04
Dec
2013
Low Cost: Viajar de EasyJet com um bebê
Escrito por Adriana Miller

Viajantes mundo a fora sempre são classificados de acordo com alguns rótulos (mochileiro, aventureiro, de luxo, de resort, etc).
Já Entre as famílias viajantes, são categorias: as que viajam com seus filhos, e as que simplesmente preferem deixar pra depois (seja porque da trabalho, porque acham que as crianças não vão lembrar/aproveitar, ou o que for).

20131102-093332.jpg
Então entre os muitos comentários não solicitados volta e meia nos ouvimos de amigos e conhecidos que viajar com a Isabella nesses últimos meses tinha sido fácil pois viajamos sempre cias aéreas tradicionais. “Queria ver se vocês iam achar tão simples assim na Ryanair ou Easyjet!”, me falaram uma vez.

20131102-093016.jpg

Pois bem. Esse dia finalmente chegou, e nós 3 embarcamos rumo a Croácia em Agosto voando Easyjet.
Eu já fiz vários posts sobre os poréns de viajar de low cost, e a verdade verdadeira é que realmente ja se foi os tempos áureos em que realmente valia a pena passar por certos apertos em nome de tarifas quase de graça.

20131102-093248.jpg

Sim elas existem, mas com a popularização dos vôos low cost (afinal não são mais novidade) e aumento na regulamentação do setor (mais taxas, mais impostos etc que são repassados aos passageiros), quando colocamos na ponta do lápis todos os extras (monetários e de inconveniência), poucas vezes ainda vale a pena encarar a Ryanair (insira aqui o nome de qualquer cia de low cost na Europa).

Mas ainda assim, com todo planejamento, antecedência e seguindo alguns princípios básicos (que já falei bastante em vários posts aqui ó) volta e meia nao tem como resistir!

20131102-093311.jpg

Então lá fomos nos!
Mas afinal, como funciona viajar de low cost com um bebe de colo?

Bem, no geral a maioria das regras ainda valem e são exatamente as mesmas!

- Preço:

O principal problema de viajar de low cost, eh que eh muito fácil levar gato por lebre – o preço final da sua passagem NUNCA será aquele precinho que aparece ali na primeira tela.

Então seja numa viagem com crianças ou não, é preciso levar tudo em consideração: todas as taxas extras, os impostos, o check in on line, a bagagem extra, a distância dos aeroportos, etc, etc (muitos mais detalhes nos posts aqui).

Mas como queríamos viajar na alta temporada pro Sul da Europa, ainda assim, vale a pena viajar de Easyjet e não tivemos medo de arriscar! (ou seja, não é que a passagem tenha sido suuuuper baratíssima, apenas saiu mais barato do que em uma cia tradicional como a British Airways, por exemplo).

20131102-093433.jpg

Além disso, assim como em cias aereas tradicionais, bebes de ate 2 anos, viajando no colo de um adulto nao pagam a passagem cheia.

No caso da easyjet, em vez de pagar algumas taxas e um proporcional do preco da passagem dos pais, as criancas pagam uma tarifa fixa de 20 Libras por perna da viagem.

Então se sua viagem for mais cara, as 40 Libras pagas pelo bebe acabam não sendo nada no custo total – mas se você achar uma passagem super baratinha, daquelas quase dadas, pode ate ser que seu filho pague mais que você! (se for esse o caso, basta comprar um assento de “adulto” separado.

 

- Bagagem:

Emendando no tema “preços”, uma das principais maneiras de deixar suas viagem de low cost econômica é viajar soh com bagagem de mão.

Bem, com um bebe de colo eu ainda não aprendi a viajar “leve”! Então sabíamos que seria impossível viajar apenas com 1 mala/bolsa de mão cada um e não despachar mala nenhuma, pura e simplesmente porque bebes e crianças demandam muitas “tralhas” e quase tudo é muito volumoso (fraldas, leite, brinquedos, mudas extras de roupa, enfins). Alem disso bebes pagando a tarifa de “colo” (“Lap infant” em Ingles) nao tem direito a nenhuma bagagem de mao, o que complica ainda mais.

Então de cara, no ato de marcar a passagem já confirmamos que queríamos despachar uma mala – pagamos a tarifa para uma mala de 20 quilos, que foi mais que suficiente para nos três.

Já a bagagem de mão não tem jeito mesmo! Cada adulto só pode levar um único volume (uma bolsa feminina OU mochila, OU sacolinha OU mala de cabine OU bolsa de laptop OU…), e crianças de colo não tem direito a nenhum volume. Então esqueça a bolsa de fraldas, a mochilinha com brinquedos extras pro voo, ou a bolsinha com fraldas de emergência. É um volume só e ponto final.

20131102-093151.jpg

Então o que fizemos foi levar uma mala de mão vazia com a gente, e segundos antes de embarcar, coloquei minha bolsa, a bolsa de fralda da Isabella, e os demais cacarecos que queríamos levar no avião dentro dessa mala (mamadeira extra, cobertor, iPad, briquedinhos, etc)!

