23
Jan
2013
Londres: Journey Planner – Como ir do ponto A ao ponto B e entendendo os endereços da cidade
Escrito por Adriana Miller

Uma das respostas mais comuns aqui no blog, mas mais difíceis (e chatinhas) de responder são as do tipo “Como vou do endereço X ao endereço Y?”. Porque? Oras, porque é impossível conhecer como a palma da minha mão uma cidade enorme como Londres, com tantas ruas e ruelas sem muita ordem urbana.

E eu já dei outras vezes a dica do Journey Planner, que seja para moradores, Londrinos e visitantes uma ferramenta indispensável – eu nunca saio de casa sem antes conferir qual a melhor maneira de chegar no lugar X, e em Londres a melhor maneira é sempre consultar o Journey Planner.

Journey-Planner

Voce pode procurar por exemplo pela estação de trem, metro ou ônibus, o pelo endereço do hotel ou do restaurante onde voce quer ir.

O sistema calcula exatamente as melhores rotas pra chegar até lá, te avisa de possíveis interrupções nas linhas de metro, ou ruas fechadas por obras (que afetam os onibus) e te dá algumas opções. Aí é só voce decidir qual roteiro prefere fazer levando em consideração o tempo de deslocamento, ou quantas vezes terá que trocar de linha ou de meio de transporte etc.

Screen-shot-2011-03-31-at-22.26.17

E quando voce clica no mapinha, tem uma outra ferramenta chamada “Wizard” que é interativa e mostra todo trajeto sugerido, onde trocar de linha, por onde andar, etc. Não tem mesmo como se perder pela cidade!

 Screen-shot-2011-03-31-at-22.27.04

Outra dica de ouro é sempre ficar de olho no código postal dos endereços que voce estiver procurando – em todo o país, é esse códico de letras-números que te dará a localização exata do endereço que voce estiver procurando.

Ao contrario do que vemos em outros países, o código postal é único e super específico, geralmente apontando exatamente pra uma determinada casa ou edifício. Então por xemplo, se você procurar um endereço qualquer usando apenas o nome da rua (no Google Maps, por exemplo) irá encontrar várias ruas com o mesmo nome, e o mapa te dará a localização genérica daquele endereço.

Já com o código postal, você é direcionado exatamente onde precisa ir.

Vamos usar por exemplo o Hotel Ritz, cujo endereço é: 150 Piccadilly, London W1J 9B

Se eu procurar a Piccadilly Stree no Google Maps, esse é o resultado:

Screen shot 2013-01-21 at 16.05.26

Não esta errado, mas o mapa me direcionou pra o meio da rua, numa “média” mesmo, qoeu provavelmente significa que eu usaria o meio de transporte errado, sairia na estação errada, e demoraria uito mais pra chegar no meu destino (imagina se você estivesse procurando seu hotel e carregando malas?!).

Mas se eu procurar pelo “Post Code” W1J 9B, que é específico do predio do Ritz (e mais nenhum outro endereço no pais), o mapa me mostra isso:

Screen shot 2013-01-21 at 16.09.21

Que é exatamente onde quero ir! (por isso sempre incluo enderecos com “post code” quando dou dica de lugares, atrações, restaurantes< etc aqui no blog).

Então ao usar o Journey Planner, a melhor maneira de chegar do ponto A ao ponto B é usando o código postal do endereço.

Screen shot 2013-01-21 at 16.14.23

Uma outra dica é pra quem usa Smartphones e pretende ficar conectado usando um SIM card (ou os pontos de wifi disponiveis por Londres) durante sua estadia em Londres: a App “City Mapper London”, que funciona igualzinho ao Journey Planner (que infelizmente não tem uma app oficial).

Citymapper

Você pode procurar por roteiros específicos, e selecionar qual meio de transporte prefere (Metrô, ônibus, barco, Taxi ou bicicleta), com toda explicação de como chegar a determinado lugar, quanto tempo demora de acordo com o meio de transporte etc.

E jea no meio do caminho, caso voce ainda tenha alguma duvida, basta seguir o mapa!

