31
Oct
2012
Adaaran Select Resort & Spa – Raa Atol (Ilha Meedhupparu)
Escrito por Adriana Miller

Como disse no post anterior sobre planejamento de uma viagem as Maldivas, a escolha do hotel eh crucial e eh essa decisao que vai definir qual estilo de viagem, opcoes de atividades, qualidade de servico e principalmente custos de uma temporada por la.

Entao da pra imaginar que essa eh uma super tarefa e pode vir a ser um pouco estressante…

As opcoes sao muitas, mas se pararmos pra pensar, nem sao tantas assim, se considerarmos que o pais inteiro tem apenas cerca de 90 hoteis… fica facil ir refinando sua pesquisa e diminuindo as duvidas. Eu usei sites como TripAdvisor e Booking.com para rankear os comentarios e recomendacoes de hoteis baseado em localizacao, custos, opcoes de alimentacao e afins, e acabei reparando que comecei a ver sempre os mesmo na lista, e com as opcoes reduzidas, ficou bem mais facil fazer uma escolha acertada.

Nossa escolha final foi o Adaaran Select Resort & Spaque fica no Raa Atol, especificamente na ilha Meedhupparu, mais pro norte do pais (eu tambem li que os Atois ao norte das maldivas tem um clima mais seco e com menos incidencia de chuvas, alem de terem sido menos afetados pelo Tsunami de 2004 e portanto tem corais mais bonitos).

A rede Adaaran (que se nao me engano eh de origem Sri Lanka) possui 5 hoteis-ilhas espalhados pelas Maldivas, todos 5 estrelas de perfil Spa-boutique. Eles dao muito foco a saude e bem estar, ambientes que seguem os ensinamentos Ayurveda (que eh bem tipico do Sri Lanka) e uma integracao entre as construcoes, os hospedes e a natureza.

Os ambientes sao modernos, porem clean e “naturais” – nao espere esculturas de arte moderna, nem paineis de cristal com cromo, muito pelo contrario – muita madeira, fibras naturais, linhos brancos e areia no chao de quase todos os ambientes sociais do hotel.

E como eu esperava, o Spa Chavana era maravilhoso, e eu fiz massagens e tratamentos todos os dias de nossa hospedagem, e foram todos maravilhosos!

20121031-115246.jpg

Por acaso o Spa era todo comandado por terapeutas Balinesas e Tailandesas (dois tipos de massagem que ja testei e aprovei in locoaqui e aqui), num clima super calminho e delicioso, com muitas opcoes de tratamentos individuais e para casais ( o Spa usava produtos da linha Britanica Elemis ou de sua linha propria, toda feita com produtos naturais nativos das Maldivas).

20121031-115306.jpg

Eles nao tinham nenhum tratamento especifico para gravidez, mas ainda assim uma das terapeutas mais experientes veio me ver e conversar e preparou um pacote especifico pra mim, misturando tecnicas e produtos que fossem seguros pra gravidez que eu pudesse fazer todos os dias! Isso eh que eu considero um bom servico!

20121031-115333.jpg

Ja na parte da alimentacao, eu estava muito apreensiva em ficar num hotel All Inclusive, mas nao queria correr o risco dos custos de um hotel sem essa opcao – Entao o Adaaran ofereceu uma mistura ideal de pacote All Inclusive, mas com 3 restaurantes individuais a la carte.

E foi a melhor decisao da viagem! Na verdade, nos gostamos tanto da comida que acabamos nao comendo em nenhum dos restaurantes e bares avulsos, pois simplesmente nao sentimos necessidade.

20121031-115358.jpg

Eu nao sou muito fan do estilo “buffet” dos hoteis All Inclusive, e continuo nao sendo e preferindo restaurantes “normais”, mas como a comida era boa e muito variada, isso nao me incomodou muito nao (mas como eu detesto ter que usar aquelas pulserinhas de resort!). Na verdade foi uma boa oportunidade de conhecer outros hospedes e pegar algumas dicas de atividades e passeios.

A cada dia o buffet tinha um menu completamente diferente, e algumas noites “tematicas”, com comida tipica das Maldivas, ou Italiana, Espanhola, etc.

20121031-115137.jpg

As carnes eram sempre grelhadas na hora (numa grelha ou numa churrasqueira na brasa), as massas tambem eram preparadas e misturadas com os molhos na hora ao gosto do fregues, e pela manha as opcoes de cafe da manha “cozidos”, tipo ovos, omelete, panquecas etc tambem eram todos feito na hora.

E as frutas?! Ah…. as frutas… A selecao de sobremesas era sempre otima e sempre com muitas, muitas frutas frescas (geralmente tambem cortadas na hora, direto no seu prato).20121031-115224.jpg

Mas foi otimo saber que tinhamos outras opcoes, tanto ao longo do dia (o “Mass Cafe”, numa das praias, servia pratos grelhados e sanduiches a qualquer hora, porem a la carte) quanto para jantar, com opcoes privadas (ele montavam uma mesa na beira da praia pro casal e serviam pratos especificos, como churrasco, lagostas e frutos do mar, etc) e algumas noites “tematicas” no Grill Bar, que ao longo do dia servia opcoes a la carte, e a noite se transformava em restaurante Mexicano num dia, Espanhol no outro, Frances no outro, etc.

Quanto a hospedagem, nos optamos pelos Beach Bungalows, que sao os chales na areia da praia, mas eles tambem oferecem bangalos nos jardins internos (mas todos a poucos passos da praia ja que a ilha eh tao pequena) e as Water Villas que sao os quartos sobre as palafitas no mar.

20121031-115206.jpg

Isso pra nos nao foi sequer um dilema, ja que nunca fizemos questao de ficar sobre as aguas, e quando chegamos no hotel, chegamos a pedir um upgrade (pago), mas acabamos desistindo – nao vimos a vantagem em pagar tantas vezes mais por um quarto que nos ofereceria basicamente a mesma coisa: mesmo conforto, mesmo hotel, mesmo servico, mesma praia e mesma comida.

Mas sim, ha diferencas.

Justamente por pagar (tanto) a mais pelas Water Villas, os hospedes tem algumas regalias a mais, como um servico de mordomo (por exemplo, em vez de ter que levantar da praia pra pegar sua propria bebeida, voce pode pedir pro mordomo te servir), acesso a uma segunda piscina mais escondida no interior da ilha e um quarto restaurante a la carte, que nao eh aberto aos outros hospedes. Ah! E se voce preferir, tambem pode escolher fazer seus tratamentos do Spa em seu quarto, em vez de ir ate o Spa.

