01 Oct 2011
16 comentários

Genebra: Tour guiada na sede da ONU

Dicas de Viagens, Genebra, Suica

Na minha ultima viagem a Genebra eu finalmente tive a oportunidade de fazer uma coisa que sempre tive curiosidade: Conhecer a ONU.

Nas minhas epocas de faculdade de Economia da UERJ, meu sonho dourado era trabalhar com desenvolvimento economico internacional/turismo, e instituicoes como a ONU, organizacao mundial do turismo e organizacoes afins populavam meus sonhos.

Entao aproveitei umas horinhas livres antes do voo de volta pra Londres e fui direto pra la! As tours guiadas duram cerca de 1 hora e sem duvidas foi a relaizacao de sonho! O unico problema eh que eu sai de la com ainda mais vontade de trabalhar pra ONU!

O passeio nos levou por varias alas publicas e privadas da sede da ONU, as areas de debate, e nas salas e auditorios onde o futuro de milhoes de pessoas sao debatidos e decididos diariamente.

Engracado que ao relembrar o passeio, a impressao que tive eh que fiquei la dentro por horas e horas, pois foi realmente uma experiencia magica! Eh um lugar que transpira historia, respira relacoes internacionais e onde o mundo e todo mundo eh igual.

Nao soh por ver aquilo tudo ali pertinho (essa semana ao assistir a conferencia sobre o reconhecimento da Palestina como estado, me senti super intima do lugar!), mas principalmente por conhecer os minimos detalhes que fazem da ONU uma instituocao tao importante e bem sucedida, e que na fundo no fundo, sao a base das relacoes internacionais, e tem tudo a ver com o meu trabalho tambem.

Pra comecar pelo simbolo da ONU: sempre me pareceu obvio que o simbolo se tratava de um mapa, mas nunca reparei que eh um globo terrestre visto de cima! O principio por tras desse simbolo eh que na ONU todos os paises sao iguais e portanto num pais ou regiao deveria ficar no centro, enquanto que os outros ao redor (nos mapas mais comuns a Europa esta no centro). E a vista de cima, eh simbolica de acordo com o papel da ONU: vigiar, supervisionar, mas sem necessariamente fazer parte de pais nenhum, nem governo nenhum.

Alem disso, nesse mapa-ONU, todos os paises e territorios do mundo estao incluidos, e nao apenas os paises membros. O fato de um pais nao ser membro da ONU, tambem nao o confere maior ou menor importancia perante os direitos da humaniade.

E esse eh a vertebra central da ONU: ser mediadora em prol da humanidade. Paises, governos e religioes nao importam – sua principal causa sao os seres humanos.

A guia tambem nos explicou as “tecnicas” de diplomacia local – como as posicoes dos paises em cada reuniao eh “sorteada” alfabeticamente, sempre em Frances ou Ingles (as duas linguas oficiais da ONU), entao assim paises que as vezes sentariam la no fundo do salao, na reuniao seguinte sentam la na frente. Enquanto que simultaneamente eles tem um processo paralelo, que faz um rodizio entre os paises que comecam sempre com a mesma letra, como eh o caso do Brasil por exemplo (Bresil em Frances, e Brazil em Ingles – mas sempre com a letra B).

Ale disso, TODAS as salas e auditorios tem duas entradas separadas, assim os paises inimigos pode se evitar, e seus representantes podem entrar e sair por direcoes opostas.

O Auditorio que eu mais gostei (foi de dar arrepio!) foi o auditorio dedicado exclusivamente a discussoes relacionadas a armas e desarmamento.

Alem de ser um auditorio lindo, todo pintado retratando a relacao da humanidade com as armas e as mazelas causadas pelas guerras, esse eh uma area que tem regras super especificas.

Pra comecar que nem todos os paises membros (193, mas podem virar 194 dependendo doque eh decidido em relacao a Palestina) sao parte do comite anti-belico da ONU (apenas 166), e esse eh o unico comite onde TODAS as decisoes devem ser 100% unanimes. Mesmo que apenas 1 pais seja contra uma acao ou nao concorde com a recomendacao contra os outros 165, a decisao de torna nula, e os paises membros devem reiniciar seus argumentos.