Categorias: Batendo perna, Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
12
14
Dec
2012
Transporte em Londres: Os preços em 2013
Escrito por Adriana Miller

Um dos posts mais acessados aqui no blog eh o super post que fiz ha um tempinho atras sobre absolutamente TUDO que voce precisa saber sobre o metro de Londres (tem ate video de como recarregar seu Oyster!).

As informacoes no post continuam super atuais e imprencindiveis pra quem vem pra Londres e quer usar o principal e mais eficiente meio de transporte – o metro.

Porem, todos os anos em Janeiro, o governo atualiza os precos das passagens e portanto os valores que estao no post ja nao serao mais os precos praticados em 2013.

E  nos ultimos dias eu andei reparando que todas as estacoes estao cheias de cartazes e folhetos informando os passageiros sobre as mudancas e novas tarifas - Entao esse post eh pro pessoal que ja gosta de sair de casa com tudo planejadinho, gosta de saber exatamente quanto vai gastar com cada item da viagem e nao quer se estressar com detalhes!

Os principios da matematica do metro de Londres continua o mesmo (vale a pena ler o post original pra saber qual o melhor ticket pra sua situacao).

Tube2013

Os diferentes tipos de passagens disponiveis continuam os mesmos e sao: “Cash“, que eh a passagem unitaria, de apenas uma viagem, comprada com ticket de papel (e sempre o pior custo-beneficio) Travelcard de 1 dia, 7 dias (que te da acesso ilimitado ao sistema de transporte por um determinado periodo de tempo – um dia inteiro ou uma semana inteira), Return ticket (ida e volta unicos) e Single Fare (passagem unitaria, porem comprada no seu Oyster, em vez da versao de papel). E claro, todos os custos ainda variam de acordo com as zonas viajadas dentro da cidade (quanto mais longe voce for, mais caro sera sua passagem).

E quem for passar bastante tempo em Londres, ainda temos as opcoes mensais e anuais.

A regra de ouro eh que o custo de um Travelcard de 7 dias sempre vai valer a pena se voce vai ficar 4 ou mais dias na cidade.

Como disse acima, os bilhetes “Cash” são aqueles que voce chega na hora, compra um Single Fare (passagem unitaria) na versao papel. Essa passagem unitaria, apartir de 2 de Janeiro de 2013 vai custar £4,50 para qualquer viagem entre as zonas 1 e 4.

Porem, se voce comprar a mesma passagem usando seus Oyster, o mesmo trajeto custara apenas £2,80 entre as zonas 1 e 2, ate £3,80 para a zona 4.

Mas se voce sabe que voce vai e voltar de algum lugar, entao um Return Fare, ou Day Pass custa £8,80 libras no bilhete de papel e £8,40 no Oyster (entre as zonas 1 e 2) te dara acesso total ao sistema de transporte de Londres durante aquele dia.

Então voltando a minha questao matematica, quem for passar ate 3 dias em Londres, a cada dia,  compre o seu passe do dia. Vai custar uma media de £8,40 libras por dia, totalizando £26,40 Libras.

Porem, se voce ja adicionar um quarto dia a sua viagem, a conta passa de £26,40 para £35,20, enquanto que um Travelcard para 7 dias custa apenas £30,40 – ou seja, uma economia de £4,80!

E lembrando que os Travelcards (sejam semanais, mensais ou anuais) sao contados por dias corridos, e nao por dia da semana ou do mes – ou seja, se comprou seu Travelcard na 4a feira de manha, ele sera valido interruptamente ate a terca feira seguinte a meia noite.

O Oyster eh sempre uma super vantagem – O custo do cartaozinho eh de £5 Libras, mas se voce comprar junto com um Travelcard semanal, o Oyster sai de graca (basta comprar seu Travelcard no guiche em vez de usar as maquinas).

Caso contrario voce pode guardar seu Oyster como souvenir (ou pra sua proxima viagem, pois tenho certeza que voce vai querer voltar em breve!!) ou entao develve-lo na estacao e receber seu dinheiro de volta.