Se isso justifica a diferenca de preco…? Para algumas pessoas acredito que sim. Mas nosso quarto era tao confortavel, espacoso e bem localizado que nao sentimos necessidade de um upgrade. Preferimos entao gastar nosso orcamento aproveitando bastante as ferias, fazendo passeios, mergulhos, Spa etc.

E pra falar a verdade, nos fizemos tantas cosias legais enquanto estavamos por la, que so voltavamos pro quarto na hora de tomar banho e dormir.

Mas nao da pra negar que as palafitas tem seu apelo… so nao sei se nos dois teriamos aproveitado o suficiente, entao nao me arrependo da escolha. Mas se voce quer ter um toque a mais de exclusividade e de paparicacao, ou gosta mesmo de ficar lagartixando no sol o dia todo, entao por nao?!

20121031-115117.jpg

E por falar em atividades, acredito que isso seja uma coisa que quase todos os resorts oferecem, mas acho que justamente por causa desse perfil “wellness” o Adaaran era super relax e nada de programacoes mil, se essa nao for sua praia.

Mas eles tem um Diving Center (para mergulho) e um Water Centre (atividades aquaticas) ,onde podiamos nos inscrever e praticar uma infinidade de passeios e atividades.

Todas as atividades extras eram pagas a parte, mas com precos razoaveis, variando entre $20 dolares por um passeio de barco no por do sol, ate $30 a $60 pelos passeios de snorkel ou mergulho e cento e muitos dolares caso voce quisesse algugar um barco exclusivo so pra voce e ir passar o dia numa ilha deserta da vizinhanca.

Fizemos alguma “atividade” todos os dias e sempre demos sorte de nao pegar grupos grandes nos barcos e os guias sempre nos deram todo tempo do mundo pra curtir e aproveitar bastante.

O hotel tambem tem uma serie de lojinhas na recepcao central, vendendo souvenirs, joias, filtro solar, mascaras de mergulho, brinquedos etc.

Ah! E nao podia deixar de mencionar que eles tambem tinham um pronto socorro com um medico de plantao 24 horas na propria ilha – oque pra mim foi importantissimo, afinal estando gravida, todo cuidado eh pouco! (gracas a deus nao precisei do medico, mas num lugar tao ilhado como as Maldivas, eh sempre bom ter essa precaucao e tambem levar isso em consideracao na escolha do hotel).

Para reservas: AQUI

 

Categorias: Maldivas, Viagens
34
22
Feb
2012
Paris: Le Meurice
Escrito por Adriana Miller

Semana passada eu dei umas reclamadinhas no Twitter (segue aqui: @DriMiller) e estava meio rabugenta porque ia passar meu aniversario longe de casa, trabalhando em Paris. E a viagem foi super corrida, mal sai do escritorio, e o clima invernal de frio+escuridao+chuva de Paris nao colaborou muito.

Mas nao tem como reclamar demais do dia de labuta quando no final de tudo tenho uma suite no luxuoserrimo Le Meurice me esperando!

O Le Meurice eh apelidado de “hotel dos Reis”, e foi um dos primeiros em Paris a servir uma clientela estrangeira. Ao contrario do tradicionalmente Franceses Plaza Athenee, Ritz e Crillon, o Le Meurice empregava funcionarios fluentes em Ingles e outras linguas Europeias, e fazia um servico de cheuffer entre a cidade portuaria de Calais (onde chegam os ferries vindos da Inglaterra) ate Paris, servindo especificamente a aristrocacia Inglesa.

Rapidinho o servico internacional do Le Meurice cai no gosto de hospedes como o Rei Alfonso VIII da Espanha, Napoleao III, e uns anos depois foi Salvador Dali que chamou o Le Meurice de “casa”, onde morava na suite 106 por um mes inteireiro todos os anos ao longo de quase 30 anos, enquanto buscava por suas inspiracoes

Para se manter relevante no circuito de hoteis de luxo em Paris o Le Meurice conseguiu como ninguem permanecer um classico, ao mesmo tempo que se modernizou na medida certa.

Os moveis continuam tradicionais, assim como o hotel era quando abriu suas portas e foi decorada tendo como inspiracao o estilo de Luis XIV, Marie Antoinette e os saloes de Versailles.

Mas os quartos tem coontrole central de ar condicionado e aquecimento digital (incluindo calefacao underfloor), banheiro modernissimo, sitema de som da Bose e telona de TV LCD que dubla como espelho.

E o principal responsavel por toda essa renovacao de altisisma qualidade nao podia ser ninguem menos que o designer Frances Philippe Starck (que tambem assina a decoracao de lugares como o Asia de Cuba em Londres, Kong em Paris e Ramses em Madrid) e sua filha, a artista plastica Ara Starck, que assinou a pintura em canvas de 145 metros quadrados que se debruça no teto do restaurante “Restaurant Le Dali”, comandando pelo chef Yannick Alléno, dono de 3 estrelas Michelin.

Tudo isso garantiu que o Le Meurice fosse selcionado para fazer parte de um dos grupos de hoteis mais selecionados e exclusivos do mundo, o The Dorchester Collection (que inclui enderecos como o Plaza Athenee em Paris, Principe de Savoia em Milao e o carro chefe Dorchester em Londres).

Nos ultimos meses o Le Meurice foi pano de fundo para filmes como o “Meia Noite em Paris” de Woody Allen e no filme “W.E.” que a Madonna acabou de produzir.

E pra completar a “cereja do bolo” eh a localizacao do hotel, que fica na Rue de Rivoli, bem de frente para o Jardin de Tulleries, e a poucos quarteiroes da Place de la Cooncorde.

 

Le Meurice

228 Rue de Rivoli 75001 Paris

 

Categorias: França, Hoteis, Paris, Viagens
20
17
Feb
2012
Tune Hotel – Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur
Escrito por Adriana Miller

Uma das melhores coisas de viajar sempre eh poder, volta e meia, voltar a lugares onde ja fui – eh sempre legal ver oque continua o mesmo, e tudo aquilo que mudou, evoluiu… melhorou ou piorou.

Dessa vez a viagem pra Asia nao incluiu Malasia no roteiro – mas ainda assim, gracas as maravilhas dos voos low cost, nao escapamos de passar pelo aeroporto de KL. Nao apenas 1, mas duas vezes em diferentes conexoes!

