05 Jul 2011
24 comentários

O Circuito dourado da Islândia

Circuito Dourado, Dicas de Viagens, Islandia

A maioria das pessoas não sabe o tanto que a Islândia tem a oferecer como destino turístico até chegarem lá – nós inclusive! – e acaba passando tempo de menos por la.

Além disso a Islandia é assim um pouco terra de ninguém, que ao mesmo tempo que torna qualquer viagenzinha de fim de semana na viagem da sua vida, também assusta o mais experientes dos viajantes – e infelizmente muita gente acaba ficando “preso” no lado oeste do pais, usando Reykjavik como base para seus passeios bate-e-volta, que dá pra fazer bastante coisa legal, mas ao mesmo tempo, limita bastante seu acesso a lado selvagem do pais.

E por isso mesmo o Ciruito Dourado da Islandia faz tanto sucesso: a poucas horas da capital, seja de carro alugado ou de onibus turistico, em apenas um diazinho você podera ver algumas das atraççes naturais mais fenomenais do planeta!

Começamos nosso dia relativamente cedo e seguimos nosso rumo pelas estradas semi deserticas do pais. Mas dispensamos a auto estrada recem construída e seguimos a dica do carinha da loja de aluguel da caravana, que quando viu nossas cameras, lentes, tripes e afins, abriu o mapa rodoviario da ilha e foi categórico: se vocês gostam de boas paisagens, nem pensem em seguir a estrada “1” – peguem o desvio e sigam pela “431”!

Não pensamos duas vezes e seguimos o conselho dele! No comando da nossa van/caravana, seguimos pela estradinha de terra e nos perdemos apenas 2 vezes… mas valeu a pena!

A caminho da primeira parada do Circuito Dourado, o parque Þingvellir, acabamos pegamos a estrada que cruza uma vale geo-termico e demos de cara com o lago de mesmo nome, que marca a entrada do parque nacional Þingvellir.

Foi nossa primeira sensação de que “Eba! Estamos na Islandia!”, porque aquilo lá, realmente não parece ser o mesmo planeta que eu e voce crescemos vendo com nossos olhos…

Uma das coisas que ficamos pensando muito durante a viagem foi sobre qual seria a impressão que extra-terrestres teriam de nosso planeta se em vez de pousarem em Nova Iorque (como acontece em 95% dos filmes que involvem alienigenas que querem aniquilar nossa espécie!) eles pousassem numa estradinha secundaria da Islandia?!

O cheio podre de enxofre, a terra fumegante, o lago sinistro e paisagem árida…

Então nossa primeira parada foi o Parque Nacional Þingvellir que é um dos principais na Islandia e tem uma caracteristica muito especial: é aqui nesse parque que é possivel visitar o Mid-Atlantic Ridge, que nada mais é doque a “fenda” na crosta terrestre onde as placas tectonicas da Europa e da America estao se separando!

Entao é possivel andar bem no meio dessa rachadura da crosta terrestre e tocar com suas proprias mãos os dois continentes ao mesmo tempo!

Geologicamente falando a Islandia é um pais novinho, um dos ultimos a serem criados no planeta (uma das ilhas que formam a Islandia só “nasceu” em 2005 numa das ultimas erupções de um vulcão sub-aquatico!), e ainda esta em fase de crescimento: a Islãndia cresce cerca de 1 centimetro por ano como consequencia do afastamento das placas – que so as mesmas placas que veem se separando ha milhoes de anos e que foram responsaveis pela separacao entre a Africa/Europa e as Americas.

Para uma nerd assumida como eu, não tem como não adorar estar ao vivo num lugar desses! E eu particularmente adoro ir a lugares que me colocam “no mapa” – naquele momento eu conseguia visualizar exatamente onde estava no planeta!

Depois seguimos a estrada que nos levou a Geysir, uma cidadezinha perdida no meio da Islandia e é conhecida por seus…. gêisers! E foi justamente o gêiser de Geysir que batisou todos os outros gêisers do mundo!