E para todos os outros posts com informacoes sobre os meios de transporte em Londres:

- Metro

- Onibus

- Barco

- Taxi

 

ATUALIZAÇÃO:

Surgiram algumas duvidas em relação as zonas de Londres e se os passes pra determinada zona são limitantes ou não.

O mapa abaixo (tirado no proprio site do “Transport for London”) mostra todas as linhas de metro de Londres e em qual zona estão localizados – como vocês podem ver, realmente quase todas as atrações turísticas estão localizadas na zona 1 ou 2, portanto um Travelcard basico, que cubra essas duas zonas geralmente é o que basta para turistas.

Mapa metro Londres

Porém ao comprar um passe pra zona 1 e 2 não quer dizer que você não pode viajar pra fora dessas zonas, muito pelo contrario.

A diferença é que se seu passe só é válido na zona X e você quer viajar pra zona Y, basta ir no guichê ANTES de embarcar e pedir pra comprar uma extensão de seu bilhete da zona X pra zona Y (que sai bem mais barato que comprar um bilhete inteiro).

Caso você não faça isso, ao chegar na estação de destino, fora da zona de seu Travelcard, você não vai conseguir passar pela catraca e terá que pagar uma multa no ato (que geralmente custa £20 Libras, paga na hora e sem segunda chance!), e caso você tentar entrar numa estação fora de sua zona, seu passe simplesmente não vai funcionar, então você terá que comprar uma extensão (ou um novo bilhete).

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
23
30
Jun
2011
Transporte em Londres: River Bus
Escrito por Adriana Miller

Dando continuacao a serie de posts sobre o transporte em Londres (ja falei aqui sobre as bicicletas de aluguel, onibus, metro, aluguel de carro, taxi e trem) uma outra maneira muito legal e eficiente de se transportar por Londres eh usando os servicos de barco, ou o “River Bus” (que significa “onibus de rio”) que cruzam o rio Tamisa de cima a baixo.

Todas as "Estacoes" (Piers) ao longo do rio

Porque pensa bem, o Tamisa eh a veia central da cidade, e muitos de seus bairros, distritos financeiros, pontos turisticos e zonas residenciais estao as margens do rio, entao realmente a maneira mais facil de conectar todos eles eh pela agua!

O servico eh disponibilizado pelo Transport for London, que eh a mesma organizacao que administra onibus, trams e metro e os roteiros sao super uteis – tanto pra quem usa os barcos diariamente pra ir ao trabalho, quanto pra quem esta aqui a passeio e quer ver Londres sob um ponto de vista diferente – de “dentro” do rio!

Os barcos realmente sao a maneira mais facil de chegar por exemplo do Southbank a Greenwhich, ou do centro de Londres ao The O2.

Existem diferentes tipos de barco, mas todos fazem parte o TFL, mas cada rota tem sua concessao diferente (que tambem impacta precos, regularidade do servico e tal) e eles sao: Thames Clippers, Thames River Taxi e City Cruises.

Dependendo de qual ponto voce pegar seu barco e qual roteiro for fazer, o servico sera operado por um barco diferente, e por isso tambem cada um deles cobre um preco ligeiramente diferente, que varia entre £3,30 a £8,60 (quanto mais longe e mais fora do centro de Londres, mas caro fica, assim como o metro e onibus). CLIQUE NO LINK PARA VER AS DIFERENTES TABELAS DE PRECO

Infelizmente os seu Travel Card e/ou Oyster nao da acesso a todas as rotas dos barcos, mas basta apresentar seu Travel Card da semana (ou mes, ou ano) ou seu Oster card (Pay as you go ou travel card) pra receber um desconto no ticket do barco.

Viajar de barco em Londres alem de divertido, vale super a pena principalmente nas rotas que ligam as parte norte com a parte sul do rio, que poderiam demorar horas entre trocas de linha de metro, onibus, engarrafamento e afins. Sem falar que de barco eh muito mais divertido!

