20
May
2013
Viajando de avião com bebê (2 a 4 mêses)
Escrito por Adriana Miller

Antes mesmo da Isabella nascer nós já sabíamos que viajaríamos com ela desde cedo. E não é só por causa dessa coisa de “viciados em viajar” não. Filhos de expatriados é assim mesmo, e seja você um amante das viagens ou não, não tem medo nem insegurança de viajar com crianças que vai te impedir de apresentar seu(s) filho(s) para sua família e cultura!

Então a primeira coisa que fizemos quando ela nasceu foi marcar as passagens para nossa primeira viagem, para o Colorado, nos EUA, para visitar a família do Aaron. Fomos pra lá primeiro pois podíamos combinar uma viagem a trabalho do Aaron, com o final da temporada de esqui com uma abundância de babysitters!

Esse post será uma série de muitos outros, pois acredito que cada fase da vida de uma criança demanda estilos de viagem e preparações de viagem diferentes – então vou escrever com um misto de “dicas” e experiência pessoal, que tenho certeza absoluta vai mudar e evoluir ao longo dos meses e anos, com muitos erros e acertos – nem tudo vai ser útil para todas as crianças e famílias, mas de post em post a gente chega lá!

 – Planejamento pré nascimento:

Como comentei acima, nós sabíamos que essa viagem ia acontecer mais ou menos nessa fase de Março/Abril, mas preferimos não marcar nem reservar nada antes dela nascer. A data prevista de nascimento era dia 9 de Janeiro (e acabou sendo dia 10!), o que fez com que essa viagem fosse super em cima da hora para nossos padrões de planejamento (geralmente planejo viagens com cerca de 4 a 6 meses de antecedência!).

Mas optamos por fazer assim pois o nascimento de um bebê realmente é uma surpresa. Afinal, e se o nascimento for adiantado? E se atrasar? E se tivermos complicações com ela? E se eu acabasse tendo que fazer uma cesárea de emergência que atrapalhasse minha recuperação?

E se ela fosse um bebê reclamão? Ou tivesse muitas cólicas? Ou se acabássemos sendo pais muito mais neuróticos do que jamais imaginamos?!

Ou seja, são muitas incertezas, e preferimos não marcar nem confirmar nada até que ela estivesse em nossos braços, com a certeza de que ela era saudável e que nós aguentaríamos a pressão de sermos pais de primeira viagem!

- A reserva:

Crianças de até 2 anos não pagam passagem inteira de avião se viajarem no colo dos pais, mas essa é uma regra que muda de companhia pra cia aérea. Algumas cobram 10% do valor da passagem , outras cobram apenas as taxas de embarque. Então vale a pena fazer uma pesquisa de mercado e comprar o preço final das passagens da família: por exemplo, as vezes a passagem dos “adultos” é mais barata na cia X, mas o bebê paga uma taxa mais alta, enquanto que na Cia Y a passagem adulta é mais cara, mas a do bebê mais barata, dando um total mais em conta.

Outro ponto que levamos em consideração foi a comparação voo direto Vs voo com escalas, e acabamos preferindo pagar a mais pela segurança (e nosso medo inicial!) e não ter que lidar com conexões, troca de aviões, potenciais atrasos, perda de bagagem etc.

No final das contas, voamos direto Londres-Denver de British Airways pelo mesmo preço que sairia um voo com conexões e ligeiramente mais barato por adulto!

- Escolha de Assento:

Na verdade isso ainda esta relacionado ao item “Reserva”, mas considero tão importante que merece um destaque: ao reservar sua passagem já reserve logo sua poltrona nas fileiras frontais do avião, onde o espaço para pernas é maior e onde é possível colocar um bercinho para o bebê.

Screen Shot 2013-04-28 at 15.41.10

Muitas cias aéreas estão fazendo a sacanagem de cobrar uma taxa para reserva de assento adiantado – meu conselho? Pague!!

Geralmente a taxa não é muito alta, e pelo menos te dá a paz de saber que tanto você quanto seu bebê viajará confortavelmente!

Tecnicamente esses assentos frontais são mesmo reservados para pais com crianças de colo, então você pode arrsicar e deixar pra reservar seu assento na hora do check in, e provavelmente você irá consegui-lo sem problemas. Mas vai que não?

Afinal muitas cias aproveitam o espaço extra nessas fileiras para cobrarem a mais de passageiros em busca de mais conforto (e se alguém já pagou a mais pra sentar lá, eles não vão muda-lo de assento só pra acomodar o seu bebê), ou então o voo pode estar cheio de familias e simplesmente não ter espaço extra!

Na volta de Denver a Isabella era o único bebê no voo, mas na volta do Brasil eram inúmeras famílias com crianças e bebes de todas as idades, e portanto todas fileiras frontais estavam ocupadas! Quem não reservou com antecedência, dançou… (ou pior, passou 11 horas com um bebê no colo!).

Se seu bebê já é maior do que o permitido pelo bercinho do avião (a comissária da BA não soube me informar o limite de peso, mas diria que só bebês até uns 6 ou 8 meses caberiam confortavelmente), algumas cias aéreas também oferecem um bebê conforto, que acomoda bebês maiores, que pode ser encaixado na mesma “bandeja” onde vai o bercinho, e assim nem os pais nem o bebê dormem desconfortáveis.

E por fim, uma dica que uma amiga me deu em relação a esse bercinho: os aviões internacionais tem espaço para cerca de 10 berços (as tais “bandejas”), mas dentro do avião geralmente só tem alguns poucos berços. Se o voo vier vazio, ótimo. Mas se o avião for grande e o voo lotado, mesmo que você esteja no assento correto, pode acabar sem o berço. Então a dica da amiga foi pedir o berço ASSIM que entrar no avião – e foi exatamente o que fiz em todos os voos que peguei com a Isabella (a minha amiga aprendeu essa “dica” depois que uma comissária explicou que não tinha berço pro filho dela pois ela não pediu primeiro…).

O bercinho tem um forro e é até bem confortável, mas não esqueça de levar umas mantas e cobertores a mais, para deixar a “caixa” mais quentinha e aconchegante.

 – Alimentação:

Se você viaja ainda amamentando, isso talvez não seja tão relevante, mas mesmo nos primeiros voos com a Isabella, eu levei uma caixinhas extras de fórmula pronta e um potinho com leite em pó para emergências.

E dito e feito: como a bichinha sentiu fome no voo!!

Talvez seja a altitude, ou quem sabe o ar mais seco… ou até mesmo a mudança na rotina. Mas em todos os voos longos que fizemos até hoje ela acabou mamando MUITO mais, e se não fosse o leite extra, estaríamos perdidos!

- O “equipamento”!

Em todos esses voos nós levamos MUITA coisa extra!

Olha, é um saco mesmo, e essa é um aspecto de ter filhos que eu acho que nunca vou me acostumar: a quantidade de tralha que temos que carregar!

No total foram 4 mudas extra de roupas para ela e mais uma pra mim. Na ida pros EUA ela usou 3 das 5 mudas de roupa. Já na ida pro Brail ela usou TODAS as mudas de roupa que levei…

(Dica: Coloque cada muda de roupa já separada dentro de um saquinho de plástico num compartimento separado na bolsa de fralda – assim, cada vez que você precisar alcançar uma nova troca de roupa, basta puxar um conjunto completo (body, pijama, meias, etc) e depois já colocar a roupa suja dentro do mesmo saco, pra não ficar com cheiro nem sujar as outras coisas dentro da bolsa)

Talvez seja a quantidade maior de leite, ou a pressão do avião, ou seja lá o que for – mas ela bateu todos os recordes de fraldas explosivas de sua vida!! (os voos diurnos foram MUITO piores que os noturnos, já que ela já dorme a noite toda e portanto produz menos conteúdo para suas fraldas!).