(P.S. Os seguranças implicaram e nos pararam pra saber porque passamos pela segurança com uma mala vazia, mas ai expliquei que era pra colocar todas as outras bolsas e sacolas no voo da Easyjet e eles entenderam sem problemas)

Então conseguimos entrar com tudo sem problemas, e a medida que fomos precisando de certas coisas duranto o voo, era so retira-los da mala que estava no bagageiro acima de nosso assento.

20131102-093130.jpg

Além disso, assim como nas empresas áreas tradicionais, bebes e crianças tem direito a levar ate 1 carrinho e um bebe conforto sem pagar nada extra!

20131102-093220.jpg

E também pudemos levar o carrinho da Isabella conosco ate a porta do avião – e a recolhemos após o desembarque na Croácia.

 

- Durante o voo:

O voo propriamente dito foi igual a outro qualquer.

Sim, os aviões de low cost são mais desconfortáveis, mas os voos também são bem curtos, então ninguém ficou sofrendo não.

20131102-093501.jpg

Levamos brinquedinhos, leite, chupetas, mantas, desenhos e afins para distrai-la durante as quase 3 horas de voo e foi tudo numa boa.

20131102-093032.jpg

E mesmo em voos mais longos (alguns voos podem chegar a 5 horas) os aviões utilizados pelas cias de low cost nao possuem bercinhos para bebes de colo, e pais com crianças também não tem preferência para as poltronas da frente (mas você pode pagar uma taxa extra para ter direito a esses assentos, ou para ser o primeiro a embarcar no avião e tentar pegar uma poltrona melhor).

 

- Os aviões:

Os aviões seguem os padrões normais de segurança exigidos a Europa, então todos tem equipamento salva vidas e de segurança para bebes e crianças, todos os banheiros tem trocador de fraldas, e todos oferecem o cinto de segurança especial para crianças de colo.

20131102-093404.jpg

- Os services:

Uma cosia que sempre fica aparente quando viajamos de low cost é que qualidade de serviço não é o forte das empresas. E esteja você com bebes e crianças ou não, a coisa vai ser mais ou menos a mesma.

Famílias com crianças tem preferência de embarque, mas só depois que os passageiros que pagaram por certas regalias (assento preferencial, Embarque preferencial etc) já tiverem embarcado, então a não ser que você compre uma das opções extras de serviço, mesmo com bebe pequeno você nunca ser o primeiro a embarcar.

20131102-093107.jpg

Além disso, tudo oferecido/fornecido a bordo eh cobrado a parte – então seja a agua mineral para misturar o leite do bebe, ou o biscoitinho pro lanche da criança, tudo devera ser comprado a parte.

Os preços a bordo não chegam a ser uma loucura não, mas as opções são limitadíssimas (muita porcaria industrializada), e não custa nada já embarcar preparada com tudo que você acha que seus filhos possam precisar (quase todos os aeroportos Europeus – e 100% dos aeroportos Britânicos – tem farmácias dentro dos terminais, que vendem tudo que crianças podem precisar).

Porem, uma vez lá dentro as comissarias foram super simpáticas e solicitas, como seria de se esperar de uma cia aerea.

 

Mas e então, valeu a pena viajar com bebe na Easyjet? Ou foi muito perrengue?

Sim, valeu, pois conseguimos economizar uma quantia considerável no preço da passagem, mesmo com alguns extras que optamos pagar.

E claro que viajar com um bebe sempre adiciona perrengues a qualquer viagem, seja de primeira classe ou de Ryanair – e quem discordar estará mentindo! :-)

Mas como em qualquer situação Low Cost, estando preparado e com tudo bem planejado, foi uma viagem como outra qualquer!

 

Categorias: Avião, Baby Everywhere, Croacia, Dicas (Praticas!) de Viagem, Viagens, Viajando com crianças, Voos Low Cost
20
03
Dec
2012
Globo.com – Os 10 mandamentos para viajar de Low Cost
Escrito por Adriana Miller

Esse fim de semana saiu no portal de Viagem e Turismo “G1″ do portal da Globo.com uma reportagem onde eu a Patricia Camargo demos nossas dicas de “expert” em viagens de baixo custo, usando as polemicas empresas de Low Cost.

Na reportagem  dividimos algumas licoes aprendidas ao longo dos anos sobre como tirar maior proveito desse tipo de viagem e voo, e varias dicas praticas sobre como evitar roubadas e as tais das taxas extras…

A minha selecao completa de dicas e links (tem ate um video!) estao aqui (tanto na Europa quanto na Asia)!

 

Categorias: Blog, Dicas (Praticas!) de Viagem, Midia, Viagens, Voos Low Cost
17
27
Feb
2012
Guia Generico de Viagem de Low Cost pela Asia (Parte 2)
Escrito por Adriana Miller

Voltando ao topico de viagem pela Asia… Mais algumas conclusoes e recomendacoes filosoficas que aprendi depois de 3 viagens distintas que cobriram 10 paises do continente (a primeira foi essa, a segunda essa, e a ultima essa aqui).

