16 May 2014
10 comentários

Templos e palácios em Tóquio: Palácio Imperial, Parque Ueno e Templo Asakusa

Dicas de Viagens, Japão, Toquio

Ao longo dos anos, sempre que eu começava a planejar uma viagem pro Japão e saia lendo guias e blogs por ai, volta e meia eu lia alguma “dica” em relação e sempre começar a viagem por Tóquio em vez de Kyoto, e deixava isso meio de lado pensando “que diferença faz?”, certo?

Acabou que nossa viagem deu mais certo chegando via Tóquio por causa dos voos internacionais e saindo via Quioto por causa dos voos regionais, mas não tinha pensado muito sobre isso ate me sentir profundamente decepcionada com os templos de Tóquio, e uns dias depois me sentir maravilhada com os templos de Kyoto!

Então aqui fica minha dica reforçada: sempre comece sua viagem por Tóquio, e assim o impacto de chegar nos templos milenares de Kyoto será bem melhor!

Nossa primeira parada “histórica” em Tóquio foi o Palácio Imperial, no bairro Hybia, que fica bem no meio de um imponente parque, cercado por um lago artificial, e onde a família Imperial do Japão ainda mora.

14163258015_861bb0f1ec

Chegamos la junto com um grupo de estudantes uniformizados, tiramos muitas fotos enquanto dávamos voltas e mais voltas no parque sem entender onde ficava a entrada? Onde está a bilheteria?

13976609517_1e9e124564

Olha, demorou um bom tempo pra cair a ficha e finalmente encontrarmos a infomracao de que nao verdade o Palacio Imperial nao eh aberto a visitacao, e teriamos que nos contentar com com a mini vista disponivel em uma das pontes…

13976592799_5cfb2a9ddb

14159914831_7c3ae0acd9

Já num outro dia fomos em direção ao norte da cidade, para o parque Ueno, que hospeda o zoológico de Tóquio (ótimo para quem vai com crianças maiorzinhas!) e alguns templos e pagodas.

13976699940_4c723620b1

13976694049_0000db97e3

Passamos um bom tempo pelo parque que eh bem bonitinho e estava super florido com as Sakuras, e aproveitamos pra visitar alguns dos templos la dentro: Tosho-Gu (o dourado e mais bonito), Gojo (que tem algumas “portas” vermelhas), Kiyomizu e a Pagoda.

14183391473_9557b084e4

Nenhum deles eh de cair o queixo, mas achei o Tosho-Gu bem bonito, principalmente por estar bem ao lado do jardim de Peonias e a Pagoda, que cria uma “cenário” bem peculiar!

13976653550_f9a51d9b80

14163289975_74db146dd2

DSC09842

Outro templo interessante no parque Ueno eh o templo Gojo e seus “portões” vermelhos!

14183417673_3995b2911b

14140164646_1b6aa6887b

Por fim, ja no nosso ultimo dia em Tóquio fomos ate o templo Asakura, que segundo nosso guia de viagem era o mais bonito de Tóquio, e realmente não decepcionou!

13976815390_b0241d02f6

Mas não sei se ameeeei ir até lá não, pois achei tão fora de mão do resto da cidade, que apesar de bonitinho e tal, o tempo que gastamos pra achar e chegar até lá foi muito maior do que o tempo que passamos por lá…

14160116731_2cf9513781

Apesar de bem pequeno – e lotado! – tanto o templo, quanto a pagoda e o imponente portão de entrada sao bem bonitos – mas confesso que gostei mesmo foi do mercadinho na entrada!

13976776269_c4dc9c2ab8

14160692832_bcedcd49d3

E eu gostei justamente porque foi o único lugar em Tóquio que vi esse tipo de lojinhas/mercadinhos muvucados, vendendo souveniers e tranqueiras que são tão comuns na Ásia, mas que ate então eu não tinha visto em lugar nenhum em Tóquio!

14160112061_60e5dbb218

13976820968_0f3a5d0ebc

Então foi ótimo pois visitamos o templo correndo, fizemos algumas fotos e voltamos pra bater perna no mercado, comprar souveniers e presentinhos etc.

DSC09888

DSC09939

Mas eh claro que a cidade tem muitos outros templos, e provavelmente outros ate bem mais interessantes e bonitos, mas não da pra negar que a “sede” histórica do Japão é mesmo Quioto, então se tivesse que repetir a viagem eu pouparia meu tempo e energia e simplesmente não teria ido a nenhum desses templos, e teria aproveitado Tóquio pra curtir o que Tóquio tem de melhor: seus bairros mega loucos, as luzes de neon, as mega lojas, os restaurantes, e as ruas movimentadíssimas!