E o engraçado da Islândia é que essas coisas são tão naturais pra eles, que quando começamos a chegar perto da entrada de Geysir (ou onde achamos que teria uma entrada), voce olha pro lado e BOOOOOM! Agua fervente explodindo do chão!

Assim, na beira da estrada… É só estacionar seu carro, se agasalhar bastante e sair andando pelos geisers.

O grandão principal, o Geysir original, so explode (ou “entra em erupção”? Qual seria o termo técnico correto para o fenomeno de um geiser?) em momentos pré e pós terremotos, então ele é cuidadosamente estudado por geologistas do mundo todo, que conseguem chegar a varias conclusões sobre o humor do planeta, de acordo como ele estiver se comportanto.

Mas tem um outro bem do ladinho, que entra em erupção mais ou menos a cada 10 minutos, e as vezes a erupção pode acontecer varias vezes seguidas.

E realmente é um fenomeno da natureza!

Aquela agua azul cristalina levemente borbulhando… de repente o nivel da agua cai drasticamente, e voce se da conta que por baixo daquela agua calminha tem um buraco de profundeza inimaginável, conectando nosso mundo diretamente com as profundezas da crosta terreste… e BOOOM!!!! A agua explode com uma força e altura incriveis!!!

É hipnotizante… e o pequeno grupo de turistas que conseguia lutar contra o vento cortante, ficaram ali em volta, vidrados, esperando pela proxima explosão.

E nós ficamos, e ficamos, e ficamos… e conseguimos assistir umas 4 ou 5 explosões. São todas iguais, mas incrivelmente únicas, e igualmente fascinantes…!

A proxima parada foi a cachoeira Gullfoss, outra grande atracao do Circuito Dourado, e que eh a maior cachoeira da Islandia, em volume de agua.

Realmente a força da agua é incrivel, mas de maneira geral eu achei a experiencia “molhada” demais, ventania demais, e muito, muito frio! Mesmo no auge da alta temporada do verão, nesse dia pegamos temperaturas de 5 graus, e eu passei muito frio em Gullfoss!

Depois de Gulfoss, e já no meio da nossa tarde, nós resolvemos modificar um pouco nosso roteiro – a maioria das pessoas que faz o circuito dourado volta pra Reykjavik no fim do dia, mas nós iamos dirigir noite a dentro até o lado leste da ilha – então fizemos uma ultima parada do circuito: a cachoeira Seljalandsfoss.

Apesar de não ser tão grande nem tão impressionante quanto Gulfoss, a cachoeira Seljalandsfoss é uma única queda d’agua a cerca de 40 metros de altura, e que esconde um segredo: ela tem uma passagem por trás da cachoeira!

Essa queda d’agua – e sua passagem secreta – é cercada de historias e lendas de fadas, duendes e trolls. E com frio ou sem frio eu não resisti! Me aagasalhei inteira com minhas roupas a prova d’agua e ficar um tempão lá tras, hipnotizada com o arco iris, as gotinhas voando e o barulho da agua caindo numa força incrivel!

Não sei explicar porque gostei tanto daquela cachoeira, mas fica um tempão lá tras…. deixando a agua respingar, praticamente esperando as fadas aparecerem!

E de lá, aproveitamos os dias interminaveis da primavera da Islândia e seguimos viagem até o lado leste da Ilha…

Planejando uma viagem para a Islandia?

Aqui você encontra todas as dicas e recursos para planejar sua viagem, e podemos cuidar dos detalhes práticos para você:

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
24 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
24 comentários
  1. Cátia - 05/07/11 - 13h19

    Que lugar bárbaro! Lindo demais!