Alem de todos os principios basicos de viagem de baixo custo em qualquer lugar do mundo, uma coisa que vale a pena salientar na Asia sao as distancias.

Pelo menos no meu caso, por morar e viajar a tantos anos pela Europa, eu acabo com aquele conceito de que viagem low cost = viagem baratinha e viagem rapidinha. Porque afinal, morando em Londres eh super facil achar uma passagem a preco de banana, e com apenas um voo de 2 horinhas, eh facilimo ir passar um fim de semana em Roma, ou Barcelona, ou Compenhagem, por exemplo, mesmo que estejam em extremos oposto do continente.

Entao pra mim a primeira coisa a adpatar foram justamente as distancias e tempo de viagem.

Afinal ao olhar um mapa do Sudoeste Asiatico eh facil cair no erro de achar que esta tudo ali pertinho… mas a verdade eh que geograficamente a regiao eh enorme, e pouquissimos voos serao menos de 3 ou 4 horas! A principio isso pode parecer pouca coisa e passar despercebido, mas somado ao translado a aos aeroportos em cidades muitas vezes sem boa insfraestrutra, mais check in, mais voo, mais desembarque, etc, cada voo pode ser um dia inteiro perdido.

Um voo entre Cingapura e Xangai, por exemplo,  demora mais de 6 horas, que eh mais longo do que um voo entre Londres e Nova Iorque!

O segundo ponto, e que talvez seja o princiapl sao as conecoes de voos e transporte.

Apesar de que nao viajamos muito por fora do circuitao turistico, ainda assim a regiao tem uma infraestrutura em fase de desenvolvimento, oque significa que os aeroportos ainda nao sao capazes de atender a demanda de voos, os padroes internacionais de seguranca e conforto, ou simplesmente nao tem essa tal estrutura e ponto final.

As dezenas de cias aereas que vao pipocando pela Asia, e vem  expandidndo seus roteiros ano apos ano, ajudam bastante, mas ainda estao longe de atender a todos os formatos de roteiros. Entao eh importantissimo analisar todas as opcoes de destinos e roteiros – de acordo com as disponibilidade de voos e transporte entre eles – antes de bater o martelo num roteiro para sua viagem.

Alem disso, ao contrario doque vemos hoje em dia na Europa, as empresas aereas na Asia ainda sao muito regionais, oque significa que cada pais tem a sua, oque atende perfeitamente as necessidades locais, porem que se tornam incrivelmente limitadas quando um turista quer aproveitar a viagem para cobrir varios destinos de uma vez soh (como sempre eh o nosso caso).

Entao oque acabamos fazendo na primeira vez que fui a Asia (combrindo Tailandia, Malasia, Vietnam e Camboja) foi adicionar dias – e retiar destinos – do nosso roteiro final, pois seria praticamente impossivel conseguir fazer uma viagem fluida entre esses paises que fosse ao mesmo tempo economica financeiramente e de tempo.

E foi justamente por isso que incluimos Kuala Lumpur em vez do Laos, por exemplo. Afinal em 2008 a Air Asia (nem nenhuma das muitas outras cias) nao oferecia voos diretos entre todas as cidades que queriamos visitar, e acabamos chegando a conclusao que a nossa melhor opcao sempre incluir uma conexao em KL.

Entao aproveitamos pra passar uns dias e conhecer a cidade, mas no decorrer da viagem, acabamos tendo que voltar pra Malasia outras vezes apenas pra conectar os voos entre Camboja e Vietnam.

Ou seja, olhando no mapa esses dois paises sao vizinhos, e estao ali pertinho, porem as opcoes de transporte por terra eram precarios e demorariam demais, e os voos diretos (entre Sien Reap e Hanoi no nosso caso) tinham horarios muitos restritos e/ou precos exorbitantes.

A solucao? Conjugar dois voos da Air Asia, passando por Kuala Lumpur – e gastando um dia inteiro de nossa viagem.

E nessa ultima viagem pela Asia nao foi diferente. Ao brincar de multipla escolha entre todos os destinos que gostariamos de ter incluido, levando em consideracao nosso tempo disponivel e orcamento, vimos mais uma vez que teriamos que dedicar alguns dias inteiros a voos e conecoes, e que mais uma vez nao conseguiriamos escapar do Aeroporto de Kuala Lumpur.

E foi isso que fizemos: em vez de pegar um voo direto entre Hong Kong e Bali, por exemplo, voamos de Macau pra Kuala Lumpur, passamos algumas horas no aeroporto, e no fim do dia pegamos um outro voo para Bali.

Nesse processo perdemos um dia inteiro, mas economizamos mais de 3/4 do preco da passagem (o voo direto custava perto dos 500 dolares, enquanto que o voo Air Asia via KL custou apenas 100).

E uns dias depois o mesmo aconteceu na viagem entre Cingapura e Xangai.

