27
Aug
2014
Oi! Prazer em conhecer!
Escrito por Adriana Miller

Uns dias atras rolou uma conversa no Instagram sobre como ha muito tempo nao aparecem uns posts de cunho mais “pessoal” aqui no blog.

Eu pessoalmente acho que essa “mudanca” se deu ao fato de terem rolado umas polemicas e estresses por aqui, somado ao crescimento do blog, entao acabei decidindo deixar algumas coisas mais pessoais por fora, e reduzir um pouco a exposicao da figura.

Por um lado, me sentia mais a vontade pra ficar de mimimi e blablabla quando era lida por meia duzia de gatos pingados, mas a medida que os numeros foram subindo para casa das centenas, depois milhares e depois milhoes, isso se tornou um pouco assustador.

Por outro lado, a internet hoje em dia eh um lugar muito diferente. Quando comecei o blog, em 2004, quase ninguem sabia o que era um “blog”, se era de comer ou de passar no cabelo… eu poderia falar mal do chefe ou do cara cri-cri que dividia o apartamento, e isso era praticamente um “segredo”. Ja hoje em dia, essa historia eh bem diferente, todo mundo esta on line, todo mundo tem um perfil em alguma rede social, as empresas te Googlam, e nos (da Blogsfera de outrora) aprendemos que o que for postado aqui, ficara por aqui pra sempre. Entao por isso evito usar os nomes dos amigos, o nome da empresa onde trabalho, ou o bairro onde moro.

E, por outro lado (ultimo lado, prometo), com o surgimento das redes sociais, as interacoes “espontaneas” acabaram ficando mais canalizadas nessas redes, e acabou ficando muito mais facil fazer um comentario rapidinho no Twitter (e imediatamente receber feedback e opinioes), ou postar fotos do dia a dia no Instagram, do que era ha uns anos atras que tinhamos que baixar as fotos, escrever um post, etc sem saber s epor aqui alcancaria alguem ou nao.

Bem, esse bla bla bla todo de introducao, porque lembrei de um post muito divertido que fiz uns anos atras, onde os leitores me fizeram perguntas – Pode ser qualquer coisa, sobre qualquer assunto!

Algumas perguntas mais recorrentos acabaram virando posts especificos e SALs (“Servico de Atentimento ao Leitor” :-) onde respondo as perguntas mais frequentes que recebo por e-mail), e foi super divertido!

E como sempre tem um monte de gente nova por aqui, assim podemos fazer uma breve “apresentacao”, e matar algumas curiosidades!

Entao, manda bala! :-)

 

Categorias: Blog, Bobagens, Pessoal
92
20
Aug
2014
Bolsa de mão (e o que levo na minha bolsa em viagens!)
Escrito por Adriana Miller

Eu tenho um problema serio com bolsas – não só adoro usar-comprar-colecionar, como também tenho verdadeira adoração por saber o que as pessoas carregam em suas bolsas!

Uma coisa bem xereta mesmo, mas acho que mostra um outro lado das pessoas, e eu sempre fico com curiosidade sobre o que cada mulher escolhe carregar o dia todo, todos os dias!

Na hora de viajar então, é na sua bolsa/mala de mão que estarão todos os itens essências para sua sobrevivência! Sejam poucas ou muitas horas, qualquer coisinha a mais pode ajudar a passar o tempo, te ajudar a fica mais confortável ou seja lá o que for!

E ai resolvi também falar sobre a bolsa de mão, que embarca comigo e é a minha salvação! Na verdade já fiz um outro post sobre isso uns anos atrás, e apesar de que não acho que os “itens” mudaram ou variaram muito ao longo dos anos, sempre vale dar uma atualizada.

- Bolsa de mão para viagens:

IMG_2371

Geralmente eu gosto de voar com bolsas grandonas, principalmente em voos longos. Assim tenho bastante espaço para meus essenciais, e tudo que acho que posso vir a precisar dentro do avião.

Já viajei com bolsas pequenas em outras ocasiões, mas sempre sabendo que tenho uma segunda bagagem de mão onde possa guardar alguns itens a mais!

Então na viagem para o Japão e Coreia minha bolsa foi assim:

* Carteira (tenho mania de carteira vermelha! Nunca tive carteira de outras cores na vida! Essa atual é Prada)

* Certeira de viagem (que na verdade agora tenho usado esse modelo – o meu é Coach – que é tipo uma clutch, mas com alguns compartimentos internos. Pois hoje em dia viajo carregando vários passaportes pra família toda, e assim fica mais organizado e espaçoso do que as carteiras de viagem mais tradicionais que usava antes e que sao feitas para 1 passageiro apenas)

* Câmera fotográfica (que não esta na foto, pois a usei pra tirar a foto – mas atualmente estou usando a Canon GX1 Mark II que já já sai resenha!)

* Celular

* iPad

* Fone de ouvido (esse que cancelam ruído são ótimos!)

* Mini tripé

* Bolsinha com fone de ouvido, bateria extra pro celular (essencial pra quem tem iPhone!) e iPad, cabos e lente e tripé de celular (porque mesmo com uma câmera boa, é sempre bom e prático poder tirar boas fotos com o iPhone!)

* Óculos de grau (Dior, modelo masculino) e de sol (Prada)

* Malha e/ou lenço extra (sempre morro de frio e adoro me enrolar numa echarpe bem fofinha)

* Chiclete/bala/barrinhas

* Nécessaire com produtos mini para o voo

 

IMG_2372

E na necessaire levo:

* Hidratante para mãos e outro para o rosto (que tenho preferido usar oleos faciais, principalmente em ambientes muito secos como avião)

* Protetor labial

IMG_2374

* Mini kit maquiagem (espelho, blush liquido, gloss, corretivo)

* Almofada de pescoço

IMG_2373

 

Essa foi a bolsa que usei na viagem pra Oviedo na Espanha, pois viajamos sem a Isabella e foi tudo bem mais tranquilo. O modelo é uma Balenciaga Velo, que além de bem grandona (cabe tudo!) ainda pode ser usada cruzada no corpo, deixando as mãos livres, o que sempre dá uma ajuda a mais na correria do aeroporto!

 

Mas hoje em dia, viajando com a Isabella e todas as tralhas que uma criança pequena demanda, já não tenho mais paciência nem energia para encarar o ritmo de viagem carregando uma bolsa peso-pesado nos ombros no dia a dia da viagem.

