15
May
2014
Compras no Japão: o que vale a pena e o que não vale (seja por questão de preço ou nível de interessância!)
Escrito por Adriana Miller

Olha, eu não sou uma pessoa que já viaja com compras em mente. Não sou mesmo.

Geralmente minhas viagens tem outro foco, e gosto de gastar meu tempo e meus travel-dollars de outras maneiras e não enfurnada em Zaras, H&M, shoppings e outlets mundo afora.

Mas pro Japão isso foi beeeeem diferente!

Por um lado, o Aaron estava mega eufórico com as novidades e nerdices eletrônicas que só o Japoneses sabem fazer – e eu também né? Apesar de que meu nível de nerdice esta alguns patamares abaixo do dele, não resisto a uma geringonça tech!

E eu estava praticamente enlouquecida nas bugigangas e produtos de beleza e cosméticos Japoneses!

Mas sejamos sinceros: Japão é um lugar caro, e ponto final. Bem, quer dizer. Não achei nada super caro não, e na verdade achei os preços bem equivalentes e tabelados com os preços na Inglaterra e Europa, por exemplo (leia-se: mais caro que os EUA, mais barato que o Brasil).

Ou seja, não é o tipo de lugar que você viaja SÓ pra fazer compras, mas também não significa que tudo é tão proibitivo que você não pode nem olhar as vitrines…

Então de maneira geral, eu diria que apesar de não ser aquela perdição-capitalista-selvagem de um Outlet na Florida, a maioria das coisas ainda são bem mais baratas que no Brasil, por exemplo. Então valer a pena, vale.

Para nós, muita coisa não valeu a pena simplesmente porque temos as mesmas marcas & preços na Europa, então não prestei muita atenção para lojas de roupa, por exemplo.

Por um lado, como disse, as marcas e preços são os mesmos que encontro em Londres, mas o principal “impecilho-consumista” na area das roupas e sapatos é que as lojas tem um foco muito especifico para o mercado local, então mesmo em marcas Europeias como Zara e H&M, por exemplo, tem modelos, estilos, modelagens e tamanhos muuuuuito diferentes dos disponíveis no Ocidente, e sinceramente não achei nada irresistível demais (e como sou uma media de 3 palmos mais alta que a população Japonesa e calço sapatos que fariam o Bozo se sentir um gueixa, deixei pra lá, e não gastei minhas energias com isso).

Maaaaas… Não consegui passar pela porta de uma farmácia ou loja de departamento sequer, sem querer entrar e analisar produto por produto!

Então o que valeu a pena comprar no Japão (e Coreia do Sul também!)?

 

- Eletrônicos:

Como disse acima, a maioria dos preços de eletrônicos e equipamentos fotográficos no Japão são bem tabelados com o que vemos na Europa, mas esse é um ” departamento” de compras que vale a pena prestar atenção numa viagem ao Japão e Coreia do Sul por dois motivos bem simples:

O primeiro e mais fácil, eh o Tax Free – qualquer turista nao-residente no Japão tem direito a 10% ou 8% de tax free em determinados produtos e lojas. E ao contrario do processo de tax free na Europa, que é bem chatinho, no Japão é super simples: basta apresentar seu passaporte (mostrando seu visto de turista) na hora do pagamento, e o desconto eh aplicado na hora! E por mais que 10% não seja asssssssim-o-que-diferença-no-preço-final, porque não né?

Mas o principal mesmo, são as novidades!

Afinal as principais e maiores marcas de tecnologia do mundo hoje em dia são de lá: Canon, Nikon, Sony, Panasonic, LG, Samsung (que eh Coreana e não Japonesa), etc que são as marcas “produto nacional”, então muitas vezes só por não terem passado pelo processo de exportação, já passam a ter preços mais competitivos do que no resto do mundo.

E também porque TUDO é lançado primeiro no mercado nacional (deles) antes de ser exportado para o resto do mundo.

Então principalmente em relação a produtos de tecnologia de ponta (principalmente Câmeras fotográficas e celulares/tablets), algumas novidades são lançadas no Japão ate 6 meses antes do resto do mundo! E como o Aaron (e meu pai também tinha me dado uma listinha de modelos!) esta sempre super antenado nessas coisas, ele já sabia mais ou menos quais câmeras/acessórios provavelmente já estariam disponíveis no mercado Japonês, e que ainda demorariam vários meses pra chegar na Europa/EUA.

E foi numa dessas que virei a casaca e me rendi aos poderes de uma câmera Canon (que me acompanha a bastante tempo sabe que sempre fui fã das câmeras Sony). Demos de cara com o novíssimo modelo Canon G1X numa loja em Shinjuku e de cara fiquei encantada. Não sabia se o preço valia tão a pena assim ou não, então resolvi fazer o dever de casa no hotel.

