10
Feb
2012
Raffles Hotel: o berço do Singapore Sling
Escrito por Adriana Miller

E como nem tudo em Cingapura eh pura modernidade “construida”, um dos programas obrigatorios de todos os turistas que passam por la eh conhecer o Raffles Hotel – que alem de ser um dos hoteis mais antigos (e luxuosos) da Asia eh tambem onde o legendario cocktail Singapore Sling foi inventado.

Já pensou que máximo se existisse um lugar no Brasil que fosse responsável pela criação da Caipirinha, por exemplo?!

Pois é, no caso da bebida mais famosa de Cingapura, e um dos drinks mais populares do mundo isso é possível!

O hotel foi inaugurado em 1887 por uma familia de Armenios que faziam comercio na regiao – e para atender ao alto padrao de seu clientes arabes que passavam pela ilha, eles construiram o hotel, usando uma arquitetura colonial Europeia e deram o nome em homenagem ao Ingles Sir Stanford Raffles, que foi o fundador de Cingapura.

O hotel ate hoje ocupa o topo das listas dos hoteis mais luxuosos e tradicionais da Asia, mas nao da pra negar que a maioria de seus visitantes realmente vao atras do Long Bar, que foi o bar onde o drink foi criado (a receita original, escrita a mao no inicio do seculo 20 esta emoldurada e pode ser vista no fundo do bar).

O Long bar eh super legal, e apesar de que o hotel ja passou por varias reformas e atualizacoes, eles sempre mantiveram o Long Bar o mais original e historico possivel, incluindo os “abanadores” eletricos no teto, os moveis de rafia e principalmente a tradicao de comer amendoins e jogar a casca no chao!

Da pra imaginar direitinho como deveria ser o clima de “exotismo” na decada de 1910 e 1920, com comerciantes e exploradores vindos do mundo todo, se refugiando do “exotico” desconhecido das florestas da Malasia e Indonesia!

A receita do Singapore Sling inclui Gin, charope de cereja e suco de abacaxi, e apesar de figurar nos menus de bares do mundo todo, eh especialmente popular na Asia – foi o drink que nos bebemos praticamente todas as noites que passamos em Bangcoc durante nossa lua de mel, entao foi bem legal revitiar essa experiencia novamente na Asia.

A experiência nao sai barata, e apesar de se pode beber ótimos drinks e variações de Singapore Sling por toda a cidade, todos os turistas querem é conhecer o bar – e portanto cada drink custa em media 26 dólares!

Mas, quando em Cingapura…

 

Categorias: Cingapura, Viagens
7
08
Jan
2012
Aqua Bar @ Hong Kong
Escrito por Adriana Miller

A uns meses atras abriu um novo bar/restaurante em Londres que anda super badalado, o Aqua, e quando vi que na verdade eles fazem parte de um grupo Chines com filial em Hong Kong, de cara o Aqua Bar entrou na minha lista de coisas a fazer na cidade.

O Aqua também fica no bairro de Kowloon, na cobertura do prédio “1 Peking”, com seu pé direito gigantescamente alto, rodeado de janelas e vidro por todos os lados, e com – sem duvidas – o melhor visual da cidade!

Na verdade o Aqua são 3 em 1: o Aqua Roma, um restaurante que serve comida Italiana; o Aqua Tokyo, que serve comida Japonesa, e o Aqua Spirit, no andar mais alto, que é um cocktail bar.

Mas ainda assim, todos os ambientes servem um menu “fusão” das culinárias Italianas e Japonesa.

Como fomos lá logo depois do nosso jantar no Morton’s, não posso comentar sobre a comida, mas o bar é sensacional!

Um pouco pretensioso e caro, como seria de se esperar de um lugar como esse, mas não decepcionou!

Eu pedi a especialidade da casa, o martini “Porn Star”, que é uma bebida praticamente lúdica (que só pra clarificar, de pornô não tem nada), que é 3 em um: um drink cor de rosa no copo de martini, uns goles de champagne num copinho de shot e uma colher com polpa de maracujá.

Quem inventou esse drink eu não sei, mas foi aprovadissímo! Primeiro, o shot do champanhe, depois, a colherada de maracujá. E por fim o cocktail. Pura diversão!

