19 Dec 2013
29 comentários

Balkãns: explorando a costa do Adriático de carro (Croácia, Montenegro e Bósnia)

Bósnia, Croacia, Dicas de Viagens, Montenegro

Como prometido, aqui esta o post detalhando o lado pratico de nossa viagem pela costa do Adriatico em Agosto.

Passamos pela Croacia (Dubrovnik), Bosnia (Mostar) e Montenegro (Baia de Kotor).

Nao tinhamos muito tempo disponivel, entao as escolhas foram objetivas. Alem disso, por estarmos com a Isabella (que na epoca estava com 7 pra 8 meses de idade), nao queriamos passar muito tempo no carro (estabelecemos um limite de 2 horas dirigindo de cada vez), nem queriamos trocar de hotel todas as noites.

Entao estabelecemos nossa base de operacao em Dubrovnik, ficamos num hotel com garagem e alugamos um carro la mesmo no aeroporto.

– Aluguel de carro:

Ja dei essa dica aqui outras vezes, mas vale mencionar de novo: eu sempre verifico tarifas de aluguel de carro no site travelsupermarket.co.uk, que faz uma busca em outros grandes sites e portais de viagem, assim como empresas e agencias locais, que geralmente tem precos melhores, mas que quem vem de fora nao conhece.

A transacao eh toda feita on line, algumas vezes eh necessario pagar o valor todo no ato da reserva, outras vezes pagamos na retirada do veiculo, e tambem eh possivel escolher acessorios, como GPS, cadeira de carro pra bebe ou para criancas, etc.

Ultimamente nao temos alugado GPS, pois acho que o Google Maps do iPhone funciona melhor (eu tenho um plano de celular da Vodafone UK que me da internet ilimitada na Europa, entao vale a pena).

E quanto ao bebe conforto da Isabella, depende do lugar onde vamos e o custo beneficio do aluguel (acho um saco ter que viajar com o bebe conforto!), pois muitas vezes o valor do aluguel da cadeirinha sai mais caro que o proprio aluguel do carro! (sempre optamos por um economico “medio”: com 5 portas, ar condicionado e bagageiro decente – lembrando que os carros na Europa tendem a ser minusculos!).

Estrada e Mapas:

Como comentei acima, jamais alugo carro sem GPS ou Google Maps na mao, mas ainda asism sempre pedimos na concercionaria um mapa de estradas (ou compramos num jornaleiro), so pra garantir que a tecnologia nao vai nos deixar na mao, e para podermos ter uma nocao de direcao, distancias etc.

E como sou fa de guias de viagem de papel, tambem aproveito para ir procurando no mapa e nos guias potenciais paradas estrategicas pelo caminho, e o que mais poderiamos visitar e aproveitar para esticar as pernas, brincar com a Isabella etc.

As estradas sao otimas!! Principalmente na Croacia, alem da vista sensacional bordeando a costa com a vista de suas milhares de ilhas (de babar! Um dia vou me aposentar e virar pescadora numa ilha da Croacia! Hahahahah), o asfalto eh um verdadeiro tapete.

Alguns trechos sao em mao dupla, com acostamento, mas tambem tem bastante secoes com pista dupla nos dois lados. E sinalizacao eh clara e muito facil de seguir.

Em Montenegro, na regiao da Baia de Kotor, a estrada tambem eh boa, mas praticamente o tempo todo em mao dupla (um saco quando voce fica empacado atras de um caminhao).

A vista da estrada de Kotor faz parte da viagem, entao eh sem duvidas um daquelas lugares pra dirigir sem muita pressa de chegar do ponto A ao ponto B, e fomos dirigingo, parando, fotografando, dirigindo, parando para um sorvete, outra foto, dirigindo mais um pouco etc… e assim por diante.

Na Bosnia tambem nos surpreendemos como, de maneira geral, as estrdas tambem eram igualmente boas.

Porem a sinalizacao deixou a desejar (nao sei se teriamos achado Mostar sem um GPS na mao! Ou no minimo teria sido uma viagem muito tensa!), e nao sentimos tanta confianca pra simplesmente parar onde queriamos ao longo da viagem. Mas ainda assim foi super agradavel.

Fronteiras:

Os 3 paises tem policas de fronteiras bem restritas, entao nao esqueca seu passaporte no hotel!

Eh preciso apresentar a documentacao do carro com informacoes de seguro internacional (se o carro for seu) ou autorizacao da concercionaria para viajar para aquelas paises (a nossa, por exemplo, nao permitia que o carro passasse pela fronteira da Albania nem da Macedonia), alem de passaportes.

