26 May 2014
9 comentários

Bodrum: a costa esmeralda da Turquia

Bodrum, Dicas de Viagens, Turquia

Bodrum é um daqueles lugares que ninguém nunca tinha ouvido falar. E ai de repente, como que num passe de mágica, a cidade caiu na boca do povo e virou o mais novo balneário sensação do verão Europeu!

Linhas áreas de toda Europa passaram a oferecer voo direto (ate mesmo as low cost, como a Easyjet!), linhas de cruzeiros passaram a incluir a cidade em seus roteiros, e celebridades de toda Europa lotam a marina da cidade com seus mega-iates de Maio a Agosto.

Esse ano um de nossos objetivos de viagem era fazer algumas opcoes mais tranquilas, relax mesmo, levar a Isabella pra brincar na beira da praia e tal, e de quebra aproveitar pra voltar a países que já visitamos a muitos anos atrás e sempre quisemos voltar.

E fui numa dessas andanças por sites de busca de passagem e hotéis que me deparei mais uma vez com Bodrum! E não é que apesar de toda badalação dos últimos verões, uma viagem ao balneario-desejo-Turco seria muito mais fácil do que imaginei?!

Ok, feriado prolongado, clima primaveril e passagens compradas!

Primeira dificuldade: a maioria dos hotéis que tem se instalado na costa de Bodrum e arredores tem um clima super badalacao, quase todos oferecem pacotes all inclusive, e a esmagadora maioria nao aceitam criancas! Mas ainda assim conseguimos achar opcoes simpáticas, que apesar de não ser nossa opção numero 1, atendiam alguns requisitos básicos, como quartos espacosos, piscina e na beira da praia!

BudapestGreece (39 of 555)

Ah, e esse foi outro ponto a levar em consideração na escolha da hospedagem: Bodum, assim como a maioria das praias Mediterrâneas nao faz muito estilo “aerai-branca-palmeiras-paradisiaca”, e uma das marcas registradas dos resorts de Bodrum na verdade são os decks na beira do mar, formando piscinas naturais e dando fácil acesso a agua do mar mesmo nas (muitas) áreas que não tem areia.

BudapestGreece (17 of 555)

Mas como estaríamos com uma bebe de 16 meses, e muito ativa, andando pra tudo quanto é canto, achamos que por mais bonito e unico que  esse estilo de hotéis sejam, não seria uma boa ideia para nossa viagem.

BudapestGreece (13 of 555)

Mas ainda assim a viagem foi muito mais familia e turistica do que as celebrity-gossip demonstaram, e a cidade alem de oferecer otimas opcoes de passeios eh lotada de parquinhos e playgrounds sempre lotados de criancas.

BudapestGreece (23 of 555)

A região conhecida como “Bodrum” na verdade eh formada por varias cidades/bairros, e Bodrum propriamente dito eh o centrinho historico, onde fica a marina e o Iate club, o mercado árabe, o castelo de São José que eh um dos símbolos da cidade e maioria das lojas e restaurantes da região.

BudapestGreece (126 of 555)

No entanto, apesar de ter alguns hoteis ali no centro de Bodrum, nao acho que seja um bom local pra se hospedar. Primeiro o mais obvio: apesar de estar na beira do mar, o centro de Bodrum nao tem praia, e seus hoteis não tem acesso ao mar (que na verdade eh tomado pela marina e seus muitos barcos). BudapestGreece (177 of 555)

 

Então a melhor opção é mesmo se hospedar nas praias nos arredores de Bodrum. Sabe o que me lembrou muito? Búzios!

BudapestGreece (33 of 555)

Bodrum seria o equivalente a Rua das Pedras, e com suas varias praias e estilos diferentes nos arredores (mas tudo sempre bem pertinho e de facil acesso).

BudapestGreece (165 of 555)

Mas acabamos indo para Bodrum quase todos os dias, as vezes só pra passear e fazer compras, as vezes pra almoçar, ou jantar.

BudapestGreece (86 of 555)

A experiência de fazer compras em Bodrum é bem diferente de Instanbul, por exemplo (apesar de que a agressividade dos vendedores é a mesma!), pois eles não tem um mercado “antigo” especifico, e sim um emaranhado de ruelas que se espalham aos pes do castelo no centro antigo.

 

No geral nao achei nada assim super irresistível não, e fiquei chocada com a quantidade absurda (e descarada!) de produtos falsificados!!! Tudo falso, e confesso que fiquei morrendo de medo de comprar qualquer coisa por la!

