11 Apr 2007
0 Comentários

Mother Russia

Dicas de Viagens, Moscou, Russia

*O titulo do post for escolhido a pedidos do Aaron que ficava repetindo essa frase a cada 5 minutos (eh de algum filme americano de espionagem, na epoca da guerra fria)

O sabado comecou atrasado. Nos dois, achamos que nao precisavamos de despertador por causa do fuso horario.  O fuso horario era ao contrario, estavamos horas adiantados, e nao atrasados. Soh conseguimos acordar numa hora descente pq deixamos a cortina aberta e a luz me acordou cedo. Enquanto terminavamos de planejar o dia, resolvi secar meu cabelo e detonei nao soh o secador, como tb a televisao e a tomada na parede esquerda… Tivemos que ligar pra recepcao, esperar alguem ir lah dar uma olhada, empacotar tudo, e trocar de quarto.

E nisso tudo, lah for a uma tempestade de neve glacial. Nao sou fresca, mas nao tinha condicoes de sair com o cabelo pingando na neve. Resultado, eu tive que passar uma hora sentada no chao do quarto com meu cabelo em cima do aquecedor, ateh secar o suficiente pra que eu nao pegasse uma pneumonia no caminho do metro. Apesar do atraso e do meu cabelo de juba (devidamente escondido pelo gorro de la), conseguimos chegar cedo, e achar a estacao certa no centro da cidade.

Uma coisa que demoramos a nos acostumar foi que eles nao tem faixa de pedreste nas ruas! O transito eh um caos, no sinal vermelho soh para quem quer, entao em quase todos os grandes cruzamentos e avenidas as pessoas soh podem atravessar se for por passagens subterraneas. Mas isso nao vem escrito no guia de viagem, vem?! Entao ateh nos tocarmos disso, quase fomos atropelados algumas vezes, for a o tempo perdido nas esquinas numa “agora da! Corre! Nao! Espera! Olha o carro!” Que rendeu boas risadas.

Mas isso contribuiu ao clima da cidade. As passagens subterranes, as lojinhas, as pessoas. Aquele clima de filme de espionagem mesmo. Ai quando vc chega do lado de fora, da de cara com um jardim lindo, cheio de neve e as tulipas brotando, e as muralhas do Kremlin.

St Basil e Praca Vermelha

Decidimos deixar o Kremlin pro dia seguinte e fazer uma tour com tudo que tinhamos direito e no sabado fomos explorar a cidade a peh.

Quando vc sai do jardin Alexandrovsky jah da pra ver as muralhas do Kremlin, e o fogo em homenagem ao Soldado Desconhecido com os soldadinhos fazendo guarda. Quando vc atravessa os portoes de ferro com a aguia de duas cabecas em cima, e olha pro lado direito, lah esta ela. A Basilica. Uma das coisas mais bonitas que jah vi na vida.

Grandes cidades tem grandes icones (Big Ben, Torre Eiffel, pao de Acucar, etc) mas nada se compara a St Basil. Nada mesmo. As torres coloridas, as abobodas, nem da pra explicar. Eh fascinante! Nao conseguia tirar meus olhos de lah, e nao parava de tirar fotos da mesma coisa (tirei pelo menos umas 50 fotos… nao eh exagero..).

Quando chegamos lah, a Praca Vermelha ainda estava fechada ao publico, pois o mausoleo de Lenin estava aberto.

Mas eh de uma beleza tao grande que as vezes vc tem a impressao que aquilo nao eh de verdade, eh feito de plastico, faz parte de um dos parques da Disney ou algo assim.

A Praca Vermelha eh um retangulo. Numa ponta esta a St Basil, de costas pro Rio Moscou, e na outra ponta esta o predio do Museu de Historia Nacional. De um lado esta a muralha de Kremilin com a torre do Relogio, e do outro esta o GUM.