Então na viagem para o Japão e Coreia resolvi fazer um teste, e levar apenas bolsas pequenas, e ter que me virar assim o dia todo!

E quando postei uma foto comentando sobre minha “mini-bolsa” que usei durante a viagem para o Japão e Coreia, algumas leitoras me pediram pra mostrar exatamente o que levei comigo e o que considero essencial pra conseguir turistar leve por ai.

*O primeiro passo foi deixar minha carteira no cofre do hotel. Em vez, levava comigo um porta cartões, com uma ou duas opcoes de cartão de saque/credito e um compartimento pra guardar dinheiro.

* Celular

* Protetor labial e algumas opcoes de gloss/batom (não sou de repassar maquiagem durante o dia mesmo, então não carrego kit de maquiagem comigo de qualquer maneira)

* Mapas (sempre peco na recepção do hotel)

* Maquina fotografica (mas que geralmente fica no ombro/pescoco o dia todo e nao na bolsa)

* Óculos de sol

IMG_2375

E só! Todo resto era resto e não valeu a pena carregar ao longo do dia.

Mas também tirei vantagem do fato de ter um carrinho de bebê a mão, então uma coisa que sempre colocava na cestinha do carrinho, que geralmente carregava na bolsa, era o guia de viagem (que prefiro carregar o de papel, com minhas marcações, anotações, mapas, dicas, post its etc).

Para minha surpresa, deu super certo!

E realmente terminei os dias da viagem bem menos cansada que o normal – tenho adotado essa nova técnica nas viagens que fizemos desde então, e tenho ate investido em outras mini-bolsas!

Demora pra acostumar a se desapegar aos mil cacarecos que precisamos ao longo do dia, mas faz um baita diferença na energia e disposição pra ficar sassaricando mundo a fora sem perder o pique!

 

Categorias: Coreia do Sul, Dicas (Praticas!) de Viagem, Fazendo as Malas, Japão, Viagens
24
19
Aug
2014
Espanha: Oviedo, o coração das Asturias!
Escrito por Adriana Miller

Umas semanas atras uma grande amiga Espanhola se casou em sua cidade natal, Oviedo, a capital do principado de Asturias, no norte da Espanha.

Foi uma viagem especial – pra começar que é sempre uma delicia viajar com um grupo de amigos, e melhor ainda quando envolve um grande evento ou celebração especial. E por coincidência, a mãe do Aaron estava com uma viagem planejada a Londres, então foi a nossa oportunidade para uma primeira viagem sem a Isabella!

Confesso que fiquei nervosíssima!! Eu já passei outras noites longe dela (em outras viagens a trabalho ou a passeio), mas nesses casos ela sempre estava com o pai.

Eh claro que eu sabia que entre a avo e a baba ela seria muito bem cuidada e nem sentiria minha falta, mas não adianta… não sei se algum dia vou acostumar a deixa-la pra trás em nossas viagens…Mas também, isso não quer dizer que eu não tenha adorado viajar “livre” novamente!

Podem e inscrever no concurso de pior mãe do ano, mas foi uma delícia viajar so com uma malinha de mão, chegar no aeroporto cedo e poder escolher revistas e tomar um café com toda calma do mundo… E o voo?! Sem ninguém sentada ou em pe no meu colo, nem tentando rasgar minhas revistas e muito menos tentando abrir meus olhos se por acaso eu tentasse tirar um cochilo!

Mas sabe aquela sensação estranha de que voce esqueceu alguma coisa?! Fiquei o tempo todo naquela de revirar a bolsa procurando carteira-chave-celular para garantir que estava tudo la… e ai me dava conta: a sensação de que alguma coisa ficou para tras foi falta da Isabella!

O primeiro dia da viagem foi corrido. O casamento foi numa sexta feira a noite, então voamos de Londres para Oviedo pela manha, chegamos la no começo da tarde, e mal deu tempo de comer alguma coisa e já começamos a nos arrumar para festa!

O casamento foi lindíssimo, e a Marta uma das noivas mais bonitas que ja vi! Aliais, os dois, pois ela e o Carlos são um super casal, e combinam demais! Sabe aquela coisa “sangue latino” cheios de estilo e molejo? Eles sao a personificacao disso! (ela é Espanhola e ele é Colombiano).

A ceremônia foi no Ayuntamiento da cidade (prefeitura), num salão enorme e realizado por uma juíza amiga da família e que portanto conhecia a noiva desde pequena!

As leituras foram todas feitas por seus amigos de infância e familiares do noivo, que vieram diretamente da Colômbia.

Ja a festa, ah… a festa! Os Espanhois sabem como ninguém dar uma boa festa, e a localização nao poderia ter sido melhor – no casarão antigo “Rua Quince”, na praça principal da cidade, exatamente em frente a Catedral de Oviedo!

La dentro, uma decoração bem “mediterrãnea”, com muitas flores, e aquela arquitetura linda típica dos palácios Espanhóis (com muitos jardins internos, arcos sobre as janelas e pe direito altissimo!).

P.S. Gostou do meu vestido? (fez sucesso no Instagram!) Eu ja fiz um post sobre ele aqui ó

Uma coisa que eu gostei demais da festa foi que em vez de lembrancinhas e besteirinhas para os convidados, os noivos fizeram doações em nossa homenagem a instituições de caridade na Colombia, país natal do noivo.

Achei uma iniciativa tao bonita, e fiquei honrada de ter amigos como eles!

A festa rolou noite a dentro, ao som de muita salsa Colombiana e Latino Americana e muito reggaetón! (ai meus tempos de estudante em Madrid!!).

Então foi no sábado que a viagem começou mesmo! Uma das melhores coisas desses eventos e viagens, é acordar no dia seguinte com todo mundo junto: trocar fotos, historias e fofocas. Quem pagou mico, quem arraso una pista de dança, e quem foi o ultimo a ir embora da festa!

E dai para frente passamos o dia explorando o centro histórico da cidade!

Nosso hotel tinha uma localizacao perfeita, exatamente entre a Calle Gascona (“El Bulevar de la Sidra”), que concentra a maioria dos bares de Sidra Asturiana e restaurantes da cidade e a praça da Catedral, então não teve erro!

