidade toda estava cheia de blitz) então fiquei com medo de conseguir chegar lá em baixo e depois ficar presa por horas no crowd control da policia e perder meu voo!

Então depois da Grand Central Station recomecei minha caminhada subindo toda a Madson Avenue até chegar na altura da rua 53 de novo, onda fica o MoMa, Museum of Modern Art.

Mas oque eu gosto mesmo é a lojinha do museu, com varias coisinhas moderninhas e legais, que da vontade de redecorar a casa toda!

Maaaaaas…. minhas horas em New York já estavam acabando, entao peguei o metro e voltei pro aeroporto!

 

 

Categorias: Nova Iorque, USA, Viagens
30
28
Feb
2011
Abrindo o Bico sobre a “minha” Nova Iorque
Escrito por Adriana Miller

A Marcie mora em NY e tem um blog super legal com dicas sobre a cidade, e volta e meia ela convida outros blogueiros/leitores a darem seu depoimento sobre a cidade, e como cada pessoa aproveita a cidade de maneiras diferentes.

Então agora foi a minha vez de Abrir o Bico e contar como é a minha Nova Iorque!

Categorias: Blog, Midia, Nova Iorque, USA
2
03
Jan
2008
E entao 2008 chegou…
Escrito por Adriana Miller

O primeiro dia do ano foi de preguica total… O Aaron ainda nao estava se sentindo muito bem e resolvemos dormir mais que a cama. A Vaiagem jah foi frenetica o suficiente e precisavamos de um pouco de descanso e preguica antes de voltar pra casa e recomecar tudo de novo…

De tarde queriamos ir no Museu de Historia Natural (American Museum of Natural History), mas foi soh sairmos de casa, dando de cara com o vento gelado que o Aaron mudou de ideia e se sentiu mal de novo. Entao fomos matar tempo num shoppingzinho na Columbus Circle (South west corner do Central park), mas a lojas eram caras demais pro nosso gosto. Entao fui na Borders comprar uns livros (“Mac for Dummies” pra aprender a usar meu laptop novo!) e revistas e voltamos pra casa.

De noite, como seria nossa ultima noite em Manhattan resolvemos enfrentar o frio e sair pra jantar com o Gavin. Fomos pra Times Square, mas estava TAO cheio, mas TAO cheio que estava impossivel. O unico lugar que conseguimos uma mesa (depois de esperar em peh por meia hora) foi o Planet Hollywood; Ok, ok, eu sei que eh brega e cliche, mas o Aaron estava doente com desejo de comer buffalo wings, e o Gavin queria pink lemonade! mas ateh que foi legalzinho, e a Cesear salad estava uma delicia!


No dia 2 era nosso dia de voltar pra casa, e passamos o dia todo em funcao de fazer mala, verificar se nao deixamos nada embaixo da cama, comprar umas ultima coisas, etc e fomos pro aeroporto cedo.

Fizemos check in sem problemas, comemos, compramos revistas e ficamos esperando. Ai o voo que ia pra Boston (onde tinhamos uma conexao) atrasou. Ai uns minutos depois o voo atrasou de novo. A depois de uns minutos vimos que ia atrasar de novo porque apesar de nao terem anunciado nada, jah era hora de embarcar e ninguem estava se mexendo.

Pronto, a essa altura do campeonato jah tinhamos perdido a conexao pra Londres. Entao lah foi o Aaron gastar seu charme a negociar com a atendende da American Airlines. Hooooras depois (exagero meu) ele volta com duas opcoes: nos voamos em voos separados pq soh tem um lugar vago em casa um dos voos diretos que saiam de NY naquela noite, ou voamos pela Air france e faziamos conexao em paris no dia seguinte (oque implicava perder o dia de trabalho). Preferi voar sozinha, mas chegar cedo em Londres (dias de ferias em ano de casamento eh um bem escarso!).

Ai depois de uns minutos ele volta feliz em contente que conseguiu botar nos dois no mesmo voo, direto de NY 1,5 hora depois. Eba!! lah fomos nos trocar de portao de embarque. Ai nos demos conta que a mulherzinha nos deu um cartao de embarque, mas sem confirmacao de assento! Ou seja, nao era um bilhete valido!