A discussao do momento eh em relacao a armas nucleares e biologicas, e o mundo ainda na chegou a uma conclusao. A ultima discussao bem sucedida resultou no banimento de armas quimicas em guerras – e a ONU levou 4 anos mediando esse papo, ate todos os paises envolvidos entrarem num comum acordo.

Segundo a guia, o motivo para essa regra eh bem simples: a ONU nao cria leis nem impoe regras, afinal eles nao sao um orgao governamental. Eles apenas atuam como um forum igualitario que facilita a conversa entre as nacoes. Decisoes e regras tomadas de comum acordo pode entao ser impostas a outros paises, mas cabe a cada governo decidir de tal regra sera aplicada ou nao.

Exemplos recentes sao as revolucoes e motins que estao acontecendo no Oriente Medio, onde governos nao cumpriram os principios basicos de direitos humanos, que resultou na expulsao da Libia do comite de Direitos Humanos por exemplo. Durante a minha tour, alguns auditorios estavam fechados devido ao debate sobre a situacao na Siria.

Nao me canso de repetir como esse passeio foi legal! Pode soar bem chato pra muita gente, mas se voce tem qualquer afinidade por historia e sociologia, esse passeio eh imperdivel! E agora fiquei com vontade de fazer tambem a tour da ONU de Nova Iorque!

As tours guiadas acontecem diariamente entre as 10:30 e as 17:00, com guias em Ingles, Espanhol e Alemao (durante o verao, mais linguas estao disponiveis), com passeios comecando a cada 20 minutos. Nos meses de baixa temporada (inverno) as tours acontecem apenas a cada hora, e geralmente soh em Ingles.

 

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
16 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
16 comentários
  1. Sara - 01/10/11 - 19h18

    Não sei se os interesses e o “ter jeito” nasce com a pessoa ou não e de alguma forma, eu sempre tive mais jeito e afinidade com as artes. Não propriamente a Arte (pintura, escultura e assim que eu quase detesto) mas a arte cinematográfica, o design, etc… E por isso decidi estudar Design do Produto.
    Já acabei a minha licenciatura e ainda não sei se é mesmo design que eu quero fazer para o resto da vida. É meio frustrante… Ainda por cima porque eu sou uma pessoa que gosta de muita coisa e quer fazer tudo ao mesmo tempo. Já quis ser tanta coisa na vida…E é certo que as relações internacionais é qualquer coisa que me tira o fôlego e que eu realmente (também) gostava de fazer. E esse é um dos motivos por que eu adoro ler este blog, porque aqui as coisas parecem tão mais fáceis, tão mais animadoras…
    Voltar a estudar e licenciar-me em Relações Internacionais é uma opção aberta para mim mas depois eu penso que não tenho o MENOR jeito com números e contas e tudo que envolta equações numéricas. O menor mesmo, sempre fui uma nódoa a matemática e a calculadora é a minha melhor amiga. Mas de facto, alicia-me MUITO poder trabalhar e ter essa relação com varios países, com outras culturas, outras línguas e ao mesmo tempo poder contribuir com algo de bom para o Mundo, para que a Humanidade se possa aceitar mutuamente.
    Tudo isto para dizer que eu compreendo bem esse seu sonho e espero que um dia eu possa fazer essa visita também.

    Responder
  2. Cassia Santana - 01/10/11 - 20h50

    Adriana, show de bola !!! Gostaria muito de conhecer também, uma pergunta curiosa: esse tour é cobrado ??

    Responder
    • Adriana Miller - 01/10/11 - 20h52

      Sim, claro! Se não me engano custa 20 Francos Suíços, que da cerca de 15 Euros.

      Responder
  3. Carolina - 01/10/11 - 22h13

    Sara, o curso de Relacoes Internacionais eh muitas vezes confundido com o de Comercio Exterior, particularmente no Brasil. Acho que voce esta fazendo a mesma confusao e perdendo um tempao da tua vida! Comece logo a estudar RI, te garanto que eh um curso maravilhoso, relativamente novo e abrangente! :)
    Dri, tudo de bom esse post!!! O que pode soar chato pros outros, como voce disse, eh o que da sentindo a minha vida! Curti demais!!!
    Beijo!