BudapestGreece (145 of 555)

Então acabei apenas prestando mais atenção nas lojinhas de artesanato e galerias de arte (as cerâmicas Turcas e daquela região são lindas!), os joalherias vendendo prata (principalmente os anéis de prata Turcos tem um design bem especifico e lindos!) e tapetes, ja que a região de Bodrum, mais especificamente a cidade Milas (que eh onde fica o aeroporto) eh uma das regiões originais e mais tradicionais na confecção de tapetes “persas”. Quem se interessa por esse estilo de tapetes já ouviu falar no estilo de design e nos conhecido como “Mila”, que eh um dos mais antigos, de original Persa e Otomana, e que eh originário de la, e ainda existem muitas famílias que confeccionam os tapetes no estilo Milas passando de geração em geração!

BudapestGreece (72 of 555)

Quanto a restaurantes, na nossa primeira noite na cidade queríamos comer o que a região tem de melhor: frutos do mar! Então fomos para a Marina, e escolhemos um dos restaurantes bem de frente, o Eflés, onde pudemos escolher qual peixe (e camarões, mexilhões, etc) queríamos comer, que vinham diretamente dos pescadores ancorados na marina do outro lado da rua.

BudapestGreece (63 of 555)

A comida estava in-cri-vel, o serviço ótimo, e mesmo sendo um lugar bem bacana, eles tinham uma boa infraestrutura pra criancas, com cadeirao, fizeram comida especial pra Isabella, suco etc.

E como demos um pouco de azar com o clima, e pegamos um dia de tempo muito nublado e vento, voltamos pra Bodrum pra almoçar, mas dessa vez a vontade era de comer outra especialidade Turca: Kebab!

Esse sanduíche Turco que faz a felicidade fast-food de viajantes e habitantes Europa afora, foi ainda mais gostosa sendo servida in-loco!

Nós ficamos hospedados em Gumbet, que é a praia que divide a baia com Bodrum, mas divididos pelo morrinho com os moinhos de vento (outro símbolo da cidade).

BudapestGreece (42 of 555)

Pra mim as vantagens de ficar hospedado em Gumbet foram muitas: a praia tem areia de verdade, e cada hotel tem acesso direto a “sua” praia (apesar de que as praias não são particulares). Estávamos a apenas 10 minutos de taxi do centro de Bodrum, onde acabamos indo quase todos os dias pra passear, fazer compras, almoçar ou jantar.

Os hotéis são menos badalados e nenhum deles faz parte de grandes redes de hotéis, o que significou que nao tivemos problemas para encontrar hospedagem que aceitasse crianças (e fornecessem berço, cadeirão, etc), mas ao mesmo tempo Gumbet é onde fica a famosa “Bar Street” de Bodrum, que durante o dia nos dava varias opcoes de lojinhas, mercadinhos e restaurantes, e a noite atrai muita gente para seus bares e baladas.

BudapestGreece (51 of 555)

BudapestGreece (48 of 555)

Nos nos hospedamos no Nagi Beach Hotel, que nos surpreendeu por ser tão bonitinho e barato! O hotel em si era uma gracinha, todo branquinho com as “casinhas” típicas dessa região da Turquia, muitas flores e pergolas por cima das varandas dos hotéis, um jardim ótimo, duas piscinas (um bem grande, e outra menorzinha para crianças), e o principal, bem de frente para a praia e com acesso direto para a areia. Alem de ter um restaurante (que também servia peixe fresquinho!) e dois bares, servindo a piscina e a praia.

O hotel eh simples, mas achei os quartos confortáveis e o serviço ótimo (todos os funcionários muitos simpáticos e solícitos), e foi a escolha perfeita pra nossa viagem.

BudapestGreece (52 of 555)

As outras duas áreas que chegamos a considerar, mas não encontrei hospedagem que tivesse todos os nossos critérios foram Turkbuku e Torba, mas valem a pena serem exploradas.

Outra dica me me deram são os Beach Clubs que muitos hotéis maiores oferecem, e permitem que mesmo quem não esta hospedado neles, possa comprar um passe de “uso diário” e usar parte de sua estrutura. Isso eh uma boa principalmente pra quem se hospedar nos hotéis sem praia ou sem acesso a “areia”, e os dois mais recomendados foram o Kempinski (que tem praia de areia, e aceita crianças durante o dia) e o Maça Kizi (que tem para de “decks” e tem um perfil mais badalado). (mas nos acabamos não indo a nenhum outro Beach Club, pois achamos nosso hotel super gostosinho e que já nos oferecia isso tudo, então ficamos por lá mesmo!).