O GUM (que em Russo eh a abreviacao para “Loja de departamento do Estado”) era a loja principal de “distribuicao” de bens no governo socialista. Depois da queda do comunismo no incio da decada de 90, a loja ficou fechada a abandonada por mais de uma decada, ateh que una anos atras foi transformada num mega shopping de luxo. Que por si soh, contradiz toda a ideologia que os Bolshevikes pregaram durante tanto tempo.

E eh luxo mesmo! Louis Vuitton, Christian Dior, Gucci, Lacoste, Max Mara, Versace. Tudo que vc puder imaginar.

Da pra ver que o shopping ainda nao esta pronto; muitas obras, lojas ainda abrindo, um ou dois restaurantes e apenas um banheiro.

Uma estrutura historica que obviamente nao foi feita pra virar meca do consumo de alto luxo.

E ainda andando fomos passear pelo resto do centro da cidade. Fomos na antiga sede da KGB, crente que seria algum museu legal, e na verdade levamos foi um baita de um esporro em Russo! Primeiro porque estavamos feliz e contentes tirando fotos do predio – proibidissimo. E quando o guardinha veio dar a bronca (em Russo) ainda tivemos a cara de pau de perguntar se nao tinha um museu dentro do predio.

O guardinha gritava “Nie fotografik! No! No! Military building! No! No!”

O predio que um dia foi a sede da inteligencia comunista hoje em dia eh sede do exercito do maior pais do mundo, e nao. Fotografias nao sao permitidas.

Uns quarteiroes mais a frente esta o Teatro Bolshoy, que eh a sede de uma das companias de ballet mais importantes do mundo. Eu estava empolgadissima pra ver o predio, e quem sabe ateh memso assistir um bale, mas chegamos lah e estava tudo em obras… cobertos por tapumes, e a cia de danca esta em recesso de baixa temporada…

Do outro lado da rua esta uma estatua de homenagem a Karl Marx, o idealista do socialismo perfeito e uma sociedade igualitaria onde o governo cuida de tudo e todos. Li muito ele na faculdade. Affe….

No final da tarde resolvemos atravessar a ponte do Rio Moscou e ver uma outra catedral, de onde, supostamente teriamos uma otima vista do Kremlin, e do Arranha ceus de Lenin (Lenin Skyscrapers). Soh que a primavera de Moscou eh a coisa mais LOUCA da face da terra.

Acordamos embaixo de uma tempestada glacial. Ao longo da tarde o tempo abriu um pouco, volta e meia batia um solzinho. E de repente do nada caia outra nevasca.

Pois foi soh a gente chegar no meio da ponte que a nevasca chegou com tudo! Cada floco de neve gigante! Um vento horrososo, e mal conseguia andar e abrir os olhos. Ficamos nos segurando um no outro o tempo todo, just in case… Obviamente demos meia volta e saimos da ponte o mais rapido possivel. Quando chegamos da Praca vermelha de novo, o tempo abriu outra vez.

Fizemos umas compras nas lojinhas tipicas, e voltamos pro hotel cedo, pois nao queriamos correr o risco de nos perder pela cidade depois que ficasse escuro.

Um adento que tenho que fazer eh aqui eh a quantidade de vezes que fui “confundida” com uma Russa. Jah teve a historia do cara batendo altos papos comigo quando fui pedir o visto no consulado. Isso por si soh jah foi motivo de gozacao. Tudo bem, concordo plenamente que nao tenho cara de Russa.

Mas oque eh um Russo?

No Brasil temos a imagem dos Russos como loiros de olhos azuis, assim como todos os outros Europeus do Leste. Mas agora olha o mapa. Os “Eslavos” (raca que originou os russos “loiros” eh apenas um minima fraccao da populacao, e encontrada apenas na regiao noroeste do pais).

Tem Russos com cara de chines, com cara de mongois, com cara de Iranianos, com cara de finalandes, com cara de esquimo, com cara de Turcos, etc.