Então as roupas, cobertores, mamadeiras, chupetas etc extras foram divididas entre uma bolsa de fralda (que fica mais fácil de acessar) e a mala de mão (para momentos de desespero, ou se sua bagagem for extraviada, ou o voo atrasar e afins).

Comigo, só uma micro bolsa, de cruzar no corpo, com nossos passaportes, celular e o mínimo indispensável.

Todo os resto (laptop, iPad, câmeras, objetos de valor, líquidos, cabos de eletrônicos e afins) vão na mala de mão.

Se seu bebê já tem idade para se entreter com brinquedinhos, leve alguma coisa que vá ajudar a passar o tempo (na viagem para os EUA, com dois meses e meio ela não reconhecia nem se animava com nenhum brinquedo. Ja na viagem pro Brasil, com 3,5 ela já tinha seu bonequinho preferido, que curou qualquer encheção de saco e tédio!). mas cuidado pra não ser alguma coisa barulhenta que vá incomodar nem irritar os outros passageiros!

- Embarque e desembarque:

Na hora do check in confira se sua cia aérea e o aeroporto de partida e chegada, permitem que você leve seu carrinho até a porta da aeronave.

A maioria dos aeroportos internacionais de médio/grande porte aceitam – mas vale perguntar antes, pra você se planejar bem!

Nos voos para os EUA, onde viajei com o Aaron, nós optamos levar o carrinho até a porta do avião. É super cômodo, vc não precisa ficar carregando o bebê no colo por horas enquanto espera o voo, eles ficam mais confortáveis, vendo o mundo passar, dormindo e tal. Ai na hora de entrar no avião, é só desmontar seu carrinho, entregar para o funcionário da cia aerea e pronto. Quando você chegar ao seu destino final, ele estará te esperando mais uma vez na porta do avião.

Porém… nem sempre isso é vantagem!

Nos dois voos que fiz sozinha com a Isabella (sem o Aaron), preferi despachar o carrinho junto com as malas, justamente por ser mais tralha pra carregar!

Ela foi no Canguru (uso da marca Baby Bjorn) e assim fiquei sempre com as duas mãos livres para carregar a mala de mão, bolsa de fraldas, pegar passaporte/passagem na bolsa e o que mais fosse preciso.

Se você decidir despachar o carrinho com sua bagagem, lembre-se de embala-lo bem, para evitar danos e perdas durante o manuseio do carrinho. Algumas marcas de carrinho vendem uma “mala” específica pra levar o carrinho, mas eu achei desnecessário, e simplesmente coloquei aqueles plásticos de embalar mala no aeroporto mesmo (em Londres custou 8 Libras e no Galeão 35 Reais).

Todo bebê tem direito a uma mala despachada MAIS um carrinho MAIS uma cadeirinha de carro! (a não ser que você esteja voando low cost, onde precisará pagar extra por todos esses itens…)

- Pouso e decolagem (e turbulência):

Mesmo com o bercinho do avião ou com o canguru, na hora do avião subir ou descer, ou quando o sinal de cinto de segurança acende durante turbulências, você tem que tirar o bebê de onde estiver e colocar no seu colo com o cintinho especial para crianças.

Eu questionei em todos os voos se não poderia decolar/pousar com ela no canguru (principalmente quando ela estava dormindo), pois não só é mais confortável, é também muito mais seguro. Mas não. A regra é clara, e você sempre tem que colocar o bebê no cinto de segurança, pois só assim a cia aérea poderá se responsabilizar por acidentes.

E caso o bebê esteja no bercinho durante o voo, como o berço não tem nenhum tipo de proteção nem cinto de segurança, o bebe também tem que ir pro colo, pois caso haja uma queda de altitude, eles podem voar longe!

Ainda no tema pouso e decolagem, temos também o problema de pressão dos ouvidos dos bebês!

O que todo mundo sempre recomenda (e deu super certo pra gente!) é sempre amamentar/dar mamadeira/chupeta pro bebê nessas horas.

Então as horas pré voo tiveram uma precisão astro-física de calculo de sonecas e amamentação, para que eles coincidissem com os momentos de decolagem e pouso.

Eu sofro bastante com pressão nos ouvidos, então esta preocupada com isso, mas a Isabella não se afetou muito…. Em todas as decolagens consegui coincidir com mamadas, mas nos pousos não! Tentei insistir ou colocar chupeta, que deu certo algumas vezes, outras não, mas como ela não reclamou de dor de ouvido, não me preocupei muito. E em todas as vezes, o chacoalhar do avião na subida e descida fizeram ela dormir rapidinho (mesmo fora de hora – nisso ela puxou a mãe!), o que foi ótimo!

- Trocando o bebê no avião:

E já que eu falei em conteúdo de fraldas explosivas aí em cima, com certeza em algum momento de um voo longo você terá que trocar a fralda de seu bebê no avião!

Não é um bicho de 7 cabeças, já que todos os banheiros do avião tem uma mesinha “fraldário”.

O que eu levei (não só pra viagens, mas é o que levo sempre na bolsa de fraldas da Isabella) é um necessaire específico com tudo que preciso pra trocar a fralda dela sem ter que carregar a malona toda junto.

Nesse necessaire tenho sempre 2 fraldas (porque acidentes acontecem!), um pacote de lencinhos, sacos de lixo (pra não deixar a fralda pra trás fedendo o banheiro todo!) e um trocador descartável (porque além de que esses fraldários públicos geralmente são sujos, não tem nada pior do que ter que limpar seu trocador portátil de plástico num banheiro publico/minúsculo quando um acidente de fato acontece! Com os trocadores descartáveis, o que sujar, vai direto pro lixo!).

 

Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, 34 anos, Carioca. Economista e profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Baby Everywhere, Viajando com crianças
96

96 Comentários em:
"Viajando de avião com bebê (2 a 4 mêses)"

  1. Carol G - 20/05/2013

    Muito completo o post, Dri! As mamães ficarão contentes. Eu que não sou mãe li tudo e adorei. Muito útil.

    Agora, vamos combinar, a Isabella é uma viajante nata! Super comportada. (E linda demais! Amei a foto de vocês no banheiro! haha)

    Beijos

  2. Roberta - 20/05/2013

    Oi Dri, maravilhoso e esclarecedor seu relato sobre viajar de avião com bebê! amei! obrigada por compartilhar com todas nós. Foi hilário sua descrição “recorde de fraldas explosivas”, ótimo senso de humor.. adoro!
    A Isabella é linda! Parabéns!

  3. Fernanda - 20/05/2013

    Muito bom o teu guia, Dri. A minha pequena (5 meses dia 22) fez seu sexto voo no domingo. Em todos eles eu despachei o carrinho junto com as malas e levei-a no baby bjorn. O que achei chato foi que alguns aeroportos pediram para tirá-la do canguro na hora do raio-x, o que foi bem ruim quando ela estava dormindo. Eu nao notei nenhuma diferença na alimentação, mas quanto às fraldas… Bem, é uma experiência inenarrável, especialmente durante uma turbulência. Abraços, Fernanda.

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Pois é, mas o único lugar que me pediram pra tirar ela do Baby Bjorn (mesmo dormindo!) foi no Brasil… na Inglaterra e EUA pude deixar ela em paz, e só me avisaram que se eu apitasse, teria que passar de novo, sem o canguru – mas como o meu baby bjorn não tem peças em metal (já pensando nisso), nunca tive problemas com detector de metais.