Assim descobri que a câmera só estará disponível no mercado Europeu e Americano em Julho de 2014, com preço sugerido de 900£ ou 1000US$, e as resenhas e feedbacks eram todos ótimos! Em compensação, no Japão, além de já estar disponível nas lojas, o preço estava mais de 30% mais barato, e como ainda tínhamos direito ao tax free, a câmera sairia por quase 50% de desconto! Então continuamos procurando a nova Canon pelas mega lojas de Tóquio (era novidade fresquinha então estava esgotada em varias delas), e acabei comprando pelo equivalente a uns 420£ (Libras Esterlinas), então valeu demais a pena e realmente não deu pra resistir!

(Muitos leitores estão me pedindo uma resenha sobre a nova Canon G1X, e vou pedir pro Aaron me ajudar a escrever sobre ela… Mas pra quem lê em Inglês, o Aaron tem um ótimo – porem meio abandonado – blog de fotografia, o Postcard Intellect com dicas e tutoriais incríveis sobre fotografia de viagem e equipamentos)

 

- Cosméticos e Maquiagens:

E agora a parte mulherzinha das compras (minha parte preferida!)!

Todas as vezes que viajei pra Ásia eu adorei conhecer as novidades (como os ingredientes exóticos na Tailândia ou as novidades de mercado no Oriente Médio - muito antes de chegarem no resto do mundo!). Mas principalmente porque tanto o Japão quanto a Coreia do Sul são mercados super nicho e super poderosos no mundo da beleza, onde as mulheres dos dois países são notoriamente ultra vaidosas, exigentes e excêntricas!

Então por um lado tem todo o lado lúdico de (tentar) descobrir o significado e o uso de todas as geringoncas-da-parafuseta nas farmácias e supermercados Japoneses!

20140515-220731.jpg

Palitinho de limprar cravos do nariz? Check! Massageador facial pra fazer sua maca do rosto ficar mais saltada? Check! Escova para limpar o couro cabeludo? Check! Ferramentas assustadoras-indecifraveis para afinar o nariz e arredondar os olhos?! Check! Check! Check!

Incrível! Um tudo de esquisito, excêntrico, supérfluo (e deliciosos de descobrir) que podia imaginar, existe por lá!

Não comprei mais coisas estranhas por simplesmente a grande maioria delas eu não consegui decifrar pra que serviam!! (as instruções são todas em Japonês, mas a maioria das embalagens tem também instruções em “desenho em quadrinho” explicando passo a passo como usar tal produto, o que facilitou bastante).

20140515-220840.jpg

E por outro lado, tem essa coisa do mercado Asiático ser tão nicho e exigente, então TODAS as grandes marcas de cosméticos e maquiagem tem linhas exclusivas que só vendem por lá. Quase todas essas linhas exclusivas seguem a mesma tendência: proteger do sol, apagar manchas e deixar a pela mais clara/iluminada (e foram eles que inventaram os BB e CC Creams que agora dominam o mundo da beleza no mundo todo!).

Principalmente as Japonesas e Coreanas são absolutamente aversas ao sol, e apesar de quase todas são morenas (e mesmo as mais branquinhas tem um sub-tom de pele amarelado, que é o mesmo caso da pele Latina), o padrão de beleza delas é totalmente anti-bronzeado.

Mas o que eu gosto dos produtos Asiáticos, é que – como mencionei acima – a pele Asiática e Latina tem muitas semelhanças, sempre com tons e sub-tons de pele mais amarelado (mesmo as Brasileiras/Portuguesas/Espanholas/Italianas mais branquinhas raramente tem aquele tom de pele “rosa” dos nórdicos e loiros de verdade), então os produtos para proteção da pele, produtos para apagar manchas, e principalmente os tons de maquiagem são super compatíveis pra gente!

E além disso, o clima deles eh parecido com o Brasil, com verões muito úmidos e quentes, então eles tem produtos super eficazes anti oleosidade e brilho, que sempre eh o inimigo das Brasileiras!).

20140515-220758.jpg

E por fim, as marcas. Assim como para os eletrônicos, algumas das melhores marcas de beleza “nicho” hoje em dia são Japoneses e/ou Coreanas: SK II, Cle de Peau, Shu Uemura, Shiseido etc são Japonesas, e a Amore Pacifc e Misha sao Coreanas.