Poderiamos ter passado um dia inteiro entre conexoes mirabolantes ou ter pago uma pequena fortuna num voo direto. Mas a melhor opcao foi na verdade, mais uma vez conectar em KL e dessa vez passar a noite no aeroporto.

A conclusao foi que a passagem propriamente dita saiu incrivelmente mais barata (cerca de 80 dolares, em vez dos quase 600 de uma voo direto ou via Hong Kong), e acabamos economizando bastante tempo, pois saimos de Cingapura no fim do dia (entao conseguimos aproveitar bastante do nosso dia na cidade), dormimos em KL  por apenas 15 doalres (que seria um tempo desperdicado em aerportos e conexoes) e no dia seguinte bem cedinho pegamos o voo da Air Asia pra Xangai – e ainda conseguimos chegar na cidade a tempo de curtir a tarde e a noite na cidade.

Um otimo site pra ajudar a dar formato a toda essa analise combinatoria de voos, destinos e opcoes eh o SkyScanner, que ja falei aqui no blog outras vezes, e que eh um otimo buscador de voos, sempre inclui as cias de baixo custo em suas buscas e vai te dando um primeiro feeling sobre oque eh possivel entre cada um de seus destinos.

E depois disso, eh lapis e papel na mao anotando precos, horarios, conexoes e opcoes e indo decidindo ponto a ponto oque eh mais valioso pra voce: tempo ou dinheiro?

Minha “licao aprendida” dessa vez foi ser muito mais controlada no calendario, e a medida que ia anotando e fazendo escolhas de voos, ia marcando tudo num calendario (um template que voce pode baixar diretamente no seu Word ou Exell, olha esses exemplos aqui) os horarios de chegada e saida, tempo de conexoes, noites em cada destino e tal, pra nao deixar nada escapar pelos cantos (como aconteceu quando estavamos na Tailandia na primeira vez!).

Outra coisa que vale a pena ressaltar sao essas tais conexoes: quando voamos com low cost todos os voos sao avulsos, entao as “conexoes” na verdade nao se conectam.

A cada voo voce tem que desembarcar, passar pela imigracao, recolher sua bagagem, andar ate a area de embarque do aeroporto, fazer check in, passar novamente pela imigracao e seguranca e embarcar.

Ou seja, cada voo tem que ser cronometrado nos minimos detalhes, com bastante tempo de folga pra dar tempo de fazer todo esse circuito-olimpico-aeroportuario e ainda levar em consideracao possiveis problemas e atrasos.

O moral da historia eh que ao programar esses roteiros mirabolantes voce fica a merce de sua sorte, e seu planejamento – se alguma coisa acontecer e voce perder seu voo, ja era. Ao contrario de cias aereas normais, onde voce compra voos integrados, com as low cost cada voo eh 100% independente do proximo, e eles nao tem nenhuma responsabilidade em encaminhar bagagem perdida, remarcar voos atrasados, fornecer hotel ou refeicoes por conexoes perdidas nem nada do que seria normal para uma comania aerea normal.

No nosso voo entre Macau e Bali, via KL, por exemplo, eu marquei a segunda perna da viagem (o voo entre KL e Bali) com uma conecao de mais de 5 horas. A principio ficamos achando que seria um exagero, mas acabou que entre todo processo desembarque-reembarque, na verdade tivemos apenas 1 hora de espera entre um voo e outro.

Numa situacao normal de conexao de voos, umas 2 horas teriam sido suficientes, mas quando voamos low cost, quando mais horas entre as suas conexoes, melhor.

E foi tambem por isso que optamos passar uma noite em KL antes de voar pra Xangai. Assim sabiamos que mesmo se o voo atrasasse horrores, ou se demorassemos muito na imigracao, teriamos um hotel a nossa disposicao a noite toda, sem nos preocupar com o horario do proximo voo.

Entao o moral final da historia eh que na hora de planejar sua viagem pela Asia, as dicas praticas de qualquer planejamento de viagem continuam sedo as mesmas: A sua maior decisao sempre sera Tempo X Dinheiro, e com certeza seu roteiro final nao vai incluir todos os destinos que voce gostaria de ter conhecido durante sua viagem (que aliais, o Riq Freire escreveu um post otimo sobre sso no outro dia).

Eh uma regiao que por mias que ainda seja barata de se viajar, demanda muito mais planejamento e preparo, e definitivamente vai gastar muito mais seu tempo doque um role pela Europa.

 

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Viagens, Voos Low Cost
33
20
Feb
2012
Guia Generico de Viagem Low Cost pela Asia (Parte 1)
Escrito por Adriana Miller

A midia sempre comenta sobre como a internet deixou o mundo “menor” e tal, oque nao deixa de ser verdade. Porem, se voce esta planejando uma viagem qualquer, ja deve ter reparado que o grandissimo fator que ajudou a “encolher” o mundo na ultima decada foi na verdade o surgimento das companias aereas de Low Cost!