Aqua Hong Kong

29 & 30 Floors

One Peking Road

Tsim Sha Tsui, Hong Kong

T: +852 3427 2288

E: aqua@aqua.com.hk

 

 

Categorias: China, Hong Kong, Viagens
6
13
Dec
2011
Munique: München Hofbrauhaus
Escrito por Adriana Miller

Na volta de Salzburgo, ja que nosso voo saia do aeroporto de Munique, resolvemos voltar umas horas mais cedo e aproveitar um pouquinho a cidade.

Foi uma passagem super corrida, ja que nos dois ja estivemos na cidade em outra ocasiao (na verdade o Aaron “morou” em Munique durante quase um mes na epoca do copa do mundo de 2006).

Entao sabiamos que com o tempo contado na cidade, a primeira parada nao poderia ter sido outra: Hofbrauhaus!!

A cervejaria que eh sinonimo de Munique ao redor do mundo, eh uma daquelas cosias super-ultra imperdiveis na cidade, mesmo que voce (como eu) nao beba nem uma gota de cerveja!

Ali dentro esta resumido todo e qualquer estereotipo Bavario, e seja qual for a epoca do ano, e programacao eh sempre a mesma e sempre imperdivel: cervejas aos baldes, e as respectivas garconetes carregando 10 delas ao mesmo tempo, a banda de folk Bavario, a comida excelente e o clima permanente de festa.

Eu nunca fui a Oktoberfest, mas imagino que seja exatamente assim. E na minha cabeca na Hofbrauhaus eh Oktoberfest o ano todo!

Procure uma mesa com lugares vagos e comece sua secao de alterocopismo!

Todas as mesas sao compartilhadas entre os muitos turistas e locais que frequentam a cervejaria e o servico eh incrivelmente rapido!

Ha uns meses atras quando minha irma estava planejando sua viagem pela Europa, ela e as amigas estavam na duvida se iriam pra Praga ou Munique. Ambas as cidades sao lindas, nao me levem a mal, mas pro espeiro de mochilao de amigas que elas estavam, de primeira recomendei Munique!

E realmente elas aprovaram meu palpite e concordaram que Munique foi uma das cidades que mais gostaram em toda a viagem! E obviamente, elas bateram ponto na Hofbrauhaus todos os dias!

Entao usamos a desculpa de ser “hora do almoco” e fomos direto da estacao de trem (chegados de Salzburgo) pra la. Entre cervejas, Gluhwein, pretezels e frango assado ficamos quase 3 horas por la!

E da proxima vez que voltar a Munique, minha primeira parada sera mais uma vez a Hofbrauhaus!

P.S. O Aaron nao bebeu todas essas canecas de cerveja nao, ok? nem com toda descendencia Alema do mundo seria humanamente possivel de beber isso tudo! mas as canecas estavam dando sopa na nossa mesa, e serviram como uma boa foto!

 

Categorias: Alemanha, Munique, Viagens
21
11
Dec
2011
Salzburgo: Augustiner Bräustübl
Escrito por Adriana Miller

Enquanto eu planejava a viagem e sonhava com mercados de natal e os cenarios de “A Novica Rebelde”, o Aaron foi logo fazendo sua exigencia: A programacoa de sabado a noite sera na cervejaria Augustiner Bräus!

Como bom fa de cerveja que ele eh, ele conhece praticamente todas as marcas disponíveis pela Europa (mundo?!), e apesar de nunca dizer nao a uma pint Inglesa ou uma chopp Brasileiro, o Aaron gosta mesmo eh das cervejas Germânicas!

A cerveja Augustiner pode ser encontrada em varias partes do mundo, mas foi criada ali em Salzburgo, pelos monges Augustinos, que foram transferidos da Bavaria para Salzburgo e fundaram seu monasterio na cidade em 1621.

Rapidamente a cerveja virou grande fonte de renda aos monges, e atraia visitantes de todas as partes da regiao – tanto que quando o monasterio foi fecho pela ordem Augustina no inicio do seculo 19, o entao rei do imperio Austro-Hungaro, Ferdinand, ordenou que novos monges se instalassem na casa (no caso foram os Beneditinos) para que a producao de cerveja nao parasse.

Hoje em dia a casa anda funciona no mesmo local, na subida do monte Mönchsberg no oeste de Salzburgo, mas ja deixou de ser um monasterio ha muito tempo, a agora se dedica exclusivamente a sua principal arte: fazer cerveja!

