15 Oct 2013
16 comentários

O que visitar em Liechtenstein – Vaduz, Triesenberg e Malbun

Dicas de Viagens, Liechtenstein

Uma das grandes vantagens de cruzar com Liechtentein por suas andancas eh que voce podera “conhecer mais um pais” em apenas algumas horas do seu dia.

Mas por outro lado, se estiver disposto a dedicar mais que algumas poucos horas, a grande vantagem eh que voce conseguira conhecer praticamente o pais todo em pouquissimo tempo!

Pra fazer esse roteiro eh imprencindivel estar de carro, pois o transporte interno de Liechtenstein eh bem limitado, e sem pressa! :-)

Nos comecamos nosso roteiro por Vaduz, a capital do pais e a cidade mais visitada pelos turistas.

A cidade eh bem pequena, compativel com o pais, e o centro se limita a uma rua principal, que reune todo comercio, restaurantes, museus e edificios do governo.

Entao eh por la que qualquer visita ao pais deve comecar.

A rua Stadtle Strasse eh uma rua para pedestres e delimita todo o “centro” da cidade – se voce andar sem parar, do inicio ao fim da rua vai levar cerca de 15 minutos no maximo!

Mas va com calma!

Nos paramos pra almocar no restaurante “Engel Ratskeller”, logo na entradinha da cidade, e bem basico – eles servem de um tudo (mas fomos de wienerschnitzel tradiconal com vinho da casa feito nos arredores de Vaduz) e a comida eh otima, perfeita pra hora do almoco.

A rua Stadtle tambem eh o endereco dos museus do pais e em questao de quarteiroes voce vai passar pelo museu de Art de Liechtenstein, o museu do esqui, o museu de selos postais e o museu nacional.

O mais intressante de todos eles eh o museu do selo, que por mais bobinho que isso possa soar aos nao colecionadores de selo, eh o museu que conta a historia da tradicao e historia da “arte” de fabricar selos pelo qual Liechtenstein eh tao famoso.

Eu pessoalmente nao coleciono selos, mas nao resisti em comprar algumas edicoes historicas como souvenir, pois cada um deles realmente eh uma obra de arte!

E foi interessante tambem entender o porque do pais ser tao conhecido nessa “industria”, devido a sua tradicao (eles foram um dos primeiros paises do mundo a colar selos de papel em envelopes), alem de sempre escolherem temas polemicos para estampar seus selos (inclusive durante as guerras mundias e durante a dominacao Austro-Hungara na regiao) e serem um dos menores sistemas postais do mundo (tao pequeno que na verdade hoje em dia eles pegam carona na infra estrutura Suica).

E por falar nisso, ja quase no final da rua fica o posto de informacoes turisticas, com sua lojinha de souvenir de selos e carimbos – e como Liechtenstein hoje em dia nao tem mais fronteira imigratoria com seus vizinhos, voce pode pedir que eles carimbem seu passaporte, so pra constar sua visita! (nao resisti e carimbei o meu e da Isabella!).

A rua acaba na praca  Peter-Kaiser-Platz onde fica o Landtag, o parlamento do pais, um predio ultra moderno (que parece ser feito de palito de sorvete!) que divide o espaco com a sede do governo, o Regierungsgebäude (e seus lindos brazoes e mosaicos!).

Ali do lado fica tambem a Catedral de Vaduz, a igreja catolica de Sao Florin, ou St. Florinskirche.

Mas o ponto alto da cidade (literalmente e figurativamente!) eh o castelo, Schloss Vaduz, que eh a residencia oficial do principe de Liechtenstein Hans-Adam II e a familia real.

O castelo nao eh aberto a visitacao, mas nem precisa – o bonito mesmo eh ver ele de longe, dramaticamente pendurado nos rochedos, exatamente acima da cidade!

Os melhores angulos sao os vistos no lado oeste da cidade, onde da pra ver bem como o castelo foi construido ta na beiradinha da montanha, avistando todo o vale do rio Reno, e eh nesse angulo tambem que de quebra ainda temos os picos nevados dos Alpes como pano de fundo!

O dificil eh se contar em tirar poucas fotos da cena de conto de fadas!

E ja que fomos ali pro lados oeste da cidade, proveitamos pra ver tambem a “casa vermelha”, ou Rot Haus, um edificio do seculo 15 que ja fez parte de um monasterio, mas que hoje eh a sede de uma das principais viniculas do pais.

Entao depois de passar o dia explorando Vaduz com toda calma do mundo, seguimos em direcao a grande surpresa da viagem, a cidadezinha Triesenberg!

Acabamos indo pra la pois o chalet que lugamos pra passar a noite ficava na cidade, e como Triesenberg fica a miseros 10 minutos de Vaduz, nao tem como nao visitar!