E claro, mais alguns com cara de Adriana.

Serio memso. As pessoas me pediam informacao na rua. Os garcons traziam menus em ingles pro Aaron e em Russo pra mim, e no aviao, uma menina russa sentada do meu lado, puxou um papo animadisso sobre a Jenifer Lopez comigo, EM RUSSO, e ficou meio surpresa que eu respondi “nao falo Russo”.

Lah nos cafundos da Siberia deve ter uma tribo que se parece comigo (ou que eu me pareco com eles).

Fim da historia, soh queria escrever isso aqui, porque as pessoas acham que eu sou louca quando contei a historia do embaixada! Hahahahahah

Adriana Miller
0 Comentários
10 Apr 2007
4 comentários

Moscou

Dicas de Viagens, Moscou, Russia

Vou contar sobre as viagens passo a passo. Como foi uma viagem “longa” (4 dias) e fizemos tantas cosias diferentes, vou escrevendo um pouco por dia… ateh pq estou super ocupada hj no trabalho e tb ainda nao baixei as fotos… heheheh

A viagem comecou na sexta feira. Voamos BMI e saia de Londres as 9 da manha. O Aaron adoooora chegar no aeroporto com horas e horas a fio de antecedencia, enquanto que eu, se pudesse chegava sempre 30 segundos antes de embarcar. Mas tudo bem. Saimos cedo, chegamos cedo. Fizemos check in, aproveitamos pra tomar café da manha, comprar revistas, ver as lojas, matar as saudades.

O voo durou 4 horas, e apaguei completamente. O problema da viagem, foi que apesar de “perto” e “rapido”, voamos contra o fuso horario, entao saimos quando em Londres eram 9 da manha, e chegamos lah quando na Russia jah eram 4 da tarde. Dai a passar pela imigracao, esperar malas etc, perdemos o dia todo. Mas tudo bem, jah sabiamos disso, e estava nos planos.

Ai comeca a aventura.

Imprimi tudo, praticamente decorei o mapa da cidade, mas quando chegamos lah, vimos que tudo estava escrito em RUSSO, enquanto que nos mapas do meu guia e no mapa do site do Hotel estava escrito em “ingles”, ou seja com letras romanas, reproduzindo os sons russos. Ai ferrou. Sabiamos que tinhamos que pegar o trem expresso pro centro da cidade. Onde fica isso?


Tudo em Russo. Nao tem balcao de informacoes, e quando finalmente encontramos o tal do trem, a mulher que vendia os tickets nao falava uma palavrinha sequer de ingles. Pegamos um trem (que a ultima vez que viu um mecanico foi em 1923) sem saber se iamos pra direcao certa.

A estacao de trem que vai pro centro de Moscou. Sente o drama.

Chegamos na estacao onde faz baldeacao com o metro. Pelomenos achavamos que era aquela estacao. Pelo menos acertamos. Fizemos mimica pra comprar tickets, e saimos estacao adentro, tentando entender as “figuras” pra saber se estavamos na direcao certa.

Logicamente pegamos o metro errado 2 vezes.

Nao adianta perguntar nem pedir ajuda pq ninguem fala ingles. E nao soh nao falam ingles, como nao estao acostumados a lidar com turistas, entao todo mundo fica meio com receio de falar com vc.


Quando finalmente chegamos na estacao certa, nao sabiamos pra que lado ir. Arriscamos um lado e demos de cara com o nada. Nada em volta. Oh-oh. Voltamos e saimos pela outra saida. Vimos um posto de gasolina e fomos (tentar) pedir ajuda. A senhora ateh que foi bem prestativa, pena que era em Russo, e nao entedemos nada. Mas ela estava falando BEM DE-VA-GAR-ZI-NHO que era pra gente entender… Andamos andamos andamos. Nao achamos nada. Era feriado e nao tinha uma viva alma na rua. E nisso comecou a nevar, e eu sentia meus dedos sem luva congelando pouco a pouco…

Andamos, andamos, andamos em circulos mais um pouco, ateh que achamos um outro hotel, e finalmente alguem que falava ingles suficiente pra nos ajudar e desenhar um mapa. O hotel estava bem embaixo do nosso nariz. Mas em russo, nada ajuda.