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
9 comentários
19 Dec 2013
29 comentários

Balkãns: explorando a costa do Adriático de carro (Croácia, Montenegro e Bósnia)

Bósnia, Croacia, Dicas de Viagens, Montenegro

Como prometido, aqui esta o post detalhando o lado pratico de nossa viagem pela costa do Adriatico em Agosto.

Passamos pela Croacia (Dubrovnik), Bosnia (Mostar) e Montenegro (Baia de Kotor).

Nao tinhamos muito tempo disponivel, entao as escolhas foram objetivas. Alem disso, por estarmos com a Isabella (que na epoca estava com 7 pra 8 meses de idade), nao queriamos passar muito tempo no carro (estabelecemos um limite de 2 horas dirigindo de cada vez), nem queriamos trocar de hotel todas as noites.

Entao estabelecemos nossa base de operacao em Dubrovnik, ficamos num hotel com garagem e alugamos um carro la mesmo no aeroporto.

– Aluguel de carro:

Ja dei essa dica aqui outras vezes, mas vale mencionar de novo: eu sempre verifico tarifas de aluguel de carro no site travelsupermarket.co.uk, que faz uma busca em outros grandes sites e portais de viagem, assim como empresas e agencias locais, que geralmente tem precos melhores, mas que quem vem de fora nao conhece.

A transacao eh toda feita on line, algumas vezes eh necessario pagar o valor todo no ato da reserva, outras vezes pagamos na retirada do veiculo, e tambem eh possivel escolher acessorios, como GPS, cadeira de carro pra bebe ou para criancas, etc.

Ultimamente nao temos alugado GPS, pois acho que o Google Maps do iPhone funciona melhor (eu tenho um plano de celular da Vodafone UK que me da internet ilimitada na Europa, entao vale a pena).

E quanto ao bebe conforto da Isabella, depende do lugar onde vamos e o custo beneficio do aluguel (acho um saco ter que viajar com o bebe conforto!), pois muitas vezes o valor do aluguel da cadeirinha sai mais caro que o proprio aluguel do carro! (sempre optamos por um economico “medio”: com 5 portas, ar condicionado e bagageiro decente – lembrando que os carros na Europa tendem a ser minusculos!).

Estrada e Mapas:

Como comentei acima, jamais alugo carro sem GPS ou Google Maps na mao, mas ainda asism sempre pedimos na concercionaria um mapa de estradas (ou compramos num jornaleiro), so pra garantir que a tecnologia nao vai nos deixar na mao, e para podermos ter uma nocao de direcao, distancias etc.

E como sou fa de guias de viagem de papel, tambem aproveito para ir procurando no mapa e nos guias potenciais paradas estrategicas pelo caminho, e o que mais poderiamos visitar e aproveitar para esticar as pernas, brincar com a Isabella etc.

As estradas sao otimas!! Principalmente na Croacia, alem da vista sensacional bordeando a costa com a vista de suas milhares de ilhas (de babar! Um dia vou me aposentar e virar pescadora numa ilha da Croacia! Hahahahah), o asfalto eh um verdadeiro tapete.

Alguns trechos sao em mao dupla, com acostamento, mas tambem tem bastante secoes com pista dupla nos dois lados. E sinalizacao eh clara e muito facil de seguir.

Em Montenegro, na regiao da Baia de Kotor, a estrada tambem eh boa, mas praticamente o tempo todo em mao dupla (um saco quando voce fica empacado atras de um caminhao).

A vista da estrada de Kotor faz parte da viagem, entao eh sem duvidas um daquelas lugares pra dirigir sem muita pressa de chegar do ponto A ao ponto B, e fomos dirigingo, parando, fotografando, dirigindo, parando para um sorvete, outra foto, dirigindo mais um pouco etc… e assim por diante.

Na Bosnia tambem nos surpreendemos como, de maneira geral, as estrdas tambem eram igualmente boas.

Porem a sinalizacao deixou a desejar (nao sei se teriamos achado Mostar sem um GPS na mao! Ou no minimo teria sido uma viagem muito tensa!), e nao sentimos tanta confianca pra simplesmente parar onde queriamos ao longo da viagem. Mas ainda assim foi super agradavel.

Fronteiras:

Os 3 paises tem policas de fronteiras bem restritas, entao nao esqueca seu passaporte no hotel!

Eh preciso apresentar a documentacao do carro com informacoes de seguro internacional (se o carro for seu) ou autorizacao da concercionaria para viajar para aquelas paises (a nossa, por exemplo, nao permitia que o carro passasse pela fronteira da Albania nem da Macedonia), alem de passaportes.

Dubrovnik esta apenas a 30 minutos da fronteira com Montenegro, mas demoramos mais de 1 hora parados na fila da fronteira!

