31 Oct 2015
21 comentários

Halloween 2015

Inglaterra, Pessoal, Tradicoes Inglesas, Vida na Inglaterra

Bem, eu ja comentei algumas vezes que a Inglaterra como um todo nao comemora Halloween – ate rola uma decoracaozinha aqui ou ali, mas nem de longe chega a ser o evento que eh nos EUA.

Mas como o Aaron eh Americano, e Halloween eh uma de suas memorias preferidas de sua infancia, ele quis passer um pouco de suas tradicoes pra Isabella tambem. Entao alem de termos visitado um Pumpkin Patch esse ano e decorado aboboras com ela (assim como fizemos ano passado), esse ano tambem resolvemos fazer uma festinha de Halloween la em casa!

Decoramos a casa toda (achamos muitas coisas bonitinhas de decoracao de Halloween na Amazon) e convidamos algumas das amiguinhas da escolar da Isabella e alguns vizinhos para curtirem uma tarde de trick or treat na nossa casa!

A Isabella adorou e foi a mais empolgada!

Ela queria uma fantasia “spooky” (assuatadora) e queria que eu fosse uma bruxa e o daddy um vampiro (?! Nao sei porque ela cismou com isso!) e que a casa tivesse muitas aranhas (ela AMA aranhas de todos os tipos!).

Encomendamos cupcakes, um bolinho e biscoitos tematicos, muuuuuuitas balas e doces, baldinhos e aboboras para decorar a casa.

E o Aaron planejou varias atividades para as meninas: teve pintura de aboboras (achamos que tentar cortas as aboboras com 7 criancas com mnos de 5 anos pela casa nao seria uma boa ideia!), teve teatrinho, teve futebol, e teve at trick or treating (“Doces ou travessuras”) com os vizinhos!

Fiquei surpresa que realmente rolou trick or treating por aqui, mas como agora moramos numa area de casas e com muitas familias jovens e com criancas pequenas, algumas familias se empolgaram e levaram seus filhos pra pedir doces pela vizinhanca – entao parte da atracao da festa era sair correndo pra porta de casa fazendo caras “assustadoras” e dando balas para as criancas que apareciam na nossa porta!

A Isabella adorou a festa e disse que quer que o anoversario dela seja Halloween tambem! :-)

Vejo uma nova tradicao se formando…. :-)

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
21 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
21 comentários
  1. maria estela - 03/11/15 - 22h26

    Dri, como você fez com os pais? Você os conhecia? Os vizinhos e os da escola?
    Eles foram na festa também? Aqui no Brasil a gente chamaria, e ai?

    Também queria saber como é o esquema de babá na inglaterra? Tem um máximo de horas, necessidade de intervalo, etc.? Aqui no Brasil tem um intervalo obrigatorio, e como eu trabalho o dia todo, acabei desistindo da babá. Como ai as leis trabalhistas sao mais rigidas ai, fico pensando como voce faz… curiosidade mesmo! E acho interessante saber essas diferenças entre os paises. Foi dificil encontrar babá brasileira?

    e a ultima pergunta era saber se vai rolar post sobre o emprego novo?
    Sobre a nova rotina ?

    Responder
    • Adriana Miller - 04/11/15 - 14h31

      Conheciamos so de vista, e como quase todas as criancas da crèche moram aqui no nosso bairro, a gente viva se esbarrando no parquinho, mas nada muito “official” – entao a festinha foi tambem uma boa desculpa pra oficialmente conhecer os pais das amiguinhas da Bella. Entao sim, todos vieram participar da festa!

      Sobre babas, depende de cada caso.
      A maioria das babas aqui trabalham por hora – entao voce estabelece o horario que precise delas em casa e paga semanalmente ou quinzenalmente de acordo com as horas trabalhadas. COmo se fosse uma diarista, entao nao tem muito essas regras de “interval”, “repouso” nem nada disso. S enao trabalhar, nao recebe.
      Nesse ponto, as leias trabalhistas aqui nao sao muito protecionistas nao.
      A minha trabalha de 8 as 18:00. Quando eu chego em casa, ela vai embora. Se precisar que ela chegue mais cedo, ou saia mais tarde, por causa de compromissos de trabalho, eh so avisar para verificar a disponibilidade dela, e pagar as horas adicionais.
      O mesmo vale pelo pernoite ou fins de semana.
      Quando ela dorme la em casa, como nao esta oficialmente “trabalhando” (pois a Bella esta dormindo), pagamos uma taxa “fixa” pelo pernoite e pronto.