Então além de serem marcas que nao estao disponíveis em muitos outros paises do mundo, alem ainda tem linhas de produtos que so existem la (como a linha – maravilhosa – de produtos de cabelos da Shiseido, que no Japao vende em qualquer Farmacia por 7 dolares, e na Inglaterra so vende on line por 40 Libras!), e os lançamentos que saem no mercado “local” bem antes de chegar no resto do mundo, e consequentemente os precos tambem sao bem melhores (pois nao sao “exportados”).

Outro bom exemplo de precos (que voces sempre pedem) eh o corretivo Cle de Peau que na Europa e EUA eh considerado o Holy Grail das maquiagens de luxo. Nao eh que seja a preco de banana no Japao, mas por exemplo, em Londres esse corretivo so vende na Harrods e custa mais de 80 Libras. E eu comprei o mesmo produto (sendo que na Asia eles tem muito mais opcoes de cores!) tanto na viagem que fiz a Pequim uns anos atras quanto agora em Toquio por cerca de 30 Libras.

 

Ou seja, apesar de que o Japao de maneira geral nao eh um lugar super barato, muita coisa vale a pena ser comprada por la, caso voce esteja de viagem marcada pra’quelas bandas!

20140515-220721.jpg

(e para as meninas me pedindo resenhas e dicas dos produtos que comprei nessa viagem, vou começar a postar sobre todos – a medida que for usando e testando – lá no Beauty!)

 

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Toquio, Viagens
17
13
May
2014
Toquio: The Westin Hotel
Escrito por Adriana Miller

Essa viagem para o Japao e Coreia foi nossa terceira grande viagem para a Asia (4a, se contarmos o Sub Continente Indiano), sendo o 12 e 13 paises visitados, e uma coisa que eu aprendi nessas viagens foi respeitar o que eh diferente, e reconehcer onde consigo me adaptar, e onde prefiro manter as cosias mais “familiares”.

DSC00096

E nisso, a opcao de hospedagem sempre eh minha preocupacao numero um! Entao fizemos questao de ficar hospedados em hoteis internacionais, com servico e qualidade ocidentalizadas, onde saberiamos que teriamos aquela sencacao de “voltar pra casa” no fim do dia.

E ai eh que esta o pulo do gato – nao eh uma questao de se o servico ocidental/oriental eh melhor ou pior, apenas um detalhe de minhas viagens que aprendi a reconhecer que prefiro manter em territorio familiar, principalmente depois da chegada da Isabella.

DSC00094

Entao em Toquio ficamos no hotel Westin (por acaso a mesma rede de hoteis que ficamos hospedados em Xangai, na China – e nao por acaso, meu hotel preferidissimo em Madrid, na Espanha), que ofereceu exatamente tudo que buscavamos: servico impecavel, otimo nivel de Ingles de todos os funcionarios, varias opcoes de restaurantes e quartos espacosos.

Desde nossa chegada o hotel teve todo cuidado de – na medida do possivel – atender a todas as nossas necessidades, incluindo nos dando um check in ligeiramente mais cedo que o normal, quando chegamos no quarto o bercinho da Isabella ja estava pronto esperando por ela, a concierge nos ajudou a planejar nossos dias e ate me deu fraldas extras e dicas de onde comprar comida de bebe ali por perto!

E por falar nisso, o Westin de Toquio fica no bairro Eibisu, que apesar de nao ser super central nao, eh um bairro residencial super gracinha e tranquilo, e o hotel fica extamente em frente ao badalado restaurante do Joel Rebouchon de Toquio (que acabamos nao tendo tempo de ir, mas ja fomos no do Londres e Las Vegas), do lado a cervejaria Japonesa Sapporo (com direito a visitas a fabrica e um restaurante/beer garden bem bonito), uma enooooorme loja de departamentos Mitsukoshi do outro lado da rua (que no subsolo tme um supermercado incrivel), e muitas opcoes de cafes, restaurantes, farmacias, Starbucks, Dean & Deluca, etc, etc a poucos metros de distancia.

DSC00087

A estacao Eibisu tambem fica a pouco minutos andando do hotel, onde tinhamos nao so algumas linhas do Metro de Toquio, mas tambem uma estacao de trens JR (otimo pra quem comprar o passe de trens e otimas conexoes com os dois aeroportos!), e na prorpia estacao a loja de departamentos Atre (que esta presente em quase todas as grandes estacoes da cidade) era praticamente um shopping de opcoes de cafes, restaurantes e lojinhas. O maximo, e tiramos muito proveito de nossa vizinhanca!