Na primeira vez que estivemos na Asia passamos varias vezes pelo Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur (Low Cost Carrier Terminal), que rapidamente virou sinonimo de tedio, calor, confusao e desorganizacao.

Cada uma das (muitas) horas que passamos no LCCT em 2008 foram altamente torturantes e nao sobrou nenhuma memoria boa pra contar historia.

Entao ao planejar essa nova viagem, mais uma vez as conexoes no LCCT foram inevitaveis, mas eu fiz de tudo pra reduzir ao maximo nossa estadia por la.

Ate que logo na primeira conexao me dei conta das maravilhas que os anos, o progresso e desenvolviemento do turismo pode levar a um lugar!

Em apenas 3 anos o aeroporto foi talmente transformado e reformado!

Oque antes era um galpao imundo com funcionarios despreparados e salas de espera torturantes, hoje em dia eh um espaco novissimo e arejado, com uma infraestrutura de fazer inveja a muitos aeroportos Europeus!

Balcoes de informacoes, uma area para check in que triplicou de tamanho (principalmente na area da Air Asia! O fim das filas!), um segundo andar (que nao existia!) que filtra a confusao na imigracao e seguranca, e uma area de embarque que incluiu inumeras lojas, cafes e restaurantes, free shop, farmacia, wifi gratis e estacoes eletricas para recarregar seu laptop ou celular enquanto voce espera seu voo.

Oque um dia era um espaco escuro e quente, com cadeiras de plastico desconfortaveis, hoje em dia tem todo o conforto imaginavel!

Sei que eh um comentario bobo, mas fiquei feliz de ter feito parte dessa “transformacao”, de ter sido uma entre os milhoes de turistas que passaram por ali e levaram o desenvolvimento e o progresso pra esse cantinho da Asia.

Me lembrei dos meus ultimos anos na faculdade de Economia, quando desenvolvi uma tese/monografia que falava justamente sobre isso: o desenvolvimento economico criado pela industria do turismo, e o poder arrebatador de transformar regioes e mudar vidas!

 

E entre as muitas melhorias no terminal LCCT de Kuala Lumpur outra novidade foi a construcao do hotel Tune, que tambem faz parte da gigante low cost Air Asia.

O Tune Hotel esta espalhado por varias partes da Asia e do mundo (inclusive tem um Tunes em Londres – depois falo dele com calma!) e tem o mesmo principio da Air Asia: conforto com baixo custo, entao voce soh paga pelo que precisa e vai usar.

Funciona assim: voce reserva sua noite no hotel, que eh o basico do basico – incluindo apenas o quarto/cama com banheiro.

Ai voce pode comecar a selecionar todos os “extras” que gostaria de ter. Oque vc acha que nao vai precisar nem usar durante sua estadia, voce nao paga.

Entao eu adicionei em nossa diaria alguns extras como: toalha e sabonete liquido, ar condicionado e internet wifi.

Algumas outras opcoes, como TV a cabo, secador de cabelos, telefone e cafe da manha, deixei de fora, pois sabia que nao iria usar.

O processo foi facilimo! Fiz a reserva com meses de antecedencia (assim que reservei as passagens entre Cingapura e Xangai!) e paguei tudo on line.

Chegando no LCCT, logo depois de recolher a bagagem tem um quarto “modelo” do Tunes mostrando como sao os quartos por dentro e ensinando como acha-los.

Do lado de fora do hotel, na area de ponto de taxis e onibus, basta procurar pelas placas do transfer do hotel (que nao eh de graca, mas custa 2 Ringgit, o equivalente a apenas 0,50 de US$). O transfer passa para recolher passageiros a cada 15 minutos e o transfer ate o hotel demora menos de 5 minutos.

Na recepcao do Tunes, recebemos nosso cartao-chave do quarto 9que tambem controla extras como ar condicionado, TV etc), o kit com a toalha e a senha da internet, e pronto!

O quarto, como era de se imaginar, era minusculo! Mas muito mais confortavel doque muito albergue e hotel 2 estrelas que ja fiquei pelo mundo!

A cama macia e confortavel, o banheiro novissimo, limpo e com um chuveiro potente!

Uma mesinha “bandeja” aos pes da cama e conexao de wifi que funcionou super bem!

E no dia seguinte, acordamos super cedo pra pegar o voo seguinte – nao precisamos fazer check out nem nada. Descemos na hora do transfer certo e em minutos chegamos no terminal de embarque.

Mais tranquilo, facil e economico impossivel!

 

Categorias: China, Cingapura, Malasia, Viagens, Xangai
27
16
Feb
2012
Amsterdam: Hotel Pulitzer
Escrito por Adriana Miller

Quando estive em Amsterdam a trabalho semana passada fiquei hospedada no maravilhoso Hotel Pulitzer, que fica bem no centrao de Amsterdam.

O que eu achei mais legal mesmo de toda experiencia eh ter visto por dentro as tipicas casinhas historicas de Amsterdam!

O Hotel Pulitzer foi construido, na verdade usando cerca de 25 casas tipicamente Holandesas  do seculo 17 e 18 no centro de Amsterdam, ocupando um quarteirao inteiro entre os canais Prinsensgracht e Keizersgracht.

Eu achei o maximo que eles mantiveram a arquitetura original das casas, apenas “conectando” os corredores e ambientes. Entao por fora voce apenas ve que as casas sao diferentes e fica dificil identificar onde o hotel acaba e onde termina.

Mas por dentro eh que eh interessantissimo: para nao comprometer a estrutira original historica das casas, eles nao derrubaram todas as paredes, nem “harmonizaram” o interior, entao cada casa continua sendo uma casa independente, e ao andar pelos corredores (as casas sao todas conectadas, por dentro, claro) voce percebe nitidamente quandoe sta passando de uma casa pra outra!

E entre elas, la dentro, as altura nem sequer sao as mesmas, entao os andares sao todos desnivelados, oque ressalta ainda mais essa diferenca entre a arquitetura de uma casa e outra!

Entao por exemplo, o terceiro andar do hotel eh composto na verdade do 2 andar da casa X, do terceiro andar da casa Y e do quarto andar da casa Z, dependendo de fatores como nivelamento em relacao a calcada, se era uma casa com porao ou nao, a altura do pe direito e tal.

Quaase todos os quartos tem vista para os canais de Amsterdam, ou entao para o patio interno do hotel, e os quartos todos tem pe direito bem alto e com as vigas de madeira originais no teto.