Eles ainda utilizam os mesmos metodos de fermentacao desenvolvido pelos monges, utilizando barris de madeira e servindo a cerveja em canecas de porcelana e pedra (copo de vidro??!?! Que afronta!)

A cervejaria eh enorme, e os antigos saloes de oracao e refeitorios foram transformados em beer hall, de fazer inveja a qualquer fa de Oktoberfest, onde centenas de pessoas podem comer e beber ao mesmo tempo.

E o clima eh isso mesmo: caneconas, muito barulho, fumaca (ainda eh permito fumar dentro de um dos saloes) e pessoas de todas as idades: dos casasis mais velinhos carregando sua caneca de cerveja, a grupo de marmanjos puberes, e familias completas.

Mas oque eu gostei mesmo foi do esquemao informal da casa (que me fez sentir como se estivesse numa chopada ou cervejada das epocas de faculdade!): por la, tudo eh self service.

Voce vai direto na prateleira de canecas e escolhe seu tamanho. Depois se dirige ao caixa e escolhe seu tipo de cerveja (clara ou escura), e depois carrega sua propricanecona(s) pra sua mesa.

E sua caneca deve ser reutilizada varias vezes durante a noite, entao eh soh dar uma passadinha na fonte no centro do salao, passar uma agua e pronto! Tudo pronto pra prixima rodada!

E apesar de nao ser um “restaurante” ele tambem tem um esquema de comida que segue a mesma linha.

Logo na entrada da cervejaria existem alguns balcoes e lanchonetes servindo comida. Entao voce escolhe seu estilo preferido (tudo sempre muito…. eh…. alemao!), a quantidade, paga e depois leva de volta pra sua mesa, sem cerimonia!

A Augustiner Braus so abre aos fins de semana, exclusivamente das 3 da tarde as 11 da noite, entao imaginem como sabado a noite por la estava lotado!

Mas aproveitamos que a chuva forte comecou a atrapalhar nossa programacao e chegamos la por umas 4 da tarde, e 3 dos 4 saloes da casa ja estavam lotados!

Passamos o resto de sabado a noite inteiro la dentro, e nos divertimos demais! (teve ate ataque dos Kumps la dentro!)

Augustiner Bräu Kloster Mülln OG

A-5020 Salzburg Lindhofstr. 7

info@augustinerbier.at

 

Categorias: Austria, Salzburgo, Viagens
9
17
Nov
2011
Madrid: Ramses. Food & Life.
Escrito por Adriana Miller

Outra descoberta essa semana em Madrid foi o badalado restaurante/bar/club “Ramses. Food & Life“, aos pes da Puerta de Alcala.

A receita de sucesso foi simples e atende por um nome: Philippe Starck. O designer Frances tem o poder de dar fama e glamour instantaneo em todas as suas criacoes, e sobretudo em suas colaboracoes na decoracao de restaurantes e hoteis (como por exemplo o “Asia de Cuba” em Londres, ou o “Kong” em Paris).

Com o novissimo Ramses em Madrid nao poderia ser diferente.

O Ramses tem a filosofia de ser uma area recreativa, nao apenas um restaurante. Seus tres ambientes se complementam, mas ao mesmo tempo tem estilos e propostas bem diferentes: Bem na entrada esta o “Cocktail Bar“, que tem um estilo que poderia ser facilmente identificado como Starckiano, com as “Ghost Chairs” com o bar branco, liminarias gigantescas e muita luz neaon.

Ja o “Pettit“, que eh o restaurante principal, tem um estilo bem diferente, uma coisa meio favela-chic-barroca: mesas e cadeiras bem altas, uma arte meio grafitti nas paredes e teto, cores escuras e tudo descombinado aqui-e-agora num ambiente escuro e com muitas velas e vidro.

E o “Club” no andar de cima que eh onde rolam as nights nos fins de semana e as festas privadas fashionistas. Ah! E tem tambem o “Bistro”, que eh um salao/restaurante para grupos particulares, onde voce pode reservar todaa  (pequena) area para um jantar prive.

O menu nao poderia ser menos espanhol, e segue a linha “internacional”, e apesar do sucesso que esta fazendo em Madrid, a critica culinaria nao eh seu ponto forte – eu pedi o “Bacalao Negro” e a-do-rei, mas no pais da paella, realmente o tamnho das porcoes deixa a desejar!