Entao quando fomos para Bosnia, estavamos esperando o pior, e fronteiras ainda mais rigidas, mas acabou sendo mais facil – principalmente por as fronteiras estavam vazias, entao praticamente passamos direto.

Eles fazem toda inspecao da documentacao, mas nao fizeram perguntas nem encasquetaram com nada (alguns carros estavam sendo parados e inspecionados).

Porem nesse viagem de Dubovnik a Bosnia eh preciso ficar atento a fronteira “dupla” entre os dois paises, pois a estrada passa pela area onde a Bosnia desce ate a costa, entao entramos na Bosnia (fronteira), dirigimos meia hora, passamos pela fronteira de novo e votlamos pra Coracia, ate que dai a mais uns 40 minutos entramos definitivamente na Bosnia.

Foi confuso, mas nada complicado!

Roteiro:

No total ficamos 4 dias por la, o primeiro e o ultimo em Dubrovnik, e mais um dia inteiro em Montenegro e outr dia inteiro na Bosnia.

Sim, teria sido bem melhor ter mais tempo para explorar cada pais, nao viajar com tanta correria, etc, etc, mas como o tempo era limitado de qualquer maneira, e nao queriamos ter que trocar de hotel por causa da Isabella, adaptamos o roteiro da maneira que deu.

 

– Uma das perguntas que me fizeram foi se seria possivel fazer essa mesma viagem de maneira independente, pra que nao gosta de alugar carro em viagens.

A resposta eh sim e nao.

Nao, por que nao da pra fazer totalmente independente. A regiao nao eh servida por trens, e as conecoes de onibus sao pessimas.

Se me lembro bem, existe uma linha de onibus que conecta o aeroporto de Dubrovnik a Kotor 1 ou 2 vezes por dia (em horarios meio esdruxulos que nao deram pro nosso roteiro), e tem um outro servico de onibus que conecta Dubrovnik a Mostar, que ale de demorar quase 6 horas (de carro, demoramos 2 horas), as reviews que li dizem ser um onibus pessimo e desconfortavel, entao nem consideramos.

Porem, existem muitas opcoes de empresas de turismo que fazem excursoes as duas cidades a partir de Dubovnik!

Ainda assim optamos por alugar um carro, pois alem de nos dar mais liberdade de fazer e parar onde queriamos, acabou saindo mais barato alugar um carro do que pagar excursao para 2 adulto + 1 crianca (sem falar no conforto).

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
29 comentários
15 Dec 2013
15 comentários

Montenegro: a baia de Kotor

Dicas de Viagens, Montenegro

Quando optei incluir Montenegro no roteiro da viagem pra Coracia (que incluiu Dubrovnik e Mostar, na Bosnia) a intencao era fazer um daqueles passeios onde a viagem em si eh a atracao, e nao um destino final.

E por isso mesmo escolhemos a baia de Kotor, que fica bem pertinho do sul da Croacia, e uma das principais areas turisticas do pais – uma baia que mais parece um Fjorde (praticamente uma versao Adriatica da Noruega!), de agua verde escura profunda (porem incrivelmente transparente!), cercada de cidadezinhas incriveis por todos os lados!

9710046137_512f2908b7

Algumas das pesquisas que fiz focavam em Kotor, a cidade principal da baia, e principal atracao de Montenegro, mas quanto mais olhava pro mapa da baia, mais descobria lugares que davam vontade de  “de repente a gente da uma paradinha aqui, bem rapidinho…”!

Entao saimos de Dubrovnik bem cedinho, rumo a fronteira (que fica a cerca de meia hora do centro da cidade, mas a imigracao entre os dois paises demorarou seculos! Os detalhes praticos da viagem virao em outro post!), pra seguir nosso dia dirigindo por Montenegro sem eira nem beira…

Mas demos um pequenos azar… logo depois que paramos na primeira cidade, a Herecg Novi, mais da metade do dia passamos dirigindo embaixo de chuva forte, com nuvens carregadas e um nevoeiro Londrino (!!!) encobrindo as montanhas da baia!! Argh!

Mas nada, que um bom guia de viagens e o Google Maps no celular nao resolva, e imdiatamente fomos refazendo nosso planos e parando para fotos sempre que o temporal permitia!

Logo depois que cruzamos a fronteira, nossa primeira parada foi a cidade Herceg Novi, um dos principais polos da regiao da baia.

Herceg Novi eh dividida em duas partes: a regiao de “praia” na beirada da baia, e a cidade antiga, la no topo da colina.

A praia estava fervendo (literalmente e metaforicamente!), afinal era um sabado calorento no final de Agosto!