  4. Inês Miranda - 20/05/2013

    Fiquei exausta só de ouvir sua descrição. É bem difícil, hein?

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      SAbe que não?!
      Achei muito mais simples e fácil do que imaginava!

  5. Renata - 20/05/2013

    Perfeito!!! Só queria acrescentar que, no caso da TAM, o bercinho tem que ser reservado com antecedência em viagens internacionais, pois cobram uma taxa (para executiva e primeira classe o bercinho é gratuito, mas não dispensa a reserva por causa do número limitado de berços a bordo). A reserva pode ser feita pelo site, telefone ou até mesmo no balcão na hora do check in. E o berço aguenta bebês de até 11kg e 76cm.

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Ótima dica! Dessa não sabia!

  6. Juliana P. Galvao - 20/05/2013

    Nossa Dri

    Quanta coisa… quantos detalhes… Mas são dicas ótimas! Não tenho filhos ainda, mas quando tiver, este post será importantíssimo.

    Mas diz ai, vc conseguia relaxar (dormir) durante o voo?

    Afinal, são tantas as preocupações com o baby…

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Ah, acho que dormir mesmo, mesmo sem a Isabella nunca consegui ter uma noite “relaxada” num avião…! Então pra falar a verdade acho que não mudou muito nao.

  7. Juliana P. Galvao - 20/05/2013

    Ah, outra duvida?

    O pediatra dela pediu p/ vcs esperarem por algum tempo para que vcs pudessem começar a viajar com ela???

    Teve alguma orientação por parte do pediatra?

    Bjs

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Sabe que eu nunca nem perguntei?
      Mencionei que íamos viajar, e até pedi pra ela tomar a vacina BCG antes do prazo, pois queria que ela fosse vacinada antes de ir pro Brasil, e isso nunca me pareceu um problema, nem os médicos e enfermeiras nunca disseram nada.
      Além disso, conheço vários outros filhos de expatriados que fizeram suas primeiras viagens nas primeiras semanas de vida, então viajar com ela aos 2,5 meses nunca nem me soou algo como que precisasse da “aprovação” do pediatra.
      No geral as pessoas (médicos inclusive) são muito mais liberais e menos frescos com essas coisas. Não existe dessa de não poder sair de casa com bebê até 1 mes completo (muito pelo contrario! Eles incentivam que a mae saia de casa com o bebê ainda nos primeiros dias de vida!), nem ficar esterelizando tudo até quase 1 ano de vida… entre muitas outras coisas.

  8. Sara - 21/05/2013

    Ahaha a Bella até já ri para a foto e tudo! :D
    Bom, filhos não vou ter tão cedo mas devo confessar que até a mim as dicas me parecem ultra úteis e bem estruturadas. Thumbs up! :D
    Mas ao ler o post, surgiu-me uma duvida que na verdade ja anda a matutar a minha cabeça há muito. Eu quando vejo as fotos aqui de viagens fico sempre com a sensação que independentemente de levares (olha o esforço no Portugues de Portugal! :D) mala de porão ou não, levas uma mala de mão e ainda a tua bolsa normal, certo!? Ou não!?
    Porque supostamente as companhias so aceitam uma mala de mao. Eu fico a pensar como é que esse sistema funciona porque a mim dava-me imenso jeito levar a minha bolsa no ombro mas normalmente nao deixam ou entao tem que se pagar mala extra.

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Oi Sara,
      Isso só é possível em cias aereas convencionais, que ainda deixam o passageiro despachar uma mala e ainda levar mala de mão + bolsa (nesse caso voamos de British Airways).
      Se fosse uma cia de Low Cost (tipo Easyjet ou Ryanair), ai sim só poderíamos levar uma única peça conosco no avião, a não ser que pagássemos a mais pra despachar uma bagagem.

      • Sara - 21/05/2013

        É, em low cost eu sei que não pode mas como vou viajar para Londres pela TAP, fiquei na dúvida até porque no site apenas falam da mala de mão mesmo.

        • Adriana Miller - 21/05/2013

          Bem, hoje em dia tanto TAP quanto Iberia estao mais pra low cost… entao melhor verificar mesmo…

        • Joana - 22/05/2013

          Sara, eu já viajei muito de TAP (entre rio e Lisboa), e sempre passei muito bem com mala de mão e mais uma bolsa.

  9. Juliana - 21/05/2013

    Dri, muito legal esse post.

    Acho que seria super util tambem se vc contasse como é para sair em Londres com um bebe pequeno: escadas nas estacoes de trem c. o carrinho, amamentacao em publico, onde trocar a fralda no pub, etc … mesmo nos passeios que vc fez (museus, etc), tem lugar prá amamentar e trocar fralda ?

    eu vi que desde que sua filha e bem pequenina vcs jantaram fora com ela, foram a pubs e tal, mas eu fiquei super curiosa: tem lugar prá trocar a fralda ? E como fica para amamentar nesses lugares? eu morei na Holanda,e lá não tinha espaço prá nada nos restaurantes e bares, fora que ninguém leva bebe. Vcs não tiveram problemas no caso dela chorar no restaurante (cara feia dos outros clientes?)? E a noite, como faz ? (meus filhos iam dormir super cedo,e então eu não tinha como sair de casa prá jantar fora).

    Acho que se vc fizer um post sobre esses detalhes (que preocupam quem tem baby), seria super útil.

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Já estou preparando um post! :-)

    • Luciana Rodrigues - 21/05/2013

      Juliana, eu já enfrentei “cara feia” de outros clientes, mas, quer saber, hoje em dia faço de conta que não é comigo.

  10. Luciana Rodrigues - 21/05/2013

    Nossa experiência viajando com a nossa filha também foi muita boa. As primeiras viagens foram de carro, mas a partir dos 6 meses ela já estava viajando de avião. E viajar durante a noite foi um ótimo diferencial: o voo saia de Roma às 23h. Quando decolamos ela já estava dormindo!

  11. Josi - 21/05/2013

    Hi Dri!

    Vou te contar que do post inteirinho a dica que achei mais genial (é uma coisa simples como tudo que é genial hahahaha) é a de montar pares de roupinha e embalar em plasticos separados! Ja copie e colei, achei super!

    Muito Obrigada!

    Josi

  12. Rhaniele - 21/05/2013

    Maravilhoso esse post, Dri! Cheio de dicas incríveis para as mães de primeira viagem…
    Meu bebê é para agosto e eu estou na mesma, só marcarei as passagens para o Brasil depois que ele nascer e tiver com o passaporte dele na mão. Se tudo der certo, em dezembro estou indo ao Brasil e, provavelmente, voltarei de lá sozinha, e já estou aqui lendo tudo que posso sobre como viajar com bebês, as documentações necessárias, etc!!!