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
10 comentários
15 May 2014
26 comentários

Compras no Japão: o que vale a pena e o que não vale (seja por questão de preço ou nível de interessância!)

Dicas de Viagens, Japão, Toquio

Olha, eu não sou uma pessoa que já viaja com compras em mente. Não sou mesmo.

Geralmente minhas viagens tem outro foco, e gosto de gastar meu tempo e meus travel-dollars de outras maneiras e não enfurnada em Zaras, H&M, shoppings e outlets mundo afora.

Mas pro Japão isso foi beeeeem diferente!

Por um lado, o Aaron estava mega eufórico com as novidades e nerdices eletrônicas que só o Japoneses sabem fazer – e eu também né? Apesar de que meu nível de nerdice esta alguns patamares abaixo do dele, não resisto a uma geringonça tech!

E eu estava praticamente enlouquecida nas bugigangas e produtos de beleza e cosméticos Japoneses!

Mas sejamos sinceros: Japão é um lugar caro, e ponto final. Bem, quer dizer. Não achei nada super caro não, e na verdade achei os preços bem equivalentes e tabelados com os preços na Inglaterra e Europa, por exemplo (leia-se: mais caro que os EUA, mais barato que o Brasil).

Ou seja, não é o tipo de lugar que você viaja SÓ pra fazer compras, mas também não significa que tudo é tão proibitivo que você não pode nem olhar as vitrines…

Então de maneira geral, eu diria que apesar de não ser aquela perdição-capitalista-selvagem de um Outlet na Florida, a maioria das coisas ainda são bem mais baratas que no Brasil, por exemplo. Então valer a pena, vale.

Para nós, muita coisa não valeu a pena simplesmente porque temos as mesmas marcas & preços na Europa, então não prestei muita atenção para lojas de roupa, por exemplo.

Por um lado, como disse, as marcas e preços são os mesmos que encontro em Londres, mas o principal “impecilho-consumista” na area das roupas e sapatos é que as lojas tem um foco muito especifico para o mercado local, então mesmo em marcas Europeias como Zara e H&M, por exemplo, tem modelos, estilos, modelagens e tamanhos muuuuuito diferentes dos disponíveis no Ocidente, e sinceramente não achei nada irresistível demais (e como sou uma media de 3 palmos mais alta que a população Japonesa e calço sapatos que fariam o Bozo se sentir um gueixa, deixei pra lá, e não gastei minhas energias com isso).

Maaaaas… Não consegui passar pela porta de uma farmácia ou loja de departamento sequer, sem querer entrar e analisar produto por produto!

Então o que valeu a pena comprar no Japão (e Coreia do Sul também!)?

 

– Eletrônicos:

Como disse acima, a maioria dos preços de eletrônicos e equipamentos fotográficos no Japão são bem tabelados com o que vemos na Europa, mas esse é um ” departamento” de compras que vale a pena prestar atenção numa viagem ao Japão e Coreia do Sul por dois motivos bem simples:

O primeiro e mais fácil, eh o Tax Free – qualquer turista nao-residente no Japão tem direito a 10% ou 8% de tax free em determinados produtos e lojas. E ao contrario do processo de tax free na Europa, que é bem chatinho, no Japão é super simples: basta apresentar seu passaporte (mostrando seu visto de turista) na hora do pagamento, e o desconto eh aplicado na hora! E por mais que 10% não seja asssssssim-o-que-diferença-no-preço-final, porque não né?

Mas o principal mesmo, são as novidades!

Afinal as principais e maiores marcas de tecnologia do mundo hoje em dia são de lá: Canon, Nikon, Sony, Panasonic, LG, Samsung (que eh Coreana e não Japonesa), etc que são as marcas “produto nacional”, então muitas vezes só por não terem passado pelo processo de exportação, já passam a ter preços mais competitivos do que no resto do mundo.

E também porque TUDO é lançado primeiro no mercado nacional (deles) antes de ser exportado para o resto do mundo.

Então principalmente em relação a produtos de tecnologia de ponta (principalmente Câmeras fotográficas e celulares/tablets), algumas novidades são lançadas no Japão ate 6 meses antes do resto do mundo! E como o Aaron (e meu pai também tinha me dado uma listinha de modelos!) esta sempre super antenado nessas coisas, ele já sabia mais ou menos quais câmeras/acessórios provavelmente já estariam disponíveis no mercado Japonês, e que ainda demorariam vários meses pra chegar na Europa/EUA.

E foi numa dessas que virei a casaca e me rendi aos poderes de uma câmera Canon (que me acompanha a bastante tempo sabe que sempre fui fã das câmeras Sony). Demos de cara com o novíssimo modelo Canon G1X numa loja em Shinjuku e de cara fiquei encantada. Não sabia se o preço valia tão a pena assim ou não, então resolvi fazer o dever de casa no hotel.