No final das contas, a viagem que demoraria 1 hora, durou mais de 4 horas e resolvemos ficar no hotel mesmo, jantamos lah mesmo e ficamos horas decorando palavras e numeros em Russo e planejando nosso dia.

 

Adriana Miller
4 comentários
02 Mar 2007
17 comentários

Russia

Dicas (Praticas!) de Viagem, Dicas de Viagens, Moscou, Russia

Dizem que viajar pra Russia eh um dos lugares mais complicados do mundo.Eh um pais super caro (principalmente Moscow e St Petersburgh), altos indices de crime e corrupcao, um inverno rigoroso que restringe o acesso aos turistas na maior parte do ano (concentrando tudo nos meses de verao), e principalmente os requisitos ao visto de entrada.Isso sem falar na lingua…

Eu sei que nao eh o unico pais onde tirar visto eh dificil. Os EUA sao famosos tambem pelo mesmo motivo. Mas aqui na Europa acho que ninguem nem se liga nisso, jah que a grande maioria dos paises da comunindade fazem parte do Visa Waiver Program entao nao precisam de visto pro EUA.

E por isso a Russia causa tanta polemica.

Esta logo ali… nao faz parte da comunidade, mas esta na mesma meiuca, entao manda o bom senso que as legislacoes seguissem o mesmo padrao que o resto do continente..

As pessoas se revoltam um pouco, pq acham que na verdade a Russia deveria estar fazendo de tudo pra atrair turistas, mas na verdade eles nao estao nem ai. Pois bem.

Ha uns meses atras, li uma noticia no jornal que a BMI (empresa de low cost – pero no mucho – da Star Alliance) ia comecar a operar um voo direto Londres – Moscow a precinhos camaradas…

Meu olho ficou logo maior que a barriga (e a carteira!), e comentei isso com o Aaron, assim como quem nao quer nada, achando que por ser americano ele nao teria nenhum interresse em ir pra Russia.

Pra minha surpresa, e felicidade geral da nacao, ele nao soh amou a ideia, como jah tinha pensando na mesma coisa e ficamos mega empolgados.

Comecamos a pesquisar passagem, hotel, gastos, atracoes, etc. Ganhei de natal um guia do Lonely Planet sobre a Russia, e as pesquisas comecaram.

Primeiro passo foi decidir a data. Apesa de ser “logo ali” eh super longe e a viagem dura 4 horas e meia, contra horario, oque significa que se perde um dia inteiro pra chegar lah. Entao soh um fim de semana nao seria o suficiente. Ok. Vamos na Pascoa, abril. Tentei pedir um dia extra (aqui na Inglaterra eh feriado na Sexta feira Santa e na segunda feira), mas a chefitcha vetou. Mas tudo bem, 4 dias jah ta bom.

Depois que decidimos a data comecamos a pesquisar hoteis, voos, e acabamos descobrindo que saia mais barato comprar o pacote inteiro no Lastminute.com, e a passagem + 3 noites num hotel 3 estrelas saia quase o mesmo preco que a passagem avulsa + taxas.

Ok. Essa parte foi facil.

Por fim, precisamos pedir o visto de turismo.

Ai eh que comeca o parto.

Como foi muito dificl achar informacoes claras, e entender realmente como funciona o processo, vou dar minhas dicas aqui, caso alguem se anime a ir praquelas bandas um dia.

Primeiro vc tem que pagar e confirmar TUDO antes de pedir o visto. Os vistos tem data certa pra comecar e acabar, entao tb nao pode mudar de ideia e trocar datas e planos.