Dentro do hotel o buffet do cafe da manha era excelente, alem do bar e “atrium” que tambem serve bebidas e comidinhas rapidas, e mais dois restaurantes mais bacanas, um Chines e outro Japones (que milagrosamente foi o unico lugar no Japao que conseguimos comeer Sashimi! Mas isso eh papo pra outro dia!)

The Westin Toquio

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Toquio, Viagens
8
12
May
2014
Toquio: Ginza
Escrito por Adriana Miller

Ginza é outro bairro de Tóquio que é uma ótima opção “estereotipa” da cidade, e na verdade um dos bairros preferidos entre turistas.

Pra quem conhece Londres, a primeira sensacao que tive ao chegar la foi que eu estava numa espécie de Piccadilly Circus Asiática (ou seria a Times Square?!), com seus cruzamentos, luzes de neon e mega-lojas para todos os lados!

14163373125_760e5f1127

E em Ginza encontramos de tudo: desde as lojas flagship Asiáticas das marcas mais exclusivas (e caras!) do mundo, as enormes lojas de departamento onde encontramos de um tudo, e principalmente varias flagships e showrooms de marcas tipicamente Japonesas, como os eletrônicos da Sony (a sede da empresa fica em Ginza, e uns 3 andares do prédio são abertos a visitação, onde esta o showroom da marca) aos cosméticos da Shiseido, além de muitas outras marcas internacionais.

DSC00054

Apesar de que não seja uma area com nenhum ícone a “ser visitado”, o bairro tem alguns marcos que valem a pena prestar mais atenção, como é o caso da loja de departamentos Wako, que ocupa a principal esquina de Ginza, com seu relógio Seiko no topo da torre, e a loja mais histórica e antiga de Tóquio.

13976710049_4c5154dd7f

Tanto a fachada quanto o interior fazem um estilo mais “Europa”, e seus corredores exibem produtos de marcas selecionadíssimos e super fora do lugar comum (coisas do tipo: quer mandar fazer uma bota de montaria sob medida? Encomendar um enxoval todo de prata para seu bebe? A Wako é seu lugar!).

DSC00076

Bem do outro lado da rua, na outra esquina esta a gigante Mitsukoshi, que apesar de também estar presente em outros bairros de Tóquio, a loja de Ginza é seu carro chefe, com nada mais nada menos que 11 andares recheadissimos de todas as marcas e departamentos possíveis e imagináveis!

DSC00066

A surpresa, no entanto, esta no 9 andar, onde fica seus “oásis urbano” – um jardim a céu aberto em plano centro de Tóquio!

Com direito a gramado, playground para crianças e vários restaurantes foferrimos! Passamos uma manha inteira por lá com a Isabella, brincamos, compramos e almoçamos e nem vimos o tempo passar!

DSC00071

DSC00061

Outros nomes & endereços para saciar a sede de compras em Ginza? (além das lojas da Sony e da Shiseido que já falei acima).

DSC00068

Outra loja de departamentos, a Matsuya – com uma seleção de marcas e produtos um pouco mais premium (no andar térreo, logo na entrada fica o departamento de cosméticos e beleza, e achei essa loja ótima pra achar aquelas coleções e linhas exclusivas da Ásia que as marcas só vendem lá! Tem de tu-do!)DSC00055

DSC00057

A loja de eletrônicos Big Camera, que também tem andares e mais andares de todas as opcoes de eletrônicos e cacarecos que se possa imaginar. Começando pelo andar térreo inteiro dedicado a celulares e acessórios (imagina um supermercado inteiro só de capinhas, protetores, cabos, penduricalhos e afins), passando por eletrodomésticos, TVs e videos, etc, etc e claro, câmeras fotográficas!14160623252_463c51f56b

(Ainda vou fazer um post mais detalhado sobre compras no Japão, mas foi na Big Camera de Ginza que achamos a câmera nova que trouxe da viagem que tanta gente me perguntou n Instagram!).

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Toquio, Viagens
4
11
May
2014
Japão e Coreia: como planejei minha mala (e looks! Meus e da Isabella!)
Escrito por Adriana Miller

Eu já fiz incontáveis posts sobre como faço minhas malas, mas a cada grande viagem o perfil de minhas preferências mudam, as necessidades de cada destino também mudam (minhas viagens a trabalho ou de fim de semana pela Europa não contam… são rápidas e geralmente levo umas 2 ou 3 mudas de roupa numa mala de mão, e as viagens mais longas para o Brasil eu relaxo, pois sei que posso atacar o armário da mãe e irmã quando estiver la!).