Mas infelizmente o servico nao eh tao frequente quanto o resto do sistema de transporte, entao eh sempre bom ficar de olho nos horarios do barcos que vao na direcao que voce que viajar. A media de horario durante a semana varia entre 15 a 20 minutos nos horarios de pico, a 30 minutos no fim do dia ou de manha bem cedo, e os ultimos barcos (que geralmente sao cerca de 23:00 a nao ser que seja algum servico especial – geralmente organizado quando Londres sedia grandes eventos e shows) so passam de hora em hora.

Voce Pode usar o Journey Planner para verificar roteiros de barcos e horarios de acordo com o pier AQUI.

Mas mesmo se sua intencao nao for chegar do ponto A ao ponto B da cidade, e sim dar uma voltinha pelo Tamisa e tirar foto da paisagem, o Transport for London tambem regulamenta e organiza varias rotas e servicos de “River Tour”, que geralmente o barco vai passeando mais tranquilamente pelo Tamisa, as paradas sao mais estrategicas e a maioria dos barcos tem inclusive uma parte aberta (nao recomendavel no inverno!) perfeita pra fotos!

Alguns servicos podem incluir ate almoco ou jantar a bordo, fazer o roteiro completo do Tamisa!

Assim como o servico do “onibus de rio” os tours tambem tem precos variaveis de acordo com o roteiro que voce quer fazer, que estao na tabela abaixo. (Tabela completa de roteiros e precos AQUI)

E se voce for assistir algum evento, como shows na O2 ou no futebol no Wolwich Arsenal, eh sempre bom comprar sua passagem com antecedencia, pra evitar as filas quilimetricas.

Categorias: Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Inglaterra, Transporte, Viagens
12
01
Apr
2011
London Underground: Absolutamente TUDO que você precisa saber sobre o metro de Londres!
Escrito por Adriana Miller

Eu estou enrrolando meses pra fazer esse post, e sei que sempre é uma das principais duvidas que assolam quem vem pra Londres pela primeira vez.

O sistema de transporte é otimo, eficiente e te levará a cada canto da cidade. Mas por isso mesmo é complexo e pode ser extramamente confuso de pegar a manha!

E já aviso que o post vai ser longo… Vou tentar ser o mais detalhada e completa possivel, com fotos do passo a passo e no final de tudo tem até um filiminho com um “tutorial” de como pegar o metro em Londres!

- Oyster Card ou Travel Card?

As opções são mesmo muitas, e pode ser confuso decidir qual o melhor ticket pra sua situação. Alem disso, ha uns anos atras o Transport for London introduziu o Oyster Card que é um cartãozinho magnetico, que agilizou bastante as filas no horario de rush, mas tambem trouxe muitas vantagens pra moradores e turistas.

Oque muita gente não sabe é que voce também pode comprar um travelcard com seu Oyster, que fica bem mais pratico!

Então os tipos de passagems são: Travelcard de 1 dia, 7 dias, Return ticket e Single Fare, e isso sem falar nas diferenças entre as zonas!

E pra quem vai ficar aqui por muito tempo mesmo, ainda tem os Travelcards mensais, e até mesmo anuais!

Por regra, quanto mais longo for o periodo do seu Travelcard, mais barato cada viagem individual será, mas são as zonas cruzadas em seu trajeto que vão decidir o preço final.

Londres tem cerca de 9 zonas, mas para quem vem fazer turismo, como já comentei em outros posts, todas as atrações turisticas ficam na zona 1 ou 2, assim tambem como a grande maioria dos hoteis, teatros, e etc.

Mas não esqueça que o aeroporto de Heathrow, que é o principal do pais, e onde a maioria dos voos internacionais chegam/saem fica na zona 6 – então cuidado pra não acabar comprando um travelcard de 6 zonas, que será carissimo, sendo que voce provavelmente só vai usar a zona 1 e 2.

Pra evitar esse custo adicional voce tem duas opções: a mais facil é comprar uma passagem de ida do aeroporto até seu hotel (que provavelmente sera na zona 1 ou 2), e deixar pra comprar seu travelcard quando voce chegar na estação de metro proxima ao seu hotel. Ou então, ir no Ticket Desk da estação do aeroporto e pedir exatamente oque voce quer.