Foram elas que fizeram possivel fins de semana ao redor da Europa, ou que sua viagem tenha um roteiro mais flexivel e criativo, com voos curtinhos a precos acessiveis – em vez das viagens interminaveis em trens desconfortaveis que antigamente conectavam as capitais do velho mundo.

E por sorte dos viajantes desse mundao, as companias aereas de baixo custo ja deixaram de ser privilegio das viagens Europeias ha muito tempo, sendo que hoje em dia a principal delas, sem sombra de duvidas eh a Air Asia (no final do post tem uma lista com todas as cias de low cost da Asia)!

Os principios basicos pra nao cair em furada quando viajar usando as “baixo custo” continuam extamente os mesmos, nao importa qual continente voce vai viajar, entao antes de falar especificamente sobre a Asia, vale a pena rever algumas dicas:

- Antecedencia:

Isso vale pra qualquer tipo de viagem, mas principalmente quando falamos de low cost, quanto antes voce se planejar e marcar suas passagens, melhores serao suas chances de achar aquelas super barganhas a preco de banana.

A medida que os meses, semanas e dias vao se aproximando da data de sua viagem, as tarifas de ultima hora passam de baratinhas pra exorbitantes-meu-deus-como-eles-sao-sem-nocao-de-cobrar-isso. Entao a nao ser que voce tenha total flexibilidade pra mudar seus planos de acordo com as promocoes de ultima hora, nao deixe sua reserva de passagem pra ultima hora.

- Taxas extras e impostos:

Sim, as passagens sao baratas  – e as vezes praticamente de graca! – mas SEMPRE, sempre vem a surpresa das taxas extras e impostos na pagina final de sua reserva.

E essas taxas tambem variam bastante de destino pra destino, ja que cada pais/aeroporto aplica diferentes taxas de embarque, impostos extras (como por exemplo as taxas de poluicao  – “Carbon footprint” – ou de suplemento de combustivel – “fuel surcharge”), taxas de cartao de credito, taxa de check in, etc, entao sempre vale a pena brincar com diferentes possibilidades de destinos e ver oque vale mais a pena de acordo com seu orcamento.

Entao lembre-se sempre que aquela tao sonhada passagem de 10€ ate pode aparecer no seu caminho, mas provavelmente no clique final  vai custar facilmente un 200% ou 300% a mais (e provavelmente muito mais que isso).

Por exemplo, o nosso voo entre Kuala Lumpur e Cingapura de Air Asia custou zero S$, isso mesmo ZERO dolares, porem ao adicionar as taxas, impostos e franquia de bagagem despachadas, acabamos pagando cerca de 50 doalres de Cingapura cada um. OU seja, continuou super barata, porem com uma valor final de 500% a mais doque o “preco da passagem” original.

Alguns itens a levar em conta antes de marcar sua pasagem low cost:

  • Todas as taxas e impostos impostos por seu destino
  • Taxas extras opcionais: embarque preferencial, assento com espaco extra, peso de bagagem, check in on line ou presencial, seguro de viagem, franquia para bagagem de mao, refeicoes, almofada e manta, etc

- Bagagem:

As polemicas sobre as franquias de bagagem das cias de baixo custo sempre sao as mais acalentadas – se voce for pego desprevenido e exceder o limite de bagagem, provavelmente tera uma experiencia que possivelmente poderia estragar (parte) da sua viagem.

Hoje em dia nenhum compania aerea de baixo custo inclui bagagem despachada no preco da bagagem, e portanto se voce quiser viajar com sua bagagem saguramente no porao do aviao, tera que pagar a mais pra isso.

Fique atento ao peso permitido, as diferencas de precos entre os limites de peso (geralmente o preco da bagagem despachada eh cobrado por peso – quanto mais pesada, mais cara), e o preco cobrado por cada quilo acima do seu limite (ou fracao de quilo ou libras).

A regra eh clara e a matematica nao falha: viajar low cost nao combina com malas pesadas, e cada grama acima do seu limite custara praticamente o mesmo preco que voce pagou pela passagem!

E nao esqueca de prestar muita atencao na mala de mao: nos ultimos anos, alem de cobrarem por malas despachadas as companias aereas tambem estao limitando sua bagagem de mao.

Muitas delas ainda mantem a regra do peso liberado (pode levar quanto quiser, desde que voce consiga carregar), enquanto outras sao bem restritas em relacao ao peso.

A Europeia Ryanair e a Asiatica Air Asia permitem apenas 7 quilos por bagagem de mao, e suas 7.000 gramas de bagagem sao verificadas e inspecionadas com uma balanca de precisao cirurgica bem ao lado do portao de embarque. Quem nao passa no teste, nao embarca – ou paga caro por isso.

Eu ja presenciei inclusive o absurdo de um comissario de recusar a ajudar uma passageira que nao conseguia colocar sua mala de mao no bagageiro (na Easyjet). A resposta dele foi simples e direta: “Voce so pode viajar com aquilo que consegue carregar”. Logo depois um outro passageiro se levantou de sua poltrona e ajudou a senhora.

