07 Jan 2009
2 comentários

Ko Panghan

Dicas de Viagens, Koh Phangan, Lua de mel, Tailandia

Ko Panghan foi sem duvida a decisao mais acertada ateh agora nessa viagem!
Um paraiso que teriamos desperdicado se nao fosse a confusao dos voos ha uns dias atras.

Quando ainda estavamos planejando a viagem, bateu aquela duvida de sempre, de como decidir entre varios lugares paradisiacos.
A unica que eu realmente queria ir era Ko Phi Phi, e como eh na baia de Phuket (que eu nao queria ficar de jeito nenhum!) Facilitava o resto da viagen jah que Phuket tem muitos voos internacionais.

Jah o Aaron tem varios amigos que jah foram a Ko Samui, alem de que Samui tem um aeroporto que fica a um pouco mais de uma hora de voo de Bangkok. Oque tambem facilitava. Entao meio que optamos pela praticidade da coisa, em vez de nao preocupar muito sobre o lugar em si.
Pensamos: se eh na Tailandia, soh pode ser o paraiso, certo?

Errado!

Ko Samui, assim como Phuket (que se nao me engano sao as duas maiores ilhas do pais), sao grandes o suficiente pra oferecer varas comodiades da vida moderna, como aeroportos, conecoes de transporte, uma variedade infinita de hoteis etc. Porem isso tudo tras um monte outras coisas nao tao legais como sujeira, poluicao, engarrafamento, conglomerados turisticos etc.

Descontando todo desastre do tempo ruim que pegamos, ainda assim ficamos decepcionados com Ko Samui. Ao mesmo tempo que foi bom tomar um frapuccino no Starbucks no meio da tarde em Chaweng, tambem nos fez pensar: nao foi pra isso que cruzei o mundo…

Hoteis um em cima do outro, estradas, McDonalds, vendedores ambulantes nas praias…
Isso tudo gera dinheiro e empregos pra populacao local, mas esta deixando marcas terriveis.
Ouvimos de varios amigos que Ko Samui era meio caido, perdendo o charme da Tailandia, causado pelo turismo nao planejado (que concordo em genero, numero e grau). Mas eh o tipo da coisa que pagamos pra ver.

Entao ao desembarcar em Ko Pangham, foi aquele alivio!
Apesar da ilha tambem ser bem grandinha (geograficamente falando), ela nos foi descrita como “a Tailandia de 10 anos atras”, e adorei!!
Pra comecar, pela infraestrutura. Existem pouquissimas estradas de asfalto, e a maioria das praias tem dificil acesso, por estrada de barro.
A ilha nao tem onibus nem taxi. Entao os meios de transporte sao as motos e os taxis improvisados, que na verdade sao pick ups com bancos na cacamba.
Rola a maior mafia dos taxis na ilha, entao por mais que vc tente negociar o preco de ponto A ao ponto B, nunca vai ser muito baixo, pois os motoristas tem que pagar “pedagios” para uma pessoa parada no meio da estrada recolhendo dinheiro em “sua” regiao.
Por isso tambem, todos os taxis sao coletivos. Os motoristas vao entulhando quantas pessoas e quantas malas couberem; assim o lucro deles eh maior, e o custo do turista eh mais baixo.

Outra coisa mais aparente em Ko Pangham, eh que ainda eh uma ilha de mochileiros, e bem mais jovem e descolada que Samui. Definitivamente nao foi feita pra malas de rodinhas (jah estava arrependida antes, que quando chegamos foi foi a consagracao trofeu abacaxi final!), e pra se dar bem, vc tem que estar disposto a abdicar de certas comodidades.
Entao eh raro ver familias ou pessoas que aparentam ter muito mais de 30 anos…

Logicamente a fama de festeira da ilha (que eh sede da Full Moon Party, a rave mais famosa do mundo! Perdemos a lua cheia por 3 dias…) Contribui pra atracao de gente jovem, entao agora praticamente toda semana rola uma festa da “lua” diferente…

Mas mesmo que balada nao seja sua praia, sempre tem um cantinho sossegado…
A praia que ficamos eh simplesmente indescritivel, e de uma paz e tranquilidade tremenda, mas ainda perto o suficiente do agito, caso mudassemos de ideia…!!

Muita gente que vai pra Panghan aluga motos e lambretas, achando que assim vao conseguir se locomover mais facilmente, mas as estradas sao tao precarias, que presenciamos varios acidentes, e vimos MUITA gente machucada, ralada, queimada, etc (ainda que nada serio, mas o suficiente pra estragar suas ferias).
Entao minha dica eh pensar bem onde voce que ficar e que tipo/estilo de ferias quer ter. Uma vez decidido, escolha a praia que seja a seu gosto, um hotel e fique por lah.

Recomendo (e muito) o hotel que ficamos: “CocoHut resort & spa” que fica na pontinha sul de Raad Rin, no lado oeste da penisula. A 5 minutos da agitacao, mas numa praia semi particular sensacional (a praia eh dividida com outro hotel). O CocoHut atende a todos os gostos. Tem acomodacao bem baratinha pros mochileiros, quartos normais, bungalows com vista pra montanha ou mar (ficamos num “Senior Bungalow”), e ate vilas ultra chique, na beira da areia e com piscina particular.
Isso sem falar no spa, que eh de outro mundo!!

Entao definitivamente vale a pena “gastar” 1 hora a mais da sua viagem pra ir ateh Ko Panghan. Dependendo da hora do seu voo pra Ko Samui, existem ateh transfers direto do aeroporto pra ilha, deixando a viagem ainda mais pratica.

Se sua viagem for mochilando com orcamento apartado, voce tambem pode comprar os pacotoes de “joint ticket” de Bangkok ate Panghan diretamente, ou de varios outros lugares no pais (as empresas que fazem o trajeto sao Lampraya e Songsern).

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
2 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
2 comentários
  1. Samara - 13/09/09 - 22h08

    Ois,
    Lindas fotos, amei o lugar, boas dicas, nossa, vale a pena editar um livro para levarmos em viagens e consultar sempre que possível.
    Abraços e continue postando.
    Samara Sampaio
    Teresina – Piauí – Brasil

    Responder
  2. […] com nossas fieis mochilonas em vez da costumeira mala de rodinha surgiu como trauma da viagem a Tailandia: eu achava que meu dias de mochileira jah tinham ficado pra tras em minha vida, ate que me vi […]

    Responder