Mas o dificil mesmo é saber qual o ticket certo pra sua situação. E isso é facilmente solucionado com matematica.

O Travelcard de 7 dias sempre vai valer a pena se voce vai ficar 4 ou mais dias na cidade.

Essa tabelinha abaixo, disponibilizada pelo site do Transport for London mostra todos os valores das passagens de acordo com a duraçnao, o tipo, e as zonas percorridas.

As passagens em “Cash” são aquelas que voce chega na hora, na maquininha ou no ticket desk e compra um Single Fare (passagem singular) na hora. Essa passagem unica, vai te custar £4.

Mas se voce sabe que voce vai e voltar de algum lugar, entao um Return Fare, ou Day Pass custa 8 libras. Apesar de custar a mesma coisa, um Day Pass te da liberdade total de usar o sistema de transporte de Londres quantas vezes vc wuiser durante aquele dia.

Então se voce for passar 3 dias em Londres, a cada dia de manha, va na estação e compre o seu passe do dia. Vai custar 8 libras por dia (£6.60 nos fins de semana, que são considerados off-peak, pois não são horario de rush), num total de 24 Libras.

(Os horarios de rush são entre as 5 da manha e as 9:30 da manha)

Mas tudo muda se voce for ficar 4 ou mais dias na cidade, e nesse caso, oque vale a pena mesmo é o Travelcard de 7 dias.

O Travelcard de 7 dias custa £27.60 Libras e e dará acesso completissimo a todo sistema de transporte de Londres. E isso significa quantas vezes quiser e precisar, sem limites, nos onibus, DLR (metro de supercicie), e metro.

E onde o Oyster Card entra nisso tudo?

O Oyster é um cartão eletronico que te oferece mais flexibilidade, além de ser mais pratico doque o cartão de papel.

Com ele voce pode carregar seu passe pela internet, voce passa com mais rapidez pelas catracas da estação, e pode deicir quanto quer gastar em transporte.

Eu por exemplo, uso pouquissimo metro no dia a dia. Eu uso trem pra trabalhar, e vou a pé a quase todos os lugares em Londres.

Então o Oyster me permite usar o sistema “Pay as you go” (Uma tradução meio tosca seria “pague a medida que voce usa”) onde e quando preciso.

Com o Oyster cada viagem individual sai muuuuito mais barato , caindo de £4 para £1,90, e o mais legal é que o Oyster tem um “Cap” (teto de uso) que delimita que mesmo que voce use seu Osyter inumeras vezes por dia, voce nunca será cobrado mais que 8 Libras, que é o preço do passe diario.

Então o Oyster é uma otima vantagem pra quem vem ficar poucos dias na cidade e sabe que vai andar pouco de transporte publico – seja porque voce gosta de explorar a cidade a pé, ou esta super bem hospedado e pode chagar a pé em tudo quanto é canto. Assim voce pode ir colocando quantas libras quiser de credito e ir usando aos poucos. Se seu dinheiro acabar, basta colocar mais na maquininha.

Cada vez que voce tocar seu Oyster na catraca da estação seu credito vai aparecer o visor, te mostrando quanto foi descontado (que pode variar de acordo com qual estação voce entrou ou saiu) e seu credito final. Então é bem facil saber quanto dinheiro voce ainda tem no seu Oyster.

E pra comprar o Oyster tambem é facil. O cartãzinho custa £5 e é reembolsavel (voce pode devolver na estação no final da sua viagem e pegar seu dinheiro de volta), e pode ser comprado direto nas maquininhas ou no Ticket Desk de qualquer estação de metro. O Oyster card também pode ser comprado em varias bancas de jornal, mercadinhos, lojas de souvenier, etc espalhados pela cidade.

Mas a dica/truque é ir direto no guichê da estação e comprar seu Travelcard direto no Oystercard, e assim o preço do Oyster já vem incluido e voce não precisa pagar a mais!