      Mas nao foi dificil encontrar baba Brasileira nao. Todo mundo aqui conhece alguem, que conhece alguem que tem uma faxineira/manicure/baba e afins Brasileira que pode recomendar alguem.

      Sobre o emprego novo, eu ja fiz um post “up date” una meses atras! :-)

      Responder
      • maria estela - 04/11/15 - 23h27

        Dri, claro que deve ser bem caro tambem, mas eu preferia assim! Pelo jeito ta mais facil ter baba em londres do que aqui no brasil ! Aqui, se sao mais de 2 dias na semana, tem que pagar todas ad taxas e nao pode trabalhar mais que 8 horas e ainda tem que ter intervalo de 1 hora! Ai eu pergunto-como é que faz se eu tambem trabalho 8 horas e ainda tenho o tempo de transito do trabalho para casa e nao posso voltar na hora do almoco para dar a folga dela ?

        Responder
        • carolina. - 05/11/15 - 23h22

          se você precisa dela por mais de 8h, ela pode sim trabalhar mais de 8h, mas você terá que pagar horas extras por isso (ou seja, pagar um acréscimo de 50% sobre a hora normal de trabalho dela). não tem mistério. no seu trabalho, se você trabalhar mais de 8h diárias também fará jus a horas extras…. com a babá não é diferente.

          Responder
          • maria estela - 06/11/15 - 23h26

            Carolina, a lei permite o maximo de 2 horas extras por dia ou (10 horas)de trabalho. Eu trabalho 8 hrs e um pouco mais de 2 hrs de deslocamento contando ida e volta juntas. Claro que eu pago horas extras, mas veja que muitas vezes ultrapassaria as horas, o que seria ilegal. E tambem tem o problema da folga do almoco, com quem deixo minha filha nesse periodo?

            Foi isso o que eu quis dizer com ter baba em londres ta mais facil que no brasil! A da Dri fica 10 horas direto sem folga, e ainda fica mais se ela precisar. Isso nao e permitido pelas leis daqui!

            E antes que venha alguem dizer que sou folgada, ja digo que queriauma baba apenas para quando trabalho!

            Responder
            • Mariana - 07/11/15 - 19h17

              Que comentário mais bizarro. Ainda bem que a escravidão já acabou e finalmente estamos caminhando na regulamentação do trabalho doméstico. Empregado doméstico/babá é um empregado – e uma pessoa! – como qualquer outro. Por que deveriam ter menos direitos do que outros trabalhadores? É cada uma, viu

              Responder
              • maria estela - 07/11/15 - 21h31

                Mariana, acho que vocë náo leu direito o que escrevi. O que estou fazendo é um contraponto entre as leis para uma babá no Brasil e na Inglaterra. E você pode ver pelo que escrevemos, que uma babá aqui no Brasil tem leis muito mais protecionistas, em relação a folgas, horas extras e tudo mais, do que na Inglaterra. Se essas mesmas leis daqui também valessem na Inglaterra, a Dri talvez também não conseguisse ficar com a baba dela, pois ultrapassaria o tempo maximo e nao teria como dar o tal “horário de folga”.

                Nao sei se voce tem filhos ou nao, mas se um dia precisar de uma baba, vai me entender ( e eu também era dessas que me gabava de que quando tivesse filho nunca teria uma, achava a coisa mais ridicula). Ate que precisei absurdamente, pois minha filha so ficava doente na escolinha e o pediatra pediu para tira-la de la. Ai fui tentar uma baba e me deparei com as dificuldades de ter uma por causa de todos esses detalhes ai em cima descritos. Eu quis cumprir a lei, e por isso desisti. Minha filha dorme durante o dia, mas é depois que já se passaram as tais 6 horas máximas para se ter uma folga. Além dos outros impedimentos que listei ai em cima.