E se voce achar que ja viu aqueles saloes e corredores em algum lugar… esta certo! O Hotel Pulitzer serviu de cenario no filme “Ocean’s Twelve” que se passa praticamente todo em Amsterdam. Entao eles transformaram as diferentes “casas” do hotel, em ambientes proprios, alguns dos saloes que hoje servem de bares ou restaurantes foram transformados em bibliotecas ara o filme e coisas do genero!

O Hotel faz parte da curadoria “Luxury Collection” que seleciona hoteis de variadas bandeiras ao redor do mundo, inteiramente baseados no quesito luxo e atendimento ao cliente.

E pra mostrar que sao merecedores de tamanho luxo, alem do servico excelente, varias opcoes de bares e restaurantes premiados dentro do hotel, eles tambem oferecem um servico de taxi-barco pelos canais de Amsterdam para seus hospedes!

Hotel Pulitzer

Prinsengracht 315-331 • 1016 GZ, Amsterdam

Telefone: +31 20 5235235

 

Categorias: Amsterdã, Holanda, Viagens
4
10
Feb
2012
Raffles Hotel: o berço do Singapore Sling
Escrito por Adriana Miller

E como nem tudo em Cingapura eh pura modernidade “construida”, um dos programas obrigatorios de todos os turistas que passam por la eh conhecer o Raffles Hotel – que alem de ser um dos hoteis mais antigos (e luxuosos) da Asia eh tambem onde o legendario cocktail Singapore Sling foi inventado.

Já pensou que máximo se existisse um lugar no Brasil que fosse responsável pela criação da Caipirinha, por exemplo?!

Pois é, no caso da bebida mais famosa de Cingapura, e um dos drinks mais populares do mundo isso é possível!

O hotel foi inaugurado em 1887 por uma familia de Armenios que faziam comercio na regiao – e para atender ao alto padrao de seu clientes arabes que passavam pela ilha, eles construiram o hotel, usando uma arquitetura colonial Europeia e deram o nome em homenagem ao Ingles Sir Stanford Raffles, que foi o fundador de Cingapura.

O hotel ate hoje ocupa o topo das listas dos hoteis mais luxuosos e tradicionais da Asia, mas nao da pra negar que a maioria de seus visitantes realmente vao atras do Long Bar, que foi o bar onde o drink foi criado (a receita original, escrita a mao no inicio do seculo 20 esta emoldurada e pode ser vista no fundo do bar).

O Long bar eh super legal, e apesar de que o hotel ja passou por varias reformas e atualizacoes, eles sempre mantiveram o Long Bar o mais original e historico possivel, incluindo os “abanadores” eletricos no teto, os moveis de rafia e principalmente a tradicao de comer amendoins e jogar a casca no chao!

Da pra imaginar direitinho como deveria ser o clima de “exotismo” na decada de 1910 e 1920, com comerciantes e exploradores vindos do mundo todo, se refugiando do “exotico” desconhecido das florestas da Malasia e Indonesia!

A receita do Singapore Sling inclui Gin, charope de cereja e suco de abacaxi, e apesar de figurar nos menus de bares do mundo todo, eh especialmente popular na Asia – foi o drink que nos bebemos praticamente todas as noites que passamos em Bangcoc durante nossa lua de mel, entao foi bem legal revitiar essa experiencia novamente na Asia.

A experiência nao sai barata, e apesar de se pode beber ótimos drinks e variações de Singapore Sling por toda a cidade, todos os turistas querem é conhecer o bar – e portanto cada drink custa em media 26 dólares!

Mas, quando em Cingapura…

 

Categorias: Cingapura, Viagens
7
01
Feb
2012
Bali: W Hotel
Escrito por Adriana Miller

Apesar de termos amado nossa escolha de hotel em Bali, tivemos a oportuniade única de conhecer e fazer um tour pelo novissimo W Retreat & Spa de Bali.

O W também fica em Seminyak, e bem na beirinha da praia (apesar de não ter acesso direto nem praia “particular”) foi inaugurado apenas em Abril de 2011.

A arquitetura do hotel é incrivel, conseguindo ser super moderna e super tradicional ao mesmo tempo. Por um lado estão as linhas modernissimas e clean tipicas dos hoteis W, mas essas linhas foram incorporadas com um paisagismo que simula as linhas dos campos de arroz e montanhas da ilha.

Além disso, a propriedade onde o W foi construido possuia 4 mini templos, que segundo as leis locais, e regras do hinduismo não poderiam ser removidos nem destruidos, então os arquitetos do hotel consehuiram incorporar os templos perfeitamente, complementando a vibe geral do hotel.

O W tem uma filosofia muito diferente dos hoteis de luxo normais, e além de ter um espírito mais “jovem” (que não tem nada a ver com a idade de seus hospedes) o W tem uma filosofia de entretenimento onde oque mais se preza é o clima “social” das areas do hotel, sempre aberto para tudo e todos.

A primeira diferença fica logo no lobby do hotel, que ao contrario dos hoteis “comuns”, a recepção do W é na verdade um bar! Eles acreditam que a recepção dos hoteis devem sempre ser a “alma” da casa, a primeira impressão que te acolhe, e sempre com muita gente indo e vindo.

Outra das principais vertentes da filosofia original da cadeia de W Resorts é o serviço “Whatever/Whener” (qualquer coisa / qualquer lugar) que eleva a noção de “atendimento ao cliente” a um novo patamar – qualquer coisa, a qualquer hora, em qualquer lugar… o pedido do hospede é uma ordem!

Alem das suites do predio principal, o W Resorts Bali também tem 78 vilas privadas, variando entre 1 e 3 quartos, todas com piscina e jardim particular (de cair o queixo!!), e um total de 8 bares e restaurantes, além do beach club Woobar.

Nós aproveitamos para jantar no restaurante asiático fusion Starfish Bloo – que antes mesmo de olharmos o menu, já impressiona só pela decoração e arquitetura!

Com seu pé direito altissimo e mesas em “gaiolas” e aquarios, e com a cozinha totalmente aberta no meio do restaurante de um lado, e o mar de Seminyak de outro lado.

No menu muitos sucos e cocktaisl “exoticos” (provei o suco de Dragon Fruit com blueberry e papaya sensacional!) e as invenções do chefe premiado Jack Yoss nas variações asiaticas.