Fomos andando aos poucos e nos perdendo pelas ruas da cidade, tirando fotos das ruelas medievais, pracinhas e Igrejas.

A historia de Oviedo eh bem interesante, pois o Rei Asturiano que fundou a cidade no seculo 8 d.c. queria construi-la como uma copia de Toledo (nos arredores de Madrid), mas como a regiao era muito rural e pobre, Oviedo acabou tomando traços mais Romanos, usando parte do que ja estava por la.

E o resultado eh que Oviedo acabou sendo uma cidade bem mais bonita e original que Toledo!

As construções em tons de ocre e amarelo dão um toque especial, e a cidade ja serviu de pano de fundo e musa inspiradora a muitos escritores e artirtas Espanhois, e mais recentemente conquistou o mundo ao servir como pano de fundo para a trama do filme “Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen e vencedor de Oscar.

Mas é claro que a atração principal do fim de semana foi a bebelança e comilança a la Asturiana!

Para começar, vamos falar sobre a Sidra Asutriana!

Nao, nao tem nada a ver com a cidra Brasileira, nem com a cidra Irlandesa, e eh praticamente um personagem da cidade!

E aviso, eh o tipo de coisa que requere um paladar adquirido… eu ja tinha bebido a Sidra algumas outras vezes quando morei na Espanha, e lembrava que eu tinha gostado, mas nao me recordava ao certo de como era o sabor.

Mas a Marta falou tanto e elogiou tanto a tal da sidra que a galera foi com com sede demais ao pote, e… bem, ainda temos que aprimorar mais um pouco nosso paladar!

Mas nao tem problema, bebemos assim mesmo, so para poder fazer parte do espetáculo a parte que eh a sidra sendo servida!

Rola todo um malabarismo e lambança, e eh impossível passar na porta de uma único restaurante ou bar da cidade que nao tenha um garçon na porta servindo sidra e fazendo uma zona!

No almoço nos paramos na Plaza del Fontán, escolhemos uma mesinha no patio externo e fomos de Menu del dia, com o prato mais tradicional da cidade: Favas Asturianas!

As favas sao tipo um feijao branco grandao (lembro de comer muito em Portugal!), cozidos como se fosse um guizado ou sopa, com outros legumes e diferentes tipos de carne, e achei uma delicia!! Sabe o que me lembrou? Me sentí comendo uma feijoada super temperadinha (so que de feijao branco!).

A finalmente no jantar (eh isso mesmo que voce esta pensando, nos so comemos o fim de semana todo!), rodamos por alguns restaurantes pela Calle Gascona e pelo centrinho de Oviedo, mas ninguem estava a fim de tapas, entao voltamos para pracinha da Plaza del Fontán para provar a outra especiaría da regiao (e que todo mundo fico de olho no almoco!), o centollo, ou siri/carangueijo, da costa norte da Espanha!

Entao foi mais um banquete, com muito siri e mexilhoes, regados a sidra e tinto de verano (mina bebida preferida quando esto una Espanha! Eh uma mistura de vino tinto com Gaseosa, que eh um refrigerante Espanhol tipo uma agua com gas bem docinha, e um pouco de limao siciliano! Taaaaao refrescante!).

 

Oviedo na Pratica:

 

-          Oviedo e a região das Asturias nao eh das regioes mais visitadas e praticas da Espanha, mas nao eh difícil chegar la, pois a cidade eh servida pelo aeroporto “Asturias”. Saindo de Londres, a Easyjet voa diretamente ate Asturias, e leva menos de 2 horas.

-          Para viajar pela regiao, um carro eh imprenscindivel – nao so porque os transportes públicos nao sao la essas coisas entre as cidadesinhas, mas principalmente porque eh o tipo de lugar que o legal eh ter liberdade de ir parando, ir explorando… Mas se voce for ficar so em Oviedo, como nos fizemos, nem precisa de carro nenhum!

-          Hotel: nos ficamos hospedados no Hotel El Magistral, numa das melhores localizacoes da cidade, por indicacao da propia noiva, que obviamente conhecia a cidade como ninguem. O hotel eh relativamente simples, mas super confortavel e as funcionarias super simpaticas (tivemos uma atrapalhada com nosso carro de alguel por que o Aaron teve que pegar um voo de volta diferente do meu, e uma das meninas ficou nos ajudando ate as 6 da manha para resolver tudo!)

-          O clima em Asturias eh bem imprevisivel, e em apenas 3 dias de viagem, pegamos temporais, solzao, muito calor e muito frio. Tudo ao mesmo-tempo-agora! Eu fui para la super preparada para pasar calor e super veraozao (essa era a previsao do tempo), e chegamos la com nevoeiro e muito frio. Resultado, tivemos que fazer umas comprinhas de ultima hora. E ai no dia seguinte, solzao e calor de novo! Entao uma mala versátil com muitas opcoes que possam ser usados ao mesmo tempo, em camadas eh o melhor conselho!

Categorias: Espanha, Oviedo, Viagens, Viagens pela Espanha
13
18
Aug
2014
Daylesford Organics: Saladinhas e orgânicos em Chelsea e Notting Hill
Escrito por Adriana Miller

Como boa Carioca que sou, uma das cosias que sentia falta quando cheguei aqui em Londres uns anos atrás eram os restaurantes de salada.

São práticos, rápidos, saudáveis… sabe aquela coisa de sair da praia, dar uma passadinha no Delírio Tropical, ou na Chaika (que fechoooou!) e comer uma saladinha? Um ritual bem carioca que eu adoro, e por muito tempo senti falta de ter opções mais criativas de saladas aqui em Londres.

IMG_2342

Mas isso vem mudando bastante nos últimos anos, e começaram a pipocar vários salad bars pela cidade, onde você pode escolher seus ingredientes, molhos e acompanhamentos e montar sua saladona na hora.

IMG_2345

Então quando descobri o Daylesford Organics só faltou o cheirinho do mar da brisa de Ipanema… E claro,arrastei a Tati pra lá!

IMG_2347

Eles são a versão Londrina do Gula-Gula Carioca, onde você escolhe suas saladas, pode montar um prato com 3 ou 4 opções de saladas diferentes, adicionar um quiche, ou grelhado e tals.