Consegue ser ainda menor que Vaduz, e se resume a meia duzia de casinhas (daquelas Alpinas bem fofinhas) ao redor da igreja e subindo a montanha nas curvas da estrada.

Mas apesar de estar apenas 10 minutos de distancia de Vaduz, Triesenbegr esta num ponto mais alto da montanha, oferecendo vistas espetaculares do vale do rio Reno e dos Alpes – e acho que fui justamente isso que nos encantou de cara!

Chegamos la no finzinho da tarde, pois iamos nos hospedar na cidade, mas o plano era apenas pegar a chave do challet, nos arrumar bem rapidinho e voltar pra jantar em Vaduz, mas assim que viramos a primeira curva na pracinha da cidade ja percebemos de cara que a cidade eh muito mais bonitinha e pitoresca que a capital, com suas casinhas alpinas cobertas de neve, a igreja no meio da pracinha e as vistas de-cair-o-queixo das montanhas!

A atracao principal sem duvidas eh a igreja de Sao Jose (St Joseph) que domina a paisagem com sua cupula de “cebola” (que parece ser uma cosia assim meio Russa, mas nao eh nao) e que resume todas as atracoes “turisticas” da cidade.

Triesenberg nao eh o tipo de lugar pra “bater ponto” turistico, e sim um otimo lugar pra parar, relaxar e curtir. E foi exatamente isso que fizemos!

Cancelamos nossa reserva de jantar em Vaduz e ficamos por la mesmo, babando na vista do restaurante Guflina, um chalezinho simpatico das mesmas proprietarias que alugaram nosso chalet, e que serve paes e pastelaria de babar (ainda mais que a vista de suas janelonas!).

Durante o dia eles funcionam como cafe/padaria (voltamos pra tomar cafe da manha por la tambem!), mas a noite servem apenas pizza e vinhos da regiao. Queriamos muito ter jantado algo mais “tradicional” (Liechtenstein, assim como seus vizinhos Suicos, sao famosos pelo fondue), mas a pizza estava bem gostosa e o vinho nacional tambem muito bom!

No dia seguinte, depois de passear mais um pouco por Triesenberg, seguimos a estrada ate o topo da montanha, na cidade (ainda menor!) Malbun, a unica estacao de esqui do pais (e a uns 15 minutos de distancia de Triesenberg).

Para nossa surpresa a estacao de esqui ja estava operante, os lifts subindo e descendo a montanha e as criancinhas de esqui montanha abaixo!

Uma pena nao termos nos programado melhor para aproveitar a deixa e passar umas horinhas nas pistas, mas sem equipamento/roupas a mao nem ninguem pra ficar com a Isabella, ainda nao foi dessa vez que esquiamos em Liechtenstein!

Mas realmente foi uma surpresa ver que a neve chegou mais cedo que o normal esse ano e ainda no comeco de outubro ja era possivel esquiar por la.

E como disso no outro post sobre o pais, Malbun eh uma otima opcao pra quem nao tem muita intimidade com a neve, mas mas que aprender com calma, sem as pistas vertiginosas dos Alpes Suicos, Franceses e Austriacos e com precos mais camaradas.

Malbun se resume a uma unica rua, que conecta o estacionamento ao lift e as pistas de esqui, e todos os hoteis e restaurantes da cidade fica por ali.

As opcoes nao sao muitas nao, e nao sei o quao lotados/disputados eles ficam no auge da temporada de esqui, mas por la eh tudo tao pertinho que deve vale a pena alugar um chalet em Triesenberg e subir a montanha todos os dias pra esquiar (e tambem existe uma linha de onibus que conecta as duas cidades, mas nao sei o quao frequente eles sao).

No verao (e primavera e outono) toda essa regiao pode ser explorada a pe ou de bicicleta, pelas centenas de trilhas espalhadas pelo pais, um de seus principais atrativos, e realmente vimos muita, muita gente caminhando pelos bosques, estradas e campos, e imagino que deve ser o maximo fazer um roteiro desses por la!

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
16 comentários
16 Apr 2012
9 comentários

Apres Ski em Kitzbuhel – a melhor parte do esqui!

Austria, Dicas de Viagens, Kitzbuehel

A expressao “Apres Ski” vem do Frances “apos esqui”, que nada mais significa doque o festere que rola nos resorts depois que as pernas cansam e as pistas fecham.

Na verdade muitos dos resorts dos Alpes sao ranqueados por seus frequentadores nao apenas pela qualidade da neve e das pistas, mas principalmente pela qualidade do Apres Ski, ou do happy hour na neve!

E eh justamente essa animacao e as festas e bares que acompanham o ritual do esqui que lançaram micro-vilarejos como Saint Moritz e Zermatt em sinônimos de badalação e glamour.