    Responder
  4. Carol - 01/10/11 - 23h13

    Adri,

    amei o post!!!! Eu fiz a visita guiada de NY e fiquei apaixonada!!! É extremamente impressionante!!!!
    Bjs bjs

    Responder
  5. Sara - 02/10/11 - 14h45

    Carolina, eu até acredito que muita gente confunda um curso com o outro. No brasil não sei como funciona mas em Portugal nem tão pouco conheço cursos/formações específicos para Comércio Exterior e não é disso que eu gosto, é mesmo de Relações Internacionais. Tenho pessoas na família que frequentaram esse curso e sei mais ou menos o conteúdo e mesmo não lidando com comércio, é sempre necessário ter uma noção de gestão e contas porque tem disciplinas como “Princípios de Economia”, “Comércio Internacional”, “Estatística Aplicada”, “Economia Política Internacional”, entre outras… E eu sou uma nódoa! Ainda assim, estou muito tentada a fazer o curso…embora não tenha nada a ver com Design, mas um dia posso acabar até por precisar e conjugar os dois. O pior é que eu acabei de me licenciar e está na hora de arranjar um trabalho. Nem sei muito bem o que fazer da vida…

    Obrigada pela dica! :)

    Responder
  6. Letícia R. - 02/10/11 - 23h16

    Te vejo trabalhando na ONU fácil! ;)

    Responder
  7. Lia - 03/10/11 - 11h29

    Oi! Quero muito ir. As visitas sao pagas? quanto? obrigada

    Responder
    • Adriana Miller - 03/10/11 - 11h41

      Sim, sao pagas. Se me lembro bem, custam cerca de 20 Francos – as informacoes sobre precos e horarios estao no site deles.

      Responder
  8. Isabel Moura - 03/10/11 - 12h07

    Eu fiz o tal tour em NYC e tb me senti assim…pequenina frente ao lugar, ao símbolo…ao espaço onde se tomam decisões tão importantes para o mundo inteiro.
    (Engraçado, tb explicaram a distribução dos lugares e o facto de rodarem…será q todo o discurso do guia é o mesmo?:))

    Responder
    • Adriana Miller - 03/10/11 - 12h57

      Eu acho eh que o principio e as regras da ONU sao iguais no mundo todo, entao independente da localizacao do predio (suica ou NY), as regrinhas basicas (e logo, o discurso dos guias) sera sempre o mesmo.

      Responder
  9. Luisa - 03/10/11 - 15h09

    Gostei muito do post. Esse é um passeio que ainda quero fazer. Sempre participei das simulações da ONU na universidade e trabalhar na ONU ainda é um sonho.

    Responder
  10. Márcia Abrantes - 04/10/11 - 20h06

    Muito legal!!! Eu tbm nunca tinha reparado que o símbolo da ONU é um globo visto de cima.

    Responder
  11. […] LINK 87. @contandoashoras | genebra | LINK 88. @drimiller | genebra: tour guiada na sede da onu | LINK 89. @drimiller | genebra | LINK 90. @karlinhage | genebra | LINK 91. @lianasos | genebra | LINK […]

    Responder
  12. Bianca Abreu - 28/05/13 - 15h28

    Parabéns pelo blog tão diversificado e detalhado. Também adoro viajar e vou usar bastante suas dicas no futuro. Como moro em Genebra e trabalho na Missão do Brasil junto à ONU, fiquei curiosa pra ver sua experiência por aqui. Só queria fazer umas correções em relação à parte de desarmamento, tema árido com o qual trabalho. O nome do forum é Comissão do Desarmamento e ele só tem 65 membros. Aqui, ja foram negociadas as Convenções de Proibição das Armas Químicas, como vc falou, mas também da Armas Biológicas. A CPAB existe desde os anos 70s… O que realmente nunca andou foi a proibição das armas nucleares. E como vc disse bem, como todas as decisões têm que ser por consenso, fica difícil de convencer todos os nove países nucleares a se livrarem de seus “brinquedinhos”… É isso. Obrigada pela atenção e pelo blog!

    Responder
  13. […] de trem (com várias opções de trams e trens para o aeroporto, ou atrações como a sede da ONU ou a […]

    Responder