15
Aug
2011
Viajando pelo Báltico: ônibus
Escrito por Adriana Miller

A maneira mais facil, econômica e rápida de viajar entre os países do Báltico é de ônibus.

As distâncias são relativamente curtas e as estradas boas. Se você preferir alugar um carro também pode ser uma boa (não esqueça de alugar um GPS!).

Algumas rotas são possiveis em trem (que tem uma qualidade ok, e preços baixissimos), mas de maneira geral a malha ferroviaria dos Balticos foi totalmente destruída durantes as guerras, e nunca mais reconstruídas pelos Russos, que acabaram usando o pouco que sobrou pra outras coisas e roteiros.

Então no nosso caso, depois de fazer alumas pesquisas, realmente decidimos que era muito mais pratico e confortavel viajar de ônibus, usando as rotas da Eurolines que combrem a região do Báltico através da empresa Lux Express.

Os onibus são super confortáveis, as linhas bem compreensivas, muitas opções de horarios todos os dias, o ano todo (até mesmo durante o inverno rigoroso da região) e preços muitos bons.

Nossa viagem entre Vilnius e Riga, que durou cerca de 4,5 horas custou apenas 13 Euros.

Você pode deixar pra comprar sua passagem na hora, direto na estação de ônibus de qualquer uma das cidades cobertas pela Lux (veja a lista completa aqui), ou então comprar on line, se quiser já garantir seu lugar e não correr o risco de não conseguir passagem (mas nós viajamos no auge da alta temporada, numa sexta feira e ainda assim nosso ônibus tava vaziiiiio…).

Para comprar on line, basta clicar AQUI, selecionar o ponto de saída e de chegada, a data que você quer viajar e o numero de passageiros (não tem opção em portugues, mas você pode fazer sua reserva em Inglês, caso não saiba ler Letão, nem Lituano, nem Russo nem Polonês!)

Você verá os horários de saída e de chegada e o preço correspondente por pessoa. O preço final pode ser pago com cartão de credito ou débito, e você recebe instantanemanete no seu e-mail uma confirmação com o seu ticket, que vcê tem que imprimir e levar com você na viagem – essa será sua passagem, portanto se esquecer já era!

E se você quiser esticar sua viagem do Baltico até a Finlandia, a melhor opção é cruzar o golfo entre Tallin e Helsinki de barco – mais dicas aqui.

 

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Estonia, Letônia, Lituânia, Viagens
6
04
Sep
2009
Os detalhes de Tallinn
Escrito por Adriana Miller

De fato Tallinn nao eh uma metropole turistica, com grandes monumentos a torto e a direita prendendo sua atencao. E por isso mesmo, os pequenos detalhes espalhados pela cidade acabam virando a grande atracao, e fazem com que o estilo medieval da cidade fique ainda mais colorido e charmoso!

As portas estao em todas as esquinas… cada uma mais colorida e trabalhada que a outra…

E nas fachadas das casa e das lojas. Por manter a harmonia da cidade, nenhuma das lojas ou restaurantes tem letreiros nem neons, e a impressao eh que todas as casinhas mantem a mesma tactica pra atrair seus clientes que usavam ha 700 anos atras!

Categorias: Estonia, Viagens
5
03
Sep
2009
Tallinn – Helsinki: na pratica!
Escrito por Adriana Miller

A viagem nao foi das mais convencionais, e tao pouco foi facil de planejar toda logistica envolvida para que desse certo, mas foi uma experiencia tao legal e diferente, que valeu a pena!

O ideal seria nao ter feito uma viagem tao corrida, mas sinceramente, caso tivessemos mais 1 ou 2 dias em cada cidade, ficariamos um pouco sem ter oque fazer…. Entao o feriado prolongado foi a medida perfeita pra viagem-dobradinha do Baltico!

Engracado a quantidade de gente que me perguntou espantado “mas como faz?!” pra organizar uma viagem dessas… Facil, facil nao eh, mas tambem nao eh dificl! Basta o Google e ser beeeeem enxirida!