Assim descobri que a câmera só estará disponível no mercado Europeu e Americano em Julho de 2014, com preço sugerido de 900£ ou 1000US$, e as resenhas e feedbacks eram todos ótimos! Em compensação, no Japão, além de já estar disponível nas lojas, o preço estava mais de 30% mais barato, e como ainda tínhamos direito ao tax free, a câmera sairia por quase 50% de desconto! Então continuamos procurando a nova Canon pelas mega lojas de Tóquio (era novidade fresquinha então estava esgotada em varias delas), e acabei comprando pelo equivalente a uns 420£ (Libras Esterlinas), então valeu demais a pena e realmente não deu pra resistir!

(Muitos leitores estão me pedindo uma resenha sobre a nova Canon G1X, e vou pedir pro Aaron me ajudar a escrever sobre ela… Mas pra quem lê em Inglês, o Aaron tem um ótimo – porem meio abandonado – blog de fotografia, o Postcard Intellect com dicas e tutoriais incríveis sobre fotografia de viagem e equipamentos)

 

– Cosméticos e Maquiagens:

E agora a parte mulherzinha das compras (minha parte preferida!)!

Todas as vezes que viajei pra Ásia eu adorei conhecer as novidades (como os ingredientes exóticos na Tailândia ou as novidades de mercado no Oriente Médio – muito antes de chegarem no resto do mundo!). Mas principalmente porque tanto o Japão quanto a Coreia do Sul são mercados super nicho e super poderosos no mundo da beleza, onde as mulheres dos dois países são notoriamente ultra vaidosas, exigentes e excêntricas!

Então por um lado tem todo o lado lúdico de (tentar) descobrir o significado e o uso de todas as geringoncas-da-parafuseta nas farmácias e supermercados Japoneses!

20140515-220731.jpg

Palitinho de limprar cravos do nariz? Check! Massageador facial pra fazer sua maca do rosto ficar mais saltada? Check! Escova para limpar o couro cabeludo? Check! Ferramentas assustadoras-indecifraveis para afinar o nariz e arredondar os olhos?! Check! Check! Check!

Incrível! Um tudo de esquisito, excêntrico, supérfluo (e deliciosos de descobrir) que podia imaginar, existe por lá!

Não comprei mais coisas estranhas por simplesmente a grande maioria delas eu não consegui decifrar pra que serviam!! (as instruções são todas em Japonês, mas a maioria das embalagens tem também instruções em “desenho em quadrinho” explicando passo a passo como usar tal produto, o que facilitou bastante).

20140515-220840.jpg

E por outro lado, tem essa coisa do mercado Asiático ser tão nicho e exigente, então TODAS as grandes marcas de cosméticos e maquiagem tem linhas exclusivas que só vendem por lá. Quase todas essas linhas exclusivas seguem a mesma tendência: proteger do sol, apagar manchas e deixar a pela mais clara/iluminada (e foram eles que inventaram os BB e CC Creams que agora dominam o mundo da beleza no mundo todo!).

Principalmente as Japonesas e Coreanas são absolutamente aversas ao sol, e apesar de quase todas são morenas (e mesmo as mais branquinhas tem um sub-tom de pele amarelado, que é o mesmo caso da pele Latina), o padrão de beleza delas é totalmente anti-bronzeado.

Mas o que eu gosto dos produtos Asiáticos, é que – como mencionei acima – a pele Asiática e Latina tem muitas semelhanças, sempre com tons e sub-tons de pele mais amarelado (mesmo as Brasileiras/Portuguesas/Espanholas/Italianas mais branquinhas raramente tem aquele tom de pele “rosa” dos nórdicos e loiros de verdade), então os produtos para proteção da pele, produtos para apagar manchas, e principalmente os tons de maquiagem são super compatíveis pra gente!

E além disso, o clima deles eh parecido com o Brasil, com verões muito úmidos e quentes, então eles tem produtos super eficazes anti oleosidade e brilho, que sempre eh o inimigo das Brasileiras!).

20140515-220758.jpg

E por fim, as marcas. Assim como para os eletrônicos, algumas das melhores marcas de beleza “nicho” hoje em dia são Japoneses e/ou Coreanas: SK II, Cle de Peau, Shu Uemura, Shiseido etc são Japonesas, e a Amore Pacifc e Misha sao Coreanas.

Então além de serem marcas que nao estao disponíveis em muitos outros paises do mundo, alem ainda tem linhas de produtos que so existem la (como a linha – maravilhosa – de produtos de cabelos da Shiseido, que no Japao vende em qualquer Farmacia por 7 dolares, e na Inglaterra so vende on line por 40 Libras!), e os lançamentos que saem no mercado “local” bem antes de chegar no resto do mundo, e consequentemente os precos tambem sao bem melhores (pois nao sao “exportados”).