E eh ai que a reputacao de Kitzbuhel sobe para o topo da lista dos resorts Alpinos: por ser considerado uma dos melhores Apres Ski do Tirol!

Nos pegamos ja uns dos últimos fins de semana da temporada, entao a lotação ja nao estava tao impressionante, mas ainda assim pegamos duas noites animadissimas pelas ruas do centro da cidade e nao deixamos o cansaco pos esqui atrapalhar nossa animação!

Entao em Kitzbuehel esses sao os nomes pra anotar na agenda:

The Londoner: Um pub estilo Ingles que encabeca todas as listas de melhor Apres Ski de Kitzbuehel e dos Alpes.

Durante o dia o bar passa totalmente despercebido, mas assim que as pistas fecham e o sol se poe, as mesas sao disputadas a tapa e toda calcada e rua em frente ao bar fica intransitavel!

A musica eh otima (sem falar que tocou Michel Telo umas 5 vezes la dentro!) e a criatividade na invenção de nomes e misturas esdrúxulas para os cocktails é sensacional!

E ali na mesma pracinha onde fica o Londoner estao as outras duas paradas obrigatórias: O bar Stamperl e o bar Kaiserstuben do hotel Sporthotel Reich, que ficam lado a lado e de frente pro Londoner (na pracinha da rua Franz-Reisch-Straße).

Ambos tem um clima e estilo parecido e voce pode ficar dentro do bar, onde rola musica e tal, ou entao do lado de fora (mais confortavel pra quem vai pro apres ski ainda de botas e capacetes!) onde eles montam um bar na varanda, com aquecedores de ambiente portatil, os apoiadores “publicos” de esqui e mais musica!

Nos fizemos pitstop nos dois! Ambos animadissimos tambem, e como nao pegamos muito frio, a varanda estava super animada.

E oque mais gostei do apres ski foi justamente o clima “Hot Tub Time Machine” da balada (um file muito bobalhão, mas muito engraçado que se passa numa estação de esqui na decada de 80), com umas musicas super dançantes, muito alto astral, mas anda naquele clima de montanha e esqui, sem montanção (afinal todo mundo emenda as pistas com os bares, entao nao rola muita peruagem), todo mundo batendo papo com todo mundo! Muito divertido!

Mas antes mesmo de descer pro centro de Kitzbuhel no fim do dia, vale a pena ir parando nos challets ao longo das pistas.

Durante a manha esses Huts de apoio sao uma boa pedida pra descansar um pouco, curtir o sol, beber um vinho quente (Gluwien) ou qualquer outra coisa!

Muita gente aproveita pra almocar nesses huts tambem, e assim voce nao precisa interromper o dia de esqui pra comer em Kitzbuhel.

Mas a medida que a tarde vai avancando (e consequentemente voce vai ficando exausto!) os Huts vao ficando movimentados e muita gente aproveita pra fazer um pre Apres Ski nos huts que ficam no topo ou na base das pistas, pra ja ir entrando no clima!

Nos fomos no Streiflam que fica na base de uma das pistas vermelhas (bem perto da estação da gôndola, entao muita gente desce por essa saida, pra nao ter que andar muito) que alem da posição privilegiada ainda tem um clima super fofo!

O chalet eh super tipico por dentro, todo decorado com esquis antigos e historicos (se ja eh dificil esquiar com as pranchas modernas, imagina aqueles trambolhos e madeira?!), uma lareira delicia e garconetes vestidas a carater!

E se a fome bater, a sopa com bolinha de queijo e o Vienner schnitzel sao boas recomendacoes!

 

 

Adriana Miller
9 comentários
15 Apr 2012
29 comentários

T.V. Everywhere: Esquiando em Kitzbuhel

Austria, Dicas de Viagens, Kitzbuehel, T.V. EveryWhere

Olha, nada melhor doque uma pessoa que sabe rir de se mesmo, viu?

Mas bom mesmo é aquela velha fórmula de comédia pastelão: assistir alguem se estabacando no chão.

Só que o chão é coberto de neve nas pistas de esqui, e a “pessoa” sou eu!

httpv://www.youtube.com/watch?v=4TGtrN3AFGM

E eu caí mesmo! Mas me diverti e eventualmente aprendi a ficar de pé! E parafrasenado a trilha sonora, eu me derrubo, mas eu levanto de novo! :-)

Mal posso esperar pelo próximo inverno e (tentar!) esquiar de novo!

Créditos:

Edição: iMovie

Cameras: Canon S100 (Aaron), Sony DSC-HX5V (Adriana)

Musica:  “Tubthumping” da banda Chumbawamba

 

Adriana Miller
29 comentários