Mas na verdade planejar o que levar na mala para essa viagem não foi difícil – passaremos por apenas 3 cidades grandes, sem grandes “exotismos” de atividades (não faremos nenhum esporte nem caminhadas, não faremos nenhum programa mais arrumadinho nem nada fora do básico), então sabia que minha mala seria composta por pecas e “looks” que uso no dia a dia em Londres, ou usaria em qualquer outra viagem pela Europa, ou Rio de Janeiro, EUA e afins.

O que mudou dessa vez foi a metodologia – resolvi testar uma maneira diferente de arrumar e organizar as roupas na minha mala, por três simples motivos: em primeiro lugar, porque minha mala seria dividida com a Isabella, e apesar de que as roupas dela são minúsculas, bebes são ímãs de tralhas e como ela esta na fase de anda-engatinha-se-arrasta-pelo-chao e querendo comer sozinha e tals, precisamos de vaaaarias mudas de roupa por dia.

E em segundo lugar porque acho que achei que alguns hotéis no Japão seriam bem pequenos, então queria manter a mala o mais pratica e objetiva possível, sem precisar espalhar demais minha zona cada vez que quisesse achar um par de meias (sou zoneira assumida).

E por fim, porque íamos viajar de trem bala entre Tokyo e Kyoto (e assim como nos trens na Europa, apesar de não ter limite de peso, o espaço para guardar bagagem eh bem limitado) e um voo de low cost entre Kyoto e Seoul (e a pesar de que eu paguei a mais para levar bagagem despachada, não sabia o quão restrito eles seriam em relação a tamanho e peso das malas).

Comecei o processo de “planejar” o que queria levar da mesma maneira que faço em TODAS as minhas viagens: de olho na previsão de tempo.

Sim, o clima é imprevisível, e um dia pode estar sol e calor e no dia seguinte cair uma nevasca (#TraumasDeLondres), então não basta olhar a previsão na véspera da viagem – tem que acompanhar de perto mesmo!

Sei que isso eh um pouco TOC meu, mas assim que marco minhas passagens para algum lugar, ja vou logo adicionando a cidade em questão no meu iPhone (naquela App de meteorologia), e assim passo semanas e meses acompanhando a quantas esta a temperatura, se oscila muito, se tem chovido muito, etc, etc.

Então tanto no Japão quanto na Coreia eu sabia que as temperaturas estavam estáveis, na casa dos 15/20 graus e dificilmente teríamos grandes surpresas meteorológicas, o que é sempre ótimo e evita certos dilemas de “vou levar essa saída de praia caso faca 40 graus e esse sobretudo caso caia para -15”, sabe?

Então fiz mina listinha de itens, sempre tendo em mente que as pecas podem ser sobrepostas e combinadas entre si, seguindo uma certa paleta de cores (eu sempre falo sobre isso nos posts sobre fazer a mala, mas ajuda tanto ao longo da viagem, ter pecas que combinem entre si, e assim mesmo com um mala pequena conseguimos combinações mil, e temos a sensação de ter com uma roupa e “look” diferente todos os dias, mesmo tendo na verdade poucas opcoes de pecas!).

As pecas chave foram: camisetas, malhas finas, jaquetas de meia estação (couro, sarja, blazer), jeans, sapatos confortáveis e acessórios.

Então mina nova estratégia de organização copiou um pouco o que sempre fiz para Isabella (e nas poucas vezes que não arrumei a mala dela assim, sempre tivemos problemas!), usando compartimentos e nécessaires especificas para cada tipo de roupa e ate mesmo looks já montados.

20140511-202532.jpg

No caso da mala da Isabella eu coloco as montagens já prontas (calca + blusa, ou saia + body, ou vestido + blusa + meia calca, por exemplo) já separados em saquinhos plásticos (desses tipo Ziploc), por que ela raramente usa a mesma peca/combinação mais de uma vez (porque criança se suja mesmo e não tem como evitar), e assim fica mais fácil pela manha já pegar um look montadinho para ela, colocar outro extra na bolsa de fraldas e pronto, em vez de fica pensando qual calca combina com qual blusa e com qual sei lá o que. E assim também reaproveito os sacos plástico para guardar as pecas sujas que vamos trocando ao longo do dia.

20140511-202606.jpg

Já no meu lado da mala, a coisa eh um pouco diferente, pois não levo um look/combinação especifica para cada dia – prefiro fazer essa analise combinatória de pecas que mencionei ai em cima.

Então comprei esses compartimentos/nécessaires na Amazon, que são quadradas/retangulares, de nylon e tela (assim fica mais fácil ver o que tem em cada uma), e na maior coloquei camisetas, regatas, camisas e malhas, e nas outras separei calcas, jaquetas, roupas intimas e acessórios (lenços e cintos).