                Como resolvi a situacao ? Foi muito difícil, minha mãe teve que se mudar de cidade temporariamente para estar com ela, deu uma serie de problemas com ela morando em casa, etc. Sobrevivemos, mas foi duro pra caramba.

                Deixando novamente bem claro aqui antes que alguém venha me atirar pedras: sou contra levar babá em viagens, etc, eu só queria uma para ficar com minha filha enquanto trabalho. Sou so uma pessoa normal que trabalha duro e nao posso me dar ao luxo de deixar de trabalhar. Eu respeito todos os trabalhos e valorizo o emprego domestico, nao sou esse tipo de pessoa que precisa viver com servicais o tempo todo e nao os respeita (sei bem o tipo com o qual vc quis me comparar). Tanto que desisti da baba porque queria cumprir as leis trabalhistas.

                O meu questionamento e outro, é que talvez essas leis pudessem ser um pouco mais flexíveis, como é na Inglaterra, por ex., que permite que a Adriana tenha uma babá em condições que aqui não seriam permitidas! Com um trabalho valorizado, pagamento bem, e com todas as condições, ok?

                Desculpe pelo testamento, Adriana!

                Responder
                • Adriana Miller - 08/11/15 - 20h21

                  (antes de comentar de novo, um adendo: entendo totalmente sua posição, meu comentário abaixo não é uma critica ao seu comentário nem sua situação. Realmente meio loucas certas exigências da lei Brasileira – como que uma pessoa que cuida de uma criança “precisa” de intervalo?! E quem cuida da criança nesse meio tempo?!).

                  Acho que a diferença aqui não é uma questão de leis trabalhistas mais flexíveis, e sim um sociedade que não depende de “ajuda”. Ninguém aqui tem babá 100%, dessas que moraram em casa e “criam” os filhos. Babá não dorme, e quando dorme não acorda a noite quando o bebê chora. Isso é dever do pai e da mãe.

                  Muita gente tem babá sim, mas geralmente num esquema babysitter – como é meu caso, pago por hora e apenas alguns dias por semana.
                  E quem tem babá todos os dias, geralmente segue um estilo “governanta”, que cuida das crianças nos horários que não estão na escola, e também cuidam da casa. Mas nesses casos, as crianças ainda assim vão a creche ou escola, e a babá/governanta leva/pega na creche, e cuida das crianças enquanto os pais trabalham. Assim que o primeiro responsável chega em casa, a babá se manda.
                  Existe menos uma dependência familiar, e portanto menos chances de gente que abusa dessa flexibilidade.

                  Aqui, por exemplo, nunca, JAMAIS um pediatra recomendaria que uma criança saísse da escola por que fica doente demais! Muito pelo contrário! A não ser que realmente seja uma doença ou condição MUITO grave, que esteja ameacando a vida da criança, as crianças tem mais é que ir pra escola mesmo, pegar todas as perebas existentes no planta e criar uma boa imunidade.
                  O pediatra da Isabella por exemplo, me deu “bronca” porque eu demorei mais de uma semana pra sair de casa com ela depois que ela nasceu! Bebes são expostos ao mundo com dias e horas de vida (porque precisam, faz bem, ajuda seu sistema). Claro que não é pra esfregar a cara do recen nascido num adulto doente, mas não tem dessas frescuras de ficar em casa, paninho no rosto, não ir a lugar fechado até os 3 meses, etc, etc que vemos no Brasil.