Eu sei que essa foi uma situacao extrema, porem um otimo exemplo de que as empresas de baixo custo nao medem esforcos para impor suas regras – afinal sao os eventuais deslizes dos passageiros que garantem o lucro dessas empresas.

E claro, nao esquecendo da regrinha de bagagem de mao UNICA.

Acho que essa deve ser uma das perguntas que mais respondo aos leitores do blog. Uma unica bagagem de mao significa isso mesmo: 1 mala OU 1 bolsa feminina OU 1 mochila de camera fotografica OU 1 bolsa de laptop OU 1 bolsa de bebe, e assim adiante.

Se vc eh mulher e quiser levar sua bolsa MAIS sua bagagem de mao, sera barrada na porta de embarque. Idem para homens com uma mochilinha MAIS uma bolsa de laptop. Sua bolsa/mochila/sacola tem que caber dentro de sua outra bolsa/mochila/sacola/mala ou entao um de seus volumes devera ser despachado para o porao do aviao (nesse video oque eu mostro direitinho como eh todo o processo de viajar de low cost).

- As regras mudam toda hora…

Uma das ciladas de reservar passagens com antecedencia eh que essas regrinhas chatas e traicoeiras mudam toda hora.

Com a crise se espalhando pelo mundo e afetando as cias aereas, cada mes mais “novidades” sao lancadas pra economizar custos e aumentas os lucros de ditas empresas.

Entao mesmo se vc reservou sua passagem com direito a check in no aeroporto, caso essa regra mude ao longo dos meses, oque vale eh a regra que estiver em efeito no dia do seu embarque. Entao se vc nao verificar e reconfirmar tudo de novo, tera que pagar uma taxa extra para fazer check in no aeroporto, por exemplo.

No nosso caso da viagem pra Asia, quando eu reservei as passagens la em Agosto de 2011 a Air Asia permitia 2 bolsas de mao com peso livre por passageiro. 1 semana antes da nossa viagem quando fui verificar os ultimos detalhes vi que as regras tinham mudando drasticamente e que portanto soh poderiamos viajar com uma unica bagagem de mao e com limite de peso de apenas 7 quilos.

Obviamente foi um grande susto e tivemos que rapidamente rever nossas malas e o peso/volume de coisas que pretendiamos levar!

 

Para mais detalhes sobre todas essas regrinhas e outras, veja esse port AQUI.

 

  •  Lista de compania Aereas de baixo custo (low cost) da Asia:

 

- Air Asia: http://www.airasia.com

A opcao perfeita pra quem vai viajar pelo Sudoeste Asiatico, as essa giagnte da Malasia ja se espalhou para mais de 10 paises, cobrindo rotas que incluem China, India, Sri Lanka e ate mesmo Londres e Paris!

- Tiger Airways: http://www.tigerairways.com

Baseada em Cingapura, uma otima opcao que conecta a ilha a varios outros destinos pela Asia.

- Bangkok Airways: http://www.bangkokair.com/

Tecnicamente nao eh uma low cost, mas sempre tem otimas tarifas promocionais para viagens internas pela Tailandia – com a vantagem de servico padrao “normal” (foi a empresa que voamos entre Bangkok e Koh Samui).

- Nok Air: http://www.nokair.com/

Outra otima opcao de pasagens low cost para viagens internas pela Tailandia. mas eles voam pela aeroporto secundario de Bangkok e os destinos e horarios sao bem limitados.

- Lion Air: http://lionair.co.id/

Cia aerea baseada na Indonesia, e uma otima opcao pra voos internos pelo pais, conectando quase todas as ilhas.

- Vietnam Airlines: http://www.vietnamairlines.com

Mais uma que tecnicamente nao eh low cost, mas que otimos precos custo-beneficio, principalmente porque conecta destinos secundarios do Vietnam com outras cidades no Sudoeste Asiatico que geralmente ficam de fora das rotas das grandes empresas.

- JetLite e Jet Airways: http://www.jetlite.com/

A JetLite eh a spin off de baixo custo da Indiana Jet Airways. Nos fizemos o roteiro completo da India, Nepal e Sri Lanka voando um combinado de Jet Airways (que voa para todo o mundo, inclusive Londres) e a JetLite que faz os destinos domesticos e regionais. Precos incriveis, servico excelente!

- Cebu Pacific Air: http://www.cebupacificair.com/

Mais uma empresa que nao eh low cost, mas que serve a extensa (e de dificil acesso) malha de ilhas nas Filipinas. Nunca voei com eles, mas quando ainda estava debatendo entre Indonesia e Filipinas, as melhores opcoes de voos eram com elas.

 

- Hong Kong Airlines: http://www.hongkongairlines.com/

A melhor opcao de voos internos pela China que conectam Hong Kong ao resto da Asia. A melhor opcao de baixo custo para fugir da (excelente) carissima Cathay Pacific quando sua viagem pela Asia inclui Hong Kong (foi a empresa que usamos para voar entre Beijing e Hong Kong).