20140511-202551.jpg

Assim também ficou fácil “encaixar” os nécessaires dentro da mala, e ir montando um quebra cabeça com o resto: sapatos no fundo (levei dois pares de sapatilhas na mala e um tênis ja no pe), necessaires com cosméticos, etc.

Ficou TÃO mais fácil achar tudo que precisava ao longo da viagem, principalmente a medida que fomos trocando de cidade e hotel a cada 3 ou 4 noites.

E para matar a curiosidade, aqui estão algumas fotos dos nossos “Looks” – meus e da Isabella!

 

untitled (373 of 486)

 

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Coreia do Sul, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Japao, Viagens
42
08
May
2014
Toquio: Harajuku
Escrito por Adriana Miller

Depois de uma longa viagem entre Londres e Tóquio, nosso primeiro dia no Japão foi bem divagar…

Mas também pudera: depois de quase 10 horas de voo (sem contar as duas de atraso ainda em Londres!) e as 8 horas de fuso horário, significa que saímos de casa no sábado de manhã e chegamos no Japão no domingo de manhã – porem não tivemos a noite de sábado, então os 3 estavam se sentindo bem zumbis…

untitled (29 of 485)

Mas nos tínhamos levado isso em consideração no nosso planejamento da viagem, então passamos o dia quase todo relaxando no hotel, deixamos a Isabella dormir de tarde com toda calma do mundo, e antes que o dia todo fosse desperdiçado, fomos direto para um dos bairros que eu mais tinha curiosidade de conhecer: Harajuku!

O bairro Harajuku no sul de Tóquio sempre foi meu principal “estereotipo” da cidade: muitas luzes de neon (mas depois descobri que todos os bairros centrais são assim!) e muitos Japoneses excêntricos e lojas e restaurantes interessantes!

Eh esse o bairro também que propaga a cultura “manga”, a arte do desenho animado e de quadrinhos Japoneses, e onde os adolescentes criativos trazem os personagens a tona.

Loja na saída no metro, fomos seguindo o fluxo de pessoas fantasiadas e cabelos coloridos ate que chegamos na rua Takashita, a mais típica do bairro (mas que não eh a rua “principal” não, e foi na verdade bem difícil de achar), onde passamos as horas seguintes, subindo e descendo, tirando fotos e entrando nas lojas.

Foi a introdução perfeita a nossa viagem e o que os próximos dias trariam!

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Toquio, Viagens
5
25
Apr
2014
Uma Decada
Escrito por Adriana Miller

ATENÇÃO: O resultado do sorteio já esta no final do post!

 

Hoje eu comemoro exatamente 1 decada que cheguei na Europa – desembarquei na Italia para estudar por uns meses e logo depois seguiria para a Espanha, onde o plano era fazer um mestrado e viajar um pouco ao longo de um ano.

O blog, criado umas semanas antes do embarque, depois de muita insistencia de uma amiga, serveria como um diario virtual, e uma maneira de registrar minhas viagens e experiencias, mantendo a familia e amigos atualizados nas minhas andancas.

Um dos primeiros posts, escrito mais uma menos 1 semana de “vida nova” na Italia eu escrevi o seguinte:

Uma semana. Sete dias. 168 horas. 10.080 minutos. 604.800 segundos… É o tempo que estou aqui. Parece pouco, mas não é. E acho que há muito tempo que não me sentia tão feliz, satisfeita e realizada. Nessa semana vivi uma vida inteira. As coisas que vi, as pessoas que conheci, as coisas que aprendi.

Criei expectativas e fantasiei sobre essa viagem durante muuuuito tempo, mas nunca pensei que pudesse ser tão bom. Até as coisas que não são tão legais assim, se tornam maravilhosas, basta pensar “pelo menos estou aqui”. Eu sei que esse sentimento de euforia um dia vai passar, vai começar a bater saudade, as dificuldades vão deixar de ser “experiência” e se tornarão puro perrengue, etc… mas até lá, estou aproveitando cada segundo! Ando na rua olhando p/ todos os lados, para todas as pessoas, querendo absorver tudo em volta.

Nunca poderia imaginar que se pasariam 10 anos, eu estaria morando em Londres, com uma nova carreira, teria viajado por 85 paises e ainda por cima casada e com uma filha!

E o melhor mesmo eh ler alguns de meus comentarios iniciais e saber que esse sentimento de euforia e descobrimento nunca me abandonou, sempre querendo conhecer mais, aproveitar mais, aprender mais!