  13. Karine Porto - 21/05/2013

    Dri, que post maravilhoso!!! Super completo e detalhado. Se até eu, que não tenho filho, fiquei presa aos detalhes, imagina uma mãe desesperada preparando uma viagem? Deve ser um alento e tanto ter um “manual” como esse!!
    Parabéns mesmo! Fica clara a sua dedicação as suas bloguetes!rs E a Bella, que lady mais gostosa!!! Já quero ter uma Isabella pra mim! :)
    Beijos

  14. Cris - 21/05/2013

    Nossa, como vc é inteligente! Adorei o post, principalmente pela sua observação de saber que com bebês e crianças as coisas vão sempre mudando. E a gente vai se adaptando cada vez mais rápido, viu, pode ter certeza. Algumas coisas ficam mais faceis, outras mais dificies, mas no geral vai tudo melhorando porque a gente vai perdendo o medo. Viajo com meu filho desde os 2 meses de idade, com muita frequencia, e assino em baixo nas suas dicas.
    Essa do saquinho para cada muda de roupa é uma das melhores dicas, minha irma quem me disse, e separo todas as roupas do meu filho assim ate hj, com 2 anos. Arrumo a mala dele rapidinho porque as roupinhas ja estao todas combinadas e ensacadas.
    Uma dica para quando o bebe ja esta grande/pesado para o bercinho, mas ainda esta no colo é nao sentar nas poltronas da frente de jeito nenhum!! Nessas poltronas o braço da cadeira geralmente nao levanta , e nao tem como deita-lo de uma poltrona para a outra (cabeca nas suas pernas e o corpo no pai/outra poltrona vazia)! Fora que esses assentos sao sempre os mais lotados…
    Entao, depois que nao couber mais no bercinho, o bom mesmo eh perguntar no check in onde tem mais algum lugar vazio na cara de pau mesmo. Porque esse espaco maior para as pernas das primeiras fileiras (que pode ate ter custado mais em algumas companhias), nao vai compensar nao poder deitar o bebe direito o voo inteiro.

  15. Fabiane - 21/05/2013

    Adriana,
    sou uma viciada em viajar também, mas não viajo 1/10 do que você viaja. E mesmo assim, já penso nesta situação de como é viajar com crianças. E vendo você viajar com a Isabella muuuuuuuuuuito me conforta. Pois planejo filhos ara logo.
    Dicas super bacanas e uteis!
    Obs.: amei a foto do espelho com a Isabella, vc fazendo sorrisão e ela delirando com a “bagunça” da mãe. Perfeito!
    Beijos,

  16. Amanda Roth - 21/05/2013

    Dri!
    não sou casada, nem tenho filhos mas adorei o relato!!! Sempre tive curiosidade na logística e achava que quem viajava sozinha com um bebê era uma heroína!!! hehehe
    Apesar de tu dizeres que não, eu te acho mega-hiper organizada. Várias dicas tuas de coisas de casa ou de viagens eu já “copiei”.
    Agora eu tenho uma curiosidade, para ir ao banheiro durante o voo tu deixavas a Bellinha na caminha? Avisava a aeromoça?
    P.S.: tb adorei a foto de vcs duas no espelho, como ela está fofa…bem faceira!!!
    Bjks!!

  17. Nathalia T. - 21/05/2013

    Dri,

    Não tenho filhos e não vou ter tão cedo, mas AMEI esse post! hahahahah Que coisa engraçada né!?
    Bella é uma fofa e vocês fazem muitíssimo bem de colocarem ela no ritmo da familia desde cedo.

    Beijos

  18. Mi Reiser - 21/05/2013

    Dri, amei o post, sempre acompanho o blog, mais dificilmente comento, mais esse post ficou divino, tb tenho uma bebe de 3 meses e foi essencial suas dicas, parabéns que vc continue escrevendo cada vez mais pois me enche de alegrias ler cada linha!! Podia escrever um post como é a vida “social” em Londres com para baby!!
    Beijos =)

  19. Aline - 21/05/2013

    Nossa Dri, a maternidade é realmente um “mundo paralelo”. Ainda não chegou a minha vez mas as dicas estão anotadas!Apesar de viajar constantemente eu nunca parei para pensar nessa logística de viajar com bebês. Sei que com o passar do tempo a gente tira de letra pois vai se acostumando com a rotina dos babies. Mas eu ia morrer sem saber que existia cinto de segurança para bebês… nunca prestei atenção mesmo!!! Eu confesso que me dava um friozinho na barriga quando me imagino trocando fraldas “na rua” (e sei que é uma bobagem) e ainda morro de medo de não saber como me virar em situações “críticas” em locais públicos com um bebê, rsrs. Certa vez fiz um vôo de mais de 10 horas e tinha um bebê que chorou a noite inteira!!!! Eu só pensava na pobre mãe desesperada de um lado para o outro, coitada estava exausta e nervosa com a situação. Mas como vc está mostrando, as coisas são mais fáceis o que a gente imagina…

  20. Amanda - 21/05/2013

    Eu ainda não tenho filhos mas sempre estou pra lá e pra cá com as crianças da família, ja passei alguns perengues com fraldas, banheiros e as milhares de bolsas no aeroporto, suas dicas foram ótimas!! algumas inclusive servem não só para viagens. Espero lembrar de tudo na minha vez!hehe

  21. Lara - 21/05/2013

    Aiii, não é querendo set chata, mas já sendo: morro de peninha em ver a Isabela só com esses macacões que aparentam ser tão fininhos. Olha um pedacinho do bracinho dela de fora. #PECADO

    • Adriana Miller - 21/05/2013

      Hahahah!
      Pode deixar que ela não passou frio não :-)
      Estava bem quentinha e super agasalhada!

  22. Nathália - 21/05/2013

    Dri,

    Achei seu blog a mais ou menos 4 meses, quando estava organizando minha viagem de férias, passei uns bons dias lendo seu blog desde o começo, amei cada história e cada experiência! Fui morar em Londres no mesmo ano que você foi morar na Itália, morei em seguida em Paris e depois voltei para o Brasil, muito legal ver a história de alguém que ficou…eu era muito nova e não tive coragem. Parabéns pelos posts maravilhosos, eu não tenho filho, mas achei um máximo essas suas dicas e encaminhei para todas as minhas amigas que tem bebês, MUITOOO útil!!!
    Sua filha é linda, sua história também! Estou indo para Londres na quinta e vou fazer um tour muito legal, peguei várias dicas suas de lugares onde você já passou!!! Obrigada por dividir com a gente suas experiências, parece que te conheço, é muito engraçada essa sensação… :)

  23. Danielle - 21/05/2013

    Adorei as dicas. Ótimo post mas fiquei curiosa com uma coisa. Que trocador descartável é esse? Vc poderia me passar essa dica? Obrigada

  24. Adriana - 21/05/2013

    As viagens q fiz com meu bb foram bem parecidas em relação a organização, e tive q provar água da mamadeira e uma papinha no aeroporto em Londres!
    Ia perguntar sobre os trocadores descartáveis, pois não conhecia, mas já vi q vc respondeu nos comentários ;)

  25. Catarina - 22/05/2013

    Parabéns Dri. Vivendo numa ilha, também iniciei o meu bebé aos 2 meses nos aviões. E aborrecido mesmo é ter de tirá-lo do carrinho/sling para passar no raio X, descolar e aterrar. No restante, faço exactamente o mesmo: saquinhos com mudas de roupa, brinquedinho que nao incomode os outros passageiros, comida/fraldas extras. E sim, a pior parte de viajar com bebés é a enorme quantidade de coisas que é preciso carregar! No mais é tranquilo. Muitos parabéns pela linda menina e pelo excelente blog. Catarina

  26. Joana - 22/05/2013

    Eu acho que o grande segredo da materninade sem precalcos e’ a organizacao. E nisso a Adriana e’ 5 estrelas. E eu tambem concordo com ela: se tiver tudo planeado e’ bem mais facil do que parece. Antes de a gente os ter parece bicho de 7 cabeca mas nao e’ nao :)

  27. PatriciaUk - 23/05/2013

    Para falar a verdade a unica vez que foi um pouquinho dificil foi qdo o meu mais novo foi ao Brazil com 1 ano ( o mais velho tinha 3) e aprendeu a andar no Brasil entao ele nao queria ficar sentado de jeito nenhum! rsrsr foi hilario! mas foram so 2 hrs ja que ele dormiu a noite toda…. Mas a nossa cultura aqui de sempre levar as criancas em lugares publicos, restaurantes tipo que eles aprendem a se comportarem em situacaoes assim, que necessitam de uma certa disciplina, como nao sair correndo no aeroporto, a esperar…. Adorei ler a sua experiencia!