- China Eastern: http://www.flychinaeastern.com/

Uma impressionante malha de voos e horarios conectando toda a China, mas principalmente as cidades mais turisticas, que ficam no leste do pais. Os precos sao baixos (mesmo de ultissima hora, como aconteceu com a gente) e o servico de primeira (bem mais relax nas regras de bagagem!). Foi a empresa que voamos entre Shanghai e Xian e depois de Xian para Beijing.

 

Pssst: Esta procurando listas e links com as principais empresas de baixo custo da Europa? Veja esse post AQUI. (Alem de links de cias de trem, onde achar resenhas de hoteis e albergues, e varias outras dicas praticas para planejar sua viagem para a Europa)

 

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Viagens, Voos Low Cost
21
17
Feb
2012
Tune Hotel – Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur
Escrito por Adriana Miller

Uma das melhores coisas de viajar sempre eh poder, volta e meia, voltar a lugares onde ja fui – eh sempre legal ver oque continua o mesmo, e tudo aquilo que mudou, evoluiu… melhorou ou piorou.

Dessa vez a viagem pra Asia nao incluiu Malasia no roteiro – mas ainda assim, gracas as maravilhas dos voos low cost, nao escapamos de passar pelo aeroporto de KL. Nao apenas 1, mas duas vezes em diferentes conexoes!

Na primeira vez que estivemos na Asia passamos varias vezes pelo Aeroporto LCCT de Kuala Lumpur (Low Cost Carrier Terminal), que rapidamente virou sinonimo de tedio, calor, confusao e desorganizacao.

Cada uma das (muitas) horas que passamos no LCCT em 2008 foram altamente torturantes e nao sobrou nenhuma memoria boa pra contar historia.

Entao ao planejar essa nova viagem, mais uma vez as conexoes no LCCT foram inevitaveis, mas eu fiz de tudo pra reduzir ao maximo nossa estadia por la.

Ate que logo na primeira conexao me dei conta das maravilhas que os anos, o progresso e desenvolviemento do turismo pode levar a um lugar!

Em apenas 3 anos o aeroporto foi talmente transformado e reformado!

Oque antes era um galpao imundo com funcionarios despreparados e salas de espera torturantes, hoje em dia eh um espaco novissimo e arejado, com uma infraestrutura de fazer inveja a muitos aeroportos Europeus!

Balcoes de informacoes, uma area para check in que triplicou de tamanho (principalmente na area da Air Asia! O fim das filas!), um segundo andar (que nao existia!) que filtra a confusao na imigracao e seguranca, e uma area de embarque que incluiu inumeras lojas, cafes e restaurantes, free shop, farmacia, wifi gratis e estacoes eletricas para recarregar seu laptop ou celular enquanto voce espera seu voo.

Oque um dia era um espaco escuro e quente, com cadeiras de plastico desconfortaveis, hoje em dia tem todo o conforto imaginavel!

Sei que eh um comentario bobo, mas fiquei feliz de ter feito parte dessa “transformacao”, de ter sido uma entre os milhoes de turistas que passaram por ali e levaram o desenvolvimento e o progresso pra esse cantinho da Asia.

Me lembrei dos meus ultimos anos na faculdade de Economia, quando desenvolvi uma tese/monografia que falava justamente sobre isso: o desenvolvimento economico criado pela industria do turismo, e o poder arrebatador de transformar regioes e mudar vidas!

 

E entre as muitas melhorias no terminal LCCT de Kuala Lumpur outra novidade foi a construcao do hotel Tune, que tambem faz parte da gigante low cost Air Asia.

O Tune Hotel esta espalhado por varias partes da Asia e do mundo (inclusive tem um Tunes em Londres – depois falo dele com calma!) e tem o mesmo principio da Air Asia: conforto com baixo custo, entao voce soh paga pelo que precisa e vai usar.

Funciona assim: voce reserva sua noite no hotel, que eh o basico do basico – incluindo apenas o quarto/cama com banheiro.

Ai voce pode comecar a selecionar todos os “extras” que gostaria de ter. Oque vc acha que nao vai precisar nem usar durante sua estadia, voce nao paga.

Entao eu adicionei em nossa diaria alguns extras como: toalha e sabonete liquido, ar condicionado e internet wifi.

Algumas outras opcoes, como TV a cabo, secador de cabelos, telefone e cafe da manha, deixei de fora, pois sabia que nao iria usar.

O processo foi facilimo! Fiz a reserva com meses de antecedencia (assim que reservei as passagens entre Cingapura e Xangai!) e paguei tudo on line.

Chegando no LCCT, logo depois de recolher a bagagem tem um quarto “modelo” do Tunes mostrando como sao os quartos por dentro e ensinando como acha-los.

Do lado de fora do hotel, na area de ponto de taxis e onibus, basta procurar pelas placas do transfer do hotel (que nao eh de graca, mas custa 2 Ringgit, o equivalente a apenas 0,50 de US$). O transfer passa para recolher passageiros a cada 15 minutos e o transfer ate o hotel demora menos de 5 minutos.