IMG_2341

De quebra eles ainda tem um menu bem servido de sucos de frutas e vegetais feitos na hora, além de poder comprar seus sucos detox e levar pra casa também!

IMG_2343

Só faltou mesmo o pettit gateaux de doce de leite com sorvete de tapioca do Gula-Gula, mas nem tudo nessa vida é perfeito!

Além disso eles também são uma loja/supermercado natureba/orgânico, e todas as suas lojas tem essa opção de comprar os ingredientes e produtos produzidos em suas fazendas orgânicas pra levar pra casa (eles tem uma fazendo orgânica enorme em Glouchestershire, no interior da Inglaterra, e vendem seus produtos em alguns supermercados maiores). A seleção de frutas, queijos e molhos/temperos é ótima!

IMG_2340

IMG_2339

Atualmente são 3 endereços em Londres, todos super convenientes: O restaurante & loja de Notting Hill fica na rua Westbourne Grove, a dois quarteirões de Portobello Road, e é uma ótima opção pra café de manha ou brunch pré marcado ou passeio pelo bairro, ou então uma opção de almoço pós passeio!

IMG_2338

IMG_2349

A outra loja/restaurante fica em Chelsea, pertíssimo da estação de trem e ônibus de Victoria, também super central, e foi lá que eu e a Tati fomos almoçar dia desses antes de passar a tarde no salão da Fer Nabuco!

IMG_2352

E por fim, eles também tem uma lojinha na praça de alimentação (Food Hall) da Selfridges – perfeita pra quem quiser quiser comer alguma coisa fácil, rápida e leve enquanto se acaba nas compras em Oxford Street!

IMG_2353

 

Daylerford Organics

(clique no link para endereços)

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Viagens
4
15
Aug
2014
Eynsham Hall – Um palácio pra chamar de seu em Cotswolds
Escrito por Adriana Miller

Nossa viagem por Cotswolds foi super legal, mas o toque especial mesmo foi ter ficado hospedada dentro de um dos palácios históricos da região!

10339651_10152464500050761_5817181222157686022_n

O que não faltam aqui no blog são opcções de castelinhos e palácios a serem visitados nos arredores de Londres, e são sempre uma ótima opção de passeio bate-volte para quem quer conhecer um pouco mais do interior da Inglaterra (lindíssimo!), mas sem ter que gastar um dia inteiro, e apenas fazendo uma day trip rápida e curtir o fim de tarde ou a noite em Londres.

10419638_10152464499510761_6772610937547015389_n

Então é claro que AMEI a oportunidade de ter um castelo pra chamar de meu durante um fim de semana, né?IMG_1818

Nossa hospedagem no Eynsham Hall foi graças a uma amiga, que planejou seu casamento nesse lugar incrível (mas o hotel eh aberto a qualquer pessoa! É só reservar seu quarto, não precisa estar atrelado a um evento), então apesar de termos passeado bastante pela região de Costwolds ao longo do fim de semana, também conseguimos curtir bastante o palácio.

IMG_1821

O legal desses eventos, ou o simples fato de se hospedar num hotel com esse tipo de estrutura histórica é se sentir um pouco um personagem de Dowton Abbey - relaxar no salão principal ao pé da lareira, depois jantar na sala de banquetes, e por fim ir tomar seu chá na biblioteca ou passear pelos jardins do palácio…

10377995_10152464499165761_9213928422736803014_n

Nada como sentir o gostinho da realeza por um fim de semana!

IMG_4761.JPG

E claro, a festa do casamento foi ainda mais bonita, graças ao Eynsham Hall, porque né, não precisava de muita coisa a mais!

IMG_1889

10437440_10152096921085047_5696004029931544218_n

A cerimônia foi lá mesmo, numa dos salões principais, com uma janela de pedra gigante com a vista do jardim.

10348310_10152464496285761_8782953675379274331_n

1233579_10152464498905761_7695760444798356154_n

O almoço/jantar foi servido no salão principal, com suas paredes intrinsecamente decoradas e trabalhadas…

10259880_10152464496535761_6104577417181962197_n

10271473_10152464499330761_5962142427118895964_n

E por fim, os drinks da recepção foram divididos entre o jardim do palácio e a “sala de desenho” (Drawing room), com paredes maciças de madeira e uma coleção de artes centenária!

10422459_10152464497830761_1350786460783789881_n

10462882_10152534174267718_2076022198569028401_n

E como estivemos por lá com um grupo de amigos, as manhas, com o café da manha servido na biblioteca (passei hooooras explorando as coleções históricas de livros e enciclopédias!) eram ainda melhores, como todo bate papo sobre a festa, o pub e os planos para mais passeios pelo Cotswolds!

IMG_1891

 

Eynsham Hall

North Leigh, Witney, OX29 6PN

 

Categorias: Castelos e Palacios, Cotswolds, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
11
14
Aug
2014
Cotswolds: Um roteiro de fim de semana a partir de Londres (ou Oxford!)
Escrito por Adriana Miller

Talvez voce nunca tenha ouvido falar da regiao da Cotswold, na Inglaterra, mas com certeza sabe o que é. Filmes, seriados, e quase todas as historias que se passam numa Inglaterra não-Londrina, acabam escolhendo essa região no sudoeste da Inglaterra como cenário, e o motivo é simples: é uma das mais bonitas e pitorescas do Reino Unido e da Europa.

14290064231_762a54c09a

A região fica a cerca de 1 hora de Londres, ali nos arredores de Londres, e se espalha por muitos quilômetros (ate quase na fronteira do Pais de Gales), mas não é exatamente fácil de ser explorada – é justamente por isso que se preservou tão pacata, pitoresca e “exclusiva”!).

IMG_1825

Na verdade são dezenas de cidadezinhas vizinhas que vão se espalhando, algumas são bem do lado da outra. Outras ficam a dezenas de quilômetros de distância. Algumas tem estação de trem e de ônibus, outras são isoladas no meio do nada.

IMG_1741

Então a única maneira eficiente mesmo de se chegar ate lá é de carro.

(eu sei que  alugar um carro na Inglaterra pode soar assustador para muitos turistas, mas eh super tranquilo, vai por mim, e vai com calma!)

Ha uns meses atras, uma amiga se casou num palácio por lá, e foi a desculpa perfeita (que estava esperando a anos!) pra finalmente colocar o pé na estrada e aproveitar o fim de semana todo nas Cotwolds!