    Responder
  2. dani - 05/07/11 - 13h29

    Nossa, que lugar LINDOOOOOO!!!!! Dri, uma pergunta, vi que vc já visitou a Costa Amalfi mas há muito tempo e sem seu marido. Você já pensou em ir a Capri com ele? Eu ainda não fui, mas várias amigas foram e dizem que é lindo e super romântico, ainda mais no verão. Tão pertinho né? beijos, Dani

    Responder
    • Adriana - 05/07/11 - 13h46

      Nao, nuca pensei em voltar nao.
      Voltaria, mas nao foi o tipo de lugar qu eu gostei ao ponto de querer voltar.
      A costa Amalfi tem muito mais fama doque merece, e com tanto lugar legal na Italia e na Europa, nao escolheria Amalfi agora que ja sei oque esperar.

      Responder
      • dani - 05/07/11 - 14h56

        ah ta…to vendo um blog agora legal que está falando muito sobre este lugar. Quando tiver um tempo, entra pra ver as fotos, são fantásticas: http://www.weshareideas.com.br/checkin/1038-capri
        beijos,Dani

        Responder
        • Adriana - 05/07/11 - 14h58

          Realmente o lugar eh bonito, mas so nao acho que seja todo esse aue que as pessoas fazem sobre Amalfi nao…
          Mas se um dia voce tiver oportunidade de ir, nao perca! :-)

          Responder
  3. Karina - 05/07/11 - 14h29

    Que fantástico!! Eu também acho essas viagens “discovery channel” incríveis!! Eu visitei os geisers do deserto do Atacama, uma experiência surreal presenciar aquilo na luz do amanhecer, a gente se sente pequeno diante dessa força da natureza, não é mesmo? Aliás, recomendo muito o Atacama para voces!
    Meu próximo destino, se Deus quiser, será Galápagos, depois te conto!

    Responder
    • Adriana - 05/07/11 - 14h44

      Aaaaaaah!!!! Muita vontade de ir a Galapagos!
      O problema eh que eh longe demais pra gente, e sempre que vamos pra “essas bandas” nao tem como fazer nada na America latina sem incluir uma visita a familia no Brasil… ai ja viu… mais tempo, mais dinheiro, etc…
      Tenho TANTOS lugares da America do Sul na minha “listinha”!
      Meu sogro vai fazer um cruzeiro em Galapagos no final desse ano e eu fico soh babando nos links que ele manda… :-)

      Responder
  4. Adri Rivera - 05/07/11 - 16h14

    Acompanho diariamente seu blog, mas não sou muito de comentar… só que dessa vez não posso deixar passar: entendo bem a sensação de estar em um lugar que em nada parece com o planeta que “pensamos” conhecer. Acabei de voltar dos Lençóis Maranhenses e a paisagem por lá é, no mínimo, lunar!!! Acho que vcs adorariam… um grande abraço e parabéns pelas viagens!

    Responder
  5. ana - 05/07/11 - 18h20

    gostaria muito de conhecer!! parece super lindo!!
    vi seus posts de casamento e vc escreveu q fez o jantar do casorio com lugar marcado. deu certo? todo mundo sentou no lugar marcado? nao tem convidado q fica ofendido se vc coloca-lo perto do banheiro por exemplo??

    Responder
  6. ana - 05/07/11 - 18h21

    gostaria muito de conhecer!! parece super lindo!!
    vi seus posts de casamento e vc escreveu q fez o jantar do casorio com lugar marcado. deu certo? todo mundo sentou no lugar marcado? nao tem convidado q fica ofendido se vc coloca-lo perto do banheiro ou nao gostar por que prefere sentar com outros amigos em outra mesa?

    Responder
    • Adriana - 05/07/11 - 18h39

      No lugar onde eu fiz a festa esse isso não foi um problema, mas sinceramente, se alguem viesse relamar de uma coisa dessas comigo no dia do meu casamento (ou depois!) receberiam uma resposta a altura!
      Serio o fim da picada, né?

      Responder
  7. Gislene - 05/07/11 - 19h12

    As suas viagens estão cada vez mais encaantadoras e o seu relato no blog está digno de publicação em site especializado!!!
    Faz a gente sentir vontade de conhecer lugares que anteriormente sequer estavam na lista!!! Parabéns!!!
    Também adoro essa sensação de estar “no mapa”!! Senti isso algumas vezes e isso realmente é fascinante.
    Parabéns mais uma vez pela capacidade de nos transportar para essa viagens com vc, obrigada pela oportunidade.
    E as fotos estão fantásticas!!!
    Muito sucesso e muita saúde pra continuar nos brindando com tanta história e lugares mágicos.