Mas como era de se esperar num lugar desses, apesar de realmente ter uma comida minuciozamente preparada e de padrao internacional, o Ramses eh o tipo de lugar onde voce vai pra ver e ser visto e nao necessariamente pra encher a panca de jamon!

A unica coisa que eu nao gostei foi que eles nem sequer abrem suas portas antes das 9 da noite – que super normal na Espanha, mas depois de tantos anos na Inglaterra eu sofri de fome ate finalmente chegar a hora do jantar – e soh quando fomos em bora, la pras 10 e pouco da noite eh que o restaurante finalmente estava ficando cheio!

Para jantares em fins de semana, acho recomendavel fazer reserva com antecedencia.

http://www.ramseslife.com/

Pza. independencia, 4

Puerta de Alcalá, 28001 Madrid

 

Categorias: Espanha, Madrid, Restaurantes, Viagens, Viagens pela Espanha
6
11
Nov
2011
Bar Boulud London
Escrito por Adriana Miller

A cada ano que passa (Mes? Semana? Dia??) mais e mais restaurantes bacanas e badalados desembarcam em Londres, carregando consigo os curriculos premiados de seus chefs ou a expectativa de sucesso alcancado em alguma outra metropole igualmente bacana em algum outro canto do mundo.

E a historia nao poderia ter sido diferente com o Bar Boulud que preenche todos os requisitos acima: por um lado tem o historico e a reputacao dos restaurantes hipadissimos Bar Boulud e Daniel  em Manhattan, e ao mesmo tempo levam a assinatura do chef Frances radicado em NY, Daniel Boulud.

Daniel Boulud ja ganhou incontaveis premios, incluindo 3 estrelas Michelin para seu restaurante homonimo em NY, o Daniel.

A versao Londrina do Bar Boulud abriu suas portas no hotel Mandarin Oriental em 2011 e desde entao nao parou de impressionar os criticos da cidade, ganhando estrelas e recomendacoes do Guardian, The Independent, The Telegraph e inumeras revistas e foodie-blogs ingleses

Por isso tambem conseguir reservar uma mesa virou um esporte disputado, e a nao ser que voce tenha disponibilidade pra um almoco no meio da tarde durante a semana, provavelmente tera que esperar alguns dias (ou semanas) por sua mesa…

Mas nem soh de hype vive um bom restaurante e o Bar Boulud tem bons motivos por sua fama.

Pra comecar que eh um ambiente “simples”. Eh uma mistura de uma boa Brasserie Francesa e um bom Gastropub Ingles. A decoracao eh sobria e valoriza dois aspectos principais: a adega gigantesca de vinho que domina toda a entrada do Bar, e a cozinha bem no meio do restaurante principal, competamente aberta e visivel de todos os angulos!

A comida, igualmente simples e “hearthy”, como diriam os Ingleses (que eh uma expressao que representa aquela comida boa que te “conforta” e te “preenche”) – o carro chefe sao os embutidos (linguicas, salsichas, presuntos e queijos e afins), mas o prato que lancou o Bar Boulud a fama eh o hamburguer “Piggy”, que como o nome indica, inclui carne de porco.

Eu nao pude provar, mas obviamente esse foi o principal motivo pelo qual o Aaron queria conhecer o Boulud (e seguir sua missao de encontrar o ultimate-melhor hanburguer de Londres!): alem da carne de hamburguer (que eh certificada USDA Prime, o mesmo usado no restaurante de NY) e condimentos em geral, o Piggy vem tambem com “Pork Shavings” que eh tipo umas fatias de churrasco de lombo.

Eu fui de Hanburguer normal mesmo, que apesar de nao ter o mesmo fascinio por burguers que o Aaron tem, estava uma maravilha (saimos de la debatendo se o Byron devia ou nao perder sua coroa de melhor burger da cidade pro Boulud… segundo o Aaron se a escolha for o Piggy, a resposta eh sim!).

Mas oque eu mais gostei mesmo foi que uma das entradas disponiveis no menu eh um pao de queijo (igualzinho o Brasileiro!!!) feito de queijo Guryere! (nem precisa falar que eu inalei a cestinha toda de uma vez so! Soh faltou o mate Leao!).

O Bar Boulud fica exatamente do lado da estacao de Knightsbridge, na entrada lateral do Hotel Mandarin Oriental e a poucos quarteiroes da loja Harrods!