Lah fomos nos pra fila de novo, reclamar e ver se uma boa alma nos salvava.

E nisso o tempo foi passando, chegou a hora do embarque, comecaram a chamar os passageiros, e nos lah, esperando na fila. Esperamos. Esperamos. Quando nao tinha mais ninguem pra embarcar, fomos pedir satisfacao: custa dizer oque esta acontecendo?! Vamos embarcar ou nao? tem outro voo? tem vaga na Air france?

A mulherzinha olhou pra nossa cara, sorriu e nos deu nossos cartoes de embarque: Ela conseguiu nos upgradear pra Busienss Class!!!


Nao paravamos de rir um segundo! Realmente oque eu tenho de azarada em voos, o Aaron tem de sortudo. Ele jah recebeu mais upgrades na vida doque consegue lembrar! E ainda ficou me sacaneando, que ele eh TAO sortudo que conseguiu anular a minha TOTAl FALTA de sorte!

Nossa, business class eh outro mundo. Nunca mais vou conseguir viajar de Ryanair na vida! A cadeira que reclina como uma cama, o espaco entre as cadeiras, a selecao de filmes, o jantar, os brindes, o atendimento…

Pena que o voo foi tao curto… mas as duas horas que tivemos pra dormir, dormi como um anjo!

Mas mesmo assim, por causa da frente fria que chegou na costa leste e do vento forte, o voo ainda atrasou mais 3 horas e nos lah, presos dentro do aviao! mas como estavamos de Business nem me importei!

Mas como nada nessa vida eh perfeito, adivinha oque aconteceu quando chegamos em Londres??? MINHA MALA SUMIU!!!!!!!!

HAHAAHHAHAHAHHAHA!!!!!! Soh rindo memso neh? As 2 malas do Aaron chegaram intactas, fizemos check in juntos, viajamos juntos, e a mala dele chega e a minha nao?? Realmente eu tava achando estranho que essa viagem tava boa demais pra ser verdade…

Mas pelo menos jah sabem onde minha mala esta (ano passado demoraram mais de um semana pra sequer achar minha mala!), ela foi sozinha no voo original pra Boston, e na hora de fazer a conexao pra Londres viram que eu nao estava no aviao e deixaram minha mala por lah mesmo… Entao soh vou receber minhas coisas amanha.

Agora estou no trabalho, lutando contra minhas palpebras pras coitadas ficarem abertas. tenho trocentos e-mails pra ler e responder, mas me faltam forcas!!

Quero ir pra casa, tomar banho e dormir!!! (vim direto doa eroporto pro escritorio!).

 

Categorias: Ano novo e resoluções, Nova Iorque, Perrengues, USA, Viagens
1
01
Jan
2008
WTC e ano novo!
Escrito por Adriana Miller

Na segunda o Aaron ainda estava doente, mas como estava dormindo o dia todo, eu fui andar com as meninas, e tentar ver os ultimos pontos turisticos de Nova Iorque.

Comecamos o dia no Ground Zero e ver os escombros das Torres Gemeas. Mais de 6 anos depois do ataque, eles ainda estao retirando os escombros das torres e preparando o local pra nova construcao, a “Freedom Tower” que sera reerguida no local. Mas ainda esta tudo bem no inicio, e nao ha nada lah, a nao ser um grande buraco no chao. Mas esse ano por exemplo foi o ultimo ano que as familias das vitimas puderam entrar nos escombros durante o natal pra homanagens etc, porque ano que vem o lugar jah nao sera mais considerado “escombros” dos predios antigos, e sim o canteiro de obras do predio novo. Nao sei quanto tempo vao demorar pra contruir o predio novo, mas vai ser bem legal. Em vez de duas torres, serah uma soh, bem larga e super alta. Se nao me engano sera o predio mais alto do mundo.



Apesar da aparencia de caos das obras, eh impressionante estar lah e pensar em tudo que aconteceu, nas pessoas que morreram. Nao soh as pessoas que trabalhavam lah, mas fiquei imaginando todas as pessoas que estavam lah, turistas assim como eu que resolveram tirar o dia, esperaram na fila e estava lah em cima quando os avioes atingiram a torre. Ha muitos anos atras eu tambem estava lah em cima com toda minha familia, ansiosamente esperanto pra subir os cento e poucos andares e ver a cidade lah de cima. Calafrios.