  28. Cibele - 24/05/2013

    Post mega útil!!! Eu nao tenho filhos ainda e nem viajo tanto, mas li por curiosidade e amei. Ja está salvo entre outros posts importantes. Valeu mesmo Adriana pelas dicas. x

  29. Camila Carvalho - 24/05/2013

    Dri,
    Nem parece que vc é mãe de primeira viagem! Pensou em tantos detalhes!!!!
    Parabens!!!

  30. Katia - 05/06/2013

    Adorei seu post ,,, mês q vem estamos indo do Brasil pro EUA com nossa filha de 16 meses… Estou com um pouco de medo..será nossa primeira viagem de avião com ela !!! Gostaria de saber sobre aquele cinto que se prende ao do adulto… Você sabe onde poderia comprar? Vi q algumas cias aéreas nao fornecem….

    Obrigada !

    • Adriana Miller - 06/06/2013

      Nossa, nunca ouvi falar de empresa aerea que não forneça cinto de segurança para crianças…! Tem certeza? Ainda mais em voo internacional.. melhor verificar bem…

  31. Adolph Keller - 08/06/2013

    As papinhas de bebês, tipo potinhos da Nestlé, podem ser aquecidas no avião — peça ajuda a uma comissária. A equipe de bordo também ajuda com a água quente para misturar com o leite em pó.

  32. [...] vantagem de viajar de avião com um bebê pequeno é que eles podem usar o bercinho do avião, então a realidade é que durante a viagem, é colo se [...]

  33. Luzi - 18/06/2013

    Nossa, amei o seu relato!!! Vou ser mamãe em breve e sei que precisaremos viajar muito com o nosso bebê. Post mega útil :)

  34. Felipe - 29/07/2013

    Oi! Estou sempre acompanhando seu blog e amo! Parabéns! Vou ser papai em dezembro e agora no começo de agosto estamos indo para Orlando fazer o enxoval, e tem um item que não está muito fácil de decidir, o carrinho! Gostaria de saber sua opinião sobre o carrinho que você comprou para a Bella, o Bugaboo Bee! Está satisfeita? Alguma crítica negativa/positiva? A final de contas recomenda ele? Ou sem alguma outra sugestão!

    • Adriana Miller - 31/07/2013

      NOssa, eu AMO o Bugaboo Bee! Sempre falo que foi nossa melhor compra de enxoval!
      Ele foi perfeito pro nosso estilo de vida, já que estamos sempre viajando, andando de transporte público em LOndres etc e queriamos algo que fosse leve, compacto, confortável pra ela desde os primeiros dias e que durasse bastante (não queria comprar um carrinho grandão agora e depois acabar comprando outro tipo guarda chuva uns meses depois, como muita gente faz).
      O Cocoon (indispensável para recén nascidos) é super versátil e a Isabella o usou dia e noite até não caber mais – colocávamos ele dentro do berço dela a noite pra ela ficar mais aconchegada, usamos em berços de hotéis e casa da família pra ela não estranhar a cama, etc
      Pra mim a maior vantagem mesmo é o fato dele fechar e abrir em uma peça só, sem ter que ficar retirando moisés ou cadeirinha primeiro e depois desmontar o carrinho, que é um estorvo de vida! Então é super fácil de colocar na mala do carro, embarcar em aviões etc. Além de ser possivel de montar e desmontar com uma mão só. (esse carrinho é pura praticidade!).
      Mas uma das principais críticas que ouço é por ele ser muito baixo, afinal é um carrinho compacto. Mas apesar de que tanto eu quanto o Aaron somo bem altos, isso nunca me incomodou.
      Ultimo conselho: se vcs comprarem o Bugaboo (qualquer um), recomendo comprar também todos os acessórios (Cocoon, footmuf, porta copos, guarda sol, capa de chuva, capa de mosquito, etc) pois o Bugaboo é bem dificil de se adaptar com peças de outras marcas e pode ser dificil de achar os acessórios depois no Brasil.

      • Felipe - 02/08/2013

        Obrigado! Pelas dicas!

  35. Paola - 23/08/2013

    Ola Adriana. Acabo de fazer os passaportes meu e do meu filho de 3 meses e meio. Meu coração esta apertado em pensar como será a reação dele ao pegar o avião pela primeira vez tão novo e por tantas horas. Iremos para Itália sem escala, achei melhor assim. Você já foi para a Itália? As companhias são como essas que você relatou? Tem bercinho também?
    Adorei o post, super completo. OBRIGADA

    • Adriana Miller - 24/08/2013

      Oi Paola, ainda nao fomos a Itália com a Isabella, mas ela ja fez inúmeras viagens transatlânticas desde os 2 meses e meio e nunca tivemos problemas.
      Na verdade, quanto mais novinhos melhor, entao 3 meses é uma idade ótima pra viajar com seu pequeno.
      Nao esqueça de amamentar ousar mamadeira/chupeta na hora da decolagem e aterrissagem pra evitar problemas com os ouvidos (se bem que isso nem sempre funciona com a Isabella e ela parece nao se incomodar com a pressão – como tudo na vida, varia de pessoa pra pessoa, e eles tb sao pessoinhas!!).
      Mas de resto, nessa idade ele provavelmente vai dormir o vôo todo!

      Que eu saiba, todas as cias aéreas tem que oferecer bercinhos em vôos mais longos, mas só quando a aeronave permite. Entao nao esqueça de ligar pra sua cia pra confirmar (alem disso algumas empresas requerem pre reserva pra usar o berço entao é sempre bom confirmar mesmo).

  36. Ornella - 24/08/2013

    Adriana, estou com uma duvida. Quando a sua Filhinha viajou com Dois meses, como ela estava de vacinas? A minha preocupacao está sendo em viajar para os Estados Unidos com a minha filha de 2 meses que nao tem a vacina meningococica C que é administrada com 3 meses. Nao em funçao do pais em si, mas em fazer uma viagem longa em um aviao que é um ambience fechado e aumenta o risco de contaminacao. A proposito, a viagem foi na primeira classe, executiva ou economica? Obrigada

    • Adriana Miller - 24/08/2013

      A Isabella só tinha tomado a primeira leva de vacinas e a BCG (aqui elas sao ministradas aos 2, 3 e 4 meses), mas o medico disse que nao tinha problemas nao.
      Engenho amigas que precisaram viajar com bebes de ate 1 mês ou 6 semanas (ou seja, antes de vacina nenhuma) e foram liberadas.
      Mas acho que aqui os médicos são mais liberais em termos de vacina e todas as mães e crianças são encorajadas e já sair de casa e bater perna assim que a Mae consegue andar pós parto, por ser considerado uma pratica saudável para crianças (no Brasil geralmente ninguém nem tirar os bebes de casa antes do primeiro mês né?).
      Entao a nao ser que sua viagem seja estritamente necessária, eu seguiria os conselhos do pediatra ( apesar de que pessoalmente nao acho que isso seria um problema. Mas se vc esta grilada, melhor ter aval medico).