Voce pode comprar sue Travelcard ou Oyster com moedas, dinheiro cartão de debito ou credito, e as maquininhas da estaçnao sempre vão indicar que forma de pagamento aceitam. Na duvida, basta ir diretamente no guichê.

- Mas e como sei qual minha estação de metro ou zona? Journey Planner!

Uma das melhores ferramentas oferecidas pelo Transport for London para moradores e turistas é o site (ou App, se vc tiver um Smart Phone) é o Journey Planner que calcula distancias, tempo de deslocamento e te diz exatamente como chegar de um ponto A ao ponto B em Londres!

Voce pode procurar por exemplo pela estaçnao de trem, metro ou onibus, o pelo endereço do hotel ou do restaurante onde voce quer ir.

O sistema calcula exatamente as melhores rotas pra chegar até lá, te avisa de possiveis interrupções nas linhas de metro, ou ruas fechadas por obras (que afetam os onibus) e te dá algumas opções.

E quando voce clica no mapinha, tem uma outra ferramenta chamada “Wizard” que é interativa e mostra todo trajeto sugerido, onde trocar de linha, por onde andar, etc.

É otimo e eu nunca saio de casa sem consultar o Journey Planner!

- Minda The Gap: as regras de uso do metro.

Alem da parte mais “teorica” sobre como usar o metro, tem toda a parte sub-entendida, e as regrinhas que todo mundo que mora aqui conhece que aprende a incorporar rapidinho, e geralmente são esses pequenos detalhes que identificam quem são os moradores e os turistas perdidos pela cidade!

A primeira regra é: tenha pressa! O Londrino é um ser apressado, estão sempre correndo de um lado pro outro, e se irritam se alguém impacar na frente deles.

Sempre tenha seu Travelcard ou Oyster pronto pra passar na catraca (quer irritar um Londrino? Resolve procurar o Oyster no fundo da bolsa já na boca da entrada da catraca! Vão te atropelar!), e passe rapido e decididamente!

Ande pela esquerda, para na direita. Essa é a principal regra do metro de Londres! Voce esta com pressa e quer subir ou descer as escadas rolantes andando? Então fique na “faixa” da esquerda. Cansou, e quer ficar no seu canto até chegar lá em cima? Se parar nas escadas rolantes, fique SEMPRE no lado direito!

E pode ter certeza absoluta que se voce quebrar essa regra, alguem vai te cutucar nas costas e mandar voce andar mais rapido ou sair da frente!

Os trens e tuneis do metro de Londres são antigos e consequentemente pequenos, oque significa que quase sempre estão lotados. Quando chegar sua vez de entrar no metro, deixe as portas desobistruidas, para que quem esta dentro possa sair primeiro, e então voce pode entrar.

E quando voce finalmente entrar no vagão, não empaque na porta, vai direto pro meio do carro, e deixe a passagem livre (se o carro estiver vazio, sente e não se preocupe mais).

- Sinalizações

As estações de metro em Londres são super bem sinalizadas, tanto fora quanto dentro da estação.

Todas as estações tem mapas com todas as zonas e estações de metro, mapas da area (não sabe que saida pegar pra chegar na loja que esta procurando? De uma olhadinha no mapa) e mapas e listagem dos onibus que passam pela região.

Dentro dos vagões também sempre tem mapas e listagens de estações e linhas, então é impossivel ficar perdido!

Mas se por acaso voce se sentir perdido, basta pedir ajuda a qualquer funcionario do metro. Por incrivel que pareça, todos snao super simpaticos e sempre prestativos!

Eu sei que o post ficou gigantesco, mas no outro dia estava no metro e resolvi fazer um filminho! Mostrando todo passo a passo de como usar o metro, quase um turorial, e consegui cobrir quase tudo que falei no post.

Mas ja aviso, o filme foi feito com o iPhone e muito na moita, pra não levar bronca dos guardinhas, então só quando fui editar tudo é que me dei conta de quanto esse video esta chaqualhado, e juro que fiquei até meio enjoada só de assistir! hahahahahah

Mas ficou bem legal pra ilustrar como é o metro por dentro, como usar a maquininha pra carregar o Oyster card, como comprar seu Oyster, as escadas, os mapas, etc.