Quando saimos de lah, voltamos pro centro da cidade e fomos pro Empire State Building. Queriamos subir, mas a fila estava LITERALMENTE dando voltas no quarteirao, entao desistimos e entramos em mais algumas lojas.


O problema todo era que tinhamos que voltar pra casa cedo, pq a policia ia comecar a fechar os quarteiroes em volta da Times Square cedo, por causa da quantidade de pessoas que vao pra lah ver a “bola cair” no ano novo, e nosso apartamento ficava bem naquela area. E tambem pq eu queria voltar cedo pra ficar com o Aaron. Entao chegamos em casa por volta das 3 da tarde.

Ficamos jogados no sofa, assistindo tv, bundiando na internet e bebendo cidra ateh a hora de comecarmos a nos arrumar, que tb demorou bastante ateh organizar todo mundo, e era um tal de alisar cabelo, enrrolar cabelo, maquiagem, passar roupa a ferro, etc, etc.

Passamos na casa de um dos amigos do Aaron pra “aquecer” antes de ir jantar com o resto do pessoal.
Decidimos ficar o mais longe possivel da Times Square e da confusao do ano novo, ento fomos jantar num restaurante italiano em Upper East side, onde as ruas estavam vazias e tranquilas…

A camida estava maravilhosa, abundante e barata, e asangria de vinha branco tambem estava uma delicia.
Quando deu umas 11:30 fomos pra um bar do outro lado da rua, comramos champagne e ficamos acompanhando pela TV a festa na Times Square, a contagem regressiva e as bola caindo (uma versao muito pobrezinha e sem graca dos fogos de Copacabana – soh que sem os fogos!).






A noite acabou cedo pq o Aaron estava pessimo e mal conseguia ficar em peh, e acabou que todo mundo estava tao cansado que fomos desanimando pouco a pouco.


Foi uma maneira maravilhosa de terminar um ano maravilho e comecar um outro ainda que sera ainda mais perfeito!

Feliz ano novoooooo!!!!

Categorias: Ano novo e resoluções, Nova Iorque, USA, Viagens
3
31
Dec
2007
Feliz Ano novo!!!!!
Escrito por Adriana Miller

Depois volto pra terminar os posts de Nova Iorque!

Feliz 2008!!!!!

Que todos seus sonhos se realizem no ano que vai nascer!
Muito dinheiro no bolso, saude pra dar e vender!!!!!!!!

FELIZ ANO NOVOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!

 

Categorias: Ano novo e resoluções, Nova Iorque, USA, Viagens
5
30
Dec
2007
Connecticut e o finde
Escrito por Adriana Miller

De sabado em diante, a viagem desacelerou um pouco. Primeiro pq conseguimos fazer quanse tudo que todo mundo queria fazer em Nova Iorque em dois dias, e segundo porque tinhamos outras programacoes.

Sabado eu, Aaron e gavin fomos pra Connecticut com uns amigos do Aaron pra uma festa na casa de um outro amigo. Eu ateh que estava um pouco empolgada pra ir lah e conhecer o “country side” de NY, e queris conhecer o resto do grupo de amigos do Aaron.

Apesar e que o Aaron nunca efetivamente morou em Nova Iorque, ele cursou uma faculdade no norte do estado, e morava numa fraternidade (aquela coisa bem tipica e estereotipada de filme de sessao da tarde mesmo…) com esse grupo de caras. Quando se formaram todos receberam ofertas de emprego em Nova Iorque (inclusive o Aaron, que recusou, pra ir morar no Colorado), e quase todos acabaram ficando por aqui ateh hoje. O apartamento onde estamos hospedados por exemplo, eh o apto que ese mesmo grupo de amigos alugou quando sairam da faculdade; eh um apto enorme, de quatro quartos, a duas quadras do Central park, e 3 quadras da 5a avenida, o pico. No inicio era uma extensao da fraternidade, mas ai um foi saindo, outro foi entrando, a galera foi ganhando dinheiro suficiente pra morar sozinhos etc, mas o ape ficou “no grupo” ateh hoje. Soh dois caras moram aqui agora, mas sempre que alguem do grupo de amigos deles vem pra NY, a casa esta aberta.
Sorte nossa.