  37. Josiane - 07/09/2013

    Muito bom essas dicas,estou para viajar com meu filho para o Brasil ele estara com 5 meses,e estava bastante preocupada…mas agora que li todas as suas experiencias e dicas me bateu uma tranquilidade que acho que irei tirar de letra a nossa primeira viagem !! rsrssrss

  38. Amanda - 22/09/2013

    Dri, a Bella alguma fez sofreu com jet lag indo para o Brasil ou para os EUA. Acabo de chegar de Paris e a viagem de ida foi super tranquila, minha filha de 5 meses se adaptou rapidamente ao novo horário, mas a volta foi outra história. Às 5 da manhã ela acorda e quer brincar … ainda pensa que está em Paris … hahaha … alguma dica para dar??? Obrigada! Beijos!

    • Adriana Miller - 22/09/2013

      Nao no mesmo jeito e sintomas que adultos – tanto na ida quanto na volta, geralmente o primeiro dia/noite é mais bagunçado em termos de rotina (mas a gente tende a só reparar na vota pra casa… Hehehe).
      Minha única dica, que e o que faço com a Bella, e ser rígida com a rotina e manter o ritmo no mais normal possível.
      Se ela acordar as 5, manter as luzes apagadas, a voz baixa. Pra ela entender que ainda é de noite.
      Caso seja necessário, dou uma mamadeira extra, e fico insistindo com a chupeta e mantenho ela no berço, resistindo a tentação de pegar no colo e brincar! :-)

  39. FILLIPE - 30/09/2013

    Parabéns pelo site, posts e dicas! Super completos! Uma dúvida para um pai de 1ª viagem: quando vc fala da cadeirinha/bebê conforto (o nosso é igual ao teu) precisamos levar tbm aquela base para encaixe no carro ou só ele mesmo? Isso tanto para dentro do avião qto para a viagem em si…. Obrigado!

    • Adriana Miller - 30/09/2013

      Eu nao tenho a base para o carro (apenas o adaptador do carrinho) entao nao eh necessario, ja que todas as cadeirinhas de carro (bebe conforto) podem ser “presas” na poltrona do aviao ou carro alugado usando apenas o cinto de seguranca.
      Mas atencao, se voce levar o bebe coforto no aviao terah que pagar um assento (e pagar por isso) para seu bebe.

  40. silvana - 01/11/2013

    Amei tds as dicas…estou de viagem marcada para proxima semana com minha filha de 5 meses e estou preocupada com as bagagens,pois estou indo de Lisboa para Brasília e depois para Campo Grande,será que terei ajuda com as bagagens na escala em Brasília,tou tao preocupada c essa viagem!

    • Adriana Miller - 02/11/2013

      Eu tive bastante ajuda, mas também tive bastante cara de pau de pedir ajuda!
      Não existe nada “oficial” pra ajudar quem viaja com bebes de colo, então você fica a mercê da boa vontade dos outros.
      Portanto não leve mais do que você poderá carregar sozinha + seu bebe e tudo que ele precisará no vôo. Afinal você tem que estar preparada para a possibilidade de que ninguém vai te ajudar!

  41. Andy - 02/11/2013

    Oi, Dri.
    Uma questão que eu vejo é que você encara a maternidade de forma simples, sem frescuras e sem neuras. Você consegue ser mãe, mulher, esposa e profissional com maestria.
    Uma dúvida que tenho, e é um pouco pessoal demais, é a seguinte:
    Se você morasse no Brasil, a criação da Isabella seria igual? Vendo pelo lado tranquilo do que você aparenta e tal.

    Digo, aqui, como você bem sabe, o número de cesarianas é muito mais, há mais terceirização – com babás, escolas e tal -, menos desapego e mais exibição.

    • Adriana Miller - 03/11/2013

      Olha, boa pergunta.
      Acho que a maternidade/paternidade, como quase tudo na vida, é um resultado da sociedade em que estamos inseridos.
      Então é claro que morar num lugar onde a maternidade não é vista como doença, onde crianças não são vistas como estorvos, todos são muito participativos e que não existe esse conceito machista de “trabalho de mãe” e “trabalho de pai” (ou seja, ter um marido que lava roupa/louça, troca fralda, dá banho e tudo que for necessário, igualitariamente) faz sim uma grande diferença em como estou encarando toda experiência.
      Mas por outro lado também vai muito de cada um né? E o que esperamos da nossa vida.
      Eu por exemplo JAMAIS conseguiria ter uma relacionamento com um homem que não participasse por igual na vida “doméstica” (seja no dia a dia da casa, ou seja na criação dos filhos) como é tão comum no Brasil e culturas latinas, assim como não conseguiria não querer passar tempo com minha filha e deixa-la 100% da mão de terceiros.
      Mas também não vou ser hipócrita, porque afinal, ajuda sempre vai muito bem! Então o fato de que eu tenho empregada e babá aqui em Londres já faz uma super diferença do dia a dia – acho que o truque é saber dosar o papel de cada um!

  42. Cida Gomes - 17/11/2013

    Olá, adorei suas dicas para viagens longas com recém nascidos. Vou fazer uma viagem longa com minha Isabella e tudo que preciso encontrei no teu blog com o post “20May2013Viajando de avião com bebê (2 a 4 mêses)”, o problema é que não consigo de maneira nenhuma visualizar as fotos que estão entre os textos. Você pode me ajudar?

    • Adriana Miller - 18/11/2013

      Oi Cida,
      O servidor que hospeda minhas fotos esta com um problema e por isso algumas fotos nao estao disponiveis. Mas ja ja tudo volta ao normal.

  43. Mayra Boppre - 19/11/2013

    Oi Adriana!
    Sobre as suas fotos, elas não voltam não!
    Estou há anos (sério mesmo, anos), tentando ver todas as fotos do post da receita do cheesecake e nada!
    Tem até um comentário meu lá referente a isso…
    Só comentei isso porque AMO suas fotos e às vezes quando vejo posts antigos, fico triste quando não consigo ver todos rsrsrsr.
    Bjs

  44. Amanda Roth - 20/11/2013

    Dri,
    esse negócio de nos posts mais antigos não abrirem as fotos acontece sempre…a Mayra tem razão. Também adoro ver as fotos dos posts pq acho nítido teu crescimento em fotografia!
    Bjks!

  45. Alice - 24/11/2013

    Adorei o post, adoro o seu blog, tenho acompanhado sempre! Mas gostaria de ver as fotos também dos posts mais antigos, como esse.. Beijosss

  46. Ana Paola - 13/12/2013

    Dicas muito, mais muito boas!! Me ajudará muito na viagem q irei fazer c meu bb de 6 meses. Valeu! Tks! Bj

  47. Marcela - 23/12/2013

    Oi Adriana! Ótimas dicas. Meu bebê nasce em Agosto de 2013 e já tinha uma viagem agendada para Outubro de 2014. Quando viajou com sua bebê pela 1ª vez ela já tinha quantos meses? Obrigada!

    • Adriana Miller - 23/12/2013

      Nossa primeira viagem internacional com a Isabella, ela tinha 9 samanas de vida! :-)

  48. elzilene cunha - 21/01/2014

    quero viajar com minha netinha e a mãe dela,vai fazer 4 meses e a médica dela disse que não..pode pegar doença,estou muito triste com isso a viagem de avião é só 45minutos…ela é saudável e forte…não sei o porq da atitude dessa médica.

    • Adriana Miller - 22/01/2014

      Procure outra medica :-)
      Se o bebe eh saudavel e ja foi vacinado, ele estara seguro, principalmente numa viagem tao curtinha assim.
      Entao claro, todo o resto eh uma questao de ponto de vista – uma pessoa (seja mae, avo, pediatra ou vizinha bisbilhoteira) que nao esteja acostumada a viajar vai achar tudo muito arriscado e desnecessario. Ja uma pessoa que esteja acostumada e conheca o processo nao achara nada demais.