 

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, T.V. EveryWhere, Transporte, Viagens
131
25
Jan
2011
Transporte em Londres: Taxi – Black Cab & Mini Cab
Escrito por Adriana Miller

Os taxis Londrinos sao um dos grandes simbolos da cidade e do Reino.
Porem poucas pessoas sabem  que ser taxista em Londres eh uma das profissoes mais reguladas, concorridas e dificies do pais!


Nao eh a toa que os famosos Black Cabs sao tao dificieis de serem encontrados (na verdade eles estao em todos os lugares, mas geralmente cheios. A oferta e demanada nao sao compativeis!), sao tao caros e seus motoristas tao exigentes (um motorista de black cab nao abre a porta para passageiros ate que vc diga para onde vai, e caso ele nao esteja a fim de dirigir pra’quelas bandas, simplesmente vai te dizer que nao, e seguie em frente!).

A profissao eh regulada pelo London Hackney Carriage, que regula os precos, regras de conduta, vende os carros, treina e aplica as provas.
A origem da compania eh meio debativel, mas dizem que eh originaria da palavra Francesa “haquenée“, que eram os estilos de carruagem puxadas a cavalo que circulavam por Londres no final do seculo 19. Assim como a palabra “Cab” tambem teve sua origem na palavra Francesa “Cabriolet“, que tambem significava carruagem.

Entao quem quiser virar motorista de taxi em Londres deve fazer os curso preparatorio da Hackey Garage que tem a duracao minima de 2 a 4 anos, sendo que estatisticamente, quem quiser de “formar” em taxista, demorar pelo menos 3 anos ate passar em todas as provas.

Parte do trainamento (O “The KNowledge“) de Black Cabbies eh conhecer – perfeitamente! – todas as ruas no centro de Londres, em roteiros pre estabelecidos no seculo 19, e inclui teste de conhecimento sobre ruas, ordem dos predios, numeração das casas, rotas alternativas, predios publicos, teatros, atracoes turisticas e afins. Teoricamente, os Black Cabs nao podem usar GPS, pois tem que conhecer todas as ruas de Londres!

Eu nunca pensei que iria escrever um post sobre taxis, mas na verdade eh um assunto muito interessante e tao caracteristico da cidade!

Por exemplo, alem de toda regulamentacao e treinamento para se tornar um motorista de taxi, o carro propriamente dito soh pode ser comprado diretamente da fabrica original (e a unica empresa que tem autorizacao Real de produzir os London Cabs), a LTI, que mantem o design original do veiculo desde principios do seculo 19, quando os primeiros carros eletricos foram introduzidos no transito da cidade, e o motivo do carro ter o design interno que tem, alem de sua direcao limitada, eh por causa da entradinha do hotel Savoy, onde a alta sociedade e Realeza Britanica se encontravam para tomar cha e assistir pecas de teatro – e como naquela epoca as unicas pessoas que tinham acesso a carros e cabs eram a alta sociedade, a fabricacao dos carros se moldou as suas necesidades, e por tradicao, isso nunca mais foi modificado.

Entao isso tudo explica um pouco o porque dos Black Cabs terem um papel tao importante na Inglaterra, e principalmente em Londres, e explica um pouco tambem seus precos!

O preco das corridas e bandeiradas eh tabelado e regulado pelo Transport for London,  e qualquer corridinha no centro da cidade nao sai por menos de 10 libras. A corrida entre o aeroporto Heathrow e o centro de Londres, por exemplo, nao sai por menos de 90 ou 100 libras.

Por isso os Black cabs acabam sendo vistos por muitos moradores e turistas como uma opcao secundaria e de emergencia para rodar pela cidade.
Mas ainda assim, andar num Black Cab eh uma experiencia tao legal quanto andar num onibus Double Decker!

Mas, como tudo em Londres, a concorrencia eh acirrada, e existem outras alternativas para quem precisa de um carro/taxi.