IMG_1760

Fizemos esse roteiro num fim de semana prolongado, mas só saímos de Londres no sábado de manhã, e no domingo tivemos um casamento, então daria pra fazer o mesmo roteirinho num fim de semana, ou em uns 2 dias (uma esticadinha desde Oxford, por exemplo).

E por falar nisso, geograficamente, a região de Cotswolds fica no noroeste de Londres, sendo mais ou menos delimitada pela cidade de Oxford (de Oxford em direção sul), então muito roteiros pela região incluem a cidade entre os lugares a serem visitados, ou então sugerem que você dirija pelo cotswolds a partir de Oxford – e foi isso que fizemos!

 

Bourton-on-the-Water

IMG_1730

IMG_4681.JPG

A primeira cidade que nós conhecemos é a Bourton-on-the-Water, uma das principais e mais bonitas de Cotswolds.

14293408235_7581323a88

IMG_1716

Como o nome sugere, Bourton fica na água, com canais cortando as ruas do vilarejo e cheia de pontes fofas e arvores “choronas” compondo a paisagem.

IMG_1707

IMG_1721

Se você, como nós, sair de Londres pela manhã e for direto para Bourton, a cidade é perfeita para um pitstop na hora do almoço! O que não faltam são pub lindissimos, super tradicionais e cheios de história…

IMG_1734

14292877314_1d19b72522IMG_4684.JPG

Se o tempo estiver bom, aproveite pra sentar nas mesinhas do lado de fora com a vista para o canal, caso contrário, sente na parte de dentro dos pubs, bem do lado da lareira…

 

 

Stow on the Wold

Logo depois de Burton on the Water, fomos direto para Stow on the Wold, que fica a menos de 5 quilômetros de distância, praticamente na mesma estrada.

14291471422_ffc1a0831f

14313605693_51871783cb

Uma coisa interessante sobre essa viagem é que nos mostra bem como essas cidades funcionavam na idade média, e apesar de serem tão próximas (para os padrões de hoje em dia, com carros, GPS, e afins), elas eram tão isoladas e independentes umas das outras.

14292892214_5d00d10669

Então Stow on the Wold era um centro comercial, sua praça principal é enorme, e é justamente essa espaço que te recepciona na entrada da cidade.

IMG_1782

IMG_1776

Mas a atração principal é a Igreja milenar, cercada por um cemitério (macabro, porém muito fotogênico!), onde a raiz das arvores foram crescendo pela estrutura de pedra e redesenhando a estrutura da igreja.

14270305966_86d7204218

Uma coisa assim meio Camboja, porém medieval e Britânica! Super única e interessante!

 

Chipping Campden

No dia seguinte dirigimos até Chipping Campden, que junto com Burton on the Water, é uma das cidades símbolos da região, e foi também a minha preferida!

IMG_1864

IMG_1835

O que faz de Chipping Campden diferente das demais são suas casas centenárias de telhado de palha.

IMG_1855

Mas não imagine casabres não… as casas de Chipping Campden são gigantes e verdadeiras mansões, com um preço compatível ao seu tamanho e beleza!

IMG_1848

IMG_1836

É uma das vizinhanças mais caras da Inglaterra, e uma das cidades preferidas de várias celebridades Britianicas que possuem uma casa no campo pra fugir da correria de Londres.

IMG_1880

14106813608_0e4c5cd914

Jonny Depp, Hugh Grant, Elle MacPherson, Stella McCartney e Kate Moss são alguns nomes que passam temporadas por lá…

IMG_1874

E além das casas lindas e jardins exuberantes, a cidade também tem uma igreja & cemitério milenares, que se estendem pelo campo cheio de ovelinhas!

 

Burford

Nós ficamos hospedados em Witney (num palácio lindo chamado Eyshan Hall, depois falo de lá com calma!), que é uma das cidades base do palácio Blenheim, então passamos por Burford incontáveis vezes.

IMG_1885

Burford é o equivalente medieval de uma cidade “de passagem”, e justamente por isso já foi uma das principais e mais ricas da região, pois era praticamente impossível chegar as outras cidades sem passar por lá.

IMG_1881

Então a cidade é praticamente composta de uma única rua, a “The Hill”, uma ladeira enorme cercada de casinhas de pedra e muitas flores – e principalmente, muitos pubs!

IMG_1886

Por não ter tantos atrativos “turísticos” quanto seus vizinhos, eles tiram proveito de sua localizaçnao como ninguém, e foi uma parada perfeita pra almoçar e fazer umas comprinhas!

(Eles tem umas lojinhas e pastelarias “vintage” que sao muito fofas!!)

 

Witney & Woodstock (Palácio Blenheim)

Nossa cidade base foi Witney, pois ficamos hospedados no palacio Eynsham Hall, e sau vizinha Woodstock sao duas outras boas opcoes de passeio ou hospedagem.

A vantagem das duas eh a comodidade de sua localizacao – saindo de Londres ou de Oxford de carro, ambas tem otimas conecoes com as estradas principais, entao voce nao corre o risco de ficar rodando muito tempo ou muito perdido por estradinhas secundarias antes de conseguir achar sua hospedagem .

3625807569_ddfab0cc33

Mas a verdade acabamos passeando pouco por la – o Eynsham Hall por si so ja valeu o passeio, e bem no centrinho de Woodstock esta o Palalcio Blenheim, que ja conheciamos, e achamos melhor explorar outros lugares do que voltar la (mas ja aviso que eh uma dos palacios/castelos historicos mais bonitos e interessantes da Inglaterra e vale DEMAIS a visita!).

3641480143_b6194cbaa5

Woodstock foi tambem nossa opcao para sair a noite. Como estavamos por la com um grupo de amigos, fomos todos para o pub “The Star Inn” no centrinho de Woodstock para jantar & bebericar (eles tambem tem uma boa opcao de hospedagem Bead & Breakfast para quem quiser se hospedar em um hotelzinho menor e mais intimo, bem no estilo “Public House” medieval que a regiao evoca!

 

Stratford-upon-Avon

Outra estrela da regiao que vale a visita pra quem estiver explorando os Cotwolds!