  49. viviane - 31/01/2014

    e quanto a vacinação?

  50. Franca - 30/03/2014

    Dri,
    Tira-me uma duvida: onde consigo comprar esse trocador descartavel?
    Como vc fez com a questao da garrafinha termina para limpar a Bella, pois so vende no Brasil e passar o lencinho gelado no bumbum do bebe deve ser pessimo :-)

    Muito obrigada por contribuir tanto na nossa decisao de mae para otimizar o melhor para os nossos filhos. Suas dicas sao excelentes.
    Bjs

    • Adriana Miller - 31/03/2014

      Aqui em Londres eu encontro na Boots (tanto o da Pampers como a marca propria da Boots) ou on line (na Amazon ou Boots).
      Sobre garrafa termica, eu nunca usei, nem em casa e muito menos na rua (acho muuuuuuito atraso! Hahahah), então usava lencinhos “Water Wipes” para recem nascidos (também venda na Boots ou Amazon) e garrafinhas de spray de agua termal, quando a fralda estava numa situação mais “bagunçada” :-)
      Não acho que bebês se importam muito com a temperatura do lencinho não :-)

      • Franca - 31/03/2014

        Valeu pelas dicas, estou seguindo tudo, desde a compra do enxoval em Londres…
        Vou procurar na boots os trocadores descartaveis.
        Qual a marca do “water wipes” q vc recomenda?
        E a agua thermal eh mesma q usamos no nosso rosto ou tem algo especifico para bebes?
        Abs

        • Adriana Miller - 01/04/2014

          Esse é o nome da marca mesmo, “water wipes” – e a agua termal que sempre uso é a normal mesmo, da Avene (que se voce ler a bula, uma das indicacoes eh para assaduras de pele de bebe, então alem da ação “molhadora” do spray, ainda tem propriedades cicatrizantes).

        • Adriana Miller - 01/04/2014

          Esse eh o link do “Water Wipes” no site da Boots:

          http://www.boots.com/en/Boots-Brands-A-to-Z/WaterWipes/

          Quem deu a dica foi a enfermeira da maternidade onde a Isabella nasceu, que disse ser a melhor marca para recem nascidos (eh simplesmente um lencinho de algodao molhado com ague filtrada e nada mais. Sem quimicos, nem perfumes, nem nada), alem de ser infinitamente mais pratico do que bolinhas de algodao com agua.
          Aqui muita gente usa aqueles “aquecedores” de lencinhos, justamente pra nao usar lencos frios no bebe, mas eu sinceramente achei que isso ultrapassava meus limites de frescura :-)

          • Franca - 01/04/2014

            Kkkkkkk. Gosto da sua praticidade e sinceridade.
            Ja vi varios depoimentos que esses aquecedores de lencinhos os deixam ressecados…, entao ja descartei por nao ser eficaz, tb nao quero frescura demais.
            Mais que Valeu pelas dicas.
            Muito obrigada!

  51. ERCILIA - 31/03/2014

    Olá Adriana!!!

    Primeiramente, parabéns suas postagens são excelentes!!!

    Meu marido e eu adoramos viajar, mas eu, sinceramente, estava super preocupada em viajar com nosso bebe, que agora está completando 5 meses. Fico com medo de expo-lo a desconfortos desnecessariamente, pois vamos viajar de férias, não por necessidade.

    Mas depois de ler suas postagens fiquei bem mais tranquila!

    Muito obrigada por gastar seu tempo para dividir suas valiosas experiencias!!!

  52. Andreia - 12/04/2014

    Olá Adriana,

    Achei seu post muito interessante. Vou viajar com meu baby, a passeio e ele só tem 2 meses. Estava preocupada e várias pessoas criticando, achando desnecessário colocá-lo em “risco” tão cedo. Agora estou mais tranquila e adorei as dicas.

  53. Silvia - 27/04/2014

    Oi Adriana! Estou indo prai e preciso de uma ajuda sua! O complemento (fórmula) que uso pro meu baby não tem aí na Inglaterra que é o Nan Pro 1 da Nestlé, então, gostaria que você me indicasse uma marca para bebê de 4 meses tanto fórmula pronta como em pó. Obrigada!

  54. Marci - 05/06/2014

    Obrigada pelas informações,quero viajar com meu bebe da Italia para Brasil quando tiver 4 meses,eu estava com medo e duvidas,mas voçe respondeu todas as minhas duvidas com este post.

  55. marileia - 23/06/2014

    OLA ADRIANA, NOSSA MENINA VC E OTIMA NAS DICAS, TENHO UM BEBE DE 7 MESES E VOU VIAJAR COM ELE EM SETEMBRO QUANDO ESTARA COM 10 MESES, MINHAS DUVIDAS SAO EM RELACAO A PAPINHA DO BEBE E O LEITE VOU PELA TAP PARA O BRASIL DURACAO DE 10 HORAS DE VOO NUNCA FIZ UMA VIAGEM DESSA COM UM BEBE, QUERIA SABER SE ELES FORNECEM AGUA QUENTE PARA O LEITE E AQUECE A PAPINHA PARA O BEBE, POIS LÊ EM OUTROS SITE DIZENDO QUE AGUA QUENTE E UMA COISA IMPOSSIVEL NO AVIAO POIS ELES NAO TEM MICROONDAS, VC COMO JA E BEM EXPERIENTE EM VIAGEM ME DIZ COMO VC FEZ COM SEU BEBE? OBRIGADA E PARABENS PELA SUA LINDA FILHA.

    • Adriana Miller - 24/06/2014

      OI Marileia,
      De uma olhadinha nos outros posts sobre viajar de aviao com criancas, que as dicas estao todas la!
      (Eu pessoalmente so dou leite pra minha filha em temperatura ambiente, justamente pra evitar situacoes como essa. Realmente vai depender muito da sua sorte se voce vai pegar uma equipe de comissarios legal e dispostos a ajudar a esquentar leite e essas coisas. Eu prefiro ser mais pratica e nao depender da ajuda dos outros. Ate porque nao eh so no aviao ne? Na viagem toda… Como vc vai depender da boa vontade de garcon, funcionario de hotel e afins pra alimentar seu bebe durante a viagem toda? Temos que ser praticas em relacao a essas cosias!)

  56. Gabriela.O - 20/08/2014

    Dri, com relação à alimentação, vc já tinha introduzido a fórmula antes, ou a primeira vez q a Bella experimentou foi no avião? Viajo semana q vem e minha bebê mama exclusivamente no peito. Estou com medo de faltar leite, ainda mais q o vôo é noturno, quando meus seios estão mais murchos. Lendo seu post, pensei em comprar e levar um pouco de leite extra, mas me disseram q a bebê pode rejeitar. Mas estou com medo de fazê-la experimentar antes e ela rejeitar o peito depois… Vou comprar a fórmula, mas, no fundo do coração, pretendo não usar.