Os voos foram mais faceis, pois a Easyjet voa para Tallin e Helsinki a precos razoaveis (saindo de Londres apenas). Os horarios nao sao dos melhores, mas como tinhamos (relativamente) tempo, deu pra conciliar os voos de ida e volta (essa viagem seria impraticavel em apenas um fim de semana).

Compramos um voo apenas de ida para Tallinn, e outro voo apenas de volta de Helsinki. Tah, mas e ai?

Basta olhar no mapa pra ver como as duas cidades sao proximas, e comecei a catar uma maneira de viajar de um lugar pro outro, sem gastar muito tempo, nem dinheiro. A solucao, barco!

Varias empresas fazem esse trajeto, as principais sao: Tallink e Viking Line. O servico eh basicamente o mesmo, e oque muda eh a disponibilidade de horario. Entao como queriamos ter bastante tempo pra passar o dia em Helsinki, decidimos pela Viking Line, que tinha uns horarios que se encaixavem melhor.

O ferry funciona o ano todo, porem no inverno a viagem demora mais (pois tem que quebrar o gelo no mar) e os horarios sao mais restritos; entao nao sei se essa viagem seria viavel durante o inverno…

E o melhor! Como o Mar Baltico eh bastante inospito boa parte do ano, os barcos que fazem sua travessia nao podem ser meros “barquinhos” (eu achei que seria uma cosia meio ‘Barca Rio-Niteroi’!), e sao basicamente mini cruzeiros! Quando entramos, jah morremos de raiva que iriamos passar apenas 2.5 horas! Queriamos passar a semana toda!

Apesar de nao ser tao luxuoso e gigantesco quanto um cruzeiro de verdade, ainda assim o ‘ferry’ tem 7 andares, uns 4 restaurantes, 2 bares e dicoteca, free shop, sun deck, etc. E quando comecamos a andar pelo navio procurando nossos lugares, nos demos conta de que apesar de ter comprado a opcao mais barata (30 Euros) em vez de poltronas (como viajei entre a Italia e a Grecia) tinhamos nossa propria cabine! Com duas caminhas, televisao de plasma, e banheiro!

Uma pena que eu estava TAO cansada por ter dormido muito mal em Tallinn, e acabei nao usufruindo muito durante a viagem, mas tomamos um super cafe da manha num dos restaurantes, tiramos muitas fotos, demos algumas voltinhas e dormi, super confortavel o resto da viagem inteira!

Tallin eh um cidade super barata, ficamos hospedados num albergue/pensao super bem localizado, exatamente entre o porto e a cidade antiga, numa pracinha super moderna e cheia de restaurantes, por menos de 30 Euros, num quarto duplo enoooorme (sem TV, mas com banheiro!).

Jah Helsinki, apesar de nao ser tao cara quantos os demais paise escandinavos, ainda assim foi bem mais cara. Ficamos num hotel 3 estrelas pertinho da estacao de trem, a umas 3 quadras da Catedral de Helsinki e 10 minutos andando do porto (localizacao perfeita!) por 65 Euros (achei meio caro, mas incluia cafa da manha, e tinha uma boa infraestrutura, inclusive piscina e sauna tipicamente Finlandesa!).

P.S. Estou preparando outro post mais generico sobre viagens de barco na Europa

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Estonia, Finlandia, Viagens
13
01
Sep
2009
Tallinn – Estonia
Escrito por Adriana Miller

A Estonia eh um pais bem pequeno, no nordeste da Europa, espremido entre a Latvia e a Russia, de “frente” pra Finlandia e banhada pelo mar Baltico. Eh o menor pais do grupo dos Balticos, que desde sua entrada na Comunidade Europeia em 2004, e a fazer parte da rota de voos baratos da EasyJet (1 ou 2 anos atras), sua capital, Tallinn, comecou a aparecer no mapa do turismo mundial!

Como boa apaixonada por historia que sou, amo viajar por paises do leste Europeu, que tem uma historia tao fascinante e ainda desconhecida; sao paises ainda tentando descobrir sua identidade “livre” tentando resgatar suas raizes e cultura.