4660589681_94bc0af7a5

Aliais, corrigindo: Stratford-upon-Avon eh uma cidade incrivel, e por si so ja vale uma viagem exclusiva, ou pelo menos passar o dia todo por la!

É a cidade natal de William Shakerspear, onde é possível conhecer alguns dos locais e histórias que inspiraram suas obras.

4657315089_b323849a56

Nos fizemos um bate-volta a Stratford, a partir de Londres, a uns anos atras, e ainda acho que seja um dos passeios mais gostosos de se fazer nos arredores de Londres!

 

Oxford

E como nao falar de Oxford?

3574355024_a9bff8d441

Nao so como ponto de partida para o passeio, mas também por ser um dos pontos altos de qualquer viagem a Inglaterra!

 

- Sugestão de roteiros:

* Com 3 ou 3 dias disponíveis:

Dia 1: Oxford

Pernoite em Oxford

Dia 2: Stratford-upon-Avon

Pernoite em Witney

Dia 3: pela manha va ao Blenheim Palace. Para almoco e na parte da tarde va a Burford

Pernoite em Witney

Dia 4: Manha em Burton-on-the-water e Stow on the Wold. A tarde siga ate Chipping Campden

* Com 2 dias / fim de semana disponivel:

Dia 1: Burton-on-the-water pela manha, almoce por la e a tarde siga ate Stow on the Wold. Na volta aproveite para dar uma paradinha em Burford.

Pernoite em Witney (se voce for voltar para Londres ou Oxford no final no roteiro) ou em Stow on the Wold (caso for seguir viagem depois).

Dia 2: Se voce tiver passado a noite em Witney ou Woodstock, comece o dia bem cedo no Palacio Blenheim, almoce em Woodstock e de la dirija em direcao a Chipping Campden.

 

Categorias: Cotswolds, Inglaterra, Viagens, Viagens pelo UK
26
13
Aug
2014
Poppie’s: a batalha do melhor Fish’n’Chips de Londres!
Escrito por Adriana Miller

Eu sei, eu sei… a fama da culinaria Britanica nao eh das melhores mundo afora (se bem que a cena gastronómica Londrina esta ajudando a mudar essa imagen!), mas eles tem muito orgulho de seus pratos típicos e tradicoes, e alguns deles sao levados super a serio! (ai de quem falar mal do Café da manha Ingles, ou desdenhar de seu cha da tarde!).

IMG_2228

Mas se tem uma coisa por aquí que agrada a gregos e troiano (ou seria Ingleses e Escoceses?!) sao os fish and chips!

A receita eh simples: feixe empanado frito, com batata frita. Peixe’e’fritas!

Eh o tipo de coisa que nao da para pisar os pes no país e nao provar pelo menos uma única vez! E a pesar de que voce vai ver lojinhas, barraquinhas, birosquinhas e pubs servindo fish’n’chips em to-das as esquinas do Reino, rola todo um padrao de qualidade, certas regrinhas sobre o tipo e qualidade do peixe, a massa do empanado (batter), os acompanhamentos etc.

IMG_2261

Entao nao eh de se espantar que rolem rankings e competições pela cidade e país a fora que julgam, escolhem e elegem os melhores fish and chips de Londres!

Sim, eh uma coisa levada super a serio, e existem varias competicoes e criterios (tipo concurso de pastelarias na Franca, sabe? Ou de cervejarias na Alemanha? Pois eh).

IMG_2258

E entra ano e sai ano, dois nomes estaos empre no topo da lista: O Master Superfish, e o Poppi’s of Spitafields!

O Master’s eu ja falei aqui, e eh meu preferido: sem frescuras, sem firulas. O peixe eh super fresco, recen chegado do mar do norte no mesmo dia que eh servido (tanto que eh eles nao tem um horario de funcionamento regular. Quando acaba o estoque de peixes do dia, eles simplesmente fecham as portas e vao embora. Nunca congelam seus peixes, e portanto nao tem “estoque”!), bem localizado (do lado o teatro Old Vic, a 1 quarteirao da estacao de Waterloo and 10 minutos do Southbank) e baratissimo.

Mas geralmente quem ganha o titulo eh o Poppi’s of Spitafields! (do ladinho do mercado Spitafields e de Brick Lane)

IMG_2254

Para comecar que a localizacao mais badalada ajuda – impossivel pasar por la num fim de semana e nao ter uma fila na porta!

A decoracao tambem eh bem fofa, com mais carinha de restaurante mesmo (o Master’s tem a maior pinta de pe sujo, apesar de limpinho!), com um servico super simpatico, e claro, um peixe super fresco e delicioso!

Quando postei sobre o Poppi’s no Instagram me erguntaram qual era meu preferido… E a escolha eh difícil!

IMG_2253

Por um lado eu acho que o Poppi’s ofrece uma “experiencia” fish’n’chips mais legal – a localizacao entre os mercados eh bacana e vira um programa legal (eh muito gostoso passear em Spitafields de manha, almocar no Poppi’s e depois ir passear em Brick Lane), entao acho que o Poppi’s com certeza ganha nesse aspecto. Se voce eh turista eh quer um experiencia mais completa, eu recomendaría o Poppi’s!

Mas por outro lado, nao tenho duvidas de que o peixe do Master’s Superfish eh bem melhor (Bem maior e os files sao mais grossos, ou seja, menos massa de batter e mais peixe), a localizacao tambem eh conveniente para quem estiver passeando pelo Southbank ou va asistir uma peca no Old Vic, e o principal, o preco – a porcao de peixe no Master’s (muito mais bem servida) custa metade do preco do fhish’n’chips do Poppies!

Entao o Poppi’s acaba sendo uma coisa mais de turista, modinha… enquanto o Master’s eh uma experiencia mais autentica e “local”.

 

Ah! Eles nao fazem reserva, entao a dica eh chegar cedo pra evitar as filas, ou chegar e esperar sua mesa (ou entao, numa dia de sol, faca como os LOndrinos e como o seu fish’n’chips em pe na calcada mesmo! Eh um burburinho!

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Viagens
7
12
Aug
2014
East London: Spitalfields Market e Brick Lane
Escrito por Adriana Miller

Fim de semana passado finalmente fiz um programa delicioso e bem Londrino, mas que eu não fazia ha anos: Domingo em East London!