Mas continuando a historia. Sabado fomos pra casa de um deles, almocamos, conversamos, me contaram varias coisas sobre o Aaron das epocas de faculdade, conversamos sobre casamento (alem de nois dois, outros dois casais desse grupo se casam ano que vem), convesamos sobre a viagem pro Rio em Julho, etc, etc.



Foi uma experiencia interessante andar de trem nos EUA, e ver como a estrutura aqui eh precaria em comparacao com a Europa, mas a Grand Central Station eh bem bonita e bem cuidada.
A noite, acabamos todos vindo aqui pra casa assistir um jogo de futebol americano, que soh acabou lah pras tantas, entao acabamos desanimendo pra sair pra balada.

No domingo a programacao original seria os “meninos” iam passar o dia todo num pub assistindo jogos de futbol, e as “meninas” iam fazer um dia mulherzinha. Porem o Aaron acordou no meio da noite super doente, fervendo de febre, com tosse etc, entao as programacoes cairam por terra abaixo… Quer dizer, nos atrasamos, mas como ele ficou dormindo o dia todo, eu fui bater perna com a Tati e a Ju no Soho e China Town. Nada muito turistico, mas fizemos compras no Soho, almocamos pasta em Little Italy, vasculhamos bugigangas em China Town.




Categorias: Nova Iorque, USA, Viagens
0
28
Dec
2007
Estatua da Liberdade e Lower Manhattan
Escrito por Adriana Miller

Na sexta feira o dia amanheceu limpo e e “quente” (tava uns 3 graus), entao resolvemos voltar pra ponta sul da ilha e aproveitar o tempo bom pra ir ver a Estatua da Liberdade (ontem nao contou, com aquele tempinho patetico…).

Cada um do grupo tinha seu “pedido” de lugares e passeios que queriamos fazer. O meu era a Estatua da Liberdade, e nao parei de encher o saco (admito mesmo) enquanto nao convenci todo mundo a voltar.

Quando chegamos lah em Batery Park, a fila dava voltas e voltas e mais voltas no quarteirao, e o tempo de espera estimado eram de 2 horas. Mas como a tati chegou lah mais cedo e jah estava na fila, resolvemos encarar. Ateh que a espera nao foi tao ruim quando parece, pq ficamos conversando, dando voltinhas no parque, etc. e quando nos demos conta, jah estavamos lah na frente.

O Barquinho tava lotado, entao nem me estressei com fotos e fomos direto pra ilha.

O tempo estava maravilhoso, com um ceu azul turquesa perfeito! O contraste com a estatua estava incrivel, e a vista do sky line tambem estava incrivel. Da pra ver quantas zilhoes de fotos nos tiramos…









Quando voltamos pra terra firme, almocamos no Chipotle, que eh uma rede de restaurantes mexicano que fazem uns burritos gigantesco e deliciosos, e fomos andando pela Wall Street, ateh a Sea side, passamos pelo Pier 17 e paramos pra fazer umas comprinhas (ninguem eh de ferro) e continuamos andando ateh a Brookling Bridge.


A Brookling Bridge nao eh necessariamente um ponto turistico de Nova Iorque (apesar de que estava lotada de turistas), mas eh linda e vale muito a pena se despencar ateh lah pra dar uma passeadinha na ponte.




A arquitetura eh linda e a vista tambem. Uma pena que chegamos lah bem naquela hora do dia que nao tah nem completamente escuro, mas tb nao eh mais dia, entao todas as fotos ficaram uma porcaria.


Entao voltamos pro shopping do Pier 17, demos mais umas voltinhas, ateh os pes pedirem arrego e voltamos pra casa e morgamos (os meninos ainda sairam de noite, mas eu fiquei enterrada no sofa assistindo filme…).

Categorias: Nova Iorque, USA, Viagens
1
27
Dec
2007
New York, New York
Escrito por Adriana Miller

Nosso primeiro dia de fato em Nova Iorque, acordamos com as galinhas pra aproveitar bem o dia. Tinhamos planejado tudo, comecando por um passeio de barco ao redor da ilha.
Entao lah fomos nos, formosos e contentes pro Pier 82 pegar nosso barquinho da Circle line. Oque nao tinhamos previsto, ou sequer conferido, eh que o tempo estava uma meleca! Um frio de rachar, e nublado e cheio de nevoeiro. Pra completar a cena, ainda comecou a chover assim que entramos no barco.