                  Responder
  2. Sophia Catalogne - 03/11/15 - 22h54

    Oi Dri! Tudo bem? Em primeiro lugar, adorei o post! Eu amo Halloween e acho uma pena não ser tão comemorado aqui no Brasil – sinto falta disso.
    Em segundo lugar, eu fui convidada a responder uma tag e no final dela eu tinha que indicar blogs que eu sigo e gosto – e daí lembrei do Dri Everywhere, que eu adoro e acompanho sempre! Eu explico melhor como funciona no meu último post: http://meumapamundi.com/2015/11/02/tag-versatile-blogger-award/
    Nunca tinha participado de tag, mas achei divertido :)

    Beijoo

    Responder
  3. Paula - 04/11/15 - 00h06

    Adorei a festa de vocês!! Se essa lareira ficou linda assim pro Halloween, imagina pro Natal! Can’t wait :-)
    Quando eu era criança também fazia festinhas de Halloween. Tinha brincadeira da múmia (quem enrola o amiguinho mais rápido com papel higiênico hahaha fica a dica pro ano que vem!), comidas diferentes, enfeites da casa & vídeo, fantasia de bruxa… A hora de pedir doce que era sempre meio frustrante, porque ninguém se preparava pra isso, a gente conseguia no máximo um pacote aberto de biscoito!
    É muito divertido, e com certeza a Bella vai levar essas lembranças com ela! Vc já passou Halloween nos EUA, Dri? Deve ser demais!

    Responder
    • Adriana Miller - 04/11/15 - 14h43

      Nunca passeio o Halloween nos EUA! Como eh muito perto do Acao de Gracas (1 mes antes) acaba que nunca coincide, e sempre damos preferencia pelo Thanksgiving prque eh uma comemoracao mais familia.

      Responder
  4. Mariana - 04/11/15 - 03h02

    A Bella parece ser uma criança muito divertida e que topa tudo! :)
    Pura fofura vestida de bruxinha!!

    Responder
  5. Mônica Almeida - 04/11/15 - 23h57

    Adorei esse post! Super gracinha, sua festa. As bruxinhas ficaram lindas! E a Bella tem umas pernocas que dão vontade de morder!

    Responder
  6. Mariana Alcântara - 05/11/15 - 19h31

    Oi Dri!

    Aí vão as perguntas da tag “Vida de Casados”…

    1- Há quanto tempo está casada?
    2- Ficaram quanto tempo juntos antes de se casar?
    3- Decidiram se casar juntos ou foi pedida em casamento? Como foi o pedido?
    4- Como foi o início do casamento? Foi fácil ou foi difícil?
    5- O que você mais gosta da vida de casada?
    6- O que você menos gosta da vida de casada?
    7- O que te encanta até hoje em seu parceiro?
    8- O que não pode faltar na relação de vocês?
    9- Vocês são parecidos ou o oposto um do outro?
    10- Qual o fato mais importante desde que se casou?
    11- Tem nomes ou apelidos entre o casal?
    12- Como lidam com a criação dos filhos?
    13- Ele te apoia e te ajuda no blog/canal/redes sociais?
    14- Quem faz o trabalho doméstico?
    15- Qual o maior aprendizado do casamento?

    Aguardando ansiosa pela resposta a tag…

    Beijos!

    Responder
    • Adriana Miller - 06/11/15 - 08h54

      Adorei!!!
      Mas é pra responder aqui no blog? Ou é vídeo?

      Responder
      • Mariana Alcântara - 07/11/15 - 23h22

        Dri!

        O que me inspirou em indicar a vc e Aaron foi um vídeo de uma blogueira da minha cidade, Talita Scoralick…

        Mas com certeza, quem não tem o hábito dos vlog, responde no blog, com um postagem…

        Como sou fã do TV Everywhere, adoraria ver um vídeo com as respostas…

        Beijos!

        Responder
  7. Renata Castro - 06/11/15 - 03h47

    Muito legal a festa de Haloween de vocês. Os docinhos, bolo, decoração. Essa da Isabella amar aranhas é muito engraçado. Demais! Minha mãe continua acompanhando o blog sempre que mostro e acha vocês três lindos e com super astral. E a Isabella é uma versão mini do seu marido. Parece muito com ele

    Responder
  8. […] a festinha do ano passado fez tanto sucesso, que ela passou o ano todo falando sobre a festa, e assim que as primeiras […]

    Responder