Os bairros da região leste de Londres são tão únicos quanto polêmicos, e ou você ama ou odeia… A cultura é diferente, a arquitetura é diferente, e pode-se dizer que no geral, seria quase como conhecer uma outra cidade.

IMG_2223

Historicamente, o Leste é a região mais marginalizada da cidade, fama que só começou a mudar de uns anos pra cá, depois de toda revitalização e banho de loja feita na região em preparação para as olimpíadas. Novas estações de metro foram criadas para chegar ate os estádios, que por sua vez levaram mais comercio, mais investimentos, e também muitas novas construções, que acabou atraindo novas famílias e um novo “publico” para a região, mudando um pouco o perfil da area.

IMG_2225

Mas não se engane. Continua sendo a região mais marginalizada de Londres, onde concentra a maior parte dos imigrantes, conjuntos habitacionais, os índices de desemprego, abuso de benefícios e “bolsas”, e de crime na cidade.

Mas por outro lado, é onde esta a veia artística de Londres, com studios de designers, novas bandas surgindo toda semana, lojinhas exclusivas, achados vintage e tudo que seja único e de vanguarda na cidade. Ou seja, quem é cool, mas cool mesmo, está em East London!

E entre as varias regiões que compõem o Leste Londrino (East London), dois endereços são tão certeiros quanto tradicionais: O mercado de Spitalfields e a rua Brick Lane (também com seu mercado), que são ainda melhores aos domingos!

O Spitalfields Market funciona vários dias por semana, foi recentemente reformado e eh uma mistura entre o Borough Market e o Portobello Road Market – por lá você encontra desde roupas e joias vintage a preços de banana, barraquinhas vendendo itens vintage de designers renomados, marcas e artistas apenas começando a carreira (seja roupas, sapatos, pinturas ou cacarecos), roupas e acessórios de segunda mão…

IMG_6219.JPG

Mas também encontra frutas e comidinhas frescas e orgânicas, vindas direto da fazenda!

IMG_2263

Sem falar no novo complexo construido ao redor do mercado ha uns anos atrás, que assim como o resto do espaco, tambem mistura o classico com o moderno, e encontramos desde uma loja de queijos finos artesanais, loja de brinquedos de madeira, ate uma flagship da marca internacional de maquiagem Benefit, e enormes restaurantes de rede.

IMG_2220

Realmente o que nao faltam sao opcoes, e se eles se propuseram a agradar Gregos e Troianos, eu diria que sucederam!

IMG_6221.JPG

E bem ali do lado, a cerca de 2 ou 3 quarteirões fica a rua Brick Lane – infame cenário dos massacres do Jack Estripador, e também muito conhecida por seus restaurantes Indianos e de Curry em geral, alem de ser epicentro da cultura Sub-Indiana em Londres.

IMG_2239

Mas os domingos de manha em Brick Lane são um caso a parte!

Além de ser o único mercado no centro da cidade que funcione aos domingos (Portobello e Borough só funcionam aos sábados), a vibe da rua fica incrível!

IMG_6224.JPG

Alem das lojas de roupas vintage e barraquinhas de quinquilharia e mais uma sorte de bugigangas (que afinal são a melhor parte desses mercados de rua!) a rua fica lo-ta-da de barraquinhas de comida do mundo todo!

IMG_2246

Quer um hamburger-churrasco feito na hora? Tem! Churros Brasileiro com doce de leite? Tem! Sorvete Italiano artesanal? Tem! Samosas Nepalesas? Tem! Pad Thai Tailandês, linguiça Alemã, kebab de falafel… tem!

IMG_2236

Eh a volta ao mundo em 80 barracas de comida nas ruas de Londres!

IMG_2242

IMG_2244

E se você der sorte de um dia de sol então… Seja inverno ou verão, prepare-se e pode se programar pra ficar por lá o dia todo…

E aproveite pra emendar com o happy hour em um dos bares moderninhos (ja fui muito no Vibe Bar, Big Chill e no 93 Feet East! Recomendo!), ou sente pra tomar um cha com uma hooka numa almofada fofinha, ou porque não uma rodada de boliche (o estrelado All Star Lanes abriu uma filial em Brick lane tem pouco tempo!).

IMG_6223.JPG

E se a noite se animar, siga em direção a Old Street, outra ótima região no leste de Londres que ferve a noite!

A Curtain Road, nos arredores da estação de Old Street tem um bar do lado do outro, e a Hoxton Square ali do lado tembem tem muitas opcoes badaladas que se estendem madruagada a dentro (ou segundo os horarios Ingleses… ate umas 2 ou 3 da manha…).

Ah! E ja que eu me empolguei, e o que era pra ser um post sobre o mercado diurno, acabou virando uma serie de dicas noturnas sobre East London…

Quando você estiver quase virando abóbora no fim de night em East London, nao se acanhe e se junte as massas de Londrinos fazendo fila na porta das biroscas pra comer batata frita com vinagre e sal embaladas no jornal (deixe o alcool em gel e o nojinho em casa nesse dia!), ou entao vao para o Kebabe Zero, o point-fim-de-noite em East London (bem na encruzilhada da Shoreditch High Street) e se acaaaaaabe num kebab!! (otimo pra matar o tempo enquanto voce espera pra pegar um taxi/onibus pra voltar pra casa/hotel na madruga, e otimo cura-ressaca! Vai por mim!).

IMG_2250

E se você ficou pela região de Brick Lane madrugada a dentro, não deixe de passar no “Beigel Bake”, uma padoca especializada em bagels fresquíssimos (garanto que você nunca comeu nada igual!), com os mais variados recheios e que fica aberto 24 horas! (mas também não deixe de provar o “salted beef and english mustard beigel” a qualquer hora do dia, não precisa ser só no fim da balada!).

Categorias: Bairros, Batendo perna, Conhecendo Londres, Inglaterra, Mercados, Roteiro, Viagens
14
11
Aug
2014
Londres: Restaurante Beast (atenção, chegue morrendo de fome!)
Escrito por Adriana Miller

Que Londres sabe como ninguém inventar e lançar restaurantes-sensação, isso tudo mundo já sabe, e as modinhas que vão se multiplicando a cada temporada não me deixam mentir.