Ainda tentamos ser fortes e ficar sentadinhos no topo, na parte de fora, mas o masoquismo era demais pra mim.
Fiquei com tanta raiva, num mal humor que ninguem me aguentava. Achei um banquinho vago na parte fechada do barco e lah fui eu. Quando comecei a melhorar, um cara mega mal educado gritou com a Tati no meio do barco, porque ela estava tapando a “vista” dele. Aff. Poupe-me. O barco ainda comecou a balancar demais e eu tava doida pra passar mal, soh pra ter o prazer de vomitar em cima do ranzinza. A situacao era simplesmente patetica… aquele bando de gente, sem conseguir ver nada do lado de fora, morrendo de frio. Volta e meia o guia fazia uma piadinha do tipo “se fosse um dia normal, a sua esquerda vc veria o predio tal e tal”.

Quando finalmente voltamos a terra firme, o tempo continuava uma bosta, e achamos que nos refugiar em algum museu seria a melhor opcao. Ai fomos andando pra almocar na Times Square, e comecamos a andar, andar, fomos nos empolgando com as luzes, o mar de gente, o burburinho, ai juntou com a chuva melhorando um pouco e desistimos de fazer qualuer coisa que nao fosse andar e bater perna.





Isso pra mim eh a melhor coisa de NY: ver gente, ver o mundo passar na metropole mais caotica e muvucada da face da terra.

347 fotos da Times Square depois, seguimos viagem pro Rockfeller Centre. Vimos (parcialmente pq estava lotado) a arvore de natal e o ringue de patinacao. Estavamos meio que nos acotovelando pra tirar fotos quando de repente a galera entrou em extase: um cara fechou o ringue de patinacao e ficou soh ele e a namorada lah no meio, ai ele se ajoelhou e pediu ela em casamento na frente de todo mundo!!! Oh que liiiindo… Os americanos sao realmente romanticos…



Depois seguimos pela 5a avenida, ainda nos acotovelando avenida acima, parando volta e meia, cada vez que viamos uma plaquinha de “Sales”. Todas as lojas “famosas” tinham ateh fila na porta… Aff… A fial da Apple dava voltas no quarteirao!

Quando chegamos no Central park, tentamos pegar umas daqueas carrocas que dao a volta completa no parque mas eles soh deixam 4 pessoas de cada vez… Entao a solucao foi andar tudo mesmo… Mas outras trocentas fotos depois, adoramos e QUASE fomos patinar no gelo. Mas soh a imagem de nos 5 patinando juntos, jah rendeu tanta gargalhada que achamos que os 18 dolares nao valeriam a pena, porque jah nos divertimos o suficiente.



Quinta noite seria nosso dia de sair sem se preocupar com os amigos do Aaron, e queriamos fazer alguma coisa bem “Manhattan”, entao fomos pro Meat Packing district, que eh um bairro no sul da ilha, que foi revitlizado ha uns anos atras e agora eh o que hag na vida noturna da cidade. Jantamos num restaurante Italiano bem legalzinho, analisando as personalidades “Sex em the City” a nossa volta e depois fomos a caca de um bar.

A Tati-brow e Ju foram embora, mas os guerreiros de carteirinha (Eu, Aaron e Gavin) resolvemos ficar. Primeira parada: Budha Bar. Alem da fila ainda tinha uma consumacao minima de 350 dolares. Nao soh seria um preco absurdamente ridiculo, mas nao queriamos a obrigacao de ter que beber uma garrafa inteira de vodka cada um! hahahahaahah

Atravessamos a rua e fomos num outro bar, o Tanjune. Lah fomos nos lancar um papo no cara da porta e saber qual era da noite. A resposta dele foi o seguinte: Noss bar eh como o mercado imobiliario de Manhattan, you pay for what you get, e depende da “vista” que vc vai ter do lugar (nesse momento um grupo de umas 5 meninas estilo top model da Victoria Secret estava entrando no recinto, e ele discretamente apontou pra elas), e os precos variam entre 1200 e 5000 dolares.