Dubrovnik esta apenas a 30 minutos da fronteira com Montenegro, mas demoramos mais de 1 hora parados na fila da fronteira!

Entao quando fomos para Bosnia, estavamos esperando o pior, e fronteiras ainda mais rigidas, mas acabou sendo mais facil – principalmente por as fronteiras estavam vazias, entao praticamente passamos direto.

Eles fazem toda inspecao da documentacao, mas nao fizeram perguntas nem encasquetaram com nada (alguns carros estavam sendo parados e inspecionados).

Porem nesse viagem de Dubovnik a Bosnia eh preciso ficar atento a fronteira “dupla” entre os dois paises, pois a estrada passa pela area onde a Bosnia desce ate a costa, entao entramos na Bosnia (fronteira), dirigimos meia hora, passamos pela fronteira de novo e votlamos pra Coracia, ate que dai a mais uns 40 minutos entramos definitivamente na Bosnia.

Foi confuso, mas nada complicado!

Roteiro:

No total ficamos 4 dias por la, o primeiro e o ultimo em Dubrovnik, e mais um dia inteiro em Montenegro e outr dia inteiro na Bosnia.

Sim, teria sido bem melhor ter mais tempo para explorar cada pais, nao viajar com tanta correria, etc, etc, mas como o tempo era limitado de qualquer maneira, e nao queriamos ter que trocar de hotel por causa da Isabella, adaptamos o roteiro da maneira que deu.

 

– Uma das perguntas que me fizeram foi se seria possivel fazer essa mesma viagem de maneira independente, pra que nao gosta de alugar carro em viagens.

A resposta eh sim e nao.

Nao, por que nao da pra fazer totalmente independente. A regiao nao eh servida por trens, e as conecoes de onibus sao pessimas.

Se me lembro bem, existe uma linha de onibus que conecta o aeroporto de Dubrovnik a Kotor 1 ou 2 vezes por dia (em horarios meio esdruxulos que nao deram pro nosso roteiro), e tem um outro servico de onibus que conecta Dubrovnik a Mostar, que ale de demorar quase 6 horas (de carro, demoramos 2 horas), as reviews que li dizem ser um onibus pessimo e desconfortavel, entao nem consideramos.

Porem, existem muitas opcoes de empresas de turismo que fazem excursoes as duas cidades a partir de Dubovnik!

Ainda assim optamos por alugar um carro, pois alem de nos dar mais liberdade de fazer e parar onde queriamos, acabou saindo mais barato alugar um carro do que pagar excursao para 2 adulto + 1 crianca (sem falar no conforto).

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!
Adriana Miller
29 comentários
06 Dec 2013
23 comentários

Bósnia: Mostar

Bósnia, Dicas de Viagens

Todos que viveram os anos 90 provavelmente tem a mesma imagem da Bósnia que eu tinha ate uns meses atrás.

Eu me lembro vividamente dos noticiários de 1991/1992 comentando sobre a guerra, e nomes como Bósnia, Kosovo, Iugoslava imediatamente remetiam a imagens de guerra, destruição, devastação no sul da Europa.

9710083891_6d86e77a1a

Só a uns 3 ou 4 anos atrás quando comecei a trabalhar em contato com essa região eh que minha imagem foi mudando, e a fascinação pelas culturas dos Balkans foi crescendo e aumentando – desde então já visitei quase todos os países da região, e foi justamente depois da primeira viagem a Croácia em 2010 que me dei conta de como seria fácil viajar pela area.

9710059387_20570f951b

Mas não adianta, “Bósnia” ainda é um pais de nome forte, e não é exatamente um destino tradicional pra ferias em família… E confesso que a vontade de conhecer o pais foi por puro fruto de curiosidade mesmo, pois minha imagem não era exatamente das melhores!

IMG_1803

Sei lá, me considero bem mente aberta pra essas coisas, e destinos não-convencionais são comigo mesmo, mas imaginava que a Bósnia seria um misto de Romênia com Albânia – muito rica culturalmente e muita coisa legal pra oferecer, mas ainda descuidada, sem grandes estruturas turísticas.

9713294956_f032a44d9a

E foi difícil pensar em argumentos convincentes para os comentários: “Vão fazer o que por lá?!”,  “Nossa, vocês vão levar a Isabella pra Bósnia?! Iraque não estava disponível?!”, e afins, ou ate mesmo amigos e leitores que nos alertaram sobre problemas, golpes e furadas no pais.