Bar Boulud

66 Knightsbridge, London SW1X 7LA

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Viagens
25
28
Oct
2011
Le Matignon
Escrito por Adriana Miller

Volta e meia alguém me pergunta como eu consigo aproveitar tanto minhas viagens a trabalho. A resposta(s) é simples: me planejando bem (sempre que da, tento encaixar uma horinha – ou duas! – extra antes de voltar pro aeroporto, pesquiso a area do hotel que vou ficar e cosias assim), mas principalmente por nao me incomodar de fazer nada sozinha.

Seja passear, seja jantar ou almoçar num lugar legal, oque for. Então enquanto estava em Paris, no fim do primeiro dia na cidade, fiz um comentário no Twitter que ia aproveitar a melhor companhia do mundo – eu mesma! -  e sair pra jantar depois de um dia cansativo, mas muito produtivo. E foi isso mesmo que fiz!

Segui as dicas da gerente Francesa (a mesma que me deu a dica do Carette) e fui jantar no Le Matignon, restaurante que fica praticamente na esquina da Champs Elysees (bem onde começa o jardim).

O Le Matignon nao se “rotula” como um restaurante, e sim um “playground“, pois combinam boa comida, boas bebidas, restaurante-bar-lounge com ótima decoracao,  que com a ajuda de um promoter e um arquiteto famosos, rapidinho virou o hot stop queridinho de Paris. O arquiteto responsavel foi o Jacques Garcia, que entre muitos outros trabalhos high profile, assinou a reforma do Hotel Metropole em Monte Carlo e o restaurante Spice Market en NY e Londres!

Entao desde sua inauguracao em 2010 o Le Matignon tem aparecido nas listas de melhores restaurantes de Paris e sediou varias das grandes festas das semanas de moda na cidade - o Karl Lagerfeld gostou tanto de la, que ganhou ateh um booth personalizado para suas festas prive, com sua foto estampando a parede e tudo mais!

E isso se nota no estilo “excentrico” da decoracao, com muito veludo escuro, sofas e cadeiras que te engolem, lustres gigantes e ate um “pato” de pelucia num balanco giratorio… realmente da pra imaginar as fashionistas saracutiando de um lado pro outro entre os diferentes ambientes!

Mas muito se engana que acha que tantos titulos e celebridades criaram um ambiente snob e precos proibitivos! Da hostess ultra simpatica na porta, ao garcon que falava portugues perfeito (e me contou toda sua historia de como foi passar um carnaval em Salvador, se apaixonou por um Brasileira e acabou transformando as ferias de 2 semanas em 5 anos vivendo entre Salvador e Sao Paulo!), um servico espetacular!

A comida estava otima, mas ao mesmo tempo, relativamente simples. Nao espere menus indecifraveis, e muito menos precos que te levarao a falencia: meu jantar – incluindo vinho Cote de Provence, entrada, prato principal e taxa de servico – saiu por cerca de 40€!

Nao chega a ser uma restaurante pechincha, mas para precos de Paris e sendo o lugar que eh, achei otimo!

http://www.matignonparis.com/

3 Avenue Matignon

75008 Paris

 

 

Categorias: França, Paris, Restaurantes & Cafes, Viagens
13
24
Oct
2011
Madison Roof Bar
Escrito por Adriana Miller

Um sabado de sol no outono eh praticamente impossivel ficar em casa sem fazer nada. Mas ai todos os nossos planos deram errado e acabamos no meio de Bank em pleno sabado a tarde… quando a regiao fica vazia, quase todas as lojas e restaurante fechados sem o vai e vem dos bancos.

Mas por coincidencia, uns dias antes fui a uma reuniao na The City e aproveitei pra almocar com uma amiga, e ela deu a dica: o roof top bar na cobertura do novissimo shopping One New Change, que fica bem atras da Saint Paul’s Cathedral na City.

Como nao queriamos desperdicar a tarde, e o sol aos poucos estava baixando no horizonte, subimos para o Restaurante & bar Madison para drinks & vista!

A vista panoramica da cidade fica linda dali de cima, alem de dar uma perspectiva maravilhosa a catedral de Saint Paul!

Nao chegamos a comer nada no restaurante, mas fiz a descoberta do ano: bebi o MELHOR Pimm’s que ja provei em Londres!