Recuperados do infarto de leve, estavamos quase desistindo de encarar a noitada, e convencidos que o Meat packing disctric nao era pro nosso bico, ai eu avistei um barzinho com uma cara normal. Falei com o seguranca, nao rolava “table service” (que eh essa consumacao da mesa, que sempre eh uma fortuna), e ele nos deixou entrar direto, sem ficar na fila (oque eu achei meio estranho, e todo mundo reclamou). Lah dentro estava um deserto, e rolava umas pessoas muito estranhas… mas a musica tava boa, as bebidas eram baratas, entao fomos ficando.
Do nada, de um hora pra outra o lugar LOTOU! E com gente “normal”. A musica estava maravilhosa, e se nao fossem os planos pro dia seguinte, teriamos ficado por lah ateh o sol nascer…

Categorias: Nova Iorque, USA, Viagens
1
26
Dec
2007
Road trip to New York!!
Escrito por Adriana Miller

Muuuuuitas horas de estrada depois, engarrafamento, hamburgers gordurosos, dor de barriga, e gracas a deus um otimo radio via satelite, finalmente chegamos em Nova Iorque.




Tivemos que devolver o carro no aeroporto, e por concidencia chegamos lah na hora que o voo do Gavin chegou.
Estamos hospedados na casa de uns amigos do Aaron da faculdade, que moram na 58th com 7th Ave, que eh o pico de Manhattan, a dois blocos da 5a avenida e 1 bloco do Central Park.
Melhor que isso eh que eles nao estao em casa, entao o apartamento esta todo soh pra gente!



Apesar do cansaco, ainda saimos pra jantar com um outro casal de amigos e fomos num stake house no harlen que era praticamnete um temploa carne de porco! Argh! (sei que eh estranho, mas sou alergica a carne de porco).
Fiquei meio desconfiada, mas a garconete garantiu que o frango era cosinhado separada do porco, entao nao teria problemas. Mas adivinha? Ela mentiu!
Saimos do restaurante e fomos pra um bar e eu jah estava verde e suando frio, e passei mal a noite toda.

Categorias: Nova Iorque, USA, Viagens
3
20
Dec
2007
O Caminho das pedras
Escrito por Adriana Miller

Chegamos em NY sao e salvos. O voo, apesar de lotado, foi tranquilo. Como sempre levei uma dura no imigracao do check in, que dessa vez foi tao sinistra que o Aaron chegou a ficar nervoso achando que nao iam me deixar embarcar!! Do nivel de me pedirem conta de luz e bussiness card. Mas eu sei que essas coisas sao de praxe, e no final das contas inofensivas.

Todas as malas chegaram sem percalcos, e eu mal pude acreditar!!

Entao seguimos pra alugar o carro. Sempre que venho aos EUA me impressiono como as pessoas sao legais e simpaticas umas com as outras. Pode ser tudo falso, nao me importa, mas que eh bom receber um bom dia, ou quando um estranho se oferece pra ajudar com as malas, ah isso eh.

Alugamos o carro sem problemas e de quebra ainda ganhamos um upgrade pra um Dodge novinho em folha!!
Ok. Peh na estrada.

O mapa do google dizia que pra sair do centro de NY pra pegar a Interstate iria demorar uns 20 minutos. Adivinha quantas horas demorou pra cruzar Manhattan e passar pela ponte do Brooklin?? DUAS horas!!!!!!
Mas passado o susto de dirigir no centro de Nova Iorque, pegamos a estrada e foi tranquilo. O unico motivo pelo qual decidimos ir dirigindo ateh pittsburgh eh porque o voo direto pra Nova Iorque, quando compramos em setembro, era infinitamente mais barato, quase de graca, e achamos que ia ser legal fazer uma road trip pelo leste americano. Mas logicamente esquecemos do fuso horario, do cansaco do voo, e com as duas horas de engarrafaento em NY. Alem do stresse de dirigir depois de meses a base de metro.



Quando finalmente chegamos na casa da mae do Aaron jah era quase 11 da noite (local) oque significava que estavamos acordados e viajando a quase 24 horas seguidas!
Nem precisa dizer que caimos duros de sono, e nos recuperamos rapidinho do jet lag…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Nova Iorque, Pittsburgh, USA, Viagens
1
Página 1 de 212