IMG_1793

Então tentei ser sucinta: estávamos baseados na Croácia, mas alugamos um carro e passaríamos apenas 1 dia na Bósnia, sem nos prolongar muito (por exemplo, queria ir a Sarajevo, mas a viagem seria longa demais) e nos mantendo nas areas turísticas.

Então Mostar foi nossa escolha!

9710085641_4761bfd133

E mais uma vez tive uma agradável surpresa! (que graças a deus surpresas agradáveis em viagens acontecem com muito mais frequência do que surpresas desagradáveis!)

IMG_1741

A viagem foi tranquila, a estrada boa e passar pela imigração foi fácil (esse detalhes mais práticos da viagem vou escrever em outro post) e Mostar excedeu todas as nossas expectativas!

IMG_1752

Mostar foi uma das cidades que mais sofreu durante a guerra da Iuguslavia na década de 90, justamente pagando o preço por sempre ter sido um dos principais centros culturais e com mais diversidade da região.

9710072235_241bb6dbef

Os Balkans como um todo, sempre foram um caldeirão fervente de etnias, culturas, línguas e religiões, sendo que a Bósnia sempre foi o pais mais controverso nesse sentido – eles ja foram divididos, repartidos, separados e unificados por uma infinidade de países e impérios dominadores, e nunca se deram muito bem com toda essa mistureba.

IMG_1805

Com exceção de Mostar, que além de histórico e cultural, ainda por cima era uma cidade onde muçulmanos (Herança dos Otomanos) e cristãos (herança dos Austro-Hungaros) convivam pacificamente.

9713304746_147ed58a4f

E o principal ícone da cidade, a ponte Otomana do século 14 (que tambem era o principal símbolo do pais) também servia de icone por essa luta cultural-religiosa que fervia na Iuguslavia: a ponte de Pedra “Stari Most” unia os dois lados da cidade, cruzando o principal rio do pais e se tornou a principal rota que unia o litoral do Adriatico com os minerios do interior dos Balkans.

E foi justamente esse o alvo escolhido pelas forcas inimigas a ser destruida em 1993 – um bombardeio comandado pelo exercito separatista Bosnio destruiu em minutos toda a historia e simbologia da cidade.

9710069911_5454d78b12

Especula-se que o impacto moral foi tao grande na populacao da Bosnia e de toda regiao, que foi esse ataque que marcou o comeco do fim da guerra.

E se avancarmos quase 2 decadas, a regiao como um todo voltou a se reerguer e se recuperar da guerra – alguns paises se recontruiram rapido, outros ainda estao lutando por sua independencia, mas finalmente em 2004, com um projeto financiado pela ONU e com apoio internacional, Mostar se reabriu para o mundo (e para o turismo) ao inaugurar com toda pompa que teem direito a nova (velha) ponte, que foi restaurada e reconstruida exatamente como a original de 1400 e poucos.

IMG_1755

Entao, como mencionei ai em cima, foi uma surpresa ir descendo as ruas de paralelepipedo de Mostar e entrar na cidade na beira do rio!

Porque tinhamos mesmo aquela imagem de “Bosnia”, que seria interessante, mas um feinho-arrumadinho, sabe? Ate porque os arredores da cidade, e as ruas que permeiam a estrada que chega ate la nao sao das mais amigaveis…

Ah! Como eu adoro estar errada nessas horas!

9710060843_f0b4d34c5c

Sim, a cidade ainda tem algumas partes pra restaurar e dar uma ajeitadinha, mas a reconstrucao das areas principais ficou uma gracinha!

As pedrinhas das ruas principais parecem mesmo paradas no tempo (P.S. Impossivel andar por la com carrinho de bebe! Ainda bem que o canguru estava a tiracolo!), as casinhas coloridas, e as ruas que se afunilam mercado a dentro!

IMG_1794

E claro, a piece de resistance eh a ponte! Todos os olhos (e cameras fotograficas!) estao sempre apontadas na mesma direcao, com aquele tipo de paisagem que foi feito pra morar num cartao postal!

A cor clarinha do marmore da ponte arqueada sobre a agua verdinha do rio Neretva, e os dois lados da cidade, com seu mercado, lojas e restaurantes se debrucando nas beiradas.

IMG_1748

Nos escolhemos a sombrinha da varanda do restaurante Babilon para almocar – e o prato escolhido foram as tradicionais Trutas de agua doce do rio Neretva!

 

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Londres na Inglaterra, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

 

Adriana Miller
23 comentários