Mas surpresa mesmo eh pensar que 10 anos depois esse bloguinho ainda existe, mais ou menos como sempre foi a intecao: registrar meu dia a dia, minhas experiencias e viagens. Hoje em dia um pouco menos “querido diario” e um pouco mais “dicas”, mas sinceramente me orgulho de ainda encarar esse espaco virtual como um blog “de antigamente”, um lugar de bate papo, frequentado por muita gente legal!

E para comemorar a data especial pensei em fazer uma coisa que nunca fiz por aqui: um sorteio!

Uma maneira simbolica de agradecer as visitas, os comentarios, os e-mails e as amizades que fiz gracas ao blog nos ultimos 10 anos!

O premio sera o “filhote” do blog, o guia de viagens que escrevi ano passado com todas as minhas principais dicas de Londres!

GuiaLondres

Entao quem quiser participar, basta deixar seu nome e e-mail nos comentarios e semana que vem farei o sorteio!

O livro podera ser enviado a qualquer lugar do mundo, entao qualquer leitor podera participar!

Aos que me acompanham a muitos anos, mais uma vez obrigada pela compania, e pra quem esta chegando agora, podem puxar uma cadeira e ir se acomodando, porque quem sabe outra decada nao vem por ai?!

RESULTADO DO SORTEIO:

O Leitor(a) sorteado foi o(a)…..

Stefanie Nascimento!!!!!

Screen Shot 2014-05-07 at 19.56.24

 

Stefanie, por favor entre em contato comigo pelo e-mail drieverywhere@gmail.com para pegar seus dados e combinar o envio do livro!!

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Blog
673
24
Apr
2014
Seoul ao vivo!
Escrito por Adriana Miller

Bem, na verdade já chegamos em Londres, mas aproveito essa madrugada sem sono de jet lag para postar algumas fotos dos dias que passamos em Seoul, na Coreia do Sul.

20140424-035808.jpg

20140424-035826.jpg

Em primeiro lugar, a viagem pra Seoul foi curtíssima, infelizmente!
No total foram apenas 2 dias “úteis” na cidade, e teria facilmente passado mais uma semana inteira lá!
Mas a decisão de incluir a Coreia no nosso roteiro foi tentadora demais, e acabou que deu super certo com vôos, viagens internas e tal, deixando tudo bem redondinho.

20140424-040044.jpg

20140424-040116.jpg

20140424-040128.jpg

A cidade foi uma boa surpresa, uma versão “Ásia” que juntou varias outras cidades e caraterísticas da Ásia que eu gosto bastante, mas de uma maneira bem tranquila…
Achei muito fácil de andar pela cidade, as pessoas são ainda mais simpáticas que no Japão e apesar do tempo corrido (afinal não tivemos muito tempo por lá), senti que conseguimos curtir a cidade e a viagem numa boa.

20140424-040437.jpg

20140424-040450.jpg

20140424-040512.jpg

20140424-040526.jpg

20140424-040544.jpg

20140424-040607.jpg

Nos próximos dias entrarão posts mais elaborados com os detalhes da viagem, e vou tentar responder as muitas perguntas que recebi no Facebook e Instagram esses dias – sobre o roteiro da viagem, os hotéis que ficamos, comida, como foi a questão da língua por lá, as rotinas da Isabella e viajar com um bebe pra um lugar tão diferente, e ate mesmo o que levei na mala e as compras (perdição!) de beleza!
Esqueci alguma coisa? :-)

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Coreia do Sul, Viagens
17
21
Apr
2014
Kyoto ao vivo!!
Escrito por Adriana Miller

Kyoto é a antiga capital do Japão e uma de suas cidades mais históricas – e por isso mesmo foi essa nossa escolha pra segunda parte da cidade!

20140422-070054.jpg

20140422-070118.jpg

As duas cidades não poderiam ser mais diferentes, mas se complementaram perfeitamente num roteiro basicão no Japão!

20140422-070230.jpg

20140422-070245.jpg

Como sempre, saímos de lá com vontade de ficar mais dias e fazer muitas outras coisas, mas ainda assim conseguimos fazer tanta coisa legal!!!

20140422-070427.jpg

20140422-070457.jpg

20140422-070515.jpg

Mais uma vez pegamos dias lindos de primavera, o que foi uma surpresa, pois sempre tinha ouvido falar em como essa época do ano era chuvosa no Japão!
Mas resolvemos arriscar assim mesmo pra ver as Sakuras em flor, e valeu demais a pena!!