E a Estonia nao eh diferente. Apesar de serem considerados os mais “ocidentais” entre os paises Balticos, devido a sua conexao com a Finlandia e o passado de colonizacao e servidao Alemão, a Estonia ainda é recheada de marcas Sovieticas. A regiao foi dominada pelos Alemaes entre o seculo 14 e o seculo 20, quando entao passou a ser dominado pelos Russos. A grande maioria da polulacao eram servos feudais, e nao tinham direitos de cidadao, nem de ir e vir de seu proprio pais. A escravidao foi abolida no seculo 19, porem apos sua integracao a URSS em 1940, mais de 70.000 Estonianos foram mortos ou enviados como escravos a campos de concentracao/trabalho na Siberia durante a decada de 40. Apenas em 1991 a Estonia declarou sua independencia da URSS, obtendo liberdade incondicional a todos seus cidadaos e identidade como pais livre.

Tallinn, a capital, em particular sempre foi o ponto estrategico do Baltico, sendo o canal de comunicacao da Europa do Norte e Escandinavia com Sao Petersburgo e Siberia, por ter uma posicao estrategica no Baltico, e nao ser tao protegida por ilhas como a Finlandia.

A cidade antiga ainda tem a mesma estrutura desde sua contrucao no seculo 14, cercada por uma muralha que eh considerada a mais bem prezervada muralha medieval da Europa, e eles morrem de orgulho de sua cultura “medieval”!


Tudo que eh turistico esta ali, dentro dos 2,5 km da muralha, que fica convenientemente localizada do lado no porto, e numa posicao estrategica, em cima do morro de Toompea.

Se localizar pela cidade eh facilimo: tudo giram em torno da Raekoja Plats, que é a praca central, onde fica a prefeitura, que é a unica contrucao Gotica da Europa do Norte.

A principal atracao da cidade é a Igreja Russa Ortodoxa Alexander Nevsky, que foi contruida pra ser imponente, nos moldes da Sao Basilico em Moscow e extremamente trabalhada. A catedral foi construida apenas no seculo 19, exatamente em frente ao antifo castelo de Tallin, como uma maneira de impor respeito pelos Russos. Infelizmente o castelo nao eh aberto a visitacoes, jah que hoje em dia eh ali que funciona o Parlamente Estoniano, e sua estrutura foi totalmente modificada, restando apenas uma das torres ainda visiveis.

Ao ler um guia de viagens sobre Tallin a primeira impressao que temos eh que nao tem nada pra fazer por lah. Mas Tallinn eh o tipo de cidade onde o charme nao esta em um ou outro cartao postal, e sim na cidade em si.

Seguindo a muralha de ponta a ponta, se perdendo nas ruelas estreitas de chao de pedra, reparando nos detalhes das portas, os sinais das lojas, as galerias medievais, e as Igrejas luteranas entre casas caindo aos pedacos.

No meio da tarde, caiu um temporal!! Daqueles que mesmo com guarda guva nao dá pra fazer nada! Entao sentamos na varabda de um cafe, pedimos umas cidras de maça e lá ficamos, vendo o tempo passar.

No fim da tarde resolvemos rumar para o lado oposto da cidade, onde fica o monasterio de Santa Catarina, com seus tuneis de pedra maciça e tumulos.

A noite assumimos o cansaco da viagem que tinha comecado as 2:30 da manha (pra conseguir chegar no aeroporto a tempo do voo das 6:30 da manha!) e nos refugiamos do tempo chove nao molha num dos restaurantes mais famosos da cidade, o Olde Hansa, que se diz 100% medieval!

Lá dentro nao existe nenhuma eletricidade (nem no banheiro!), o menu traz comidas tipicas do Baltico do seculo 15 (muitas carnes de “caça” e grãos), cerveja e cidra artezanal, pão de grãos, luz de velas, garçons e garçonetes vestidos a carater e tocando estrumentos medievais, e assim que v entra, a primeira coisa que te perguntam eh se vc trouxe sua propria faca, ou se precisa emprestar uma faca da casa! Ok, Ok que pode ser um pouco cheese, mas como a cidade toda é submersa nessa onda de “medieval”, e a parada eh super bem feita vc se sente mesmo viajando no tempo!