E nao deve ter sido mera coincidencia que todas as outras pessoas no bar tambem estavam bebendo Pimm’s! (menos o Aaron, que foi de cerveja mesmo).

Uma mistura perfeita de Pimm’s com limonada, frutas vermelhas, lima e limao e menta…

Entao fica a dica de ouro, a melhor maneira de terminar um passeio pela City ou pela Catedral: termine seu dia com o melhor Pimm’s de Londres, admirando o por do sol em Londres!

P.S.: Dica/Indicacao Bonus – Ha umas semanas atras quando ainda estava rolando o London Restaurant Week, nos tambem fomos jantar no Paternoster Chop House, que tambem fica bem ali, na pracinha atras da Catedral, e que serve umas carnes sensacionais! Nao espere steaks nem churrascaria, e sim cortes de carne tradicionais Inglesas, com muito Game Meat and slow roasting20111024-185819.jpg20111024-185829.jpg

Entao da pra passar a tarde passeando pelo centro financeiro e historico de Londres, fazer a tour da Catedral, tomar uns drinks no Madison e depois jantar na Paternoster! Very Londoner!

 

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Viagens
13
16
Aug
2011
Ale Trail: a rota da cerveja de Londres
Escrito por Adriana Miller

Oque não falta em Londres são pubs, certo? Certissímo!

E o pior é que só depois de conhecer a cidade é que você se dá conta que os “Public House” realmente estão em todos os cantos da cidade, as vezes dois ou 3 em cada quarteirão!

Muitos deles nada mais são que meros botecos da esquina, enquanto outros são ligeiramente mais sofisticados, ou gastro-pubs (quando servem comida muito boa).

E tem também os mais tradicionais, cheios de história e servemas autênticas Ales Inglesas.

Eu não bebo cerveja, então vou me abstrair da discussão cerveja gelada x cerveja não tão gelada, mas dizem os apreciadores de uma boa Ale, que as temperaturas extremamente baixas escondem o verdadeiro sabor do malte, e uma cerveja boa e artesanal nunca deveria ser servirda estúpidamente gelada.

Então em Londres existem diversas “Ale Trails”, que são rotas especificamente montadas em diferentes areas da cidade, que levam os apreciadores de Ales (ou de um belo Pub) aos principais Pubs tradicionais e históricos da cidade.

Então no outro dia, enquanto minha irma esta em Londres, fizemos o Ale Trail em Theaterland, que vai de Charing Cross, Leicester Square a Convent Garden.

Mesmo pra quem não gosta de cerveja ou de bar/boteco, os Pubs são um programa imperdível pra quem vem ao Reino Unido!

E esses roteirinhos de Ale Trails são uma otima opção, pois v0cê pode baixar o mapinha on line, que te diz exatamente onde estão os melhores pubs e exatamente onde ir!

Começamos nossa noite no Princess of Wales, numa ruazinha exatamente entre Embankment e a rua Strand. A primeira vista apenas um pub como outro qualquer, esse pub é considerado uma dos mais antigos e melhores de Londres, além de ter um restaurante gastro-pub no segundo andar (aproveitamos pra jantar lá também).

Como fizemos o Trail num dia de semana depois do trabalho, a noite era curta (afinal os pubs geralmente fecham cerca de 11 da noite) e não tinhamos tempo a perder! Queríamos conseguir conhecer o maior numero possivel de pubs da rota.

Então a segunda rodada foi no The Coal Hole, construído em 1889 e vizinho do Hotel Savoy e seu teatro, e que tem um interior imponente!

Um pé direito altissimo, vigas de madeira no teto e uma escadaria que nos leva ao mezanino do segundo andar.

E para a rodade final fomos no The Wellington, também na The Strand, quase exatamente em frente a Sommerset House e construido (em 1776) no mesmo predio onde alguns seculos antes hospedou uma das mansões de Henry VIII.

Essas pub crawl são uma ótima maneira de conhecer varios pubs ao mesmo tempo, que pode ser um programa a ser feito uma tarde inteira (e se estender pela noite) ou para um happy hour animadinho, como foi nosso caso!

Basta baixar qualquer um dos mapinhas e roteiros no site e decidir o caminho a fazer – todos os roteiros foram planejados com a intenção de serem explorados a pé, relativamente perto um do outro, enquanto você conhece algumas das areas mais bonitas da cidade!

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Roteiro
14