Além de uma infinidade de pratos de arroz, noodles e sushis, os mini rolls estavam incriveis, e adoramos os “hot stones”, onde você pode grelhar seu proprio peixe na sua mesa, usando uma pedra vulcânica em brasa colocada no centro da sua mesa!

E não deixe de provar uma das atrações: uma asinha de frango com molho de gergelin recheada com camarão!

E quando você estiver exausto de tanta praia e badalação, o W de Bali tem um Spa incrivel que foi eleito um dos melhores da Asia em 2011 e esta servindo como Spa-modelo para reformulação de varios outros hoteis da rede W e Starwoods!

Para reservar seu quarto no W Retreat em Bali, ou reservar uma mesa em um de seus restaurantes, clique aqui.

Categorias: Bali, Indonésia, Viagens
15
28
Jan
2012
Bali, Seminyak: Praia, bares e restaurantes
Escrito por Adriana Miller

A nossa escolha por nos hospedarmos em Seminyak foi bem deliberada, e apesar de Bali ter inúmeras opções, pra todos os gostos e bolsos (que significa que não existe escolha certa nem errada, apenas a escolha que pode ter sido certa ou errada pra você e seu perfil e preferências), então de cara sabia que Seminyak seria nossa praia!

Um fatos decisivo era a noite de revellion, e pra isso, definitivamente queríamos estar por la. Eu sei que vivo comparando os lugares do mundo, com lugares no Rio de Janeiro, mas as vezes fica mais fácil pra fazer a correlação: Sob meu ponto de vista, Seminyak é a junção perfeita da Rua das Pedras com a Praia de Geribá (em Buzios).

A praia esta longe de ter a areais branquinha e aguas cristalinas, mas pelo menos é uma praia de “areia”, com bares, espreguiçadeiras e gente.

O centrinho da “vila” teria muitas opções de cosias pra fazer, comer e passear, além do fácil acesso ao aeroporto (chegamos na ilha bem tarde da noite, e voaríamos embora bem cedo de manhã – fatores sempre importantes na escolha da hospedagem), e as estradas principais que nos levariam a outras partes da ilha.

E o fato de que achamos o hotel perfeito que atendeu a todos os nossos pre-requisitos bem ali no meio do buxixo, selou a decisão! (ficamos no Amadea Resort & Spa, que ja falei aqui).

- Praia:

A praia foi sem duvidas a melhor que vimos em Bali. Logicamente não vimos todas, e nem sequer esse foi o foco de nossa viagem, mas foi a única praia em que minha alma Carioca se sentiu numa “praia”: com uma faixa larga de areia com bastante espaco pra estender a kanga (de Bali! hahahah), espreguicadeiras, bares e servicos.

Mas ao mesmo tempo, por ser uma praia de mar “aberto” na costa oeste da ilha, ela não é muito favorável a pesca, oque significa que os barcos de pescadores (vazando oleo e cheiro de peixe) e os barcos de turismo (vazando lixo e muita gente), passam longe.

Porem, apesar de ter um mar “aberto”, ela nao é das favoritas dos surfistas, e mesmo não sendo aquela piscina de agua calma, as ondas também nao eram fortes o suficientes pra atrapalhar nossa diversão.

E por estar na costa oeste da ilha e ter uma extensão considerável de areia, Seminyak se transformou no lugar ideal para o mais legais beach clubs do mundo! Que se tornam especialmente disputados durante o por do sol, quando a galera se junta na areia e nas mesinhas e lounges dos clubs pra curit o por do sol e os drinks!

- Bares e Resturantes:

Um dos principais e mais disputados (e consequentemente badalados) beach club de Seminyak é sem duvida alguma o Ku De Ta! Foi la que passamos nossa virada de ano, numa festa incrível e animadíssima que por fim pôs por terra aquele mito que só o Brasil sabe produzir boas festas de revellion! (então vai rolar post dedicado, porque o Ku De Ta merece!).

Outro restaurante que encabeça as listas de “melhor de Bali”, também fica logo ali, com os pes nas areais de Seminyak: o Balines/Italiano La Lucciola.

Esse restaurante estava no nossa lista, mas um dia, depois de assistir o por do sol na praia, resolvemos tentar achar um lugar pra comer por ali mesmo e sem saber oque era, avistamos o La Lucciola e pronto!

Apesar de nao termos reserva (alta temporada em Bali tem que fazer reserva pra tudo!), como ainda era bem cedo, conseguimos uma mesa bem na varandinha, com uma vista incrível!

No menu, muitas opções com frutos do mar, que misturam perfeitamente os ingredientes Balineses, com um toque Italiano, resultando em alquimias gastronômicas sem igual!

Mas nao da pra negar que um dos ingredientes principais realmente é o ambiente…. a vista…

O restaurante ocupa os dois andares de uma “casa” bem estilo praiano, todas as mesas tem vista direta pro mar, muitas janelas, muitas flores, muitas velas e os maravilhosos moveis Balineses (queria poder re-mobiliar minha casa toda nessa viagem!), oque criam aquele ambiente de sonho… dando aquela sensacao de que “era essa a Bali que eu sonhei!”.

 

Mas nao podemos esquecer da tal da “Restaurant Street” que é o centrinho de Seminyak, e que ajudou a transformar essa vila, no bairro trendy e cool de hoje em dia.

O nome verdadeiro da rua é Jalan Laksamana, oque explica porque um nome mais turístico foi prontamente adotado… em seus poucos quilômetros de cumprimento  ela sem duvida é uma das mais movimentadas e bem cuidadas da ilha.

Vários tipos de bares, restaurantes para todos os gostos, muitas lojas com roupas praianas (muitas marcas Australianas bem interessantes), algumas galerias de arte, lojas de moveis e design Balines, mercados, agencias de turismo e tudo mais que o turista pode precisar durante sua estadia.

Um dos bares que acabou virando nosso “point” durante os dias que passamos por lá foi o diner fuleiro Soho, que fica aberto 24 horas e tem os melhores (e mais baratos) sanduiches de Bali!

O Soho salvou nossos estômagos na noite que chegamos, e aquele Philly-Cheese-Steak sem igual em plena madrugada nos conquistou de cara!

Lanchinho pós-passeio? Soho. Fazer uma boquinha na madrugada pós balada? Soho (esse horário era exatamente o mais disputado!). Alomoço rapido pré-praia? Soho.