Na recepcao do Tunes, recebemos nosso cartao-chave do quarto 9que tambem controla extras como ar condicionado, TV etc), o kit com a toalha e a senha da internet, e pronto!

O quarto, como era de se imaginar, era minusculo! Mas muito mais confortavel doque muito albergue e hotel 2 estrelas que ja fiquei pelo mundo!

A cama macia e confortavel, o banheiro novissimo, limpo e com um chuveiro potente!

Uma mesinha “bandeja” aos pes da cama e conexao de wifi que funcionou super bem!

E no dia seguinte, acordamos super cedo pra pegar o voo seguinte – nao precisamos fazer check out nem nada. Descemos na hora do transfer certo e em minutos chegamos no terminal de embarque.

Mais tranquilo, facil e economico impossivel!

 

Categorias: China, Cingapura, Malasia, Viagens, Xangai
26
30
Dec
2011
Chung King Mansion – Hospedagem barata em Hong Kong
Escrito por Adriana Miller

Se voce vem pra Hong Kong e esta procurando hospedagem barata, provavelmente se deparou em algum momento com as diversas opcoes de pensoes e albergues na Chung King Mansion – um predio enorme no centro de Hong Kong com dezenas de hoteis/albergues espalhados por seus andares.

A unica maneira de descrever oque eh a Chung King Mansion de uma maneira familiar eh dizendo que esse predio eh uma 25 de Marco vertical (ou um Saara vertical pros Cariocas!).

Sao lojinhas, cacarecos, biroscas, restaurantes, cabeleireiros, casas de cambio, agencias de viagem e oque mais voce puder imaginar, todo empilhados nos diferentes andares do predio e se intercalando com hoteis e albergues.

A primeira impressao eh assustadora, e tivemos aquela sensacao familiar de ter sido convidado pra festa errada! Mas a realidade eh que uma vez la dentro, e depois de conseguir vencer o labirinto e achar seu hotel, a coisa nao eh tao ruim quanto a primeira impressao.

Na verdade entre os diferentes andares da Chung King estao alguns dos melhores albergues da cidade, e uns hoteis bacaninhas ate. E infelizmente a ma impressao do predio nao eh garantia de precos baixos nao! Nessa epoca de fim de ano (super alta temporada em HK) cheguei a ver alguns hoteis no predio com diarias de quase 200 dolares!

E isso minha gente, eh apenas um dos efeitos dos problemas super-populacionais da China/Hong Kong! Quando a oferta eh drasticamente menor que a demanda, acabamos pagando pelo que ha.

Nosso albergue em especial eh o New International Guest House que eh uma dos albergues com as melhores “notas” de feedback de outros hospedes, combinado com quarto + banheiro privado, porem com preco acessivel.

20111230-235522.jpg

20111230-235539.jpg

Bem, não vou enganar ninguém e falar que é super ótimo ou que super recomendo… O lugar é mesmo um muquifo, mas não passamos mais de 6 ou 7 horas (todas dormindo) lá dentro e fizemos a escolha consciente de preferir gastar nosso dinheiro fazendo coisas que aproveitaríamos mais.

Mas a verdade seja dita, que em relação a localização e preço os albergues e pensões da Chung King Mansions sao imbativeis em Hong Kong e definitivamente adoramos a experiência e serviu o propósito do que estávamos buscando.

Categorias: China, Hong Kong, Viagens
10
09
Feb
2011
Hotel Embassy Beirute
Escrito por Adriana Miller

Quando eu decidi esticar minha viagem ao Libano e passar mais um dia por conta propria na cidade, eu sabia que teria uma missão pela frente: encontrar um novo hotel!

Sabia que pagar por conta propria uma diaria no Phoenicia estava fora de cogitação, mas por outro lado Beirute é uma cidade onde as opções baratas, porém com qualidade, são limitaddissimas.

Mas como seria apenas uma noite, e ia passar o dia todo passeando e conhecendo outras partes do pais, resolvi eliminar todas as frescuras e reservar direto a opção mais barata que achei no Booking.com.

Ainda assim, 60 dolares por uma noite, num quarto de ocupação por apenas 1 pessoa nao eh exatamente das opções mais baratas. Cheguei a pensar num albergue, mas como estava viajando com material de trabalho, computador do banco e malona com roupas e sapatos para trabalhar a semana inteira (em vez da malinha de mao ou mochila de costume), achei que seria menos confusão ficar num quarto sozinha.

O Embassy foi uma situação tipica de hotel que não é albergue – na verdade eles alegam ter 3 estrelas! – mas não chega aser hotel… uma mistura de pensão com residencial, mas que cumpriu com todas as minhas exigencias: preço, boa localizaçnao (na rua paralela do Rua Hamra), limpo e com banheiro no quarto. E de quebra ainda tinha ar condicionado/aquecimento, tv a cabo com canais em Ingles e frigobar. Nada mal!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Beirute, Libano, Viagens
17