Mais fotos de Tallin AQUI
As fotso do Aaron estao AQUI

Categorias: Estonia, Viagens
21
28
Aug
2009
Baltico
Escrito por Adriana Miller

Esse fim de semana eh feriado prolongado aqui na Inglaterra, e como eu digo em todos os feriados, tem que aproveitar! Sao tao poucos por aqui, que quando rola algum (apenas 3 por ano!) os Ingleses abandonam a ilha!

mas enfim, a medida que o mes foi avancando, e o feriado chegando perto, comecam os papos sobre oque fazer no “bank Holiday”, e claro sempre me perguntam pra onde vamos dessa vez, jah que nao deixamos passar nada em branco!

Dessa vez em especial tenho recebido as expressoes mais esdruxulas das pessoas, que realmente se espantam ao saber que vou passar o fim de semana prolongado entre a Estonia e a Finlandia, cruzando o mar Baltico de barco!

Entao, enquanto todos os Ingleses estao aproveitando as ultimas chances de sol e verao em algum resort over-priced e over-crowded an Espanha, nos estamos fugindo pela contra mao, e indo na direcao oposta da massa.

Entao dia desses, numa de seguir um link, que te leva a outro link, e depois a outro link, acabei caindo no blog do Riq Freire, que por sua vez tinha um link pro Arnaldo que falava justamente sobre isso: como surgem viagens, e a diversao que eh ir para os lugares que voce NAO precisa conhecer.

Entre todas as zilhares de dicas de viagem que recebo, quase todas sao relacioandas a lugares “calssicos” na Europa ou nos EUA: Florida, NY, Paris, Madrid, Londres e suas varientes. Se voce perguntar pra qualquer pessoa (pelo menos as que gostam de viajar) existem alguns destinos que mais ou menos fazem parte do DNA de todo viajante… Seja voce uma viciado em viagens ou nao, quem nunca sonhou em conhecer Paris? Ou Roma? Ou ver as Piramides do Egito? O Cristo Redentor? A Estatua da Liberdade?

Pode ateh ser que ao longo da sua vida vc nao tenha chances de ver todos esses lugares ao vivo e a cores, mas podemos debater que esses sao os lugares que todo mundo deveria conhecer, certo?

E eh ai que comeca o charme de conhecer as coisas que ninguem conhece. mas nao soh por simplesmente “completar o album”, mas porque na hora que vc sai do circuito das massas vc passa a ver quanta coisa legal o mundo tem pra oferecer, e nao entende porque te olham torto quando vc vai passar a lua de mel no Vietnam, ou o ultimo feriado prolongado do verao na Estonia….

Obviamente nao estou aqui re-inventando a roda, e ainda nao desbravei nenhum lugar altamente exclusivo no planeta terra. Nao sou a primeira e muito menos serei a ultima turista a ir a Tallinn, ou qualquer outro destino desconhecido (afinal a RyanAir esta aqui pra isso, neh?!)

Mas como disse o Riq Freire: “E quais são os Lugares Que Você Não Precisa Conhecer? São aqueles que não fazem parte das viagens clássicas, nem das viagens que constam do repertório da sua turma, muito menos das viagens que aparecem nos anúncios das agências de viagem nos jornais de domingo. Não, não são os primeiros lugares para onde você viaja. Mas quer saber? Depois que você começa a ir a Lugares Que Você Não Precisa Conhecer, acredite, os Lugares Que Você Precisa Conhecer ficam bem menos interessantes.”

E eh a pura verdade! Por mais que Paris seja o maximo e incomparavel, certas experiencias de vida voce soh adquire quando viaja num trem noturno cortando o deserto Marroquino ou na cacamba de um caminhao na Tailandia!

Entao Estonia e Finlandia, aqui vamos nos!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Estonia, Finlandia, Viagens
19