Deu pra entender, né? E mesmo com sua aparência de pé sujo, se esforçando pra lançar um estilo de diner Nova Iorquino, a verdade é que o lugar esta sempre lotado, 24 horas por dia, e os precinhos diminutos do menu dão o incentivo extra pra continuar voltando e voltando…

Mas como nem só de sanduíche sobrevive a Restaurant Street, um outro lugar ótimo que provamos foi o Italiano Trattoria.

Mesmo com uma superlotação e fila na porta (todas as noites), o serviço foi sempre impecável, eles sempre dão um jeito de ir atendendo e servindo todo mundo, e inclusive abriram um “puxadinho” na calçada do outro lado da rua pra atender a quantidade incrivel de clientes disputando uma mesa (e isso porque são duas filiais do Trattoria só em Seminyak, a poucos metros de distância).

A comida chega rapido, deliciosa, muitas opções de vinhos e cervejas, e no final de tudo a conta mal passa 10 dolares por cabeça…!

E pra variar um pouco o paladar, tambem seguimos a recomendação de uma amiga e fomos conferir o L’Entrecôte, um restaurante estilo bistro Francês, vizinho da Trattoria e igualmente disputado.

O melhor? O prato chefe do L’Entrecôte é seu PF de bife, salada e batata frita, que virou a marca registrada da casa. E pelo módico preço de 10 dolares por “menu”, que tambem inclui uma sobremesa!

Para opções mais Belinesas, a melhor opção é o Batu Kali, que por sorte era o restaurante do nosso hotel!

Uma otima seleção de sucos de frutas “exoticas” (mamão, abacaxi, maracujá, manga e afins, que é bem dificil de achar na Europa) que são tipica de Bali além de uma lista bem generosa de pratos asiaticos e Balineses, e mais umas tantas opções “ocidentais” e internacionais para os mais frescos.

Minha recomendação vai pro Nasi Goreng, que é um dos pratos tipicos da ilha e significa, literalmente “arroz frito com frango” e não tem erro!

E ainda existem muitos outros, e seria possível dar a volta ao mundo gastronomicamente sem sequer sair daquela rua!

 

Categorias: Bali, Indonésia, Viagens
13
26
Jan
2012
Amadea Resort & Spa
Escrito por Adriana Miller

Uma das otimas escolhas que fizemos durante nossa estadia em Bali foi o hotel escolhido.

Fiz uma pesquisa rapidinha e sabia que queriamos ficar na area de Seminyak, que tem uma das praias melhorzinhas, mas tem tambem otimos restaurantes, bares, baladinhas e boas conexoes com o aeroporto.

As opcoes por la foram muitas, e tinhamos alguns pre-requisitos: um estilo “boutique” de acomodacao, que nao fosse nem um albergue muito fuleirao, nem tanpoco um resort enorme e caro.

Quartos espacosos e novos, piscina (sabia que ia estar muito calor nessa epoca do ano, e ja sabia que as praias nao sao la grandes coisas) e um boa infraestrutura dentro do hotel.

Entao segui o feedback de sites como booking.com e Tripadvisor e escolhi o Amadea Resort & Spa, um hotel bem no meiao da “restaurant street” de Seynimiak, novissimo e com otimo feedback!

E a escolha nao poderia ter sido melhor! Foi um daqueles lugares onde voce se sente totalmente em casa, todos os funcionarios tao simpaticos, que na hora de ir embora ate bate uma saudade!

Na noite que chegamos, rolou um certo estresse por causa de um errinho na reserva (resumindo: eu fiz uma reserva inicial pelo booking, mas modifiquei as datas uns meses depois diretamente com eles, entao o preco da diaria estava aparecendo errado pra mim e pra eles), mas prontamente o gerente veio falar comigo e nos ofereceu um upgrade no tipo de quarto, para uma versao maior e com vista pra piscina nos fundos da propriedade.

Aliais, uma cosia que me preocupou um pouco era se teriamos barulho a noite, ja que o hotel eh tao no meio do burburinho, mas gracas a deus, nao ouvimos nada nem de longe! A fachada do hotel eh um restaurante (do hotel, onde eh servido cafe da manha, mas aberto a nao-hospedes tambem), depois tem um jardim interno e o estacionamento, depois todas as villas, e so la no fundao fica a recepcao e os blocos de quartos e piscinas. Ou seja, perto suficiente da badalacao, mas longe o suficiente pra poder desligar totalmente!

E alem da infraestrutura novissima e super confortavel, funcionarios simpaticissimos, otima comida, otimos drinks no bar da(s) piscina o hotel ainda tem um spa delicioso na cobertura, oferencendo inumeros tratamentos tipicos Balineses e todo tipo de relaxamento e massagens!

Nao poderia ter fechado 2011 (e comecado 2012!) de jeito melhor! nada como uma boa massagem balises pra relaxar e invigorar!

O Spa fica na cobertura do hotel, com vistas para a piscina e o jardin interno, e tem varios quartos de tratamento individuais e para casais, tudo naquele climinha delicia oriental.

E foi tambem gracas ao hotel que conhecemos o Roby, nosso maravilho motorista e guia que nos mostrou tudo que bali tem de melhor me mais interessante!

A apesar de nao ser um resort peh na areia, o Amadea, que fica bem no meio da “rua dos restaurantes” (uma coisa assim, DEMAIS no clima da Rua das Pedras em Buzios – so que muito menos charmosa e menos cuidada, infelizmente para os Baliseses), fica a apenas uns 10 ou 15 minutos (andando) da praia de Seminyak, onde estao varios otimos restaurantes, bares e beach clubs (todas as dicas em breve!), oque fez dele a localizacao perfeita!

Para reservas, clique aqui no Booking.com ou direto no site do hotel.

 

Categorias: Bali, Indonésia, Viagens
11
24
Jan
2012
Os Cassinos de Macau e a Cotai Strip
Escrito por Adriana Miller

Nao é de hoje que Macau tem chamado atencao do mundo por causa de seus cassinos e seu apelo de “Las Vegas da Asia” – mas nos ultimos anos a cidade tem crescido de tal maneira que alem de ter multiplicado o numero de cassinos e quartos de hoteis, o faturamento proveniente de jogos em Macau ja ultrapassou os valores de Las Vegas e se tornou o novo big player da jogatina mundial! (vou lançar o slogan: Las Vegas, a Macau do Ocidente, pra ver se pega!)