IMG_2316

A um tempinho atrás foram os gastro-junks, ou endereços com cardápio inusitado que dominaram a cena gastronômica Londrina. Não que a popularidade desses lugares tenha acabado, pelo contrario… apenas ficaram adormecidas depois que passou a novidade (por exemplo, hoje em dia o Burger & Lobster é uma cadeia de restaurantes com endereços pela cidade toda, e o BubbleDogs já não tem mais filas assustadoras na porta).

IMG_2273

Então estava mesmo faltando uma novidade pra sacudir a temporada de verão – não que Londres precisasse, porque tem estado praticamente impossível conseguir reservar uma mesa por aqui!

IMG_2270

Mas eis que o “Beast” foi anunciado, e pronto. Antes mesmo do lançamento, o sucesso (e filas de espera) já estava garantido!

O Beast foi criado pelos mesmos caras que inventaram o Burger & Lobster apostando em comida de primeiríssima qualidade, e menus simplistas. Ambientes incríveis e atmosfera maravilhosa como só Londres sabe criar.

IMG_2281

O Menu? Adivinhem? Apenas carne e caranguejos.

O Caranguejo “King Crab” (aqueles gigantes!) é a estrela do cardápio, vindo diretamente o Circulo Ártico, na costa da Noruega. A carne é Americana, corn-fed-made-in Nebraska. E só.

IMG_2295

O esquema eh simples: o preco da refeicao eh fixo por pessoa (75£) e inclui tudo, menos as bebidas. Carne a vontade, caranguejo a vontade, e todos os acompanhamentos e entradas. Não tem menu, não precisa nem perguntar o que você quer comer.

IMG_2291

Mas é o ambiente do lugar que da o toque especial: logo na entrada você depara com tanques e mais tanques de King Crabs, e o salão principal, desapercebido no andar subterrâneo, escondidinho numa rua atrás de Oxford Street engana bem.

As mesas são todas em estilo “banquete”, onde sentam uma media de 40 pessoas, lado a lado, dividindo o espaço. Muitas velas, meia luz… uma coisa assim meio versão Viking de Hogwarts! Você se sente praticamente na idade media!

IMG_2318

Não é exatamente um bom lugar pra quem estiver procurando privacidade, ou um jantar romântico – mas seria perfeito para uma comemoração animada entre amigos!!

E o nome “Beast” (“besta”, ou “animal” em Portugues) é perfeito pra descrever a experiência! Chegue com fome, e deixe a dieta do lado de fora, pois o sistema é bruto!

IMG_2276

De cara, não se acanhe e coloque seu avental/babador (acredite, você vai precisar!). Ai te servem a entrada: 1/4 de uma roda de queijo Permeggiano legitimo, cortadinho em lascas, servido com azeite e vinagre balsâmico, uma seleção de azeitonas de Marrocos e antipasti.

Mas a garçonete avisa: é delicioso, mas tente resistir porque ainda vem muita coisa por ai! E dito e feito: 1 quilo de carne T-Bone (para cada duas pessoas), um caranguejo  King Crab inteiro, duas saladas e mais 3 tipos de vegetais.

IMG_2298

A técnica deles é não servir nada que seja farináceo nem com muito carboidratos, para que você possa comer bem, mas sem se sentir estufado ou muito cheio.

IMG_2302

E daí pra frente, divirta-se! Um banquete medieval-Viking-magico pra chamar de seu! Converse com seus vizinhos de mesa, coma com a mão e limpe os dedos no avental/babador (e´pra isso mesmo que ele está lá!).

Ah! E quando você achou que não aguentava mais nem sonhar com comida, ainda chega a sobremesa, onde cada pessoa pode escolher entre 3 opções (todas tão boas que não deu pra resistir!).

IMG_2312

IMG_2311

E claro, como tudo em Londres, eh imprescindível fazer reserva com (muita) antecedencia!

Beast

3 Chapel Place

 

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Pub & Restaurantes, Viagens
8
10
Aug
2014
Templo Kiyomizu-dera
Escrito por Adriana Miller

O templo Kiyomizu-dera foi o ultimo templo que visitamos em Kyoto, e apesar de não ser o mais bonito ou fotogênico, sem duvidas alguma foi o mais imponente!

14224457616_71ea8e5e1c

A começar pela entrada, onde eh preciso subir uma ruazinha íngreme (mas uma ótima opção pra comprar souvenirs e cacarecos do Japão de ultima hora!), ate que se chega no templo Niōmon, que marca a entrada ao complexo de templos e Pagodas de Kiyomizu-dera.

14061015837_a6a68503bd

Ai são dois templos e uma pagoda, algumas fontes (e muita gente!) – e quando voce acha que ja viu tudo, a trilha entre os templos de leva ate a entrada principal, e ai sim você se depara com o tamanho descomunal de Kiyomizu.

O templo eh todo construido em madeira maciça, com estrutura original do ano 798 d.c. e com uma plataforma/varanda sobre colunas de 13 metros de altura, que se debruçam sobre o jardim e a paisagem de Kyoto.

14245392102_3be254fa9d

Essa varanda é a principal atração do templo, pois durante muitos séculos o templo era visto como area de peregrinação, e um dos rituais de passagem e “pagamento de promessa” era pular lá de cima – se você sobrevivesse a queda, seu desejo seria realizado. Caso contrario… bem, você estaria morto.

14267758353_cf752762e7

Nem precisa nem dizer que pular lá de cima não é mais permitido, mais mesmo assim o templo eh cheio de seguranças, e não deixam ninguém se assanhar demais por lá não, caso alguém resolver tentar a sorte e ter seu pedido realizado!

14224441796_5686b792e4

Outra atração o templo/parque eh o Jishu, um mini templo dedicado ao Deus Ōkuninushi, o deus do amor.

E por fim, lá do outro lado do parque e da montanha, esta uma pagoda.

14060957349_5e310cd23f

O templo é um dos mais populares de Kyoto, e principalmente, o favorito entre os locais, e serve de palco para inúmeras festas, festivais e comemorações ao longo do ano.

14267771853_9a94ac4084

E em 2007 o Kiyomizu-dera foi votado pela população Japonesa para ser considerado com uma das novas maravilhas do mundo moderno (não ficou entre as novas 7 maravilhas, mas foi selecionado entre os 21 finalistas!).

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Japão, Kyoto, Viagens
1
Página 1 de 18612345»