Outro bom exemplo de precos (que voces sempre pedem) eh o corretivo Cle de Peau que na Europa e EUA eh considerado o Holy Grail das maquiagens de luxo. Nao eh que seja a preco de banana no Japao, mas por exemplo, em Londres esse corretivo so vende na Harrods e custa mais de 80 Libras. E eu comprei o mesmo produto (sendo que na Asia eles tem muito mais opcoes de cores!) tanto na viagem que fiz a Pequim uns anos atras quanto agora em Toquio por cerca de 30 Libras.

 

Ou seja, apesar de que o Japao de maneira geral nao eh um lugar super barato, muita coisa vale a pena ser comprada por la, caso voce esteja de viagem marcada pra’quelas bandas!

20140515-220721.jpg

(e para as meninas me pedindo resenhas e dicas dos produtos que comprei nessa viagem, vou começar a postar sobre todos – a medida que for usando e testando – lá no Beauty!)

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
26 comentários
13 May 2014
13 comentários

Toquio: The Westin Hotel

Dicas de Viagens, Japão, Toquio

Essa viagem para o Japao e Coreia foi nossa terceira grande viagem para a Asia (4a, se contarmos o Sub Continente Indiano), sendo o 12 e 13 paises visitados, e uma coisa que eu aprendi nessas viagens foi respeitar o que eh diferente, e reconehcer onde consigo me adaptar, e onde prefiro manter as cosias mais “familiares”.

DSC00096

E nisso, a opcao de hospedagem sempre eh minha preocupacao numero um! Entao fizemos questao de ficar hospedados em hoteis internacionais, com servico e qualidade ocidentalizadas, onde saberiamos que teriamos aquela sencacao de “voltar pra casa” no fim do dia.

E ai eh que esta o pulo do gato – nao eh uma questao de se o servico ocidental/oriental eh melhor ou pior, apenas um detalhe de minhas viagens que aprendi a reconhecer que prefiro manter em territorio familiar, principalmente depois da chegada da Isabella.

DSC00094

Entao em Toquio ficamos no hotel Westin (por acaso a mesma rede de hoteis que ficamos hospedados em Xangai, na China – e nao por acaso, meu hotel preferidissimo em Madrid, na Espanha), que ofereceu exatamente tudo que buscavamos: servico impecavel, otimo nivel de Ingles de todos os funcionarios, varias opcoes de restaurantes e quartos espacosos.

Desde nossa chegada o hotel teve todo cuidado de – na medida do possivel – atender a todas as nossas necessidades, incluindo nos dando um check in ligeiramente mais cedo que o normal, quando chegamos no quarto o bercinho da Isabella ja estava pronto esperando por ela, a concierge nos ajudou a planejar nossos dias e ate me deu fraldas extras e dicas de onde comprar comida de bebe ali por perto!

E por falar nisso, o Westin de Toquio fica no bairro Eibisu, que apesar de nao ser super central nao, eh um bairro residencial super gracinha e tranquilo, e o hotel fica extamente em frente ao badalado restaurante do Joel Rebouchon de Toquio (que acabamos nao tendo tempo de ir, mas ja fomos no do Londres e Las Vegas), do lado a cervejaria Japonesa Sapporo (com direito a visitas a fabrica e um restaurante/beer garden bem bonito), uma enooooorme loja de departamentos Mitsukoshi do outro lado da rua (que no subsolo tme um supermercado incrivel), e muitas opcoes de cafes, restaurantes, farmacias, Starbucks, Dean & Deluca, etc, etc a poucos metros de distancia.

DSC00087

A estacao Eibisu tambem fica a pouco minutos andando do hotel, onde tinhamos nao so algumas linhas do Metro de Toquio, mas tambem uma estacao de trens JR (otimo pra quem comprar o passe de trens e otimas conexoes com os dois aeroportos!), e na prorpia estacao a loja de departamentos Atre (que esta presente em quase todas as grandes estacoes da cidade) era praticamente um shopping de opcoes de cafes, restaurantes e lojinhas. O maximo, e tiramos muito proveito de nossa vizinhanca!

Dentro do hotel o buffet do cafe da manha era excelente, alem do bar e “atrium” que tambem serve bebidas e comidinhas rapidas, e mais dois restaurantes mais bacanas, um Chines e outro Japones (que milagrosamente foi o unico lugar no Japao que conseguimos comeer Sashimi! Mas isso eh papo pra outro dia!)

The Westin Toquio

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
13 comentários