    • Adriana Miller - 20/08/2014

      OI Gabriella,

      Na epoca da viagem ela mamava exclusivamente no peito, mas ja tinha tomado formula antes, por causa de um problema com ganho de peso em seus primeiros dias de vida.
      Mas infelizmente a viagem de aviao secou bastante meu leite, e ela sentiou muito mais fome/sede que o normal, entao foi otimo ter formula a mao, pois ela acabou mamando bastante e meu peito nao teria dado vazao.
      E pra piorar, como a viagem teve um fuso horario grande (umas 8 horas entre LOndres e Colorado, nos EUA), o horario das mamadas ficou todo baguncado por uns dias, e ela sentia fome nos horarios que meu peito nao tinha leite, e eu ficava cheia de leite nos horarios que ela estava dormindo… entao foi essencial ter levado formula de casa (pra nao ter que ficar “adivinhando” qual a melhor opcao do local da viagem) e uma bombinha, pra manter a producao de leite numa boa.
      E muitas vezes eu misturava a formula com meu leite (da bombinha), como recomendado pelo pediatra – a formula aumentava a quantidade ingerida nos horarios de leite em baixa, e o leite tirado com a bombinha aumentava o valor nutricional do leite artificial.
      Deu certo, mas foi essencial estar bem preparada!
      E depois que voltamos pra casa ela continuou mamando no peito numa boa.
      Rolam muitos mitos em relacao a “rejeicao” do peito, e eh tao relativo e individual de cada bebe. Tenho amigas que deram formula e mamadeira desde o primeiro dia de vida dos filhos, como complemento, e ainda assim amamentaram perto de 1 ano. Enquanto outras tentaram forcar a amamentacao exclusiva e o proprio bebe um dia nao quis mais (como foi meu caso).
      Ou seja, nao da pra adivinhar como seu bebe vai reagir, mas nao corra o risco de estar desprepada, poi sisso sim seria um caos (alem de estragar a viagem a todos os envolvidos!).

  57. […] respondendo algumas dúvidas do post anterior, apesar de algumas variações em alguns países e aeroportos, no geral a regra é bem simples e […]

  58. Fabiane Maymone - 30/09/2014

    Adriana, meu nome é Fabiane, moro nos EUA, meu baby tem 2 meses, vamos viajar para o Brasil em dezembro quando ele estiver com 4 meses. Gostaria de te parabenizar pelo post foi muito esclarecedor. Tenho três perguntas para ti. A primeira parece um pouco boba mas como vou viajar sozinha preciso faze-la… Como você fazia para ir ao banheiro quando viajou sozinha com sua bebê? As comissárias podem ajudar? E a outra é em relação a amamentação, por enquanto eu amamento exclusivamente meu bebê e desconhecia a relação que o avião pode diminuir o leite materno, fiquei com medo, será que vou ter que levar formula? A terceira é você saberia me informar qual o melhor acento (classe econômica) para viajar sozinha com o bebê para quem vai solicitar o berço? Muito obrigada pelo post e aguardo seu retorno.
    Abç Fabiane

    • Gabriela.O - 30/09/2014

      Então, Dri, segui o segui comentário e levei fórmula por precaução, caso o leite do peito não fosse suficiente. Na ida, voo noturno, ela dormiu a noite toda no berço e, quando estava quase pousando, mamou. Ou seja, não foi necessário usar a fórmula. Na volta, voo diurno, ela queria mamar toda hora, não conseguia dormir, mas a aeromoça me ajudou e me arrumou duas garrafas de 1,5l de água. Ou seja, bebi 3 litros de água no avião, mais o suco e café das refeições para dar conta das mamadas. E, quando cheguei, ainda me senti meio desidratada e bebi mais 1,5l antes de pegar as bagagens! Antes de entrar no avião, tinha bebido outro 1,5l de água!!! No meio da viagem, alugamos um carro e fizemos quase 8h na estrada. Como nao dava para parar toda hora para amamentar, tentei dar uma mamadeira, mas ela não pegou… não conseguia sugar… Um caos. Acabamos tendo q parar de hora em hora para amamentar.
      Então, sobre o avião…. eu acho q foi importante para meu PSICOLÓGICO levar a fórmula, pois sabia q, se o peito não fosse suficiente, eu tinha uma carta na manga. Mas, acabei não usando.
      Como eu cheguei de viagem semana passada, gostaria de responder pra Fabiane Maymone sobre o meu caso na air france. Minha bebe viajou (BRASIL/PARIS) com 4 meses e, na ida, pegamos os assentos do meio (35F, são quatro poltronas no meio). Mas, como o avião estava cheio, foi péssimo ter outras 3 pessoas do meu lado, sendo uma delas bebê também (detalhe q esse bebê gritou a noite inteira, mas não foi suficiente para acordar minha bebê!!!)! Na volta, peguei o assento 19L (são apenas duas poltronas nessa fileira) e foi essencial para nosso conforto, pois só tinha mais uma pessoa do lado. Sobre o banheiro, não consegui ajuda das comissárias, parece q elas nunca estavam lá quando eu precisava. Eu entrava na cabine junto com a bebê, colocava no canguru e fazia meu xixi com ela me olhando… Espero ter contribuído. Obrigada sempre!

    • Adriana Miller - 30/09/2014

      OI Fabiane, pode perguntar sim!
      Sei como essa fase nos enche de duvidas!! :-)
      Quando eu viajei sozinha com minha filha, se precisava ir ao banheiro eu levava ela no canguru, para ficar com as maos livres. Ou entao esperava ate ela estar dormindo no bercinho, e deixava ela la tranquilona enquanto ia esticar as pernas, pegar uma bebida ou no banheiro (dentro do aviao eh um ambiente super seguro, voce pode deixar seu bebe dormindo no bercinho e ninguem mexe!).
      Eu prefiro fazer isso do que pedir pra um comissario que nao conheco me ajudar… vai que a pessoa nao tem o menor jeito com crianca, ou esta de ma vontade, ou doente, ou minha filha estranha…. enfim, sempre preferi levar ela comigo, ou entao deixa-la dormindo.

      Sobre essa da amamentacao, eu tambem estava amamentando exclusivamente quando viajei com ela pela primeira vez, e uma amiga me deu a dica de levar formula e mamadeiras so por via das duvidas e foi nossa salvacao! Ela mamou o voo todo e ainda bebeu toda formula que levei! Foi importante levar bastante leite extra, mesmo sabendo que na epoca nao queria introduzir leite artificial ainda… Mas melhor leite artificial do que deixa-la morrendo de fome no voo!
      Entao sim, esteja preparada, leve mamadeiras e bastante leite extra (a pressao da cabine, altitude, fuso horario, ar seco do aviao etc, tudo isso afeta demais o leite materno. Leve uma bombinha com voce tambem, para te ajudar a regular os horarios das mamadas em relacao ao fuso horario – eu nao levei e minha producao de leite foi MUITO afetada!).
      Por sorte minha filha nao estranhou a mamadeira nem o leite, mas se agora vc ja tem conhecimento desse risco, melhor testar algumas opcoes de mamadeira e conversar com sue pediatra sobre opcoes de formula para levar.

      Sobre o assento dentro do aviao, basta pedir pelas fileiras “bulkhead” que sao aquelas fileiras da frente, que ficam de frente a uma parede, onde ficam os apoios dos bercinhos.

  59. Gleiciane - 24/10/2014

    Oie Adriana Vou Viajar de aviao pela primeira vez Dia 06/11 com meu bebe vou chegar no aeroporto sozinha e gostaria de saber se alguem ira mim ajudar com a mala logo quando eu chegar no aeroporto ou se eu vou ter de mim virar sozinha?
    Aguardo antenciosamente pela resposta, obrigado!

    • Adriana Miller - 24/10/2014

      Oi Gleiciane,
      Você terá que se virar sozinha, com malas, bebe e afins, e por isso é tão importante estar bem preparada (de uma olhada em todos os posts sobre viajar de avião com bebês).
      Você até pode dar sorte de alguém (algum outro passageiro) se oferecer para te ajudar, mas não conte com isso e esteja preparada.