Tudo comecou com o Hotel & Casino Lisboa na decada de 60, ainda na era colonial Portuguesa, e o ate então único cassino começou a atrair dinheiro da Asia.

Com o devolução de Macau a China e sua maior abertura a negócios internacionais a popularidade de Macau como destino de jogos tem crescido cada vez a cada ano, atraindo ainda mais visitantes e por sua vez, também atraindo os mega cassinos que hoje em dia ocupam e se distribuem por suas duas ilhas.

A principal diferença entre os cassinos Americanos e os Chineses é principalmente seu estilo. Las Vegas é muito mais que apenas jogos e cassinos. Sao shoppings, restaurantes, shows, baladas…. todo um mundo de entretenimento, para todas as idades. A jogatina é apenas a fachada da cidade.

Porem o estilo dos Asiaticos é muito diferente dos ocidentais e Americanos, e por lá, a grande maioria das pessoas que vai aos cassinos de Macau, vai pra jogar.

O pessoal se concentra mesmo, e gasta (e ganha) uma grana serissima. A primeira coisa que estranhamos foi que na grande maioria dos cassinos a musica eh bem discreta, e nao tem aquele ambiente barulhento louco das sirenes das maquinas de slot!

Outra diferenca crucial eh a ausencia de bares dentro dos cassinos. Alguns ate tem, porem sao discretos, e um pouco separados. nas mesas de jogos, garrafinhas de agua mineral e cha a vontade, enquanto que LV entorna bebidas alcoolicas (afinal, quanto maior seu teor etilico, maiores chances de que voce vai perder e a casa vai ganhar).

- Ilha Macau:

A principal eh a ilha Macau, a “capital” colonial e onde se encontram oa primeiros e mais tradicionais cassinos da regiao.

O principal eh o Hotel & Casino Lisboa (que ja ganhou post exclusivo aqui), cuja fachada luminosa é tambem um dos principais cartões postais da cidade e sua marca registrada.

No inicio dos anos 2000, para fazer frente a nova onde de cassinos internacionais (e mais modernos), alem de uma reforma geral no predio antigo, tambem foi inuagurado o Grand Lisboa, hotel adjacente e complementar.

O Grand Lisboa eh definitivamente mais moderno e mais na linha dos cassinos modernos que encontramos em varias partes do mundo, mas principalmente em Las Vegas.

Sua torre possue mais de 2000 quartos e em sua base um mega cassino em plano aberto com varias opcoes de bares e restaurantes.

No mezzanino acima do cassino existe uma restaurante Asiatico e uma Deli estilo americano, mas com uma carta de vinhos Portugueses de dar gosto!

Exatamente em frente ao complexo Lisboa de hoteis estao a primeira leva de novos cassinos com bandeira e investimento internacional (que foram justamente os impulssionadores da construcao do Grand Lisboa), entre eles o Wynn e Encore, MGM, Mandarin Oriental, Grabnd Hyatt e Galaxy.

Todos eles sao hoteis enormes, mas apenas o Wynn e o MGM sao tambem cassinos, ambos seguindo o modelo de seus predecessores Americanos.

O Wynn segue a mesma pomposidade de sua versao Vegas, com uma decoracao exagerada, porem em cores claras.

Antes mesmo de chegar no cassino voce tem que passar por um mini shopping, com lojas que incluem Chanel, Dior accessories, Botega Venetta, joalherias e afins.

O cassino eh enorme, com certeza entre os maiores de Macau, com areas separadas para os “high players” (que fazem apostas com valores altissimos). Foi la que passamos praticamente toda nossa primeira noite na cidade, e como conseguimos ganhar bastante nas mesas de blackjack, so sobraram boas memorias do Wynn!

Alem disso, ja que Macau nao tem um Bellagio pra chamar de seu (pelo menos nao por enquanto!), o Wynn se encarrega do show de agua e luzes no lago artificial em frente ao hotel – eh uma versao mini do show do Bellagio, mas ainda assim bem legal, principalmente com as luzes do Casino Lisboa como pano do fundo!

 

Logo ali do lado esta o MGM, outra filial do gigantesco hotel Americano.

Logo na entrada, o inconfundivel leao dourado da MGM, e apesar de nao ser tao grande quanto a versao Vegas 9que eh o maior cassino de LV) eles seguem a linha de “estudio cinematografico” MGM.

La dentro parece um estudio cenografico, com entradas secretas e portas camufladas, e antes mesmo de se chegar no cassino voce tem que passar pela “Grande Praça“:

Uma pracinha cenografica tematica, reproduzindo os predios do centro colonial de Macau e a arquitetura Portuguesa, incluindo o chao de pedras portuguesas branco e preto e muitos azulejos nas paredes!

 

Apesar de seu cassino nao ser tao grande, o MGM faz parte do complexo de hoteis e lojas One Central, que inclui um shopping enorme e luxuosissimos e os hoteis Mandarin Oriental e Grand Hyatt.

 

- Ilha Taipa:

Porem eh do outro lado da baia de Macau onde a verdadeira revolução esta acontecendo, e onde o dinheiro da China emergente esta sendo gasto!

A ilha Taipa, que ate poucos anos atras nao tinha nada, eh a responsavel pelo boom imobiliario e hoteleiro de Macau.

Bem no centro de Taipa foi construida a Cotai Strip, concorrente direta da Las Vegas Boulevar, ou “The Strip”.

A intencao eh que daqui a uns anos ambas Strips serao equivalentes em tamanho, enquanto que Macau ja esta ganhando na categoria faturamento!

A principal atracao da Cotai Strip eh sem sombra de duvidas o megalomaniaco Venetian!

Mais um hotel da leva Las Veguiana, construido sob a mesma marca e estilo: decoracao estilizada Italiana, e toda uma estrutura tematica de Veneza, inlcuindo canais e gondoleiros, as casinhas tipicas e a Piazza San Marco!

Dizem ate que o Venetian de Macau eh maior que o de LV, mas eu achei que sambos sao igualmente gigantescos!

E o venetian tambem esta lancando uma nova “moda” Las-Veguiana para o universo de entretenimento de Macau, lancando o primeiro espetaculo fixo do Circo de Soleil da regiao, o show Zaia !

Em Macau o venetian nao tem o co-hotel Palazzo, mas em compensacao tem um Four Seasons, que nao tem cassino proprio, porem usufrui da mesma estrutura, alem de adicionais mais alguns milhares de quartos 5 estrelas ao complexo – e sem esquecer eh calro de seu luxuosserimo shopping “The Shoppes”!