    Responder
    • Adriana - 07/07/11 - 09h56

      Muito obrigada!

      Responder
  8. Talita - 05/07/11 - 21h23

    Não resistir, tinha q deixa um comentário aki.
    Sou novata aki, mas posso te dizer que em apenas 5 dias devorei todo seu blog. Apaixonante!!!!
    Suas viagens são sensacionais, e eu como leitora viajo junto, conheço lugares e locais que nem ao menos sabia q existia.
    Mas esse lugar ai que vc foi, da cachoeira, me deixou tão fascinada, talvez por eu acredita em duendes e em fadas.
    A pureza e a magia deste lugar, transborda uma energia tão positiva que me fez querer viver muitos e muitos anos nesse planeta chamado TERRA.
    Suas fotos e do seu esposo são belíssimas. Traduz toda magia, encanto do lugar.

    Adoro isso aki.
    Bjs

    Responder
    • Adriana - 07/07/11 - 09h56

      Obrigada Talita! Bem vinda!

      Responder
  9. Marta F - 05/07/11 - 22h11

    Adorei esse lugar! Tão lindo, a minha melhor amiga queria ir à Islândia também este ano mas acho que existe muitas dúvidas na cabeça das pessoas ir visitar um sitio desses…muito frio (acho..para os Portugas…lol). Bjs

    Responder
    • Adriana - 07/07/11 - 09h55

      Realmente faz muito frio, mas sabendo planejar na epoca certa, da pra aguentar! Mesmo sendo verao nos pegamos frio todos os dias, com temperaturas na casa dos 8 ou 10 graus. Que eh frio por ser verao, mas nao eh nenhuma temperatura fora do normal nao… mesmo pra Brasileiros e Portugueses! :-)

      Responder
      • Marta FG - 28/11/12 - 16h48

        Ver se é desta…estou a programar a próxima viagem à Islândia. Será que Junho é o mês ideal? Vou agora ler as suas dicas.

        Responder
        • Adriana Miller - 28/11/12 - 17h18

          Eu achei que sim – eh uma combinacao idela de quantidade de horas de luz do dia e temperaturas (mais ou menos) amenas.

          Responder
  10. Mariana - 06/07/11 - 01h46

    Dri, que viagem sensacional!!!!!!
    Acho que é a que eu mais estou gostando de ler, justamente por ser tão diferente de tudo!
    Beijos

    Responder
  11. K - 06/07/11 - 02h43

    Se não fosse vc eu ia morrer sem saber da Islândia hehehe… taí um lugar pra colocar na minha lista!
    Obrigada!
    Bjs

    Responder
  12. O sol da meia noite…. - 06/07/11 - 15h41

    […] sequencia do nosso rolé pelo Circulo Dourado (que fica na direção nordeste da Reykjavik) dirigimos na direção sul e depois seguimos na […]

    Responder
  13. hermes - 01/02/14 - 19h26

    Estou indo conferir in loco…ainda este mes, espero gostar, pois todos ficam encantados…creio que 6 dias são suficientes para se conhecer a ilha?
    Preciso comprar o voo de Londres para Reikjavik/Islandia, estou imprecionado com o valor das taxas de embarque etc. que são mais caras que a passagem?…

    Responder
    • Adriana Miller - 03/02/14 - 10h35

      Sim, 6 dias me parecem suficiente. Nao sei se voce consegue ver a ilha TODA (nos passamos 4 dias e apenas visitamos a parte sul da ilha), mas ja da pra explorar bastante.
      Mas sim, as taxas sao tao caras (ou ate mais) que o voo! (e se prepara pois a Islandia eh CARISSIMA!)

      Responder