Uma outra modalidade de taxis que circulam em Londres sao os Mini-Cabs.
Os mini-cabs sao carros normais (qualquer marca, qualquer cor, qualquer modelo) cujo motorista eh registrado como motorista, e so pode ser usado com pre reserva, e motoristas de mimi-cab NAO tem autorizacao para pegar passageiros nas ruas.

Comparativamente, os mini-cabs sao MUITO mais baratos que os Black-cabs e geralmente nao usam teximetro. Como todas as corridas sao pre-reservadas, os precos sao concordados com antecedencia e registrados.
Por exemplo, uma corrida entre o centro de Londres e o aeroporto Heathrow, custa uma media de 45 Libras – metade do preco de um taxi normal.

Entao vale a pena reservar um taxi com antecedencia caso voce va a uma festa, ou para ir ou voltar do aeroporto; e para turistas, basta pedir que seu hotel reserva um mini-cab para voce. OU entao mandar uma mensagem de texto ou ligar para o CabWise que tambem eh um grupo que faz parte do organismo que regula transportes em Londres, e imediatamente eles te mandam por SMS varios contatos de mini-cabs registrados na sua area.

E isso me leva a abordar um assunto nao muito legal, mas extremamente importante para turistas e desavisados em geral em Londres (eu soh descobri isso depois de um tempão morando aquí!).

Um dos maiores problemas de seguranca publica em Londres sao justamente em relacao ao mini-cabs.
Sao uma otima opcao para quem precisa usar taxi, mas nao quer pagar os precos altos do monopolio dos Black Cabs, mas infelizmente eh uma modalidade de transporte incrivelmente facil de ser falsificada, ja que qualquer pessoas que possua um carro pode colar um adesivo de “Private Hire” em seu parabrisas e oferecer corridas de taxis a desavisados nas ruas.

Entao as “regras do jogo” para usao de mini-cabs sao: sempre reserve seu taxi com antecedencia (pela Internet, telefone ou SMS) e deixe um numero de contato. Quando o taxista chegar no local combinado, ele vai ligar pro numero de contato e confirmar o carro. Nunca entre no carro sem confirmar!

O grande problema eh que nos ultimos anos tem aumentado demais os indices de violencia sexual em Londres, e infelizmente a grande maioria das vitimas sao passageiros(as) de mini-cabs nao registrados.

Pois ao nao ser registrado, significa que aquele motorista possivelmente eh um imigrante ilegal, nao foi treinado, nao teve seus antecedentes criminais verificados nem sua estabilidade psicologica testada.
E entre os muitos debates relacionados a raca e credo entre vitimas e atacantes (pois a grande maioria dos ataques sao feitos por taxistas homens, de origem Africana, Arabe ou do Sub Continente Indiano, que por sua vez atacam mulheres brancas ou de origem Europeia/Ocidental), os numeros nao mentem, e por mais que vc nao precise se preocupar com sua carteira ao pegar um onibus noturno no centro de Londres, voce tem que se preocupar (e muito) em pegar um mini-cab direto na rua.

Se um taxista (que nao seja Black Cab) te oferece servico no meio da rua, isso, por si soh, ja eh o principal motivo para NAO entrar no carro dele!

E infelizmente o que mais vemos nas madrugadas nas ruas de Londres sao meninas e meninos – com alto teor alcoólico em seu sangue – entrando em qualquer taxi que se ofereca. E infelizmente sao essas “excessoes” de “Ah… hj to cansada e nao quero esperar o onibus” ou “Hj ta frio e nao tem black cab nas ruas” que continuam virando estatisticas assuastadoras sobre a seguranca publica Britanica.

As campanhas do governo sao impactantes e praticamente traumatizantes, mas ainda assim o problema continua. E o slogan da campanha é justamente esse: se voce não pegaria carona com um estranho na rua, nao aceite um mini-cab que nao foi reservado.

Pronto! Aviso dado!

Para quem vem passear em Londres, nao deixem de dar pelo menos um passeiozinho rapido num Black Cab autentico, e para quem precisa de um taxi mas nao quer ir a falencia, basta contactar um dos inumeros postos de mini-cab espalhados pela cidade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
38