Exatamente oposto ao Venetian na Cotai Strip esta o complexo City of Dreams, que incluiu os hoteis e cassinos City of Dreams e Hard Rock Cafe, alem de outro hotel Hyatt.

O cassino do Hard Rock foi o nosso preferido, por seguir um estilo mais Americano de jogatina = festa = diversao, enquanto que os outros cassinos tem um estilo e estrutura bem diferente.

Musica alta, o tilintar das maquinas de slot/jackpot, garconetes usando poquissimas roupas (todas ocidentais) e um bar bem no meio do cassino! Alem de que, assim como nos cassinos Americanos, enquanto voce esta numa mesa de jogos, pode beber a vontade, sem pagar!

Nao eh por acaso que pelo menos 80% dos turistas jogando no Hard Rock eram ocidentais, principalmente Americanos, Australianos e Ingleses!

Nos divertimos demais, e passamos praticamente o dia todo por la!

Anexo ao Hard Rock fica o City of Dreams, que eh uma mistura de parque de diversoes, com hotel, cassino, centro de entretenimento e shopping.

Um ambiente mais familia, com muitas atracoes pra criancas, e um shopping mais ecletico, com lojas que variam tranquilamente entre Chanel e H&M!

 

A Cotai Strip esta longe de estar concluida, e a expectativa eh que na proxima decada a “Strip” vai se multiplicar, abrindo novas dezenas de hoteis, cassinos, shoppings e centros de entretenimento, todos interconectados por monorails e tuneis, criando uma cidade unica e fluida.

Ja eh possivel ver quais serao as proximas inauguracoes, com um novo Shangri-La, que se conectara a um Sheraton e um St Regis atravez de um outro complexo de cassinos e shoppings com uma tematica Asiatica (“The Traders”, que ja da pra ver que vai ser lindo e extremamente suntuoso!), alem de um Hilton, um Conrad, Fairmont, Intercontinental e Holiday Inn… alem de uma novissima arena esportiva e (alguns) campos de golfe. Uff…

Entao Macau esta naquela lista de cidades a visitar varias vezes ao longo da vida e ir presenciando suas transformacoes!

Definitivamente os investidores de Macau nao estao dormindo no ponto e ja estao se preparando para a dominacao Chinesa do mundo!

 

 

Categorias: China, Macau, Viagens
12
21
Jan
2012
Hotel & Casino Lisboa
Escrito por Adriana Miller

Nao da pra negar que apesar de toda historia milenar, o passado colonial etc, oque relamente atrai turistas para Macau hoje em dia sao os cassinos.

E no fundo, no fundo, esse foi o principal motivo pelo qual resolvemos passar duas noites na cidade: o Aaron adora uma jogatina, e desde nossa ultima viagem a Las Vegas (onde nos divertimos horrores!), ficamos na vontade de voltar ao ambiente dos cassinos.

Oque nao faltam sao opcoes em Macau, e o Aaron foi catagorico: temos que nos hospedar em um cassino bacana! E eu concordei na mesma hora, afinal, em cidades como Macau (assim como Las Vegas e Dubai por exemplo), boa parte da diversao esta justamente na hospedagem!

A nossa escolha foi o tradicionalissimo Hotel Lisboa. Foi esse hotel onde tudo comecou, e onde a fama da jogatina de Macau cresceu, ainda nos formatos de cassinos Portugueses.

Esta longe de ser o mais luxuoso, e muito menos o mais caro, mas eh sem sombra de duvidas o mais historico e o mais tradicional!

O Hotel & Cassino Lisboa eh o epicentro da cidade e tem uma localizacao imabativel! Fica apenas a cerca de 10 minutos do terminal de Ferry que chega de Hong Kong, e cerca de 20 minutos do aeroporto (que fica na outra ilha).

Nas ultimas decadas, para fazer frente a nova safra de mega cassinos que estao invadidno Macau o Hotel Lisboa passou por uma reforma multi-milionaria, alem de inaugurar tambem o Grand Lisboa – um predio muito maior e mais moderno, que se conectam por uma passarela futuristica e um cassino enorme.

O Hotel Lisboa faz o estilo velho mundo Europeu (porem autentico, ao contrario de seus novos concorrentes, porque realmente eh antigo), com escadarias suntuosas de marmore, candelabros vertiginosos e eh um verdadeiro labirinto – que nos remete a uma epoca onde a imagem dos cassinos passava longe da imagem de Las Vegas moderna.

Os quartos mentem o clima de velho mundo, beirando o kitch e brega, com suas cores sobrias e tecidos pesados, mas possuem dois atrativos que o tornam irrestiveis:

O primeiro eh o novissimo banheiro da ala reformada (West Wing) que alem de todas as maenidades modernos imaginaveis, ainda inclui uma confortabilissima banheira de hidromassagem, jatos multiplos e uma sauna a vapor!

E o segundo eh o frigobar, que eh 100% gratis e incluido na diaria do quarto! Verdade seja dita que nao eh aquela fartura de marcas internacionais e safras raras, mas inclui uma boa selecao de bebidas nao-alcoolicas e cervejas. Uma daqueles pequenos detalhes que fazem toda diferenca!

O Hotel Lisboa tambem tem inumeras opcoes de bares e restaurantes, incluindo uma pastelaria Portuguesa (Lisboa Cafe)que atrai hospedes de todos os hoteis ao redor (a pastelaria sempre tem uma fila gigante!) com seus pasteis de nata, bolos e paes de encher os olhos! Alem de claro, um cafe de primeirissima qualidade que te faz dar conta o quanto o cafe do Starbucks eh ruim demais! E o recem aberto Guincho a Galera, o unico restaurante de culinaria Portuguesa com estrela Michelin a abrir uma filial no exterior.

Pra completar nos ainda ficamos num quarto da ala Oeste com a vista da baia de Macau, bem de frente para a Macau Tower, a torre de comunicacoes que virou simbolo da Macau moderna!

Alem disso, por sua posicao super central o Hotel Lisboa fica a poucos minutos andando da area antiga e historica da cidade, e de varios outros cassinos localizados na ilha Macau – e por estar exatamente em frente a Ponte da Amizade (que conecta Macau a Taipa), o Hotel Lisboa tambem fica a cerca de 10 minutos (de taxi) dos mega cassinos modernos da Cotai Strip.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: China, Macau, Viagens
5
Página 1 de 3123