Tem um prazo fixo. Eu pedi um visto pra 4 dias, entao nao posso ficar 5 ou 6…

So te permite um maximo de 30 dias dentro da Russia, e vc tem que descrever exatamente onde vai estar em que dias. E vc soh pode entrar uma unica vez. Se cruzar a fronteira e quiser entrar de novo, tem que solicitar outro visto.

Alem disso, vc nao pode simplesmente solicitar um visto. Vc tem que ser “convidado” a entrar no pais. Isso eh que eh complicado.

Soh alguns hoteis ou agencias de viagem sao autorizados de emitir “convites”, entao se vc estiver se planejando em ir pra Russia veja bem se seu hotel ou albergue tem essa autorizacao. A maioria nao tem.

Nos tivemos muito cuidado em escolher um hotel que fosse registrado, mas depois de tudo reservado e pago, nos disseram que pra isso teriamos que enviar uma copia (frente e verso) do cartao de credito.

Era soh oque me falatava!! Onde que numa sociedade internet-ada e on-line como a nossa alguem vai distribuir por fax copias de cartao de credito?!??!

NO WAY!

Ai pronto…. Ferrou… oque vamos fazer entao…? Sem isso nao temos o convite, sem convite nao temos visto, sem visto nao podemos entrar na Russia, e agora jah esta tudo pago…

Entao usei meus dotes de catarinagem on-line semi-profissional e descobri o site http://www.visatorussia.com que eh uma site oficial do governo Russo que que dao todas as informacoes sobre vistos. Depois de muito fucar descobri que podiamos solicitar o tal do convite diretamente com eles. Basta pagar.Ok, paguei a taxa, preenchi um formulario e no dia seguinte me mandaram um fax todo em RUSSO autorizando minha entrada.

Eles nao tem serivico direto pro Brazil, mas a central de atendimento eh global, entao basta mandar um e-mail e perguntar quais sao as especificacoes pra Brasileiros (cada pais tem umas regrinhas diferentes). E eles tem ateh um servico de chat ao vivo. Muito util.Com essa carta na mao, hoje fui no consulado de Londres, tive que pagar uma taxa extra por ser Portuguesa, prova do seguro de viagem, uma foto, passaporte original, comprovacoes da viagem, mais fichas preenchidas e pronto. Daqui a 7 dias uteis meu visto esta pronto.Ufa.

Mas pra falar a verdade foi melhor doque eu imaginava. Chegue lah bem cedo, e fiquei na fila antes mesmo de abrir. Abri meu livro e fiquei na minha.

Ai veio um cara e comecou a falar comigo alegremente. Em Russo.

Mas nao era aquele papo “que horas sao” nao… Era um papao animadissomo, como se ele jah me conhecesse.

Fieui olhando pra cara dele, e respondi que nao falava Russo. Ele riu, e continuou falando alegremente.

Mas uma vez respondi que nao falava russo. Ele nao levou muita feh, continuou falando por mais alguns segundos, e depois (provavelmente pela minha cara de pastel olhando pra ele) ele perguntou, surpreso e indignado: “You don’t speak Russian?!”. Nao. Ora bolas.

“Mas de onde vc eh?” – Brasil. “HAHAHAHAHAH, sei. Eu conheco os Russos de longe e vc eh Russa.”

Nao sou nao. Sou Brasileira e Portuguesa, e minha familia nao tem nem um pouco de sangue Russo.

Ele ficou olhando pra minha cara… falaou mais alguma coisa em Russo. Riu e saiu andando.

Eu heim.

Cada louco com sua mania. Mas dizer que eu tenho cara de Russa jah eh demais.

Mas nao eh de hoje que eu reclamo que tenho a cara mais comum da face da terra. Eu deveria trabalhar como espia, me infiltrando em territorios alheios.

Vai entender.

 

 

Adriana Miller
17 comentários
Página 3 de 3123