9710052435_dcfb71160b

Tudo bem que o conceito de praia na Croacia eh muito diferente de minha va capacidade Carioca de compreensao (cade a areia? Ondas? Bixxxxxcoito Globo com mate leao e as redes de futivolei?!), mas tem seu appeal… Uma coisa assim meio piscina-lagoa-mar com muitas atividades aquaticas!

Ja a cidade antiga, assim como tantas outras na Europa, tem como atracao principal o castelo/fortaleza que desafia as leis da gravidade se debrucando sobre o mar. E o motivo eh simples: a cidade, que durante muitos seculos foi conhecida como “Castelnuovo” fica bem na curva da entrada da baia, e ja foi ocupada por Albaneses e Italianos durante suas dominacoes – e em termos praticos, quem comandasse a entrada da baia, comandava o pais.

Mas o mesmo passado conturbado que cronstruiu a historia da cidade, tambem foi responsavel pelo pouco que restou da antiga Herceg Novi – entao paramos pra almocar na cidade antiga, demos um passeio rapidinho e seguimos viagem.

Foi mais ou menos nessa hora que a chuva nos pegou de jeito, mas nem deu pra reclamar, ja que a propria estrada que conecta todas as cidade da Baia de Kotor eh uma das principais atracoes turisticas do pais!

Mas o timing de Sao Pedro foi imecavel e o sol voltou a brilhar logo que chegamos em Perast, outra cidadezinha incrivel da regiao!

9713269248_690b8dd6a6

Eh ali tambem que ficam as duas ilhas-monasterio “Sao Jorge” e “Nossa Senhora”.

9710034243_037f8b451f

 

Perast era uma das principais cidades da Baia durante a ocupacao Veneziana (pre unificacao da Italia), atraindo familias Venezianas abastadas a construir seus palacios na beira do mar.

9713273004_5d6e0d206f

E por isso mesmo, alguns seculos depois, Perast acabou virando cidade de veraneio mais luxuosa dos aristocratas do Imperio Austro-Hungaro (que dominaram toda essa regiao dos Balkans no seculo 19 ate a 1a guerra mundial), e foi construida em estilo Veneziano.

9710081695_e820dae1d9

As estatisticas da cidade sao impressionantes: a cidade inteira tem apenas 2 ruas e nada menos que 16 palazzos e 17 Igrejas!

9713271962_072d1a551a

Quase todos os Palazzos ainda estao de pe e bem conservados – alguns viraram museus, outros hoteis ou restaurantes, todos se debrucando no mar (bem no estilo Veneza de ser!).

9710044911_552eb8f424

De la fomos direto pra cidade-joia-da-coroa: Kotor!

Não só Kotor doa seu nome a toda região, ela ainda é o maior e principal atrativo do país, sendo recentemente elevada a “realeza” do verão Europeu como as ilhas Gregas, Croacia, Chipre e outros up-and-comers do Adriático!

9710055581_a9931fb8bf

A cidade preserva sua muralha medieval perfeitamente conservada, e ainda cercada por um fosso como se tivesse acabado de sair de um livro de conto de fadas!

E a principal responsável por colocar Montenegro no mapa do turismo mundial, atraindo cruzeiros (que entram baia a dentro e ancoram nas proximidades de Kotor), realeza, celebridades, ricos e famosos e todo o glitz&glam que só o verão Europeu sabe proporcionar!

9713289880_2c6d83f726

Lá dentro da muralha a cidade mantém o estilo típico da região, com muitas construções em pedras, e as venezianas verdinhas, mas seu principal diferencial são as igrejas Ortodoxas, que enfeitam a paisagem da cidade.

9713287228_3107e5827b

E por ser a cidade “final” da baía, Kotor – assim como todas as grandes cidades da história mundial – era constante cobiça de seus aliados e inimigos, que viam a região como uma porta de entrada para os minérios de Montenegro, Macedônia e Albânia.

9710054575_c26572e529

Então é claro, a cada nova conquista a cidade ia sendo reforçada e incrementada, e hoje conta com a impressionante muralha que vai subindo as paredes da montanha que cerca a cidade, quase que invisível aos olhos desavisados, de tão bem “integrada” que é na paisagem!

9713284546_c42bddf3c8

Nós infelizmente não subimos a muralha, que é uma das principais atrações da cidade (a igreja ortodoxa “Nossa Senhora da Saúde” fica lá em cima!) mas que era impraticável em pleno sol de Agosto + carrinho + bebê pequeno!

Então só nos restou passear pela cidade, tirar fotos e admirar a muralha de longe…

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
15 comentários