20140422-070651.jpg

20140422-070707.jpg

20140422-070724.jpg

Em Kyoto é que realmente vimos a exuberância da primavera no Japão, o que rendeu fotos e momentos incríveis!

alt=”20140422-070854.jpg” class=”alignnone size-full” />

Agora já chegamos na Coreia do Sul, e a viagem ta quase chegando no final…

Mas já já eu volto! :-)

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Viagens
11
17
Apr
2014
Tóquio ao vivo!
Escrito por Adriana Miller

Depois de 4 dias intensos em Tokyo, hoje a noite chegamos em Kyoto, então aqui ficam algumas imagens dos nosso primeiros dias nesse lugar incrível!!

20140418-003030.jpg

20140418-003107.jpg

20140418-003127.jpg

20140418-003147.jpg

Alguns de vocês vão reparar que essas fotos estão sendo compartilhadas “ao vivo” no Instagram e Facebook do blog (e tão quem ainda não segue, bóra’ê!), mas não podia deixar de registrar parte da viagem por aqui!

20140418-003356.jpg

20140418-003413.jpg

20140418-003501.jpg

Tóquio esta sendo uma surpresa e tanto… Por um lado, bem menos “futurística” e gigante do que eu imaginava, mas por outro lado, incrivelmente mais agradável, fácil de navegar, e habitada por um povo que dói de tão simpáticos e educados que são!

20140418-003700.jpg

20140418-003714.jpg

20140418-003731.jpg

Agora ainda temos mais 3 dias em Kyoto antes de seguir viagem para Coreia do Sul, e mal posso esperar acordar logo amanha e continuar a viagem!!

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Categorias: Japão, Viagens
14
16
Apr
2014
Hotel Bristol – Varsóvia
Escrito por Adriana Miller

O hotel para a viagem a Varsovia foi escolhido a dedo, e entre as opcoes que tivemos, foi a opcao mais acertada!

Pra comecar que realmete queriamos um lugar especial, e quando comecei a pesquisar, o Bristol ganhou de disparado!

E tem todo o lado ludico tambem ne? Alem de ser um hotel de luxo, ultra confortavel, moderno e de otimo servico, eles sao parte da historia da Polonia e Varsovia, ocupando todo quarteirao da avenida Krakowskie Przedmiescie, a principal da cidade.

O hotel foi inaugurado em 1901, e durante toda decada de 1920, o hotel tambem serviu de Parlamento ao Primeiro Ministro Polones, ja que o Palacio Presidencia eh seu visinho de porta.

Ja durante a decada de 30/40, os Alemaes gostaram tanto da localizacao e arquitetura do hotel que ele serviu como QG para os governadores Sovieticos do distrito de Varsovia, e por isso mesmo foi uma das unicas construcoes na cidade que sobreviveram aos bombardeios e destruicao da Segunda Guerra.

O pos guerra e a era comunista foram duros ate mesmo para o Bristol, que foi abandonado durante anos, depois vendido para a Universidade de Varsovia para usado como armazem, e somente na decada de 90, depois da queda do comunismo eh que o predio voltou a ser um hotel, passando anos em reformas e sendo vendido e revendido a diferentes redes internacionais, ate que em 2013 o hotel foi novamente completamente reformado e redecorado, restaurando a arquitetura original de 1901 e desde entao faz parte da “Luxury Collection” da rede Starwoods.

Nos chegamos numa sexta a noite e fomos direto jantar no restaurante “Marconi”, que pelo nome da a falsa impressao de ser uma restaurante Italiano, mas nao eh, o nome homenagea uma dos arquitetos originais do projeto, o Polones Władysław Marconi e serve uma (Maravilhosa!) comida tipica Polonesa, que eles mantiveram aberto ate mais tarde so pra gente!

(Vale anotar a dica pra quem fora  Varsovia e quiser um restaurante de comida tipica, porem mais elaborado/sofisticado! O Marconi do Bristol eh uma otima opcao!)

Os quartos tambem sao incriveis (e o fato de termos todas ganhado upgrade tambem ajudou!), muito espacosos, com salinha separada, walk in closet e todas as modernidades de bons hoteis!

Eu postei varias fotos dos quartos enquanto estavamos por la, e varias leitoras pediram pra mostrar e falar mais do hotel, que realmente eh sensacional (estava com um grupo de 6 amigas entao aproveitamos bastante o hotel, nos arrumavamos todas juntas no quarto umas das outras etc, foi o maixmo!)!

Mas foram as areas comuns do hotel que impressionaram mesmo: o lobby e cocktail bar Art Deco, o restaurante, o Wine Bar e o Cafe Bristol (todos tambem acessiveis – e valem a pena a visita – para nao hospedes).

Hotel Bristol

Krakowskie Przedmiescie 42/44, Varsovia

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mae da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incánsavel e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Polonia, Varsóvia, Viagens
3
Página 5 de 186«123456789»